Sie sind auf Seite 1von 3
Publicado no D, O. E, Em, Â-f~1 Q Cf '- ~ Processo Te N° 01809/05
Publicado no D, O. E,
Em, Â-f~1
Q Cf
'- ~
Processo Te N° 01809/05
Prestação de Contas Anuais da Secretaria
Extraordinária de Articulação Governamental
- SEAG, exercício de 2004. Julgamento
regular. Recomendações.
II
ACÓRDÃO APL TC
Vistos, relatados e discutidos os presentes autos do processo TC N° 01809/05, referentes à
Prestação de Contas Anuais da Secretaria Extraordinária de Articulação Governamental - SEAG,
exercício de 2004, de responsabilidade dos Senhores Ronaldo José da Cunha Lima (Secretário) e do
Senhor Edme Tavares (Secretário Executivo), ACORDAM os integrantes do Tribunal de Contas do
Estado da Paraíba, por unanimidade, em sessão plenária realizada hoje, em julgar regular
a
presente prestação de contas, relativa ao exercício de 2004, recomendando ao atual gestor o
aprimoramento da gestão de pessoal, no que couber, com as cautelas da legislação.
As falhas constatadas inicialmente na gestão de pessoal, foram regularizadas por força da
exoneração e devolução ao órgão de origem dos servidores irregulares, cujos documentos contidos
nos autos comprovam o saneamento das irregularidades apontadas inicialmente pelo Órgão de
Instrução.
Além disso, as irregularidades questionadas pela Auditoria se referem falhas na gestão de
pessoal, passíveis de recomendação.
Presente ao julgamento a representante da Procuradoria Geral.
João Pessoa, em Oh
de :mCV'-\ O
Coriselliei"roFlâ:VC S>áiiro-Pemandes
Re tor ,
r-
r
~
,-

.IAna Terêsa Nóbrega~ Procuradora Geral

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO

Processo Te N° 01809/05

RELATÓRIO

Tratam os presentes autos do Processo TC N° 01809/05, referente à Prestação de Contas da Secretaria Extraordinária de Articulação Governamental - SEAG, exercício de 2004, de responsabilidade dos Senhores Ronaldo José da Cunha Lima (Secretário) e do Senhor Edme Tavares (Secretário Executivo). Após análise preliminar (fls. 179/186), a Auditoria destacou as seguintes ocorrências:

1. ausência de procedimento

licitatório no valor de R$ 360.225,51;

2. contratação de servidores em quantidades além daquela prevista em lei para funcionamento

da SEAG;

3. contratação de servidores para cargos não previstos legalmente.

Notificados, os interessados apresentaram defesa de fls. 199/238. Ao analisar a defesa a Auditoria entendeu que nenhuma das irregularidades foram integralmente sanadas. E sugeriu a re-notificação dos ex-Secretários para apresentarem complementação de instrução sobre a contratação de servidores além do número previsto na legislação e justificativas acerca da não realização de licitação para aquisição de passagens aéreas e de combustível. Sugeriu também notificação ao atual secretário para que o mesmo tome providências quanto à contratação de servidores para cargos não previstos em lei. Após a nova notificação, a Auditoria analisou os documentos apresentados e considerou sanada a irregularidade referente à ausência de licitação. Porém, com a apresentação dos novos documentos ficou constatada nova irregularidade, qual seja, a existência de servidores em comissão colocados à disposição da SEAG. Instada a se pronunciar, a Procuradoria em Parecer às fls. 1172/1175 da Procuradora Elvira Samara Pereira de Oliveira solicitou, em preliminar, a notificação das autoridades responsáveis para se pronunciarem a cerca da nova irregularidade constatada pela Auditoria. Se ultrapassada a preliminar, opina a Procuradoria pela regularidade com ressalvas das contas, assinação de prazo para as providências pertinentes com vistas a elidir as irregularidades constatadas, aplicação de multa e recomendação. Novamente notificados, os interessados enviaram defesa. A Auditoria após análise concluiu pela permanência das irregularidades.

A Procuradoria em cota da Procuradora Elvira Samara Pereira de Oliveira solicitou a

devolução dos autos à Auditoria para que a mesma se manifestasse acerca da exoneração dos

servidores afirmada na defesa. Assim feito, a Auditoria em seu relatório de fls. 1225/1226 considerou que a situação dos servidores em situação irregular foi corrigida. De volta os autos ao Órgão Ministerial, a Procuradora Elvira Samara Pereira de Oliveira ratificou o seu Parecer de fls. 1172/1175 excluindo a assinação de prazo às autoridades

competentes.

É o Relatório.

CONS

--"'_"

.-~1

1/

~/

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO

Processo Te N° 01809/05

VOTO

As falhas constatadas, inicialmente, na gestão de pessoal, foram regularizadas por força da exoneração e devolução ao órgão de origem dos servidores irregulares, cujos documentos contidos nos autos comprovam o saneamento das situações apontadas inicialmente pelo Órgão de Instrução. Além disso, as irregularidades questionadas pela Auditoria se referem a falhas na gestão de pessoal, passíveis de recomendação.

Assim, VOTO no sentido de que este Tribunal: a) Julgue regular a Prestação de Contas da Secretaria Extraordinária de Articulação Governamental - SEAG, exercício de 2004, de responsabilidade dos Senhores Ronaldo José da CUrnh ima (Secretário) e do Senhor Edme

gestor o aprimoramento da gestão de

Tavares (Secretário Executivo); b) recomeJ!Jk.a6 t pessoal, no que couber, com as cautela egislação. li

"".-

CONSELHEnm-Ft-kVIHSpÍRO

Relatfr

/

FERNANDES