Sie sind auf Seite 1von 1

A Teoria Tridimensional do Direito é uma concepção de Direito, internacionalmente

conhecida, elaborada pelo jusfilósofo brasileiro Miguel Reale em 1968, e posteriormente abordada em diversas obras. Importante notar que Reale não foi o primeiro filósofo a postular uma teoria tríplice.

Miguel Reale buscou, através desta teoria, unificar três concepções unilaterais do

direito:

- O Sociologismo jurídico, associado aos fatos e à eficácia do Direito de Ehrlich;

- O Moralismo jurídico, associado aos valores e aos fundamentos do Direito de Kant;

- O Normativismo abstrato, associado às normas e à mera vigência do Direito de Kelsen.

A Teoria Tridimensional do Direito que entende o direito como um sistema em que

“fato, valor e norma estão sempre presentes e correlacionados em qualquer expressão da vida jurídica” o que aponta no sentido de que os filósofos, juristas e sociólogos não devem estudar nem analisar esses elementos de forma isolada,

mas, sim, associados ao mundo real. Como conseqüência desta teoria, Reale diz que a análise por parte de advogados e

juízes do Direito não deve se manter presa a somente uma, ou mesmo duas destas dimensões, devendo estar constantemente vinculada à interpretação do sistema tridimensional como um todo. Porém a simples harmonização dos três elementos não é suficiente, há que se encarar a dinamicidade do direito e entender o Valor como um mediador e conciliador entre o Fato e a Norma humanizando-os. Em contrapartida a experiência jurídica, como estrutura tridimensional, é feita não só de pessoas e das coisas pertencentes ao mundo, mas também das valorizações daí decorrentes. A tridimensionalidade, ao trabalhar com a experiência jurídica, tem como um dos seus traços a própria atualização dos valores e o aperfeiçoamento do ordenamento jurídico.

A tridimensionalidade genérica do direito se refere à combinação dos três pontos de

vista unilaterais, ou seja, os resultados que decorrem de estudos levados a cabo separadamente. Já a tridimensionalidade específica e dinâmica do direito só aceita o estudo de forma integrada.