You are on page 1of 2

Música e Espiritismo

Muitos questionamentos têm sido aventados quanto à pertinência ou não


do uso da música em reuniões espíritas, públicas ou mesmo mediúnicas. Alega-
se, muito freqüentemente, se não estaríamos incidindo em práticas ritualísticas
comuns a outras correntes religiosas.
Preliminarmente, recorramos à questão 251, de O Livro dos Espíritos, na
qual se faz referência aos encantos da música celeste, praticada nas esferas
espirituais elevadas, como sendo “tudo o que de mais belo e delicado pode a
imaginação espiritual conceber”.
Em Obras Póstumas, Segunda Parte, temos o relato de uma jovem
musicista, que, conduzida pelos protetores espirituais em estado sonambúlico,
mergulha em intenso êxtase, ao sentir a magnífica harmonia celestial.
Alguns anos após, o Espírito André Luiz, em sua obra intitulada Nosso Lar,
psicografada por Francisco Cândido Xavier, viria nos oferecer fortes subsídios que
confirmariam a imprescindibilidade da música nas atividades desenvolvidas no
plano espiritual, principalmente às páginas 67 e 68, onde deparamos com
decisiva elucidação acerca da temática ora abordada; vejamos:

”Em plena via pública, ouviam-se, tal qual observara à saída, belas
melodias atravessando o ar. Notando-me a expressão indagadora, Lísias
explicou fraternalmente: Essas músicas procedem das oficinas onde
trabalham os habitantes de "Nosso Lar". Após consecutivas observações,
reconheceu a Governadoria que a música intensifica o rendimento do
serviço, em todos os setores de esforço construtivo. Desde então, ninguém
trabalha em “Nosso Lar” sem esse estímulo de alegria”.

No capítulo 45, daquela mesma obra, o autor espiritual discorre sobre as


atividades no “Campo da Música”, aprazível localidade destinada aos mais
interessantes exercícios musicais, onde, inclusive, teve a grata oportunidade de
maravilhar-se com um belíssimo hino, cantado por duas mil vozes simultâneas.
Ressalte-se, oportunamente, que o Espiritismo há de concorrer
decisivamente para o processo de sublimação da música no planeta em que
vivemos, como conseqüência de sua salutar influência na reforma moral dos
homens. A propósito, transcrevemos uma interessante orientação, inserida em
Obras Póstumas, também na Segunda Parte, na qual o Espírito Rossini, que na
Terra foi conhecido compositor lírico italiano, fala-nos sobre a ação que a Doutrina
Espírita certamente terá como elemento refinador das composições musicais,
tendo assim se expressado:

“O Espiritismo, moralizando os homens, exercerá, pois, grande


influência sobre a música. Produzirá mais compositores virtuosos, que
comunicarão suas virtudes através de suas composições.(...) Por outro lado,
os ouvintes que o Espiritismo preparar para receber mais facilmente a
harmonia, sentirão verdadeiro encantamento ao ouvir a música séria;
desprezarão a música frívola e licenciosa, que seduz as massas”.
Plenamente justificada, então, a utilização da música, em qualquer de suas
manifestações, desde que consonante com os objetivos superiores a que nos
dediquemos, notadamente no ambiente espírita, guardando-se a devida cautela
na seleção das melodias a serem entoadas, de modo a conduzir encarnados e
desencarnados a um clima mental satisfatório.
Por extensão, a música far-se-á poderoso e legítimo coadjuvante na
condução dos ensinamentos espíritas, seja nas tarefas de evangelização da
infância e da juventude; nas preliminares ou encerramento de reuniões públicas e
mediúnicas, ou em quaisquer outras ocasiões em que a Doutrina Espírita se
apresente.
Deixemo-nos levar, portanto, pelas melodias edificantes que o mundo nos
ofereça, ou que as nossas vozes ou instrumentos possam produzir, reconhecendo
que, onde quer que se situe, a música, desde que sublime, é prece que enleva e
enobrece o espírito eterno que todos somos, permitindo-nos entrar em estreita
comunhão com os planos superiores da expressão espiritual.
(PUBLICADO NA REVISTA INTERNACIONAL DE ESPIRITISMO)

José Marcelo Gonçalves Coelho


josemarcelo.coelho@ig.com.br

Referências bibliográficas:

XAVIER, Francisco Cândido


Nosso Lar, Editora FEB—Espírito André Luiz

KARDEC, Allan
O Livro dos Espíritos—Editora FEB
Obras Póstumas—Editora FEB