Sie sind auf Seite 1von 26

Laudos e Pareceres

Psicológicos

Desenvolvido pelo Departamento de


Pesquisas e Produção de Testes
Roteiro da apresentação

 Aspectos éticos e legais da comunicação de resultados

 Aspectos técnicos do levantamento de dados e avaliação


 Foco na avaliação organizacional

 Aspectos práticos dos documentos de comunicação


Quais as funções do psicólogo?

 Lei no 4.119/62
 Cria a profissão de Psicólogo

 Art. 4° - São funções do psicólogo:


1) Utilizar métodos e técnicas psicológicas com o objetivo de:
a) diagnóstico psicológico;
b) Orientação e seleção profissional;
c) Orientação psicopedagógica;
d) Solução de problemas de ajustamento.

Entre outras...
O que são métodos e técnicas
psicológicas?
 Segundo resolução CFP Nº 007/2003
 Entrevistas, testes, observações, dinâmicas de grupo, escuta,
intervenções verbais, exame psíquico

 Resolução CFP Nº 002/2003


 Define e regulamenta o uso, a elaboração e a comercialização de
testes psicológicos
 Uso exclusivo de psicólogos, com registro no CRP
 Testes aprovados pelo CFP (critérios científicos)
Código de Ética
 Art. 1º – São deveres fundamentais dos psicólogos:
 f) Fornecer, a quem de direito, na prestação de serviços
psicológicos, informações concernentes ao trabalho a ser
realizado e ao seu objetivo profissional;
 g) Informar, a quem de direito, os resultados decorrentes da
prestação de serviços psicológicos, transmitindo somente o que
for necessário para a tomada de decisões que afetem o
usuário ou beneficiário;
Código de Ética
 Art. 2º – Ao psicólogo é vedado:
 g) Emitir documentos sem fundamentação e qualidade
técnico-científica;
 h) Interferir na validade e fidedignidade de instrumentos e técnicas
psicológicas, adulterar seus resultados ou fazer declarações
falsas;

•Art. 9º – É dever do psicólogo respeitar o sigilo


profissional a fim de proteger, por meio da
confidencialidade, a intimidade das pessoas,
grupos ou organizações, a que tenha acesso no
exercício profissional.
Código de Ética
 Art. 12 – Nos para o cumprimento dos objetivos do trabalho.
documentos que embasam as atividades em equipe
multiprofissional, o psicólogo registrará apenas as
informações necessárias
 Art. 15 – Em caso de interrupção do
trabalho do psicólogo, por quaisquer
motivos, ele deverá zelar pelo destino dos
seus arquivos confidenciais.
 § 1° – Em caso de demissão ou exoneração, o psicólogo deverá
repassar todo o material ao psicólogo que vier a substituí-lo, ou
lacrá-lo para posterior utilização pelo psicólogo substituto.
 § 2° – Em caso de extinção do serviço de Psicologia, o psicólogo
responsável informará ao Conselho Regional de Psicologia,
que providenciará a destinação dos arquivos confidenciais.
Ou seja...
 A primeira função do Psicólogo é fazer AVALIAÇÃO
PSICOLÓGICA utilizando métodos e técnicas psicológicas

 Das listadas, apenas os TESTES PSICOLÓGICOS são de uso


exclusivo dos psicólogos

 Em um bom processo de avaliação devem ser utilizados vários


instrumentos e técnicas

 A avaliação deve servir para responder perguntas específicas sobre o


funcionamento psicológico de uma pessoas
Avaliação psicológica nas organizações
 Processo de coleta de dados que visa identificar pessoas com
determinadas características psicológicas exigidas para uma função
específica
 Seleção
 Progressão de cargo

 Descrição do cargo
 Prevê de forma objetiva e clara quais características psicológicas são
esperadas?
 Os instrumentos selecionados são capazes de captar essas
características e diferenciar as pessoas com os traços?
Descrição psicológica do cargo
 Deve ser baseada em teorias psicológicas, possíveis de serem avaliadas
de forma específica e objetiva
 O Psicólogo deve saber quais instrumentos de avaliação são
capazes de captar as características desejadas

 Quais traços de personalidade são desejáveis para a


pessoa que ocupará a função?
 Quais habilidades são necessárias?
 Que tipo de raciocínio deve ser privilegiado?
 É necessária alguma habilidade social específica?
 A pessoa deve ter interesse por qual tipo de atividade?
 A presença de algum tipo de sintomatologia psicológica
impede a pessoa de exercer a função?
Seleção de instrumentos de avaliação
 Deve-se considerar os critérios de especificidade e
objetividade da avaliação
 Teoria que subsidiou a construção do teste

 Parâmetros psicométricos do teste


 Lista SATEPSI (pol.org.br)
 Validade: as interpretações sugeridas têm suporte científico?
 Precisão: os resultados são confiáveis?
 Normatização: há tabelas atuais para a população brasileira?
Há estudos com amostras semelhantes àquela que você está
avaliando?
 O Manual do teste deve fornecer todas as informações
necessárias para a tomada de decisão

 Considerar os limites do teste


Comunicação de resultados
 Os resultados do processo de avaliação devem abordar de forma compreensível, objetiva e clara a
problemática que causou a solicitação

 Comunicação entre profissionais de diferentes áreas


 Adequação da linguagem

 A pessoa que é avaliada tem o DIREITO de saber os resultados de sua avaliação


 Mesmo se não for aprovada
 Dificuldades de aceitação dos resultados

 O psicólogo deve ter habilidades para


 Escolher técnicas e instrumentos para a situação em questão
 Integrar diferentes informações, provindas de diferentes fontes

Os resultados devem ser comunicados de forma


sensata, honesta, positiva e sigilosa
Manual de Elaboração de Documentos
Escritos
70% das queixas apresentadas são questionamentos sobre a
qualidade das avaliações psicológicas

 RESOLUÇÃO CFP N.º 007/2003


 Surgiu da demanda dos próprios profissionais
 Carência de referências sobre o assunto

 Compreende os seguintes itens:


 I. Princípios norteadores da elaboração documental;
 II. Modalidades de documentos;
 III. Conceito / finalidade / estrutura;
 IV. Validade dos documentos;
 V. Guarda dos documentos.
Princípios norteadores na elaboração
de documentos
 Princípios técnicos da linguagem escrita

 Redação bem estruturada e definida, expressando


objetivamente o que se quer comunicar
 Utilizar expressões próprias da linguagem profissional
 Qualidades da comunicação:
 Clareza: seqüência e ordenamento adequado dos conteúdos
 Concisão: emprego da linguagem adequada, exata e necessária
 Equilíbrio entre redação lacônica e prolixa, exagerada
 Harmonia: correlação adequada das frases, sem cacofonias
Princípios norteadores na elaboração
de documentos
 Princípios éticos
 Basear-se no Código de Ética Profissional
 Sigilo, justiça e alcance das informações

 Princípios técnicos
 Considerar a natureza dinâmica, não definitiva e não
cristalizada do objeto de estudo (a pessoa)
 Basear-se exclusivamente nos instrumentais técnicos com
reconhecida qualidade científica
 Restringir-se pontualmente às informações que se fizerem necessárias
 Rubricar todas as laudas e assinar a última
 Nome completo e CRP
Conceitos, finalidades e estruturas dos
documentos
Declaração

Relatório (ou laudo)


psicológico
Atestado
Psicológico
Em que diferem?
É fácil distingui-los? Parecer
Quando usar?
Declaração
 Visa a informar a ocorrência de situações objetivas relacionadas ao
atendimento psicológico
 Comparecimento do atendido ou acompanhante
 Acompanhamento psicológico do atendido
 Informações sobre condições do atendimento (tempo, dias, horários, etc.)

 Não devem ser registrados diagnósticos, sintomas ou estados


psicológicos
 Deve conter somente a finalidade específica do documento e as
informações solicitadas

 exemplo DECLARAÇÃO.doc
Atestado psicológico
 Certifica uma determinada situação ou estado psicológico, afirmando sobre
condições psicológicas de quem é requerido
 Finalidades:
 Justificar faltas ou impedimentos;
 Justificar estar apto ou não para atividades específicas;
 Solicitar afastamento e/ou dispensa do solicitante
 Deve conter:
 Finalidade
 Registro do sintoma, característica ou condição psicológica (usar CID-10)
 Os registros devem ser corridos, separados apenas pela pontuação, sem uso
de parágrafos

 exemplo ATESTADO.doc
Relatório (ou laudo) psicológico
 É o mais complexo – e completo!
 Caráter de investigação científica – estrutura de um artigo (estudo de caso)

 Apresentação descritiva sobre situações ou condições psicológicas e suas


determinações (sociais, históricas, políticas, culturais, etc.) pesquisadas no
processo de avaliação psicológica

 Subsidiado em dados colhidos e analisados à luz de instrumental técnico e


referencial teórico e científico adotado pelo profissional

 Deve conter:
 Identificação
 Descrição da demanda
 Procedimento
 Análise
 Conclusão
Relatório (ou laudo) psicológico
 Identificação
 Autor/relator: nomes e CRPs dos profissionais envolvidos
 Interessado: autor do pedido (Justiça, empresa, cliente, etc.)
 Assunto: motivo do pedido

 Descrição da demanda
 Narração das informações referentes à problemática
 Motivos, razões, expectativas
 Justificativa do procedimento adotado

 Procedimento
 Estrutura dos encontros, recursos e instrumentos utilizados
 Deve ser coerente com a complexidade da demanda
Relatório (ou laudo) psicológico
 Análise
 Exposição descritiva de forma metódica, objetiva e fiel dos dados colhidos
 Natureza dinâmica, não definitiva e não cristalizada
 Deve ser relatado somente o que for necessário para o esclarecimento da
solicitação
 Todas as afirmações devem ser baseadas em fatos e subsidiadas por teorias,
com clareza, exatidão e precisão

 Conclusão
 Exposição dos resultados da avaliação
 Repostas ao solicitante sobre sua demanda
 Sugestões de projetos e encaminhamentos

 exemplo LAUDO PSICOLÓGICO.doc


Parecer
 Documento fundamentado e resumido sobre uma questão focal

 Pode ser indicativo ou conclusivo

 Apresenta resposta esclarecedora a um pergunta específica

 Sua estrutura é parecida com a do laudo, mas reduzida e mais focada


 Identificação
 Exposição dos motivos
 Análise
 Conclusão
Parecer
 Identificação
 Nome do parecerista e do solicitante

 Exposição dos motivos


 Objetivos da consulta
 Quesitos ou dúvidas levantadas
 Os procedimentos não precisam ser apresentados tão minunciosamente quanto num
laudo

 Análise
 Análise detalhada da questão, com argumentos fundamentados na ciência psicológica

 Conclusão
 O psicólogo deverá se posicionar a respeito das dúvidas ou quesitos

 exemplo PARECER PSICOLÓGICO.doc


Uma proposta para correção de testes

 Correção informatizada via web


 Gratuita
 Reduz risco de erros na aplicação de fórmulas para
correção dos testes
 Utiliza informações provenientes dos próprios
manuais dos testes
Departamento de Pesquisa e
Produção de Testes da Editora Casa
do Psicólogos
 Desenvolvimento de pesquisas para constante atualização e
aprimoramento científico dos testes da Editora Casa do Psicólogo

 Parcerias com profissionais, empresas e grupos de pesquisa

testes@casadopsicologo.com.br

(11) 3034-3600
Obrigado!
 Solicite catálogo dos testes e livros da Editora

 O material desta apresentação está disponível em


http://www.casadopsicologo.com.br/blogdacasa

Departamento de Pesquisa e Produção de Testes

testes@casadopsicologo.com.br