Sie sind auf Seite 1von 5

6 – UTILIZAÇÃO DE TESTAGEM DO TA.T.

O teste de apercepção temática (T.A.T) é um teste projetivo, por meio do qual o paciente
conta histórias através da observação de lâminas com desenhos. Com o T.A.T., o paciente terá a
possibilidade de externalizar seus conflitos, fornecer ao terapeuta subsídios maiores sobre seu fun-
cionamento psíquico e seus mecanismos de defesa mais utilizados.
Utilizou-se a forma simplificada deste teste no contexto do presente estudo de caso, onde se-
lecionaram-se nove lâminas, às quais corresponde às questões mais evidente de M.

PRANCHA 1 – UNIVERSAL – O MENINO E O VIOLINO


Relação com a autoridade(pai-professor), atitude frente ao dever e também ideal de ego (ca-
pacidade de realização, de atingir objetivos propostos)
1) TEMA
1.1) DESCRITIVO: criança triste, sozinha. Aconteceu alguma em casa ou com os
amiguinhos; fica pensando no que vai fazer.
1.2) INTERPRETATIVO: A situação, em termos gerais, é de alguem que se sente
sozinho no mundo, que é preocupado com as outras pessoas, mas que não sabe agir em muitas si-
tuações.
1.3) DIAGNÓSTICO: Embora necessite atender ao que o ambiente ou situação lhe
pede, o paciente sente-se incapaz de uma atuação eficiente.
1.4) SIMBÓLICO: Quer encontrar uma solução para sua solidão ou confusão frente
às situações de sua vida.
1.5) ELABORAÇÃO:
2) HERÓI: criança triste
3) NECESSIDADES: necessidade de ser eficiente na resolução de sua situação
4) CONCEPÇÃO DE AMBIENTE: ambiente permeado pela insegurança e incerteza
5) FIGURAS PERCEBIDAS: a criança/paciente percebe as figuras como abandonadoras
em uma situação de tristeza e solidão.
6) CONFLITOS SIGNIFICATIVOS: EGOXID pela paciente apresentar nesta lâmina um
conflito entre seus conteúdos inconscientes e o princípio norteador de sua vida psíquica, a dizer, o
ego.
7) NATUREZA DAS ANSIEDADES: ansiedade de abandono, solidão
8) DEFESA: repressão/recalcamento
9) SEVERIDADE DO SUPEREGO: flexível
10) INTEGRAÇÃO DO EGO: boa
**********
PRANCHA 2 – UNIVERSAL – A ESTUDANTE NO CAMPO
Evoca a área das relações familiares, percepção do ambiente e nível de aspiração (favorecido
ou limitado pelo ambiente circundante). Por apresentar três personagens pode evocar ainda as rela-
ções heterossexuais. São referentes também as associações aos papéis femininos (maternidadeXrea-
lização profissional) e ao conflito razãoXemoção.
1) TEMA
1.1) DESCRITIVO: Homem trabalha e mulher vai para a aula com os livros, ela
está triste.
1.2) INTERPRETATIVO: A situação, em termos gerais, é de um casal que enfrenta
dificuldades, e essas dificuldades causam tristeza especialmente á mulher.
1.3) DIAGNÓSTICO: A paciente aqui faz referência á sua infância, á sua vida no
campo com os pais, uma vida de muito trabalho e esforço pra educar os filhos.
1.4) SIMBÓLICO: A paciente refere aqui como era sua vida quando seu pai ainda
vivia e ela morava no campo com eles.
1.5) ELABORAÇÃO:
2) HERÓI: Homem
3) NECESSIDADES: de externalizar a tristeza que sente
4) CONCEPÇÃO DE AMBIENTE: permeado pela tristeza
5) FIGURAS PERCEBIDAS: Homem e Mulher
6) CONFLITOS SIGNIFICATIVOS: EGOXID pela paciente apresentar nesta lâmina um
conflito entre seus conteúdos inconscientes e o princípio norteador de sua vida psíquica, a dizer, o
ego.
7) NATUREZA DAS ANSIEDADES: tristeza, depressão
8) DEFESA: repressão/recalcamento
9) SEVERIDADE DO SUPEREGO: flexivel
10) INTEGRAÇÃO DO EGO: boa
**********
PRANCHA 5 – UNIVERSAL – A SENHORA NA PORTA
Evoca a imagem de mãe-esposa (protetora, vigilante, cuidadora). Eventualmente, são colo-
cados conteúdos referentes a atitudes anti-sociais, ou ainda, reações frente ao inesperado.
1) TEMA
1.1) DESCRITIVO: Mulher chegando, está falando. Não se sabe se há mais alguém
lá dentro. Mesa, livros, abajur.
1.2) INTERPRETATIVO: a situação, em termos gerais, é de uma mulher chegando
em algum lugar.
1.3) DIAGNÓSTICO: a paciente relata aqui talvez uma vontade de ter continuado
seus estudos, já que ela só cursou até a 4 serie do ensino fundamental
1.4) SIMBÓLICO: A paciente refere aqui uma busca por entender melhor o que
acontece em seu interior, seu sentimentos perante a sua situação atual.
1.5) ELABORAÇÃO:
2) HERÓI: Mulher
3) NECESSIDADES: de chegar a algum lugar
4) CONCEPÇÃO DE AMBIENTE: desconhecido
5) FIGURAS PERCEBIDAS: Mulher
6) CONFLITOS SIGNIFICATIVOS: EGOXID pela paciente apresentar nesta lâmina um
conflito entre seus conteúdos inconscientes e o princípio norteador de sua vida psíquica, a dizer, o
ego.
7) NATUREZA DAS ANSIEDADES: auto-imagem, própria capacidade
8) DEFESA: repressão/recalcamento
9) SEVERIDADE DO SUPEREGO: flexível
10) INTEGRAÇÃO DO EGO: boa
**********
PRANCHA 6 – FEMININA – MULHER SURPREEENDIDA
Evoca relação com a figura paterna; em geral a filha surpreendida pelo pai, escondendo
algo; a figura masculina pode ser percebida também como parceiro ou possibilidade de contato
afetivo-sexual)
1) TEMA
1.1) DESCRITIVO: Um casal discutindo, onde ela fala e ele ouve. Pode parar numa
boa ou evoluir para uma briga, mas não é nada grave.
1.2) INTERPRETATIVO: a situação, em termos gerais, é de um casal discutindo
coisas normais de uma relação, mas sem a evidência clara de que seja uma discussão mais séria.
1.3) DIAGNÓSTICO: a paciente aqui talvez relate que há pequenas discussões com
o marido, ao contrário do que trouxe nas sessões onde não fazia menção a tais possíveis ocorrên-
cias.
1.4) SIMBÓLICO: a paciente possivelmente aqui externalize a confusão que há en-
tre os sentimentos e percepções acerca de seu relacionamento com o marido ou com os filhos.
1.5) ELABORAÇÃO:
2) HERÓI: um casal
3) NECESSIDADES: de ser melhor, se questionar
4) CONCEPÇÃO DE AMBIENTE: amigável
5) FIGURAS PERCEBIDAS: um casal
6) CONFLITOS SIGNIFICATIVOS: EGOXID pela paciente apresentar nesta lâmina um
conflito entre seus conteúdos inconscientes e o princípio norteador de sua vida psíquica, a dizer, o
ego.
7) NATUREZA DAS ANSIEDADES: abandono, perda do objeto de amor, solidão
8) DEFESA: repressão/recalcamento, projeção
9) SEVERIDADE DO SUPEREGO: flexível
10) INTEGRAÇÃO DO EGO: boa
**********
PRANCHA 7 – FEMININA – MENINA E BONECA
Evoca a área da relação com a figura materna (que pode ser vista como modelo, apoio ou
obstáculo à satisfação das próprias necessidades. Possibilita ainda a investigação de problemática
referente à maternidade, principalmente quando há distorção ou hesitação em relação à boneca.
1) TEMA
1.1) DESCRITIVO: Uma menina com uma boneca ou criança. A mãe está conver-
sando com ela e a menina não quer escutar, está virada para o lado (…). A menina não quer escutar
a mãe e, depois de ter um filho, ainda não quer ouvir.
1.2) INTERPRETATIVO: a situação, em termos gerais é de uma menina com uma
boneca e criança e sua mãe dizendo coisas que ela não quer ouvir.
1.3) DIAGNÓSTICO: a paciente aqui talvez faça menção à sua primeira gravidez
ter sido indesejada por parte de sua família, embora ela não relate isso verbalmente no contexto das
sessões.
1.4) SIMBÓLICO: a paciente aqui talvez externalize o quanto é dificil para ela ser
mãe em certos momentos
1.5) ELABORAÇÃO:
2) HERÓI: a menina
3) NECESSIDADES: de corresponder ás demandas do ambiente
4) CONCEPÇÃO DE AMBIENTE: inseguro
5) FIGURAS PERCEBIDAS: menina, mãe, filho
6) CONFLITOS SIGNIFICATIVOS: EGOXID pela paciente apresentar nesta lâmina um
conflito entre seus conteúdos inconscientes e o princípio norteador de sua vida psíquica, a dizer, o
ego.
7) NATUREZA DAS ANSIEDADES: punição, desaprovação
8) DEFESA: Negação
9) SEVERIDADE DO SUPEREGO: flexível
10) INTEGRAÇÃO DO EGO: boa

PRANCHA 8 – FEMININA – MULHER PENSATIVA


Estímulo bastante estático, evoca associações referentes ao conflitos atuais e conteúdos de
devaneios. Sua interpretação pode ser comparada à da prancha 14, que é sensível à busca de solu-
ções.
1) TEMA
1.1) DESCRITIVO: Mulher pensando na vida, nela mesma, nos filhos, no que vai
fazer (…). Está triste e pensativa no que aconteceu ou vai acontecer.
1.2) INTERPRETATIVO: a situação, em termos gerais, é de uma mulher preocu-
pada com a família mas sem saber o que fazer diante de uma situação que já aconteceu ou ainda irá
acontecer.
1.3) DIAGNÓSTICO: a paciente aqui talvez faça menção à situação possível dos
filhos saírem de casa por ocorrência de uma união afetiva com outras pessoas e de como isso a
afetará enquanto mãe.
1.4) SIMBÓLICO: a paciente aqui talvez externalize o quanto é dificil para ela lidar
com situações esperadas ou inesperadas ao longo de sua vida, como foi a morte de seu pai, por
exemplo.
1.5) ELABORAÇÃO:
2) HERÓI: uma mulher
3) NECESSIDADES: de corresponder às demandas do ambiente
4) CONCEPÇÃO DE AMBIENTE: inseguro
5) FIGURAS PERCEBIDAS: os filhos
6) CONFLITOS SIGNIFICATIVOS: EGOXID pela paciente apresentar nesta lâmina um
conflito entre seus conteúdos inconscientes e o princípio norteador de sua vida psíquica, a dizer, o ego.
7) NATUREZA DAS ANSIEDADES: separação, desaprovação
8) DEFESA: repressão/recalcamento
9) SEVERIDADE DO SUPEREGO: flexível
10) INTEGRAÇÃO DO EGO: boa
**********
PRANCHA 12 – FEMININA – MULHER JOVEM E VELHA
Evoca as relações mãe-filha, crítica ou aceitação do modelo materno. Ansiedade frente ao
envelhecimento.
1) TEMA
1.1) DESCRITIVO: Mãe e filha (…) Isto não é uma pessoa. É um capeta. Porque
estaria ali? A mulher fez alguma coisa e ele está cutucando. Ele está empurrando para o lado mau.
Só falta do chifrinho.
1.2) INTERPRETATIVO: a situação, em termos gerais, é de uma mulher que, de
alguma forma, sente-se culpada por algo e tem dificuldade em lidar com essa culpa, de modo que o
¨capeta¨ a cutuca.
1.3) DIAGNÓSTICO: a paciente aqui talvez externalize uma possível culpa quanto
à filha por ter tratado a questão de seu câncer de modo tão banal ou desprovido de importância
maior.
1.4) SIMBÓLICO: a paciente aqui fala de sua relação com a filha de forma bastante
explícita e de uma culpa que sente com relação à mesma, possivelmente no que se refira ao câncer
que esta apresentou no passado.
1.5) ELABORAÇÃO:
2) HERÓI: Mãe/Mulher
3) NECESSIDADES: aprovação
4) CONCEPÇÃO DE AMBIENTE: culposo
5) FIGURAS PERCEBIDAS: Filha
6) CONFLITOS SIGNIFICATIVOS: EGOXID pela paciente apresentar nesta lâmina um
conflito entre seus conteúdos inconscientes e o princípio norteador de sua vida psíquica, a dizer, o
ego.
7) NATUREZA DAS ANSIEDADES: punição, desaprovação
8) DEFESA: repressão ou recalcamento
9) SEVERIDADE DO SUPEREGO: flexível
10) INTEGRAÇÃO DO EGO: Boa

PRANCHA 14 – UNIVERSAL – HOMEM NA JANELA


Evoca os temas do auto-questionamento, contemplação e aspiração. Se o homem é visto
como entrando no quarto, pode haver conteúdos sexuais. Tendências suicidas também podem se re-
velar frente a este estímulo.
1) TEMA
1.1) DESCRITIVO: Chorando (…) Se trancou no quarto e está chorando. Pode ter
aprontado algo, ter feito alguma coisa para a mãe¨.
1.2) INTERPRETATIVO: a situação, em termos gerais, é de uma filha que está no
quarto chorando por algum motivo.
1.3) DIAGNÓSTICO: a paciente aqui mais uma vez possivelmente fala de sua
culpa perante a filha, porém, colocando na filha tal culpa.
1.4) SIMBÓLICO: a paciente aqui fala da culpa que sente enquanto mãe perante
sua filha, e também, de certo modo, dá a ideia de que poderia ter tido uma infância possivelmente
muito marcada pela submissão e falta de liberdade na expressão de suas ideias e sentimento
1.5) ELABORAÇÃO:
2) HERÓI: filha
3) NECESSIDADES: aprovação
4) CONCEPÇÃO DE AMBIENTE: triste, culposo
5) FIGURAS PERCEBIDAS: mãe-filha
6) CONFLITOS SIGNIFICATIVOS: EGOXID pela paciente apresentar nesta lâmina um
conflito entre seus conteúdos inconscientes e o princípio norteador de sua vida psíquica, a dizer, o
ego.
7) NATUREZA DAS ANSIEDADES: punição, desaprovação
8) DEFESA: Projeção
9) SEVERIDADE DO SUPEREGO: flexível
10) INTEGRAÇÃO DO EGO: Boa
**********
PRANCHA 18 – FEMININA – MULHER QUE ESTRANGULA
É a única situação em que a figura feminina é agente do comportamento agressivo. Abarca
ainda as relações entre figuras femininas. Eventualmente o cunho agressivo é transformado em aju-
da, apoio.
1) TEMA
1.1) DESCRITIVO: Está brigando, ne? Uma sufocando a outra na guela. Porquê?
Meu marido sempre diz ¨por nada não é¨.
1.2) INTERPRETATIVO: a situação em termos gerais é de duas pessoas brigando,
talvez mãe e filha, e o marido desta primeira não tomando partido efetivamente.
1.3) DIAGNÓSTICO: a paciente aqui refere uma possível agressividade em grau
maior entre ela e sua filha, o que não aparecia antes em nenhum momento de seu discurso no
decorrer das sessões.
1.4) SIMBÓLICO: a paciente aqui fala da agressividade existente entre ela e a filha,
além de referir uma certa falta de postura do marido frente a isso, o que pode ser pensado como um
tipo de abandono por parte deste com relação à paciente.
1.5) ELABORAÇÃO:
2) HERÓI: indefinido
3) NECESSIDADES: lidar com a agressividade
4) CONCEPÇÃO DE AMBIENTE: agressivo
5) FIGURAS PERCEBIDAS: marido
6) CONFLITOS SIGNIFICATIVOS: EGOXID pela paciente apresentar nesta lâmina um
conflito entre seus conteúdos inconscientes e o princípio norteador de sua vida psíquica, a dizer, o
ego.
7) NATUREZA DAS ANSIEDADES: males ou danos físicos, agressividade, abandono
8) DEFESA: repressão ou recalcamento
9) SEVERIDADE DO SUPEREGO: flexível
10) INTEGRAÇÃO DO EGO: boa