You are on page 1of 16

INFORMATIVO DA DIOCESE DE GUARULHOS

ANO XII - Nº 155 - MAIO DE 2009 “A Palavra de Deus é Viva e Eficaz” Hbr. 4,12 DISTRIBUIÇÃO GRATUITA
Maio de 2009 2 “PERMANECEI NA CIDADE” FOLHA DIOCESANA Nº 155

E ditorial Enfoque da CODIPA


A lembrança do Lançamento da
justo é para sempre Missão Continental
(*)
GIOVANNI BANCHIO foi a formação presbiteral diante
“É sentida por demais pelo Senhor, dos desafios da sociedade atual e
a morte de seus santos, seus amigos” Entre as muitas propostas prá- a formulação de novas diretrizes.
ticas de ação pastoral que o nosso Dom Sérgio da Rocha, Arcebis-
(Sl 115,15) Plano Pastoral indica, as primeiras po de Teresina (PI) e presidente da
são todas voltadas à renovação Comissão de redação do tema cen-
Nem sempre é fácil enfrentar
a morte. Ela, embora tão próxima missionária (cf. pag. 23). Entre es- tral da Assembléia disse que “O
de nós, incomoda e inquieta. tas, destaca-se a necessidade de documento que iremos aprovar
estudar e acolher o Projeto Nacio- deve contemplar, maneira integra-
Na madrugada da última ter- nal de Evangelização que visa o da, as cinco dimensões da forma-
ça-feira, faleceu o padre João Ro- encaminhamento, também em ção dos padres... As dimensões
que, como era chamado pelos nossa diocese, da Missão Continen- humano-afetiva; comunitária [pre-
amigos brasileiros. Missionário tal. Trata-se de despertar nossas sença do padre na sociedade]; es-
canadense, nascido em 1º de agos- comunidades para que se abram ao piritual, intelectual e pastoral
to de 1938, profundamente apai- impulso do Espírito Santo e incen- [evangelização]; devem ser traba-
xonado pela Igreja do Brasil, fale-
tivar nelas e em cada batizado o lhadas em conjunto para que o
ceu vítima de enfarto.
processo de conversão pessoal e padre possa desenvolver um tra-
Aberto às necessidades da Igre- pastoral. Precisamos assumir o balho de acordo com as necessi-
ja no Terceiro Mundo, o recém or- compromisso de uma missão per- dades da sociedade atual”.
denado, optou pelo chão do Bra- manente para que todos tenham a Durante a Assembléia foram
sil, onde exerceu inúmeras ativi- aparências de um homem frio e vida plena de Cristo e proporcio- abordados outros temas priori-
dades pastorais, desde 1966, no calculista. Pensa diferente quem nar assim a alegre experiência do tários como o andamento da Mis-
interior de São Paulo, na cidade de com ele conviveu, porque é tes- discipulado que brota do encontro são Continental no Brasil” e os pro-
Tupi Paulista, diocese de Marília, temunha de um homem profun- com Cristo ressuscitado. cessos da Iniciação à Vida Cristã.
onde assumiu como poucos o ár- damente apaixonado pela Igreja Por isso, a Coordenação Reflexões sobre o apóstolo Pau-
duo processo de inculturação. e sempre buscando a melhor ma-
Diocesana de pastoral CONVOCA lo (“Caminho de Paulo, caminho
Como sempre dizia, na rodas com neira de servir a ela e aos pobres
os amigos: “Não é nada fácil da sociedade. os membros do todos os CONSE- do Bispo”) marcaram o dia de reti-
aprender o português num país de LHOS PAROQUIAIS de PASTORAL ro dos Bispos que foi encerrado
rica diversidade cultural”. Como falar da Pastoral da Cri- da diocese, bem como os membros com a peregrinação à Catedral da
ança – presente há 22 anos na ci- de todas as EQUIPES DIOCESANAS Sé “Este momento é significativo
Atuando na diocese de Guaru- dade de Guarulhos – das ativida- de PASTORAL, no SÁBADO, dia 30 uma vez que São Paulo é exemplo
lhos por quase 30 anos, teve gran- des da Cáritas Diocesana, das ati- de MAIO, às 14h00 no CENTRO de discípulo missionário de quem
de participação no processo da vidades pastorais diocesanas DIOCESANO DE PASTORAL para o todos devemos aprender neste
criação e consolidação de nossa bem como da administração fi- LANÇAMENTO DA MISSÃO CONTI- tempo de renovação missionária”
Diocese, como pode ser compro- nanceira da diocese sem relacio- NENTAL. afirmou o Cardeal, Dom Odilo.
vado pela diversidade de ativida- nar-se diretamente à pessoa e ao
Escolhemos esta tarde por ser No decorrer da Assembléia fo-
des: Coordenador diocesano de nome do Pe. João?
pastoral, pároco da Paróquia N. véspera de Pentecostes e assim ram, pois, tratados temas diversos:
Sra. de Fátima na Vila Fátima, ecô- A exemplo do apóstolo Paulo, implorar a força e os dons do divi- assuntos de Liturgia; mensagem
nomo diocesano, tesoureiro da assumiu o bom combate da fé, no Espírito Santo para que a nossa para o dia 1º de maio; manifesto da
Cáritas e membro atuante do Con- completou a corrida (2Tm 4,7). Vi- diocese seja fiel ao mandato de família; Igreja e Povos Indígenas;
selho Presbiteral, com valiosas veu intensamente seu batismo Cristo de “ir e fazer discípulos to- Campanha da Fraternidade 2010;
propostas e reflexões aliadas aos como sacerdote da Igreja, contri- dos os povos” e entre em estado Campanha Ficha Limpa; Setor Mobi-
refinados discernimentos pasto- buindo valiosamente para a for- permanente de missão. lidade Humana; Caderno de comu-
rais. mação de um corpo presbiteral e nicações, entre outros. Foi, enfim,
criação e fortalecimento das co- Assembléia Nacional dedicada uma noite especial aos cem
Os estudos filosóficos e teoló- munidades, em toda a Diocese de
gicos somados à ciência matemá- Guarulhos. Sua memória ficará
dos Bispos do Brasil anos do nascimento de Dom Hélder
tica, que fazem parte de seu cur- Câmara. A 47ª Assembléia da CNBB
viva para sempre. Hoje se apre-
rículo, conferiu-lhe um modo senta diante de Deus para receber Iniciou-se no dia 22 de abril, em terminou no dia 1º de maio.
próprio de pensar: lógico, perti- a coroa da glória, assim o cremos. Itaici, a 47ª Assembléia anual da
(*)
nente e muitas vezes, inques- CNBB. O tema central que os 330 Pe. Giovanni Banchio
tionável. Tão preciso assim, tinha A Redação Bispos foram chamados a debater Coord. Diocesano de Pastoral
FOLHA DIOCESANA Nº 155 “PERMANECEI NA CIDADE” 3 Maio de 2009

A voz do Pastor
Obrigado, Senhor
(*)
LUIZ GONZAGA BERGONZINI Religiosos(as) e aos fieis em Ordenação de quatro novos lo Leandro da Silva e
geral como que se espar- Presbiteros e quatro Diáco- Pelegrino de Rosa Neto e a
Uma das virtudes que gem sobre toda Diocese. O nos. E a primeira vez que Ordem Sacra do Diaconato
enobrecem a pessoa é o ser enriqueci- em nossa ao Seminarista Cleber Lean-
grato. Reconhecer o bene- mento pes- “Temos mais Diocese dro de Oliveira que será Or-
ficio ou favor recebido com soal de cada que agradecer acontecem denado Presbítero no pró-
gratidão. Se a gratidão en- um causa o oito Ordena- ximo ano, se Deus quiser.
tre nós homens constitui enriqueci-
do que pedir. ções Sacras Temos mais que agrade-
uma virtude, a gratidão a mento de to- No entanto, numa mes- cer do que pedir. Entretan-
Deus pelos benefícios d’Ele dos. por mais que ma celebra- to, o próprio Cristo nos re-
recebidos, é uma obriga- Motivo recebamos ção. Neste comenda: “pedi e
ção. Tudo que temos e so- especial de ainda somos ano, no Dia recebereis”. Por mais que
mos, recebemos de Deus. agradeci- pobres e da Diocese, recebamos, ainda somos
Acontece até que muitas mento a celebrado na pobres e necessitados das
vezes sequer atentamos Deus é o au-
necessitamos da Basílica Naci- graças e favores de Deus.
para esses favores. mento de vo- graça de Deus” onal de Peçamos pois que Ele con-
De modo especial, neste cações sacer- Aparecida, ti- tinue abençoando nossa “Ele cresça” cada vez mais
ano, devemos agradecer a dotais e religiosas que vêm vemos a felicidade de con- Diocese concedendo-nos no coração de cada um de
Deus as bênçãos que Ele acontecendo em nossa ferir o Presbiterato aos Diá- muitas e santas vocações nós.
enviou a nossa Diocese. Isso Diocese. conos Ordenados no ano sacerdotais e religiosas para
porque as graças por Ele No ano passado, tive- passado: Daniel Reichter, que o Evangelho seja mais  Luiz Gonzaga Bergonzini
concedidas ao Clero, aos(as) mos grande alegria pela Fabrício Bezerra Lopes, Pau- conhecido e vivido e que Bispo Diocesano

J ubileu de Dom Luiz - Vida e Missão


“TU ES SACERDOS IN AETERNUM”
Na manhã fria, típica de dades locais e por amigos, ço de Dom Luís aos seus pais. No final de celebração, os
nossa cidade, o sol anuncia- fechavam o cortejo. Para outros, foi o momento sanjoanenses organizaram
va o dia 29 de junho de 1959. A procissão de entrada na em que o postulante ao sa- longas filas, para que todos
Era uma segunda feira, po- Igreja foi linda e emocionan- cerdócio se deitou junto ao pudessem beijar as mãos sa-
rém, festiva, os sinos da Igre- te! O coral, misturando uma altar e a assembléia, de joe- cerdotais recém – ungidas!
ja Matriz de São João da Boa verdadeira orquestra e vozes, lhos, cantou a “Ladainha de Completando esta festa,
Vista, hoje Igreja Catedral, entre nós já famosas, enchi- Todos os Santos”. para a família católica de São
iniciaram a alvorada, convi- am a Igreja com os cânticos Ainda alguns escolheram João da Boa Vista, foi servi-
dando os sinos das outras adrede ensaiados. O presbi- como ápice o momento da do um almoço, nas depen-
igrejas e capelas da cidade a tério repleto de flores rece- imposição das mãos do ar- dências do prédio da Escola
se unirem ao badalar festivo, beu os celebrantes, o aspi- cebispo e dos padres presen- de Comércio, em homena-
para acordar o povo rante ao sacerdócio e famili- tes sobre a cabeça do novo gem a Dom Luis do Amaral
sanjoanense para a grande ares. padre. Mousinho, ao Monsenhor An-
festa! Monsenhor Antonio Presidiu a ordenação o Pelas fotos, que vi desta tonio David e ao neo-sacer-
David, como sempre, prepa- dor da verdade em todo Arcebispo de Ribeirão Preto, solenidade, a unção das mãos dote Padre Luiz Gonzaga
rou e comandou o grande mundo”. Dom Luis do Amaral Mou- foi a que mais me comoveu! Bergonzini.
acontecimento! O jovem Luiz, de 23 sinho, tendo como acólitos Sim uma ordenação sem- “Maria, em tuas mãos eu
Era o Dia de São Pedro e anos, se preparava para sua e assistentes o Cônego Sil- pre é bela e significativa, em entrego meu sacerdócio!” –
de São Paulo, Apóstolo, Dia ordenação à porta da resi- vio de Morais Mattos e os di- todos seus momentos. foi o que Dom Luiz escolheu
também do Papa! dência do casal Luiz áconos e padres: José Lou- para ser gravado nas estam-
Na praça Roque Fiori, na Bergonzini e Aristea Brus- renço Aragão e Leocádio pas pequenas do Coração de
casa de seus pais, o jovens cato, para levar o futuro sa- Pontes. Maria, distribuídas como lem-
seminarista Luis Gonzaga cerdote até à Igreja Matriz. Para o ato religioso, o pre- branças de sua primeira mis-
Bergonzini, depois de uma Bandeiras e estandartes mar- gador convidado foi o Padre sa!
noite de vigília, talvez rezas- cavam a presença das ir- José Ávila que, em eloqüen-
se, em suas laudes, as mandades religiosas, com te homilia, abordou o tema (continua na próxima edição)
antífonas: “Tu és Pedro, e fitas e trajes de gala. Não “A vocação, base para ser-
sobre esta pedra eu cons- faltou a Cruzada Eucarística mos a Igreja de Pedro”. João Baptista Scannapieco
truirei a minha Igreja” e con- da qual Padre Luizinho saiu O momento emocionan- Artigo publicado
tinuava: - “São Paulo, Após- para cursar o seminário. te, para quem assistiu esta or- originalmente no jornal O
tolo das Gentes, vós sois ins- Banda de música e fogos, denação, variou muito. Para MUNICíPIO, São João
trumento escolhido, prega- patrocinados pelas autori- uns, foi a despedida e o abra- da Boa Vista, SP
Maio de 2009 4 “PERMANECEI NA CIDADE” FOLHA DIOCESANA Nº 155

V ida Presbiteral
Ser Presbítero e o Ser do Presbítero, para Presbítero o Ser
(*)
OTACILIO F. DE LACERDA mantém a palavra dada. Apaixona- Homem da oração e da intimi- Evidentemente, nenhum Presbí-
do, incondicionalmente, por Jesus e dade com Deus. Oração que envol- tero chegou à perfeição de tudo que
Celebrei no mês passado vinte e pela vida, exigência fundamental ve todo o seu ser, impregna todo o se disse, mas se os bons propósitos
um anos de sacerdócio. O que a Pa- para ser feliz em seu ministério. Pri- seu existir, aprofundando e enrai- forem plantados no coração, regado
lavra nos diz e a Igreja nos ensina, ma pela coerência: o homem do al- zando a amizade divina. Homem com a oração, frutos saborosos hão
como Presbíteros que somos ou que tar é o mesmo do cotidiano. Vivencia discípulo, que trás em si a ternura de frutificar.
o desejamos ser? O PRESBÍTERO É: a pascalidade em tudo e com todos, divina e a fraternidade humana; Não basta querer Ser Presbítero,
Homem antes de tudo, sem per- em constantes passagens do provi- eterno aprendiz do Mandamento mas é precisamos que vivamos in-
da de sua humanidade, com todas sório para o eterno e da morte para Maior do Amor, confiado por Nos- tensamente o Ser do Presbítero, para
as limitações, vicissitudes, imperfei- a vida; so Senhor. Presbítero íntegro e santo o Ser em
ções... por Deus deixando-se ser Homem do Mistério e de tantos Homem da provação e da tribula- sua plenitude.
moldado. Arauto, portador da Men- Mistérios, sem ser misterioso. Ho- ção, acompanhadas da confiança Nunca sem a oração, o apoio, o
sagem de todas as Mensagens, a Boa mem da Eucaristia celebrada, acre- divina inabalável. Relativizador das carinho e a colaboração de uma Co-
Nova do Evangelho... De horizontes ditada, vivida e prolongada em to- riquezas que passam, abraça, sem munidade orante! Feliz Páscoa!
largos, que carrega em si, não a sau- das as dimensões de sua vida; con- medo, as que não passam, não se
dade do paraíso, mas o desejo e o jugando em todos os tempos, o ver- deixando levar pela onda consu- Confira esse e outros
compromisso de sua realização, no bo Eucaristizar; por isto Servo, em mista. textos no meu Blog:
incansável e auspicioso anúncio do constante atitude de lava-pés. Por Celibatário e casto, de amizades http://peotacilio.blog.terra.com.br
Reino. sua vida e presença junto à comuni- múltiplas, mas de coração indiviso,
(*)
Homem da Palavra e de palavra dade, torna Deus visível, possibilitan- totalmente a Deus consagrado. Ho- Pe. Otacilio F. de Lacerda
que acolhe e anuncia a Palavra Sa- do a visibilidade e a tocabilidade di- mem do perdão vivenciado e teste- Representante dos Presbíteros
grada, tornando-a crível, porque vina no Pão e Vinho Consagrados. munhado, nas pegadas do Mestre; da Diocese de Guarulhos

F alando da Vida
ENSINO

O Catequista Educador
(*)
PAULO MARINHO rísticas pessoais do educador irão
interferir diretamente sobre o con-
A primeira vista pode parecer es- teúdo ensinado. Aprende-se muito
tranho pensar no Catequista como mais o modo como os conteúdos são
um Educador, até por que estamos transmitidos do que o conteúdo pro-
habituados a pensar que os educa- priamente.
dores se encontram atrás dos altos Significa dizer que a atitude, a
muros das instituições de ensino. afetividade e a linguagem utilizada
Educador é todo aquele que tem irão marcar muito mais que qualquer
papel ativo na formação e prepara- atividade decorada. Por isso que o
ção do indivíduo para vida em soci- Catequista além de ser Educador é
edade. Neste sentido, a família, a também um modelo de cidadão.
escola, bem como as instituições Outro aspecto relevante é a parti-
religiosas são educadoras, pois cum- cipação da família neste processo.
prem este importante papel. Para que a criança aprenda a família
O catequista exerce uma tarefa deve permitir que ela se vincule
relevante quando se trata de contri- afetivamente ao seu educador, reco-
buir para a formação ética e moral nhecendo nele uma figura de respei-
das crianças. Por isso, reconhecê-lo to, autoridade e conhecimento. Da
como um Educador cujas atividades mesma forma, o catequista deve es-
não se restringem apenas ao âmbito tabelecer um vínculo de confiança
religioso, pois ao mesmo tempo ele com a família.
se insere nos problemas do cotidia- É a partir deste vínculo que o laço
no, discutindo questões dos dia a dia. da família com a tradição religiosa
Os desafios do presente, tais será fortalecido e terá sua continui-
como exclusão social, violência e dro- dade na criança.
gas dentre outros, são situações que É preciso reconhecer o importan-
atravessam a sala da catequese e fa- tíssimo papel que o catequista exer-
zem dele um formador de cidadãos, ce, assim como de todos aqueles que
e preocupado com a formação de se propõem a trabalhar com crianças.
seus catequizandos ele não tem Um futuro melhor só estará asse-
como se omitir. gurado quando verdadeiramente se
No processo de socialização, ou investir naqueles que estão em de-
seja, de aquisição de competências senvolvimento. A criança é uma pro-
para a vida em sociedade, a criança messa que para dar certo depende
busca modelos de conduta nos adul- única e exclusivamente dos adultos
tos a sua volta. O catequista se tor- a sua volta e o Catequista pode con-
na mais uma referência com a qual tribuir muito neste processo.
ela vai se identificar.
(*)
Já está comprovado que no pro- Paulo Marinho
cesso de aprendizagem as caracte- Psicólogo Clínico
FOLHA DIOCESANA Nº 155 “PERMANECEI NA CIDADE” 5 Maio de 2009

D ia Mundial das Vocações


MENSAGEM DO PAPA
SAV INFORMA

A confiança na iniciativa de Plantão


de Escuta
Deus e a resposta humana A partir do dia 4 de MAIO a
equipe do SAV (Serviço de Anima-
“A vocação ao sacerdócio e à vida na obra da salvação”. VOCAÇÃO: ADESÃO CONFIANTE ção Vocacional) da Diocese dará
consagrada constitui um dom divi- É na contemplação e na celebra- AO CONVITE DO SENHOR inicio a um atendimento de escu-
no especial, que se insere no vasto ção da eucaristia que, lembra o Papa, ta e aconselhamento. O plantão
projeto de amor e salvação que Deus compreendemos melhor como “a con- “Quem pode considerar-se digno
tem para cada pessoa e para a hu- fiança na iniciativa de Deus» molde de ingressar no ministério sacerdo- vocacional funcionará na Catedral
manidade inteira. e dê valor à «resposta humana”, e tal? Quem pode abraçar a vida con- de Guarulhos nos seguintes dias
Dentro da vocação universal à san- acrescenta como “são os presbíteros, sagrada contando apenas com os da semana:
tidade, sobressai a peculiar iniciativa que podem precisamente contemplar seus recursos humanos?
de Deus ter escolhido alguns para se- em Cristo eucarístico o modelo exí- Mais uma vez convém reafirmar 2ª FEIRA ..... 08:30 às 10:00 hs.
guirem mais de perto o seu Filho Je- mio de um «diálogo vocacional» en- que a resposta da pessoa à voca- ................... 16:00 às 19:20 hs.
sus Cristo tornando-se seus ministros tre a livre iniciativa do Pai e a respos- ção divina... não se reveste jamais 4ª FEIRA ..... 16:00 às 19:20 hs.
e testemunhas privilegiadas. ta confiante de Cristo”. do cálculo medroso do servo pre- 5ª FEIRA ..... 16:00 às 19:20 hs.
E assim no decorrer dos séculos, guiçoso, que por medo escondeu na
respondendo à vocação do Senhor e VOCAÇÃO RELIGIOSA terra o talento que lhe fora confia- ANIMAÇÃO VOCACIONAL
dóceis à ação do Espírito Santo, fi- SINAL DO REINO DOS CÉUS do, mas exprime-se numa pronta NAS PARÓQUIAS
leiras inumeráveis de presbíteros e adesão ao convite do Senhor, como O SAV visitará as paróquias da
pessoas consagradas puseram-se ao Este amoroso enlace entre a inici- fez Pedro quando, apesar de ter tra- Região Imaculada e da Região
serviço total do Evangelho na Igreja. ativa divina e a resposta humana está balhado toda a noite sem nada apa- Aparecida, no DOMINGO 03 de
Dêmos graças ao Senhor, que conti- presente também, de forma admirá- nhar, não hesitou em lançar nova- MAIO, para um dia de animação
nua hoje também a convocar traba- vel, na vocação à vida consagrada. mente as redes confiando na pala- vocacional. As pessoas escaladas
lhadores para a sua vinha”. Temos de novo aqui Jesus como o vra d’Ele”. entrarão em contato com os páro-
modelo exemplar de total e confian- O Papa encerra sua mensagem cos para concordar horários e mo-
VOCAÇÃO SACERDOTAL te adesão à vontade do Pai para onde apontando a resposta generosa e dalidades da animação.
MOLDADA PELA EUCARISTIA deve olhar a pessoa consagrada. total de Maria como exemplo de
O testemunho destes nossos ir- confiança humana na iniciativa de DESPERTAR VOCACIONAL
O Papa convida, pois, a rezar “para mãos e irmãs, tanto nos mosteiros de Deus. Para os jovens que estão pen-
que todo o povo cristão cresça na vida contemplativa como nos institu- “Queridos amigos, não desa- sando na vocação consagrada (pa-
confiança em Deus, sabendo que o tos e nas congregações de vida apos- nimeis perante as dificuldades e as
«Senhor da messe» não cessa de pe- tólica, recorda ao povo de Deus «aque- dúvidas; confiai em Deus e segui fi- dre e religiosa) vai acontecer o en-
dir a alguns que livremente le mistério do Reino de Deus que já elmente Jesus e sereis as testemu- contro anual ‘DESPERTAR’, no dia
disponibilizem a sua existência para está presente na história, mas aguar- nhas da alegria que brota da união 17 de maio no Colégio Virgo
colaborar mais intimamente com Ele da a sua plena realização nos céus». íntima com Ele”. Potens, das 8 às 12 horas.

Nova Congregação religiosa em Guarulhos


“NÓS IRMÃS DOROTÉIAS ter uma sede própria que tan- lia e Ir. Alexandra, viemos
chegamos aqui no Brasil em to esperávamos. Tudo isso Para Guarulhos. Estamos pre-
fevereiro de 1995. O sonho do foi possível graças à ajuda de sentes na Paróquia Sta. Luzia
nosso fundador, Pe. Luca Passi, grupos, escolas, famílias ita- desde o dia 11 de março de
era criar uma rede de pessoas lianas que mesmo longe, 2009. Conforme o carisma
voltadas ao acompanhamen- “adotaram” o nosso projeto. próprio da nossa Congrega-
to da vida dos jovens para que E assim, no dia 17 de maio ção nos dedicaremos ao
estes possam crescer plena- de 2004, ainda com uma par- acompanhamento e forma-
mente (“A tua vida é importan- te da obra em construção, ção dos leigos e agentes de
te para mim, interesso-me começamos as atividades na pastorais com uma atenção
para que você possa crescer, sede nova. especifica e particular para os
desenvolver-se, e valorizando Que atividades desenvol- jovens e as mulheres.
a tua vida” Pe. L. Passi). ve o Centro de Convivência?
O objetivo do nosso Fun- É um centro diurno que A Família religiosa das
dador se tornou uma meto- funciona em dois períodos, Irmãs Dorotéias é uma Con-
dologia educativa: amar o de amanhã e a tarde, para gregação de origem italia-
outro tomando conta dele, Da esquerda para direita: Ir. Anna Maria, Ir. Natalia e Ir. Alexandra adolescentes. Oferece ativi- na, fundada em Veneza
para que nasça a cultura do de nossos medos e confli- funcionou no espaço da igre- dades de reforço escolar com pelo pe. Luca Passi em
interesse pela pessoa em tos. Como mulheres e mães ja “N. Sra. Aparecida” do uma boa biblioteca; ativida- 1838. Está presente em 8
toda a sua realidade”. não podíamos porem ficar Residencial Cocaia (zona Sul des culturais quais teatro e países de 3 continentes (Eu-
Como e onde iniciou a indiferentes a situação de de São Paulo, ndr) e contou cursos de música e ativida- ropa, África e América La-
missão de vocês? grande violência e aos pro- com o trabalho de 15 volun- des de esporte e lazer, bem tina). O fundador, escolheu
Chegando ao Brasil fomos blemas atrelados à droga que tários entre monitores e me- como formação religiosa. É Santa Dorotéia como mode-
trabalhar numa paróquia em estavam vitimando muitos rendeiras e com apoio do aquilo que o nosso fundador lo e protetora das irmãs,
Grajaú, na Diocese de Santo jovens dos nossos bairros. comércio local. sonhou e nos pede: acompa- porque como o seu nome
Amaro. As reflexões levaram a No ano de 2003, transfe- nhamento e formação inte- significa, esta jovem mu-
A partir do ano de 1998, um projeto concreto, não é? rimos as atividades num sa- gral da pessoa com uma lher soube ser um “DOM de
um grupo de mulheres vin- Após muitas discussões e lão alugado até ficar pronta atenção e um carinho espe- DEUS” para os outros, até
das de varias comunidades pesquisas chegamos a montar a sede própria. cial para com os jovens. dar a vida por causa da sua
começou a se reunir uma vez um trabalho concreto com os O sonho cresceu e deu Agora inicia uma nova fé em Cristo. Santa Doro-
por mês, na nossa casa. Eram adolescentes, o Centro de mais frutos? missão em Guarulhos... téia foi torturada e decapi-
encontros de formação que Convivência “Santa. Dorotéia” Apareceram outras pesso- A nossa comunidade em tada, nas perseguições do
visavam o crescimento hu- com 23 adolescentes. as para ajudar e assim no São Paulo cresceu e assim nós 3º século, por não renegar
mano e cristão e a superação No ano de 2001 e 2002 ano de 2004, conseguimos três, Ir. Anna Maria, Ir. Nata- a sua fé em Jesus Cristo.
Maio de 2009 6 “PERMANECEI NA CIDADE” FOLHA DIOCESANA Nº 155

D ia Mundial das Comunicações


MENSAGEM DO PAPA

Novas tecnologias, novas relações. Promover


uma cultura de respeito, de diálogo, de amizade
Mais uma vez o Papa en- Se comunicar é próprio na promoção de uma cultu- Novas experiências marginalizados ou se con-
via sua mensagem para ori- do ser humano ra do respeito, do diálogo, da de amizade tribuíssem apenas para
entar a celebração do Dia O Papa continua afirman- amizade”. Bento XVI afirmou, pois, incrementar o desnível que
Mundial das Comunicações, do que as novas tecnologias que o “conceito de amizade separa os pobres das novas
tendo como foco, neste ano, não devem nos surpreender Cultura do respeito logrou um renovado lança- redes que se estão a desen-
os jovens e as novas tecno- “porque elas respondem ao “Assim, aqueles que ope- mento no vocabulário das volver ao serviço da infor-
logias. desejo fundamental que têm ram no setor da produção e redes sociais digitais”, mas “é mação e da socialização hu-
as pessoas de se relacionar difusão de conteúdos dos preciso prestar atenção a não mana”.
Geração digital umas com as outras... Este novos «media» não podem banalizar o conceito e a ex-
desejo de comunicação é o deixar de sentir-se obrigados periência da amizade. Seria Jovens, evangelizadores
As mudanças fundamen- reflexo da nossa participa- ao respeito da dignidade e do triste se o nosso desejo de do continente digital
tais nos modelos de comu- ção no amor comunicativo e valor da pessoa humana. Se sustentar e desenvolver on- “Quero concluir esta men-
nicação e nas relações hu- unificante de Deus, que quer as novas tecnologias devem line as amizades fosse reali- sagem dirigindo-me especial-
manas que trouxeram as fazer da humanidade inteira servir o bem dos indivíduos zado à custa da nossa dispo- mente aos jovens católicos,
novas tecnologias são par- uma única família”. e da sociedade, então aque- nibilidade para a família, para exortá-los a levarem
ticularmente evidentes en- les que as usam devem evi- para os vizinhos e para aque- para o mundo digital o tes-
tre os jovens que cresceram Qualidade do conteúdo tar a partilha de palavras e les que encontramos na rea- temunho da sua fé. Caríssi-
em estreito contato com imagens degradantes para o lidade do dia a dia, no lugar mos, senti-vos comprometi-
estas novas técnicas de co- Sabemos também que ser humano”. de trabalho, na escola, nos dos a introduzir na cultura
municação. Eles, escreve o nem sempre as conquistas da tempos livres”. deste novo ambiente comu-
Papa, são a geração digital” comunicação são bem utili- Abertura ao diálogo nicador e informativo os va-
que, de modo especial, de- zadas. O Papa, de fato, nos “As novas tecnologias Novas tecnologias lores sobre os quais assenta
ram-se conta do enorme alerta quanto a qualidade do abriram também a estrada acessíveis a todos a vossa vida. A vós, jovens,
potencial que têm os novos conteúdo das informações para o diálogo entre pessoas que vos encontrais quase es-
«media» bem como dos mui- veiculadas pelas novas de diferentes países, culturas Enfim o Papa diz que se- pontaneamente em sintonia
tos benefícios que derivam tecnologias. “Desejo encora- e religiões. A nova arena di- ria um “grave dano” para to- com estes novos meios de
desta nova cultura da comu- jar todas as pessoas de boa gital, o chamado cyberspace, dos se as novas tecnologias comunicação, compete de
nicação, sem, porém, enxer- vontade, ativa no mundo permite encontrar-se e co- “não fossem tornadas aces- modo particular a tarefa da
gar todos os perigos que tra- emergente da comunicação nhecer os valores e as tradi- síveis àqueles que já são evangelização deste «conti-
zem. digital, a que se empenhem ções alheias”. econômica e socialmente nente digital”.

Ano Paulino X Comunicação ATIVIDADES PASCOM DIOCESANA

“Num mundo que valori- dificuldades ele e os outros ressuscitado. Suas cartas ser- Curso de fotografia
za cada vez mais os meios apóstolos enfrentaram para viram para aproximar Paulo
de comunicação, os cristãos anunciar a Boa Nova de Je- das comunidades as quais ele Você que tira muitas fotos em
e as comunidades devem sus Cristo: a variedade de lín- tanto amava. Também nós sua paróquia, comunidade para
aprender a utilizá-los com guas e dialetos dos povos, a devemos utilizar as seus informativos , site venha par-
mais desempenho, compe- diferença cultural e religio- tecnologias para aproximar- ticipar conosco deste curso de fo-
tografia .
tência e profetismo, para o sa; desafios estes que reque- nos das pessoas. Diz o papa
anúncio do Reino de Deus”. reu dos apóstolos uma aten- que “quando sentimos a ne- Data: 21/06/2009
(DGAE 206). ta compreensão da realida- cessidade de nos aproximar Local: CDP - Horário: 14h
Caros irmãos, o apóstolo de daqueles povos e a atua- da outras pessoas, estamos Obs: Trazer um prato de salga-
Paulo foi um exímio comu- lização do anúncio de Cristo a responder a vocação de do e refrigerante para partilhar-
nicador e anunciador do para esta realidade. O pró- Deus, Deus da comunicação mos juntos após o curso.
Evangelho de Jesus Cristo. prio Paulo vai dizer que se e da comunhão.”.
Foi o comunicador mais per- fez tudo para todos a fim de O papa nos convida, espe-
feito do “Perfeito Comu- não perder nenhum daque- cialmente os jovens, para ser- Celebração Diocesana do
nicador”. Foi ele o responsá- les que fora confiado. mos arautos neste novo con-
vel pela propagação do Evan- Em sua mensagem por tinente digital, propagadores Dia das Comunicações
gelho em meio aos pagãos, ocasião do 43º Dia Mundial de um mundo onde reine o
indo além do mundo judai- das Comunicações Sociais, o amor. Aprendamos com o A Pastoral da Comunicação
co. “Nunca deixei de anunci- papa Bento XVI chamou a apóstolo que “o anúncio do Diocesana convida a todos os agentes
ar aquilo que pudesse ser de atenção para o potencial ex- evangelho não acontece só da Pascom e comunicadores, jornalis-
proveito para vós, nem de vos traordinário das novas com o discurso, mas com o tas, estudantes em comunicação soci-
ensinar, publicamente e de tecnologias na promoção de poder do Espírito Santo”. Por- al a participar da missa solene pelo 43º
casa em casa. Insisti com ju- uma cultura do respeito, do tanto, “o dom mais precioso Dia Mundial das Comunicações sociais
com o Tema:
deus e gregos para que se diálogo, da amizade. O após- que podemos oferecer é par-
“Novas tecnologias, novas relações.
convertessem a Deus e acre- tolo Paulo não dispunha de tilhar a boa nova de um Deus Promover uma cultura de respeito, de diálogo, de amizade.”
ditassem em Jesus, nosso nenhuma tecnologia, sua for- que se fez homem, sofreu,
Senhor.” ma de comunicação à dis- morreu e ressuscitou para Local: Par. Santo Antonio do Gopoúva
No entanto, a comunica- tância foram suas cartas, nas salvar a humanidade.”. Data: 24/05/2009 - Horário: 19h
ção nos tempos de Paulo não quais Paulo não fez uma pro- Após a Santa missa haverá uma recepção para os agen-
era nada fácil. Vemos nos moção pessoal, mas sim, Anderson G. Nascimento tes da Pascom e o Assessor Diocesano da Pascom Pe. Fabrí-
Atos dos Apóstolos quantas anunciou o Cristo morto e Seminarista Diocesano cio Bezerra Lopes e autoridades presentes.
FOLHA DIOCESANA Nº 155 “PERMANECEI NA CIDADE” 7 Maio de 2009

Aconteceu
BRASÍLIA - DF PAR. SÃO FRANCISCO - NAÇÕES BONSUCESSO

2ª Conferência Nacional dos Encontro da Juventude: nossa Parabéns


Direitos da Pessoa Idosa esperança está no Deus vivo Pe. Renato!
Em Brasília (DF) no perío- zando 508 participantes, en- No ultimo dia 01/04, nos-
do de 18 a 20 de março/2009 tre eles Delegados e Líderes sa igreja esteve em festa para
a 2ª Conferência Nacional dos da PPI. Só de São Paulo fo- celebrar 20 anos de sua Vida
Direitos da Pessoa Idosa. Es- ram 60 pessoas. Sacerdotal, de nosso queri-
tivemos muito bem represen- A conferência abordou do Pe. Renato.
tados pelo Sr. Inaldo (na foto temas ligados à vida e aos di- Este momento de ação de
abaixo, segurando uma cami- reitos dos idosos: promoção, graças, teve a Santa Missa
seta da pastoral, juntamente proteção e defesa da vida e Presidida pelo Pe. Aparecido
Gonçalves, e contou com a
com alguns Delegados), líder da dignidade da pessoa ido-
presença de diversos irmãos
da Pastoral da Pessoa Idosa sa. Foi também dada atenção (as) das paróquias pelas quais
(PPI), Delegado e Presidente à saúde, previdência e assis- Pe. Renato percorreu ao lon-
do Conselho Municipal da tência social, bem como à go destes 20 anos. Estiveram
Pessoa Idosa em Guarulhos. educação, cultura, esporte e presentes também para
Estiveram lá representan- lazer dos idosos. O objetivo No dia 05 de abril a juven- com uma sociedade mais jus- parabenizá-lo, diversos fami-
tes da região Norte (60 pes- do evento era, de fato, a de- tude da Paróquia São Fran- ta e fraterna. liares e de modo especial, sua
soas), Nordeste (168 pesso- finição das diretrizes do cisco de Assis (Nações), se Agradecemos a presença mãe Dona Izete.
as), Sudeste (152 pessoas), Rede Nacional de Proteção e reuniu num grande encontro, dos nossos jovens do Crisma Logo após a missa, a equi-
Sul (81 pessoas) e Centro Defesa dos Direitos da Pes- onde puderam refletir e par- e da Pastoral da Juventude de pe paroquial com o apoio da
Oeste (47 pessoas) – totali- soa Idosa (RENADI). tilhar as belas experiências nossas Capelas, pois somos Pascom e de outros colabo-
adquiridas durante a cami- convidados a não ceder “à radores, apresentaram um
nhada Quaresmal com o lógica do interesse egoísta”, Vídeo-Clipe com imagens de
SETOR JUVENTUDE tema da CF 2009 – Fraterni- cultivando, pelo contrário, diversos momentos da vida
dade e Segurança Publica que “o amor pelo próximo” e co- de Pe. Renato, de modo es-
Campeonato Inter-paroquial traz como lema: a Paz é o locando as capacidades hu- pecial os vividos nas paró-
quias de nossa diocese, isso
Fruto da justiça. Uma ines- manas e profissionais “a ser- como parte das homenagens.
quecível tarde na qual, a par- viço do bem comum e da
tir da Palavra de Deus, foi verdade”.
possível ver e sentir tudo o Setor Juventude
que a nossa juventude tem Par. São Francisco
de melhor para colaborar de Assis (Nações)

AGRADECIMENTOS
Par. Santa Luzia do Mikail
se despede do Pe. Toninho
Querido PADRE TONINHO,
nós queremos lhe agradecer E para encerrar este
por tudo que tem nos ensi- belíssimo momento, Pe. Re-
nado; na luta pela unidade, nato foi parabenizado por
igualdade, partilha, missão, todos, com a partilha de um
e sobretudo no estímulo e va- bolo, resultado da colabora-
lorização do trabalho leigo. ção de todas as capelas de
No ultimo dia 04/04 foi ça e garra demonstradas a nossa paróquia.
Continue sendo perseve-
encerrado o 1° campeona- todos os jovens. Assim Desse modo, diante de
rante com essa sua simplici- tantas graças compartilhadas
to inter-paroquial de futsal como na abertura do cam-
dade, humildade, e dedica- naquela noite, não podería-
masculino com idade de 14 peonato onde fizemos a
ção, com que lutou, organi- mos deixar de agradecer à
a 23 anos. Foram 16 times abertura com uma celebra-
zou, criou e nutriu a nossa todos que estiveram presen-
representando a sua paró- ção presidida pelo Diácono
paróquia Santa Luzia. tes e contribuíram para que
quia. A Paróquia São Roque Paulão, o encerramento do
Somos privilegiados e este fosse um momento ain-
(Pq. Cecap) se consagrou a campeonato foi celebrado
muito agradecidos a Deus cendo cada vez mais, tendo da mais especial.
campeã deste evento, ten- pelo Padre Giovanni no
por termos tido um pároco como orientação, os ensi- E ao nosso querido Pe.
do como vice-campeã a Pa- Thomeozão. Renato, nossos sinceros vo-
como você! Obrigado por namentos do Senhor Jesus.
róquia Santo Antonio de Todos os jogos foram tos de felicidades. Parabéns
tudo que fez pala Paróquia, Seja Feliz!!!
Pádua (Vila Augusta). muito emocionantes, mas Pe. Renato!!! Que Deus con-
que Deus continue derraman- Com muito carinho e
A Paróquia Santa Rita de a amizade que foi feita tinue ilumine seus caminhos,
do abundantemente suas amizade, Equipe Paroquial -
Cássia (Jd. Palmira) levou o nesses 4 meses foi algo pois ele disse: “Eu estarei
bênçãos em todos os dias de Paróquia Santa Luzia Pq.
prêmio de melhor torcida que realmente marcou. Pa- convosco todos os dias...”
sua vida, para continuar cres- Mikail e Região.
do campeonato, ainda tive- rabéns a todos os jovens (Mt. 28, 20).
mos o prêmio de artilheiro que participaram deste E tenha certeza que pela
para o Gabriel (São Roque) evento. Preparem-se pois Feliz Diaconato Cléber fé que nos une em Cristo es-
com 27 gols, o melhor go- vem ai o primeiro campe- taremos sempre contigo.
leiro Thiago (N. Sra. de Fá- onato inter-paroquial fe- Querido CLÉBER, quere- tribuiu com a nossa paró-
tima) com 20 gols sofridos. minino. mos te parabenizar por tão quia, que Deus derrame mui- Muito Obrigado pela dedi-
Mas queremos homenagear bela etapa de sua vida. Ser tas bênçãos sobre você, para cação e carinho!!!
mais uma vez o jovem Contatos: Betinho diácono é ser servidor e você que continue sendo e fazen-
Caíque da Paróquia N.Sra. (7147-9196 / 2422-3389) o é, com esse jeito simpáti- do outros felizes! Luciana da Silva
co e alegre de tratar a todos. Past. da Comunicação
Aparecida (Cocaia) pela for- ou Jackson (8581-3988).
Obrigado por tudo que con- FELIZ DIACONATO!!! Bonsucesso
Maio de 2009 8 “PERMANECEI NA CIDADE” FOLHA DIOCESANA Nº 155

D ia da Diocese - Ordenações

Pe. Daniel Pe. Fabrício

Sacerdócio: uma
missão de amor
O papa Bento XVI em sua dignidade, pois através da
Exortação Apostólica “Sacra- ação do Espírito Santo, faz
mentum Caritatis” recorda o Eterno presente por suas
Santo Agostinho para dizer mãos e por suas palavras.
que “o sacerdócio é um ser- Seus lábios tecem a Deus Fiéis da Diocese reunidos na Basílica
viço de amor. O amor, defi- nos pequenos símbolos do
nitivamente, é o segredo de pão e do vinho.
um projeto vocacional, de Em sua missão divina,
uma decisão de dar a Deus queridos padres Paulo Le-
toda a vida, todos os sonhos andro, Daniel, Fabrício e
e planos”. Só o “louco amor” Pelegrino, de ir pelo mun-
de Deus pelo homem expli- do anunciando a Boa
ca a sua doação, a entrega Nova, tornando Deus pre-
do próprio Filho para mor- sente no sacrifício do al-
rer pelo resgate de todos os tar, no anúncio da Pala-
homens. vra e no serviço aos irmãos
É esse mesmo amor que, e irmãs, permaneçam jun-
gratuitamente, escolhe to ao Sacrário como Maria
dentre os homens alguns junto a Cruz. No madeiro
para o sacerdócio. Só o estava o fruto do ventre
amor é a força máxima que dela, no Sacrário está o
nos faz doar toda a vida na fruto da vossa entrega e
exclusividade do segui- de vossas mãos.
mento ao Senhor. Só o amor Só nos resta intensificar Dom Luiz e os ordenandos acolhidos pelo Reitor do Santuário
pode gerar um coração con- nossas orações pedindo ao
figurado ao de Cristo-Sacer- Senhor da Messe que aben-
dote que ama ao extremo e çoe e acompanhe os novos
não mede esforços para se padres e o novo diácono da
doar aos homens. nossa diocese, que mande
O sacerdócio está intrin- sacerdotes santos para o
secamente ligado ao misté- serviço de amor ao povo, à
rio eucarístico pela sua na- Igreja, a cada homem.
tureza da oferta de um sa- E rogar a Santíssima Virgem
crifício vivo e pela interven- Maria, Mãe de todos os sa-
ção e iniciativa divina. Não cerdotes que interceda
é a Eucaristia uma realidade para que seus filhos predi-
vazia, mas é ela uma Pessoa letos sejam cada vez mais
viva, rica em amor que se Eucaristias Vivas.
faz presente entre nós.
Por isso vemos na pes- Rodrigo Lovatel
soa do Sacerdote tamanha Seminarista Diocesano Diácono Cleber Pe. Paulo Leandro Pe. Pelegrino
FOLHA DIOCESANA Nº 155 “PERMANECEI NA CIDADE” 9 Maio de 2009

D ia da Diocese - Ordenações
Diocese de Guarulhos
festeja em Aparecida
Fé, espiritualidade e des- exemplo, rezaram o terço às
contração. Estes foram os 8h30 da manhã na capela
sentimentos dos guaru- do Porto de Itaguaçu - local
lhenses no dia 21 de abril, onde foi encontrada a ima-
feriado de Tiradentes, na gem de Nossa Senhora
Romaria Diocesana a Apa- Aparecida. A única ativida-
recida e celebração do 11º de oficial da Romaria foi a
Dia da Diocese. Partiram de missa na Basílica Nacional
Guarulhos para a Basília Na- ao meio-dia.
cional de Nossa Senhora Os fiéis aproveitaram o
Aparecida cerca de 9200 pes- restante do horário na ci-
soas de todas as paróquias. dade religiosa. O estudan-
Alegria e louvor do povo Dom Luiz Gonzaga Ber- te Tadeu Fernando, da pa-
gonzini chegou em Apare- róquia São João Batista, gos-
cida três horas antes de pre- tou da romaria. “Vim sozi-
sidir a missa em comemo- nho, dei uma volta na Basí-
ração ao próprio Jubileu de lica e participei da missa.
Ouro de sacerdócio. Ele es- Acho que este momento é
tava feliz pela oportunida- especial para os jovens en-
de de participar deste mo- contrar a vontade de Deus
mento especial para a e a vocação que Ele nos cha-
Diocese. “Troquei o mar- ma.” A vendedora Geruza
capasso no mês passado e Silveira, da paróquia São
estou feliz de estar aqui. Vicente de Paula, aprovei-
Com muita alegria vim agra- tou o passeio. “Chegamos
decer a Nossa Senhora que às 7h. Me confessei, fui na
sempre me acompanha”. Sala dos Milagres e na basí-
Os novos padres Daniel, lica velha”. O funcionário
Fabrício, Paulo Leandro e público Paulo Cassiano, da
Pelegrino, junto com o diá- paróquia Santo Antonio
cono Cléber Leandro, che- Gopouva, veio especial-
Consagração dos novos padres garam no Santuário um dia mente para acompa-
antes, para fechar todos os nhar dois diáconos que
preparativos para a missa bem conhece. “Sou partici-
das ordenações. “Viemos pante da igreja e conheço
no dia 20. Confessamos, al- o Daniel e o Fabrício desde
moçamos, ensaiamos os que eram crianças. É uma
cantos e vimos os últimos alegria participar da missa
preparativos”, explica de ordenação deles.”
Pelegrino. Depois da missa, Daniel,
Enquanto finalizavam-se Fabrício, Paulo Leandro,
os últimos detalhes para o Pelegrino e Cleber cumpri-
Dia da Diocese, as paróqui- mentaram os inúmeros
as se organizavam de dife- diocesanos que queriam
rentes formas para ir a parabenizá-los.
Aparecida. As paróquias de
Santo Alberto Magno e San- Wellington Alves
ta Cruz do Taboão, por Pascom Sto. Alberto
Padres em festa pelos novos presbíteros

Nossa Senhora Aparecida abençoa estes teus filhos


Maio de 2009 10 “PERMANECEI NA CIDADE” FOLHA DIOCESANA Nº 155

Aconteceu Vai Acontecer


PASTORAL DA JUVENTUDE BONSUCESSO
PAR. SÃO JOSÉ
Escola Bíblica para Jovens Vigília Pascal do Festa de
Neocatecumanato N. Senhora
de Fátima
Aconteceu no dia 12/ Durante a vigília pascal
04/09 de 01:00 até 5:30 da celebrou-se o Batismo por
madrugada na Paróquia São imersão (este ano tivemos
José (Jd. Paulista) a Vigília quatro batizados de bebes)
Pascal do Neocatecuma- onde o presbítero mergulha
nato, presidida pelos por três vezes a criança na
presbíteros Francisco Go- água em nome do Pai, do
mes e Berardo Graz. Filho e do Espírito Santo,
Páscoa não é só uma fes- assim se faz compreender
ta, é um modo de reviver o melhor o sentido de morrer
dia em que passamos pelas e ressuscitar com o Cristo
águas do batismo, signifi- no batismo.
cando nossa participação Pelo batismo atravessa-
na morte e ressurreição de mos as águas do mar ver- A capela Nossa Senhora
Jesus Cristo, animados e melho e participamos do de Fátima ligada à Paróquia
Aconteceu no dia 22 de que nos presenteou com guiados pelo Espírito Santo mistério pascal de Jesus Nossa Senhora do Bonsu-
março, no Centro Diocesano suas palavras de sabedoria. que recebemos por meio de Cristo. Mergulhar na água é cesso, convida todos os ir-
de Pastoral, o primeiro A Equipe Diocesana da Cristo. Somos chamados a querer afogar toda malda-
mãos diocesanos à participa-
módulo da Escola Bíblica Pastoral da Juventude agra- viver a Páscoa em todos os de, ressurgir da água é co-
momentos e aspectos de meçar uma vida nova em rem do “tríduo+um” em lou-
para Jovens, idealizado e or- dece a todos os jovens que vor ao dia da nossa padroei-
ganizado pela Pastoral da estiveram presentes e fize- nossa vida, procurando fa- Cristo, uma vida renovada
Juventude da Diocese de ram do encontro mais belo, zer a passagem da morte no espírito de Jesus. ra Nossa Senhora de Fátima.
Guarulhos. agradecemos também às nos- para a vida, em nossa exis- Foi uma vigília riquís- Será nos dias: 13, 14, 15 e
Foi um domingo de inti- sas Assessorias e ao Padre tência individual e social, sima e belíssima aberta a 16 de maio sempre às
midade com personagens, Giovanni sempre presente procurando superar o ego- todos. 19:30h. A nossa capela fica
fatos e acontecimentos con- nos encontros da Pastoral da ísmo, os vícios, o ódio, a na Rua Itaperuna, 207 Jar-
tidos na Sagrada Escritura. Juventude. indiferença pelos irmãos e Anézio e Eliane dim Fátima,. Teremos a pre-
Tivemos como Assessoria E já deixamos o convite viver o amor e a partilha Catequistas da sença dos padres da região.
O jovem Teólogo Kléber – Pa- para o 2º módulo da Escola mútua. Paróquia São José Venham nos visitar e parti-
róquia Nossa Senhora de Fá- Bíblica para Jovens – que cipar deste momento louvor.
tima (Tranqüilidade) e o en- será dia 07 de Junho tam-
tão Diácono Paulo Leandro, bém no CDP (a participação PASTORAL DA SOBRIEDADE
Assessor Diocesano do Setor é aberta para quem não Gilberto Netto - Liturgia
Juventude. De acordo com a
proposta do primeiro mó-
pôde participar do 1º
módulo). Esperamos com ale-
Encontrão Diocesano GOPOUVA
dulo tivemos uma introdu- gria a presença dos jovens de O encontrão Diocesano da ção da Sra. Dalva Carvalho,
ção à história do povo de Is- nossa Diocese, pois sabemos Pastoral da sobriedade, rea- Coordenadora do Regional
Ordem Terceira
rael – com um paralelo dire- o quanto é importante a Pa-
to da realidade dos jovens – lavra e a Luz de Deus em nos- lizado no dia 29 de março na Sul I, que falou sobre a orga- Franciscana
onde é de fato a ação de Deus sa caminhada e missão. E Paróquia Sta Rita de Cássia – nização da pastoral da sobri-
Jd Palmira, teve como tema edade e sua cinco frentes Tarde Franciscana com
e nossa missão na Evange- não se esqueça de sua nova
lização. Recebemos a visita amiga Bíblia. “Co- dependência, o grande (Prevenção, Intervenção, Re- Maria, que vai ocorrer dia 31
do Padre Giovanni – Coorde- desafio da sobriedade” Nove cuperação, Reinserção e Atu- de maio, das 14 às 17h, na
nador Diocesano de Pastoral, Equipe Diocesana da PJ paróquias participaram: Nos- ação política). Parte da tarde Par. S. Francisco de Assis de
sa Sra. Aparecida/ o Pe. Giovanni Gopouva, na rua Francisco
PAR. STO. ALBERTO MAGNO Cocaia, Sta Rita Banchio, coorde- Polillo, Nº 24 Gopouva. O
de cássia/ Jd. nador Diocesano tema do encontro será “MA-
Festa da Acies Palmira,
Alberto Magno/
Sto de Pastorais, pro-
porcionou um
RIA ESTRELA DA NOVA
EVANGELIZAÇÃO”.
da Legião de Maria Serôdio, Sto Anto-
nio/ Gopouva, Sto
momento muito
rico em Espiritua-
Teremos a missa celebra-
da por nosso irmão Pe. Jai-
No dia 29 de Março, às Estavam presentes, os ofi- Antonio/Pimen- lidade, refletindo me e a Coroa das Sete Ale-
14:30h na Paróquia Santo ciais da Cúria Rainha das Fa- tas, São Geraldo/ sobre o tema “A grias de Maria.
Alberto Magno, as comunida- mílias, e aproximadamente Pte. Grande, São Alegria de ser dis-
des Nossa Senhora de Fáti- 70 membros entre ativos, au- José/ Jd Paulista, cípulo missioná- PASTORAL LITÚRGICA
ma, Sagrado Coração de Je- xiliares e juvenis. O diretor São Judas/Pimen- rio na pastoral da
sus e a Paróquia de São espiritual da Legião de Maria, Encontro
Vicente de Paulo, realizaram Pe. Cezar fez a alocução com tas e São Roque / Sobriedade”. O
Cecap e as encontro foi en-
a festa de Acies organizada
pela Cúria Rainha das Famí-
a seguinte mensagem: “Que
o mesmo sim de Maria a dioceses Mogi das cerrado com a ce-
de Reflexão
lias, que é filiada ao Deus, deve ser o nosso sim a Cruzes e Sto lebração da Santa Vai acontecer um encon-
Comitium Imaculata. Acies, ela, devemos nos espelhar André. O tema de- Missa Presidida tro de reflexão sobre Pasto-
“palavra latina, que significa em sua humildade e carisma, senvolvido em duas apresen- Pe. José Carlos – Pároco da ral Litúrgica nos dias:
um exército em ordem de ba- Maria nos deu Jesus nosso tações : O Pe. José Francisco Paróquia Santa Rita a quem
talha, designa com razão, a Salvador, e nós devemos Antunes, Assessor eclesiásti- agradecemos pela acolhida. 23 de Maio, às 14 horas,
cerimônia que os legionári- levá-lo nos lares através de co Diocesano falou sobre a no CDP para os agentes de
os, como um só corpo, se nossas visitas, e principal- liturgia das regiões de
reúnem para renovar a sua mente, para aqueles que não “Co-dependência no Grupo Para saber dos locais e Aparecida e Imaculada.
fidelidade a Maria, Rainha da o conhecem, ou que se de Auto-Ajuda” e Ana Maria/ horários dos Grupos de Auto
Legião e dela receber a força acham excluídos da socieda- S. Geraldo e Eliane/São Ro- Ajuda ligar para Paróquia São 24 de Maio, às 14 horas,
e a bênção para um novo ano de e da Igreja”. que apresentaram “Co-de- Geraldo: 2421-6750 ou Paró- em Bonsucesso para os agen-
de combate contra o exérci- pendência e seus diversos as- quia São Roque: 2440-7683 tes de liturgia das regiões de
to do mal”. Renan José pectos”. Tivemos a participa- (Afonso). Bonsucesso e Fátima.
FOLHA DIOCESANA Nº 155 “PERMANECEI NA CIDADE” 11 Maio de 2009

NOTAS JURÍDICAS
Vai Acontecer A excomunhão e a desvalorização da vida
PASTORAL FAMILIAR (*)
JOÃO CARLOS BIAGINI dem voltar à vida normal sil. O problema dos assassi-
depois de cumprida a pena ? natos é gravíssimo. O proble-
Romaria Nacional Em 2007, quando ocor-
reu, no Rio de Janeiro, o as-
E por que podemos matar os
fetos, através do aborto, eli-
ma dos estupros é gravíssi-
mo. O problema do aborto é
Vamos à casa da Mãe as famílias, para juntos sassinato do menino João minando uma vida que nun- gravíssimo. Todos são mui-
Aparecida, para em oração com outras famílias do Bra- Hélio, de 6 anos, que foi ar- ca mais voltará? Uma amiga to mais graves que a redução
rastado pelos criminosos por diz ter vivido esta experiên- da idade penal dos crimino-
fortalecer a nossa fé na de- sil inteiro, rezar, louvar e 7 quilômetros, até morrer, cia. Num salão de cabeleirei- sos e mais graves que a
fesa da família e da vida! estar a serviço da Família e o povo queria a redução da ro, uma senhora estava de- excomunhão. A garantia da
Dia 24 de Maio. Reserva de da Vida. idade penal, para 16 anos, sesperada, pois descobrira proteção à vida desde a con-
passagens com Sueli e Magela Que a Maria, a Mãe de Je- porque os maiores atribuíam que estava grávida. Dizia que cepção deve existir, pois a
(2407-2942). Valor: R$ 25,00 sus na Sagrada Família nos o crime a um menor. O Presi- não poderia ter a criança vida é o bem principal que
Este é convite a todos, abençoe e nos proteja, neste dente Lula disse: “Eu fico porque ela era idosa e a cri- temos. Ter os direitos huma-
mas em especial para todas acontecimento festivo. imaginando que se a gente ança seria mais nova que o nos garantidos, com pré-na-
aceitar a diminuição da mai- sobrinho. Seria uma vergo- tal, infância, adolescência,
oridade penal para 16 anos, nha junto à sociedade local. idade adulta e velhice digna
Pastoral Familiar amanhã estarão pedindo Depois de um debate com a são preceitos Constitucionais
para 15 [anos], depois para mulher, sem resultado, ela (art. 5º. CF.) e Civis (art.
e a Pastoral 10 [anos] e depois para 9 sacou a solução. Disse: “Você 2º.CC.). Se não é permitida a
[anos]. Quem sabe um dia faz o seguinte: aguarda a cri- redução da idade penal, tam-
da Juventude queiram [culpar] até o feto ança nascer, joga na privada bém não podemos admitir a
convidam se souberem o que pode
acontecer no futuro”. O Pre-
e dá descarga. Você vai se li-
vrar dela sem violentar o seu
morte de pessoas inocentes,
assassinadas friamente. Se
sidente disse que a idade corpo.” Nessa situação, a não é permitida a redução da
Noivos e namorados fir- Dia 17 de maio penal não poderia ser redu- mulher entendeu que não idade penal, também não se
mes, para participarem de das 8 às 17 hora zida porque, no futuro, a so- havia diferença entre matar pode aprovar a morte de um
um Retiro, fortalecendo as- ciedade poderia condenar dentro ou fora do útero. Teve feto indefeso. Se não se pode
sim, a afetividade e a per- Local: Paróquia Nossa um feto por um crime. Per- o filho e viveu feliz. Agora, reduzir a idade penal, tam-
severança dos relaciona- Senhora do Rosário gunto: condenar é mais gra- temos o caso de estupro e bém não se pode permitir
mentos e, como agentes Vila Rosália ve ou menos grave que ma- excomunhão. O Arcebispo de que os casos de estupro con-
para uma ação evangeliza- tar? É lógico que condenar Olinda e Recife informou que tra as mulheres, de qualquer
dora mais testemunhal, sau- Contatos: é menos grave, pois o crimi- o Código Canônico conside- idade, continuem acontecen-
dável, casta e cristã. Fátima/Dionísio (24052314) noso, depois de cumprir a ra excomungado, automati- do. A excomunhão informa-
Tema: “Pessoa humana, Roseli/Everaldo (24057216) pena, poderá sair da cadeia camente, quem provoca o da pelo Arcebispo de Olinda
ser que ama, se desenvolve Marcos PJ (73663310) e voltar para a vida normal. aborto. Através da discussão e Recife é um alerta geral. O
e busca complementação...” Fernando PJ (24996428) Então, se o feto for conde- desse ato, veio à tona a in- problema não é a exco-
nado por um crime, ele po- formação de que 30.000 – munhão. Os problemas são
derá ter vida normal, mesmo trinta mil - casos de estupro os assassinatos de inocentes,
10º Encontro de Casais em 2ª União depois de nascido. Pergunto,
novamente: se, em vez de
de meninas menores de 14
anos acontecem por ano no
os estupros e os abortos. Ou
seja, a desvalorização da
A Pastoral Familiar Dia 07 de junho condenar um feto ou um cri- Brasil. E a maioria desses vida. Última pergunta: você
Diocesana convida casais das 8 às 17 horas minoso, eles fossem assassi- casos acontece dentro de acha normal pessoas serem
que vivem em 2ª União Local: Salão Paroquial nados ? Seria o fim deles, casa, praticados por paren- assassinadas, estupradas e
para participarem de um da Paróquia Nossa pois eles jamais voltariam tes. Uma quantidade mínima abortadas?
para a vida. Essas respostas de abortos é provocada por
dia de reflexão, estudo e en- Senhora do Bonsucesso provocam mais dúvidas. Por esse motivo. E também veio (*)
João Carlos Biagini
tendimento da situação de que não podemos reduzir a a informação que 1.000.000 Advogado, membro do
cada um diante da Igreja. É Contatos: idade penal, para condenar – um milhão – de abortos Departamento Jurídico
na ação misericordiosa do Nice/Ferreira (2471-6912) os criminosos, se eles po- acontecem por ano no Bra- da Diocese de Guarulhos
Bom Pastor, que a Igreja de Dila/João (3435-9385)
Cristo Jesus acolhe e ins- Juraci (2432-6184)
trui os seus filhos e filhas. Sueli/Magela (2407-2942)

Estes são alguns líderes e voluntários que participam da Pastoral da Pessoa Idosa. A foto
foi retirada na última reunião do grupo que aconteceu no Centro Comunitário Elizabeth
Bruyer (Paróquia N. Sra. de Fátima) em 04/04/2009. Essa paróquia possui, desde a 1ª for-
mação que ocorreu há mais de 2 anos, 26 líderes com 180 idosos acompanhados. A paró-
quia de Sta. Mena possui 13 líderes com 30 idosos acompanhados e, por último mas não
Telefone para contato: menos importante, a paróquia N. Sra. Aparecida no Cocaia possui 13 líderes com 72 ido-
(11) 8599-9590 Jean Oliveira (11) 8309-5340 Max Silsan www.alegrai.com.br sos acompanhados. Venha fazer parte desta Pastoral – PPI (Pastoral da Pessoa Idosa).
Maio de 2009 12 “PERMANECEI NA CIDADE” FOLHA DIOCESANA Nº 155

L iturgia Bíblia
Pastoral Litúrgica A liberdade em Cristo
Na comunhão e participação Alguns aspectos da carta aos Gálatas
(*)
“Importa viver, Senhor, unidos no Nesta perspectiva, não é possível EDILSON PEIXOTO RODRIGUES Mas onde entra a questão da li-
amor, na participação, vivendo em haver grupos que realizam uma berdade? A liberdade sempre foi bus-
comunhão...” A Pastoral Litúrgica catequese fora da vida da comuni- A Carta aos Gálatas é uma das cada pelo ser humano. Havia uma
reflete o conjunto de esforços para dade, e depois trazem os mais lidas e comentadas em todo o ilusão universal de liberdade... As
que nossas comunidades vivam cada catequizandos somente para receber mundo cristão. E dos escritos cidades gregas orgulhavam-se de
vez mais no espírito da comunhão e os sacramentos. Ou ainda, grupos paulinos foi dos mais explorados por suas “liberdades”... Os judeus se or-
participação, como já afirmaram os que preparam a celebração alguns grupos ou Igrejas, sobretudo gulhavam e se apoiavam na Lei de
bispos da América Latina nos Docu- desconsiderando as faces da assem- em dois momentos: o da polêmica Moisés. E Paulo, vem trazer algo re-
mentos de Puebla e de Aparecida. bléia celebrante. A catequese, em de Santo Agostinho com o herético volucionário: a Lei escravizava e não
Para que a comunhão e a participa- todas as fases (com crianças, jovens Pelágio (séc. IV) e o dos salvava, mas a libertação vem pela
ção aconteçam, todos os membros e adultos), convida-nos a uma vida Reformadores, no debate católico- fé em Jesus Cristo que comunica o
do Corpo Místico de Cristo – a Igreja de comunhão e participação, cada protestante. Espírito.
– necessitamos buscar permanente- vez mais eucarística, mais ressusci- A Carta aos Gálatas apresenta o Paulo vai mostrar o que de fato
mente a sintonia na caridade. tada. As comunidades são plurais evangelho de Paulo aos gentios (Gl era o sistema da Lei, apesar dos ju-
Vemos em algumas situações fal- como o mundo que vivemos, com a 2,2) e o define como união com a deus acharem-se livres (Gl 4,24-25)
tar esta sintonia, por exemplo quan- diferença que entre nós a diversida- vida de Jesus Cristo para a formação – descobriu que tinha sido escravo
do acontecem as “missas dos gru- de é apelo a uma vida mais fraterna do Homem Novo, numa realidade até o dia em que Cristo lhe revelou a
pos”: da catequese, e solidária, aberta aos nova, na qual raça, sexo, classe so- liberdade. Foi essa experiência da li-
dos jovens... Quando apelos e necessidades cial são superadas. O Evangelho é berdade que permitiu a Paulo co-
cada grupo prepara a “Nos tornamos dos que mais sofrem. anúncio da vida na Liberdade. Mas nhecer a extensão e a profundidade
celebração, conforme Então, desde a não qualquer liberdade (Gl 5,1). da escravidão, pois a lei estava a ser-
seus gostos pessoais
mais discípulos catequese e a liturgia, A questão em jogo na Carta aos viço da estrutura social no seu con-
quanto aos gestos e e mais somos chamados a Gálatas é que as comunidades da junto. Não era apenas uma lei interi-
as músicas, a partici- sintonizados exercitar o respeito Galácia (No tempo do NT, a Galácia or, moral, inscrita no coração, mas
pação de toda a as- pelo diferente, a en- era uma província romana da Ásia um sistema cultural completo, inclu-
sembléia fica prejudi- com a causa do xergar a presença do Menor, que abrangia os seguintes indo a submissão às classes sociais
cada. Questionamos: Reino quando Senhor nas luzes e territórios: a Galácia propriamente mais privilegiadas...
é preciso haver “mú- sombras dos irmãos. dita, a Frígia, a Pisídia e a Licaónia) Diante dessa realidade, a Carta é
sica de criança, mú- acolhemos as Somos chamados a estavam sendo perturbadas pela pre- um apelo ao discernimento. A práti-
sica de jovens”, ou várias faces suportar o que ainda sença e atuação dos judai-zantes. O ca da Lei ou a prática de Jesus?Onde
música litúrgica, que é cruz, e ajudar-nos a ensinamento desses judeu-cristãos está a fonte da salvação e da liberda-
leve todos a uma que formam a chegar juntos à ressur- era este: os pagãos, para alcançar a de? A Lei ou a fé na Cruz de Cristo?
vivência do mistério comunidade” reição, atendendo o salvação, devem submeter-se à cir- Paulo aponta ainda para os
celebrado? chamado a sermos cuncisão. Em outras palavras, para Gálatas a necessidade de viverem o
Nas celebrações sacramento de Cristo, ser cristão, seria necessário tornar- Evangelho historicamente, através da
litúrgicas saboreamos o encontro pelo serviço, diálogo, anúncio e tes- se judeu. Essa doutrina põe a perder liberdade e do discernimento das
com o Ressuscitado. “Como aos pri- temunho. toda a ação salvadora de Jesus Cris- próprias Comunidades, que deveri-
meiros discípulos, Ele nos revela as “Chegar junto à mesa é compro- to e todo o ensinamento de Paulo e am aprender a viver na força do Es-
Escrituras e parte o pão para nós...” meter-se, e a Deus converter-se com naquela época (55-57 d.C), nem sem- pírito e libertar-se da falsa seguran-
(Oração eucarística VI). Esta comu- sinceridade. O grito dos fracos deve- pre havia uma distinção clara entre ça da Lei, já que o Evangelho é uma
nhão com o Senhor acontece atra- mos ouvir, e em nome de Cristo amar judaísmo e cristianismo. No início da Aliança da Liberdade que nasce da
vés dos irmãos, que fazem parte do e servir”. Ser uma Igreja samaritana, Igreja, o mais sério problema que se fé e união a Cristo Crucificado, uma
mesmo Corpo de Cristo. Nos torna- na solidariedade entre nós e com a apresentou à consciência cristã foi “pedagogia popular” para formar o
mos mais discípulos e mais sintoni- sociedade, é o desafio que a comu- o da relação da “nova doutrina” de novo Israel de Deus (Gl 2,28-29; 6,15-
zados com a causa do Reino de Deus nhão e a participação nos chamam. Cristo com a Lei de Moisés, ou me- 16).
quando acolhemos as várias faces Continuaremos nossa conversa sobre lhor, com o Antigo Testamento. Paulo esperava que os Gálatas
que formam a comunidade. Os que a Pastoral Litúrgica neste mês de O Antigo Testamento, cujos cin- conseguiriam esse resultado pela
se reúnem para celebrar, das mais di- maio, dia 23 às 14hs com as regiões co primeiros livros, ou Pentateuco, pura liberdade e pelo “amor” (ágape)
ferentes idades e classes sociais, são Imaculada e Aparecida no CDP, e constituem a Lei de Moisés, ainda – a liberdade gerando a liberdade e a
membros do Corpo místico de Cris- com as regiões Bonsucesso e Fátima hoje é venerado pelos cristãos como ágape gerando a Nova Criatura (Gl
to, e nossas celebrações necessitam no dia 24, às 14hs no Bonsucesso. Palavra de Deus; mas as suas pres- 5,13ss). O amor é a plenitude da Lei!
manifestar esta pluralidade e este crições sobre o culto, os alimentos, Paulo fez a experiência do Evan-
chamado à comunhão. Pe Jair Costa e Caetana Cecília as doenças, etc.(cf Lv) deixaram de gelho como fonte de liberdade: livre
vigorar. Hoje, é claro que não da Lei, da ordem romana,das estru-
estamos obrigados a tais prescri- turas religiosas e de si próprio e é
Então como preparar as celebrações? ções; para os primeiros cristãos, po- justamente nessa experiência é que
rém, o assunto não era tão claro. estão a autoridade e legitimidade de
Várias são as faces, mas a liturgia é a mesma, com Tratava-se de judeus convertidos, seu evangelho!´
que continuavam a observar a Lei e Algo de muito importante esta
todas as faces, que fazem parte da mesma comunida- a circuncidar-se. A Igreja nasceu no Carta nos trás: a reflexão sobre dois
de. Como os grupos podem preparar celebrações que seio do Antigo Testamento e a Carta modos opostos de se viver – o viver
aos Romanos pode considerar-se segundo os instintos egoístas (segun-
envolvam todos? Mais do que distrubuir tarefas, é pre- uma espécie de circular, apaixona- do a carne) e o viver segundo o Espí-
da e polêmica (5,12), dirigida às pe- rito (segundo o amor).
ciso entrar no sentido celebrativo, ajudar para que toda quenas comunidades dispersas pelo Que escolha vamos fazer? Que
a comunidade celebre, passando por ajudar os cate- imenso território da Galácia, que es- caminhos iremos tomar?
tavam em situação de crise de iden- A verdadeira liberdade depende
quizandos a celebrar porque a comunidade-Igreja é tidade cristã. Tratava-se da fidelida- dessas escolhas...
de ou infidelidade ao Evangelho,
chamada a ser sacramento de Cristo, pelo serviço, diá- num momento em que o cristianis- Edilson Peixoto Rodrigues
(*)

logo, anúncio e testemunho. mo corria perigo de se converter Paróquia Santa Mena


numa simples seita judaica. Escola da Palavra Região Aparecida
FOLHA DIOCESANA Nº 155 “PERMANECEI NA CIDADE” 13 Maio de 2009

C onversa vem, conversa vai Nos caminhos de Aparecida


Carta aos Efésios Religiosidade popular:
As cartas atribuídas ao apóstolo Paulo não são todas de
riqueza e caminho de evangelização
sua autoria. Algumas foram redigidas por seus discípulos, Temos todos ainda nos olhos a essencial da cultura latino-america-
basílica de Aparecida lotada de pe- na. Ao número 43 se afirma, por
no desejo de continuar sua obra missionária. A epístola aos regrinos por ocasião de nossa Roma- exemplo, que a devoção mariana
Efésios pode ser um exemplo e faz parte dessa categoria. ria diocesana, momento abençoado neste continente pode ser apontada
na história de nossa Igreja particu- como elemento unificador de dife-
lar. O povo adere com prazer às ro- rentes histórias num único destino
marias. Se bem olharmos, nem são que conduz a Cristo. A partir dela se
as pessoas mais próximas ou mais faz mais concreta a opção preferen-
ativas nas comunidades a lotar os cial pelos pobres: Só a proximidade
ônibus. De onde vem este interesse? que nos faz amigos nos permite apre-
É que o povo brasileiro guarda mais ciar profundamente os valores dos
ou menos escondida uma grande ri- pobres, inclusive no seu modo pró-
queza de religiosidade, comum a prio de viver a fé (398). Quantas ve-
todos os povos latino-americanos. zes os pobres e os que sofrem real-
Quem lê o Documento de mente nos evangelizam! (257). A ne-
Aparecida pode encontrar muitas cessidade do anúncio missionário
referências às formas populares de que tenha as características do
religiosidade. Já o papa, em seu dis- querigma, isto é de novidade, não
curso inaugural, falou da rica e pro- impede apoiar-se sobre a base do
funda religiosidade popular, na qual catolicismo popular: semente da pre-
aparece a alma dos povos latinos- sença do Espírito, ponto de partida
americanos e a apresentou como o para que a fé do povo amadureça e
precioso tesouro da Igreja Católica se faça mais fecunda (262). Ao nú-
na América Latina (258). mero 300 se faz o exemplo da
O que os mais entendidos tendem catequese, que pode oportunamen-
a desqualificar como pouco relevan- te aproveitar o potencial educativo
te, Aparecida procurou valorizar. A presente na piedade popular
piedade popular é uma maneira le- mariana para fazer das famílias ver-
gítima de viver a fé, dadeiras Igrejas do-
São Paulo, por Claude Vignon, por volta do ano 1615. Turin, Galeria Sabauda um modo de sentir-se mésticas. O apelo fi-
(*)
parte da Igreja e uma “Num mundo nal do Documento
ANTONIO CARLOS FRIZZO tos, mencionada na carta aos
colossenses (Cl 4,16). Não é impos-
forma de ser missio- secularizado, afirma: É necessário
nários (264). Entre as cuidar do tesouro da
Citada no livro dos Atos dos sível pensar que as cartas passagem expressões dessa a piedade religiosidade popular
Apóstolos (At 18,19.21.24.27; de uma comunidade para outra, espiritualidade con- popular é de nossos povos, para
19,1.17.26; 20,16.17; duas vezes, num processo circular, e que o por- tam-se: as festas pa- que nela resplandeça
no livro do Apocalipse (Ap 1,11; tador tivesse a missão de completar uma poderosa
tronais, as novenas, cada vez mais a “pé-
2,1) e inúmeras vezes nas cartas a primeira frase do texto segundo a os rosários e via-sa- confissão do rola preciosa” que é
paulinas, a Igreja de Éfeso foi tam- vila onde este se encontrava: “[....]
bém destinatária tradicional de uma aos santos que estão [...] em Pérgamo
cras, as procissões, as Deus vivo e Jesus Cristo, e seja
danças e os cânticos sempre novamente
das cartas de Paulo: a epistola aos [...] ou em Cirene”, por exemplo.
do folclore religioso, o
um canal de evangelizada na fé
Efésios. transmissão
carinho aos santos e da Igreja e por sua
Entre os vários manuscritos do
Novo Testamento que chegaram até
Todos são iguais aos anjos, as promes- da fé” vida sacramental
diante de Deus sas, as orações em (549).
nós, há uma relativa unanimidade
família (259). Nelas o Faz-se memória
sobre o destinatário da carta. Entre
um bom número de manuscritos, Fora as questões sobre possíveis povo simples expressa a sua fé sin- neste jornal da belíssima Romaria
encontramos a seguinte redação: hipóteses da autoria da carta – as- cera e seu apego à religião. Ações, diocesana a Aparecida. A decisão de
“Paulo, apóstolo de Cristo Jesus pela sunto de infindáveis debates nos cír- gestos, toques, olhares, palavras es- caminhar já é uma confissão de fé,
vontade de Deus, aos santos que es- culos de estudo - uma mensagem pontâneas que revelam uma riqueza o caminhar é um verdadeiro canto
tão em Éfeso, fiéis em Cristo Jesus” deixada por Paulo merece realce. Diz de fé e de vida interior, manifestada de esperança e a chegada é um en-
(Ef 1,1). O detalhe é que as duas pa- ele, no capitulo 3: “Os pagãos são por meios extra-oficiais. É chamada contro de amor. O olhar do peregri-
lavras “em Éfeso” faltam em inúme- admitidos à mesma herança, são de ‘popular’ porque integra muito o no se deposita sobre uma imagem
ros manuscritos mais antigos. Deta- membros do mesmo corpo e corpóreo, o sensível, o simbólico e as que simboliza a ternura e a proxi-
lhe que não tira a importância, pro- beneficiários da mesma promessa, necessidades concretas das pessoas. midade de Deus (259). Entramos
fundidade e conteúdo dessa valiosa no Cristo Jesus, por meio do Evange- Uma espiritualidade encarnada na agora no mês de maio, com sua re-
mensagem aos efésios, mas que co- lho” (v.6). O muro que separava ju- cultura dos simples, que nem por ferência a Maria, forte pólo de atra-
loca em dúvida sua autoria deus do contato com outros povos isso é menos espiritual, mas que o é ção da piedade popular. No rosto de
Seguindo os informes do livro dos e culturas do mundo, cai por terra de outra maneira (263). Num mun- Maria vemos refletida a mensagem
Atos dos Apóstolos, Paulo passou diante da mensagem anunciada por do secularizado, que se atreve a vi- essencial do Evangelho. Nossa Mãe
três anos na cidade de Éfeso (At 19,1- Paulo. Trata-se do evangelho de Cris- ver sem Deus, a piedade popular é querida, desde o santuário de
40; 20,17-38). É pouco provável que to Jesus que o apóstolo, incansavel- uma poderosa confissão do Deus vivo Guadalupe, faz sentir a seus filhos
os efésios fossem os primeiros des- mente, testemunhou e ensinou no que atua na história e um canal de menores que eles estão na dobra de
tinatários da obra. Desde a antigui- interior das comunidades. transmissão da fé (264). Por isso o seu manto e, desde Aparecida, con-
dade, o apóstolo propôs trocar discípulo missionário precisa ser sen- vida-os a lançar as redes ao mun-
“Éfeso” por “Laudicéia”, uma outra (*)
Pe. Antonio Carlos Frizzo sível a ela, saber perceber suas di- do, num esforço alegre e esperan-
vila da província romana da Ásia. Igreja Santa Cruz, mensões interiores e seus valores ine- çoso de missão (265).
Fala-se de uma carta de Paulo aos Jd. Presidente Dutra gáveis (262).
laudiceianos, desconhecida por mui- acfrizzo@uolcom.br Trata-se de acolher um elemento Pe. Marco Testa
Maio de 2009 14 “PERMANECEI NA CIDADE” FOLHA DIOCESANA Nº 155

Feliz Dia Eis ai a tua mãe (Jo 19,26-27)


Olhando para trajetória da vida de a vontade do Pai – de estabelecer o
Maria, a partir dos evangelhos e das Reino de Paz entre nós – e não a von-

das Mães! reflexões teológicas, a Mariologia, com-


preendemos que na linha do discipu-
lado ela foi perfeita. Como mulher,
tade dela como mãe.
Assim na caminhada Maria pode
compreender a importância do seu
mãe, missionária e mulher completou discipulado para ela e para a comu-
a sua razão de existir no “fiat” (faça-se nidade.
em mim) quando aceita ser a Mãe do Olhando para nós hoje, sobretu-
Libertador – Jesus de Nazaré, o Filho do as mães, o que podemos dizer do
de Deus. nosso comprometimento com as
Dar a nossa adesão a Jesus é o palavras e ações de Jesus? E nossos
ensinamento que a Mãe de Jesus nos filhos, como nos vêem como mães?
convoca hoje e sempre. Jesus nos dá Maria como Mãe e
Foi assim no seu tempo, presen- espera que sigamos seu maior exem-
te com a comunidade (cf At,1,14), plo como seguidora fiel, serva,
animando e motivando a comunida- missionária, discípula, apaixonada
de com a presença e a força do Espí- por seu Deus e agente ativa na co-
rito Santo (cf. At 2,2ss), numa atitu- munidade de fé e na realidade do seu
de ativa de serviço a favor do Reino tempo.
de Deus. Missão enorme para as mães tra-
A escritura nos revela que Maria balhadoras, operárias, professoras,
se preocupou com Jesus: por onde doutoras, ou simplesmente Mãe.
andava, suas amizades, o que apren- A todas nós saibamos agradecer
dia.. como ela sofreu pelo filho e a Jesus por nos deixar exemplo tão
como soube deixá-lo ir em sua mis- grandioso e humilde: Maria, sua mãe.
são, não se magoou, não cobrou.. E nossa também!!!
apenas acompanhou de longe, com
amor , com orgulho,. mas também Celia Soares de Sousa
compreendia e guardava no coração e Rosimarcia C. Andrade
o fato de Jesus ir em missão realizar Par. N. Sra. Aparecida – Cocaia

DEFESA DA VIDA

A fraude do aborto da menina de Alagoinha (PE)


Na última semana de fevereiro de panhamento pré natal e se permite acontecimento para promover a As pessoas tem o direito de sa-
2009, foi descoberta uma gravidez o parto por meio de cesariana. O agenda rumo a uma completa legali- ber a verdade e de compreender o
de gêmeos em uma menina de nove modo como se mentiu aos pais para zação do aborto. O sucedido está quanto o público e as próprias víti-
anos no nordeste brasileiro. O fato fazer com que consentissem com o sendo amplamente divulgado de mas estão sendo manipulados em
ocorreu na quarta feira dia 27 de fe- aborto é motivo de vergonha para modo a ocultar os verdadeiros fatos função de interesses internacionais
vereiro de 2009 na pequena qualquer serviço de saúde. O pai da ocorridos em um gigantesco espetá- com os quais o governo do presiden-
Alagoinha, uma cidade de 14 mil menina, impedido de culo midiático no te Lula é conivente.
habitantes no interior do Estado de falar com os médicos, qual o povo está sen- O que aconteceu no início de
Pernambuco. quando entendeu que “O que foi do induzido a crer março em Recife não é o primeiro
A menina já estava com quatro os funcionários do que uma gravidez de caso deste tipo. Há grupos que rece-
meses de gestação. O pai dos bebês hospital estavam
divulgado a uma menor de idade bem financiamentos milionários de
seria o padrasto, um rapaz de 23 mentido, pediu ajuda este respeito significa o mesmo Fundações internacionais para que
anos que vivia com a mãe da crian- a um serviço jurídico foi o que a que a sua morte físi- estes eventos sejam explorados ao
ça. O pai biológico da menina, que para impedir o abor- ca. máximo. Cabe aos que defendem a
atualmente vive também em to, um direito que a imprensa quis O que foi divulga- dignidade da vida humana, tomar
Alagoinha, havia se separado da mãe lei brasileira garante, que o público do a este respeito foi consciência do que está acontecen-
havia três anos. O padrasto foi preso pois é crime realizar o que a imprensa quis do e posicionar-se para que não ve-
na própria quarta feira à noite e a um aborto contra a
soubesse e não que o público soubes- nham mais a repetir-se fatos vergo-
população da cidade chegou a ten- vontade dos pais, o que realmente se. As pessoas direta- nhosos como este, em que pessoas
tar linchá-lo. principalmente quan- aconteceu” mente envolvidas no simples são enganadas, fatos são
A mãe da menor era contra o abor- do não há risco de caso expuseram aos escondidos e informações são ma-
to. O pai era radicalmente contra o morte. Os médicos do jornalistas que as pro- nipuladas e um povo inteiro é ludi-
aborto. Contra toda a melhor medi- hospital, porém, para garantirem que curaram todos os detalhes do que re- briado com o único fim de produzir
cina, os funcionários do hospital o aborto seria realizado mesmo con- almente aconteceu, mas nada foi pu- mudanças profundas na opinião pú-
deram a entender aos pais que a tra a vontade do pai, permitiram a blicado. Propositalmente toda a co- blica em função das agendas de or-
menina morreria se levasse a gravi- sua transferência para um paradeiro bertura dada pelos meios de comu- ganismos internacionais.
dez adiante. Isto simplesmente não que permaneceu em sigilo até que o nicação tem se centrado na pessoa (Extraído do texto “Silêncio sobre
é verdade. No Brasil todos os anos aborto se tivesse consumado. O go- do arcebispo, Dom José Cardoso So- o aborto legal” publicado pela Co-
há 30.000 gestações de menores de verno brasileiro e os meios de comu- brinho, e na questão da excomunhão, missão de Educação em Democracia
14 anos e não há nenhum caso re- nicação, tratando os responsáveis apenas com a finalidade de distrair o e Direitos Humanos de Taubaté-SP)
gistrado de morte por causa da gra- por estes fatos como se fossem he- público do que verdadeiramente
videz quando é oferecido um acom- róis, agora estão se aproveitando do aconteceu. Pe. Berardo Graz
FOLHA DIOCESANA Nº 155 “PERMANECEI NA CIDADE” 15 Maio de 2009

Calendário Diocesano - Maio/09 Comunicados


Data Hora Organização/Atividade
________________________________________________________ Local
Nomeações e transferências de padres
01 09:00 PJ - Subsídio Fest Jovem 2009
________________________________________________________ CDP
02 15:00 COMIDI - Reunião CDP
Os padres recém ordenados: Itapegica desde 24 de abril; Pe. Mar-
________________________________________________________ Daniel, Fabricio, Paulo Leandro e cos Vinícius é pároco em Sta. Luzia
03 SAV-PV - Animação vocacional
________________________________________________________ Paróquias Pelegrino, continuarão atuando, res- do Mikail desde 26 de abril; e Pe.
04 14:30 Past. da Saúde - Reunião dos Coordenadores CDP
pectivamente, nas paróquias Sto. Toninho Zafani é vigário paroquial
________________________________________________________ Alberto, Sta. Terezinha, São José e N. em Sta. Cruz do Taboão desde 26 de
05 09:30 CODIPA - Reunião da Coordenação
_______________________________________________________ Cúria Diocesana Sra. do Rosário. O diácono Cleber abril. Aos irmãos de fé e de cami-
05 19:30 Cáritas-Início do Curso DSI-Reg. Aparecida Salão da Cáritas
atuará na paróquia Sta. Cruz do Ta- nhada, que Deus os ilumine e inspi-
________________________________________________________ boão. re na missão!
07 09:30 CP - Conselho dos Presbíteros
________________________________________________________ Cúria Diocesana Pe. Eder Monteiro é administrador
09 14:00 Pastoral Carcerária - Reunião Mensal Catedral
paroquial em N. Sra. de Lourdes do Pe Jair Costa - Chanceler
________________________________________________________
12 20:00 CRP - Conselho Regional Fátima
________________________________________________________ Pimentas
14 19:00 Vicentinos - Reunião do Conselho Central Sede
Informações sobre as condições
________________________________________________________
15 20:00 CRP - Conselho Regional Aparecida
________________________________________________________ Cocaia de saúde do nosso Bispo, Dom Luiz
16 08:00 Past. da Criança SP2 - Polít. Púb. +
________________________________________________________Cap. Guia Sede Na terça-feira dia 07 de abril mento da Crisma.
16 15:00 Legião Maria - Reunião Comitium
________________________________________________________ CDP Dom Luiz recebeu alta definitiva do A partir de quarta-feira dia 15
hospital Stella Maris, onde estava voltou a celebrar normalmente a S.
16 15:00 Pastoral da Educação - Reunião mensal
________________________________________________________ CDP internado aproximadamente há um Missa na capela do Hospital Stella
16 15:00 Past. da Sobriedade - Reunião do FOMAD
________________________________________________________ Pimentas mês, após ter sido tratado por uma Maris e retomou suas costumeiras
endocardite que o obrigou a retira- atividades.
17 Past. Familiar/PJ - Encont. para namorados Vila Rosália
________________________________________________________ da do marcapasso e, após antibióti- No dia 21 de abril, no Santuá-
17 08:00 SAV-PV - Despertar Vocacional
________________________________________________________ Virgo Potens co-terapia, a reemplante de um novo rio de Aparecida, celebrou solene-
marcapasso. mente o Jubileu Sacerdotal de 50
17 08:00 RCC - Escola Paulo Apóstolo
________________________________________________________ Sede Na Quinta-feira Santa, na Cate- anos de padre, ordenando nesta
17 09:00 COMIDI - Enc. Dioc. de Juvent. Missionária Sta. Cruz Taboão
________________________________________________________ dral, Dom Luiz presidiu a celebra- mesma celebração quatro novos
ção da S. Missa Crismal. No domin- padres e um diácono para a nossa
17 14:45 Past. do Batismo - Reunião de Ag. Reg. Imac. Sto. Ant. do Parque
________________________________________________________ go de Páscoa às 8:00 hs no Santuá- diocese.
18 15:00 EDEC - Diálogo ecumenismo
________________________________________________________ CDP rio Bom Jesus da Cabeça, presidiu Agradeçamos a Deus a plena re-
a S. Missa e administrou o sacra- cuperação da saúde do nosso Pastor!
18 20:00 PASCOM - Reunião
________________________________________________________ C DP
19 08:00 Past. da Criança - Reunião Coord. Ampliada Sede
________________________________________________________
21 08:30 SP2 - Reunião de Bispos e Coordenadores
________________________________________________________
21/29 RCC - Novena de Pentecostes
________________________________________________________
São Paulo
Agenda do Bispo Diocesano - Maio/09
21 09:30 CODIPA - Colégio de consultores
________________________________________________________ Cúria Diocesana Dia 01 .. 18:30h ... Missa do Padroeiro – Jd. Ottawa
21 20:00 CRP - Conselho Regional Imaculada
________________________________________________________ Par. São Pedro Dia 04 .. 09:30h ... Reunião do Colegiado N. Sra. Aparecida
23 09:00 CNBB/SP2 - I Encontro past. Sociais Mogi Dia 06 .. 09:30h ... Reunião da Coordenação Diocesana de Pastoral - Cúria
________________________________________________________
23 14:00 Past. Litúrg. - Formação p/ Eq. Paroquiais CDP
Dia 07 .. 09:30h ... Reunião de Conselho de Presbíteros - Cúria
________________________________________________________ Dia 14 .. 09:30h ... Reunião do Colégio de Consultores
23 14:00 Past. Vocacional-Festa de N.S. das
________________________________________________________Vocações Seminário
Dia 15 .. 16:00h ... Encontro com Seminaristas – Seminário Lavras
23-24 Past. Familiar - Peregrinação Nac. da
________________________________________________________ Família Aparecida Dia 17 .. 10:00h ... Missa da Padroeira N. Sra. Fátima – Jd. Aracília
24 08:00 Pastoral da Sobriedade - Retiro Espiritual
________________________________________________________ Dia 21 .. 08:00h ... Reunião de Bispos e Coordenad. Diocesanos – SP2 - SP
24 08:00 Vicentinos - Dia de Oração
________________________________________________________ Cumbica Dia 23 .. 17:00h ... Ministérios de Salvador Rodrigues de Brito
24 14:00 Past. Litúrg. - Formação p/ Eq. Paroquiais Bonsucesso ............. e Cristiano Aparecido de Souza
________________________________________________________ Dia 24 .. 11:00h ... Crismas na Par. Santa Cruz – Taboão
24/31 EDEC - Semana de Oração
________________________________________________________ Paróquias
Dia 27 .. 09:30h ... Reunião do Clero – Seminário Lavras
26 20:00 CRP - Conselho regional Bonsucesso
________________________________________________________ Par. Sto. Alberto Dia 30 .. 14:00h ... Lançamento Missão Continental - CDP
27 09:30 CP - Reunião do Clero
________________________________________________________ Seminário Dia 31 .. 11:00h ... Crismas na Par. da Catedral
30 14:00 COMIDI - Missão Continental- lançamento C D P
________________________________________________________ ............ 16:00h ... Crismas na Par. Bonsucesso
31 14:00 Past. Vocacional - Enc. Vocac. Masculino Seminário

Redação: Cúria Diocesana - Av. Gilberto Dini, 519 - Bom Clima


Cep: 07122-210-Fones: 2408-0403/2468-8902-Fax: 2440-0177
Aniversariantes Tiragem: 30.500 exemplares - www.diocesedeguarulhos.org.br
E-mail: folhadiocesana@diocesedeguarulhos.org.br

Padres que completarão mais um ano de vida ou de ordenação Responsável: Pe. Giovanni Banchio (coordenacao@diocesedeguarulhos.org.br)
Jornalista Resp.: D. Luiz Gonzaga - Mtb. 123 (domluiz@diocesedeguarulhos.org.br)
(O) ORDENAÇÃO - (N) NASCIMENTO - (O.E.) ORDENAÇÃO EPISCOPAL Secretária: Caetana Cecilia Filha - Revisão: Pe. Antonio Zafani
Editoração Eletrônica: MRF Produções - 2461-5203 - E-mail: freitas@uol.com.br
03/05 - Pe. Jaime Gonçalves .... (O) 20/05 - Dom Luiz Gonzaga ...... (N) Impressão: NEO GRAF - Indústria Gráfica e Editora Ltda - Fone: 3333-2474
03/05 - Pe. Jose Vagner ............ (O) 21/05 - Pe. Alci Vilas Boas ........ (O) ATENÇÃO COLABORADORES: Favor enviar as matérias até o dia 15
03/05 - Pe. Romualdo Nunes .... (O) 30/05 - Pe. José Miguel ............. (O) de cada mês. Os textos devem conter no máximo 30 linhas, com
13/05 - Pe. Antonio Testa ........ (N) 01/06 - Pe. José Wagner ........... (N) corpo 14. Caso a matéria venha com maior quantidade de linhas, faremos a
redução proporcional, sem descaracterizar o conteúdo da matéria.
17/05 - Pe. Luiz Carlos kalef .... (O) 01/06 - Pe. Francisco Antunes . (N)
Quem quiser fazer contato com os colaboradores ligue na redação
Maio de 2009 16 “PERMANECEI NA CIDADE” FOLHA DIOCESANA Nº 155

Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos


Unidos na tua mão
Os dias entre a Ascensão e o Pen- 18 e 25 de janeiro, culminando na Luterana, Anglicana, Reformada, Or-
tecostes são dedicados à Semana de festa da Conversão de São Paulo. Foi todoxa, Presbiteriana. O subsídio de
Oração pela Unidade dos Cristãos. inclusive por ocasião da Semana de 2009 foi produzido pelas Igrejas da
Bem na novena do Espírito Santo, isto 2008 que o papa Bento XVI, reunido Coréia para uso mundial e se inspira
é, no período em que os apóstolos em oração com outros líderes cris- numa palavra profética de Ezequiel:
se reuniram em Jerusalém à espera tãos, lançou a idéia de um Ano Unidos na tua mão (Ez 37,17). O
do Dom do alto prometido por Je- Paulino, que tem entre suas finali- profeta é convidado por Deus a segu-
sus, as comunidades cristãs são con- dades a promoção do diálogo rar dois pedaços de madeira com es-
vidadas a unir-se em oração para ecumênico. No Brasil é tradição ce- critos os nomes dos dois reinos em
que o Espírito Santo realize o mila- lebrar a Semana num período pasto- que o povo de Israel estava na época
gre do encontro, do diálogo, da re- ralmente mais aproveitável, a novena dividido. O gesto expressa o sonho de
conciliação. A Semana, promovida de Pentecostes. Coordenador da ini- Deus e a esperança do povo de que se
mundialmente pelo Movimento ciativa é o Conselho Nacional das faça unidade do que está separado.
Ecumênico, é celebrada desde os iní- Igrejas Cristãs do Brasil (CONIC), co-
cios do século vinte, sendo que no nhecido organismo ecumênico inte- Pe. Marco Testa
hemisfério norte ela acontece entre grado pelas Igrejas: Católica, Par. Santa Cruz

No início de maio estarão disponíveis, na caixinha das paróquias,


o cartaz e o livrinho. Pedimos às paróquias que promovam LANÇAMENTO
a Semana da Unidade podendo, conforme sua possibilidade: DA MISSÃO
 Realizar por completo a proposta do subsídio CONTINENTAL
 Realizar ao menos uma das três celebrações sugeridas Fazer uma motivação a cada dia (encontram-se tam-
bém na Liturgia Diária). A Coordenação
Diocesana de Pastoral
É bom esclarecer que:
 A oração pela unidade não exige a presença de cristãos de outras denominações; CONVOCA
 Conta muito saber que a mesma oração é feita, na mesma semana, por várias Igrejas;
 O ideal é sim realizar momentos ecumênicos de oração, mas estes poderão vir em seguida, desde que come- os membros dos
cemos a nos preocupar com a unidade. CONSELHOS DE
 No caso de celebrações com a presença de Igrejas diferentes, convém ater-se ao roteiro do livrinho, em clima PASTORAL de todas as
de grande respeito. Podem-se convidar membros das mais diferentes Igrejas e grupos cristãos, mesmo não paróquias e os membros
representados no CONIC.
das EQUIPES DIOCESANAS
 Pedimos ainda: Que se realize a coleta por ocasião das celebrações pela unidade e se envie diretamente ao
CONIC; DE PASTORAL, para
 Que se avaliem as experiências; SÁBADO, dia 30 de MAIO,
 Que se envie um relatório das experiências à Coordenação Diocesana. às 14h00 no CENTRO
 O subsídio lembra que em 2010 teremos novamente a Campanha da Fraternidade Ecumênica. A Semana da
DIOCESANO DE PASTORAL
Unidade pode ser um ótimo começo para prepará-la, fazendo contatos, criando laços, escolhendo pessoas para o lançamento
motivadas para compor as equipes. diocesano da
Vem Espírito Santo, inspira nossa oração, cria a unidade conforme o pedido de Jesus! Missão Continental.

INFORMATIVO DA DIOCESE DE GUARULHOS

Cúria Diocesana - Av. Gilberto Dini, 519


Bom Clima - Guarulhos - Fone: 2408-0403

—IMPRESSO—