Sie sind auf Seite 1von 2

FIEAM promove seminário em busca da excelência

O proprietário da Loteca Dom Pedro I, Fabrício Cavalcante, foi um


dos apresentadores do modelo de gestão de qualidade no
Seminário em Busca da Excelência, realizado ontem no auditório
Gilberto Mendes de Azevedo, no Centro. O microempresário,
vencedor do Prêmio MPE Brasil 2008, disse que três critérios
transformaram o funcionamento tradicional da lotérica em um
ambiente de negócios: pagamento, propaganda e cultura.

“Para se adequar ao mercado e desenvolver a gestão de excelência


investimos nas pessoas, estrutura física e ampliamos o portifólio de
serviços da loteca. A iniciativa visa à satisfação do cliente e a
sustentabilidade do negócio”, apontou Cavalcante.

Para o empresário, o processo de qualidade se iniciou com uma


gestão voltada ao atendimento, no qual desenvolveu processo
integrado com todos os colaboradores para que se desmistificasse
a tradicional função do caixa que até então só vendia jogos e
recebia pagamentos. Na nova administração, a lotérica possui
programa que valoriza o profissional por meio de treinamentos,
campanhas motivacionais e benefícios.

“Na Loteca Dom Pedro I, o cliente tem acesso a vários serviços


comuns em demais redes de loteria, porém com o diferencial do
atendimento de qualidade,75 metros quadrados de ambiente
climatizado, três pontos de mídia digital para propagandas, loja de
conveniência, galeria de fotos do futebol brasileiro e amazonense,
entre outros”, destaca Fabrício Cavalcante.

O caso de sucesso da Suzano Papel Celulose, mostrado pelo


gerente de normatização e certificação da empresa, Christian
Giovannoni, que ano passado foi vencedora do PNQ, propagou
alguns critérios do Modelo de Excelência de Gestão (MEG) aplicado
nas quatro unidades operacionais da Suzano. Giovannoni também
destacou o apoio da presidência da empresas na implementação
das ações nas áreas de capacitação dos 3.500 funcionários,
formação de comitês e subcomitês da qualidade e no
acompanhamento e aprimoramento contínuo das atividades e
produtos da Suzano.
“O modelo de excelência da qualidade da empresa nos torna mais
competitivo no mercado nacional e internacional. Este resultado é
fruto da nossa política de trabalho que prioriza qualidade, gestão de
excelência, inovação de processos, serviços e produtos, segurança
ambiental e do trabalhador e sustentabilidade para garantir o futuro
da empresa e das novas gerações”, concluiu o gerente de
normatização e certificação da Suzano.

O evento foi promovido pela Federação das Indústrias do Estado do


Amazonas (FIEAM), por meio do Departamento de Apoio a Média e
Pequena Indústria (DAMPI), em parceria com a Fundação Nacional
da Qualidade (FNQ) e o Sebrae Amazonas.

Segundo a coordenadora do Programa Qualidade Amazonas


(PQA), Erlen Montefusco, o seminário alcançou a meta de
disseminar para colaboradores do Pólo Industrial de Manaus as
melhores práticas de qualidade desenvolvidas por empresas que
conquistaram prêmios de qualidade nacional e regional.

A gestora de relacionamento da FNQ, Carla Câmara, destacou a


importância da parceria entre as entidades que contribuem com a
mobilização de programas de qualidade nos processos diários das
empresas.

“Estamos concluindo o 17º seminário em excelência de gestão


neste ano pelo País com a finalidade de disseminar conceitos de
qualidade e oferecer oportunidade aos participantes de observar os
casos de sucesso vencedores do Prêmio para Micro e Pequenas
Empresas (MPE’s) e Prêmio Nacional da Qualidade (PNQ)”, disse
Câmara, enfatizando que a metodologia desenvolvida no evento
contribui com o fortalecimento da indústria e sua competitividade no
mercado globalizado.