You are on page 1of 4

1

Curso de Direito
Direito Civil I - Obrigações

CLASSIFICAÇÃO DAS OBRIGAÇÕES

1 Quanto ao vínculo:

a) Obrigações perfeitas ou civis - são aquelas que contêm


todos os elementos da obrigação, definidos pelo direito positivo. Seu
vínculo é perfeito, constituindo-se no débito e responsabilidade;
b) Obrigações imperfeitas - são aquelas que não contêm
todos os elementos indispensáveis à obrigação. Seu vínculo constitui-se
apenas do débito ou da responsabilidade, conforme seja natural, moral
ou de garantia. Enquanto a obrigação natural é desprovida de sanção,
como acontece no exemplo da dívida prescrita, a obrigação moral
constitui-se em um mero dever de consciência.

2 Quanto ao objeto

a) Quanto à natureza do objeto

i) Positivas
 Obrigações de dar - seu objeto é uma prestação de
coisa, que consiste no dever de entregar ou restituir
coisa certa ou incerta;

 Constituem-se em modalidades de
obrigação de dar:
 Obrigação específica – seu objeto consiste na
prestação de entregar ou restituir coisa certa, isto
é, determinada;
 Obrigação genérica – seu objeto consiste na
prestação de entregar ou restituir coisa incerta,
isto é, determinável, sendo indicado apenas pelo
gênero e quantidade.

 Obrigação de fazer – seu objeto é uma prestação


de fato, que consiste na realização de uma atividade
material ou imaterial.

ii) Negativas
 Obrigação de não fazer – seu objeto é uma prestação
de fato, porém, negativo, configurando-se em uma
abstenção ou na tolerância de um ato.

b) Quanto à liquidez do objeto


2

i) Obrigações líquidas - são certas quanto à sua existência e


determinadas quanto ao seu objeto;
ii) Obrigações ilíquidas - sempre dependem de prévia
apuração, visto ser incerto o montante da prestação.

c) Quanto à divisibilidade do objeto

Diante da pluralidade de sujeitos, importa saber, se a


prestação pode ser cumprida de modo fracionado ou não. Portanto, seu
fundamento está no objeto, originado dois tipos de obrigações:

i)Obrigações divisíveis – são passíveis de cumprimento


fracionado, pois a prestação é divisível;
ii) Obrigações indivisíveis – a prestação deve ser cumprida
por inteiro, pois não é passível de cumprimento fracionado,
sob pena de importar em perda de sua substância ou de sua
economicidade.

3 Quanto aos sujeitos

Diante da pluralidade de sujeitos, não importa a divisibilidade


ou indivisibilidade do objeto da obrigação, pois seu fundamento é de
ordem subjetiva. Deste modo, há:

a) Obrigações conjuntas – cada sujeito é responsável por


uma parcela da prestação;
b) Obrigações solidárias – a prestação deve ser cumprida
por inteiro, por disposição da lei ou da vontade das partes, não obstante a
pluralidade de sujeitos.

4 Quanto ao modo de adimplemento

a) Obrigações simples - são aquelas que coexistem numa só


prestação, ou para outros, aquelas que comportam apenas um sujeito
ativo, um sujeito passivo e um objeto;
b)Obrigações compostas ou complexas - são aquelas nas
quais há uma pluralidade de objetos ou sujeitos. Considerando a
pluralidade de prestações, podem ser:

i) Obrigações cumulativas – os objetos estão cumulados no


título da obrigação, de tal modo, que devem ser todos
cumpridos para que se configure o adimplemento da
obrigação;
ii)Obrigações alternativas – os objetos constituem-se em
alternativas no título da obrigação, colocados à escolha do
devedor, do credor ou de um terceiro. Eis que basta o
3

cumprimento de apenas um deles, para que se configure o


adimplemento da obrigação.

 Obrigações facultativas
Alguns autores incluem as obrigações facultativas, dentre as
obrigações compostas ou complexas, entretanto, possuem
um único objeto, que se encontra em obrigação, ficando o
outro, em faculdade de prestação, prerrogativa conferida
tão-somente ao devedor. Portanto, há apenas um objeto
devido, restando o outro, como mero substituto do objeto
da obrigação. Isto significa que esta obrigação é simples.

5 Quanto ao tempo de adimplemento

a) Obrigações instantâneas - são as que se cumprem em


um só ato e fato. Ex: compra e venda à vista.
b) Obrigações duradouras - são as que se cumprem ao
longo do tempo, de modo contínuo, periódico ou fracionado:

i) Obrigações contínuas – consistem em um único ato que


se estende ao longo de certo lapso de tempo. Ex. o locador
deve se abster de interferir na posse do locatário, durante o
contrato de locação;
ii) Obrigações periódicas – consistem na prática de vários
atos, reiterados, que renascem a cada período de tempo, e
cujo cumprimento importam em solução parcial da obrigação.
Ex. pagamento de aluguéis;
iii) Obrigações fracionadas – resultam do fracionamento de
prestação única, resultando na prática de atos reiterados, ao
longo de certo lapso de tempo. Ex. compra e venda a prazo.

6 Quanto ao conteúdo

Refere-se à finalidade da obrigação:

a) Obrigação de meio - aquela na qual o devedor obriga-se


a empregar toda sua diligência, a conduzir-se com prudência, para
alcançar um resultado útil ao credor. Ex. médico que obriga-se a tratar o
paciente de uma doença respiratória.
b) Obrigação de resultado – aquela na qual o devedor
obriga-se a alcançar um resultado específico para seu credor. A falta deste
resultado importa em presunção de inadimplemento culposo por parte do
devedor. Ex. contrato de transporte.
4

7 Quanto aos elementos acidentais

a) Obrigações puras - aquelas cuja eficácia não está


subordinada a qualquer das modalidades dos elementos acidentais dos
negócios jurídicos, enumeradas nos artigos 121, 131 e 136 Código Civil.
b) Obrigações impuras – contrariamente, seus efeitos
subordinam-se à condição, termo ou encargo:

i) Obrigações condicionais - dependem de acontecimento


futuro e incerto, que pode se verificar ou não. Ex. venda com
pacto de melhor comprador;
ii) Obrigações a termo - a eficácia do ato é submetida a
prazo certo ou incerto. Ex: Pagar uma dívida em certo dia do
calendário;
iii) Obrigações modais - impõe-se um ônus ao devedor
beneficiado por uma liberalidade. Ex. doação com encargo.

8 Obrigações reciprocamente consideradas

a) Obrigação principal - é aquela que tem existência própria


e autônoma e, por isso, não está relacionada a nenhuma outra obrigação
jurídica;
b) Obrigação acessória - é aquela cuja existência depende
da obrigação principal, seguindo sua sorte. Ex. obrigação de pagar juros;
obrigação de fiança.