Genießen Sie diesen Titel jetzt und Millionen mehr, in einer kostenlosen Testversion

Kostenlos für 30 Tage, dann für $9.99/Monat. Jederzeit kündbar.

A Deusa Coruja

A Deusa Coruja

Vorschau lesen

A Deusa Coruja

Länge:
372 Seiten
4 Stunden
Herausgeber:
Freigegeben:
Dec 1, 2019
ISBN:
9781071510513
Format:
Buch

Beschreibung

Um romance baseado na teoria de von Däniken de que os deuses eram astronautas. Situado na era pré-histórica do Mesolítico, com a deusa Atena como uma jovem garota e Prometeu, um jovem morador de cavernas, como os principais protagonistas.A deusa corujaUm romance baseado na teoria de von Däniken de que os deuses eram astronautas.Situado na era pré-histórica do Mesolítico, com a deusa Atena como uma jovem garota e Prometeu, um jovem morador de cavernas, como os principais protagonistas. 

O garoto viu a estrela cair. Caiu muito lentamente, e não era uma luz, mas uma multidão de luzes girando preguiçosamente pelo céu noturno. Então grandes peixes prateados voaram pelo céu e outras luzes misteriosas começaram a aparecer na montanha. Por fim, um grande raio atingiu o oceano. O som era plano, oco e inacreditavelmente alto, como se um gigante tivesse pisado a terra. E o sinal da deusa apareceu no céu - o sinal do cogumelo sagrado. Estes são os eventos que marcam a chegada da Atlântida, a nave condenada, trazendo novos deuses que mudariam a vida do menino e de seu povo para sempre.

Herausgeber:
Freigegeben:
Dec 1, 2019
ISBN:
9781071510513
Format:
Buch

Über den Autor


Ähnlich wie A Deusa Coruja

Verwandte Kategorien

Buchvorschau

A Deusa Coruja - Jenny Twist

AUTOR

Jenny Twist, Copyright © 2016

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

––––––––

O autor é estabelecido como o único detentor dos direitos autorais. O autor pode impor direitos autorais em toda a extensão.

Este e-book é licenciado apenas para sua diversão pessoal. Este e-book não pode ser revendido, reproduzido ou transmitido por qualquer meio, sob qualquer forma, ou cedido a outras pessoas sem a permissão específica do autor. Se você gostaria de compartilhar este livro com outra pessoa, por favor, compre uma cópia adicional para cada pessoa com quem você compartilha. Se você está lendo este livro e não o adquiriu, ou se não foi adquirido apenas para seu uso, por favor, retorne ao seu revendedor de livros eletrônicos e compre sua própria cópia. Obrigado por respeitar o trabalho duro deste autor.

Esta é uma obra de ficção. Qualquer semelhança com os vivos ou mortos é mera coincidência.

Créditos

Editor: Emily Eva Editing

http://emilyevaediting.weebly.com/

Arte da capa: Novel Prevue

http://www.novelprevue.com/cover-art.html

Retrato de Atena: Caroline Ritson

http://carolineritson.co.uk/

Imagem de Mandelbrot Set: Wikipedia https://pt.wikipedia.org/wiki/Mandelbrot_set#/media/File:Mandelbrot_set_image.png

Dedicação:

Para Kevin Ryall

––––––––

"Mas depois ocorreram violentos terremotos e inundações; e em um único dia e noite de infortúnio todos os seus guerreiros em um corpo afundaram na terra, e a ilha da Atlântida desapareceu nas profundezas do mar." Platão ( 428/427 ou 424/423 - 348 / 347 aC)

Prólogo

A sacerdotisa sentou-se nas profundezas da caverna e olhou para o fogo sagrado. Suas seguidoras esperavam nas sombras.

O fogo cuspiu e estalou, lançando uma luz bruxuleante nas paredes, fazendo com que os homens e animais pintados ali se movessem com vida espúria. Apesar do calor na caverna, ela estremeceu.

Uma de suas assistentes se adiantou e jogou um punhado de cogumelos secos nas chamas. A sacerdotisa fechou os olhos e respirou profundamente a fumaça. A chama brevemente brilhou, jogando seu rosto em um alívio horrível, e ela soltou um longo e estremecido gemido. Os atendentes esperaram, prendendo a respiração, esperando que ela falasse.

Quando o fez, foi na voz da Grande Mãe, profunda e poderosa, ressoando em torno da caverna. "Alguma coisa está chegando. "

Capítulo um

Houve um clique oco ... e depois ... silêncio completo.

Athena se sentou de repente no escuro, seu coração batendo forte. O que é que foi isso?   Ela se esforçou para ouvir, mas não havia nada. Ela sentiu um fio frio de medo correr através dela.

Papai? Ela jogou o pensamento para ele. Mas não houve resposta. Sua mente percorreu o navio, mas ela não conseguiu pegá-lo.

Luz! Ela comandou. Nada aconteceu. Luz! Ela disse novamente, seu lábio inferior começando a tremer. Nada.

Deveria haver um interruptor manual, mas ela nunca precisou usá-lo antes. Ela se atrapalhou com a parede e encontrou um botão. Com um pequeno soluço de alívio, ela apertou-o. Nada.

E então, com um sobressalto de terror, ela percebeu o que estava errado. Foi isso! Não havia nada! Não havia absolutamente nada - nenhum som em absoluto - nem o som do ar que passava pelas paredes, nem a água escorrendo, nem o zumbido de fundo dos motores. Nenhum dos inúmeros sons que aconteciam o tempo todo no navio. Nada.

Papai?

Ela pensou ter captado um pensamento dele - muito breve e interrompida. Foi , foda-se!

As luzes se acenderam vagamente por um momento. Estava flutuando, mas era leve. E ela o usou para ir até o guarda-roupa e vestir o terno. Seu pai sempre dizia que a primeira coisa que deveria fazer em caso de emergência era vestir o terno. Ele tinha sua própria luz e ar. As luzes se apagaram novamente, assim como ela estava fechando o fecho, acompanhada por outro pensamento de seu pai. Maldito inferno! Você não pode fazer nada? Este grandalhão ...

O pensamento desapareceu, mas ela sabia de onde vinha. Ele estava na ponte. Bem, claro que ele estaria. Se algo estava dando errado com o navio, é claro que é onde ele estaria.

A luz voltou a acender-se e, desta vez, ouviu-se o sinal sonoro do sistema de endereços e a voz do pai - a sua verdadeira voz, e não apenas os seus pensamentos - acendeu-se. Atenção, pessoal! Atenção! Todo o pessoal se adapta e vai até o compartimento de transporte. Pegue todos os itens essenciais como para abandono do navio. Atenção! Atenção ...

Athena deixou sua voz real desaparecer e ouviu seus pensamentos. Para seu horror, ela percebeu que ele estava com medo.

Por um momento, sua mente ficou em branco. Ela nunca tinha conhecido seu pai para ter medo de nada. Era seu trabalho não ter medo. Ele era o capitão. Ele estava no comando. Se ele estava com medo, e quanto ao resto deles?

E então ela pensou: é meu trabalho apoiá-lo e ser corajoso.

Ela olhou ao redor da cabana e tentou decidir o que era mais essencial e quanta coisa ela podia carregar.

Quando chegou ao compartimento de transporte, a maioria dos outros já estava lá, todos com o rosto pálido e segurando várias sacolas e pacotes. No final, ela tinha acabado de trazer suas roupas, Ipade a árvore de óleo. Era a única coisa que ela colecionara nas expedições que achava realmente interessante e incomum. É apenas um tipo de azeitona, dissera Demeter. Eles crescem em casa.

Mas Athena nunca esteve em casa. Ela nasceu na Atlântida. Ela nunca tinha visto uma azeitona antes e ela amava a fruta brilhante que começou verde e ficou roxo-preto. Era muito amargo, mas Deméter disse que era uma das frutas mais úteis, porque você podia absorver a amargura e comê-la ou fazer óleo para cozinhar ou acender as lâmpadas. Athena gostou da idéia de uma árvore que dava comida e luz. Então, ela havia colecionado de qualquer maneira, e Demeter a ajudou a preparar a cultura para salvar os genes e plantou uma árvore de bebê para mantê-la em sua cabana. Ela tinha agora, segura em sua mochila em sua própria bolsa lacrada, as preciosas sementes em seu bolso.

Athena?

Ares estava em pé no convés de comando, dando uma chamada. Aqui, Athena disse automaticamente. Não parecia real. Foi exatamente como todos os outros exercícios que ela participou em sua vida. Ela virou-se e seguiu Artemis obedientemente até o ônibus espacial.

E alguns minutos depois eles caíram em uma noite negra em direção a um planeta azul pálido.

Parece exatamente como o Lar, Demeter murmurou.

****

Prometeu observou a estrela cair do céu. Caiu muito devagar, muito mais devagar do que qualquer estrela que ele já tivesse visto antes. Ao chegar mais perto, ele pôde ver que não era uma luz, mas uma infinidade de luzes, girando lentamente ao redor. Surpreendente!

Ele assistiu até que caiu abaixo da montanha e ele não podia mais vê-lo. Ele considerou caminhar até o topo da encosta seguinte para ver o que havia acontecido, mas era um longo caminho e, quando chegasse lá, teria afundado de qualquer maneira. Então ele voltou o caminho que ele tinha vindo. Ele não percebeu a estrela muito menor que estava flutuando em direção à alta montanha.

****

Atena acordou para um mundo branco perolado. Ela parecia estar flutuando em um ovo. Com os olhos arregalados, ela olhou descontroladamente ao redor. Paredes brancas, teto branco, piso branco com rolos de cama. Uma tenda! Claro.

Ela estava tão cansada ontem à noite que mal se lembrava de pousar no planeta azul e montar acampamento. Ela não tinha nenhuma lembrança de entrar em sua cama na tenda.

Não havia mais ninguém lá. Eles devem estar todos do lado de fora fazendo coisas, e ela estava perdendo isso. Ela saiu da cama, rígida e desconfortável em seu terno. Seu terno? Sim, isso estava certo. Demeter lhe dissera para manter o terno. Seja o que for para? O ônibus não tinha colocado um escudo?

Quando ela saiu da tenda, ela podia ver o porquê. Em vez de ficar sentado no centro do acampamento, protegendo-o, o ônibus estava pairando acima, prestes a decolar.

O sol estava tão brilhante que ela teve que sombrear os olhos para ver o que estava acontecendo. Distraidamente, ela ligou o interruptor do sol em seu terno. Instantaneamente o brilho foi reduzido. Ela ficou por um momento fazendo um balanço.

Eles estavam acampados em um platô ao lado de uma alta montanha. Um longo caminho para baixo, um caminho muito longo, era o mar - uma enorme extensão de azul cintilante. Ela não podia ver o navio. Ele afundou? Ela teve um momento de pânico, pensando em seu pai. Ela esticou sua mente até onde poderia ir, mas não conseguiu encontrar nenhum eco dele. Mas havia outra coisa. Acima do mar, entrando rápido, estava o outro ônibus espacial. O primeiro ônibus espacial girou e deslizou sobre o mar, passando pelo segundo e acelerando enquanto se dirigia para o mar aberto.

Enquanto esperava a nova nave pousar, olhou em volta do acampamento. O platô se estendeu até onde ela podia ver em todas as direções. O centro havia sido deixado claro. Para os ônibus, ela pensou. Em seu lado do platô, meia dúzia de tendas de campo haviam sido montadas em uma linha elegante . Ao lado deles estava a cozinha do acampamento, com Hestia ocupada movimentando panelas ao redor e mexendo. No lado oposto havia pilhas de caixas e equipamentos, e pessoas se movendo entre eles, aparentemente os separando.

Eles estão tirando a nave, pensou Athena, e estão usando os dois ônibus, então não acham que há muito tempo. Mas o primeiro ônibus aguardou até que o segundo estivesse à vista antes de decolar. O que isso significa?

Ela começou a caminhar até os outros, tomando cuidado para contornar o centro onde o ônibus espacial pousaria.

E aonde você pensa que vai?

Era Hestia, agitando uma espátula de uma maneira vagamente ameaçadora.

Eu estava apenas ...  Athena começou, sabendo que era inútil antes mesmo de começar.

Venha aqui. Eu tenho seu café da manhã pronto. É apenas rações de campo, receio. Eles ainda não descompactaram minhas lojas .

Athena olhou para Hestia com uma mistura de afeição e frustração. Ela era a coisa mais próxima de uma mãe que ela já conhecera, e ela a amava ferozmente, mas, assim como uma mãe de verdade, ela estava constantemente interferindo e impedindo-a de fazer as coisas.

Com um pequeno encolher de ombros, ela cedeu e sentou-se no balcão em frente a Héstia.

Então eles acham que o navio vai afundar, disse ela. Não foi uma pergunta.

O que quer que faça você pensar isso, criança? Disse Hestia, mas ela parecia desconfortável e seus olhos continuavam se afastando para o outro lado do acampamento como se ela estivesse procurando por apoio.

Eles estão usando os dois ônibus, Athena disse simplesmente. "Eles não deixaram um para fazer um escudo. E - continuou ela, acenando com o garfo na direção do vaivém -, eles não têm certeza de que estamos seguros aqui.

Hestia olhou para ela com os olhos apertados.

"O que você quer dizer?"

O ônibus espera até poder ver o outro antes que ele saia ...  ela parou e mastigou pensativamente por um momento, A menos que ...  ela observou o rosto de Hestia, a menos que eles achem que o navio vai explodir e eles não quer arriscar os dois ônibus quando isso acontecer.

Hestia estremeceu.

Atena parou de mastigar e largou o garfo. De repente, ela perdera o apetite. Seu pai estava em perigo. Ele ficou com o navio para organizar a evacuação das lojas. Athena olhou novamente para as pessoas no acampamento. A maioria do pessoal essencial estava aqui. Ele tinha certeza de que eles estavam seguros e agora ele estava se certificando de que eles tivessem o máximo possível do que o navio poderia fornecer. Ele ficaria até que tudo que pudesse ser transportado tivesse sido transportado. Ou até o navio explodir.

Hestia começou a sacudir as panelas de maneira comercial, com o rosto virado para o outro lado.

Você certamente tem uma imaginação vívida, criança, disse ela com raiva. E sabedoria muito além dos seus anos, ela pensou. Você é filho do seu pai.

****

Prometeu se sentou ao lado da montanha e observou os grandes peixes prateados voando pelo céu. Coisas estranhas aconteciam nos céus. Primeiro a estrela cadente e agora os peixes. Os re Deuses estavam lá em cima e eles estavam tramando algo. O T ribe precisaria saber.

Mas eles o expulsaram e seguiram sem ele. Ele se levantou e colocou o saco nas costas. Então ele partiu de volta para o lugar onde eles tinham estado pela última vez .

****

Durante cinco dias os vaivéns foram para lá e para cá, as pessoas correndo em frente a cada aterrissagem, prontas para descarregar a carga preciosa. A pilha de caixas cresceu mais e mais até que era impossível acreditar que tanto poderia ter sido armazenado em um único navio. Mas ninguém fez qualquer movimento para construir algo mais permanente. Eles acamparam e descarregaram e classificaram e depois voltaram para uma espécie de apatia.

Athena ficou à beira das conversas, tentando descobrir tudo o que pudesse sobre a situação e, mais particularmente, o que estava acontecendo com o pai. Ela tinha assistido os vaivéns ir e vir e pensou que ela tinha trabalhado o programa imediato, pelo menos. Seu pai não apareceu. Ele deve ficar a bordo do navio. A menos que ele esteja morto, ela pensou miseravelmente. Mas ela não achava que ele estivesse morto. Mesmo que ele estivesse muito longe para ela pegar seus pensamentos, ela tinha certeza que ela saberia se ele tivesse morrido.

A rtemis, Afrodite e Hermes foram se revezando em pilotar os ônibus. Não havia sinal de Hades ou Poseidon, então eles devem ter permanecido a bordo para ajudar a carregar.

Pelo menos, Apollo não estava fazendo nenhuma das coisas perigosas. Como o médico do navio, Apollo, seria precioso demais para arriscar. Ele era o homem mais bonito que já havia nascido e ela decidira se casar com ele quando tivesse idade suficiente.

Infelizmente, ele não pareceu notar nada e ela quase não teve chance de falar com ele, já que ela nunca estava doente. Ela era amiga da irmã dele, Artemis, mas isso não ajudava, já que ele não parecia passar mais tempo com ela. Ela ainda estava tentando decidir como lidar com esse problema, quando - maravilha das maravilhas! - o segundo ônibus entrou enquanto o primeiro ainda estava aterrado.

A porta se abriu e seu pai saiu, com Hades e Poseidon bem atrás dele. Ele parecia cansado e cinzento. O resto das pessoas aplaudiram e um grito subiu - Zeus! Zeus! Zeus!

Ele deu um sorriso de canto e fez um gesto para parar os aplauso, seus olhos varrendo a multidão. Athena!, Ele gritou. E Athena correu para a frente com alegria e se jogou em seus braços. Papai!, Ela gritou, os braços firmemente em torno de sua cintura e sua cabeça enterrada em seu peito. Ela não tinha percebido o quanto estava assustada até vê-lo em segurança e bem. Zeus a segurou contra ele e soltou um grande suspiro. Por um momento ele foi muito dominado para falar e então se virou para a multidão ansiosa.

Sua voz soou forte como sempre. "Tiramos o navio de tudo o que achamos que podemos usar e enviamos uma mensagem para casa. Vou te dar um relatório completo em algumas horas, quando tivermos algum descanso.

Ele se virou para falar com Afrodite. Pelo amor de Deus, coloque um escudo para que possamos sair desses trajes de sangue. E, puxando o terno aberto no pescoço enquanto ele ia, ele se virou para as tendas de dormir.

Um clarão de luz iluminou os céus sobre o mar, seguido quase imediatamente por um som baixo e pesado. Zeus se virou, seu rosto estava branco como giz. Todos se levantaram e observaram em silêncio enquanto a lenta nuvem se erguia do mar e se espalhava na forma sinistra de um cogumelo. Zeus virou a cabeça para trás em direção a Afrodite. O escudo é ... ?

Escudo está em cima, Afrodite disse. Ar na reciclagem.

Zeus soltou um longo e lento suspiro de alívio e a multidão que assistia ecoou com um suspiro coletivo.

Atena observou com o resto, sentindo-se completamente desolada. O navio sumiu. A única casa que ela conhecera - a Atlântida - perdia-se para sempre sob as ondas daquela extensão cintilante do mar.

Ela olhou para o pai. Ele estava olhando para o mar, os olhos estreitados, a mandíbula tensa.

Velocidade e direção do vento?, Ele disse.

Vinte e cinco, norte-oeste, veio a voz de Afrodite.

Bem, essa é a primeira sorte que tivemos, disse Zeus, com uma satisfação sombria.

"O primeiro pedaço de sorte? Demeter interrompeu. E sobre o fato de que o navio quebrou dentro do alcance orbital de um planeta habitável? E sobre o fato de que nós tiramos tudo antes de explodir? E quanto a nós ter um capitão que viu o perigo e agiu com rapidez? Eu diria que já tivemos mais do que nossa parte de sorte.

Houve um murmúrio de assentimento da multidão reunida.

Zeus abaixou a cabeça em completa exaustão. Ele estava pensando que talvez ele poderia ter feito melhor, que ele poderia ter previsto mais cedo e impedido o navio quebrar em primeiro lugar.

Athena pegou o pensamento e apertou a mão dele. Você não poderia ter feito melhor, papai, disse ela. "Você salvou a todos nós. Você é um herói.

****

Prometeu estava caminhando ao longo da costa seguindo os rastros do Tribe . Eles não estavam muito à frente agora - talvez meio dia.

De repente, todo o céu se iluminou com um clarão de fogo e quase imediatamente um rugido baixo de trovão saiu do mar. Tinha um som curioso e chato e terminava abruptamente como se um enorme pé tivesse estampado. Era como nenhum raio que ele já tivesse visto antes. Algo indizível estava acontecendo no mar, onde a estrela havia caído.

Apavorado com pânico, ele correu para uma caverna. Algum outro animal esteve lá antes dele. Ele podia sentir o cheiro do almíscar de sua pele. Algo perigoso - urso ou lobo. Seu cabelo se erguia em um medo atávico, mas ele estava com mais medo das coisas terríveis que aconteciam do lado de fora e então ele entrou na caverna até chegar a uma sólida parede de rocha. Ali ele sentou-se entre os ossos de pequenos animais e tremeu no escuro.

C apítulo Dois

Zeus dormiu por um dia e uma noite; depois se levantou, comeu um enorme café da manhã e voltou para sua tenda, onde chamou os vários membros de sua equipe, um de cada vez, para obter seus relatórios. Athena passou a manhã inteira vagando por fora, ocasionalmente ouvindo seus pensamentos, mas eram tão entediantes que logo desistiu.

Athena, aí está você! Era Demeter, carregando uma bolsa grande, correndo pelo complexo. Você quer me ajudar com o plantio? Nós podemos fazer sua oliveira se você quiser. É uma pena deixar uma panela agora que temos um terreno adequado .

Athena olhou em volta para a rocha íngreme do andar composto, depois voltou-se para Demeter. Mas não há chão. 

Ainda não. Eu vou fazer uma cama levantada e buscar o solo mais abaixo na montanha. Nós cultivaremos as plantas da casa aqui, onde é legal e, em seguida, a perspectiva de mais plantas temperadas mais adiante. Ela colocou a bolsa para baixo e ficou parada por um momento com as mãos nos quadris, examinando o complexo e as encostas das montanhas abaixo. Essa é a beleza de uma montanha, disse ela em um tom satisfeito. Há tantos climas diferentes.

Athena trabalhou com Demeter a manhã toda. Ela gostava de estar com Deméter. A maior parte do que ela fez foi interessante. Não gosto de fazer trabalhos para Hestia, que geralmente consistia em limpar mesas, esfregar superfícies e descascar legumes. Hestia nunca confiara nos robôs para fazer os trabalhos corretamente e tinha o péssimo hábito de arrastar as pessoas para o trabalho na cozinha, mais frequentemente do que não Athena. Ela estava feliz por estar trabalhando com Demeter e fora dos olhos de Hestia.

Juntos, eles percorreram uma montanha pela encosta até chegarem à linha das árvores . Lá eles desmontaram. Demeter entregou a Athena uma pá para recolher o molde de folhas e o mastro e, juntos, encheram a bolsa. Isso vai ser perfeito, disse Demeter.

Mas vamos ficar o tempo suficiente para fazer valer a pena?

Demeter se virou para Athena, sua expressão subitamente séria. Aconteça o que acontecer, Athena, vamos ficar aqui por muito tempo, ela disse. "Mesmo que eles recebam imediatamente nossa mensagem em casa, levarão meses para equipar um navio e anos para chegar até nós. Acho que temos que nos resignar a uma longa espera.

Athena pegou o pensamento não dito. Normalmente, ela só podia ouvir os pensamentos de seu pai com alguma clareza, mas, de vez em quando, se estivesse perto o suficiente e realmente concentrada, poderia pegar os outros. E se eles não entenderem isso?

Demeter franziu a testa. Às vezes, ela achava que a propensão de Athena era entender mais do que ela deveria ser um pouco desconcertante. Então nós nos resignamos a ficar aqui para sempre, ou construímos outro navio.

"Podemos fazer isso?" Athena ficou boquiaberta.

Demeter apertou os lábios em uma linha dura. Oh sim, eu deveria pensar assim. Mas vai demorar muito, muito tempo .

Um curto bipe soou em estéreo e as duas meninas levantaram os olhos ao mesmo tempo, trocando olhares. Meu pai, disse Athena. Zeus, disse Demeter. "Melhor estar voltando então. Parece que a reunião está prestes a acontecer.

Ela jogou o saco de terra no casulo, ambos entraram e o pequeno veículo subiu em direção ao platô.

****

Prometeu se agachou no escuro, escutando. Não conseguiu ouvir nada e, a princípio, se perguntou se a terrível explosão do som o deixara surdo , mas quando ele esfregou os dedos entre os ossos, ouviu claramente os pequenos ruídos. Não surdo então. Apenas silêncio.

Ele se perguntou até onde ele havia entrado na montanha. Longe o suficiente para ser incapaz de ouvir sons de fora? Ele não achou, mas talvez fosse. Ele sentou-se e estremeceu, tentando imaginar que seres terríveis passeavam pelo mundo lá fora.

****

A tripulação se reunira na clareira em frente aos ônibus e Zeus estava em pé sobre uma rocha plana como se fosse um pódio. Ele segurou o bloco na frente dele e consultou-o de vez em quando enquanto falava.

Saudações, ele começou. Eu convoquei esta reunião para informá-lo da nossa situação. Tenho certeza de que você está ciente do que aconteceu quando o navio afundou. Nós estávamos orbitando este planeta quando a energia principal falhou. Conseguimos que ele funcionasse o suficiente para lançar os ônibus e aterrissar o navio, mas não tínhamos confiança em restaurar o poder de continuar nossa jornada. Nós estávamos, de fato, com muito medo de que a coisa toda fosse explodir. Aqui sua voz tremeu um pouco e ele olhou para o bloco novamente.

Então, decidimos encontrar um lugar seguro para acampar e despir o navio de tudo que pudéssemos usar, com a intenção de trabalhar na fonte de energia mais tarde. Infelizmente, como você sabe, realmente explodiu logo depois de termos completado aquela fase. Ele olhou para cima e procurou os rostos do grupo de pessoas à sua frente. Então esta é a nossa situação atual. Estamos presos em um planeta a cerca de vinte anos de viagem de casa .

Um suspiro subiu da tripulação reunida.

Mas nós temos sido incrivelmente afortunados. Este planeta é quase idêntico ao lar. A atmosfera é ligeiramente densa r , mas respirável, e a temperatura um pouco mais elevada. Estamos atualmente na estação mais quente para esta área, de modo que melhorará em vez de piorar. Para minimizar a diferença, optamos por acampar em uma montanha onde o ar é um pouco mais fino e a temperatura mais baixa. É possível, no entanto, respirar e viver confortavelmente ao nível do mar e provavelmente nos adaptaremos muito rapidamente.  

Ele olhou brevemente para o bloco novamente.

"Demeter me diz que há muitas variedades de plantas alimentícias que poderíamos cultivar e Artemis que há uma abundância de vida selvagem . Nós ainda não sabemos se algum é comestível, mas parece provável, dada a similaridade deste planeta com o nosso.

 Surpreendentemente... aqui Zeus se permitiu um pequeno sorriso, "até o calendário funciona quase exatamente da mesma forma. Este planeta tem um dia de vinte e quatro horas em vez de vinte e cinco e trezentos e sessenta e cinco dias em um ano, ao contrário de nossos três e seis e nove. Disseram-me que as chances de semelhante similaridade são de milhões para um. Afrodite me disse que não

Sie haben das Ende dieser Vorschau erreicht. Registrieren Sie sich, um mehr zu lesen!
Seite 1 von 1

Rezensionen

Was die anderen über A Deusa Coruja denken

0
0 Bewertungen / 0 Rezensionen
Wie hat es Ihnen gefallen?
Bewertung: 0 von 5 Sternen

Leser-Rezensionen