You are on page 1of 2

Iº Capítulo NOÇÕES INTRODUTÓRIAS §1. Sentido e funções do direito processual penal I.

Direito Penal Substantivo e Direito Processual Penal O DPP constitui, em certo sentido que precisaremos já, uma parte do direito penal. O DPP e o DP formam uma unidade, derivada da função específica que esta extensa região de direito compete: só através do DPP logra o direito substantivo, ao aplicar-se aos casos reais da vida, a realização ou concretização para que originariamente tende. 1. O direito penal ³total´cumpre uma função específica de protecção de bens fundamentais de uma comunidade, que directamente se prendem com a livre realização da personalidade ética do homem e cuja violação constitui o crime. Como quer que se concebam os poderes do Estado e a articulação destes com a preservação da esfera de liberdade pessoal dos cidadãos, e por melhor que se cumpram os esforços de uma politica social preventiva e profiláctica, é seguro não poder o Estado demitir-se do seu dever de perseguir e punir o crime e o criminoso, ou sequer negligenciá-lo, sob pena de minar os fundamentos em que assenta a sua legitimidade. Daquela função de protecção da ordem social (protecção da vida comunitária do homem), advém por conseguinte ao Estado o dever de administração e realização da justiça penal. Este dever é o correlato da necessidade, pelo Estado sentida, de tomar sobre os seus ombros, de forma exclusiva, a tarefa de investigar, esclarecer, perseguir e sentenciar os crimes cometidos dentro da sua ³jurisdição´, é só, por diferentes palavras, a outra face do princípio da exclusão da autodefesa ou princípio do monopólio estadual da função jurisdicional, que constitui uma exigência irrenunciável das sociedades modernas, fundado como por valores tão essenciais como os da realização da justiça, da unidade do Estado e da paz jurídica e social. Este princípio representa, todavia, uma conquista historicamente condicionada, pois pressupõe já o reconhecimento da legitimidade de um poder supra-individual e mesmo, nos estádios últimos da sua evolução, um ponto alto de desenvolvimento das instituições públicas. De certo modo, pode afirmar-se que a evolução do princípio se identifica com o do próprio Estado.

II. O Direito Processual Penal como Parte do Direito Público 1. Tal como o DP, também o DPP constitui uma parte do direito público; não só porque, como em todo o direito processual, nele intervém sempre o Estado no exercício de uma das suas funções, a função jurisdicional, mas sobretudo porque a perseguição e condenação de criminosos é matéria própria de uma comunidade constituída em Estado.

Como todo o verdadeiro direito público. constituindo assim os indicadores . tem o direito processual penal na sua base o problema fulcral das relações entre o Estado e a pessoa individual e da posição desta na comunidade. bem podendo dizer-se que a sua história não é senão o produto flagrante da transacção destas duas forças vectoriais.