Sie sind auf Seite 1von 37

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO – FACC

BIBLIOTECA, INFORMAÇÃO E SOCIEDADE

O Impacto das Tecnologias


de Informação e
Comunicação na geração
de conhecimento

Aldo de Albuquerque Barreto


 Pesquisador Sênior do CNPq
 Professor da UNIGRANRIO
PASSADO, PRESENTE, FUTURO
 Há um quadro de Klee que se chama Angelus
Novus.

 Representa um anjo que parece querer afastar-se


de algo que ele encara fixamente.

 Seus olhos estão escancarados, sua boca dilatada,


suas asas abertas.

 O anjo da história deve ter esse aspecto. Seu rosto


está dirigido para o passado.

 Mas uma tempestade sopra do paraíso e prende-se


em suas asas com tanta força que ele não pode mais
fechá-las.

 Essa tempestade o impele irresistivelmente para o


futuro, ao qual ele vira as costas.

 Essa tempestade é o que chamamos de


progresso.

Uma das pinturas de Klee, Angelus Novus, foi alvo de interpretação pelo filósofo
alemão Walter Benjamin, quem comprou a pintura em 1921. Em sua Tese Sobre A
Filosofia Da História, Benjamin sugere que o anjo ilustrado na pintura possa ser
visto como algo representando o progresso na história..
OS TRES TEMPOS DA INFORMAÇÃO
INFORMAÇÃO ESTRATÉGICA EM ARQUIVOS DIGITAIS
VELOCIDADE E A VISÃO DO MUNDO
 Inovações tecnológicas transformam o espaço geográfico em todas
as escalas. Os motores da história mostram como as
inovações técnicas transformam as relações entre os
indivíduos ATRAVÉS da velocidade em um mundo cada vez
mais automatizado, alterando modo de convivência.

 Cada motor modifica a velocidade de nosso atuar no mundo.

 O primeiro motor, o motor a vapor ocasionou uma primeira


revolução da informação na revolução industrial. Foi o motor a
vapor que permitiu uma visão do mundo através da velocidade
do trem, uma visão sucessiva e nítida.

 O segundo motor, o motor de explosão, propiciou o trouxe o avião.


Voando, o homem obteve uma visão e uma informação o inédita.
Seria o sonho dos usuários ter a possibilidade de ver os labirintos
dos arquivos por cima.
UMA ECONOMIA POLÍTICA DA VELOCIDADE
 O terceiro motor, o elétrico, deu origem à turbina, favoreceu a
eletrificação e permitiu a diversidade das conexões para troca de
informações , inclusive a imagem em movimento modificando o
olhar do homem no mundo. [e nas mensagens]

 O quarto motor é o motor-foguete com velocidade que possibilitou


ao homem escapar da atração terrestre. Colocou-o em outro lugar
do mundo dando um distanciamento e uma nova visão da Terra a
partir de outro espaço  Anfibiedade de todos nos

 O último motor é o motor informático, que traz o tempo online


coloca o homem em uma realidade digital: da informação digital
e da memória eletrônica que modifica a relação com o real e
permite vivenciar uma realidade potencial: da convivência sem
presença física

1998, Paul Virílio : http://eumatil.vilabol.uol.com.br/motores.htm


SOCIALIZAÇÃO NA WEB
MODIFICAÇÃO ESTRUTURAL INFORMAÇÃO  CONHECIMENTO
VELOCIDADE E REDE

Novo regime de informação digital


FLUXOS DA INFORMAÇÃO
ESTOQUES E FLUXOS
Acesso: Velocidade se relaciona ao uso da informação
Condição para para o uso é disponibilidade
FUTURO DA INFORMAÇÃO SE RELACIONA COM UMA
NOVA ECONOMIA DA INFORMAÇÃO

 Na nova economia da informação digital


acabam os custos fixos de produção que
ocorrem devido a instalação física de
produção.

Assim, na rede, produzir dez unidades do


produto de informação ou mil unidades
 o custo de produção será quase o
mesmo.

 Documentos digitais estão livres da


incidência de custos fixos de produção,
custos de armazenamento e distribuição
por vias tradicionais

 É a economia da cauda longa própria da


produção de documentos em formato
digital.
CONVERGÊNCIA DIGITAL

Escrita, som e imagem  mensagens  em todos


suportes digitais
COMO SERÁ A INFORMAÇÃO NO “FUTURO”

 Uma nova economia da


informação e acesso direto aos
arquivos indicam que a maior
parte dos documentos serão em
formato digital

 Documentos digitais
interconectados tem assimilação
diferenciada dos documentos
lineares

 Existem “no momento” cerca de


½ trilhão de documentos em
formato digital interconectados
LINGUAGEM, ESCRITA E CONHECIMENTO
 As relações da comunicação da informação com a linguística foram
indicadas por Roman Jakobson.

 Um ato de comunicação se efetiva quando um emissor, remete envia


uma mensagem a um receptor. A mensagem necessita de um
contexto de referência e este contexto precisa ser acessível a
ambos. A mensagem deve ser verbal ou passível de ser verbalizado.

 É necessário ainda um:


 - código, comum ao emissor e ao receptor
 - um contato via um canal físico
 - uma conexão psicológica para E e R entrarem e permanecerem em contato.

 Emissor  código comum  mensagem  canal  mensagem  Receptor

 Emissor  escrita  mensagem  receptor  K

 Roman Jakobson Lingüística e Comunicação - Roman Jakobson


A ESCRITA E A PERCEPÇÃO DA INFORMAÇÃO DIGITAL

 Enquanto a linguagem é uma qualidade da condição


humana, não há grupamento humano sem um idioma, a
escrita é uma tecnologia desenvolvida para registro de
informação.

 Nossas mentes feitas para uma escrita alfabética linear,


ainda não lidam bem com a escrita digital.

 A leitura digital implica redesenhar os caminhos da mente,


integrando novas: conexões, estruturas de escrita,
percepção e cognição visual.

 A escrita é uma interface da linguagem que facilita


ou não a aquisição de conhecimento.
VELOCIDADE MUDOU INFORMAÇÃO NO TEMPO E
ESPAÇO

O universo informacional não


está mais preso pela geografia
de espaços fixos do formato.

A transferência da informação
asumiu a instantaneidade na
comunicação online.
INFORMAÇÃO NA WEB

 Receptores podem se colocar


frente ao grande arquivo da
humanidade e navegar com
instrumentos mais elaborados
que os astrolábios de navegação
marítima.

 Não se instalou uma


desordem, mas uma nova
ordem, um outro regime de
informação
INTERCONECTIVIDADE: USUÁRIO E ESPAÇO SE
REPOSICIONAM

O espaço digital permite uma


vizinhança universal. Meu colega
de trabalho, com quem tenho
interesses informacionais, está
no andar de baixo ou na
Finlândia.

A velocidade para trocar


informação é basicamente a
mesma.
INTERATIVIDADE: USUÁRIOS E TEMPO SE READAPTAM

A velocidade da
troca de informação
se realiza em
tempo real na
proximidade do
tempo zero.
EM UM ESPAÇO SEM TERRITÓRIO DEFINIDO

O ciberespaço é um
espaço sem limites
fixos e que não
necessita mais da
presença física para
uma conexão de
comunicação
O FORMATO DA INFORMAÇÃO SE TRANSFORMA PELA
VELOCIDADE

 Existe,assim, um novo regime


de informação e uma nova
ordem econômica baseada na
velocidade convivendo com
dois tipos de mensagens:

 DOCUMENTOS FECHADOS

 DOCUMENTOS ABERTOS
DOCUMENTOS FECHADOS

 são documentos que estão com


seus conteúdos formatados,
finalizados  por força de sua base
fisica.

 O formato define o território.


São os documentos de narrativa
contínua, lineares, destinados pela
forma .

São exemplos deste tipo de objetos


os livros, artigos de periódicos
impressos, imagens acabadas,
documentos históricos, legais ou
contratuais, patentes publicadas.
DOCUMENTOS ABERTOS: LINGUAGEM ABERTA

•são documentos que estão, em


se fazendo, ou apesar de
acabados  permitem um
diálogo em sua narrativa.

• Sua estrutura consente uma


“conversa” com o gerador ou a
participação de um grupo de
pessoas, em rede.

• São artefatos intertextuais sem


território fixo.

São exemplos deste tipo de objetos as


escrituras em formato digital : documento
do tempo da ONU, pesquisa do DNA
A leitura  não está mais presa
formalmente ao código
A ESCRITA é cada vez mais uma interface livre do código
Escrita, a velocidade e o conhecimento

• A velocidade textualiza uma


nova escrita com intenção em
se aproximar da oralidade.

 A troca de enunciados
específicos mostra a escrita
como ato de conversação.
(diálogo)

 Tudo isso acontece em um outro


tempo além do tempo tradicional
 tempo da simultaneidade
UMA EXPLOSÃO IMAGINÁRIO NA NOVA ESCRITA

 Em um novo formato de
escrita e leitura o
imaginário explode em
múltiplos significados

 Escrita de significante
estabelecido é uma fratura
de um imaginário

 No mundo digital o signo


está livre e é conveniado
com o outro a cada
momento da interação.

 CódigoSigno Significado K
JOGOS DE INFORMAÇÃO

 Enunciados digitais,
subvertem a estrutura
da linguagem, pois
agregam a escrita outros
elementos: vídeos, som e
imagem.

 Este linguagear digital


não tem paternidade
definida no código.
Nenhuma escrita domina
a outra.
A ESCRITA DIGITAL TRAZ A EMOÇÃO EM TEMPO
REAL

 Os enunciados da escrita
momentânea mostram ,
quase, uma ação afetiva,
onde as palavras enviadas
ao outro denotam um
estado emotivo
ESTRUTURA DE INFORMAÇÃO E O
CONHECIMENTO
 A mediação da informação para
geração do conhecimento se relaciona
qualitativamente com o formato em
que a informação está codificada;

 A percepção da informação difere de


acordo com cada formato de
informação

 A assimilação se processa de
maneira diferente quando o receptor
atua com um documento em formato
linear (fechado) ou quando o
documento está em formato digital,
tipo hipertexto com links para outros
documentos. (aberto)
INFORMAÇÃO E INOVAÇÃO

Na era da informação, o
conhecimento surge como o fator
decisivo do potencial estratégico
para inovação: do homem das
empresas da sociedade.

Informação, no seu significado


mais abrangente é o ponto focal
da aplicação dos esforços dos
países que pretender inovar e
alcançar o progresso para seus
habitantes .
WEBOOKS: WEB BOOKS
VIDEOS
 Rafinha
 http://www.youtube.com/watch?v=rq6mHtsKoME&feature=
related

 Evolução da WEB
 http://www.youtube.com/watch?v=MGnvPWyptjE&feature=
related
ALDO DE ALBUQUERQUE BARRETO

 Email: aldobar@centroin.com.br

 URL: http://aldo.barreto.name

 TWITTER: http://twitter.com/aldoibct

 BLOG : http://avoantes.blogspot.com/

 FACEBOOK : http://www.facebook.com/aldo.barreto

 DataGramaZero : http://www.dgz.org.br/