Sie sind auf Seite 1von 95

ESTAMIJAS ANTIGAS DA MADEIRA

PAISAGEM - COSTUMES - TRAJE EDIFÍCIOS - MARINHAS

Fo~ocnaaias on MANUEL DE OLIM PERESTRELO - FUhCHAI.

SXMILI-cnavunasDE MARQUES ABREU - PORTO

COMPUSIOE

IMDRBSSO

NA

TIPOGRAFIA

PORTO MEDICO,

LD*

PRAGADA Bn~a~iia,12-* - PORTO

Em 1933, a revista ARQUIVOHIST~RICODA MADEIRApublicou uma relação, sem dúvida incompleta, das gravuras a buril e água-forte, xilogravuras e litografias com assuntos madeirenses, feitas até ao terceiro quartel do século passado, e quási sempre por artistas ingleses. Ao mesmo tempo inseriu reproduções de algumas delas, chamando assim a atenção para essas interessantes e valiosas estampas, muitas, hoje, já bastante raras, e todas necessárias para o estudo dos costumes, trajes e arquitectura civil e religiosa da Madeira. Em Dezembro do ano seguinte, teve o ROTARYCLUBDO FUNCHALa simpática iniciativa de promover uma exposição de artigos da indústria regional, aproveitando, como decoração das paredes das salas, muitas dessas gravuras, que os seus possuidores emprestaram para tal fim. Desta forma foi possível reunir, pela primeira vez, uma colecção de-veras notável de obras artísticas dum género agora menos cultivado, mas que, antes da fotografia, foi o processo usado de repro- dução e divulgação da pintura e desenho, impondo-se êle mesmo como manifestação autónoma de arte. Depois dessa exposição, surgiu a ideia de se publicar uma espécie de catálogo dessas estampas, não só das que constituem colecções, como também das avulsas e até, por fim, das ilustrações de livros executadas por meio de gravura artística, anteriores, portanto, aos processos meramente químicos emprtegados actualmente. O presente volume é, pois, uma colectânea da quási totalidade dêsses traba-

lhos,-e dizemos quási, porque nunca se poderá afirmar com certeza possuir-se o seu

',

conhecimento completo. Com o auxilio dos coleccionador&, com, as nossas pesquisas pessoais, conseguimos juntar mais de dois centos de exemplares, que a oficina foto- gráfica de Perestrelos hàbilmente reproduziu, Marques Abreu superiormente gravou, e o Club Rotário edita, numa atitude invulgar de bom gosto, para elucidação dos que

se interessam por estas coisas de arte, de etnografia e de história.

\

Devemos declarar que a segunda parte do livro, estampas soltas, representa uma classificação provisória, pois algurnas delas pertencerão talvez a colecções, outras serão possivelmente folhas destacadas de volumes raros. Na terceira parte, ilustrações de livros, incluímos umas que na referida exposição figuraram como estampas avulsas, mas de que pudemos finalmente averiguar a procedência. Do valor estético dêsses quadrinhos, alguns tão pequenos que parecem

miniaturas,

btem

se

pode

dizer

que,

na

sua

maioria, êle é grande e autêntico.

A fa1ta.de côres nas reproduções dêste catálogo inibe de apreciar niuitas vezes a

superioridade dos exemplares de certas gravuras, quando coloridos; outros, porém, impôem-se pela finura do desenho, elegância da con~posição:repare-se nessa encantadora litografia de Pitt Springett, Waiting for Day6reak on the Serru, ou nessa outra, anónima, Peasunts of Madeira; e em todas as de Andrew Picken,

e as de Frank Dillon, e quantas mais,

Como documentários da vida madeirense em épocas passadas, será de-certo supérfluo salientar a importância das O estudo do traje não se pode fazer sem o concurso delas. A evoluqão da carapuça, antes mais baixa e enterrada na cabeça, depois afun~lada, posta à banda, graciosa e inútd; a d~fpren~ada indumentária campesina entre o norte e oeste da ilha, aqui mais variada, mais garrida nas côres; os trabalhos rurais, os meios de transporte, em que se nota a gradual substituição dos cavalos pelos bois; o palanquim cedendo o lugar à rede;

o celebrado oxen-cur, qwe o Major Bulkeley pretendia haver introduzido em 1848, mas que os visitantes dos fins do século XVIII tinham observado e comentado; OS frades, as freiras, o clero secular, os vereadores, as damas, as criadas,-tudo isto surge aos nossos olhos se folheia um dêsses álbuns, tudo isto ganha

vida, movimento e cor, deixando um rasto de encanto, de risonha evocação nas

que é impossível

destacar !

figuras obesas das litografias satíricas de William Combe, de melancolia saudosa em todas as outras mais. A cidade está hoje desfigurada e incaracterística. Demoliram o que nela havia de artístico, histórico ou simplesmente pitoresco. Contemplar essas estampas, feitas quando ainda o burgo mantinha os traços curiosos que o distinguiam, é um prazer espiritual e ao mesmo tempo uma desforra platónica. A paisagem, essa

artistas, que a fixaram então, parece que tinham

de-certo não mudou; mas os

maior sentimento da verdade, encontrando até motivos de beleza nas montanhas ennevoadas, no tom sombrio da atmosfera cor de cinza.

Não a conhecemos nós, que apenas recor-

A Madeira de outros tempos

damos, diluídos nas memórias da inkncia, uns restos irreconlhecívei~ do passado; não a poderão irnagiaar as gerações que vão surgir, olhando em volta para a banalidade dos ambientes modernos. Mas êste livro ficará como um testemunho de dezenas de artistas, mostrando, a quem quiser saber, como foi esta ilha nou- tras eras, como viviam os habitantes outrora e como os turist,as antigos ocupavam bem os seus ócios em elevadas preocupações de espírito, legando-nos obras de arte que, sem serem dum Rembrandt ou dum Daumier, constituem no entanto o

enlêvo dos coleccionadores.

Abril de 1935.

ÁLBUNS

DE COLECÇÕES

MADEIRA IDUSTRATEDI~~~O/BY/AND~PICKEN.

(Londlon)

É talvez

de todas a mais divulgada - houve segunda edição em 1842-mas

nem por isso deixa de ser uma das mais belas colecções de litografias. Desenhos do natural, transcritos na pedra pelo próprio autor, e por i.le aguarelados nalguns exemplares. São oito estampas, além do frontispício ilustrado, que representa a vila de Machico. Desta colecção existem mais duas, que não entraram no mercado, oferecidas especialmente a J. D. Webster Gordon; uma delas, que reproduzimos também, representa a Quinta do Monte e foi copiada dum quadro a óleo assinado igualmente por A. Picken. Quadro e estampas ficaram na posse dos descendentes da família Gordon.

O volume de que nos ocupamos insere um resumo histórico da Ilha, pelo Dr. James Macauly, médico pela Universidade de Edimburgo, e GeneralZnformation, o que tudo preenche vinte e uma páginas de texto. A parte ilustrada principia com um mapa da Madeira, onde estão indicadas as excursões que o autor realizou. Eis os

assuntos das oito litografias: FunchaZ from

the East;

Ravine

of St. Jorge;

Penha

d'Aguia;

Camera de Lobos;

0 RabaçaZ

Curral;

Funckal from

the 6ay; Funchal

from

São Lazaro.

Diremos ainda que a obra holandesa de J. Quintus, HetilEiland Madeira /

Geschetst, publicada em Grouiugen, em 1866, contém duas estampas reproduzidas

dêste álbum, com os títulos Funchal van de Foram Iitografadas por Emmerik & Binger.

Westzgde e

Optoct mec de Mackête.

L -

C"""'.,

C''

I."'""

.*

Curral

~~

.

.

.

-

- Funchnl Irom ~hclia?

1:iinrhsl

from

S5o I.araro

Colecção

Bulwer

VIEWS IN THE

Nash, 1 Villeneuve, Guuci &&. / after / Drawings mude from Nature / By / The Revd. James

Stone / By Messrs. Westall, Nieholson, Harding.

MADEIRAS / Enecuted on

Bulwer M. A:,

F.

L.

S. &. &. (London,

1821).

O rev.' James Bulwer desenhou do natural diversos aspectos da Madeira, que vários artistas litografaram e de que fêz uma colecção de vinte e seis estampas, das mais antigas que se conhecem. exemplares a preto e outros coloridos. A obra principia por uma dedicatória a George Stoddart, então cônsul inglês no Funchal, e datada de Dublim. Contém três vinhetas - Palácio de S. Lourenço; Tôrre da Sé e Pilar de Banger; e Capela de S. Vicente, todas reproduzidas neste livro-e um mapa dos perfis orográficos da Madeira, Desertas e Pôrto Santo. Um texto explicativo

antecede as seguintes litograbas: Funchal fiorn the Anckorage; Tlre Loo Rock; Funchal from ike Chapel of &nra Catharina; The Z'eak Fort; Kew anzong rhe Moinhos; The Districr of finchal, from the Mountuins-pat?z above the Alegria;

Descen( into lhe Curral;

The Church of Nossa Sen." do Lii-lmnento i~zthe Curral; Ribeira Brava; Calheta; &o Ruivo, the Torrinhas, &&. j%m the Paul da Serra; Encommiado of St. kI/tcente; lhe Church of Ponta Delgnda; Pico Ruivo &. from tlre high grounds of St. Jorge; Ribeiro de S. Jorge; Fayal; Ribeiro MeYo- Merade; Santa C,-uz; Máchico ; ClzJs on the North-eust Side of Point Lorenzo ; The l/alley of Port«-Cruz fronz the Por- sella; The town of Porto Santo; ,Interior of Porto Sanlo.

lhe

Watefill; Xibei~vdos LSocorridos; Jardin de Serra;

No

livro

Rambles

in

Madeira 1ancl ir2 1Portugal/ in

the 1Earív part

of

M.DCCCXLT publicado em Londres, ein -1.827, escreve o seu anónimo autor suponios seja Lyall) a páginas v111 do Prefácio: < She Notes, of whicll this

volume for the most part consists, were raken at the time witllout any purpose of publication, an application of them in the first instauce suggested by a request to supply some descriptive notices to a work, chiefly of graphical illustration, undertaken by a friend,. A obra, principalmente ilustrada, a que se reFere a transcrição acima, julgamos que é êste álbum de Jan~esBulwer, não só pelas chaniadas que o autor lhe faz, no baixo das páginas, a-propósito duma ou outra paisagem, como t;imbém por terem saído os dois volumes na mesma data e mesmo editor (C. & J. Revington). Tôdas as litografias desta colecção valem pela perfeição artística que as distingue e pela natureza documental de que se revestem; destacamos, neste último caso, a da igreja de Santa Cruz, em cujo largo fronteiro st: pode ver o antigo e hoje desaparecido pelourinho. Uma das vinhetas dêste álbum (capela de S. Vicente) foi reproduzida no fron- tispício do livro de William White Cooper, The Invalid's Guide / to /Madeira. / London, 1840.

16 --

Funrhil

Thc L00 Rock

íiom the Cliapcl Santa Cntharini

I<iliciro dor Socorridos

I'ico

,.

.

ia

Rttivo C. Irnm tlir

,,

.

,

~-

L

i-.

~

.

-

bi,<li groiinilr ol St. Jorge

Ilibeiro de St. Jorge

"0-

Chapel in thc Rock at St. \'iecnrc

estampas,

de

variado

assunto : paisagem,

indumentária,

Qinze transporte, cenas

de

Tem

no

rosto

do

voluriie

um

do Monte, seguindo-se as Iitografias, executadas por S. Picken : The Pronzessa or

Wow;

Waiting for

Day6reak

on

the

Serra;

Be@y

at~achedto

N

Faial,

Chapl, Eunchal;

S. do

«The

&gnal»;

Stranger's

Grave; Mill

at

the

Interior

of

a «Vinda»

in the Serra of St. Arato

or Wine Press; Gkl grinding com; The Palanpuin - The Harnntoc

A

A

Portrait-

Nun

of

Shepherds

recolling cattle

6y the Buzio;

Roman

the

Convent o/

Santa Clara; Madeira Peasant Girl;

1

BqY. Exemplares a preto e a cores. Documentos etnográficos preciosos, só êste facto bastaria para ara atenção sobre tão curiosas ilustrações; mas o seu valor pictórico não é menor, prejudicado talvez só pela excessiva minúcia de pormenores. ' No livro do Lieut.-Colonel H. A. Newell, The EkzgZish Church in Madeira (Oxford, 1931), encontram-se, eni reprodução fotográfica, a 4." e a 6." das litografias desta colecção.

Vaitina for Da,\l>irak an thr Srrra

22 --

hlill ar tlii Srira

Englirh Chnprl. Funchal

Intrrinr r e Venda,

in

tlic

Srrn of Sr. i\ntonl<i

Thc Lagar or Wime Pmu

Giil grinding coro

The Pilanquii

The Hammoct

Roman Caiholic Pricst

24 -

A Nun of the Conveot ol Santa C1.n

Madeiri Prasani Girl

coloridas, tão raras como forixiosas, de que não alcançámos

mais noticia além do nome do autor, J. Selleny. Conforme se apura ainda da res-

pectiva subscrição, foram editadas em Viena, por L. S. Neuman, duas delas abertas

Quatro litografias

pelo

próprio

pintor,

outra

por

G. Seclos, outra por

J. Novopacky.

 
 

Eis

o

que

representam:

Cutedrule

iin

Func?za!;

Brúck

u6er

den

Ribeiro

Secco

(aliás

Ribeira de Santa

Luzia, visto

tratar-se

da Ponte do

Torreão);

Curral

do.! Fmies;

e

FuncXal.

Pelas

figuras

que

avultam

na

primeira

julgar

que

que

estes

trabalhos

pertencem

à última

metade

do

estampa, tanto mais

XIX,

século

existiam as modificações na frontaria

da Sé, relativamente

modernas.

A

perspectiva

da

Catedral,

demasiadamente

alongada,

não

corresponde

à

realidade. Repare-se que o adro, do lado sul, parece ligar-se directamente com os

prédios; e, na parte

cia da capela

ferro, a torre e a saliêu-

norte,

abrange, com

a sua galeria

de

de Santo António.

Rriirk

iiber den Ribeiro Scrco

Curral dos

Fraics

Colecção

H~rrcouit

SCKETCIIES IN MADLIRA / Diawn from Nature & on Stone / Bj / La<ly

Susun Veinon Harcourt (London, 1851)

Em 1848 visitaram a Madeira o Rev." W. V. Harcourt, ,que fêz observações meteorológicas e Edward Vernon Harcourt, autor do livro a. A Sclketch of Aladeira D . Na companliia dêstes devia ter vindo também Lady Susan H. Vernon Harcourt, artista de mérito, como o coinprovam os catorze desenlios quc ela mesma Iitogra-

fou,

outras

é de grande formato e algumas dds estampa~s, que apresentam

anoramas, são de fôlha desdobrável. Rel>roduzimo-Ias todas, sem conservar no anto, por maior coinodidade, a ordem que elas têm no volume : Funchaljirom the

editados

em

1851 por Thomas McLean, de Londres. H& provas a preto e

coloridas.

O álbum

st-Funchal

from

thr East;

í7ze Penha JAguia; Fort Sr. Tkiago, Eanchal-

Ribeira Brava; Near Santa- Cruz- On the PaZkezro Road; Eelw on the road from FunckaZ to St. Azzne's; Plew oj" Funckal from the Seu; Fruit iMarket- Washer- women; Street in Funchal-Ribeiro de Santa Luzia; Quinra at Santa Cruz; Vyew in FunchaZ; View fim Pico Arriero; View behind tke Jesuzts'C7ollege; Kewfionz the Deanery; On the Ribeira St. J&o- View frorn St. Mirtinho; Mackico.

O

frontispicio

da obra

Como

dizemos

publicado

por

Edward

mostra-nos

Kw bom the Anpusrias.

-

mais

V. Harcourt

adiante,

são

da

mesma

autora

acêrca

da

Madeira.

as

ilustrações

do

livro

Fuoehil

Irom the

V'rst

fort Si. 'l'iadn.

Funrlial

Funrhal

Irom the Eart

28 -

Tlir Penha <I'Api!in

Vier

on the

road Irom

Funrlial

#o St. Annr's

Ribeira Brava

On the

I'nlhriro

Road

Hil>eiro de Santa I.uzis

,%-

\L*,,;.:;.i. ~

"si.$';, .

*

;*'*-.,:

I!

-

.

, -5

>&+:(4-8%;,r:

<&~

.

.

-

.

.

'-.,.*

~ +ZT-

,

",

,, .z.,

Vicu- brhinil tlir Jrwit=' C»llr<r

q1

*.T+d3:4"

i r.T,q

,''-

v--.

. ^i

zz

i

r.-,

.'6

i- -

;,.

'L- ,

,:,I.

I ln

tlw

1:tIrira

5,. Jn:o

Estão assinadas por J. Gellatly, de Edimburgo, estas cinco litografias que, sob a designação geral de <Costumes of Madeira» representam Melada Boy;

Kllão

or Peasant;

KZloa

or

Countly-Girl;

Burrogueiro

or Muleteer;

e

Woman

S>inning.

Tôdas

coloridas.

Pela variante da carapuça, alta e afunilada, não errareinos muito se atri- buirinos estas estampas a uma época posterior a 1840. Repare-se nas botas de

cano comprido, largo e mole, como o calçado seiscentista, muito mais elegante do

que êsse

que hoje ainda

usam

os

camponeses da

Madeira.

No

livro

do

sr.

Alberto

Sousa,

História

do

Trajo Popular

em

Portugal

nos

Séculos

xvnr

com a

rubrica

de

e xzz vêm

reprocluzidas

Colecção

Palhares.

duas

destas

estampas

(vilão

e

viloa)

Colecç~o Dillon

SCKCTCHES / IN

THE / ISLAND

OF

MADEIRA/ BY

(Loiidon,

1856)

Fiank

Dillaii

São catorze aspectos da cidade e campos, tomados por Frank Dillon e passados

Como em

todas as colecções, 1iá estampas a preto e coloridas, antecedendo-as resuinida noticia de

cada um dos assuntos: Xoherc Mackinz's Cahpe(, Machico- Portuguese Cernetery,

à pedra

por vários Iitógrafos, entre eles o conhecido gravador S. Picken.

Funchal; Vipw Zooking

The Pontinha from tke Wesc; Kew near che Grund Curral; Convenr da Encarnação

Town ojFuncha1 @o772the East);

up ~heSanta Luzia River;

fmnz

the Ponte Novo-

View near tke I'raça

da Constituição; Cama de Lohos;

The

Governar's Nouse; Fort St. Yago; Furzchal Cathedral from the Beach; Franciscane Convent, Eunchal; Convento de Santa Clara.

O

colorido

agradável

destas

Iitografias

constitue uni dòs seus encantos prin-

cipais. Como matéria docuinental da arquitectura desaparecida ressalta' à nossa vista

a igreja de S. Francisco, de torre azulejada, que Lcava no ângulo sueste do moderno Jardim Municipal,

Vin

~artlxc Gmnd Curral

Vieu- looking

tip the

Snnti

1.u.i.

Rivrr

Cainvrnt iIr Enrarnaq.o

Vir%vnrar tlir

I'ru(4

Irom tlir Puntc Novo

<I,,

vunrhnl C.~ISC~~.I bom <I,C

nrnrli

T~SGO~

~O~.HOUS.

For, Sr. Yngo

Colecção

Innes

Assim designaremos, à falta de melhor qualiticativo, uma colecção de, pelo menos, cinco litografias, impressas em Glasgow nos meados do século passado e editadas e vendidas no Funchal por J. e R. Innes. Duas delas estáo intituladas de Madeira Sledge e Madeira Narnnzock, e as outras três representam os seguintes assuntos : Palácio de S. Lourenço, IJalanquim e Vista do Funchal tirada do mar. Não tem esta colecção grande valor artístico, mas não deixa de ser curiosa, ao

menos pela sua raridade. No verso duma das provas que vimos há uma nota m,anuscrita, segundo a qual os desenhos seriam da autoria de S. Spence (?) e teriam sido as litografias piiblicadas no jornal aIllustrated Ncws,. Duas das estampas são impressas ao alto de folhas com o lormaio de papel de carta, porventura aquele que servia aos hóspedes de algum hotel ou pensão de que Innes fôsse o prolprietário.

Pinturas de Joliail F. Eckersbcrg, Jivulgridas e111 Iitografia pela casa Just Autry & C." dc r~usseldorf. Ignoramos de quantas se compõe ao certo o álbutii. As qii<- apresentamos, em número de dez, têm os títulos escritos de um lado em

inglês c do outro em alemão: Penha d'Aguia (Adlerfels); finckal von Osten; Funchal von We~len;Xabaçal; WasseGll bei S. Kcente; Kurral; Das Thal von S.Jorge; Thal v012 S. Vicente; Thal von Boa Ventura. Quási tudo cenários de montanhas, em

que a pintura é vigorosa, de tons fortes e cheios. uind litografia panorâmica de T. Picken, que incluímos na segunda parte dêste livro e que foi feita conforme um descnho de J. F. Eckersberg of Norway. É evidenteniente o mesnio autor da presente coleccão.

TIi.1

ron S. Vitente

Thsl von Hoa Vcotori

Colecção Espagne &

Portugal

conhecemos

estas

duas

estampas,

a

cores,

Puysan

de

I'IZe de Mudère,

desenhada por Belin e gravada por Ch. Paquien, e Fernrne de I'ne de Modère, do mesmo autor, gravada por Mennin. Por baixo de ambas está a indicação ~Muséede Costumes D, seguindo-se à primeira o n." 405 e à segunda o n.' 376. Edição cla antiga Maison Aubert, de Paris. São dois lindos desenhos, de traço delicado, finamente coloridos. Din~ensões: 27 X 20 cm.

Segundo

Colecção Ports

de Mer

um

desenho

de

Delaure,

litografado

d'Afrique

por

L. Lebreton,

esta inte-

ressante ilustração mostra-nos a baía e parte leste da cidade do Funchal, observadas de S. Paulo. No leito da ribeira de S. Francisco, hoje de S. João, distinguem-se

: camponeses e um carro de arrasto. Na parte inferior da est.irnpa letreiros com a

<

*

"L

indicação dos

principais edifícios e fortalezas.

edição

33x50 cm. A

Dimensões:

Éco~es,Paris.

é de L. Turgis, Irnprimeur Editeur des

I'

YI.~

dç I'lle dr hladcre

Fcrme dc I'lle de Madh

ESTAMPAS

AVUT,SkkS

Editado por Fadcr, publicou-sc em Lolidres, eni I de Janeiro de 1791, um mapa intitulado « Geo-Hydrographique Survey 1of the 1Isle oC [Madeira I witli tlie 1)ezertas and Porto Santo Isldnds n. Contém uma planta da cidade do Funchal, quatro

mapas e

três vistas panorâmicas, que são : Kew of tke City of Funckal; Tke Island

of Madeira from

ZJònza do Paigo to Ponta de Oliveira; e Tke Island of A4adeii.a

fmnz

Mackico co rhe B~azenHead

No canto esquerdo,

em

duas colunas, estão 26

linhas de texto com Observations of tke Road oj Funchal and tke hland of Madeira

por Thomas Ilowe, feitas em 1762. Reproduzimos, em toda a altura, êste lado do mapa, que representa aproximadamente a sua terça parte.

ANONIMO.

Peasants of Madeira. Pelas breves rlimeilsões (17x14 cm.) parece tratar-se duma Tolha destacada de qualquer livro. Impressa a preto, esta gravura é das mais belas qiie conhecemos, tanto pelo cleseiiho conio pela elegância da composição. O tou- cado da camponesa permite-nos atribuir a estampa aos do século xrx. certa fantasia 110 vestuário e até no assunto, com o que, entretanto, parece ter lucrado a beleza artística, absolvendo assim a liberdade do autor;

/

.

Litografia retocada a lápis, assinada com estas iniciais e datada da Madeira, Julho de 1829. E u baía do Funcl~al,defeituosa na perspectiva, imas a-pesar.de tudo apreciável como documeiito topogriLco. Foi reprocluzida no 3.' volume do <Arquivo Histórico da Madeira ».

Vica. ol the Cit,v ol Funrhal c Plnn rhc Road

W. HODGES.

lhe Is(and of Madeira, editada em 1 de Agôsto de

1791. Desenho de W. Hodges e gravura de Morins. A mesma vista fôra anteriormente gravada, de colaboração, pelo autor e por J. Wells, em 1789, em formato maior. Ambas, portanto, do fim do século XVIII, são das mais antigas gra- vuras que têm por assunto o Funchal.

Eew

in

Funchal

in

THOS. & WILLM. DANIELL.

Madeira,

desenho

e

gravura

de

T.

e W, Daiiiell.

Dado

dres, em 1810. Dimensoes: 15 X 22

Provas

e

deira, mesma

data

dimensões.

cm.

Dêstes

coloridas.

autores

é

i estampa

a

gravura

en,

0fl

LIEUT.HORNBROOK.

Kew

on

the

Sooth

Fmnc of

the

town Residence

of

Henry

Veitc?~Esgr.

Esta Iitografia de H. W'alion, [cita segundo um desenlio do Lieutenant Hornbrook, exibe-nos a cstranha casa do excêlituico Veitch, cônsul inglês, na margem da ribeira de Santa Luzia. Parte do edfEício foi cortado pela rua do Príncipe, hoje de 5 de Outubro. É estampa muito rara. O exemplar fotografado tem leves retoques a tinta da China; goi também ieproduzido no mencionado livro de H. A.

Newell, Tjie Engli~hChurch in Madeirn.

EMILY GENIÈVE SMITH.

cm.)

o

V

Sob o título

de

Tke Island of Madeira publicou

em

fôlha

desdobrável

dentro

duma

capa

cartonada

esta litografia (26X111,5 em preto e colorido.

mesmo

apelido

panorâmica

(1844). Não

conhecemos

ainda

Reginald

também,

.Kew of the C*

outhwood

of

Funchal,

a incluímos no presente

catilogo.

Smirh, autor duma1 dedicada .i Rainha ,'

L-'

COLONELCORNWALL.

Muito

semelhante

à

anterior.

Intitula-se

The City

of Funchal.

Colorida.

FRED. CALVEKT.

Conhecemos

em vários

tamanhos

esta Iitografia

lhe Town and Narbour of

E-rrnchaZ. É a mesma que apresentamos na capa. Calvert é o autor da pintura, que

D. Havell repetiu na pedra e John Hudson editou, dedicando-a a wHis Excel- lency Count Palmella~.Esta tem a data de 1820.

W. GORE OUSELEY.

AI%Loureiro, near FunckaZ. É o forte dos Louros, no caminho do Laza- reto. Desenho de Ouseley e litografia de J. Needham. Existe uma pintura a óleo sobre cartão, com êste idêntico assunto, assinada pelo mesmo: mas a imperfeição do desenho e iiderioridade do colorido fazem-nos crer que não é original, mas antes

itópia da litografia.

Esta litografia, Madeira IFunchal Bay And Loo Rock/from

the new Roa4

tcin Particular interêsse por ter sido executada na oficina de Pereira, Rua Direita, no Funchdl. Entre todas as estampas, que conhecemos, é a única feita na Madeira. A prova que examinámos-c hoje talvez não cxista mais nenhum exemplar- é imperfeita, assim como os caracteres tipográficos da inscrição; foi muito retocada, depois de tcr sido colorida, riias possivelmente pelo próprio desenhador (Bowie) que no canto direito assinou I. II B. e apôs a data de 1850. Mede (a mancha)

23,3 X35 cm.

Tudo

ignoramos

a

respeito

desta

litografia,

que

tem

inferior,

apenas isto : Madeira.

Dimensões : 16,Z X 24,5. Prova

impresso,

na

aguarelada.

parte

ANDREW PICKEN.

Foi grande a actividade artística de Andrew Picken durante a sua estada

na Madeira. Além do álbum «Madeira Illustrated»

debuxou

êste aspecto

do

pôrto,

fiorn the Buy of FurzchaZ, 1840, Iitografia dedicada a José Phelps, e duas cenas de naufrágio, alusivas ambas à mesma tragédia marítima: os navios aDart, e «Novo Beijinho,, que deram à costa na praia do Funchal (25 de Outubro de

1842). Estampas coloridas, e sem dúvida bastante apreciáveis.

W. A. KNELL.

The

London

&

il/ladeiru

Packet

«Dalt»

(242 tons) Entering

1iNnchaZ

Road~ é a inscrÍçáo poi.inenorizada duma obra dêste artista, a qual F. G. Dulton

litografou.

Grande formato,

a

córes.

W

J. HUGGINS.

 

Este

« marine

priinier

in orclinaxy io His

Malestyo

(William

IV)

é

o

autor

da

Iitografia

panorâmica,

aguarelada,

lhe

L~landof

Madeira

with Brig

Comet

Capn. Thontos Ormston entering the 6ay of FunchaZ.

Tlic London & Mailcirn Packrt

Dart.

Eniçring Funchil Iloaila

(2.1'2 tons)

From

Crcrks oT tbe

lar I:~,Y01 Fanrlml

Da". ind

Sovo Beiiinho

R. WESTALL

dos

na

Dêste artista

damos

a

conhecer três

trechos

pedra,

respcctivarneilie.

por

J.

Lundsecr,

de paisagem madeirense, copia-

W. Woolnoth:

S.

Middiiiian

e

The Paul da Serra Mountain.~<zóove the River St. Vicenre, cstarnpndo em 2 de Abril de 1812; Porto Novo, olz lhe River Santa C7.u~ near Funchal, mesma

data; e Funchal from the Sea, em 25 de Abril de 1811. Estampas coloridas e editadas em Londres.

W. WESTALL.

do ilbum

de Jainc

ido

como

desenhista

e

abridor.

Gravou

algumas páginas

er.

É autor

dos

quatro

seguintes trabalhos :

The Govern-

/

Baily) edição de Londres, 1809; lLe Loo For& on the

Bay

of

Funchal with

~heDezertas

Ln

Distance

(gravura

de Míddiman) ; Kew of

rke East end of Modeira, 1808; e outro aspecto do Palácio de S. Lourenço (gravura de J. Byrne) estainpageru feita em 1813.

'flmc

1'.i11

il.

Srrr.

~lolintains.I>OVC,130

si. Virrn,c

Ilircr

Ftznclinl Irum tlie Srn

J. V. SCHELY.

Esta xilogravura (Vue de la Klle et (a Rode .I com o letreiro em francês

e holandês,

ser acrescentamento posterior. A baía, muito arredondada, e alguns edifícios de

notáveis proporções, pouca, ou nada têm de semelhante com o Funchal, ainda que

o imaginemos observado no século xv~.Tanto esta de que IIOY ocupamos como n

outra, cm scntido liorizontal, aberta por G. Cliild e publ~caclacom título ein inglês,

parecem

tem

aposta,

em

caracteres

largos,

a

data

de

1520, que

folhas

arrancadas

de qualquer livro dc

viagenc.

E. 13. LOCKER

Duas

belas g~~ivuras,Vie

che Je,ruits'Co/lege,

Mndeiru

e

Ihe

Gover-

ulho de 1805 e a outra em 1804. São pre- tura dos edific~osrepresentados. A primeira

ciosos documentos da primitiva a

foi publicada no 2.' v,olurne do n Arquivo Histórico da Madeirau. IHá exem- plares a preto e a cores.

nor's

Casrle ?dadeira,

uma

&ta

,

J. F. ECKERSBERG.

É

O

mesmo

autor

da

colecção

de

litografias

editada

em

Dusseldorf.

Esta

vista panorâmica,

Picken

conforme

o

Bay

aind

City of A~zchal;é obra

desenho de Eckersberg.

inglesa,

litografada

por

T.

"r*

?.R

ind Ci.

. "->'.-

c :

ol Foochal

-

, -,.

C

.

.

.-

.

-

r-

,.

-

~ *.

'7.

-*

. >

.

.~~

-.*.

.-

-

.:--~-?

. '.

"I,.

- *, -. --

:h-%*;-~&-.

.--

-~

~~

*.

-

_I

LIVROS

ILUSTRADOS

A iHISTORY i OF 1 MADEIRA I \Virh /A Series of Twenty-Seven roloured Egravings, / Ilustrative of the I Costumes, Mauners, and Occupations 1of the / Inhabitants of the Island. /

Assim é o titulo dum volume editado ern 1821 por R. Ackermann, de Lon- dres. Não traz nonie de autor, mas é gei-almente atribuído, nos catálogos estrangeiros, a William Combe, o criador de a Dr. Syntax o. Vinte e seis das gravuras são deliciosas charges, e a última, sem feição caricatural, representa a fortaleza do Ilhéu, o cele-

brado Loo Fort dos ingleses. Deviam os originais ter sido feitos uns anos antes daquela ,- .

data, poisa

zias, Villas, e Lugares em particular^, relatório escrito pelo Engenheiro Paulo Dias em 1817 ims. da R. N. L., depois inserto no n Arquivo da Marinha e Ultramar, vol. 11) inclue duas aguarelas de camponeses que são no estilo destas e que, se não forarn exe- cutadas pelo mesmo autor, nêle evidentemente se inspiraram O frontispicio da obra tem uma vinheta que mostra uma vista do Funchal. As ilustrações, com os títulos seguintes, estão por esta ordem : Inside ofa Cottclge; Ziural

toil; Peasants going to tke Marcket; Manner of Cultivating rke Ground; A Far~ner and his Daughter goirzg to lown; Rural 0c~u~alion.r;Peasanls i~zusual Costume; Costunze peculiar to some of lhe Westerrz Inhahitants of tke (slur2d; Fiskermen; Counrry Musicians; Manner of hringing Wine to iOwn when c/em; Manner of dra-

Descrição da Ilha da Madeira em geral e cada huma das suas Fregue-

wing +es &c. by means of tke $e!&; An accident Upon tlze Road; A Prior of tke Order of St. Francis, & a Lay Brother; A Franciscan E;-iar collecting Donations for Ais Convent; A E>anciscan Fatker on a JournV; Priest in dzfferent Attire; Lay Sisters of tke 01der of the Lady of Moant Carmel; A Nun and her Attendanr;

A Lndy & ker Servunt going to Ckurch; Uual manner of 7ravelling- in Hamnzocks;

Manner oj Ksiting among the Ladies at Funchul; Members oftke Senate; O&cial Dress of the Menzbers of the Camera or Senate on the Death of the King and Acces- sion of his Successor; An Oler & Private of the Gurnison of Funchal; D~il(ing;

West View of Loo Fort. Dimensões de todas as gravuras : 17X 22,5 cm. O Sr. Alberto Sousa, na sua citada obra «História do Traje Popular em Portugal» inclue vinte destas estampas, assim como duas da colecção Macphail, vilão e viloa, aquele muito no estilo de William Combe. A popósito ainda do Loo-Fort, diremos que no livro de T. M. Hughes, O poema The Ocean Fhwer (London, 18451, uma vinheta que o representa, mas sem nenhuma subscrição.

Inride of i Cottsge

~~~~~iof Cultivaiing the Ground

Pearint,

goinp tlio the Markct

Rural toil

L

.

A Farmcr and his Diughicr going to 'I'ou.n

Country Mosician

Miliner 01 bringing Mine to Town whcn clcar

Mannrr ol drarimg Pipcs &c.

bj meams.of ihc Slcdge

A Prior of thc Ordcr ol SI. Francia. & i

Lav Brothcr

A Friaciscin Fithrr an a 10orne.v

68 -

Ar, Amidcmt opon the Road

A Franciscan Friar collccting Donmtions for his Convrnt

Priesi in diflerent Atiire

Lay Sisten of the Oder

of the I.ady 01 Moumt Carmcl

Usm.lminocr oí Travelling in Hammocks

A Num ind hcr Anendamt

Manncr of Visiting amoig the Ladies at Fmmcb.1

-

G9

Ufhrial Ilrr,s

O(

iIic &lcmhcrs thr

Cimrri ar Scnntc on thc

Dc.11i

oi ihr Ring and Acccsion of Iii* Succrssar

A i WINTER I IN i MADEIRA / AND 1 A SUMMER / IN SPAIN AND

FLORENCE I. New York,

1850.

Autor anóniino, mas que se julga ser John A. Dix. São 378 páginas ucompa- nhadas de três Iitografias de H. Vanostrand: Ravine East of Funchul; fiz~zchalfin112 Jt. Johlz's; c Zlon.se of Colon~óus.Esta última de-veras interessante para a iconogra- fia da casa de João Esrneraldo, vulgo Granel do Poço, onde se pretende que tenha vivido o descobridor da América. Além do edifício, com várias portas e janelas, entre as quais a que ainda hoje se conserva 1x1 Quinta da Palmeira, notamos também as casas contíguas e o prédio fronteiro, o que não é vulgar nas restantes ilustrações daquela residência.

DR. HERMANN

Berlin,

1859.

SCHACHT. Madeira

und

Tenerife / rnit iLrer / Vegetation I.

Folheando as 116 páginas dêste trabalho científico sobre a Madeira e Canárias,

encontram-se duas litografias : finclial, gesehen

von dem

Wege nuch den

Angustias

e Haide-ZC7auter

do livro.

auf' Mudeiru,

esta

última

s nach

der natuse» pelo

próprio

autor

Fanrbol Irem SI.John's

N.

C. PITTA, M. D. Account / of the 1 Island of Madeira I. London, 1802.

Insere, hors-texte, uma litograiia de E. Mitchell, Dress of the Country People

in Madeira, que nalguns exemplai.es vcm aguarelada, nem sempre com felicidade. O dr. Pita era natural da Madeira e formou-se em medicina pela Universidadc de Edimburgo. O traje regional, aqui representado, é o da primeira metade do século xrx; mas o artista, conhecedor do assunto talvez só por informes indirectos, parece ter-se inspirado um pouco nas figuras de certos vasos gregos.

WM. LISLE ROWLES. The / SPIRIT OF DISCOVERY. / A Descriptive and

Historical Poem. I London, 1809. (2." edição).

Curioso livrinho, que contém um poema em cinco partes, seguido de notas e

acoinpanliado de fantasiosa estampa, The Tomb of Anna

Madeira. Não tem mais que 8X 12 cm. Desenho rle Mrs. Benett, que, supomos, nunca teria vindo à Madeira e muito menos a Machico, ~oissó esta circunstância jus- tifica a estranha paisagem, espécie de paraíso terrestre. O gravador é I. Neagle.

DArfet etn the Insland of

O i< Arquivo Histórico

da Madeira> reproduziu-a

no

seu IV

volume.

Não manuseámos a I.&edição dêste poema, que é de 1804.

MICI-IAEL C. GRABHAM, M. D., F. R. G. S. The / Climate And Resources / of Madeira / London, 1870.

O autor dêste livro é o Dr. Grabham, falecido há pouco tempo no Funchal, em idade bastante avançada; mas desconhecenios a identidade de T. A. K., iniciais de quem fêz as quatro ilustrações do volume, por sinal não muito perfeitas. Publicamos

Fznchal from the Palheiro Road e The Ilammork. As outras são : Tke Bullock-Cor e Fmm the Foontain.

Dmi ol the Cointv Proyle in Madeira

Thc

Iliinmak

Thc Tumb of Ama D'Arfrt ii thr Islind of Midrir.

T. EDWARD BOWDICH. Excursions I in I Madeira and Porto Santo l during the Autumn of 1823,l wl~ileon his tliird voyage / to Afiica. London, 1x25.

Volume dc 200 páginas, com 23 ilustracões, sendo 4 gravuras de metal, a buril, coloridas, e 19 litografias, algumas c10 próprio autor do livro, outras de T. M. Baynes e S. Bowdicli, por certo seu parente. Nem todas as estanipas se ocupam da Madeira, havendo-as de paisagens e costumes africanos. As que nos interessam são as seguintes, das quais apresentamos as 5 primeiras: Franciscano, vilóes e viloas

(17,2 x 21);

Serra; Cuval das Freiras (folha desdobrável); Serras da Madeira; segmentos

Garaho; Ca,?arios-Ruivo-Torrinkas-aS~dráo;Cabo Girão e Jardim da

gcológicos. uma tradução dêste Iivro, ern francês, publicada em 1826. Não tem as ilustrações.

(Cabo Girío e Jardim da Serra)

;i

,

,

.

-

,-

< '

.

d *

,g,

.

.

.'

.-.5

-.<

*,::,

*~

:.:.L

G

w.;

 

.

,

,

 

.

.

:

i.,

'5

'

,,?,

::

,~

L;.c.

.

r""

1,

.

.

.

,.--.-.i

.

-

.~ .

.x

Canarios - Ruivo -Torrinhas

.,

*."A$

.2fC

8

.S

.~,

, A' : : . ,

.:

'

,

-. 3u+I

,

.,;v.

,

-.,

.+:.,

.

'.

,~,,<::d~&J'

.

,, !,',L!',.

:

.

- Sidríia

EDWARD

VEKNON HARCOURT. A / Sketchl ofiMadeira 1containing1Infor-

mation for the Traveller, or Invalid Visitor I. London, 1851.

Contém èste livro várias gravuras, qualquer delas from a skerck 6y Lady Susan Vernon FIarcourt, nenhuma, porém, repetida do álbum que esta artista dese- nhou e Iitografou. São ao todo nove, três antónomas, uma no frontispicio, duas no coinêço de capítulos e três muito pequenas intercaIadas no texto, além de dois mapas. Piihlicamos as seguintes: GroV of Peosants (8 X7,Z); Er~~ltsF2Buri~l Ground

(7X 9,3); Func/lulfrom the Sea (4,5 Y 9); VTew of Fur~ckalfrom Hollway> Cottuge

(GX9,5);e Oxen-Cur.

De Edward Vernon Harcourt não conhecemos trabalhos artísticos; todavia, no livro « A Visit / to/ the Azorcs /with/A Chapter on Madeira/> por Mrs. Charles Roundell (Londres, 1889) figuram quatro ilustrações com a assinatura de E. V. H., letras correspondentes 2s iniciais dèste dutor. São reproduzidas por fotografia e signifi-

cam

Porco Santo; AProoch to Madeira, Cape ,~tearnerLeaving Madeira; e View

from

Quznta Sarmento.

AN I HISTORICAL SCKETCH / OF SHE I ISLAND OF MADEIRA; 1con-

taining / An Account Of Its Original Discover,y And First 1 Coloni~ation; Present Produce; State 1 Of Society And Commerce. London, 1819.

De autor ariónimo c formato muito pequeno, êste livrinho de 98 págs. é i; embellished with a colourcd vicw of the Island~.Iiititula-se a ilustração, em fôlha

desdobi.ive1, Sonth

de F. S. Hopkins segundo um apontarncnto original, e áqua-tinta de J. Gleader. Dimensões, 9X28,5cm. O livro termina por um poema, n The Tonib of Love í A Ballad I Founded on the Discovery of Madeira u , baseado na lenda de Machim e Ana de Arfet, numa das suas muitas variantes.

Kew of the L~lI(andof Mczder~a,rhe Ciry of Fanchal, &., desenlio

DR. FERDINAND VON HOCHSTETTER. Madeira /Ein Vortrag/Wien, 1861.

Brochura de 80 páginas, cujo texto foi outra vez dado à estampa em 1871, na

de Viena de Áustria. Tem

revista

uma

arrs gc'genz &r(. Desenho do Dr. von Ilochstetter e litograha dc E. Hotzel. A capa mostra a fachada sul da Vila Davies, residência que foi da Imperatriz de Austria; é a actual Quinta Vigia.

« Gesammelt Naturwissenscl~aftlicheVortrag,,

coloriria Ansicht

da ZJico do

ilustração

Gato (as Torrrs) vom Encun<iadaalta

REV.J. M. NEALE, M. A,,Sriiiity Colledçe.

MADEIRA. 1844,.

ON TIIE ECCLESIOLOGY OF

No dia 30 de Abril de 1844, leu êste autor, perante a ~CambridgeCamden Society u uma erudita dissertação subordinada ao titnlo K On the Ecclesiology of Madeirau. Nela descreveu alguns templos desta Ilha, principalmente a Sé, e para o seu estudo consultou três manuscritos portugueses que lhe serviram de fontes princi- ,>ais: < As memórias eclesiásticas do Bispado do Funchal n, o livro 2.' das a Saudades da 'I'crra, de Frutuoso-que só foi publicado vinte e nove anos depois-e um resumo

da história da Madeira. a

une êle atribuiu a data de 1579.

L

,

A conferêiicia saiu a lume em qualquer revista inglesa, não sabemos ¶ual (o exemplar coiisultado é uma encadernação de 18 págs. numeradas de 220 a 235, sem iiiais iildicação). Antes do texto estão dois desenhos (30 ~23cm.Icom No~th

ChapeI, Muchico e Fóunder's Monamenc (North of Altatari Franciscan Convent, Santa

Cruz. Este belo arco manuelii~o,do túmulo do í'uiidador do niosteiro, foi salvo a quando da demolição do edifício e colocado numa das paredes interiores do hospital da mesina

vila. Está

prescnte desenho, mas conserva ainda o brasão dos Lomelinos.

bole, porém, bastinte mutilado, como se poderá notar pelo confronto com o

RICHARD SMITH. Madeira And Its Associaiions. London, (1869?).

Folheto

dedicado

ao Duque de Sadanha, pelo mesmo autor duma obra sobre

horticultura, parece que escrita em português (1858). Smith foi proprietário da Royal

Model Farm,

o opúsculo

de pouca beleza,

no

Funchal.

Contém

cinco xilogravuras,

leitas por Swain : Entrance to the hland, Centre of Funchal, Penha d'ilguia, the Eaglea Rock; Zhe Rahaça/; e Blasting for A Leva& Or Watercomae. Reproduzi-

mos a

4-

C'

i-.

''

'

Aosicht dcs Pico do Gato (as 'i'oircr) "orn Encurniadi alta aus gcgcm Siid.

Villa Divis

Nonh Chapcl. Marbico

Thc Kaliarsl

LADY BRASSEY. In the

don, 1885.

Trades, / The Tropics, i & the Roaring Forties. / Lon-

Volumoso tomo de 532 páginas com 292 gravuras de madeira por C;. Pearson e J. Cooper, feitas sobre desenhos de R. T. Pritchett. Vinte e três das ilustrações- algumas, simples vinlietas-são alusivas a esta Ilha, de que o livro trata desde págs. 57 a 79. Reproduzimos três das mais curiosas, uma rede, entre uma cercadura de flo- res e frutos; trecho de rua, com um candeeiro típico de esquina; e a igrela do Faial.

FRANCISCOTRAVASSOS VALDEZ. Six Years / of / A Traveller's tern Africa. 12 volumes. London, 1861.

Life I in Wes-

IDEM. África Occidental / Noticias e Considerações. Lisboa, 1864.

lume

I

da

edirão inglesa

está uma

gravura,

Ponta2 da

Cruz. Ale o/'

ões,

tem nome de autor. Na obra escrita em português encontram-se várias

da

duas

das quais referentes

à Madeira.

Foram

impressas

na litografia

mprensa

Nacional

e representam

Esta

da

Czdade do Funchal;

e Palheiro

<Vista

da Madeira. São ambas a dois tons, a primeira

amarelo, e branco, a outra branco e verde. Ficam sendo, com a de Pereira, as únicas

estampas de impressores

da Cos,a tirada da Hormj na Ilha

nacionais,

reunidas

neste

catálogo.

.c

V.'~

p

','L!.

".'

;

&

p;

,v&;x---.

,$

.

'

,

.

, '.

*i$,

,;-

r,'

--

--

F\Y.<I.

Visu da Cididc <lo Funrbil

l+-

Jgy

.:

'L'

',

,:

ROBERT WHITE.

Madeira, / Its

Climate

and

Scenery i Containing Medical and

General Information l for Invalids and Visitors ; a tour of the Island, etc.; 1 and an Appendix. London, 1851.

Obra notável e iiiuito apreciada, êste livro de Robert White tem conhecido várias edições, a terceira, de 1885, com o texto inteiramente refundido e actualizado por James Yate Johnson. Na princqps, abundam interessantes gravuras, feitas consoante os deserlhos de John Botcherby, ailém dum mapa da Ilha. Na 2." edição, de Edimburgo (1857)só está a vinheta do fromtispicio. As estampas que reproduzimos nêste catálogo constituem

uma selecçao': Pe't &guia (Eagles Rockl from the Lumaceiros; Antinha and

Bay of Funclzalfirom tlze West; KZlage of Cama de Lobos, and Cape Giram; Coast Fiew, Yrom Negihts aóove the Fossrl-bed; Rocks and CZrfs mar the FossrZ-bed; e Funchal, Jrom aómve Saõ Gonsalves.

nha

Pontinha and flqv of Fnnrhil

.

írom ihr Vcsr

-

.

=.p

.

.

,.<.,<,~.o

,&%'-

.-. C

.

4

.I,,,

.

.~

-.'

'

Coasi Vieu, Irom flcights ibovc tlic Fosil-bcd

--

--.- *

.V~

---%.:;<-

Prnlia 8I'Ayuii (Eiglrs Hockl Irom rhc Limaceiros

Village ol Cama de 1.obos. and Cape Giram

Rocki and CliAi ncir the Foisil-bcd

HENRI'

Pori / And

Wines Vintaged Around Lisbon I And The Wines of Tei~erife.London, 1880.

'\/'IZETELLI. Facts

About

Madeira, / with 1Notices

of

tlie

de

A. Vizetelli, de-certo parente do autor do livro. A parte relativa à Madeira começa

na página 149 e consta de vinte e duas estampas, das quais escolhemos sete, que são:

The Vintage ar Mr. Leacock's Quinta ac São João; Gathering Grapes at Santa Cruz; Landing Casks of wine from the Norrh Side of the Island; Bringing down the new wine ro Santa Cruz; Diving for corns ac Funchal; Borracheiros; A Madeira Carro.

A condução do vinho em cavalos, costume inteiramente abandonado hoje, foi também motivo duma litografia de William Combe. A estampa que mostra os mergu- Iliadores de moedas, na baía do Funchal, é, conforme nela se declara, repetida do jornal n The Graphic u . Há ainda outro costume original numa destas gravuras : o desem- barque de pipas, deixando-as flutuar sôbre as ondas. A-pesar-de ser êste livro dos mais modernos, nem por isso deixa, como vemos, de ser um dos que maior interêsse oferecem, pela sua riqueza etnogrática, abundância e variedade das matérias de que o ilustrador se ocupou. A-Pr~Pó~itoainda de livros sôbre produção e comércio de vinhos, diremos que

and

na obra, que imaginamos da autoria de Henderson, n The 1 History I of I Ancient

Moderne 1 Wines Ix publicada em Londres em 1824, há uma letra capital iluminada

com n Peasant o[ Madeira carrying wine in a skin from a vineyard w .

Contém

uma

centena de ilustrações,

devidas,

em grande parte,

ao lápis

88 --

Gathcring

Gripes at Santa Cruz

The Vintigc at Mr. LearocL's Quinta it Sio Joio

I.inding Casks ol wine fmm thc Nonh Sidc of the Islin<l

biioging down thc orw wine to Sanm Cruz

I>iving for coins nt Funrliil

.

:,

,>

?

-$;.;Gs

-$

'*?$,-C

~.,

C,~. .

- <.

, .,. ,,- .,;7y.;.-

-

.:

'". ,.E. i>-!, :/

.

.i&'.

.:;:;

,

-

.

.,,,3-

,

< .~., ,.,

i:.

.:

:<.c

I,. - -.i -'

*,>.I.

<*

. ,*

:.

, .,.%+

>/.

;;;*;5.

.

.

.

,.

.

,.

~.'

A Midriri Carro

,

.

.

,

*v@:.id

+::: *;: +- e>,;

*-;.+?;:&

.@A

i'

:.

'

<?,,J&S'

.;,

.

:

I,;

, r,'

:

!,.

'

;;;

~

C:

,e

JOHN BARROW. A / Voyage / to 1Cochinchina 1 in the Ye;

Contém êste livro várias gravuras abertas por Medland, segundo desenhos de Alexander e S. Daniell. São dêste último as duas de motivos madeirenses, Funchal;

e Charnher oj Skulls in de Franckcan Convent.-a tanto maravilhava os visitantes.

célebre capela dos crâneos, que

Há uma versão francesa desta obra, por Malte-Brun : Voyage / à 1Cochin-

Ténériffe ! et

du

Cap

Vert, 1Le Brésil et l'Ile

a em Paris, em 1807. Acompanha-se de dezoito gravuras por Tar-

Heraldo da Mzdeira u deu uma tradução portuguesa da arte relativa à Madeira.

Vz'ogem à

1NDICE DOS NOMES DE

PESSOAS

ACKERMANN.R

65

ADELAIDE.Rainha

51

ALEXANDEI~

90

ARFET.Ana de

73

19

GAUCI

HARCOURT.E. V

ÁUSTRIA.Imperatriz de

19

GELLATLY.J

BAILY BULKELEY.Major BARROW.John BAYNES.T. M

GLEADER.J GORDON.J . D . Webster GRARHAM.Dr. Michael C.

BELIN BENETT.Mis BOTCHEREY.John BOWDICH.S

HARCOURT.Lady Susan HAECOURT.Rev. W. V HARDING HAVELL.D

BOWDICH.T. E BO\VIE.I. I BOWLES.W . Lide

HENDERSON HOCHSTETTER.Dr. F. von HODGES.W

BRASSEY.Lady

HOPKINS.F. S

BULWER.Rev. Jarnes

HORNBROOK.Lt

BYRNE.J

HOTZELL.E

HO\VE.Hon . Thornas

CALVERT.Fred

51

HUDSON.John

CHILD.G

60

HUGGINS.W. J

COLOMEO

I1

HUGHES.T. M

COMBE.William

1. 65

81

COOPER.J

82

COOPER.William White

13

CORNWAAL.C1

51

J.V.P.

DANIELL.S DANIELL.Thos. & W . DAUMIER DELAURE DIAS.Paulo DILLON.Frank Dix. John A DULTON.F. G

JOHNSON.James Yate JOHNSTON.William JUSTANDRY& C.'

ECKERSBERG.J. F EMMERIK& BINGER ESMERALDO.João

MACHIM MACAULY.Dr. James

MACPHAIL

R~VINGTON.C. & . J

25

MALTE-BRUN

ROUNDELL,Mrs. Charls

15

MCLEAN.Shomas

MEDLAND

SALDANEIA.Duque de

MENNIN

SCHACHT.Dr. 1-Iermarin

MIDDIMAN

SCHELEY.J. V

MITCHELL.E

SECLOS.G

MORINS

SELLENY.J

NASH

.

'15

SMITH.Em& Geiieviève SMITH.Reginald Snuthwood

NE~GLE.~

73

SMITH.Richard

NEALE.Rev. J. M

79

Sous~.Alberto

NECDHAM.J.

51

SPENCE.S

NEUMAN.L . T

25

STODDAK~.Genrge

NEWELL.H . A.

.

21

49

STO~DART.Mrs. Geo

NICHOLSON

15

SWAIN

NOVOPACKY.J

25

OUSELEY.W . Gore

TARDIEU

TURGIS.L

PALHARES I'ALMELLA.Count PAQUIEN.Ch PEARSON.G PEREIRA PHELPS.Joisé PICKEN.A ndrew PICXEN.T.

VALDEZ.Francisco Travasses VANOSTRAND.H VEITCH.HenrY VILLENEUVE VIZETELLI.A VIZETELLI.Henij

PJTPSPRINGETT

WELLS.J

.49

PITTA.Dr. N. C

WESTALL.R

2557

PRITCHETT.R. T

WESTALL.Wi

1551

WHITE.Robert

84

WILLIAMIV

55

WOOLNOTH.W

51

As Féstas do Em do Ano na Madeira - uma excelente ideia, que está sendo praiicada excelentemente - tiveram no ano de 2934 o auxílio, tão modesto quanto desvelado, do ROTARY CLUBDO FUNCNAL;e mereceram assim um exemplo que deverri ser repehilo, o exemplo da mais desinteressada cooperação numa obra cujos benefícios pam e Terra vêm assegurando uma colheita farta. O XOTARY CLUBDO E'UNCHALpromoveu, e realizou bem, a Exposição de Produtos de Arte Regionais.

Nas salas do Club Monunzental, e satisfazendo um detalhe simples de necessária decora- pão, muitas estunrpas antigas da n(Iadeira forum também expostas-em colecpôes, niai.7 ou menos completas, r/ue u curiosidade de akuns pacientemenre recolheu. Repr.oduzem paisnzem, nionumen~s,,co.rturnes; oferecem pitoresco, beleza, interêsse; aJrmarn crilto e admiroção pela nossa terra; sãopro~undamentemadeimses. As estampas an?ifa.s da Madeira, que vivium anres no conhecimento de poucos, riveram dívu~fagiaFãoconvnziente. E do êxito desla divu&apão nasceu o desejo que o ROTARYCLUBDO EUNCHALrealiza agora, - ap~esentondo