Sie sind auf Seite 1von 4

21 de Outubro

A
Evoluçã
o das
200
Profissõ
es 9
A evolução das profissões

Com a revolução industrial do século XIX, começaram a surgir algumas


profissões levando a um grande aumento da economia. Começaram a surgir as
pequenas oficinas domésticas e as grandes manufacturas peritas
especialmente na produção de tecidos. Surgiu a máquina a vapor que realizava
o trabalho até ai efectuado por várias pessoas. O Sector têxtil foi o que mais
ganhou com esta revolução devido à maquinização dos sectores têxteis com o
algodão à cabeça. À medida que a Industria ia evoluindo começaram a
aparecer as fábricas, surgindo assim novas profissões que por sua vez
provocavam o desaparecimento de outras. O trabalho manual deu lugar à
maquinização fazendo com que muitas profissões evoluíssem no seu conceito
de trabalho e outras ficassem esquecidas até desaparecerem na sua
totalidade.

Assim podemos dizer que o acto de trabalhar molda-se à medida que o


tempo avança e consoante a necessidade de cada consumidor. A todo o
momento surgem novas tecnologias que extinguem por completo profissões,
muitas delas já esquecidas pelo tempo. Mas vamos ver alguns exemplos. O
Alfaiate por exemplo era uma arte que consistia na criação de roupas
masculinas e de acordo com as preferências de cada pessoa. O Amolador,
profissão já muito rara, tinha a função de afiar facas ou desempanar objectos.
O sapateiro fazia diversos trabalhos na área dos sapatos desde o fabrico ao
conserto. Todos estes trabalhos foram esquecidos ou já não são tão
valorizados como anteriormente numa sociedade muito mais selectiva.

Com o passar do tempo, todos os profissionais de uma determinada profissão


começaram a evoluir e a renovar os seus campos de actuação. Enquanto os
uns começaram a poder escolher uma profissão futura outros tinham a
oportunidade de renovar os seus campos de actuação com novos
conhecimentos através de cursos, explicações ou diversos ensinamentos das
pessoas mais experientes em determinada função. Hoje existe assim um
enorme leque de profissões, empregos e serviços virados para um trabalho
específico em cada sector das actividades profissionais. Existem gerentes de
atendimento ao consumidor se pretendermos trabalhar em Marketing. Se
antigamente existiam as empregadas de limpeza, hoje existem as Supervisoras
Gerais de Bem-Estar, Higiene e Saúde. Se outrora se falara em camionistas ou
motoristas, hoje falamos em Distribuidores de Recursos. Isto significa que não
foi só na forma de trabalhar que as profissões evoluíram. Também no seu
próprio conceito existe uma maior especificação pela grande variedade de
profissões existentes. Ferreiros, lavadeiras, pastores ou artesões viram as suas
actividades profissionais serem substituídas pelas fábricas de produção em
série, pelas pequenas e médias empresas ligadas a diferentes sectores. Se
tentarmos identificar um ponto de viragem na historia em relação às profissões
e às suas evoluções, a revolução industrial é realmente o mais significativo.
Com esta revolução, gerou-se a necessidade de se criarem mais empregos
para trabalhos muito específicos. A lavadeira, o Posticeiro, as governantas são
só mais alguns exemplos de profissões que desapareceram com a evolução
tecnológica, com a sociedade e com o próprio mercado de trabalho. Sé é certo
que algumas desaparecem, outras transformam-se evoluindo no seu conceito.
Afinal quem precisa de um aguadeiro se supermercados vendem garrafas de
todos os tamanhos e feitios? Quem necessita de um Alfarrabista quando
existem bibliotecas ou livrarias? Com um quiosque ao pé de casa quem espera
encontrar o Ardina? Mas existem mais exemplos. Já são poucos os típicos
barbeiros de antigamente, pois hoje a imagem conta muito mais e o serviço foi
alargado tanto em termos tecnológicos com outros tipos de utensílios como em
termos estéticos. Como se pode ganhar a vida a engraxar sapatos quando a
evolução tecnológica permite máquinas de engraxar automáticas onde uma
simples moeda faz o trabalho do esquecido engraxador. A modista fazia o que
faz a estilista, o telefonista evoluiu para apoio ao cliente, o Calista deixou de
trabalhar pois apareceu a pedicure entre muitas outras profissões. Mas
perderam-se todas? Não. Algumas mantêm-se, embora sujeitas à constante
mudança da sociedade. Pescadores, carteiros, varinas, padeiros etc. A questão
da evolução de profissões não é um termo fácil de abordar. Muitas profissões
não desapareceram, aglutinaram-se com outras formando novas profissões
mais evoluídas. Veja-se o caso do Dactilografo, que passou a ser assistente
administrativo. Muitas profissões podem ainda existir mas devido à fraca
representação no mercado vão acabar por desaparecer ou nem sequer são
consideradas profissões. É difícil explicar quando surge uma profissão porque
de acordo com a técnica podem não ser propriamente novas, sendo
consideradas assim por não aparecer no CNP. Então e o que é o CNP? O CNP
é a classificação nacional de profissões, que contém um reportório extenso de
todas as profissões existentes em Portugal e da função desempenhada por
cada profissional. Já falamos de alguma evolução em relação ao passado e ao
presente. Então e o futuro das profissões? Bem, de acordo com o que já vimos
as profissões têm o futuro muito bem assegurado visto que as pessoas
começam por desempenhar determinadas tarefas enquanto o mercado evolui
sendo que algumas vêm a ser profissões e outras não. Quando fazemos uma
profunda análise do mercado, profissões e tarefas vamos tentando distinguir o
que é verdadeiramente profissão visto que estas não aparecem de um dia para
o outro e têm de ser encontradas. Se muitas profissões estão desde há muito
legisladas, outras surgem ou surgiram pelas novas necessidades da
sociedade. Bons exemplos são os Técnicos de Informática cada vez mais
frequentes devido à grande implementação da tecnologia no mercado ou os
ilustradores de livros. Assim podemos dizer que é muito difícil englobar tudo,
pois são muitas profissões e o mercado de trabalho evolui muito rapidamente.

O agente de condução de metros ligeiros de superfície, o ajudante de Lar e


Centro de Dia, o osteopata, os técnicos de Internet ou os web designers são
apenas algumas das profissões que já existiam há muito mas que não
constavam na lista publicada pela CNP no ano de 1994.

Se pensarmos em profissões impensáveis nos tempos de outrora podemos


exemplificar as que estão ligadas às engenharias [do Ambiente,
aeronáutico/aeroespacial], os dietistas, o preparador físico, os técnicos de
radioterapia, de análises clínicas e higienista oral, entre muitas outras.

Algumas profissões que têm surgido com o passar do tempo são baseadas
num conceito inovador completamente impensável há anos atrás. O
teletrabalho oferece um novo sentido às profissões visto que o trabalho vai até
ao trabalhador e não o contrário. Isto só é possível devido à evolução da
tecnologia de informação e comunicação que suportam diversas actividades
desde a produção até ao atendimento a clientes, planeamento entre outras,
sendo que todas elas podem até ser realizadas a partir do próprio lar. Se as
profissões evoluíram, esta nova forma de trabalho demonstra que ainda existe
espaço para que evoluam cada vez mais.

1
Realizado Por: Bruna Ferreira nº4

Fábio Machuqueiro nº6