Sie sind auf Seite 1von 26

Folheto Técnico

Qualidade em Sistemas de Baixa Tensão


Capacitores, Controladores de Fator de Potência, Bancos Automáticos de Capacitores,
Filtro Ativo de Harmônicas, Compensador de Reativos Dinâmicos
Produtos e soluções ABB
para rede de Baixa Tensão
Índice

Capacitores

LVCP .............................................................................................................................4

CLMD ...........................................................................................................................7

Controlador de FFator
ator de PPotência
otência

RVC ...............................................................................................................................9

RVT ............................................................................................................................. 11

Bancos Automáticos de Capacitores

Standard - SAB ........................................................................................................ 15

Projetos Especiais .................................................................................................. 17

F iltro Ativo de Hamônicas

PQFA e PQFL ............................................................................................................ 19

Compensador de RReativos
eativos Dinâmicos

Dynacomp ............................................................................................................... 23

1
A ABB melhora a qualidade
da sua rede de Baixa Tensão
Aqui estão as nossas soluções:

OS PROBLEMAS NOSSAS SOLUÇÕES

Baixo FFator
ator de PPotência
otência Capacitores de PPotência
otência
A falta de qualidade mais comum nas redes de baixa O baixo fator de potência é resolvido com a instalação
tensão é o baixo fator de potência (cos ϕ) que resulta de capacitores de potência fixos, para cargas
em menor eficiência da rede, péssima estabilidade de constantes ou comutados automaticamente, para
tensão e, na maioria dos casos, uma multa elevada a cargas variáveis. A combinação de capacitores fixos e
ser paga à concessionária. automáticos é uma ótima solução para a plena
correção deste problema.

P resença de Harmônicas Bancos Dessintonizados com RReatores


eatores e
As distorções de harmônicas são geradas por cargas F iltros Ativos PQF
PQFAA
como retificadores e inversores de frequência que, por Sistemas com harmônicas podem, dependendo do
sua vez alteram a forma de onda do sistema. Um conteúdo real de distorções e das características da
conteúdo excessivo de harmônicas na rede, resulta em rede, necessitar de um banco de capacitores
maiores perdas e pode levar ao mau funcionamento de dessintonizado com o qual evita que as distorções
certos equipamentos, especialmente os eletrônicos. presentes na rede afetem os capacitores ou, também,
Já existem estudos para que, as concessionárias podem requerer um filtro ativo para reduzir o conteúdo
imponham limites nos níveis de distorção existentes das mesmas.
nas empresas.

Quedas de TTensão
ensão / Flutuações rápidas DYNA COMP ® Circuito Ultra-rápido
YNACOMP
de carga Para as aplicações mais exigentes, a ABB propõe seu
Certos tipos de equipamentos , como máquinas de DYNACOMP, um circuito ultra-rápido para um
solda e retificadores para aplicações especiais, podem capacitor ou filtro que opere sem transientes e sem
consumir quantidades elevadas e muito variáveis de dispositivos sujeitos a desgaste. Os tempos de
potência reativa. A indutância da rede de alimentação resposta da comutação do DYNACOMP® estão na
pode causar quedas de tensão muito significantes, faixa de milisegundos.
tornando difícil o funcionamento de equipamentos O DYNACOMP® é indicado para qualquer problema
próximos. O problema pode ser agravado com a de compensação e qualquer condição de rede.
comutação muito freqüente destes equipamentos.

2
CAPACITORES
Vantagens dos
capacitores a seco

Em função da tecnologia construtiva utilizada, uma tecnologia bastante discutida é a de capacitores com filme de
polipropileno metalizado, com dielétrico seco e sua aplicação em filtros ou em instalações sujeitas a harmônicas.
No final da década de 70, início da década de 80, com a legislação que proibiu a utilização de capacitores imersos
em óleo do tipo Askarel, os fabricantes nacionais passaram a desenvolver e fabricar capacitores em filme de
polipropileno metalizado com dielétrico seco.
Com o passar do tempo, muitos destes capacitores, tipo seco, fornecidos, começaram a apresentar problemas de
perda acelerada de capacitância e, em muitos casos, faz-se uma relação errônea com a existência de harmônicas no
local onde estes capacitores estavam instalados, considerando-se tal fato a origem dos problemas.
O bom desempenho de um capacitor está condicionado a garantia que, entre as placas, não exista ar bloqueado.
Esta garantia pode ser alcançada pela retirada do ar por processo a vácuo (capacitores de alta tecnologia) ou
imersão em óleo (tecnologia antiga).
A ABB, desde a década de 50, na busca constante em fornecer capacitores de alta tecnologia e qualidade, chegou
à duas linhas de capacitores: CLMD e LVCP, que são capacitores em filme de polipropileno metalizado a zinco, com
dielétrico seco que suportam condições severas impostas por instalações onde existam correntes harmônicas.
Ambos os modelos estão de acordo com a norma IEC 60831 1 e 2.

Capacitores a Seco ABB


• podem ser montados em qualquer posição • não correm o risco de vazamento
• não correm o risco de contaminação do ambiente, • são capacitores mais leves e compactos
pois são isentos de óleo • são capacitores com perdas reduzidas
• não correm o risco de explosão por geração de • sistema de produção certificado ISO 14001
gases internos

Confiabilidade, uma característica comu


comumm dos capacitores ABB: Linhas CLMD e LLVCP
VCP
Filme metálico ISO 9001
O dielétrico dos capacitores ABB é fabricado com O Sistema de Qualidade ISO 9001, garante plena
filme metálico de polipropileno e, assim, possui: qualidade aos capacitores ABB.
• capacidade de suportar tensões elevadas ISO 14001
• capacidade de suportar picos de corrente Os capacitores ABB têm um dielétrico seco e está
• vida longa mesmo com elevados níveis de distorções livre de óleo e outros agentes impregnantes. São
harmônicas equipamentos que não agridem o meio ambiente.
• perdas reduzidas A certificação de nosso processo (ISO 14001) garante
• propriedades de alta regeneração o nosso compromisso com o meio ambiente.
Processo automático de fabricação acordo
De acor do com Normas Internacionais
O processo automático de fabricação dos capacitores Os capacitores ABB estão de acordo com as Normas
ABB resulta numa alta segurança, performance Internacionais IEC 60831 1 e 2.
controlada e garantia de qualidade.
Testes
Os capacitores ABB e seus componentes são testa-
dos em vazio e em carga. São realizados testes de
envelhecimento, temperatura, umidade, dielétrico,
auto-regeneração, testes de tensão e corrente.

3
Capacitores a Seco A escolha certa
de Baixa Tensão para corr eção do
correção
fator de potência

Linha LVCP
Características
O LVCP é um capacitor compacto e potente. Oferece alta modularidade, desempenhos únicos e um sistema de
proteção integrado. É o capacitor ideal para montagem de bancos automáticos para correção do fator de potência.

• Terminais para cabos com • Ligação entre barras • Mecanismo de descarga


dimensões adequadas externo (<50V em 1min.)
• Invólucro de proteção
dos terminais (IP20)
• Resistências de
descargas de segurança
incorporadas
(< 75V em 3 min.)

• Invólucro com duplo • Furos


isolamento para
fixação

Clipes para •
montagem em grupo

Flexibilidade Segurança
• a linha LVCP oferece alta potência em pequenas O sistema de proteção contra falhas do LVCP é
dimensões plenamente confiável.
• um único tamanho para toda a linha Sistema único de segurança de ação dupla
• o projeto modular do LVCP permite uma montagem O tempo de vida do sistema é baseado na capacidade
rápida e fácil dos módulos de capacitores, bastam de auto-regeneração do dielétrico e da rápida reação
algumas unidades base para cobrir uma ampla faixa do dispositivo de desconexão, combinando
de potências o fusível elétrico interno e o desconector de pressão.
• a ligação paralela entre os módulos é feita de uma
invólucro
Duplo invólucr o de isolamento
forma muito simples através da interligação de
barras desenvolvidas especialmente As bobinas dos capacitores são montadas e fixadas
em um invólucro com duplo isolamento. Isto garante
• o sistema de clipes assegura uma excelente força
mecânica entre os módulos maior proteção das bobinas em um ambiente agressi-
vo, resultando em maior durabilidade do capacitor.
• a base oferece dupla possibilidade de fixação:
parafusos ou trilho DIN descarga
Resistências de descar ga embutidas
O LVCP possui resistências de descarga embutidas -
• Terminais • Resistências de descarga embutidas < 75 V em 3 minutos.
(< 75 V em 3min.) Observação: para aplicação em bancos automáticos,
faz-se necessário a utilização dos resistores de des-
• Fusível carga externos para descarga < 50 V em 1 minuto
(acessório)
• Desconector Proteção IP 20
sensível à pressão Um invólucro de proteção de fácil fixação (opcional),
permite Grau de Proteção IP 20.
• Capacitores secos
auto-regenerativos

• Resina

• Invólucro de isolamento
4
Capacitores a Seco de Baixa Tensão Linha LVCP

Especificações Técnicas
Tensão nominal (Un) 50 Hz: 230 V, 400 V, 415 V, 450 V e 465 V
60 Hz: 220 V, 380 V, 440 V
Ligação Trifásica
Resistências de descargas internas Dimensionadas para descargas inferiores a 75 V em 3 min.
Terminais Barras de cobre
Terra Não necessita de ligação terra
Cor RAL 7035 (cinza escuro)
Fixação Parafusos ou trilho DIN
Montagem Interior
Proteção IP 00 ou IP 20 com invólucro de proteção para terminais
Temperatura máxima Classe D (+ 55ºC)
Temperatura mínima - 25ºC
Perdas no dielétrico < 0,2 W / kVAr
Perdas totais (com resistor de descarga incluso) < 0,5 W / kVAr
Tolerância de capacitância 0 + 10%
Tensão de ensaio Entre terminais: 2,15 Un por 10 seg.
Sobrecargas aceitáveis de acordo com a Norma CEI 60831 1 e 2 Tolerância da sobretensão: 10% máxima, intermitente
Tolerância da sobrecarga: 30% permanente
Importante: Na instalação de capacitores, numa rede com harmônicas, é necessário ter especial atenção quando houver risco de ressonância.
Para mais detalhes, consulte a ABB.

F aixa de PPotência
otência
Tensão / FFrreqüência Potência Corrente por fase
Corrente Capacitância por fase
(kV Ar)
(kVAr) (A) ( µ F)
220 V / 60 Hz 2,5 6,57 45,69
5,0 13,13 91,33
7,5 19,71 137,08
10,0 26,27 182,78
380 V / 60 Hz 5,0 7,60 30,61
10,0 15,20 61,22
15,0 22,80 91,84
20,0 30,40 122,55
440 V / 60Hz 5,0 6,56 22,83
10,0 13,12 45,67
15,0 19,68 68,50
20,0 26,29 91,41

Exemplos de combinação dos módulos LLVCP


VCP

• 10 kVAr + 10 kVAr = 20 kVAr • 15 kVAr + 15 kVAr + 15 kVAr = 45 kVAr


• 15 kVAr + 15 kVAr = 30 kVAr • 20 kVAr + 20 kVAr + 10 kVAr = 50 kVAr
• 15 kVAr + 20 kVAr = 35 kVAr
• 20 kVAr + 20 kVAr = 40 kVAr

Obser vação:
Observação:
As barras de interligação são fornecidas opcionalmente e são capazes de suportar a junção de até três módulos.
São possíveis configurações de valores superiores do LVCP, utilizando barras de interligação capazes de suportar
uma corrente superior.

5
Capacitores a Seco de Baixa Tensão Linha LVCP

Acessórios

• Barras de interligação (opcional)

• Invólucro de proteção IP 20 (opcional)

• Dispositivo de descargas externas para


tensão residual menor que 50V
em 1 minuto após o desligamento (opcional)

• Clipes para conexão mecânica (opcional)

• Fixação por trilho DIN (opcional)

Dimensões em mm
Sem invólucr o
invólucro
de proteção
proteção

Com invólucr o
invólucro
de proteção
proteção

Obser vação:
Observação:
invólucro de proteção
mesmas dimensões para
para terminais
todas as faixas de potência.

Peso (sem embalagem)


Cada unidade do LVCP pesa 2.1 kg (sem invólucro de proteção)

6
Capacitores a Seco
de Baixa Tensão ISO 14001

Linha CLMD
Construção
Os capacitores CLMD da ABB possuem bobinas construídas com um dielétrico de filme de polipropileno
metalizado que são fornecidas com um dispositivo seqüencial (fusível) que assegura a desconexão de cada
elemento do circuito, no final de sua vida útil. Também recebem um tratamento a vácuo para garantir
características elétricas perfeitas.
Cada bobina é colocada num invólucro plástico e encapsulada numa resina termocurada que garante um elemento
perfeitamente selado.
Estes elementos são colocados dentro de uma caixa metálica e, conectados de uma forma que forneça potência bi
ou trifásica, nas tensões e freqüências exigidas.
A caixa metálica é preenchida com granulado inorgânico, inerte e à prova de incêndio para absorver a energia
produzida ou eliminar a possibilidade de incêndio no caso de um possível defeito no final da vida útil do elemento.
Os capacitores CLMD da ABB também são equipados com dissipadores térmicos para uma melhor dissipação de calor.

Terminais robustos • • Entrada de cabos


Fácil ligação (knock out)
Capacitor montado
Resistência de • • Terminal de terra com chave
descarga incorporada desconectora com
• Possibilidade de montagem
externa (ao tempo) base fusível NH
Auto-regenerativo • linha XLP da ABB,
Dielétrico seco • Bobinas de baixas perdas para chaveamento

(sem óleo) • Dissipador térmico e proteção.

Granulado inerte e não • • Furos de fixação


tóxico (vermiculita) (instalação fácil)

Características
Capacitor a seco sem poluição ou risco de vazamento Fácil de instalar e leve
Os capacitores ABB consistem de um dielétrico tipo Os capacitores CLMD são muito leves e não apresen-
seco que não apresenta riscos de vazamento ou tam qualquer dificuldade de manuseio durante a sua
poluição para o ambiente. instalação.
Per das muito baixas
erdas Alta eficiência
As perdas no dielétrico são menores que 0,2 W / kVAr. O uso de terminais robustos em vez de isoladores
Perdas totais, incluindo as resistências de descarga, frágeis em porcelana, diminui o risco de danos durante
são menores que 0,5 W / kVAr. a instalação, reduzindo a manutenção.
Longa vida - auto-r egenerativo
auto-regenerativo Segurança
Na eventualidade de uma falha no dielétrico do Dissipadores térmicos são utilizados em cada elemen-
capacitor, o eletrodo metalizado adjacente à falha é to capacitivo para melhor dissipação de calor.
imediatamente vaporizado, isolando a mesma. Assim, Todos CLMDs são equipados com resistências de
o capacitor permanece operando normalmente. descargas.
Proteção contra incêndio Capacitor
Capacitoreses a seco
Todos os elementos capacitivos dentro da caixa • podem ser montados em qualquer posição
CLMD têm vermiculita à sua volta. • não contém o risco de vazamento ou contaminação
Esta matéria é inorgânica, inerte, não inflamável e não do ambiente, pois são isentos de óleo
tóxica. Na eventualidade de uma falha, a vermiculita • não contém o risco de explosão por geração de
absorve, seguramente, a energia produzida dentro da gases internos
caixa do capacitor e extingüe qualquer possibilidade • são mais leves, compactos e com perdas reduzidas
de propagação do fogo.

7
Capacitores a Seco de Baixa Tensão Linha CLMD
Especificações Técnicas
Tensão nominal (Un) 220 V, 380 V, 440 V, 460 V, 480 V, 525 V*, 600 V*, 660 V* (*sob consulta)
Freqüência 50 e 60 Hz
Ligação Construção padrão trifásica (bifásica, sob consulta)
Resistência de descarga Ligação permanente, dimensionada para descarregar o capacitor em menos de 50 V, em 1 minuto, após desligamento
Terminais das fases CLMD 43, 53, 63, 83 - parafusos M6, 8, 10 ou 12
CLMD 13 - terminais para cabos até 16 mm2
Terminal Terra CLMD 43, 53, 63, 83 - parafusos M8
CLMD 13 - terminais para cabos até 6 mm2
Entrada de cabo (diâmetro do furo) CLMD 43 e CLMD 53 - 37 mm No CLMD 13 - entrada cônica (diâmetro 6 à 20 mm)
CLMD 63 e CLMD 83 - 47 mm
Caixa Chapa de aço zincado
Acabamento Pintura sintética
Cor Bege RAL 7032
Fixação Através de 2 abas laterais
Utilização Interior (exterior, sob consulta)
Proteção IP 42 (IP 54, sob consulta)
Temperatura ambiente Máxima: + 50ºC, conforme IEC 831
Mínima: Tipo interior: - 25ºC e Tipo exterior: - 40ºC
Distância mínima entre capacitores 50 mm
Distância mínima entre capacitores e paredes 50 mm
Perdas (resistência de descarga inclusa) < 0,5 W/kVAr
Tolerância de capacitância - 5% + 10%
Tensão de ensaio Entre terminais: 2,15 Un por 10 seg.
Entre terminais e terra: 3 kV por 10 seg.
Sobrecargas aceitáveis de acordo Tolerância de sobretensão: 10% máx., intermitente
com a Norma IEC 831-1 e 2 Tolerância de sobrecarga: 30% permanentemente
Sobrecarga máxima: operação estável à 135% da corrente nominal (geradas por sobretensões e harmônicas)

Dados Técnicos (60Hz)


Tipo do Potência (kVAr)
(kVAr) Capacitância por fase (uF) Corr ente por fase (A)
Corrente Peso (kg)
capacitor 220 V 380 V 440 V 480 V 220 V 380 V 440 V 480 V 220 V 380 V 440 V 480 V 220 V 380 V 440 V 480 V
CLMD 13 2,5 5,0 8,0 10,0 46 31 38 38 7 8 11 12 3,1 3,9 3,9 2,2
5,0 10,0 13,0 15,0 91 61 56 58 13 15 16 18 3,7 3,9 3,9 2,5
7,5 15,0 - - 137 - - - 20 - - - 3,8 - - -
CLMD 43 10,0 - 16,5 20,0 183 92 75 77 26 23 22 24 5,5 5,5 5,9 5,0
15,0 20,0 25,0 25,0 274 123 115 96 39 30 33 30 5,5 5,9 5,9 5,2
- 25,0 - 30,0 - 153 - 115 - 38 - 36 - 5,9 - 5,5
CLMD 53 20,0 30,0 29,0 35,0 366 184 134 134 52 46 38 42 9,0 9,0 10,0 9,0
25,0 40,0 36,5 40,0 457 245 167 154 66 61 48 48 9,5 10,0 10,0 9,5
30,0 50,0 - 45,0 548 306 - 173 79 76 - 54 10,0 14,0 - 10,0
- - - 50,0 - - - 192 - - - 60 - - - 11,0
CLMD 63 40,0 75,0 50,0 60,0 731 459 230 230 105 114 66 72 14,0 16,5 14,0 14,0
50,0 - 64,0 70,0 914 - 293 269 131 - 84 84 15,5 - 15,5 15,0
- - 73,0 75,0 - - 334 288 - - 96 90 - - 16,5 15,5
CLMD 83 - 100,0 87,0 80,0 - 613 397 307 - 152 114 96 - 22,0 20,0 19,0
- - 100,0 80,0 - - 457 346 - - 131 108 - - 22,0 19,5
- - - 100,0 - - - 384 - - - 120 - - - 20,0
obs.: Para tensões de 525 V, 600 V e 660 V, consultar a ABB.

Dimensões em mm
CLMD 13 CLMD 43 CLMD 53 / 63 /83

CLMD A D
53 310 37
63 485 47
83 670 47

8
Controlador de Fator de 3, 6, 8, 10 e 12 está-
gios, o contr olador
controlador
Potência Microprocessado do tamanho da sua
necessidade

Linha RVC
Características
• Operação fácil • Ideal para ambientes quentes, graças à faixa máxima
• Ajuste totalmente automático de temperatura ambiente de 70ºC
• Configuração automática completa (corrente inicial • Alarme: um contato de alarme será comutado quando:
C/k, número de saídas ativas, tipo de seqüências de - o cos ϕ de destino não for alcançado dentro de 6
comutação, deslocamento de fases, conexões especiais) minutos após todas as saídas terem sido ativadas
• Fácil de utilizar graças a uma interface amigável e à - a temperatura interna do RVC atingir 85ºC
facilidade de acesso aos parâmetros para - a fonte de alimentação não estiver presente.
configuração manual

Display de LCD • • Indica uma solicitação de


ativação/desativação de um estágio
Saídas ativas •
FP indutivo/capacitivo • • Parâmetros programáveis:
• fator de potência desejável (cos ϕ)
Alarme • • C/k (corrente inicial)
Excesso de temperatura • • deslocamento de fases (para
conexões especiais) de acordo
Teclado • com esquema de ligação
Modo de definição • • tempo de espera de comutação
automático/manual • número de saídas ativas
• seqüência de comutação
Operação fácil com •
reconhecimento automático de: • Configuração automática de:
• conexões especiais (ligações Fase- • deslocamento de fase
Neutro, Inversão da conexão do TC) • C/k
• número de saídas • Número de saídas
• tipo de seqüência de comutação • Tipo de seqüência de comutação

Estratégia de comutação do RVC


A comutação dos estágios do RVC é baseada no valor médio do consumo de potência reativa pela carga durante o
tempo de espera de comutação (comutação integral).
Esta comutação permite:
• controlar o fator de potência na presença de cargas com variação rápida
• empregar um tempo de espera de comutação maior e, por conseqüência, reduzir o número de comutações
Com base na demanda de potência reativa medida durante o tempo de espera de comutação, o RVC identifica o
número de estágios a serem ativados. Em seguida, ele comuta automaticamente as maiores saídas primeiro, para
evitar comutações intermediárias desnecessárias (comutação direta).
Durante a seqüência de comutação, é introduzido um tempo de atraso de 12 segundos entre cada passo para evitar
problemas com transientes e satisfazer às exigências da EMC.
Quando é necessário desativar vários estágios, o controlador RVC o faz de uma só vez, pois a desativação do
capacitor é livre de transientes.
Todas as seqüências de comutação são circulares.
A comutação circular estende a vida útil dos capacitores e dos contatores, equilibrando o esforço de comutação
entre todas as saídas.

9
Controlador de Fator de Potência Microprocessado Linha RVC

Fácil Configuração Fácil programação


programação
ogramação:
Todos os parâmetros são
O modo de CONFIGURAÇÃO AUTOMÁTICA permite
facilmente acessíveis
a programação do RVC em apenas 2 etapas simples.
para a configuração
manual.

Ativação da configuração Configuração do


automática de: cos ϕ desejado
- deslocamento de fases
- C/k
- seqüência de comutação

Especificações Técnicas
Sistema de medição Ajuste do F ator de P
Fator otência
Potência Modo de comutação
• sistema microprocessado para • de 0,7 indutivo à 0,7 capacitivo • Integral, direto e circular
redes trifásicas balanceadas e Ajuste da Corr ente de P
Corrente artida
Partida Númer
Número o de saídas
redes monofásicas (C/k) • RVC-3: programável p/ até 3 saídas
Tensão de operação • 0,05 à 1 A. Medição automática • RVC-6: programável p/ até 6 saídas
• de 220 V a 240 V de C/k • RVC-8: programável p/ até 8 saídas
• de 380 V a 440 V Tempo de comutação entr e os
entre • RVC-10: programável p/ até 10 saídas
Tolerância de tensão estágios • RVC-12: programável p/ até 12 saídas
• + / - 10% das tensões de • Programável de 1s à 999s Seqüências de comutações -
operação indicadas (independente da carga cir cular
circular
Faixa de fr eqüência
freqüência reativa). • 1:1:1:1:1:… :1 • 1:1:2:4:8:… :8
• 50 ou 60 Hz + / - 5% (ajuste Temperatura de operação • 1:2:2:2:2:… :2 • 1:2:3:3:3:… :3
automático para a freqüência • de -10ºC à 70ºC • 1:2:4:4:4:… :4 • 1:1:2:3:3:… :3
da rede) Temperatura de • 1:2:4:8:8:… :8 • 1:2:3:6:6:… :6
Entrada de corr ente
corrente armazenamento • 1:1:2:2:2:… :2 • 1:1:2:3:6:… :6
• 5 A (RMS) • 1:1:2:4:4:… :4
• de -30ºC à 85ºC
Impedância de entrada de Posição de montagem Insensibilidade à
corr ente
corrente HARMÔNICAS
• Montagem em painel vertical
• < 0,1 Ohm Dimensões (altura x lar gura x
largura Adaptação automática à
Consumo pr ofundidade)
profundidade) rotação de fases da rrede
ede e
• 15 VA máx. • 144 X 144 x 80 mm dos terminais TC.
TC.
Características do contato Peso Trabalho com car gas
cargas
de saída regenerativas
• 0,8 kg
• corrente contínua máxima: 1,5 A
Conector Contraste de LCD compensa-
• corrente de pico máxima: 5 A
• tensão máxima: 440 Vca • WAGO do automaticamente com a
• terminal A é capacitado para Proteção temperatura.
uma corrente contínua de 16 A • IP 40

Diagrama de Ligação - RVC


k, I - terminais do transformador de corrente A - ponto comum dos relés de saída
L2, L3 - 2 das 3 fases (não conectadas ao TC) 1-12 - saídas
M1, M2 - terminais do contato normalmente
fechado

Atenção:
a tensão de alimentação (medição) do controlador, independe da tensão de
alimentação das bobinas dos contatores.
10
Controlador de Fator de
Potência Microprocessado

Linha RVT
Características
Estratégia de comutação altamente eficiente que Parâmetr
arâmetrosos pr ogramáveis:
programáveis:
combina comutação integral, direta e circular. Isso • ajuste cos ϕ (dia/noite)
permite que: • ajuste cos ϕ no módulo regenerativo
• o cos ϕ seja controlado na presença de cargas com • deslocamento de fase (para conexões especiais)
rápidas variações • C/k (corrente de partida)
• o número de comutações seja reduzido • seqüência de chaveamento (programável)
• as comutações desnecessárias sejam evitadas • número de saídas ativas
• a vida útil dos capacitores e contatores seja • chaveamento de tempos de atraso (on/off/reset)
prolongada • estratégia de chaveamento: linear ou circular,
Medição e Monitoramento: normal ou integral, direta ou progressiva
• potência ativa (kW) • alarme de limites
• potência aparente (kVA)
• potência reativa (kVAr)
• potência reativa (kVAr) para alcançar o cos ϕ reservado para um módulo auxiliar com • • indicação de
o o mais 4 saídas (em desenvolvimento) chaveamento on/off
• tensão (V), corrente (A), temperatura ( C ou F) do banco de
• distorção total de harmônica em tensão: THD V (%) saídas ativas capacitor
• distorção total de harmônica em corrente: THD I (%) ìcone de bloqueio •
• freqüência (Hz) •
Comunicação:
• conexão com impressora
• adaptador Modbus
• entrada: dia / noite cos ϕ
• entrada: alarme externo
• saída: contato de alarme
• saída: contato para ventilação
Medições:
• cos ϕ
• tensão de harmônicas:
U2 até U49 (% - spectrum)
• corrente de harmônicas:
I2 até I49 (% - spectrum)
• número de estágios necessários para
alcançar o cos ϕ
• número de chaveamentos por saídas
Fácil comissionamento com ajuste
automático de:
• deslocamento de fase
• C/k (corrente de partida)
• número de saídas • comando para • • alarme
• seqüência de chaveamento display com navegação •
ajuste de • botão Sobretemperatura
contraste de ajuda (contato de ventilação)

• • •

Monitoração de tensão Espectr


Espectroo de tensão de harmônicas Mensagem de emer gência
emergência
11
Controlador de Fator de Potência Microprocessado Linha RVT

Tipos de comutação
Linear / Cir cular
Circular
Linear: segue o princípio de comutação “primeiro in, último out”
Circular: segue o princípio de comutação “primeiro in, primeiro out”
A comutação circular aumenta a vida útil dos capacitores e contatores através do balanceamento do desgaste entre
todas as saídas.
No caso de “primeiro estágio duplo” (1: 1:2:2:…, 1: 1:2:2:4:4…), a circularidade aplica às duas primeiras saídas e
também nas saídas de valores mais altos.

Linear Circular demanda para adição


de um estágio
demanda para remoção
de um estágio
saída fechada
saída aberta

Progr essivo / Dir


ogressivo eto
Direto
Progressivo: operação que chaveia os estágios seqüencialmente um a um.
Direto: operação que chaveia primeiro o maior estágio para alcançar o cos ϕ mais rápido. Evita comutaçãos inúteis
intermediárias.
Progressivo Direto

Normal / Integral
Normal: chaveia os estágios quando a demanda reativa é continuamente presente para todo o tempo de comutação
atrasado.
Integral: chaveia os estágios de acordo com o valor médio da potência reativa exigida. Útil para aplicações quando
a carga é rapidamente variável.

12
Controlador de Fator de Potência Microprocessado Linha RVT

Especificações Técnicas
Sistema de medição Característica do contato de Tempo de comutação entrentre
e
• sistema microprocessado para alarme (contato livr e de
livre estágios
redes trifásicas balanceadas e tensão) • programável de 1s à 18h
redes monofásicas. • contato normalmente fechado: NF Função salvar
Tensão de operação • corrente contínua máxima: 1.5 A • todos os parâmetros e módulos
• de 100 Vc.a. até 440 Vc.a. • tensão nominal: 250 Vc.a. (ten- programados são salvos numa
são máx. de abertura: 440 Vc.a.) memória não-volátil
Consumo
Característica do contato de Relé de potência
• 15 VA máx.
ventilação (contato livr e de
livre
Tipo de cone xão para cir
conexão cuito
circuito • desconexão automática de todos
tensão) os capacitores no caso de uma
de medição e fornecimento de
• contato normalmente aberto - NA interrupção de energia maior
ener gia
energia
• corrente contínua máxima: 1.5 A que 20 ms
• fase-fase ou fase-neutro
• tensão nominal: 250 Vc.a. (ten-
Tolerância de tensão Adaptação automática à
são máx. De abertura: 440 Vc.a.)
rotação de fases da rrede
ede e
• + / - 10% nas tensões de Ajuste do F ator de P
Fator otência
Potência
funcionamento dos terminais do TC
TC
• de 0,7 indutivo à 0,7 capacitivo
Medição de tensão Insensibilidade à HARMÔNICAS
Ajuste da Corr ente de P
Corrente artida
Partida
• até 690 Vc.a. ou maior com (C/k) Trabalho com car gas passivas
cargas
transformador de tensão egenerativas
e rregenerativas
• 0.01 à 5A
Precisão • medição automática de C/k Contraste de LCD ajustável
• 1% escala cheia Seqüências de comutações - Temperatura de operação
Faixa de fr eqüência
freqüência linear ou cir cular
circular • - 20ºC para 70ºC
• 50 ou 60 Hz + / - 5% (ajuste • 1:1:1:1:1:… :1 • 1:2:2:2:2:… :2 Temperatura de armazenagem
automático para a freqüência da • 1:2:4:4:4:… :4 • 1:2:4:8:8:… :8
rede) • - 30º C à 85ºC
• 1:1:2:2:2:….:2 • 1:1:2:4:4:… :4
• 1:1:2:4:8:… :8 • 1:2:3:3:3:….:3 Posição de montagem
Entrada de corr ente
corrente
• 1:2:3:6:6:….:6 • 1:1:2:3:3:….:3 • montagem em painel vertical
• 5 A ou 1 A (RMS) (classe 1 TC)
• 1:1:2:3:6:….:6 Dimensões
Impedância de entrada de
e outras seqüências programáveis • placa frontal: 144 x 144 mm (h x l)
corr ente
corrente
Configuração de estágios • total: 144 x 211 x 67 mm (h x l x p)
• < 0,1 Ohm
• automático, fixo, desabilitado Peso
Características do contato
de saída Display de gráficos completos • 1.0 kg (sem embalagem)
• corrente contínua máxima: 1,5 A • 64 x 132 pixels com símbolos Conector
(c.a.) - 0,3 A (110 V c.c.) extras • grampo tipo presilha (núcleo do
• corrente máxima de pico: 8A Númer
Número o de saídas cabo simples 2.5 mm2)
• tensão máxima: 440 Vc.a. • RVT 12: programável até 12 Proteção da placa fr ontal
frontal
• terminal A é capacitado para saídas • IP 43 (IP 54, sob consulta)
uma corrente contínua de 18 A • futuramente, o RVT poderá Umidade rrelativa
elativa
(9A/terminal) conectar um módulo adicional
• máximo 95%, não condensada
para mais 4 saídas

13
Controlador de Fator de Potência Microprocessado Linha RVT

RVT Modbus
Adaptador Modbus para comunicação
Além da versão RVT padrão, uma versão RVT-Modbus permite
comunicação com sistemas de monitoramento.
Esta versão disponibiliza a parametrização e medições, incluindo espectro
ou tabelas de harmônicas, através do adaptador RS485 Modbus.

Acessórios
Sensor e xterno para medição de temperatura
externo
Dois sensores de temperatura podem ser conectados ao RVT.
O RVT aciona a ventilação caso seja excedido o valor limite pré-ajustado durante a
programação.

xão com impr


Conexão
Cone essora
impressora
O RVT pode ser conectado a uma impressora especial (fornecimento ABB), através da
porta serial RS-232.

IP 54
A placa frontal do RVT oferece um grau de proteção IP43 na versão padrão.
Um acessório para vedação aumenta o grau de proteção do RVT padrão para IP54.

Diagrama de ligação
PL2, PL3: alimentação
ML2, ML3: medição
OPTO1: entrada dia/noite
(2º cos ϕ)
K, I: transformador de corrente
OPTO2: entrada de alarme
externo dos sensores
T1, T2: entradas dos sensores
de temperatura
H, L: módulo de extensão
(4 saídas adicionais)
A, A: relés de saída (ponto
comum)
1-12: saídas
Dimensões em mm F1, F2: ventilação
M1, M2: Alarme

14
Bancos Automáticos
de Capacitores O novo conceito
em bancos automáticos

Linha Standard ABB - SAB


A ABB desenvolveu uma linha padronizada de Bancos Automáticos que, além de atender as necessidades de
pequenas, médias e grandes indústrias, também é, em especial, uma solução perfeita para aplicação em shoppings,
hotéis, hospitais, edifícios comerciais e etc.
É uma linha compacta, de fácil instalação e operação que oferece um alto nível de confiabilidade e segurança.

Potência e compacticidade
Os capacitores LVCP e o sistema de
Tipo SAB-B2 (120 kVAR)
kVAR) • ventilador ventilação especial permitem que a Linha
• controlador RVC SAB de Bancos Automáticos da ABB
• contatores alcancem uma potência reativa máxima
apropriados para dentro de um volume mínimo.
manobra de Escolha fácil
capacitores A linha SAB apresenta 4 versões de bancos
• resistores de automáticos: 2 tipos de caixas: SAB-B1 e SAB
descarga B2 e 2 tipos de cubículos: SAB-C1 e SAB-C2.
• fusíveis NH A linha SAB oferece uma faixa de potência de
30 a 480 kVAr.
• proteção contra Pequenos estágios de potência e seqüências
contato direto
de chaveamento apropriadas que permitem
• espaço amplo
uma regulação exata.
para entrada de
cabos Fácil instalação
capacitores LVCP A linha SAB é uma unidade completa, testada
• em fábrica e pronta para conexão.
Possui um espaço amplo para entrada dos
Tipo SAB-C2 (480 kVAR)
kVAR) • alça para cabos de alimentação.
suspensão Os cubículos são equipados com um pedestal
e possuem alças de suspensão para facilitar o
• ventiladores manuseio (para SAB-C1 e SAB-C2).
• contatores Operação fácil
apropriados para
manobras de As múltiplas funções automáticas do RVC e
capacitores sua forma de fácil utilização faz com que a
linha SAB também seja de fácil operação.
• fusíveis O comissionamento pode ser completamente
• controlador RVC automático ou manual, através de acesso
fácil para todos os parâmetros.
• Capacitores LVCP
(atrás da placa)
Faixas de potência
Tipo Tensão / Potência
60 Hz (kVAr)
(kVAr)
SAB-B1 220 V 15/22,5/30
380 V 30/40/45/60
440 V 30/40/45/60
SAB-B2 220 V 35/40/50/52,5/60
380 V 75/80/100/105/120
440 V 75/80/100/105/120
SAB-C1 220 V 75/80/90/100/120
380 V 140/150/165/180/210/240
440 V 140/150/165/180/210/240
SAB-C2 220 V 150/180/210/240
380 V 270/300/320/360/400/405/420/440/450/480
440 V 270/300/320/360/400/405/420/440/450/480
15
Bancos Automáticos de Capacitores Linha Standard ABB - SAB

Especificações Técnicas
Tensão Nominal: Capacitor es:
Capacitores:
• 220 V / 380 V / 440 V (faixa padrão) • a seco de acordo com IEC 60831-1 & 2
Freqüência • tensão de teste: 2.15 Un entre terminais
• 60 Hz durante 10 seg na freqüência
nominal (acima IEC 60831-1 & 2)
Conexão
Cone xão
• sobrecargas aceitáveis: - Tolerância de sobretensão
• trifásica 10% máx. Intermitentemente
Ajuste do fator de potência: - Tolerância de sobrecorrente
• de 0.7 indutivo a 0.7 capacitivo 30% permanentemente
corrente
Ajuste da corr ente de partida (C/k): Proteção:
• de 0.05A a 1A para o controlador RVC • IP30 (porta fechada)
• de 0.01A a 5A para o controlador RVT • protegido contra contato direto e acidental (porta
Operação: aberta)
• ajuste automático ou manual do controlador com Execução:
Ex ecução:
indicação de: - número de saídas ativas • interna
- fator de potência indutivo ou capacitivo Cor es:
Cores:
- condições de alarme
• bege RAL 7032 ou Munsell N6,5
- sobretemperatura
- demanda para chaveamento de Temperatura ambiente:
capacitor on/off • -5ºC/+40ºC de acordo com IEC 60831-1 & 2
erdas:
Per das: Ventilação:
• perdas dielétricas: menos que 0.2 Watt/kVAr • natural para SAB-B1
• perdas totais do capacitor: menos que 0.5 Watt/kVAr • forçada para SAB-B2, SAB-C1 e SAB-C2
(incluindo descargas dos resistores) Obser vação importante:
Observação
Testes do banco automático de capacitor: A instalação dos capacitores em redes perturbadas
• teste funcional por harmônicas pode exigir precauções especiais,
• teste de isolação principalmente quando há risco de ressonância.

Dimensões em mm 600 500

A (mm) L (mm) P (mm)


SAB-B1 600 500 300
SAB-B2 800 600 300
SAB-C1 1400 600 500
SAB-C2 2000 600 500 600 500

300
600 2000

500 300

1400

600 800

100 100

SAB-B1 SAB-B2 SAB-C1 SAB-C2

16
Bancos Automáticos
de Capacitores Bancos automáticos de
capacitores dessintonizados
capacitores

Projetos Especiais
Características especiais
Projeto compacto
• programação de entrada e saída dos estágios • chave seccionadora sob carga ABB na entrada
• indicação de medição de V, I, kVA, kVAr, ºC, THD V, • sinalização de painel energizado
THD A e Cos ϕ, (sob consulta) • possibilidade de montagem com reatores para
• contatores ABB próprios para chaveamento de circuitos com problemas de HARMÔNICAS, sob
capacitores de potência consulta
• ventilação forçada • controlador de fator de potência ABB - linhas RVC
• proteção individual de contatores, cabos e ou RVT
capacitores por fusíveis NH e chave • capacitores ABB à seco linhas CLMD ou LVCP
desconectora ABB

• chave geral
sob carga

• capacitores
CLMD

• reatores para
dessintonia
(opcional)

Banco Automático Dessintonizado (com rreator eatores)


eatores)
Aplicação para sistemas com elevado nível de harmônicas

17
Bancos Automáticos de Capacitores Projetos Especiais

Especificações técnicas
Tensão Nominal: Capacitor
Capacitores es auto-r egenerativos, tipo seco
auto-regenerativos,
• 220 à 660 V ISO 14001
Freqüência ealizados no conjunto:
Testes rrealizados
• 50 / 60 Hz, trifásico • funcional e isolação
Corr ente de curto-cir
Corrente cuito máxima:
curto-circuito Entrada de cabos:
• 30 kA (1) • inferior e superior com acesso posterior através de
De acor do com IEC 831 1 & 2
acordo tampa removível
Ajuste do fator de potência: Cor:
• 0,7 indutivo à 0,7 capacitivo • RAL 7032 ou Munsell N6,5
Ajuste de C/k: Grau de P Prroteção:
• entre 0,05 e 1 A • IP 40 (2)
Operação: Temperatura ambiente:
• Manual ou automática com indicação do estágio • - 10ºC / + 40ºC
atuado e do tipo de demanda (capacitiva ou indutiva) Instalação:
esistores
Resistor descarga
es de descar ga incluídos nos • fixação no solo - fornecido com olhais de
capacitor
capacitores es suspensão, estrutura auto-sustentável
erdas
Per das no capacitor: (1) outros níveis de curto-circuito, sob consulta
• < 0,5 W/kVAr (2) outros níveis de proteção, sob consulta

Obser vações:
Observações:
• a instalação correta do transformador de corrente é muito importante para a perfeita operação do Banco
Automático
• a instalação de capacitores em redes perturbadas pela presença de correntes de HARMÔNICAS pode necessitar
de cuidados especiais, especialmente quando houver riscos de ressonância.
• a ABB poderá executar as medições e analisar as condições do sistema elétrico do cliente

Esquema de ligação

C1…C12 Capacitores CLMD ou LVCP - ABB


CH1 Chave Seccionadora sob Carga
OETL - ABB
F2 Disjuntores de controle - ABB
F3 Fusíveis de cada estágio
K1…K12 Contatores A, UA e AF - ABB
P1 Regulador do Fator de Potência RVC
ou RVT - ABB
T1 Transformador de Potência
TC Transformador de Corrente

18
Filtro Ativo
Linhas PQFA e PQFL

Harmônicas e Qualidade de Energia


As harmônicas causadas por cargas elétricas não Harmônicas podem causar a sérios pr oblemas:
problemas:
lineares, assim como, conversores de velocidade • sobreaquecimento de cabos, motores e
variável, retificadores, no-breaks, computadores, transformadores
TVs,… são um crescente problema para o sistema • danos à equipamentos sensíveis
elétrico de fornecedores e usuários. • disparo de disjuntores
• queima de fusíveis
Abaixo, um exemplo de uma distorção de linha de
• envelhecimento precoce da instalação
corrente devido a velocidade variável de um conversor.

Linha de corrente
corrente
Situação inicial

A solução ABB: FFiltro


iltro Ativo PQF
O Filtro Ativo PQF desenvolvido pela ABB oferece uma habilidade única para elimi-
nar as harmônicas da rede. O PQF elimina harmônicas de forma controlada.
É fácil de ampliá-lo e adaptá-lo as mudanças da rede.
O PQF monitora a linha de corrente em tempo real e processa as harmônicas
medidas como sinais digitais em uma alta-potência DSP (Processador de Sinal
Digital). A saída DSP controla módulos de potência PWM (Modulação por Largura
de Pulso), módulos que através dos reatores de linha, injetam correntes harmônicas com a fase exatamente
oposta à aquelas que são filtradas.

PQF
PQF:: o último estágio em eficiência de filtragem
Como mostrado abaixo, o efeito do PQF na rede de instalação é uma eliminação de harmônicas e a limpeza da onda
senoidal como vista pelo transformador de alimentação.
A flexibilidade e exatidão do PQF é devido ao sistema de controle fechado, incorporando um
microprocessador adicional ao DSP principal.
O desempenho e a energia total do conceito são assegurados no projeto otimizado do módulo de potência IGBT
usados para necessidades particulares de uma aplicação de filtro ativo.
O PQF é usualmente conectado diretamente à rede de baixa tensão. Soluções para tensões maiores, sob consulta.

Linha de corrente
corrente
Filtro
iltro

19
Filtro Ativo Linha PQFA e PQFL

Vantagens do PQF
• filtragem de até 20 harmônicas simultâneas • pode filtrar sem geração de potência reativa
• filtragem até 50ª harmônica • pode gerar e controlar o fator de potência
• filtros com controle loop fechado para melhor • possui prioridades de tarefas programáveis
precisão • não requer análise detalhada da rede
• não causa sobrecarga • não requer transformador de corrente especial
• tem uma estratégia de filtragem programável e de • fácil para estender no local
escolha livre de harmônicas • vem testado da fábrica

PQF
PQFAA
Contr ole Digital (DSP)
Controle
• características de filtragem
programáveis
• Multi-sintonizador perfeito para
harmônicas selecionadas
• sem sobrecargas
• correção do fator de potência
programável
• capacidade de filtragem do Zero-Q
• prioridades no escalonamento de
tarefas programáveis

Potências eletrônicas
• conversor PWM
• tecnologia IGBT
Resfriamento forçado a ar

Disjuntores e auxiliar
Disjuntores es
auxiliares

PQFL
Contr ole Digital (DSP)
Controle
• características de filtragem
programáveis
• perfeito multi-sintonizador para
harmônicas selecionadas
• sem sobrecargas
• correção do fator de potência
programável
• capacidade de filtragem do Zero-Q
• prioridades no escalonamento de
tarefas programável

Potências eletrônicas
• conversor PWM
• tecnologia IGBT
Resfriamento forçado a ar

Fusíveis

Contatores auxiliar
Contatores es
auxiliares

20
Filtro Ativo Linha PQFA e PQFL

PQF
PQFAA PQFL
A linha PQFA consiste em um controlador e até 8 A linha PQFL consiste em um controlador e até 4
módulos de potência, montados em cubículos com módulos de potência montados em um cubículo IP23
equipamentos auxiliares especialmente conectados ou numa placa comum (placa IP00).
para formar um sistema completo e testado. Os cubículos são montados com equipamentos
O sistema completo PQFA consiste em seções de auxiliares especialmente conectados em uma placa
cubículos com dimensões padrão 800 x 2150 x 600 mm equipada com terminais para a conexão, sendo que,
(L x H x P). todos os acessórios a serem instalados no frontal da
Cada cubículo pode conter: porta, são fornecidos.
A - um controlador e um módulo de potência As dimensões padrão do cubículo são
(unidade master) 600 x 600 x 2150 mm (L x H x P).
B - um controlador e dois módulos de potência As dimensões padrão da placa de montagem são
(unidade master) 498 x 400 x 1896 (L x H x P).
C - um módulo de potência (unidade escravo)
D - dois módulos de potência (unidade escravo) O PQFL pode ser expandido até no máximo em 4
módulos de potência da mesma faixa (1 unidade
Cada sistema consiste de uma unidade master e até 3 master e 3 unidades escravo).
unidades escravo. Expansões locais são facilmente
feitas pela adição de cubículos para um máximo de 4 Vários PQFLs podem operar junto na mesma rede.
cubículos. Vários PQFAs podem operar juntos na
mesma rede.

Características e Capacidades
Os módulos de potência PQFA são disponíveis para tensões até 600 V para 50 ou 60 Hz. A corrente térmica para
um módulo é de, no máximo, 225 Arms.
A tensão nominal do PQFL é de 400 V (415 V) - 50 Hz ou 60 Hz.
A corrente térmica para uma seção de potência é de, no máximo, 130 Arms.
Soluções para outras tensões também são disponíveis: PQFB para tensões acima de 600 V e PQFC para
aplicações em média tensão.
A capacidade de filtragem absoluta de harmônicas depende do conteúdo das harmônicas maiores com a capacidade
de filtragem, seguindo os aspectos de carga comum.
Sistemas para 50Hz podem filtrar até 20 harmônicas simultaneamente até a 50ª harmônica. Sistemas para 60Hz
podem filtrar até 15 harmônicas simultaneamente até a 50ª harmônica.
Harmônicas individuais podem ser filtradas até Zero ou até um nível definido em termos absolutos ou relativos.
A compensação de potência reativa pode ser fechada e controlada para o fator de potência desejado. A capacidade
de compensação de potência reativa por módulo é dada pela corrente térmica.
A programação é feita através de uma porta RS232, utilizando-se um computador padrão e um software fornecido
com o PQF.
Como uma alternativa, a programação pode ser feita com a interface opcional PQF-Homem ou PQF-Link.

21
Filtro Ativo Linha PQFA e PQFL

Especificações Técnicas
PQFL PQFA
PQFA
Corrente RMS por módulo
50 Hz - 400 (415 V) 70 A, 100 A ou 130 A / seção de potência 225 A / módulo de potência
- 525 V - 165 A / módulo de potência
- 600 V - 130 A / módulo de potência
60 Hz - 380 V 100 A 200 A / módulo de potência
- 440 V 80 A 170 A / módulo de potência
- 480 V 80 A 155 A / módulo de potência
- 600 V - 110 A / módulo de potência
Outras tensões e faixas, sob consulta Outras tensões e faixas, sob consulta
Modularidade até 4 seções de potência / sistema até 8 módulos de potência / sistema
Montagem física 1 seção de potência / cubículo até 2 módulos de potência / cubículo
Tolerância de tensão +/- 10% +/- 10%
Harmônicas para filtrar 50 Hz até 20, programável até a 50º harmônica até 20, programável até a 50º harmônica
60 Hz até 15, programável até a 50ª harmônica até 15, programável até a 50ª harmônica
Grau de filtragem programável individualmente por harmônica programável individualmente por harmônica
em termos absolutos ou relativos em termos absolutos ou relativos
Eficiência típica de filtragem melhor que 97% melhor que 97%
Potência reativa fator de potência programável fator de potência programável
de 0.7 indutivo para 0.7 capacitivo de 0.7 indutivo para 0.7 capacitivo
Comunicação porta RS232 porta RS232
Programação Alt 1) Usando computador (não fornecido) e software fornecido com o equipamento
Alt 2) Usando opcional PQF - Manager
Alt 3) Usando computador (não fornecido) e software opcional PQF-Link
Tempo de resposta 40 ms 40 ms
Potência ativa menos que 3 kW por módulo em carga completa menos que 7 kW por módulo em carga completa
Proteção IP23 (IP20 com porta aberta) - Placa IP00 IP23 (IP20 com porta aberta)
Dimensões dos cubículos 600 x 600 x 2150 mm (L x P x H) 800 x 600 x 2150 mm (L x P x H)
Dimensões das placas 498 x 400 x 1896 mm (L x P x H) -
Peso aproximadamente 250 Kg (IP00, aproximadamente 200 Kg) aproximadamente 600 Kg (com dois módulos de potência)
Cor RAL 7032 (Bege) RAL 7032 (Bege)
Instalação PQFA & PQFL IP23: fixação no chão. Alças para içamento fornecidas. Entrada de cabos pelo topo.
PQFL IP00: placa para ser montada no cubículo (não fornecida)
Ambiente Instalação interna em ambiente limpo até 1000 m de altitude
Temperatura ambiente - 10ºC / + 40ºC
Umidade máximo 95% RH, não-condensado
Opções Base soleira (200 mm)
transformadores de corrente (faixas e dimensões para especificar)
contato de alarme livre de tensão
PQF-Manager
PQF-Link

Diagrama de Ligação

ALIMENTAÇÃO
ALIMENTAÇÃO CARGA(S)

PQF

22
®
Dynacomp Modular A solução para compensação
reativa dinâmica

Linha CLMH-Q

OD YNA
DYNA COMP® Modular é um conjunto de capacitores e filtros comutados por componentes eletrônicos de
YNACOMP
potência de estado sólido, sem parte móvel.
É a solução definitiva para as aplicações mais exigentes em relação à compensação rápida do fator de potência e
ao controle rápido de filtragem ou de transientes.
O DYNACOMP® é indicado onde cargas reativas causam distúrbios na rede ou quando se exige compensação ou
filtragem rápidas. Seu conceito de comutação combinado com as características tecnológicas dos capacitores ABB
proporcionam ao DYNACOMP® Modular vantagens excepcionais, como:

Tempo de rresposta
esposta dinâmica e comutação Nos dois últimos casos, a melhoria no desligamento é
ultra-rápida uma vantagem importante.
Seu conceito de comutação permite ao DYNACOMP® O DYNACOMP® Modular pode ser equipado com
Modular atingir tempos de resposta dinâmica na faixa vários opcionais como disjuntor de entrada,
de um ciclo. seccionadora de entrada ou seccionadora com base
Uma aplicação típica do DYNACOMP® Modular é em fusível de entrada.
equipamentos que exigem rapidamente quantidades Capacidade de comutação fr freqüente
eqüente
variáveis de potência reativa. A ausência de partes móveis garante ao
Por exemplo, com a instalação de um DYNACOMP® DYNACOMP®. Modular uma elevada confiabilidade,
Modular, próximo de um guindaste ou de um elevador, sem qualquer limitação do número de operações de
quedas de tensão podem ser minimizadas e distúrbios comutação.
em outros equipamentos podem ser evitados. Máquinas de solda e dispositivos de levantamento são
Simultaneamente, a potência reativa será compensada exemplos típicos de cargas que requerem grandes
localmente com eficiência, uma tarefa impossível com quantidades de potência reativa com ciclo de
equipamentos convencionais. comutação freqüente.
O princípio é aplicável para muitos outros tipos de Modularidade
equipamentos que tenham exigências repentinas de
Apesar do DYNACOMP® Modular ser um produto que
potência elevada reativa, como grandes motores,
requer uma configuração para cada aplicação, sua
máquinas de solda, grandes máquinas de moldagem
construção permite realizações rápidas, uma vez que
por injeção, etc.
as aplicações são conhecidas.
Comutação sem transientes Em paralelo, pode-se conectar unidades auxiliares
A operação de comutação é executada por elementos adicionais.
de estado sólido, cuja vantagem principal é a obtenção Elevada confiabilidade
de comutação sem transientes.
O DYNACOMP® Modular incorpora as características
Assim, o DYNACOMP® Modular não perturba redes
comprovadas da tecnologia de capacitores de potência
sensíveis ou equipamentos sensíveis que estejam
à seco da ABB.
próximos.
Os capacitores atendem e mesmo excedem aos
Versatilidade, opcionais requerimentos da Norma IEC 831 1 & 2.
O princípio de comutação do DYNACOMP® Modular é
aplicável a bancos de capacitores e filtros sintonizados
ou não.

Descrição
O DYNACOMP® Modular é fornecido numa unidade completa, testado na fábrica e pronto para ser conectado.
O projeto fornece elevada modularidade e dimensões compactas. Unidades auxiliares adicionais podem ser
conectadas em paralelo.
O projeto DYNACOMP® Modular permite a instalação de módulos de potência adicionais, como também, de vários
opcionais como reatores, disjuntor, seccionadora ou seccionadora com base fusível de entrada.
O DYNACOMP® Modular é equipado com um Controlador DYNACOMP® que insere ou retira um ou mais
capacitores, dependendo das condições de carga da rede.

23
Dynacomp Modular Linha CLMH-Q

Conteúdo
O DYNACOMP® Modular consiste de: • resistências de descarga
- Um ou diversos capacitores mono ou trifásicos. • fusíveis HRC
- Um controlador Dynacomp equipado de: • fusível de controle
• desligamento automático sem tensão • Barramento
• seletor manual / automático com indicação • terminais para conexão da rede
• indicação da carga capacitiva ou indutiva • terminais para conexão do TC
• indicação do número de passos energizados • terminais para conexão das unidades auxiliares
• possibilidade de comutação circular ou linear • terminais para alarme
• Dynaswitches Modulares

Especificações Técnicas
Tensão nominal máximo 415 V - 50/60 Hz, monofásica ou trifásica
Capacidade máxima sem reator: 300 kVAr - 400 V - trifásica
com reator de 7% - 250 kVAr - 400 V - trifásico
Número de módulos de potência CLMH-Q-1: de 1 a 3
CLMH-Q-2: de 1 a 6
Sobrecargas admissíveis conforme IEC 831
Operação manual ou automática com indicação de passo. Indicação do
número de capacitores energizados e da demanda capacitiva ou indutiva
Resistências de descargas inclusas
Capacitores à seco auto-regenerativos
Execução para instalação abrigada
Entrada dos cabos pela parte inferior
Dimensões (l x p x h) CLMH-Q-1: 600 x 600 x 1258 mm
CLMH-Q-2: 600 x 600 x 2058 mm
Cor bege RAL 7032
Proteção IP 23
Temperatura ambiente - 10ºC / + 40ºC conforme IEC 831
Instalação fixação no chão. Olhais de içamento fornecidos. Manual para instalação
e colocação em funcionamento fornecido em cada unidade.

Diagrama de Ligação

C1
C1…… C6 bancos de capacitores F3 fusíveis dos bancos de
D1
D1…… D6 Dynaswitches Modulares capacitores
• Controlador Dynacomp • Capacitores F1 fusíveis de rede ou dispositivos P1 Controlador DYNACOMP ®
• Barramento • Teto sobre-elevado de proteção T1 transformador de potência
• Olhais de içamento • Dynaswitches Modulares F2 fusíveis de controle T2 transformador de corrente

24
ABB Ltda.
Imp. 03

Av. dos Autonomistas, 1496


06020-902 - Osasco - SP
Fax: (11) 3688-9977
09/2003

ABB Atende: 0800-149111


www.abb.com.br