Sie sind auf Seite 1von 3

Escrever um TEXTO EXPOSITIVO

A finalidade dos textos expositivos consiste na apresentação de factos, acontecimen-


tos, situações, ideias ou conhecimentos que um emissor tenta fazer chegar e dar a
entender ao seu destinatário. É o caso das exposições orais, tanto dos professores
como dos alunos, na sala de aula; das exposições escritas, presentes nos manuais ou
noutros livros de consulta. A função informativa é a que predomina.
A actividade do emissor consiste em reflectir e apresentar, de forma objectiva,
determinados aspectos da realidade, proporcionando ao destinatário a informação
que este sente como útil ou necessária. Por conseguinte, o emissor tem de se docu-
mentar (recolhendo provas e dados que interessem para um determinado tema ou
questão) para poder expor da forma mais clara e coerente possível, viabilizando ao
destinatário a aquisição de novos conhecimentos.

Em termos de estrutura, a mais frequente no texto expositivo é a que consta de:


introdução - parte de um aspecto da realidade que é apresentado, sucintamen-
te, e cujo desenvolvimento ou processo de exposição é anunciado;
exposição, propriamente dita - aquela onde se apresentam dados, exemplos,
pormenores do tema ou aspecto indicado, segundo uma ordenação clara e
coerente: cronológica, hierárquica (do menos para o mais importante, ou o
contrário) ou lógica (causa-efeito-consequência);
conclusão - parte com que se fecha o texto e na qual se extrai o resultado ou
breve resumo da exposição anterior.

Quanto às características linguísticas que se evidenciam neste tipo de texto, desta-


cam-se:
a utilização de frases-chave, a partir das quais se geram outras que as susten-
tam em termos de ideias a exemplificar, explicar, etc.;
o emprego de exemplos que facilitam a compreensão do destinatário, sendo
aqueles marcados pela introdução de articuladores do tipo por exemplo, é o caso,
assim como...;
o emprego de termos associados a algumas áreas específicas de conhecimento
(tecnicismos);
o predomínio do modo indicativo bem como dos tempos do discurso - sobre-
tudo o presente;
a utilização de articuladores ou conectores de diferentes funções/orientações
lógicas, que ajudam a relacionar as ideias:

Função/
Exemplos
Lógica do articulador
Para ordenar em primeiro lugar, para começar, primeiramente, inicialmente, no
início, principiando, continuando, depois, de seguida, posterior-
mente, no final, finalmente, para terminar, por último, concluin-
do, ...
Para comparar do mesmo modo, da mesma forma, igualmente, ...

Para frisar / sublinhar/ rele- sublinhe-se, acima de tudo...


var
Para opor/contrapor em contrapartida, pelo contrário, enquanto, não obstante, contu-
do, todavia, porém, de qualquer forma/modo, ...

Para acrescentar uma ideia além disso, também, acresce ainda, de igual modo, da mesma
nova maneira/forma, igualmente, e, não só... mas também, ...

Para exemplificar/clarificar como, assim como, por exemplo, a saber.../quer dizer, ou seja, isto
é, por outras palavras,
Para indicar causa porque, por, pois, já que, visto (que), por causa de, dado (que),
uma vez que, ...
Para indicar consequência por isso, por conseguinte, consequentemente, de modo que, ...
Após teres terminado a redacção do texto expositivo, poderás rever o percurso feito
com o apoio da lista de verificação.

Se em algum dos parâmetros a resposta for «não», deverás proceder a reformulações


escritas do texto produzido, procurando aperfeiçoar o resultado.

Verwandte Interessen