Sie sind auf Seite 1von 12

Exercícios Práticos - 01

deldebbio | 19 de novembro de 2008

Estes são os básicos dos básicos preparatórios, que são ensinados em


qualquer curso de reiki, chi kung, chakras e na imensa maioria das ordens
iniciáticas. Aleister Crowley dizia que as bases da magia são a Vontade e a
Imaginação. Estes exercícios vão começar a trabalhar com a sua mente para
preparar algo mais elaborado no futuro.

1) Concentração
A base da magia prática é a concentração. É impossível realizar qualquer
tipo de atividade prática sem dominar sua mente objetiva e elevar sua
concentração a um outro nível de consciência.
Você vai precisar de uma vela e de uma sala com pouca luminosidade.
Tenha certeza que não será perturbado (desligue telefones e celulares).
Posicione a vela a cerca de 1,5m de você, mais ou menos na altura dos
olhos, de preferência contra uma parede branca, e acenda a vela. Sente-se
com as costas eretas e fixe o olhar na chama da vela, com a vista relaxada.
Mantenha a respiração calma e relaxada, sem se afobar. O exercício
consiste em permanecer olhando para a vela sem piscar, mantendo a
concentração até que todas as sensações externas sejam eliminadas e as
duas únicas coisas que existam no universo sejam você e a chama da vela.
Caso você não tenha como usar uma vela por algum motivo, você pode
fazer um pequeno ponto preto com 1cm de diâmetro e gruda-lo com durex
na parede, ou focar em um ponto fixo distante.
Mantenha essa concentração (sem piscar) pelo tempo máximo que
conseguir. A razão para isso é que este exercício desenvolve sua visão
intuitiva e, quando você estiver se ajustando a esta visão, sua mente
objetiva fará você “piscar” para reajustar a visão ao plano objetivo. Se
estiver fazendo certo, conseguirá afastar TODOS os pensamentos
poluidores da sua mente e ficar no que os orientais chamam de “estado
zen”, absolutamente concentrado na chama da vela. Os sons e até mesmo
as imagens da sala podem desaparecer (é a sensação de relaxamento do
“sonhar acordado”). Quando estiver dominando este exercício, o
relaxamento que você faz da sua mente em 5 minutos neste estágio
equivale a uma soneca de duas horas.

Dificuldades:
1) manter os olhos sem piscar. Muita gente arregala os olhos e força para
que eles fiquem abertos; não é isso. Deixe os olhos semicerrados e
relaxados. No começo é MUITO difícil, você vai tender a piscar ou
desconcentrar facilmente, não chegando a 1 minuto de concentração… mas
com treino, é fácil de chegar a até 20 minutos neste estágio zen.
2) afastar os pensamentos mundanos. Como você perceberá, sua mente
objetiva vai tentar te atrapalhar de todas as maneiras possíveis e é bem
provável que você seja inundado de pensamentos inúteis e caóticos (na
verdade, você faz isso o tempo todo, só não percebe, mas este exercício
deixa isto bem evidente).

Exercício 2: Imaginação e chakras


Pode ser feito de preferência de pé, com as pernas afastadas na largura dos
ombros. Os braços podem ficar relaxados ao lado do corpo, os dedos
abertos, mas sem forçar nada (esta postura chama-se Wu Shi).
Respire de maneira relaxada, pelo nariz, olhos semicerrados, sem nada
prendendo seu corpo (anéis, pulseiras, soutien apertado… ). Pode deixar
uma música bem leve e suave no ambiente se ajudar a relaxar, mas não
walk-man/i-pod. Tenha certeza que não será perturbado.

Comece pelo primeiro chakra (Muladhara). Visualize um disco de luz


vermelha, com cerca de 4cm de raio, com 4 pétalas semelhantes ao desenho
ao lado, girando no sentido horário sobre a região do cócix.

Quando INSPIRAR, imagine uma energia vindo do centro da terra, subindo


pelas plantas dos seus pés, passando por dentro das suas pernas e
alimentando este círculo. Conte dez respirações lentas até conseguir
VISUALIZAR com o máximo de nitidez possível a energia entrando no
seu corpo e este chakra girando (sentido horário)… sinta a energia subindo
e fazendo este disco de luz girar…
Em seguida, imagine o segundo chakra, laranja (Svadisthana), do mesmo
tamanho, sobre a região do ventre, pulsando e girando no sentido horário,
em sincronia com o primeiro, e um filete de luz branca unindo os dois…
permaneça com os DOIS chakras bem nítidos na sua mente, com as cores
vivas, por dez respirações relaxadas.
Imagine agora o terceiro chakra (Manipura), amarelo, com o mesmo
tamanho que os outros, girando em sincronia e um filete de luz branca
unindo os três discos… mais dez respirações visualizando o conjunto e
imagine o quarto chakra (Anahata), verde, sobre o seu plexo solar, unido
aos 3 outros chakras por filetes de luz… mais dez respirações e vamos para
o quinto chakra (Vishuda), azul, sobre a sua garganta e unido aos outros
por esta corrente de luz.
Mantenha TODO o conjunto nítido girando na sua mente por dez
respirações… a cada respiração, mais um “gole” da energia da terra que faz
todo o sistema permanecer em movimento, sem esquecer de todos os outros
discos… mantenha a ponta da língua no céu da boca… mais dez
respirações e o filete de luz branca chega ao disco índigo localizado alguns
centímetros na frente da sua testa… não esqueça de imaginar TODA a
energia subindo do centro da terra até o sexto chakra… finalmente, mais
dez respirações e o filete de luz imaginário sobe até o topo da sua cabeça,
no sétimo chakra, formando uma “fonte” de energia branca se espalhando
pela sala.

Pessoas comuns normalmente não conseguem chegar no terceiro chakra…


sua mente destreinada começa a divagar sobre besteiras, ele perde a
concentração, perde a imaginação, não consegue focar, não consegue
visualizar, se atrapalha todo com a sincronia dos giros e discos, fica
ansioso, com pressa, a mente objetiva o deixa irritado… e ele/ela vai
assistir a novela ou um jogo de futebol… enfim…

Eu queria que o Zatraz especificamente fizesse este exercício para ter uma
noção do que eu quero dizer quando falo “concentração mental para
acessar os tais computadores de cristal” e quão longe as pessoas comuns
estão deste tipo de domínio de suas mentes…

Efeitos esperados: formigamento por todo o corpo, especialmente na


ponta dos dedos, devido ao acúmulo e limpeza da energia do corpo. É
comum formar uma “bola” de energia nas palmas das mãos. Relaxamento
completo físico e mental em algumas pessoas… outras experimentam
euforia e ficam “ligadas”… Isso varia de acordo com o seu estado mental e
quais chakras estavam mais ativos ou inativos durante o processo… com o
tempo e novos exercícios, aprenderemos a ESCOLHER os efeitos
desejados em nosso corpo.
Altamente recomendado para se fazer quando se está doente (focar
especificamente no 3º chakra) ou com aquelas cólicas de menstruação
(neste caso, dar atenção especial ao segundo chakra – Svadisthana).
Se você conseguir fazer este exercício e ficar bastante relaxado, pode fazer
imediatamente antes de dormir e depois me conta o que aconteceu com os
seus sonhos…
Se puder fazer esse exercício na grama/terra, ao ar livre, com os pés
descalços, o efeito será muito maior.

Exercício 3: manifestação desta energia


Assim que você conseguir dominar o exercício 2, o que deve demorar cerca
de uma semana ou duas (varia absurdamente de pessoa para pessoa – já vi
gente acertar na primeira tentativa, já vi gente demorar um mês para ter
algum efeito), repita o exercício 2 mas com as mãos dispostas à sua frente,
como se estivesse “abraçando uma árvore”, de acordo com a figura
abaixo:

Mantenha os dedos semifechados, como se segurasse um delicado balão de


ar entre seus dedos. Quando inspirar, imagine a energia entrando pela sola
dos seus pés e alimentando este circuito. Quando EXPIRAR, imagine esta
energia fluindo deste circuito para a palma das suas mãos. Em alguns
minutos, você deverá sentir uma “bola de energia” entre seus dedos… tente
afasta-los ou aproxima-los BEM DEVAGAR e você irá sentir esta energia
Chi. Ela atua nos planos sutis (Mental, Emocional, Astral e, com outros
treinos, no Físico… ) mas não pode ser detectada por nenhum aparelho de
nossa ciência moderna.
Com o tempo, pode fazer experiências como afastar suas mãos devagar até
que esta bola de energia fique com o tamanho máximo que você conseguir,
ou pressionar até sentir uma força física sutil impedindo que suas mãos se
encontrem.
Ok, eu senti o chi… e quais os efeitos práticos disto?
Calma, pequeno gafanhoto… um passo de cada vez… primeiro crie sua
bola de energia, depois vamos passar mais exercícios práticos sobre o que
fazer com ela… da onde você está até entortar uma barra de aço na sua
garganta ainda vão seis anos de treino…
Por enquanto, como disse, esses exercícios são o básico do básico.
O importante, por enquanto, é sentir que esta energia existe e pode ser
detectada pelo ser humano.

Exercício Prático: Como ir melhor na escola.


Estabeleça um grupo de estudos. Faça com que todos leiam esta coluna
para se familiarizarem com o conceito de egrégora. Reúna os amigos que
precisam estudar para uma prova (mas também funciona sozinho, embora
como vimos acima, mais mentes significam mais vibrações no mesmo
objetivo – ou mais gente te atrapalhando, então escolha direito seus colegas
de estudo). Estabeleça um horário fixo. Neste horário, acenda um incenso e
diga em voz alta: “Eu, fulano de tal, declaro abertos os trabalhos com a
finalidade de estudar para a prova X pelas próximas horas. Que a partir
deste momento, nada possa nos distrair ou perturbar”. Claro que você terá
desligado celulares, TV, i-pods e o que quer que possa distraí-los neste
tempo. Quando acabar, feche os livros e diga em voz alta “Eu, fulano de
tal, declaro encerrados os estudos para a prova X no dia de hoje”. Faça
isso nos dias que for estudar… aliás, tente estabelecer o mesmo horário
sempre.
Na hora da prova, apenas diga para você mesmo “eu, fulano de tal, desejo
acessar os conhecimentos arquivados nos meus períodos de estudo” (mas
você precisa dizer estas frases… não vale só pensar… o VERBO é
necessário para trazer estas chaves da nossa pequena egrégora do plano
metal para o físico).
Depois você me diz como foi na prova…

O mesmo vale para qualquer tipo de trabalho, estudo ou reunião. Antes de


começar, abra os trabalhos definindo exatamente o que você pretende fazer,
quando terminar, feche os trabalhos. Você perceberá como tudo na sua vida
irá render mais…
Meditação
Sente em um local qualquer, mantenha as costas eretas, coloque os dois pés
no chão, ligeiramente afastados um do outro, e as palmas das mãos sobre as
coxas. Ou se preferir, sente com as pernas cruzadas e coloque as mãos
sobre os joelhos. Feche os olhos e respire devagar durante alguns minutos.

Agora preste atenção nos seus pensamentos. Tente assisti-los passivamente,


como se estivesse diante de uma televisão, prestando atenção na quantidade
e qualidade de pensamentos diferentes que vagam pela sua mente neste
pequeno intervalo de tempo. Tome consciência destas muitas freqüências
que estão entrando e saindo dos seus pensamentos o tempo todo… que
pensamentos ficam se repetindo? Analise friamente que tipo de mensagens
você está atraindo, que tipo de pensamentos estão poluindo a sua cabeça…
Nas primeiras vezes que fizer este exercício, procure não interferir. Apenas
observe friamente a si mesmo como se fosse um observador externo e veja
o que está acontecendo. Adquira a consciência de separar e catalogar em
que tipos de pensamentos você está imerso.
Em uma segunda etapa, comece a monitorar seus pensamentos, mudando
os pensamentos indesejáveis… Quanto tempo você perde em pensamentos
inúteis, fúteis ou perniciosos?
Quanto da sua mente você desperdiça pensando no que os outros estão
fazendo ao invés de se concentrar no que você quer ou necessita fazer?
Na terceira etapa, comece a destruir estes pensamentos inúteis, afastando-
os do seu campo vibracional. Tente reunir apenas pensamentos voltados
para coisas úteis que você tenha de fazer ou focados para aquilo que você
está almejando.

Exercício 2 – Apenas para mulheres


Este exercício deve ser feito SOMENTE depois que vocês fizerem pelo
menos umas 20 a 30 vezes o Exercício dos Chakras, pois todo o canal pela
qual a energia irá fluir precisa estar limpo e desobstruído, caso contrário,
vocês poderão ter um desequilíbrio nos seus chakras, como dores de
cabeça, náuseas, tonturas ou desequilíbrios emocionais.
Deite em algum lugar calmo, confortável e isolado, coloque uma música
suave, incenso e garanta que não vai ser perturbada. Deite em decúbito
dorsal com a barriga voltada para cima, de preferência totalmente nua.
Comece a se masturbar delicadamente, mas sem imaginar uma contraparte
masculina/feminina ou fantasiar… Concentre-se apenas na sensação, no
seu corpo e no ato em si. Comece a imaginar o chakra básico sendo
ativado e o fluxo de energia começando nas suas pernas e espalhando-se
pelo seu corpo.
Quando estiver chegando ao orgasmo, você vai ter de sincronizar os
últimos suspiros com o exercício anterior. Comece imaginando o chakra
básico emanando energia, suspiro, esta energia subindo para o segundo
chakra (Svadisthana), suspiro, subindo para o terceiro chakra (Manipura),
suspiro, subindo para o quarto chakra (Anahata), suspiro, subindo para o
quinto chakra (Vishuda), suspiro, subindo para o sexto chakra (Anja) e
orgasmo, quando você deve imaginar o sétimo chakra (Sahashara)
abrindo-se em seu leque de mil pétalas e espalhando esta energia pelo
universo.
Este, apesar de razoavelmente complicado, é considerado ainda um
exercício básico de magia sexual. Vai demorar um bom tempo até você
conseguir sincronizar direito o tempo até o orgasmo com o fluxo de energia
com as respirações…
Mas quando dominar, estará pronta para exercícios futuros sobre o que
fazer com esta energia extra, além de orgasmos maiores, mais demorados e
melhores (fisicamente e astralmente falando). Qualquer dúvidas, deixem
seus emails nos comentários que o povo do Sedentário me repassa e eu
respondo em particular.

Exercício 2 – Apenas para Homens


Assim como o exercício para as mulheres, NÃO tentem fazer este exercício
antes de terem realizado pelo menos 20 a 30 vezes o exercício básico dos
chakras. Este segundo exercício vai aprimorar o controle sobre o chakra
Muladhara (Vermelho), dando mais vitalidade ao homem (sexualmente
falando).

O homem deve assumir a postura conhecida como “Mapu” ou “Cavalo” ou


“Postura do Cavaleiro”, como na figura ao lado. O ângulo das pernas deve
ser o mais próximo possível de 90 graus (para testar, basta colocar uma
carteira e um celular apoiados sobre as coxas e eles devem ficar parado,
sem cair, durante o tempo do exercício).
Nesta postura, o homem deve respirar pausadamente, imaginando, a cada
respiração, que a energia da Terra está sendo absorvida por seus chakras
plantares, subindo através de suas pernas e se unindo no chakra Muladhara,
fazendo-o girar e abrir suas 4 pétalas.
Procure repetir este exercício por cerca de vinte respirações pausadas e
lentas. O tempo de postura neste exercício deve ser de, no mínimo, 1m30 a
2 minutos no começo. Este também, apesar de ser considerado básico,
possui uma dificuldade razoável, mas você vai me agradecer no futuro…

Exercícios Práticos - Música e Respirações

deldebbio | 3 de janeiro de 2009

Um outro exemplo da aplicação da música no ocultismo e vice-versa é o


Ritual Gnóstico do Pentagrama. Esta é uma das práticas essenciais e
básicas da IOT (Illuminates of Thanateros) e é uma adaptação dos tão já
conhecidos Ritual Menor do Pentagrama / Ritual do Pilar do Meio (Golden
Dawn/OTO)… No RGP primeiramente a intenção é a libertação de
qualquer simbolismo pré-existente, afim de que o magista possa entrar em
contato com o Self e assim obter o sucesso desejado em qualquer operação
mágica.

Ele se inicia com a respiração profunda e mentalização de radiâncias em


cinco centros vitais de nosso corpo (relacionados completamente com os
chakras citados anteriormente). Cada radiância é acompanhada com a
vibração de uma vogal e deve causar uma sensação específica no momento
de sua entoação. As vogais são vibradas como mantras no momento da
exalação (técnica conhecida como pranayama) Conforme descrito em sua
concepção “. O corpo deve ser tocado como um instrumento musical, com
cada parte ressonando de acordo com um tom.”
Realizado tal processo, deve-se traçar em sentido horário um pentagrama
para cada um dos quatro cantos (leste, sul, oeste, norte). Ao concluí-los,
deve-se novamente voltar ao início e entoar novamente as vogais.Segue o
procedimento do ritual:

1) De pé, para qualquer direção que prefira.

2) Inspire profundamente. Exale lentamente, sustentando o som “I”,


enquanto visualiza uma energia radiante na região da cabeça.

3) Inspire profundamente. Exale lentamente, sustentando o som “E”,


enquanto visualiza uma energia radiante na região da garganta.

4) Inspire profundamente. Exale lentamente, sustentando o som “A”,


enquanto visualiza uma energia radiante na região do coração e dos
pulmões, que se espalha para os membros.

5) Inspire profundamente. Exale lentamente, sustentando o som “O”,


enquanto visualiza uma energia radiante na região da barriga.

6) Inspire profundamente. Exale lentamente, sustentando o som “U”,


enquanto visualiza uma energia radiante na região entre a genitália e o
ânus.

7) Repita o 6). Então o 5), 4), 3), 2), repetindo de trás para frente, até
chegar à cabeça.

8) Inspire profundamente. Exale lentamente, repetindo o mantra IEAOU,


enquanto desenha o pentagrama no ar, com o braço direito. O pentagrama
deve ser visualizado com muita nitidez.

9) Vire para o próximo quadrante e repita o 8), então, desenhe os


pentagramas restantes com os mantras e as visualizações, até chegar ao
ponto de partida.

10) Repita os números 2) até o 7), inclusive.


Se o seu medo é PRETO:

Ele provoca em seu ser uma tendência reacional que lhe faz nem
querer ver o objeto, a causa ou o alvo desse medo. O medo preto,
sem dúvida alguma, demonstra um processo que envolve um
intenso e profundo sentimento, com um alto grau de sofrimento e
pode estar sendo arrastado há bastante tempo em sua vida.
Muito interessante, é que esse não querer ver chega a ocasionar
uma real possibilidade disso acontecer. Por vezes, a reação de
defesa é tão intensa que a pessoa ou os aspectos envolvidos em
todo o processo realmente "não são vistos". Ocorre o que é
chamada supressão que é uma reação de defesa tão forte e
profunda que ela nos faz nem perceber que aquilo ali está. Mas, o
"re"contato com o objeto do medo acaba sendo inevitável em
alguns momentos e, assim, cada vez que ele aflora parece ainda
mais profundo e intenso. No medo preto, não são incomuns as
sensações ruins permanecerem mesmo quando se procura livrar do
processo com tratamentos, terapias, força de vontade ou por outra
das diversas formas possíveis.
Os medos pretos, comumente indicam que quem os vivencia vem
enfrentado estímulos que parecem conter aspectos de extremo
poder. Como se o medo tivesse vida própria. É natural e inevitável a
inferioridade ou o subjugo ao objeto do medo, já que ele parece tão
poderoso ou, em muitas situações, tão sobrenatural ou sobre-
humano, levando à fuga como maior tendência reacional. Mesmo os
sentimentos de preocupação comuns a muitas pessoas, naquelas
com tendência ao medo preto, se tornam difíceis, por vezes
incontroláveis e de intensidade marcante. As sensações do medo
preto, na maior parte das vezes, são as de que nem adianta querer
controlar o processo, pois ele provoca a sensação de ser muito
maior que as forças disponíveis em nós para mudar a situação e
supera-la.
Enfim, se você é "portador" de um medo preto, uma das chances de
vence-lo, reside no reconhecimento de quem você é, encontrar em
si as capacidades, a confiança e a aceitação de certos aspectos da
realidade que faz parte do mundo em que vivemos.
Quando passamos a compreender, pelo menos em parte esses
aspectos, iniciamos uma transformação que ira criar uma realidade
mais saudável para efetivarmos nossas vitórias.

Sugestão para o MEDO PRETO:


Pratique, diariamente, o seguinte exercício de Imagem Mental e
lembre-se:
a imaginação é uma poderosa ferramenta de Criação da Realidade
da Vida.

Então, feche os olhos por alguns minutos, respire tranqüilamente,


mantenha-se numa posição confortável deitado ou sentado. Passe
a perceber que a cada ato de inspirar ou expirar você completa
ciclos de purificação. Sinta-se tranqüilo, relaxado e purificado.
Imagine, naturalmente, que você está dentro de uma esfera linda e
transparente. Perceba que as freqüências da Luz Violeta, da Luz
Verde e da Luz Vermelha se alternam e se mesclam enquanto
preenchem essa esfera. As cores não se misturam e nem se
fundem. Elas se intercalam, naturalmente, como se estivessem
dançando sob uma música suave e agradável enquanto envolvem
seu corpo. Você está, naturalmente, seguro, bem no centro dessa
esfera.
Sinta-se em pé, deitado ou sentado bem no centro da esfera ou, se
quiser, visualize-se flutuando. Passe, então, a imaginar que, em seu
cérebro, em seu coração e em seu ventre existem três fontes da
mais pura e poderosa Luz Branca muito brilhante e cristalina.
Conforme você percebe a Luz Branca tomando conta de você com
mais e mais intensidade, com grande força e um natural poder,
visualize seus medos saindo de você, como se atravessassem seu
corpo em cenas ou em palavras que formam um significado lógico
para você, ou em outra imagem que lhe seja natural. Observe,
então, que conforme vão saindo, esses medos sofrem um processo
de transmutação sob o efeito das freqüências coloridas violetas,
verde e vermelha que, dentro da esfera, mantém-se envolvendo seu
corpo. Decida que você vai permanecer livre desses medos e de
suas sensações com aquela esfera de proteção ao seu redor
continuamente e, ainda, que a esfera vai funcionar como um filtro
de dentro para fora e, também, de fora para dentro. Ou seja, daqui
para frente, todas as energias ruins que vierem a se aproximar de
você, automaticamente, serão transmutadas pelas freqüências da
esfera. Da mesma forma, conforme um medo sai, ele se transforma
em luz ou, simplesmente, vai diminuindo e diminuindo até
desaparecer. Imagine, finalmente, com decisão e certeza, que a sua
proteção é sempre natural e permanente e esteja atento a
desenvolver o controle contínuo sobre esse seu processo.
Pratique esse exercício no mínimo uma vez ao dia. Quantas mais
vezes ele for praticado, mais rapidamente você perceberá
resultados e efeitos muito positivos em sua vida.