Sie sind auf Seite 1von 48
O Papel das autarquias do Noroeste no Caminho de Santiago Seminário “ Património Cultural e

O Papel das autarquias do Noroeste no Caminho de Santiago

O Papel das autarquias do Noroeste no Caminho de Santiago Seminário “ Património Cultural e Turismo

Seminário Património Cultural e Turismo Criativo: oportunidades e desafios” Porto 17 e 18 de Março de 2016

e desafios ” Porto 17 e 18 de Março de 2016 Museu Municipal da Povoa de
e desafios ” Porto 17 e 18 de Março de 2016 Museu Municipal da Povoa de

Museu Municipal da Povoa de Varzim - José Manuel Flores Gomes, Deolinda Maria Veloso Carneiro

e 18 de Março de 2016 Museu Municipal da Povoa de Varzim - José Manuel Flores
2
2
Caminho ou caminhos
Caminho
ou caminhos
Caminho ou caminhos Os muitos percursos do Caminho a Santiago 3

Os muitos percursos do

Caminho a Santiago

Caminho ou caminhos Os muitos percursos do Caminho a Santiago 3
Caminho ou caminhos Os muitos percursos do Caminho a Santiago 3
Caminho ou caminhos Os muitos percursos do Caminho a Santiago 3
A Investigação no Norte do País alguns títulos • Carlos Alberto Ferreira de Almeida -

A Investigação no Norte do País alguns títulos

A Investigação no Norte do País alguns títulos • Carlos Alberto Ferreira de Almeida - Vias

Carlos Alberto Ferreira de Almeida - Vias Medievais.

1968.

Entre-Douro e Minho.

Humberto Baquero Moreno - Vias portuguesas de peregrinação a Santiago de

Compostela na Idade Média. Revista da Faculdade de Letras: História, série II, vol. 3. 1986. p. 77-90

Arlindo de Magalhães - A Caminho de Santiago (Da Serra do Pilar a S. Pedro de Rates). Ed. Associação de Amizade de S. Pedro de Rates. 1992.

A Caminho de Santiago (Da Serra do Pilar a S. Pedro de Rates) . Ed. Associação

caminhos antigos;

caminhos romanos;

caminhos medievais.

• caminhos antigos; • caminhos romanos; • caminhos medievais. 5
• caminhos antigos; • caminhos romanos; • caminhos medievais. 5
Alminhas do André. Apúlia, Esposende A Investigação, algumas questões a responder Invocação de Santiago ou

Alminhas do André. Apúlia, Esposende

A Investigação, algumas questões a responder

Invocação de Santiago ou a presença de uma imagem, sinal da passagem do caminho?

A vieira, ou a concha, na arquitetura, sinal da passagem do caminho?

A vieira, ou a concha, na arquitetura, sinal da passagem do caminho? Capela de S. Isidoro,

Capela de S. Isidoro, Vila Praia de Âncora

A vieira, ou a concha, na arquitetura, sinal da passagem do caminho? Capela de S. Isidoro,
A História
A História

Os peregrinos famosos:

Rainha Santa Isabel

D. Manuel I

e os outros

A História Os peregrinos famosos: • Rainha Santa Isabel • D. Manuel I • e os
A História Os peregrinos famosos: • Rainha Santa Isabel • D. Manuel I • e os
A História Os peregrinos famosos: • Rainha Santa Isabel • D. Manuel I • e os

E passou Cosme III

de Medicis (1668-1669)

Trazia com ele Pier Batista Baldi, Arquitecto e pintor, que retratou os principais

sítios por onde passaram

(entre os outros)…

ele Pier Batista Baldi, Arquitecto e pintor, que retratou os principais sítios por onde passaram (entre
ele Pier Batista Baldi, Arquitecto e pintor, que retratou os principais sítios por onde passaram (entre
ele Pier Batista Baldi, Arquitecto e pintor, que retratou os principais sítios por onde passaram (entre
ele Pier Batista Baldi, Arquitecto e pintor, que retratou os principais sítios por onde passaram (entre
ele Pier Batista Baldi, Arquitecto e pintor, que retratou os principais sítios por onde passaram (entre

E proporcionou-nos a mais antiga visão da Igreja de Rates.

Trazia com ele Pier Batista Baldi Arquitecto e pintor que retratou os principais sítios por onde passaram (entre os outros)…

ele Pier Batista Baldi Arquitecto e pintor que retratou os principais sítios por onde passaram (entre
Nicola Albani, um curioso peregrino italiano, que percorre o Norte do país e Galiza pelos

Nicola Albani, um curioso peregrino italiano, que percorre o Norte do país e Galiza pelos caminhos do interior e da costa

Albani, um curioso peregrino italiano, que percorre o Norte do país e Galiza pelos caminhos do
Albani, um curioso peregrino italiano, que percorre o Norte do país e Galiza pelos caminhos do
Ilustrando alguns dos perigos que corriam os peregrinos em terras portuguesas 11

Ilustrando alguns dos perigos que corriam os peregrinos em terras portuguesas

Ilustrando alguns dos perigos que corriam os peregrinos em terras portuguesas 11
Ilustrando alguns dos perigos que corriam os peregrinos em terras portuguesas 11
Albani vem de Viana do Castelo “ pelas areias ” até Vila do Conde .

Albani vem de Viana do Castelo “pelas areias” até Vila do Conde.

Albani vem de Viana do Castelo “ pelas areias ” até Vila do Conde . 12
Albani vem de Viana do Castelo “ pelas areias ” até Vila do Conde . 12

Inauguração do Albergue de peregrinos de S. Pedro de Rates, primeiro de

Portugal. 25 de Julho de 2004

Inauguração do Albergue de peregrinos de S. Pedro de Rates, primeiro de Portugal. 25 de Julho
Inauguração do Albergue de peregrinos de S. Pedro de Rates, primeiro de Portugal. 25 de Julho
A Criação do Grupo de trabalho do Caminho da Costa a Santiago de Compostela Porto
A Criação do Grupo de trabalho do Caminho da Costa a Santiago de Compostela Porto
A Criação do Grupo de
trabalho do Caminho
da Costa a Santiago de
Compostela
Porto
Matosinhos
Maia
Vila do Conde
Póvoa de Varzim
Esposende
Viana do Castelo

Caminha Vila Nova de Cerveira Valença

Matosinhos Maia Vila do Conde Póvoa de Varzim Esposende Viana do Castelo Caminha Vila Nova de
Matosinhos Maia Vila do Conde Póvoa de Varzim Esposende Viana do Castelo Caminha Vila Nova de
Matosinhos Maia Vila do Conde Póvoa de Varzim Esposende Viana do Castelo Caminha Vila Nova de
Matosinhos Maia Vila do Conde Póvoa de Varzim Esposende Viana do Castelo Caminha Vila Nova de
Matosinhos Maia Vila do Conde Póvoa de Varzim Esposende Viana do Castelo Caminha Vila Nova de
Objectivos Qualificação: . Regulação e coordenação das ações desenvolvidas nos caminhos . Sinalização

Objectivos

Qualificação:

. Regulação e coordenação

das ações desenvolvidas nos caminhos

. Sinalização institucional

dos itinerários

. Disponibilização de

informação de natureza histórica e patrimonial

. Implementação de

estruturas de apoio ao peregrino

. Coordenação de ações

municipais

Promoção:

. Implementação de

imagem conjunta

. Criação de ferramentas e

ações de promoção

integradas

. Implementação de imagem conjunta . Criação de ferramentas e ações de promoção integradas Enquadramento 15
Enquadramento
Enquadramento
. Implementação de imagem conjunta . Criação de ferramentas e ações de promoção integradas Enquadramento 15
O Caminho “Institucional”
O Caminho “Institucional”

Assinatura de protocolo com os presidentes de Câmara de todos os

municípios assegurando o empenhamento na implementação do caminho

da Costa

Pelos municípios a Sul da Póvoa de Varzim - Porto, Maia, Matosinhos, Vila do Conde - e Valença, no extremo Norte, também passa o caminho central, pelo que se tem desenvolvido a colaboração na definição desse percurso. Os municípios de Barcelos, Ponte de Lima e Paredes de Coura não se mostraram interessados nessa colaboração.

Reuniões de equipas técnicas

de Lima e Paredes de Coura não se mostraram interessados nessa colaboração.  Reuniões de equipas
Contactos com entidades oficiais
Contactos com entidades oficiais

CCRD-N • Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte

DRCN • Direção Regional de Cultura do Norte

GNP-AECT • Agrupamento Europeu de Cooperação Territorial Galicia-Norte de Portugal

Turismo do Porto e Norte de Portugal

Agrupamento Europeu de Cooperação Territorial Galicia-Norte de Portugal  Turismo do Porto e Norte de Portugal
Ações Comuns:  Criação de dossiers municipais  Estabilização de traçados municipais  Criação de

Ações Comuns:

Criação de dossiers municipais

Estabilização de traçados municipais

Criação de imagem conjunta

Acordo de cooperação institucional entre os municípios

Criação de sinalização direcional e informativa

Realização de seminários e exposições

Procura ativa de fontes de financiamento e parcerias institucionais

Criação de ferramentas de divulgação e informação conjuntas

Enquadramento

Ações Específicas:

Edição de brochuras municipais

Implementação de sinalização direcional

e informativa.

Peregrinações

Exposições

Apoio/ abertura de albergues

Implementação do menu do peregrino

Arranjos de caminhos

Construção de barcas de passagem

Criação de pontos de apoio e descanso para o peregrino

de caminhos  Construção de barcas de passagem  Criação de pontos de apoio e descanso
Mapa partilhado Google Earth Traçado conjunto Inclusão de informação tipificada Município de Vila do Conde

Mapa partilhado Google Earth

Traçado conjunto

Inclusão de informação tipificada

Município de Vila do Conde

Levantamento integral em SIG do percurso do Caminho da Costa

Município da Póvoa de Varzim

Ponto de Situação

Conde Levantamento integral em SIG do percurso do Caminho da Costa Município da Póvoa de Varzim
Conde Levantamento integral em SIG do percurso do Caminho da Costa Município da Póvoa de Varzim
Site Conjunto Informação tipificada e organizada por município Ponto de Situação Município de Viana do

Site Conjunto Informação tipificada e organizada por município

Ponto de Situação

Site Conjunto Informação tipificada e organizada por município Ponto de Situação Município de Viana do Castelo

Município de Viana do Castelo

Site Conjunto Informação tipificada e organizada por município Ponto de Situação Município de Viana do Castelo
Brochura conjunta  Destinada a prestar informação ao peregrino  Traçado conjunto em SIG Município

Brochura conjunta

Destinada a prestar informação ao peregrino

Traçado conjunto em SIG

Município de Póvoa de Varzim

Ponto de Situação

a prestar informação ao peregrino  Traçado conjunto em SIG Município de Póvoa de Varzim Ponto
a prestar informação ao peregrino  Traçado conjunto em SIG Município de Póvoa de Varzim Ponto

O Problema da sinalética

O Problema da sinalética 22
O Problema da sinalética 22
O Problema da sinalética 22
O Problema da sinalética 22
O Problema da sinalética 22
Sinalização Proposta para imóveis classificados e zonas de proteção  Modelo de sinalização  Projeto

Sinalização

Proposta para imóveis classificados e zonas de proteção

Modelo de sinalização

Projeto técnico de colocação

Dossiers municipais para licenciamento junto da DRCN

Ponto de Situação

 Dossiers municipais para licenciamento junto da DRCN Ponto de Situação 23 Municípios de Viana do
 Dossiers municipais para licenciamento junto da DRCN Ponto de Situação 23 Municípios de Viana do

23

 Dossiers municipais para licenciamento junto da DRCN Ponto de Situação 23 Municípios de Viana do

Municípios de Viana do Castelo e Porto

Definição e design de sinalética padronizada para abandonar a seta pintada

• Definição e design de sinalética padronizada para abandonar a seta pintada 24
• Definição e design de sinalética padronizada para abandonar a seta pintada 24
• Definição e design de sinalética padronizada para abandonar a seta pintada 24
• Definição e design de sinalética padronizada para abandonar a seta pintada 24
• Definição e design de sinalética padronizada para abandonar a seta pintada 24

Marcação dos percursos e implantação de sinalética padronizada

Marcação dos percursos e implantação de sinalética padronizada 25
Marcação dos percursos e implantação de sinalética padronizada 25
Marcação dos percursos e implantação de sinalética padronizada 25
Marcação dos percursos e implantação de sinalética padronizada 25

Proposta de sinalética para sítios classificados

Proposta de sinalética para sítios classificados 26
Proposta de sinalética para sítios classificados 26
Proposta de sinalética para sítios classificados 26
A criação de albergues O Albergue das Marinhas recebeu: 2011: 151 peregrinos, 2012: 336 2013:
A criação de albergues
A criação de albergues
A criação de albergues O Albergue das Marinhas recebeu: 2011: 151 peregrinos, 2012: 336 2013: 655

O Albergue das Marinhas recebeu:

2011:

151 peregrinos,

2012:

336

2013:

655

2014: 1.103

2015: 2.262

Albergue de S. José, P.V. desde a abertura : 1650 dormidas

2012: 336 2013: 655 2014: 1.103 2015: 2.262 Albergue de S. José, P.V. desde a abertura
2012: 336 2013: 655 2014: 1.103 2015: 2.262 Albergue de S. José, P.V. desde a abertura

Novo Albergue de Vila do Conde Inauguração 15 de Março

Os primeiros peregrinos

Novo Albergue de Vila do Conde Inauguração 15 de Março Os primeiros peregrinos 28
Novo Albergue de Vila do Conde Inauguração 15 de Março Os primeiros peregrinos 28
Novo Albergue de Vila do Conde Inauguração 15 de Março Os primeiros peregrinos 28
Ponto de Situação Menu do peregrino Com base em restaurantes aderentes ao longo do traçado

Ponto de Situação

Menu do peregrino

Com base em restaurantes aderentes ao longo do traçado

Ponto de Situação Menu do peregrino Com base em restaurantes aderentes ao longo do traçado 29
Ponto de Situação Menu do peregrino Com base em restaurantes aderentes ao longo do traçado 29
Ponto de Situação Menu do peregrino Com base em restaurantes aderentes ao longo do traçado 29

Criação de carimbos

Criação de carimbos 30
Criação de carimbos 30
Criação de carimbos 30
Criação de carimbos 30
Criação de carimbos 30

Produção de desdobráveis por cada município e planta comum a todos

Produção de desdobráveis por cada município e planta comum a todos 31
Produção de desdobráveis por cada município e planta comum a todos 31
Produção de desdobráveis por cada município e planta comum a todos 31

Desdobrável

do Porto

Desdobrável do Porto 32
Desdobrável do Porto 32
Desdobrável do Porto 32
Estatísticas do Caminho 33

Estatísticas do Caminho

Estatísticas do Caminho 33
Estatísticas do Caminho 33
Estatísticas do Caminho 33
Estatísticas do Caminho 33
Realização de caminhadas promovendo o caminho da Costa 34

Realização de caminhadas promovendo o caminho da Costa

Realização de caminhadas promovendo o caminho da Costa 34
Realização de caminhadas promovendo o caminho Central 35

Realização de

caminhadas

promovendo o caminho Central

Realização de caminhadas promovendo o caminho Central 35

Realização de colóquios

Esposende, La Guardia /A Guarda 2012

Póvoa 2013

Realização de colóquios Esposende, La Guardia /A Guarda 2012 Póvoa 2013 36
Realização de colóquios Esposende, La Guardia /A Guarda 2012 Póvoa 2013 36
Realização de colóquios Esposende, La Guardia /A Guarda 2012 Póvoa 2013 36
Conferência no Museu da Póvoa de Varzim por Joel Cleto 37

Conferência no Museu da Póvoa de Varzim por Joel Cleto

Conferência no Museu da Póvoa de Varzim por Joel Cleto 37
Conferência no Museu da Póvoa de Varzim por Joel Cleto 37

37

Marcação dos percursos e implantação de sinalética informativa

das freguesias e valores patrimoniais

• Marcação dos percursos e implantação de sinalética informativa das freguesias e valores patrimoniais 38
• Marcação dos percursos e implantação de sinalética informativa das freguesias e valores patrimoniais 38

A chegada dos peregrinos

A existência dos voos low cost tem contribuído de forma notável para o incremento do número de peregrinos a fazerem “O Caminho”

voos low cost tem contribuído de forma notável para o incremento do número de peregrinos a
voos low cost tem contribuído de forma notável para o incremento do número de peregrinos a
voos low cost tem contribuído de forma notável para o incremento do número de peregrinos a

Os novos peregrinos e os novos caminhos

O GPS;

A internet;

Os novos percursos.

Os novos peregrinos e os novos caminhos  O GPS;  A internet;  Os novos
Os novos peregrinos e os novos caminhos  O GPS;  A internet;  Os novos
Os novos peregrinos e os novos caminhos  O GPS;  A internet;  Os novos
Os novos peregrinos e os novos caminhos  O GPS;  A internet;  Os novos
Os novos peregrinos e os novos caminhos  O GPS;  A internet;  Os novos
41
41

sites

sites 42
sites 42
sites 42
Reunião em Braga - Eixo Atlântico Outubro 2015 43

Reunião em Braga - Eixo Atlântico

Outubro 2015

Reunião em Braga - Eixo Atlântico Outubro 2015 43
Reunião em Braga - Eixo Atlântico Outubro 2015 43
Participação no Colóquio “Novas perspectivas do Caminho de Santiago em Portugal e Espanha” Beja 44

Participação no Colóquio

“Novas perspectivas do Caminho de Santiago em Portugal e Espanha” Beja

Participação no Colóquio “Novas perspectivas do Caminho de Santiago em Portugal e Espanha” Beja 44

O “Oportunismo” - milhares de peregrinos significam negócio

Cafés;

bares;

restaurantes;

muda-se o caminho

- milhares de peregrinos significam negócio  Cafés;  bares;  restaurantes;  muda-se o caminho

O “Voluntarismo”

Há peregrinos, perdidos fora do caminho, pinta-se mais umas

setas para o orientar

Campanhas “Vem pintar a tua seta”

peregrinos, perdidos fora do caminho, pinta-se mais umas setas para o orientar Campanhas “Vem pintar a
peregrinos, perdidos fora do caminho, pinta-se mais umas setas para o orientar Campanhas “Vem pintar a

Ideias erradas do caminho – “Um único e verdadeiro caminho” - quando todas as fontes referem a multiplicidade de caminhos usados pelos peregrinos

referem a multiplicidade de caminhos usados pelos peregrinos …. é por direito próprio o epicentro do

…. é por direito próprio o epicentro do caminho Português de, uma vez que é um centro urbano com raízes históricas elencadas na tradição de peregrinação a Santiago que faz de …, por direito próprio o Museu Vivo do Caminho a Santiago. peregrinação a Santiago de Compostela

que faz de …, por direito próprio o Museu Vivo do Caminho a Santiago. peregrinação a
que faz de …, por direito próprio o Museu Vivo do Caminho a Santiago. peregrinação a
que faz de …, por direito próprio o Museu Vivo do Caminho a Santiago. peregrinação a

Um bom caminho para todos

Um bom caminho para todos 48
Um bom caminho para todos 48