Sie sind auf Seite 1von 14

Pontos

Fracos
da Parede
Abdominal
Adaptado de Couinaud - “Anatomie de
l'Abdomen”
L.S.P. - Dezembro de 1996

Devido quer à Disposição dos Planos Musculares, quer à Textura dos Músculos quer à
existência de Orifícios Vasculo-Nervosos, a parede abdominal apresenta vários Pontos de
Menor Resistência, onde se podem originar Hérnias.
Índice

Índice

ÍNDICE.......................................................................................................................................2
PAREDE ABDOMINAL POSTERIOR.................................................................................3
TRIÂNGULO DE JEAN LOUIS PETIT..................................................................................................3
QUADRILÁTERO DE GRYNFELTT......................................................................................................3
LINHA DE SPIEGEL...............................................................................................................4

REGIÃO INGUINAL...............................................................................................................5
INTRODUÇÃO..............................................................................................................................5
BURACO MUSCULO-PECTÍNEO.......................................................................................................6
Limites............................................................................................................................................................................6
Psoas-Ilíaco e Fascia Ilíaca...................................................................................................6
Grande Recto e a sua Bainha.................................................................................................6
Ramo Horizontal do Púbis.....................................................................................................7
Bordo Superior ou Crista Pectínea do Púbis..................................................................................................................7
Bordo Inferior do Pequeno Oblíquo.......................................................................................7
DEFESAS POSTERIORES.................................................................................................................8
Plano Musculo-Fascial Profundo..........................................................................................8
Constituição....................................................................................................................................................................8
Fixação............................................................................................................................................................................8
Espessamentos................................................................................................................................................................8
Aponevrose do Transverso..........................................................................................8
Ligamento (Inguinal) de Henlé...................................................................................8
Fita Ilio-Púbica de Thomson.......................................................................................9
Pontos Fracos do Plano Musculo-Fascial Profundo.......................................................................................................9
Zona Inguinal..............................................................................................................9
Zona Crural.................................................................................................................9
Lâmina Celulo-Vascular Profunda......................................................................................10
Os Vasos.......................................................................................................................................................................10
Pedículo Circunflexo Ilíaco Profundo......................................................................10
Pedículo Epigástrico.................................................................................................10
A Lâmina Vascular.......................................................................................................................................................10
Aponevrose Umbilico-Pré-Vesical.......................................................................................10
Peritoneu...............................................................................................................................11
Fosseta Inguinal Externa..............................................................................................................................................11
Fosseta Inguinal Média.................................................................................................................................................11
Fosseta Inguinal Interna...............................................................................................................................................11
DEFESAS ANTERIORES................................................................................................................12
ÍNDICE ALFABÉTICO...................................................................................................................13

Pontos Fracos da Parede Abdominal Página 2 de 14


Parede Abdominal Posterior

Pontos Fracos da
Parede Abdominal Posterior
Triângulo de Jean Louis Petit
• Falha o Plano Superficial (Grande Oblíquo)

 Limites
− Atrás — Bordo anterior do Grande Dorsal (oblíquo para a
frente/fora)
− Frente — Bordo posterior do Grande Oblíquo (oblíquo para
cima/trás)
− Baixo — Crista Ilíaca

• Fechado no fundo pelo Pequeno Oblíquo

• Dele emergem:
− Nervo Grande Abdomino-Genital
− Ramo da 4ª Artéria Lombar

• Patologias Associadas:
− Abcessos Perinefríticos
− Hérnias Lombares

Quadrilátero de Grynfeltt
• Falha o Plano Médio (Pequeno Oblíquo)

 Limites
− Dentro — Massa Comum dos extensores do ráquis (vertical)
− Frente — Bordo posterior do Pequeno Oblíquo (para
cima/frente/fora)
− Cima/Trás — Bordo ant. do Pequeno Dentado Posterior
(p/baixo/trás/dentro)
− Cima/Frente — 12ª Costela (para a frente/baixo)

• Fechado no fundo pelo Transverso do Abdómen

Pontos Fracos da Parede Abdominal Página 3 de 14


Linha de Spiegel

Linha de Spiegel
• A terminação dos músculos:
− Grande Oblíquo
− Pequeno Oblíquo
− Transverso
faz-se a alguma distância do bordo externo do respectivo Grande Recto do Abdómen
por uma grande aponevrose.

• A origem de cada aponevrose não é ao mesmo nível para os 3 músculos.

• A aponevrose do Grande Oblíquo é a mais externa, quase rectilínea, à frente da


espinha ilíaca antero-superior. Segue-se a do Pequeno Oblíquo, ligeiramente
convexa para dentro, descendo até ao púbis. A mais interna é a do Transverso,
sendo sinuosa e descrevendo uma curva de concavidade interna à altura do umbigo.

• À região de terminação dos Músculos Largos na parede abdominal anterior chama-se


Linha de Spiegel, no entanto esta designação não é de todo correcta visto que as
terminações dos vários músculos se fazem a níveis distintos.

• Ao longo do bordo externo do Grande recto Anterior identifica-se um sulco com


origem na 10ª cartilagem costal , o Sulco Lateral do Ventre de Gerdy, local onde
ocorrem com alguma frequência Hérnias Laterais, muitas vezes através do vários
orifícios vasculo-nervosos que se encontram ao longo deste sulco. Estas hérnias por
vezes designam-se Hérnias da Linha de Spiegel, mas é mais correcto denominá-las
de Hérnias Ventrais Laterais.

Pontos Fracos da Parede Abdominal Página 4 de 14


Região Inguinal

Região Inguinal
Introdução
O interesse da Região Inguinal prende-se com a frequência de Hérnias quer Inguinais,
quer Crurais, quer Inguino-Crurais na espécie humana. A fraqueza da região inguinal deve-se
à dupla passagem dos Vasos Ilio-Femurais (da bacia em direcção à coxa) por um lado, e do
Cordão Espermático por outro.

Durante o desenvolvimento, o Cordão Espermático migra até ao escroto,


atravessando obliquamente, de cima para baixo e de fora para dentro, a região inguinal.
Durante a descida do testículo, porções dos diferentes planos parietais são empurrados até às
bolsas, formando-se igualmente um túnel peritoneal, o Canal Peritoneo-Vaginal, que no
sexo masculino fornece a Vaginal do testículo. Toda a porção do cordão espermático entre o
abdómen e o testículo atrofia, restando apenas um cordão fibroso, o Ligamento de Cloquet.
No sexo feminino há a descida do peritoneu até aos Grandes Lábios, formando o Canal de
Nuck, que regride.

Nos animais inferiores esta região está completamente protegida, sendo as hérnias
muito raras. No Homem, e devido à posição erecta, deu-se uma deflexão de 90o da coxa
sobre a bacia e as modificações quer ósseas, quer musculares que acompanharam este
fenómeno, enfraqueceram a região que estabelece o limite entre o abdómen e a coxa.

O bordo anterior do Osso Ilíaco teve que se deslocar para trás, de modo a permitir a
passagem do Psoas-ilíaco (músculo muito volumoso) e dos vasos femurais, cuja importância
cresceu devido à considerável hipertrofia dos músculos do membro inferior que acompanhou
a aquisição do bipedismo. As cristas ilíacas alargaram-se e afastaram-se para fora devido ao
desenvolvimento dos músculos Glúteos e Ilíacos. A espinha ilíaca antero-superior torna-se
muito saliente para a frente ao mesmo tempo que o bordo anterior do osso se alonga para
dentro formando uma crista pectínea mais extensa.
O Músculo Grande Oblíquo insere-se sobre a espinha ilíaca antero-superior, sendo
puxado para dentro pelo alongamento da crista pectínea, formando-se assim a Arcada
Crural, entre a espinha ilíaca e o púbis.
O bordo inferior quer do Pequeno Oblíquo, quer do Transverso elevam-se
consideravelmente, determinando, juntamente com a concavidade do bordo anterior do osso
ilíaco, um hiato importante, o Buraco Musculo-Pectíneo.

O Buraco Musculo-Pectíneo apenas é fechado por lâminas de tecido conjuntivo de


resistência variável. Por outro lado, este buraco não é coberto pela aponevrose do grande
oblíquo, pois o bordo inferior deste deslocou-se para a frente devido à alteração da posição
relativa da espinha ilíaca antero-superior.

Finalmente, durante a deflexão da coxa, um curto segmento, inicialmente pélvico, do


eixo vascular, torna-se crural, evaginando o plano aponevrótico profundo, ou seja, a Fascia
Transversalis, até ao Triângulo de Scarpa, sendo um elemento que favorece a formação de
Hérnias Crurais.

Pontos Fracos da Parede Abdominal Página 5 de 14


Região Inguinal

Buraco Musculo-Pectíneo
Limites
♦ Psoas-Ilíaco (por fora)
♦ Grande Recto (por dentro)
♦ Ramo Horizontal do Púbis (por baixo)
♦ Bordo Inferior do Pequeno Oblíquo (por cima)

• O Buraco Musculo-Pectíneo é a verdadeira zona de fraqueza da Região Inguinal.


• Normalmente o bordo inferior do pequeno oblíquo desce suficientemente abaixo,
existindo uma simples fenda entre este e a crista pectínea. No entanto a extensão deste
hiato depende das variações anatómicas do bordo inferior do pequeno oblíquo. Pode assim
surgir o Triângulo Inguinal cujos limites são:
− Bordo Inferior do Pequeno Oblíquo (em cima)
− Ligamento Pectíneo de Cooper (em baixo)
− Bordo Externo da Bainha dos Grandes Rectos (base interna)
− Emergência do Cordão (vértice externo)

• Este orifício está fechado/protegido atrás (Defesas Posteriores) por um plano musculo-
aponevrótico - o Plano Musculo-Fascial - e à frente (Defesas Anteriores) pelo Plano do
Grande Oblíquo.
• É atravessado pelos Vasos Ilio-Femurais (oblíquos para baixo/fora) e pelo Cordão
Espermático, ou pelo Ligamento Redondo no sexo feminino (oblíquo para
baixo/dentro/frente).

PSOAS-ILÍACO E FASCIA ILÍACA


• Cruza o Bordo Anterior do Osso Ilíaco...
...entre a Espinha Ilíaca Antero-Superior e a Eminência Ilio-Pectínea
• Atravessa a Fossa Ilíaca Interna
• Vai inserir-se no Pequeno Trocanter
• Está coberto por uma aponevrose muito forte - a Fascia Ilíaca

GRANDE RECTO E A SUA BAINHA


• Termina, na face anterior do Púbis e Sínfise Púbica por um tendão aplanado da
frente para trás, de modo a que o seu feixe interno se entrecruza à frente da sínfise
púbica com o do lado oposto.
• Está contido numa bainha de tecido conjuntivo composta pelas aponevroses de
terminação dos músculos largos do abdómen. Forma um Pilar Vertical, sólido e
rígido

Pontos Fracos da Parede Abdominal Página 6 de 14


Região Inguinal

RAMO HORIZONTAL DO PÚBIS


• Vai...
− da Eminência Ilio-Pectínea
− à Superfície Angular do Púbis

• É Triangular ao Corte, côncavo para cima e apresenta:


− Face Anterior ou Superfície Pectínea do Púbis (inserção do músc. Pectíneo)
− Face Posterior (pélvica)
− Face Inferior (obturadora)

Bordo Superior ou Crista Pectínea do Púbis


− origem na Espinha do Púbis (por dentro)
− continua-se para fora pela Linha Inominada
− passa atrás da Eminência Ilio-Pectínea
É o Verdadeiro Limite da Cavidade Abdominal

Está coberto pelo Ligamento Pectíneo de Cooper - muito

resistente
− Bordo Postero-Inferior
− Bordo Antero-Inferior

BORDO INFERIOR DO PEQUENO OBLÍQUO


• A este nível, o plano do Pequeno Oblíquo é o mais importante da parede antero-
lateral do abdómen, é ele que oferece a maior resistência.
• Durante a deflexão da coxa, o bordo inferior do Pequeno Oblíquo migrou para cima,
afastando-se do ramo horizontal do Púbis e deixando a descoberto o chamado
Buraco Musculo-Pectíneo, compreendido entre o Bordo Inferior do Pequeno
Oblíquo e a Crista Pectínea.

Pontos Fracos da Parede Abdominal Página 7 de 14


Região Inguinal

Defesas Posteriores
A região inguinal está protegida atrás por um conjunto de estruturas que tentam minorar a
fraqueza desta área, são as Defesas Posteriores.

♦ Plano Musculo-Fascial Profundo


♦ Lâmina Celulo-Vascular Profunda
♦ Aponevrose Umbilico-Prévesical
♦ Peritoneu

PLANO MUSCULO-FASCIAL PROFUNDO


• Obtura atrás o Buraco Musculo-Pectíneo
• É atravessado pelos Vasos Ilio-Femurais e pelo Cordão Espermático

Constituição
• porção inferior do Transverso
• Aponevrose Terminal do Transverso
• Fascia Transversalis (atrás dos anteriores)

Fixação
• por fora à Fascia Ilíaca
• por dentro sobre o Ligamento Pectíneo de Cooper e Crista Pectínea
• para o centro não é na Arcada Crural, desce por trás até ao Triângulo de
Scarpa, fixando-se na Bainha dos Vasos Ilio-Femurais

Espessamentos
• Aponevrose do Transverso
• Ligamento de Henlé
• Fita Ilio-Púbica de Thomson

Aponevrose do Transverso
− por trás do Pequeno Oblíquo
− por cima do Cordão Espermático
(a este nível quase se confunde com o Tendão do Transverso)

Ligamento (Inguinal) de Henlé


− Fibroso e Triangular (base inferior púbica)
− Acolado à porção externa e inferior da bainha dos grandes rectos
donde parece emanar
− É a continuação das Fibras Baixas da Aponevrose Terminal do
Transverso (vai à Crista Pectínea do Púbis)

Pontos Fracos da Parede Abdominal Página 8 de 14


Região Inguinal
Fita Ilio-Púbica de Thomson
− Transversal e inferior
− Reforça o bordo posterior da Arcada Crural
− É mais estreita na sua parte média
• Bordo Superior — é Livre
• Bordo Inferior — à frente dos vasos, atrás da Arcada Crural
• Extremidade Ext. — perde-se sobre a Fascia Ilíaca
• Extremidade Int. — confunde-se com o Ligamento de Henlé

Pontos Fracos do Plano Musculo-Fascial Profundo


• Tem 2 Zonas de Fraqueza (acima e abaixo da Fita Ilio-Púbica de Thomson)
− Superior ou Inguinal
− Inferior ou Crural

Zona Inguinal
• Passa o Cordão Espermático (porção externa do Buraco Músculo
Pectíneo) que evagina o plano da fascia transversalis, que por sua vez se
continua com a bainha fibrosa do cordão
♦ Orifício Inguinal Profundo (visível elevando o cordão)
− Limite Superior — Porção inferior do Transverso
− Limite Inferior — Extremidade interna da Fita Ilio-Púbica
− Limite Externo — Fascia Ilíaca
− Limite Interno — Fascia Transversalis

Zona Crural
• Atravessada pelos Vasos Ilio-Femurais
• Limites:
− Posterior — Ligamento Pectíneo de Cooper
− Anterior — Fita Ilio-Púbica
• Parede Anterior — Fascia Transversalis (desce por trás da
arcada crural)
• Parede Posterior — continua-se c/a Fascia Conjuntiva Endo-
Pélvica

• Canal Crural de Anson e Mac Vay


− por dentro da Veia Femural
− Vai do Buraco Musculo-Pectíneo ao Triângulo de Scarpa
− Contém o Gânglio Inguinal Profundo Posterior ou Gânglio de
Cloquet

Pontos Fracos da Parede Abdominal Página 9 de 14


Região Inguinal

LÂMINA CELULO-VASCULAR PROFUNDA


Os Vasos
• Por trás do plano Musculo-Fascial encontram-se 2 Pedículos:
− Pedículo Circunflexo Ilíaco Profundo
− Pedículo Epigástrico

Pedículo Circunflexo Ilíaco Profundo


− A Artéria nasce da Ilíaca Externa
− A Veia drena para a Veia Ilíaca
...e localizam-se ambas por trás da Fita Ilio-Púbica

Pedículo Epigástrico
− Tem origem na Artéria Epigástrica Inferior (nasce da
terminação da Ilíaca Externa), que se dirige para cima/dentro,
descrevendo uma curva de concavidade externa.

A Lâmina Vascular
• Os vasos elevam uma Lâmina Conjuntiva Triangular
− Bordo Superior
• Inclui os vasos Epigástricos Inferiores, cruza os vasos Ilio-
Femurais e prolonga-se para fora ao longo dos vasos circunflexos
profundos.
− É côncava para cima/fora
− Situa-se por dentro do Orifício Inguinal Profundo

• É o Ligamento de Hesselbach ou Ligamento Interfoveal


• Esta lâmina fecha o Buraco Musculo-Pectíneo e o Plano Musculo-Fascial
Profundo
• A sua protecção é eficaz contra a Pressão Abdominal

APONEVROSE UMBILICO-PRÉ-VESICAL
• Desenvolve-se na Face Posterior da Bainha dos Grandes Rectos
• Desenha um Triângulo de Base Inferior e Vértice Umbilical
• Tem 3 Cordões
− 1 Mediano: Úraco
− 2 Laterais: Vestígios das Artérias Umbilicais

• Inferiormente é limitada pela Bexiga

Pontos Fracos da Parede Abdominal Página 10 de 14


Região Inguinal

PERITONEU
• Molda-se a todos os acidentes da parede
• Não oferece qualquer resistência ou protecção nas regiões de fraqueza
• Reveste Posteriormente todo o abdómen, logo também o canal inguinal

♦ Vista da sua face posterior, a parede abdominal anterior apresenta:

Fosseta Inguinal Externa


• Para fora da Artéria Epigástrica
• Corresponde a:
− Orifício Inguinal Profundo
− Convergência dos elementos do Cordão

• Através dela seguem as Hérnias Inguinais Oblíquas Externas ou


Indirectas

Fosseta Inguinal Média


• Entre a Artéria Epigástrica e o vestígio da Artéria Umbilical
• Unicamente protegida pela Lâmina Celulo-Vascular e Pequeno Oblíquo
• Limitada em baixo Fita Ilio-Púbica de Thomson
• Através dela seguem:
− Acima da Fita as Hérnias Inguinais Directas
− Abaixo da Fita as Hérnias Crurais (FOSSETA CRURAL)

Fosseta Inguinal Interna


• Entre o vestígio da Artéria Umbilical e o Úraco
• Corresponde à bainha dos rectos
• É uma região Sólida onde não é comum ocorrerem hérnias

Pontos Fracos da Parede Abdominal Página 11 de 14


Região Inguinal

Defesas Anteriores
• A cobertura anterior do Buraco Musculo-Pectíneo é o Plano do Grande Oblíquo

• Distinguem-se 2 feixes terminais do Grande Oblíquo:

♦ Externo
• Dirige-se verticalmente por dentro da Espinha Ilíaca Antero-Superior
• Funde-se com a Fascia Lata

♦ Interno (forma o Pilar Externo da anatomia clássica)


• As suas fibras recurvam-se para dentro e enrolam-se
• As fibras inferiores e externas atingem a Crista Pectínea do Púbis
• As fibras superiores e internas inserem-se na Espinha do Púbis

• O Pilar Interno da anatomia clássica está separado das fibras Internas por uma
fenda triangular de vértice Supero-Externo, é o Orifício Inguinal Superficial, e
vão inserir-se directamente no Púbis e entrecruzar-se com as mais internas do lado
oposto.

Não há então fibras próprias à Arcada Crural.


A Arcada Crural é o Bordo Inferior do Grande Oblíquo.

• O Ligamento de Gimbernat não é mais que as fibras mais inferiores do Grande


Oblíquo.

• A Arcada Crural não é o limite inferior do abdómen, é sim o limite para a distinção
entre Hérnias Crurais (abaixo da arcada) e Hérnias Inguinais (acima da
arcada). Ambas as Hérnias saem do abdómen por uma zona de fraqueza comum, o
Buraco Musculo-Pectíneo, à frente do qual está a Arcada Crural.

• O verdadeiro limite do abdómen é o Ligamento Pectíneo de Cooper.

• À frente do Plano do Grande Oblíquo localizam-se vários Vasos provenientes do


Triângulo de Scarpa:
− As Artérias provêm da parte inicial da femural comum
− As Veias drenam para a crossa da safena interna
− São de fora para dentro:
• Vasos Circunflexos Ilíacos Superficiais
• Vasos Epigástricos Superficiais
• Ramos Superiores dos Vasos Pudendos Externos Superiores

Pontos Fracos da Parede Abdominal Página 12 de 14


Índice Alfabético

Índice Alfabético
A R
Aponevrose do Transverso........................8 Ramo Horizontal do Púbis........................7
Aponevrose Umbilico-Pré-Vesical..........10 Região Inguinal.........................................5
Arcada Crural..........................................12 S
Artérias Umbilicais..................................10 Sulco Lateral do Ventre de Gerdy.............4
B T
Bordo Inferior do Pequeno Oblíquo..........7 Triângulo de Jean Louis Petit....................3
Buraco Musculo-Pectíneo..........................6 Triângulo Inguinal.....................................6
C U
Canal Crural de Anson e Mac Vay............9 Uraco.......................................................10
Canal Peritoneo-Vaginal...........................5 V
Cordão Espermático..............................5, 9 Vasos Circunflexos Ilíacos Superficiais. .12
Crista Pectínea do Púbis............................7 Vasos Epigástricos Superficiais..............12
D Vasos Ilio-Femurais...................................9
Defesas Anteriores...................................12 Z
Defesas Posteriores....................................8 Zona Crural................................................9
F Zona Inguinal............................................9
Fascia Ilíaca...............................................6
Fita Ilio-Púbica de Thomson.....................9
Fosseta Externa........................................11
Fosseta Interna.........................................11
Fosseta Média..........................................11
G
Grande Recto.............................................6
H
Hérnias Crurais..................................11, 12
Hérnias Inguinais.....................................12
Hérnias Inguinais Directas Clássicas.......11
Hérnias Inguinais Oblíquas Externas......11
L
Lâmina Celulo-Vascular Profunda..........10
Lâmina Vascular......................................10
Ligamento de Cloquet...............................5
Ligamento de Gimbernat.........................12
Ligamento de Henlé..................................8
Ligamento Pectíneo de Cooper.................7
Linha de Spiegel........................................4
O
Orifício Inguinal Superficial...................12
P
Pedículo Circunflexo Ilíaco Profundo.....10
Pedículo Epigástrico................................10
Peritoneu..................................................11
Plano do Grande Oblíquo........................12
Plano Musculo-Fascial Profundo..............8
Pontos Fracos da Parede Abdominal
Posterior.................................................3
Psoas-Ilíaco................................................6
Pudendos Externos Superiores................12
Q
Quadrilátero de Grynfeltt..........................3
Pontos Fracos da Parede Abdominal Página 13 de 14
Índice Alfabético

Pontos Fracos da Parede Abdominal Página 14 de 14