Sie sind auf Seite 1von 13
R esolução das atividades complementares F ísica F10 — Movimento harmônico simples p. 8 Em
R esolução das atividades complementares F ísica F10 — Movimento harmônico simples p. 8 Em

Resolução das atividades complementares

R esolução das atividades complementares F ísica F10 — Movimento harmônico simples p. 8 Em questões

Física

F10 — Movimento harmônico simples

p. 8
p. 8

Em questões como a 1, a resposta é dada pela soma dos números que identificam as alternativas corretas.

1
1

(UEM-PR) Tomando-se como base a conservação da energia mecânica, assinale o que for correto.

(01) Em qualquer circunstância, a energia mecânica de uma partícula é constante. (02) A energia potencial não pode ser transformada em energia cinética.

(04) Não é possível determinar a energia potencial de uma partícula quando a sua energia cinética é nula. (08) Durante a queda de um corpo no vácuo, a energia mecânica do corpo permanece constante. (16) A energia mecânica de uma partícula em movimento harmônico simples (MHS) é proporcional ao quadrado da amplitude do movimento. (32) Joga-se uma pedra verticalmente para cima. A energia cinética da pedra é máxima no momento em que ela sai da mão. (64) Em qualquer circunstância, o tempo empregado por uma partícula para se deslocar de uma posição para outra pode ser determinado diretamente a partir da expressão que caracteriza a conservação da

a partir da expressão que caracteriza a conservação da energia mecânica. 56 Resolução: (01) Errada. A
a partir da expressão que caracteriza a conservação da energia mecânica. 56 Resolução: (01) Errada. A
a partir da expressão que caracteriza a conservação da energia mecânica. 56 Resolução: (01) Errada. A

energia mecânica.

56

Resolução:

(01) Errada. A energia mecânica só é constante se na partícula agirem apenas forças conservativas. (02) Errada. A energia potencial pode se transformar em cinética e vice-versa. (04) Errada. Se a energia potencial for gravitacional, ela é calculada por E p 5 mg L e se for elástica

2

ela é calculada por E p 5 Rx

2

.

Se for energia potencial elétrica, é calculada por E p 5 qV.

(08) Correta. A queda de um corpo no vácuo sob a ação do peso do corpo é uma força conservativa.

(16) Correta.

(32) Correta. Conforme a pedra vai ganhando altura, vai perdendo energia cinética, que é transformada em energia potencial. (64) Errada. Não é possível determinar diretamente o tempo a partir da expressão que caracteriza a conservação de energia mecânica.

E mec 5 ka

2

2

.

2
2

(UFMS) Em um movimento harmônico simples, a elongação (x) é dada por x 5 A cos(ωt 1 ϕ).

5

Desejando-se percentualizar a grandeza elongação, definiu-se %x

valor que a elongação pode assumir. Os percentuais (%v) e (%a) das grandezas velocidade e aceleração, respectivamente, receberam definições semelhantes. O gráfico desses percentuais, em função do tempo, t(s), está representado abaixo, com legenda posicionada na parte superior.

100x , onde x máx representa o máximo

x

máx

100x , onde x m á x representa o máximo x máx Considere as afirmativas: I.
100x , onde x m á x representa o máximo x máx Considere as afirmativas: I.

Considere as afirmativas:

I. O período do movimento é de 10 segundos.

II. A freqüência do movimento é de 0,1 hertz.

III. A pulsação do movimento é de π

6

rad/s.

IV. O ângulo inicial de fase () é de π

6

radianos.

V. A velocidade do objeto é nula no instante t 5 4 s.

É correto afirmar que:

a) apenas a afirmativa I está correta.

b) as afirmativas I e II estão corretas.

c) apenas a afirmativa III é correta.

e II estão corretas. c) apenas a afirmativa III é correta. d) as afirmativas III e

d) as afirmativas III e V estão corretas. e) todas as afirmativas estão corretas.

Resolução:

I. Errada. O tempo d ecorrido entre 100% e 100% é

2

T

2

5

(10

2

4) s

T 5 2 ? 6 T 5

12 s

1 1 II Errada. A freqüência é f 5 5 5 0,083 Hz. T 12
1
1
II
Errada. A freqüência é f 5
5
5 0,083 Hz.
T
12
2
π
2
π
π
IIII. Co rreta.  5
5
 5
rad/s
T
12
6
100
x
100x
IV. Errada. %x 5
Em t
5
0
5
0
5
50x
5
100x
→→
máx
x máx
x máx
x máx
50x
1
máx
x máx
x 2
5 x →
x 5
cos
 5
5
5
xx máx
?
100
2
x
x
2
máx
máx
x máx
π
cos
 5
 5
rad
1 2 →
3
100v → 0 5
100 v
V. Co rreta. Em t
5 44 s
%v 5
100v
5
0
v 5
0
v máx
v máx

Altern aativa d.

3
3

(Efei-MG) Um corpo executa um movimento harmônico simples, de tal forma que a sua posição

5 m

c)

(

4 π t 1

π

2

) , em que x é dado em metros e t em

a posição em t 5 4 s;

zero

em função do tempo é dada pela expressão x 5 5,0 ? cos

segundos. Pede-se:

a) a amplitude do movimento;

a freqüência f;

b) 2 Hz

Resolução:

d) o período T.

1 2 s

a) A 5

5 m

b)  5

4 π

f

5

c) x 55

x

5

2 π

?

5

5

?

f 5

(

(

cos 4 π

cos 16 π

?

4

2

π

π

4

1

5 2 Hz

1

π

2

)

π

2

)

π x 5 5 ? cos 2 x 5 0 1 1 dd) T 5
π
x
5
5 ?
cos
2
x
5 0
1
1
dd) T 5
5
f
2 s
4
(UFG-GO) Seja uma partícula em movimento harmônico simples regido pela função x 5 0,1 ? cos(2πt),
para x em metros e t em segundos. Responda:

a) O que representam as constantes 0,1 e 2π?

b) Qual a freqüência, em hertz, do movimento?

c) Em que posição se encontra a partícula em t 5 0 s? Qual a velocidade nesse instante?

d) Em que posição a energia cinética é máxima? Em que instante isso acontece? x 5 0 e t 5

0,1 m e 2π rad/s 1 Hz

Reso lução:

a)

A amplitude e a pulsação (A e )), resp ectivamente.

A 5

5

0,1 m e

2 π

f

 5

5

2 rad/s

π

2

2

π

π

b) f 55

c)

1 Hz

0,1

?

0)

x

5

0,1

?

cos

(2

π

?

0

)

5

v

5 2

0,1

?

2 π

?

sen (2 π

?

cos 0 55 0,1 m

5 2

0,2 π

?

sen 0

5

0 m/s

dd) E é máxima quando | v | é máxima. Como | v 5

c

||

| sen

Sendo sen (2 t) 5 

v

(2

π

π

?

t)|

máx

5

1

sen ( π

22 t) 5  1

1, teremos cos (2 t) 55 0

π

Logo:

x

Isso oco rre nos i nnstantes:

sen (2 t)

0,1

5 ?

π

cos (2 t)

π

5

1

x

sen (2 t)

π

5

0

 

π

5

sen n

?

 

2

0,2 sen (2

π |

2 t 5 n

π

π

22

t 5

n

4

(n, natural e ímpar)

π

?

t

) |:

n

4

0,1 m e zero

( n , natural, ímpar)

5
5

b)

π

2

π

(Unisa-SP) Uma partícula realiza um movimento harmônico simples de período 2 s e amplitude de

c) π 2 e) 4π d) 2π Resolução: a 5 5 cm 2 π 2
c)
π 2
e)
d)
Resolução:
a 5 5 cm
2 π
2
π
T
5
2 s →
 5
5
 5
π rad/s
T 2
x
5
aa cos ( T
5 
)
Chamado cot
1 
5 
→ 3
5
5 cos
0
0
33
cos  5
5
2
(
3
)
9 225
2 9
2
2
2
2
sen
 1
cos
 5
1
sen
 1
5
1
sen
 5
1
2
5
5
25
25
16
4
2
sen
 5
→ sen
 5 
25
5
v
5
2
a
sen ( t
1 
→ vv 5 2
π ?
5 sen
0 )
( 
)
v
5
2
π
?
5
2
v 5 
4 cm/s
π
4 5 →
| v |
5
4 cm //s
π

5 cm. O módulo de sua velocidade, ao passar pelo ponto de elongação igual a 3 cm, em cm/s, será:

a)

6
6

(UECE) Em 1610 Galileu usou o seu recém-construído telescópio para observar Calisto, uma das

luas de Júpiter. Como observava noite após noite, ele mediu a posição de Calisto com relação a Júpiter e verificou que esta lua se movia para a frente e para trás, o que lhe sugeria um movimento harmônico simples. Realmente, Calisto não oscila para a frente e para trás; ela se move numa órbita aproximadamente circular em torno de Júpiter. Essa situação pode ser visualizada observando-se a sombra de uma haste vertical iluminada, fixada na borda de um disco que executa um movimento circular uniforme no plano horizontal, como mostra a figura. Para um disco de 20 cm de raio, girando com freqüência de 5/π Hz, a máxima aceleração da sombra da haste projetada na parede, P1, em m/s 2 , é:

sombra da haste projetada na parede, P1, em m/s 2 , é: a) 10 c) 30
sombra da haste projetada na parede, P1, em m/s 2 , é: a) 10 c) 30

a)

10

c)

30

b)
b)

20

d) 40

Resolução:

a

 5

| |

|

5

R

2

5

20 cm

5

|

π ?

5 

5

2

?

f

a

2

máx

máx

20 mm/s 2

5

π ?

5

0,20 m

5

π

10

2

?

5 10 r

0,20

ada /s

5

100

?

0,2

p. 9 7
p. 9
7

A posição de um ponto material que executa um MHS é dada por x 5 6 ? cos 4πt, no SI.

4π rad/s e zero

6 m e zero

a)

b) Qual a posição e a velocidade inicial desse ponto material?

c) Esboce, num diagrama cartesiano, o gráfico da posição em função do tempo.

d) Quanto tempo o ponto material leva para passar pela primeira vez na posição de equilíbrio?

Calcule a pulsação e a fase inicial desse movimento.

Resolução:

a)

b) A

 5

4 rad/s e

π

0

5 0

função da vvelocid ade é:

 

v

5 

A

?

sen ( t

1 

0 )

v

5

2 4 π ?

6 sen (4

ππt)

5 2

24 π sen (4 πt)

Sendo t

5 0, obtemos:

 

x

v

5 6 ? coss (4

5 2

π

24 sen (4

π

?

π

0 )

?

5

0 )

6

cos 0

5

5 2

π

2 4 se

6 m

nn 0

5

0

c)

t

x

0

6

x (m)

x (m)

1

0 1 1 3 1 8 4 8 2 �6
0
1
1
3
1
8
4
8
2
�6

6

0 1 1 3 1 8 4 8 2 �6 6 t (s)

t (s)

8

0

1

4

3

2 6

8

0

1

 

2

6

d

) Do gráfico, obtem

oos: t 5

1

8

s

1 8 s

8
8

tempo?

Qual o nome de um movimento em que as oscilações se repetem igualmente no mesmo intervalo de

Resolução:

Movimento periódico.

9
9

Que relação existe entre o período e a freqüência de um movimento harmônico simples?

Resolução:

Como em qualquer movimento periódico, o período é o inverso da freqüência, e vice-versa.

10
10

Qual é a relação entre a freqüência, o comprimento de onda e a velocidade de uma onda?

Resolução:

A relação, chamada de “relação fundamental da ondulatória”, é dada por: v 5 λ ? f.

11
11

(Fuvest-SP) Dois corpos A e B descrevem movimentos periódicos. Os gráficos de suas posições x em

função do tempo estão indicados na figura:

x em função do tempo estão indicados na figura: Podemos afirmar que o movimento de A

Podemos afirmar que o movimento de A tem:

menor freqüência e mesma amplitude; maior freqüência e mesma amplitude;

a)

b)
b)

c) mesma freqüência e maior amplitude;

d) menor freqüência e menor amplitude; e) maior freqüência e maior amplitude.

Resolução:

No eixo x x máx A 5 x máx B os dois movimentos têm a mesma amplitude. No eixo t enquanto B executa um movimento completo, A executa dois. Assim, o movimento de A tem maior freqüência. Alternativa b.

p. 11 12
p.
11
12

O que significa período de um pêndulo?

Resolução:

Período é o intervalo de tempo em que ocorre uma oscilação completa do pêndulo.

13
13

Se o comprimento do fio de um pêndulo é diminuído, sua freqüência aumenta ou diminui? Por quê?

Resolução:

A freqüência aumenta, pois ocorre uma diminuição do período de oscilação.

14
14

O tempo necessário para uma balança de um parque de diversões oscilar para a frente e para trás

aumenta ou diminui quando uma criança senta na balança?

Resolução:

Ele permanece constante, pois para um pêndulo simples o período de oscilação independe da massa.

15
15

(UFMA) Em uma aula prática, o professor de Física pediu a seus alunos que determinassem a

d)

e)

aumentar a amplitude de oscilação. utilizar massas diferentes.

aceleração da gravidade utilizando um pêndulo simples. Para que o valor de g, obtido por esses alunos, tenha uma maior precisão, eles devem:

a) usar uma massa muito grande.
b) encurtar o comprimento do fio. medir um número maior de períodos.

c)
c)

Resolução:

Sendo T

4

π

L 5 2 π g 2 ? L →
L
5 2 π
g
2
?
L →

T 2

5

g

, temos:

g 5

4

ππ 2

?

L

T

2

Pela expressão, devemos variar o comprimento do fio e dessa forma medir um número maior de períodos. Alternativa c.

p. 12 16
p.
12
16

(Cefet-MA) Um professor da Cefet-MA, para motivar os seus alunos a acreditarem nas leis da Física,

costumava fazer a seguinte experiência: Um pêndulo de massa igual a 1 kg era preso no teto da sala. Trazendo o pêndulo para junto de sua cabeça, ele o abandonava em seguida, permanecendo imóvel, sem medo de ser atingido violentamente na volta da massa. Ao fazer isso, ele demonstrava confiança na seguinte lei física:

a) Independência do Período do Pêndulo em Relação à Massa.

b) Conservação da Quantidade de Movimento.

c) Segunda lei de Newton.

d) Primeira lei de Newton. Conservação da Energia.

e)
e)

Resolução:

A energia mecânica do sistema se conserva. O pêndulo volta à posição inicial transformando sua energia cinética em energia potencial gravitacional, ou seja, sua velocidade nesse ponto é nula. Alternativa e.

17
17

(Unifei-SP) Os relógios de pêndulo podem ser acertados variando-se o comprimento do pêndulo

(aumentando-se ou diminuindo o seu comprimento). Qual das afirmações abaixo é correta?

a) Se o relógio estiver adiantando, devemos diminuir o comprimento do pêndulo.

b) Se o relógio estiver adiantando, devemos aumentar a massa do pêndulo.

c) Se o relógio estiver adiantando, devemos diminuir a massa do pêndulo.

d) Se o relógio estiver atrasando, devemos aumentar o comprimento do pêndulo. Se o relógio estiver atrasando, devemos diminuir o comprimento do pêndulo.

e)
e)

Resolução:

O período independe da massa do pêndulo. Sendo T

5

2

π

L g
L
g

, verificamos que diminuindo o

comprimento L, o período do pêndulo diminui. Assim, o relógio se adiantará. Alternativa e.

18
18

(Mack-SP) Num laboratório, são realizadas experiências com dois pêndulos

3

simples distintos. O primeiro, de comprimento L, denominado pêndulo A, possui

um corpo suspenso de massa m. O segundo, de comprimento L , denominado

pêndulo B, possui um corpo suspenso de massa 3m. A relação entre os respectivos

períodos de oscilação desses pêndulos é:

Tos respectivos períodos de oscilação desses pêndulos é: A b) T B 5 T ? 3

A

b)

T

B

5 T ? 3 B 5 T ? 3 A Resolução:
5
T
?
3
B
5
T
?
3
A
Resolução:

c)

d) T

T

A

A

5

5

T

B

9

?

T

B

e)

T

B

5

? 3 A Resolução: c) d) T T A A 5 5 T B 9 ?

9

T

A

?

O período de oscilação de um pênduulo não depende da massa do corp o oscilantee e é dado por:

T 5 2π

L g
L
g

Portanto: T

A

T

B

T A

T B

L 5 2 π g L 3 5 2 ππ g 5 3 → T
L
5
2
π
g
L
3
5
2
ππ
g
5
3
→ T
A

5

T

B

3
3

19
19

(UFPR) Uma criança de massa 30,0 kg é colocada em um balanço cuja haste rígida tem comprimento

de 2,50 m. Ela é solta de uma altura de 1,00 m acima do solo, conforme a figura abaixo. Supondo que a criança não se auto-impulsione, podemos considerar o sistema “criança-balanço” como um pêndulo simples. Desprezando-se a resistência do ar, é correto afirmar: (Dado: g 5 10 m/s 2 .)

do ar, é correto afirmar: (Dado: g 5 10 m/s 2 .) (01) (02) (04) (08)
(01)
(01)

(02)

(04)
(04)

(08)

(16)

O intervalo de tempo para que a criança complete uma oscilação é de π s. A energia potencial da criança no ponto mais alto em relação ao solo é de 150 J. A velocidade da criança no ponto mais próximo do solo é menor que 4,00 m/s.

Se a massa da criança fosse maior, o tempo necessário para completar uma oscilação diminuiria.

A freqüência de oscilação da criança depende da altura da qual ela é solta.

5

Resolução:

(01) Verd adeira . L T 5 2 π g
(01) Verd adeira .
L
T 5
2 π
g

T

5

2 π

2,5 10
2,5
10

2 ππ

0,25
0,25

T

5

2

π

?

0,5

T

5

π

s

(02) Falsa .

E

(04) Verd adeira . Da Co nserva çção da Energia Mecânica:

E

P

5

m g h

P

5

330 ? 10 ? 1 E 5 300 J

P

E

P

A

5

E

CB

1

E

P

B

m g h 55 1 2 m v 1 m g h A B B
m g h
55
1 2 m v
1
m g h
A
B
B
10
?
1
5
1
2 1
2
?
v
10 ?
0,5
B
2
v
5
10
B
v
5
1
00 m/s
B

(08) Falsa.

O período de oscilação indep eende da massa.

(16) Falsa.

1

T

1

2 π

g L
g
L

f 5

A freq üüência independe da amplitude.

f

5

p. 17 20
p.
17
20
a)
a)

(Efoa-MG) Uma partícula presa a uma mola executa um movimento harmônico simples. É correto

afirmar que o módulo da velocidade da partícula é:

mínimo quando ela apresenta a aceleração máxima.

b) máximo quando a elongação é máxima.

c) mantido constante.

d) máximo quando ela apresenta a aceleração máxima.

e) mínimo quando a elongação é mínima.

Resolução:

A velocidade da partícula é mínima (v 5 0) para x 5 A, ou seja, quando a aceleração é máxima. Alternativa a.

21
21

Na Terra, um corpo de massa 10 g está em movimento harmônico simples, suspenso por uma mola

0,4 Hz

de constante elástica k. Sua freqüência é de 0,10 Hz, e a aceleração da gravidade vale 10 m/s 2 . Outro corpo de

massa 5,0 g é suspenso por outra mola de constante elástica 2k, na superfície de outro planeta, onde g 5 20 m/s 2 .

Calcule a freqüência, em hertz, desse segundo corpo.

. Calcule a freqüência, em hertz, desse segundo corpo. Reso lução: Dados :  m 5

Reso lução:

Dados :

 m 5 10 g 5 0,01 kg m 5 5 g 5 0,005 kg
m
5
10 g
5
0,01 kg
m 5
5 g
5
0,005 kg
1
2
f 1 5 0,1 Hz
k
5 2k
2
1
2
22
g
5 110 m/s
g
5 20 m/s
1
2
1
k
1
k
f 5
1
f 5
1
→ 0,1
5
1
1
1 π
2
2 π
m
2 π
0,01
1
2 4
2
k 5
4
?
10 ππ n/m
1
2 4
2
1
k
1
8
? 10
π
2
f 2 5
→ f
5
2
2
π
m
2 π
2 3
5
? 1 0
2
f
5 0, 44 Hz
2

0

22
22

(UFG-GO) Uma mola de constante elástica k 5 50 N/m e massa desprezível tem uma extremidade

fixa no teto e a outra presa a um corpo de massa m 5 0,2 kg. O corpo é mantido inicialmente numa posição em que a mola está relaxada e na vertical. Ao ser abandonado, ele passa a realizar um movimento harmônico simples, em que a amplitude e a energia cinética máxima são, respectivamente: (Dado: g 5 10 m/s 2 .)

a)
a)

4 cm e 0,04 J

c)

8 cm e 0,04 J 8 cm e 0,08 J

 

e)

8 cm e 0,16 J

 

b)

4 cm e 0,08 J Resolução:

d)

 

No equilíb rio, temos:

 

Na posição x

5

0, temos:

 

F

el 5

m g

P → k x 5 m gg → x 5 k 0,2 ? 10 →
P
k x
5
m
gg → x 5
k
0,2
?
10
x
5
0,04 m
x

50

 

E

E

c

máx

; E

5

p

5

kA

2

0; E

m

E

55

E

5

c

máx

50

?

(0,04)

2

x 5

5

4 cm

m

2

m

2

   

E

5

0,04 J

 
 

Logo:

A 5 44 cm.

 

m

 

Porta nnto, E

c máx

 

5

0,04 J.

 

E c máx

4 cm

0

4 cm

23
23
5 0,04 J.   E c máx � 4 cm 0 4 cm 23 (Unicamp-SP) Um

(Unicamp-SP) Um corpo de massa m está preso a

uma mola de constante elástica k e em repouso no ponto O. O corpo é então puxado até a posição A e depois solto. O atrito é desprezível. Sendo m 5 10 kg, k 5 40 N/m, π 5 3,14, calcule:

a) o período de oscilação do corpo;

b) o número de vezes que um observador, estacionário no ponto B, vê o corpo passar por ele, durante um

3,14 s

intervalo de 15,7 segundos.

10 vezes

Resolução:

m 5 10 kg

a) Dados: k 5 40 N/m

π 5 3,14

 

O período é dado por:

T 5 2π

m k
m
k

T

5 2 ?

3,14

10 40
10
40

→→ T 5 3,14 s

b) Co mo 15,7 s equivalem a

15,7

3,144

5

5 períodos e, a cada período , o corpo

pas ssa por duas vezes, ele passará por

B

B

10 v

eezes.

p. 18 24
p. 18
24

Um bloco de 0,1 kg oscila sobre uma superfície horizontal. Sua elongação é dada por

π

2

) no SI.

π 5 Hz

1 m/s

x 5 0

x 5 0,1 ? cos ( 10 t 1

a) Qual a freqüência do movimento do bloco?

b) Qual a velocidade máxima adquirida pelo bloco?

c) Qual a posição do bloco quando sua velocidade é máxima?

Resolução:

a) Da função, temos:  5 10 rad/s. Loogo:

f

10

5

?

10

2 π

0,1

 5

f

5

máx

5

Hz

5  a

π

π

2 f

10

5

π

2 f

b) v

c)

x

v

5

5 

v

máx

5 

m ááx

v

v 5 2

5

1 m/s

1 m/s

0 (no se

nntido positivo de x )

x 5

0 (no senti

ddo negativo de x)

1 m/s

25
25

Num oscilador harmônico simples, situado num plano horizontal, a mola sofre deformação de

0,20 m quando a força elástica vale 12 N. A massa do bloco é igual a 300 g, e a amplitude da oscilação vale 50 cm. Calcule:

a) as energias cinética e potencial nos pontos de deformação máxima da mola;

zero e 7,5 J

b) a energia mecânica do oscilador;

7,5 J

c) o módulo da velocidade máxima do bloco;

7,1 m/s

d) o módulo da velocidade do bloco quando a deformação da mola vale 6,0 cm.

7,02 m/s

Resolução:

Dados:

x 5

5

F

m

A

5

5

0,2 m

12 N

300 g

50 cm

5

5

0,3 k

0,5 m

gg

a) Cálculo na constant ee elástica da mola:

F 5 kx → 12 5 k ? 0,2 → k 5 60 N/m N
F 5 kx → 12 5 k ?
0,2
→ k 5
60 N/m
N oos pontos d e elo ngação máxima E
0, pois v
c 5
2
kA
Co
mo E
5
E
1
E
E
5
E
5
m
c
p
m
p
2
2
60
? 0,5
E
5
5
7,5 J
p
2
b) E
5
7,5 J
m
c) No ponto de equilíb rio E
5
0.
Logo:
p

55

0

.

E

m

5

E

c

1

E

p

d) Sendo x

5

6 cm

5

2 E 5 E → E 5 mv máx m c c 2 2 0,3
2
E
5
E
E
5
mv máx
m
c
c
2
2
0,3
? mv
7,5 5
m
ááx
2
50
 7,1 m/s
v máx 5

0,06 m, ttemos:

2 kA 2 1 kx 2 E 5 E 1 E 5 m v 1
2
kA
2 1
kx
2
E
5
E
1
E
5
m v
1
p →
m
c
2
2
2
2
2
60 ? 0,5
60
? 0,06
5
1 2 ??
0,3
?
v 2
1
2
2
7,5
5
0,15v
2 1
0,108
2
v
5 49,28

v  7,02 m/s

26
26

(UFPB) Uma jovem monitora prepara um sistema massa2mola,

26 (UFPB) Uma jovem monitora prepara um sistema massa 2 mola, como indicado na figura ao

como indicado na figura ao lado, com o intuito de fazer uma demonstração

para seus estudantes. A jovem então afasta a massa de seu ponto de equilíbrio, distendendo a mola de uma certa quantidade. A seguir a massa é solta, passando a executar um movimento harmônico simples. Com base nessa situação, pode-se afirmar que o gráfico que melhor representa a variação da energia potencial da massa em função do tempo, a partir do instante em que a jovem a solta, é:

a)
a)

c)

a partir do instante em que a jovem a solta, é: a) c) e) b) d)

e)

a partir do instante em que a jovem a solta, é: a) c) e) b) d)

b)

a partir do instante em que a jovem a solta, é: a) c) e) b) d)

d)

do instante em que a jovem a solta, é: a) c) e) b) d) Resolução: A

Resolução:

A energia potencial elástica em função da posição é dada por: E p 5 kx 2 . Mas, x 5 A cos (t 5  0 ).

Então, a energia potencial elástica em função do tempo é:

2

E 5

p

k ?

[ A cos ( t

1 

0

)]

2

2

E

p

5

k A

2

2

?

2

cos (

t

1 

0

).

No instante t 5 0, a energia potencial é máxima e o gráfico só apresenta E p > 0. Logo, E p 5 f(t) é o gráfico da alternativa a.