Sie sind auf Seite 1von 15

Da Terra à Lua

Satélites
geoestacionários

Ana Paula Pereira – 2009/2010

Sumário
 Introdução
 Satélite geoestacionário
 Como é que um satélite permanece em órbita
terrestre?
 Movimento de um satélite em torno da Terra
 Movimento circular e uniforme
 Velocidade linear e velocidade angular
 Aceleração
 Desafio

1
Introdução
A 4 de Outubro de 1957 1957,, a
ex-
ex-União Soviética lançou
no Espaço o primeiro
satélite artificial – o Sputnik
Sputnik..

Introdução
 O avanço tecnológico permitiu
desenvolver novos satélites, com
múltiplas finalidades.
 Há centenas de satélites em órbita
em torno da Terra, os quais
executam, fundamentalmente, as
seguintes funções:
 Observam o nosso planeta;
 Enviam sinais para determinação da
posição (ex.: GPS);
 Actuam nos sistemas de comunicação
de informação a longas distâncias;
 Transmitem sinais rádio para
transmissões televisivas e
radiodifundidas.

2
Introdução
Entre 1957 (lançamento do Sputnik) e 20082008,, foram feitos 4600 lançamentos, que puseram
6000 satélites em órbita
órbita.. Estima
Estima--se que só 800 satélites estejam operacionais actualmente
actualmente..

Ana Paula Pereira – 2008/2009

Introdução
 As órbitas descritas
pelos satélites
dependem da função a
que se destinam
destinam..
 Há diferentes tipos de
órbitas, sendo as mais
comuns::
comuns
 Órbita polar
polar;;
 Órbita geoestacionária
geoestacionária..

3
Introdução
Órbita polar
 É, normalmente, usada pelos
satélites de reconhecimento,
de meteorologia, de
oceanografia e de cartografia
cartografia;;
 Estes satélites encontram
encontram--se a
cerca de 1000 km de altitude
altitude;;
 Orbitam a Terra cerca de 14
vezes por dia, observando e
registando diferentes áreas
áreas..

Introdução
Órbita geoestacionária
 É, normalmente, usada pelos satélites de comunicação
comunicação;;
 Estes satélites encontram
encontram--se a cerca de 36 000 km de
altitude, no plano do equador (a inclinação é de 0º);
º);
 Os satélites demoram 24 h a orbitar a Terra
Terra.. Deslocam-
Deslocam-
se na direcção Este, acompanhando o movimento de
rotação da Terra
Terra..
 A velocidade orbital dos satélites é de 3 km/s
km/s..

4
Satélite geoestacionário

Estes satélites surgem


sempre na mesma posição,
relativamente à superfície
terrestre, porque o tempo
que demoram a orbitar a
Terra é igual ao seu período
de rotação
rotação..

Como é que um satélite


permanece em órbita terrestre?

Newton pensou
pensou:: “Se a
velocidade de lançamento
da bala for suficientemente
elevada, talvez a bala
descreva uma trajectória
circular, acompanhando a Canhão de Newton
curvatura da Terra
Terra……”

5
Como é que um satélite
permanece em órbita terrestre?

Tal como na experiência


imaginária de Newton, para
que um satélite artificial seja
colocado em órbita circular
em torno da Terra, a sua
velocidade de lançamento
terá de ser suficientemente
grande para “escapar” à
força gravítica, que o traria
novamente à Terra
Terra..

Como é que um satélite


permanece em órbita terrestre?
O satélite em órbita está, continuamente, em queda livre
livre..
Não cai para a Terra, pois o seu movimento circular
acompanha a curvatura da Terra, mantendo-
mantendo-se sempre à
mesma altura em relação à superfície terrestre
terrestre..

6
Movimento de um satélite em torno
da Terra
 Todos os satélites em órbita
têm uma característica em
comum:: a única força que
comum
actua sobre eles é a força
gravítica que é responsável
pela sua órbita em torno da
Terra..
Terra
 Se nenhuma força actuasse,
de acordo com a 1ª Lei de
Newton, o satélite manteria a
velocidade, ou seja, teria
m.r.u.

Movimento de um satélite em torno


da Terra
 A direcção da força
gravítica é perpendicular à
direcção da velocidade e
está dirigida para o centro
da trajectória
trajectória..
 É a força gravítica que
provoca, constantemente,
a mudança de direcção da
velocidade do satélite,
embora não se altere o seu
valor..
valor

7
Movimento de um satélite em torno
da Terra
 A figura representa duas posições de um satélite
geoestacionário..
geoestacionário
 O vector variação de velocidade obtém se: ∆ v = v '−v
obtém--se:
 Assim, o satélite tem aceleração
aceleração.. Designa
Designa--se por
aceleração centrípeta e é representada por um vector
( a c ), cujo sentido está sempre orientado para o centro
da trajectória e é perpendicular ao vector velocidade
linear ( ).
v

Movimento de um satélite em torno


da Terra
O valor da aceleração centrípeta é dado pela
expressão: 2
v
ac =
r
v – velocidade linear
r – raio da trajectória
ac – aceleração centrípeta

8
Movimento de um satélite em torno
da Terra
A intensidade das forças pode obter-
obter-se a partir da Lei
Fundamental da Dinâmica:
F R = ma c
Como então
FR = Fg = Fc F c = ma c
Substituindo o valor da aceleração centrípeta
v2
Fc = m
Fc – força centrípeta r
m – massa
v – velocidade
r – raio

Movimento de um satélite em torno


da Terra
Pela Lei da Gravitação Universal:
Mm
Fg = G
r2

Então mv 2 Mm GM
=G 2 ⇔v=
r r r
que é a condição para que o satélite se mantenha
em órbita terrestre.

9
Movimento circular e uniforme
Características do m.c.u.:
 Trajectória circular
circular;;
 Velocidade variável mas com
módulo constante
constante;;
 Força resultante (chamada força
centrípeta) sempre perpendicular
à velocidade
velocidade;;
 Aceleração (chamada aceleração
centrípeta) sempre perpendicular
à velocidade
velocidade..

Movimento circular e uniforme


 Quando a roda gigante se
encontra em movimento, cada
uma das cadeiras descreve uma
trajectória circular, isto é, cada
cadeira passa um determinado
número de vezes pela mesma
posição, com a mesma
velocidade e aceleração, o que
ocorre em intervalos de tempo
iguais..
iguais
 O movimento efectuado é
periódico..
periódico

10
Movimento circular e uniforme
 Período (T)
(T):: é o menor intervalo de tempo ao fim
do qual um movimento se repete
repete.. A unidade SI é
o segundo (s).
(s).

 Frequência (f)
(f):: é o número de voltas efectuadas
por unidade de tempo tempo.. A unidade SI de
frequência é o hertz (Hz)
(Hz)..

T= 1/f ou f =1/T

Velocidade linear e velocidade


angular
 Da mesma forma que a posição de um corpo, no
espaço tridimensional, pode ser definida recorrendo às
suas coordenadas geográficas (longitude, latitude e
altitude), cartesianas (x, y e z) ou angulares (r e θ), a
rapidez com que ele se movimenta pode relacionar
relacionar--se
com a variação, no tempo, daquelas coordenadas
coordenadas..
 Assim::
Assim
 a variação das coordenadas cartesianas com o tempo define
a velocidade linear
linear:: ∆x
v=
∆t
 a variação das coordenadas angulares com o tempo define a
angular:: ϖ = ∆θ
velocidade angular
∆t

11
Velocidade linear e velocidade
angular

Se o corpo executar uma volta


completa (∆s = 2 Ñ r) com
m.c.u., de raio r, demora o
intervalo de tempo ∆t = T (T é o
período do movimento)
movimento)::

2πr
v= ⇔ v = 2πrf
T

Velocidade linear e velocidade


angular

∆θ 2π
ϖ= ⇔ϖ = ouϖ = 2πf
∆t T
v = ϖr

12
Aceleração
 O vector aceleração é
constituído por duas
componentes::
componentes
 Aceleração normal ou
centrípeta (ac) – resulta da
variação da direcção do
vector velocidade com o
tempo;;
tempo
 Aceleração tangencial (at) –
resulta da variação do valor
do vector velocidade com o
tempo..
tempo

Aceleração
 No movimento rectilíneo,
rectilíneo, o vector velocidade só pode
variar em valor, pelo que, nestes movimentos, só existe
a possibilidade de existir a componente tangencial da
aceleração;;
aceleração
 No movimento curvilíneo,
curvilíneo, o vector velocidade pode
variar em valor e direcção, pelo que, nestes
movimentos, existe a possibilidade de existirem as
componentes tangencial e centrípeta da aceleração
aceleração;;
 No movimento circular e uniforme uniforme,, o vector
velocidade só pode variar em direcção, pelo que, nestes
movimentos, só existe a possibilidade de existir a
componente centrípeta da aceleração
aceleração..

13
Aceleração
A aceleração centrípeta é sempre dirigida para o
centro da circunferência descrita, sendo o seu
módulo dado por
por::

v2
ac = ⇔ ac = ϖ 2 r
r

Desafio

Não sentimos o
movimento de rotação
da Terra
Terra.. Será porque
ela roda a uma
velocidade muito baixa?

14
Resposta ao desafio
Já sabemos que o corpo humano é sensível às variações
de velocidade e não à velocidade! E as variações de
velocidade são dadas pela aceleração
aceleração..
Ex
Ex.:
.: Para uma pessoa no equador
equador::
rTerra = 6400 km
T = 24 h = 24 x 3600 s.
2
 2π  −2
ac = ϖ 2 r =   r = 0,03ms
 T 
(aceleração muito pequena comparada com a da gravidade)

v = ϖr = 465ms −1 = 1674 kmh −1


(velocidade elevada, mas não a sentimos porque a sua
variação é pequena)
pequena)..

15

Verwandte Interessen