You are on page 1of 2

BALANÇOS DE ENERGIA

Assim como a matéria, a energia também é conservativa, ou seja, o balanço


energético deve ser satisfeito em quantidade antes e depois de uma transformação. Se
alguma espécie de energia “desaparece” então outra deve surgir em quantidade
equivalente para fechar o balanço.

Conceitos fundamentais (procurar na literatura citada)


Sistema, propriedade, (intensiva, extensiva), estado.

Formas de energia
Trabalho (W) - Energia mecânica dispendida ou retirado do sistema.
Calor (q) – Energia térmica dispendida ou retirada do sistema
Energia cinética (Ec) – Está relacionada com a velocidade do fluxo
Energia potencial (Ep) – Inclui as variações de alturas que o material sofre
Energia interna, (U) – Energia química total quando medida a volume constante.
Entalpia (H) – Energia química total quando medida a pressão constante

A energia não pode ser medida em termos absolutos por falta de referência, somente se
podem medir as trocas.

Balanço energético

Acumulado = ÓE(entra) + ÓE(sai) + G – C

Onde:
E = energia, medida em unidades de energia (J, kWh, Kcal, BTU)
G = Geração interna de energia;
C = Consumo interno de energia

Existem dois casos: com reação química e sem reação química combinados em duas
situações distintas: Em sistemas fechados e sistemas abertos. O caso mais simples
ocorre sem reações químicas em sistemas fechados. Nestes casos não ocorrem trocas de
matéria, apenas de energia. Aplica-se diretamente o primeiro princípio da
termodinâmica, que estabelece que a variação do conteúdo total de energia de um
sistema é dada em função da entrada e saída de calor e trabalho.

Balanço energético em sistemas fechados sem reação química


Como o sistema é fechado, apenas energia pode transitar para dentro ou fora do
sistema. As duas formas de energia em transito são o calor e o trabalho, ou seja:

ÄE = E2 – E1 = ÄU + ÄP + ÄK = q + W
Balanço energético em sistemas abertos sem reação química

ÄE = E2–E1= Ó (ÄU+ÄP+ÄK)me-
entrada Ó (ÄU+ÄP+ÄK)ms+q+W
saida

A variação de energia deve incluir o total das energias cinética, potencial e interna que
entram no sistema e aquelas que deixam o sistema. Estes valores são assumidos em
termos unitários por unidade de massa. Da mesma forma, o calor e o trabalho também
entram no balanço como calores e trabalhos unitários em termos de massa. Se o balanço
incluir um processamento em termos unitários em relação ao tempo, então as energias
devem entrar no balanço como potências, pois potência_x_tempo = energia.

Em termos diferenciais fica

dE  u 2f g0   u 2f g 

 q  W    hent    Z ent m ent    hsai   0  Z sai m sai
dt 
ent  2 g0 g  
sai  2 g0 g 
 

esta equação apresenta um balanço entre o calor fornecido ao sistema reacional, q


[ J / s ], o trabalho desenvolvido pelo sistema, W [ J / s ], o total de energia que entra
com o fluido, fornecida pelo somatório da 3a parcela e o total de energia que deixa o
sistema, fornecida pela 4a e última parcela, e que resulta na variação de energia do
sistema em função do tempo, o qual para condições de regime permanente
(estacionário), deve ser obrigatoriamente nulo. O trabalho desenvolvido pelo sistema
reacional, a energia cinética e a energia potencial mecânicas também podem ser
desprezados, de forma que a equação acima assume a formaÄU + W = ÄH

q   h f .m f   h f .m f  H
sai ent

Anotações de aula:
Balanços térmicos geralmente fazem uso de tabelas de entalpias e energia interna dos materiais
envolvidos no balanço.
Propriedades intensivas são aquelas que tendem para um valor de equilíbrio quando dois ou mais
materiais são colocados em contato.
Propriedades extensivas são aquelas que se somam quando dois ou mais materiais são postos em contato.