You are on page 1of 20

Danilo, o pequeno polegar

Sidney

Capítulo 1 – Eu, Danilo, alguns anos, pequeno e excluído.


Não é assim tão fácil escrever sobre minha vida: o teclado é realmente enorme,
mas vale a pena tentar. Talvez a culpa seja da minha mãe, ou do meu pai, ou dos dois.
Ou talvez a verdadeira culpada seja a gravidade.
O mundo é cruel, as pessoas do cinema também são, sempre pedem meu RG,
isso quando me enxergam. Será que ninguém viu que eu já sou formado na faculdade?
Algumas coisas são boas para as pessoas do meu nível. Minha casa foi barata, e
a Hihappy a parcelou em 10 vezes sem juros.
Eu queria ser pintor, mas não se pintam mais rodapés hoje em dia. Então, resolvi
ser geógrafo. As escalas dos mapas parecem tão reais pra mim.
Fundei uma ONG uns anos atrás. Infelizmente, não funcionou muito: ainda não
fabricam roupas de boneca nos modelos masculinos.
Ontem eu percebi que não tinha cabelo, eu tenho uma unha na cabeça! Sonhei
que meus irmãos eram dedos, e um deles usava uma coleira dourada. Agora me
pergunto: será que sou um pequeno(muito pequeno) professor, sonhando ser um
polegar, ou serei eu um pequeno(muito pequeno) polegar, sonhando ser um professor?
Capitulo 2
Olá, me chamo Danilo e era um pequeno polegar, um pequeno mesmo mas
muito forte, já fui muitas vezes campeão de guerra de dedo, junto com quem me
controla, já que sou um polegar.
A história que contarei é a história do primeiro campeonato do qual participei: eu
era apenas um “polegarsinho” comum na mão de uma pessoa comum, até quem em um
certo dia eu, juntamente com quem me controla, descobrimos toda a força que eu tinha,
então resolvemos participar de um campeonato de guerra de dedo na região. Todos os
outros dedos riam de mim por eu ser o menor dedo entre todos, mas eu não me
intimidei, fui para a luta sem um menor medo. Já na primeira luta enfrentei um dedo
duas vezes maior do que eu e por incrível que pareça eu venci sem a menor dificuldade,
a partir daí eu me animei e não perdi mais nenhuma luta, não perdi pro ultimo dedo
campeão. Com isso o meu controlador me batizou de Danilo, o polergasinho do Hulk. E
depois desse campeonato eu não perdi mais nenhuma luta e continuo sendo o polegar
que nunca perdeu uma luta.
Mas o meu fim não foi um dos melhores. Um dia quem me controlava e
trabalhava em uma padaria foi passar o pão na máquina de apertá-lo, e por um descuido
me prendeu, e eu tive que ser amputado. Agora eu estou aqui, um dedo vivendo junto
com luvas e seringas em um grande lixo hospitalar.

Capitulo 3 - A aventura do pequeno polegar


Danilo era um menino que gostava de muitas aventuras, gostava de se divertir e de
conhecer coisas novas. Certo dia ele estava caminhando pela floresta quando avistou
uma cabana abandonada, ficou observando a cabana, até que ouviu som de alguns
bichos. – Será que eles estão presos? – indagou Danilo.
Ele se aproximou da cabana, olhou em sua volta e não viu nada, nenhum
bichinho nem indícios de que havia pessoas por lá.
Então ele bateu na porta da cabana, e o som de choro e murmúrio dos bichos
ficaram mais alto, ele decidiu entrar na cabana, preocupado, pois parecia que os animais
estavam sofrendo e aflitos. Danilo invadiu a cabana e para sua surpresa lá estavam
vários bichos presos e sem comer a dias. Ele encontrou vários animais da florestas, os
bichinhos saíram correndo desesperados com medo de serem presos de novo. O
pequeno polegar então se aproximou deles tentando acalmá-los.
Logo entendeu tudo. Os bichos tinham sido presos por um caçador da floresta,
mas pelo o que parecia ele não estava mais por lá.
Os animais ficaram agradecidos, e o pequeno polegar foi embora, feliz, pois,
tinha ajudado seus amigos.
Depois de alguns dias o pequeno Danilo voltou lá para ter certeza que o caçador não
tinha voltada e seus amigos estavam em paz. E ficou muito tranqüilo, pois os animais
tinham voltada a sua vida normal, e nenhum caçador apareceu mais por lá.

Capítulo 4
Danilo, um pequeno menino tinha um complexo de altura lhe incomodava muito. Todos
o “zoavam” por isso, tudo o que ele ia fazer era impedido por causa de seu complexo.
Certa dia caminhando de volta da escola, decidiu diminuir seu percurso e ir por outro
caminho, entrou em um beco e foi caminhando até que um brilho intenso de dentro de
uma caçamba e, por curiosidade foi ver o que era. Logo que pegou o objeto, percebeu
que era uma lâmpada mágica.
Lembrando de uma de suas histórias favoritas, Alladin, decidiu esfregá-la pensando em
fazer um desejo. Um gênio saiu da lâmpada e apresentou-se como Ni-shi e perguntou a
Danilo, qual desejo ele queria fazer.
- Ah... Eu quero ser alto pelo menos por um dia para que as pessoas parem de gozar de
minha altura
-Seu desejo vai ser realizado; faça bom proveito desse dia.
Danilo foi para sua casinha, e passou a tarde inteira esperando que o dia seguinte
chegasse.
O sábado amanheceu, mais lindo de que nunca para Danilo, ele iria a um parque de
diversões para se divertir em brinquedos que nunca pôde usar, devido a sua altura.
Logo que chegou ao parque, foi direto para a montanha russa, enfrentou sua imensa fila,
com grande alegria.
Quando chegou sua vez, na hora de medir sua altura para ver se ele poderia usufruir do
brinquedo, teve uma grande decepção: sua altura passou do limite máximo permitido e
ele não conseguiu entrar na montanha russa.
Em todo brinquedo que tentava entrar, não conseguia, pois sua altura, não agora como
pequeno, mas como grande demais, o impedia de aproveitar seu dia.
Triste, ele voltou para sua casa e dormiu. No dia seguinte já com sua altura normal,
voltou a sua vida, percebeu que ser muito alto era muito mais uma desvantagem do que
uma vantagem.
Capítulo 05
Danilo, o pequeno polegar
Vivendo constantemente na sina
De viver
Onde mais denso é o ar.

Desde pequeno, ou melhor, criança


Na escola excluído.
Agora, adolescente
Encontra-se sem ter crescido.

Surge, então, o momento de vingança


Danilo revia os seus momentos de criança
Poderia usufruir com vontade
De seus colegas, que se encontravam
em necessidade!

Acontece que o ratinho


Pequenininho...
Usado para testes científicos pela turma
Encontrava-se escondido.
Cabia a uma pessoa demasiadamente pequena
Encontrar o foragido.

E foi assim que Danilo tornou-se o herói da turma


Travando uma luta sangrenta com o “monstro”
Domou-o e surgiu mitologicamente
Montado no bichinho, agora com as costas curvas.
As pessoas não acreditam na capacidade dos polegares
Mas Danilo é a prova de superação
Hoje é professor de Geografia,
Mesmo fazendo da vodka água, por enganação.

Capítulo 07
Danilo, o pequeno polegar.
Danilo, o pequeno polegar, trabalhava no circo de uma pequena cidade do interior.
Cansado dessa vida, ele resolve se aventurar na cidade grande, em busca de uma vida
melhor.
Durante a viagem, Danilo precisou fazer apresentações em vários lugares para conseguir
chegar ao seu destino.
Ao fim do percurso, ele descobre que a vida da cidade pode não ser tão fácil como ele
pensava.
Devido a uma boa proposta, Danilo volta a trabalhar em circos, porém, dessa vez, na
cidade grande, onde havia maior público com relação à cidade do interior.
Certo dia, ao fim de uma apresentação, Danilo recebe a visita de um caçador de talentos
em seu camarim, que dizia ser do livro de recordes, Guiness Book.
O olheiro disse que ele poderia entrar para o livro, sendo o menor homem do mundo e
ganhar muito dinheiro.
Danilo ficou empolgado, e aceitou partir com ele.
Dito e feito, o pequeno polegar entrou para o livro dos recordes, e após isso, sua vida
mudou completamente. Ele viajava para vários lugares do mundo, e com isso, ganhou
fama e dinheiro, e pôde realizar seu sonho de se tornar geógrafo.

Capítulo 8 - Uma aventura na noite


31 de outubro, dia das bruxas. Nessa época, Danilo, por ser tão pequeno e diferente, era
sempre chamado para ser usado como “acessório” nas fantasias de seus amigos. Claro
que não tinha muitos amigos, achavam-no esquisito demais, e por isso ele acabou se
tornando uma pessoa bem excluída e com uma personalidade irritadiça, mas tinha um
bom coração. Mesmo assim, ele gostava se sair e ser notado pelas pessoas ao seu redor.
Sabe como é, geralmente isso não acontecia.
Mas nessa noite aconteceu algo diferente. Seus amigos chamaram-no para sair e se
divertir um pouco. Ele não sabia para onde iriam, mas aceitou mesmo assim. Quando
chegaram, o pequeno e amedrontado Danilo reparou de imediato o que eles queriam, e
não pode deixar de expressar sua surpresa. Estavam diante de um casarão, muito, muito
grande, onde morava alguém que nunca tinham visto, e que diziam participar de seitas e
rituais estranhos. Entraram. E quando estavam remexendo em uns móveis antigos com
coisas muito macabras, ouviram um ruído; na hora, todos se assustaram e saíram
correndo. Mas se esqueceram de um pequeno detalhe: Danilo. O coitado ficou lá, sem
saber o que fazer, e suas perninhas curtas não conseguiam correr para muito longe.
Então, usou da única idéia que teve na hora: pulou no vaso sanitário. Não que fosse
agradável, não era. Mas era a única saída.
Após algum tempo percorrendo encanamentos compridos e quase intermináveis, chegou
a outro banheiro, em outro lugar. “Eca!” pensou ele, não só por ter que ter viajado
milhas e milhas distantes através de um tubo sujo, mas por ver onde tinha chegado: em
um hospital, perto do necrotério. É, típico de um dia das bruxas, cenas com muitos
corpos e sangue – pensou ele. Mas nem se importou, já estava cheio daquele dia e sem
vontade de pensar mais em nada. E ele também achava que não conseguiria pensar em
muita coisa, além do único pensamento que vagava em sua cabeça: nunca mais queria
encontrar com o morador daquela casa, Gilson, o Throl.

Capítulo 9

Dizem Danilo
Quando não há polegar

Onde jaz o Danilo


O pequeno polegar?

Onde jaz?
O pequeno polegar

Oh Danilo onde estás?

O microscópio irá falar...

Aqui jaz Aqui jaz

Aqui jaz
Aqui
jaz
Aqui jaz

Capítulo 10
Numa manhã de sábado chuvoso, estava o pequeno jovem Danilo na sala de sua
modesta casa pensando em que faria naquele dia, pois o tédio já tomava conta de sua
enorme consciência.
Passado duas horas de sua reflexão a chuva cessou e surgiu um tímido sol. Resolveu,
então, ir ao armazém da esquina comprar uma comida rápida, pois a hora do almoço
chegara e ele não sabia cozinhar.
Chegando ao local, comprou um saco de batatas e após pagar o produto, um pequeno
ruído eletrônico o distraiu. Olhou para o lado e viu um jogo de pimball recém chegado
no comércio; por curiosidade resolveu jogar uma partida.
Pôs a ficha e após dez minutos de jogo consegui bater o Record atual. Vendo o feito
que houvera praticado, jogou novamente, repetindo o Record. Assim foi por mais sete
rodadas.
A aglomeração se formou e já ultrapassava as trinta pessoas ao seu redor. No
intervalo de um jogo, Danilo olhou para o relógio e vê que já passava das oito horas da
noite. Percebendo que as olheiras, a fome e o cansaço de seus pequenos dedos já o
incomodava intensamente, resolve ir embora. Antes de sair do estabelecimento, olha
para o placar do jogo e se espanta: sua pontuação era de 987745663200 pontos. O maior
Record já alcançado em todo o mundo.
Após desse dia, todos na cidade passou a conhecê-lo como Danilo - o
dedinho de ouro. Embora conseguira tão reconhecimento, isso não lhe trouxe nenhuma
riqueza material, vivendo por muito tempo ainda em sua modesta residência, tento a
mesma vida dos alimentos industrializados. Ele nunca mais tornou a jogar o vicioso
jogo.
Capítulo 11
Existia há muito tempo, um reinado de polegares.
Povo curioso, andavam só em pares.
Trabalhavam demais, dentro e fora de seus lares.
Tinham medo do vento levarem eles para os ares.

Eram pequeninos e preocupados com seu rei.


O porquê disso eu ainda não sei.
O nome dele era Danilo.
Já ouvi dizer que ele era meio gay.

Havia cinco décadas que estava reinando.


Suas obrigações já não estavam se consolidando.
Com a idade, as doenças vão chegando.
Sofria de várias enfermidades, vivia chorando.
Até que um dia, um mago falou o seguinte:
- Você só não morrerá se for um bom ouvinte.

Vista um agasalho de um homem realmente feliz.


Respeito-te e quero que siga o que este mago diz.

Então seus servos o reinado vasculharam.


Por este homem, muito procuraram.

Encontraram? Sim, lá estava o procurado.


Só que ele não tinha casa, nome e, nem ao menos, um agasalho.

Felicidade está nos momentos singelos.


Não se encontra em bens materiais.
Devemos buscá-la por toda a nossa vida.
Só assim podemos viver mais!
Capitulo 12
Danilo era o maior aluno da sala, gostava muito de brigar com os outros meninos por
estar em vantagem física. Pensava que era melhor que os outros porque era maior e mais
forte. Achava-se muito esperto, mas não era tão inteligente, achava que somente sua
altura e sua força já bastavam.
Certo dia, sua turma estava no laboratório durante uma aula de Química. A professora
explicava a matéria enquanto todos prestavam muita atenção, exceto Danilo que
brincava com a vidraria e alguns reagentes. Dentre esses estava um reagente que,
segundo suas especificações, encolhia os materiais para uma melhor analise.
Danilo não acreditou que isso pudesse ser verdade, era apenas alguém tentando
lhe pregar uma peça. Decidiu então testar o tal reagente; pensou em testar em uma
caneta, mas pensou melhor o jogou em sim mesmo. Muita burrice, pois o reagente era
verdadeiro. Danilo encolheu! Ficou do tamanho de um polegar. Toda sua força e altura
foram embora, restou apenas um garotinho fraco e muito pequeno,dependia de todos
para não morrer esmagado. E, ficou conhecido por Danilo, o pequeno polegar, aquele
que de tanta curiosidade se deu mal!
Capítulo 13 - Danilo, o pequeno polegar.
Certo dia, em uma bela manhã, Danilo, o pequeno polegar, caminhava pelo parque
tranqüilamente.
De repente, ele encontra uma enorme montanha a sua frente. Como era muito curioso,
resolveu escala – lá.
Ao chegar ao topo, ele avistou uma imensa abertura que dava para um túnel, dentro da
montanha.
Depois de observar, Danilo entra no túnel e começa a explorar o seu interior.
Então, ele encontra com um ser enorme, de seis patas, marrom e com anteninhas, que
carregava uma grande folha nas costas, que parecia ser dez vezes mais pesada que ele.
Depois de se assustar, os dois começaram a conversar e Danilo descobriu que se tratava
de uma formiga, e ele estava em um formigueiro.A formiga foi simpática, e o
apresentou ao resto da colônia, inclusive à rainha, que o convidou para um jantar. Ela
ficou tão impressionada com a sua inteligência e conhecimentos geográficos, que
propôs que ele se tornasse seu conselheiro. O pequeno polegar aceitou imediatamente.
Assim se fez, Danilo mudou – se para o formigueiro, e hoje administra todo o
trabalho da colônia, sendo respeitado por todos.
Capítulo 14- Danilo, o pequeno polegar
Danilo sempre foi pequenino. Todos de sua família tinham uma coisa em
comum: eram do tamanho de um polegar. Eles moravam em um cogumelo situado no
meio da floresta “Doce Sonho”. A casa dele era pequena, porém o suficiente para ele e
sua família.
Como filho mais novo, Danilo era chamado carinhosamente de “Danilo, o
pequeno polegar”. Tinha dezessete anos e, por ser muito protegido pelos pais e proibido
de fazer algumas coisas, tinha a vontade de sair floresta adentro para conhecer as
maravilhas que ela escondia.
Um dia, juntou suas roupinhas, deixou um bilhete em casa e saiu de casa. Saiu,
respirou fundo e abriu um sorriso. Começou a andar pela floresta, atravessou um rio em
cima de uma folha e, por azar, quase se afogou nele.
Do outro lado do rio era tudo diferente. Nunca vira algo tão bonito. Perto de
sua casinha era tudo a mesma coisa - vivia trancado para não ser comido por algum
pássaro.
Após andar por algum tempo, encontrou-se com uma menina linda, tão
pequena quanto ele. Espantou-se. O que ela estaria fazendo ali no meio do nada?
Existiam outras pessoas do mesmo tamanho que ele ? Era tudo estranho.
Aproximou-se da garota e deu oi. Ela espantou-se, começou a chorar. Depois
de um tempo disse que estava perdida, mas que morava próximo dali. Só não sabia
como voltar para casa. O nome dela era Daniele e disse que tinha dezesseis anos.
Começaram a anadar juntos procurando a vila na qual a Dani morava. Durante
esse tempo foram se conhecendo, passando por perigos e conhecendo paisagens
maravilhosas que a floresta tinha para oferecer.
Depois de um dia andado, acharam a aldeia. Lá tinha pessoas tão pequenas
quanto Danilo. Era igual na sua casa, porém moravam debaixo de algumas pedras, na
qual formavam uma “caverninha”.
Danilo, depois de alguns dias na casa de Danielle, voltou para casa anunciando
que, do outro lado do rio, havia uma aldeia de pequeninos como eles. Pensando que
fossem os únicos, a família de Dan ficou surpresa. Depois de tanto falar de como era
boa aquela aldeia, Danilo e sua família se mudou pra lá.
Danilo e Daniele começaram a namorar. A família dele amou os novos
companheirinhos fizeram muitas amizades.
Agora, Dan tinha a aventura do lado de sua casa. Todos os dias ele ia para a
floresta encontrar algo novo ou simplesmente observar as imensas árvores que o
rodeavam.
Capítulo 16
Danilo era um professor de uma escola de “nerds” numa cidade super
desenvolvida. Como ele era muito pequeno, todos o chamavam de “Pequeno Polegar”.
Ele dava aula para alunos do primeiro ano e era amigo de todos.
Mas ele era separado da mulher dele, e pagava pensão, mas ele sempre esquecia
de pagar e não pagando a pensão ele foi para a cadeia.
Na cadeia era regra de todos os presos raspar a cabeça, mas ele não podia raspar
a cabeça pois no contrato da escola em que ele trabalhava era proibido. Não podendo
resistir, ele teve que raspar a cabeça e perdeu o contrato.
O diretor da cadeia deu uma chance para ele: se ele pagasse a pensão ele poderia
ter sua liberdade. Mas como ele pagaria pensão sem o contrato? Não teve jeito e ele foi
condenado a dois séculos, nove décadas, sete anos e duzentos e cinqüenta e quatro dias
de prisão.
Hoje, é óbvio, ele já faleceu, mas seu fantasma ainda ronda a escola dizendo
para os alunos novos q eles não podem raspar a cabeça. Ele encontra-se mais tempo no
Agromangue, a floresta amaldiçoada do local. Ele também é conhecido por fantasma do
Juarez.
Capítulo 17
Danilo é um ser extremamente pequeno, morador da cidade de Smallvile, no
planeta Terra. Tem como profissão a geografia. Como todos os seres da sua espécie
apresenta uma cabeça desproporcional ao seu corpo e a capacidade de se teletransportar.
Certo dia Danilo estava trabalhando desenhando mapas de diversos tipos,
quando sofreu um pequeno acidente com o compasso. Acabou por acertar a si mesmo.
Ao olhar-se no espelho tomou um susto. Percebeu que sua cabeça havia “muchado”.
Nunca algo tão estranho tinha acontecido no planeta. Saiu desesperado procurando
algum modo de desfazer o que tinha feito. Ao se deparar com um traficante, tomou para
si a oportunidade de se drogar, pensando que assim conseguiria se curar. No entanto,
começou a sofrer outro processo de transformação, seu tamanho aumentou. Nada
parecia estar dando certo na sua vida. Tudo era muito estranho para o seu mundo. Agora
ele não via em si um ser extremamente normal, mas alguém diferente.
Para solucionar o problema, decide arranjar um jeito de voltar ao normal.
Tentando de todos os modos nada conseguia. Até que surge uma idéia brilhante em sua
cabeça. Como agora ele era alguém desprezado por ser diferente em seu planeta decide
procurar outro planeta para viver. Ao pesquisar, encontra Gita, um planeta com seres
aparentemente normais, como ele. Assim, com sua capacidade de se teletransportar, ele
vai para o novo planeta.
Ao chegar, observa que ali ele poderá ser muito feliz, e decide ficar por toda a
sua vida.
Capítulo 18 - Danilo, o pequeno polegar
Em uma bela manhã, Danilo, o pequeno polegar, acordou muito animado e
resolveu ir passear.
Estava andando pelo bosque quando o seu lobo encontrou, sorriu para o amigo que logo
lhe falou:
- Hey Danilo, como vai pequeno amigo?
- Muito bem seu lobo, e o senhor como está?
- Estou a caminho do país das maravilhas. E você, o que vai aprontar?
- Estou apenas caminhando, mas gostaria de lhe acompanhar.
E então os dois amigos foram em busca de aventuras no país das maravilhas, e no
caminho eles compraram ervilhas.
No fim do arco-íris um portal Danilo encontrou, e no País das Maravilhas então
ele entrou.
Danilo ficou maravilhado com toda a beleza que existia por lá, mas a fome
começou a apertar e para o lobo ele foi reclamar.
Seu lobo, muito sábio, já conhecia o lugar e mostrou a Danilo um canteiro de morango
onde ele podia se fartar. Danilo viu aquilo e encantado ficou, correu desesperado e em
pouco tempo se fartou. Comeu tanto mais tanto que mal podia andar, então foi atrás da
moita onde ele resolveu se aliviar. Mas na moita tinha espinhos onde ele se furou,
machucado foi embora, e o lobo abandonou.

Capitulo 20
Danilo, depois de uma grande caminhada pelo deserto com seus livros de pesquisa,
chegou na mata Atlântica encantada, onde segundo os Dragões Pássaros-Pardal,
encontrava-se o besouro-mago Dom Raimundo, aquele que possuía as pílulas do
crescimento.
Danilo sabia que na mata ele teria grandes seus desafios; lagartas gigantes,
formigas canibais e pássaros selvagens. Com toda sua sabedoria geográfica, Danilo foi
preparado com os mais variados tipos de armas, logo ao passar pelos primeiros
milímetros de floresta, já cansado, Danilo encontrou um grande inimigo, um aracnídeo.
Por sorte, estava passando por lá uma borboleta gigante, com muita sabedoria, Danilo
pegou uma carona nas asas da gigante.
A borbogigante o levou até a caverna do besouro-mago, onde Danilo após passar
por sete provas intelectuais de geografia, ganhou as pílulas do grande mago, que depois
de alguns segundo era um pequeno besouro,com seu tamanho e sua coragem, Danilo
conseguiu vencer todos seus inimigos.
Capítulo 21
Certa manhã, Danilo saiu para passear no bosque localizado nas proximidades
de sua casa como fazia de costume. Era uma manhã muito bonita, com os primeiros
raios de sol surgindo no horizonte. As brisas da magnífica manhã acariciavam as
delicadas flores enquanto o pequeno garoto caminhava distraidamente, observando as
maravilhas do lugar.
Avistou, ao longe, um lindo pássaro e decidiu persegui-lo, disparando em uma
longa corrida. Durante esta corrida caiu em um buraco que se encontrava no meio do
caminho. O buraco não era tão fundo, mas ele era um menino ainda e perante o seu
tamanho, aquele se tornou enorme, deixando assustado e com muito medo.
Ficou durante alguns minutos gritando, mas ninguém veio a seu encontro,
deixando-o certo de que tudo estava acabado e que permaneceria ali para sempre.
Conformando-se, olhou em um brusco movimento e avistou uma passagem com um
foco de luz ao seu fim. Decidiu, então, seguir o caminho, este que poderia ser sua
salvação.
Caminhou durante alguns minutos e aproximando-se do fim percebeu que a
poucos instantes estaria novamente no bosque. Foi o que realmente aconteceu, depois de
alguns segundo ele chegou novamente ao bosque e pôde continuar o seu trajeto sem
saber aonde chegaria. E com poucos passos avistou sua casa, alegrando-se pela
descoberta que fizera.
Voltou para casa e contou a todos o ocorrido. Estes não acreditaram muito, mas o
que importava mesmo era que ele sabia que era verdade a aventura feita por ele, Danilo,
conhecido como o pequeno polegar, naquele dia.
Capítulo 22
Danilo, depois de tantas decepções, acreditava que ser baixinho não poderia ser
assim tão ruim em alguns aspectos, pois podia fazer algumas coisas que as outras
pessoas não podiam. Num dia nublado, começou a refletir:
Ele era muito aventureiro, aprendera isso por experiência própria, já que foi separado de
sua família, quando era muito jovem. Depois de caminhar mundo afora decidiu ir à
procura de sua família e para conseguir isto, enfrentou e venceu diversos obstáculos.
Um dos principais momentos dessa aventura foi quando ele, desprovido de meio de
transporte, decidiu fazer de uma folha, seu barco e do rio, o caminho para o reencontro.
Naquele dia de primavera, começou sua jornada.
Enfrentou, grandes sapos, a fúria de grandes monstros marinhos (os peixes) e até a fúria
das formigas que os perseguiam.
A principio o rio caminhava lento, mas seus problemas, começaram quando a correnteza
aumentou. Sapos, nas pedras tentavam devorá-lo como se ele fosse um inseto, grandes
quedas d’água quase faziam com que ele caísse de seu barco.
Nas suas paradas, durante essa viagem foi recolhendo informações que o aproximavam,
cada dia mais de seu objetivo. Continuou enfrentando peixes e inúmeros outros
problemas, mas, o que importa é que no 14º dia avistou uma pequena casinha,
simpática e aconchegante. E logo, que chegou na entrada dessa casinha, leu : A grande
família Pequeno. Chegou a seu destino, enfrentou situações que nenhum outro homem
passou e foi acolhido de bracinhos abertos por sua família, que o apoiou e o incentivou
a persistir, mesmo com todas dificuldades e problemas.
Passou o dia refletindo e dormiu, envolto nos seus pensamentos.
Capítulo 23 - O polegar amaldiçoado
Era uma vez um jogador de basquete de 2 metros de altura. Seu nome era
Danilo. Mas aconteceu um desastre: foi atropelado e despedaçado na rodovia presidente
Dutra. Os policiais e bombeiros conseguiram achar todas as partes de seu corpo, menos
o seu polegar direito.
No velório o caixão estava fechado pelo motivo cruel. Sua irmã, dona
Zélia, percebeu um pequeno corpo se agitando em baixo do caixão. Ela não acreditou,
era um polegar. Ela o pegou e levou para fora do recinto. Começou a conversar com ele
e descobriu que ele era a reencarnação de Danilo. E mais, o polegar disse que vai fazer
uma revolução chamando todos os polegares de todas as mãos de todas as pessoas do
mundo, para enfim governar o planeta. Dona Zélia riu, nunca que polegares iriam
governar o mundo. O polegar riu mais ainda e disse que ela subestimou seu poder.
Nesse momento o polegar de Dona Zélia começou a se entortar e fraturou, caiu no chão.
O polegar de Danilo Pulou de sua mão e correu para o velório gritando
“Revolução, sejam livres”. Nisso, todos começaram a gritar de dor com seus polegares
se virando e pulando de suas mãos. Dona Zélia começou a gritar o mais alto possível,
chorando e não acreditando no fato. Nessa hora ela ouve o barulho do despertador.
Acorda. Sente-se aliviada por ter sido apenas um sonho. Mas quando olha para sua mão,
sente falta de um dedo, o polegar. Olha para frente e vê na sua janela um polegar
dizendo “hasta la vista, baby”. E pula da janela do quinto andar.
Capitulo 24
Há muito tempo, em uma pequena cidade pacata chamada Jacacity, nasceu o Danilo,
conhecido como Pequeno polegar.
Hodiernamente, ele ainda é do mesmo tamanho que nasceu, mas com força
incomparável, ganhou muitos campeonatos de guerra de polegares, ficou famoso, e por
isso se mudou para San Joseph.
Antes ele nunca havia conseguido um emprego ou andar na montanha russa, pois sua
estatura física era demasiadamente baixa, então entrou nesse ramo de campeonatos. Um
dia, ele quase perdeu para um polegar muito grande e gordo, era porque o dono comia
só no Mcdonald’s um Super Size diariamente. Foi uma experiência perto da morte,
acabou quase desistindo de sua carreira glamorosa.
Aí então ele foi surpreendido quando seu dono, Marcel, foi para Minas e em um moedor
de cana e virou um dedo moído junto ao caldo doce da cana, e assim foi sua pequena
vida. Embora não menos importante.
Capitulo 25
Era uma vez, um pequeno polegar que vivia na floresta dos polegares alegres e felizes,
cujo nome era Danilo.
Um certo dia ele saiu alegre e saltitante adentrando a floresta, quando de repente se
deparou com cogumelo gigante.Começou a analisar o cogumelo pouco a pouco, aí então
ele avistou uma porta, decidiu apertar a campainha para ver se alguém morava naquele
local.
Apertou a campainha umas quarenta e sete vezes quando apertou pela ultima vez saiu da
porta um duende, cujo nome era Zangado, porém o nome não tinha nada a ver com suas
características pois zangado era sempre muito calmo porque ele sempre estava dopado
com um chá de cogumelo azul.
Zangado pensava ser um castor ele não falava a único som que fazia era
“mimimi”.Danilo não entendia muito essa tal norma de fala porém entendeu que
Zangado estava convidando-o para tomar uma xícara de chá.Danilo aceitou e entrou no
cogumelo gigante tomou o chá uma vez, duas vezes, três vezes, quatro vezes, cinco
vezes, seis vezes, sete vezes, oito vezes, a assim até a vigésima sexta vez e na ultima
vez que tomou começou a pensar que era um canguru gigante com verme verde meio
amarelado na barriga tentou dar saltos muito altos porém viu que não conseguia e tomou
outra xícara de chá para ver o que dava e também fumou uma erva verde interessante e
pensou ser um pássaro pulou da arvore mais alta da vizinhança e se esborrachou no
chão Zangado disse.”Quatro xícaras azuis matam quatro gatos de ervas doces”.
Capítulo 26
Danilo, o pequeno polegar
Tão pequenino garoto,
Na relva quis se deitar.
Embaixo da árvore dormiu,
E sentiu alguém te esmagar.

Desnorteado com o ocorrido,


Quis no lago nadar.
Mas foi confundido com a isca,
E na boca do peixe foi parar.

Cansado de não ser notado,


Decidiu se deixar reparar.
Com uma roupinha indiscreta,
Nas noites resolveu vagar.
Capítulo 27
Danilo, o pequeno polegar,
Na mentecapta Madre de Deus
Vive desde quando nasceu
Criado e educado por seus pais,
Ele cresceu
Hoje, jovem trabalhador,
Na Fazenda do doutor
Peão de renome se tornou,
Xingu, Dilúvio, ele quem amansou,
Campeão nacional
Conquistou.
Mas nunca realizou seu maior sonho,
Ser um pequeno grande professor.
Capítulo 28
Certa vez, um anão chamado Danilo, que tinha o tamanho de um polegar,
resolveu andar pela cabeça de um ser humano. Estava caminhando em meio a um
colégio quando encontrou a cobaia perfeita. Seu nome era Luiz, mais conhecido como
Guto. Danilo começou a conversar com Guto até que ele resolveu deixar ele entrar em
sua cabeça.
Logo, eles foram para um lugar onde ninguém pudesse os ver. Foram para trás
da escola. Daí Guto muito interessado em saber como era seu cérebro, falou para Danilo
entrar o mais rápido possível em sua mente. Mas por onde ele poderia entrar na cabeça
de seu amigo? O local mais provável para sua entrada era a orelha de Guto. Colocaram
seu plano em prática.
Após a chegada de Danilo a cabeça de Guto, ficou surpreendido. Aonde estava o
cérebro de Guto? Além de não ter cérebro, qualquer coisa que era dita dentro daquele
lugar fazia eco. Outra surpresa foi quando ele viu um pequeno buraco que atraia tudo o
que chegava perto. Ao se aproximar desse buraco ele percebeu que estava flutuando,
mas não somente flutuando, estava se desintegrando. Tinha que sair logo daquele local.
Foi quando viu um cartão de memória onde Guto salvava e armazenava códigos e
nomes de jogos on-line. Ele se segurou e conseguiu escapar desse buraco negro.
Ao investigar esse cartão descobriu que tinha cerca de 1000 jogos gravados. Então saiu
dali o mais de pressa possível. Foi quando ele achou o a saída pela a outra orelha. A
primeira coisa que ele viu foi um monitor onde aparecia um panda com uma mulher no
colo. Era o jogo on-line preferido de Guto. E nunca mais ele quis entrar na cabeça de
Guto.
Capítulo 29
Mais uma noite, e que noite! Quem diria, nunca pensei que iria até lá. Era tanta
diversão que mal sabia por onde começar. Mesmo tentando resistir, não consegui.
Aquele alambique era tão atraente!
Entrei e tinha muitos barris, era tão mágico! Ficava até tonto só de estar ali
naquele lugar maravilhoso! Mas o que fazer então? Perdi todo o meu dinheiro no
caminho, meus bolsos são proporcionais ao meu tamanho, paciência. Mas havia um
barril que tinha escrito em letras grandes: De graça. Ah, parecia até um milagre! Quando
fui abrir o barril, saiu de lá um mineiro. Identificou-se como o dono do alambique, e
disse para experimentar as diversas cachaças. Era tudo tão ótimo, não queria que
acabasse nunca.
- Professor, professor!
- Anh, quê, hein? Cadê o barril, cadê?
Tudo o que é bom, dura pouco, realmente. Por que um aluno tinha que me tirar
da minha felicidade? Não tinha mais escapatória, tive que levantar. A aula já havia
acabado, e então peguei minhas coisas e parti com o meu cavalo, para muito, muito
longe, para poder encontrar Bibiana, meu grande amor, e poder para ela entregar o meu
bem mais precioso, a garrafa.
Capítulo 31
Danilo era um menino muito triste, pois, havia nascido do tamanho de uma lata
de refrigerante e não crescera um centímetro desde então.Vivia trancado em seu quarto
por vergonha do seu tamanho e por medo de alguém não vê-lo e pisar em cima.
Até que um dia de verão Danilo decidiu que não iria viver o resto da vida do
mesmo tamanho e saiu à procura de uma solução para seu problema.Perguntava a todos
se sabiam algo sobre isso, mas ninguém o ajudava, até que certo dia encontrou um
ganso sábio e indicou a ele a árvore do crescimento, ela ficava distante,em cima de um
dos morros mais altos da região ,mas Danilo estava determinado e decidiu continuar.
Já era quase inverno quando Danilo a tingiu o cume do morro e avistou a
árvore.Pulou de felicidade, mas quando chegou perto se perguntou como iria pegar um
fruto, até que um fruto caiu ao seu lado.Ele muito contente começou a comer e comia
muito, pensava que quanto mais comesse mais iria crescer.Dormiu de exaustão quando
acordou sentia algo em sua coluna, era o morro ele cresceu de mais e ficou mais alto
que o morro, foi quando ele decidiu ir para a cidade.Chegando lá foi um desastre, pois
pisava em tudo,estava destruindo toda a cidade.
Todos na cidade começaram a xingá-lo pelo que ele tinha feito.Ele chorou muito
quase alagou a cidade, então foi em direção ao morro, lá ele decidiu dormir.Quando
acordou sentiu seu rosto molhado, percebeu que não era lágrimas e sim a goteira de seu
quarto,foi quando viu que estava do seu tamanho de antes ficou muito alegre e percebeu
que pior que não ser notado é não notar os outros.
Capítulo 32
Era uma vez, um pequeno polegar,cujo nome era Danilo, no meio do bananal, perdido
no meio das bananas roxas e nanicas. Ele encontrou uma formiga cem por cento preta
que tinha até pedigree.
A formiga começou a encará-lo de forma assustadora e terrível. Ele sem pensar partiu
para agressão em cima dos tenebrosos ferrões da temível formiga cem por centro preta
que tinha até pedigree e gostava de mandioca quadrada.
A luta havia começado e só acabaria com a morte de um dos dois. Danilo com seus
conhecimentos de geógrafo levava vantagem pois conhecia a região mas a formiga tinha
mais força física. O primeiro golpe foi dado, a formiga deu uma imensa “bundada” em
Danilo, Danilo caiu no chão desnorteado porém logo se levantou pegou uma mandioca
quadrada e chantageou-a, porém a formiga com seu metabolismo covarde e travesso
tramou um plano maligno para roubar a mandioca quadrada e ainda matar o pequeno
polegar geógrafo.
O plano foi feito, quando o pequeno polegar pensou ter ganho a luta a formiga partiu
para o ataque dando uma mordida na mandioca quadrada e também no pequeno polegar
mas o pequeno polegar não desistiu agarrou na amídala da formiga, pois como a
formiga era mutante ela tinha amídala, e matou a formiga engasgada.
E então Danilo saiu da garganta da formiga e Disse as sábias palavras.”Como pode um
peixe vivo viver fora da água fria, como poderei viver, como poderei viver, sem a tua,
sem a tua, sem a tua, companhia”.
Capítulo 33
Um dia estudando geografia no porão de sua casa, Danilo encontra um velho mapa
escondido dentro de um livro. Ao abrir o mapa viu que estava faltando um pedaço,
estava escrito apenas “Mina d “ .
Danilo sendo muito esperto logo imaginou que seria “ Mina de ouro”. Ele contou
ao seu irmão mas ninguém acreditou nele pois todos não lhe davam valor e o
desprezavam por causa de seu tamanho, e o chamavam de pequeno polegar.
Ele entrou no porão pegou o mapa e colocou dentro de sua mochila, onde estavam
alguns de suas ferramentas: luva, lanterna, canivete.
Danilo então foi para sua caçada ao tesouro, o mapa apontava para o bosque perto
de sua casa ele muito corajoso apesar de pequenino, entrou na floresta. Ele inicialmente
não sabia por onde começar, mas observou na canto da folha um desenho de uma
grande pedra, ficou meia hora procurando a pedra até conseguir encontrar, e ali foi seu
ponto de partida.
Ele depois de horas procurando e já a noite encontro uma antiga caverna selada com um
placa de madeira e com a inscrição já toda apagada, mas ele conseguiu entrar entre as
brechas. Ele não conseguia ver nada a sua frente, e lembrou de sua lanterna. Agora que
já estava vendo foi procurar o ouro o mapa indica mais alguns metros a frente, então
num susto ele tropeça e encontra lugar indicado pelo mapa, mas quando foi ver só
havia carvão na mina.
O pedaço que faltava no papel era” e carvão”, nunca mais Danilo estudou
geografia.
Capítulo 34
Danilo era um garoto alegre dentro de casa, porém ele era infeliz quando saia de
casa, pois ele era muito pequeno comparado às crianças de sua idade.
Era discriminado, excluído das partidas de futebol dos garotos da rua, não
deixavam que ele brincasse de pega-pega, mas nos estudos ele era muito melhor que os
outros da sua sala, muito superior, os professore o homenageavam com medalhas e
honras, mas isso não era o que ele queria, ele queria ser aceito pelos seus “colegas” de
classe.
No dia de seu aniversário ele convidou toda a escola, professores, colegas e tudo
mais. A festa estava ótima, mas só para os convidados, pois eles se divertiam sem o
aniversariante.
Danilo se sentiu excluído e saiu da sua casa, foi para jardim e viu um raio de luz
muito forte vindo do céu, de repente tudo ficou claro e quando ele se deu conta estava
em uma de nave, onde as pessoas tinham seu tamanho e se pareciam com ele. Ficou
muito alegre, pois as pessoas o aceitavam. Ficou curioso para saber o porque dessas
pessoas dali se parecerem com ele, uma das pessoas seu aproximou e disse:
_Seja bem-vindo, meu rei.
Ele ficou surpreso com tal afirmação, e dizia que ele não era o rei e sim um
simples garoto.
Entretanto ele foi levado para Garnec, terra de origem de Danilo onde ele vive e
reinou soberano e sem diferença de altura.
Capítulo - 35
Danilo desde criança fora um menino pequeno, todos seus familiares e amigos o
chamavam de pequeno polegar, ele sempre teve a esperança de que quando tivesse mais
idade cresceria, porém isso não aconteceu, sim ele cresceu mais não muito, todos seus
amigos o passaram.
Quando estava na sexta série alguns meninos de sua classe começaram a implicar com
ele, ficavam falando coisas desagradáveis, gozando com ele por causa de sua altura.
Danilo se chateava um pouco mais procurava não se importar muito.
Sempre depois da aula os meninos iam brincar no parque, jogar bola, os meninos que
gozavam dele nunca haviam ido, contudo nesse dia resolveram ir lá só para o chatear.
Uma das brincadeiras preferidas de Danilo e seus amigos era pega-pega na copa das
árvores.
Os gozadores logo quando chegaram já começaram:
- O que? O baixinho vai subir em uma árvore! Gente será que uma escada é o suficiente
ou precisa de algo mais alto!
E davam gargalhadas. Então a brincadeira começou, várias rodadas passaram, e
ninguém conseguia pegar o pequeno menino que tirava a vantagem pelo seu tamanho,
pois por ser pequeno era leve e conseguia andar pelos galhos mais finos.
Foi durante a brincadeira, que os meninos ouviram um choro que parecia ser de
cachorro, todos desceram para averiguar e encontraram uma menininha chorando, pois
seu cachorrinho estava preso no telhado, um dos gozadores que se achava valente foi
logo querendo ir salvar o animal, o problema é que o único meio de chegar no telhado
era pela a árvore, essa última era muita alta e tinha os galhos extremamente finos,
jamais agüentariam seu peso, só que orgulhoso como só ele foi lá e subiu, não demorou
muito e despencou lá de cima, a menininha chorava cada vez mais e seu choro se
misturava com o do seu cachorro. Danilo que estava muito quieto até agora resolveu
subir, ninguém deu muita confiança achavam que ele não conseguiria e que ia acabar se
machucando, o garotinho não se importou e subiu.
Todos olhavam para cima observando com muito medo o desenvolvimento do menino
que pulava de galho em galho um mais fino que o outro, até que ele chegou ao telhado,
com muito cuidado Danilo pegou o cachorro e com mais cuidado ainda retornou. Já no
chão ele recebia os agradecimentos da menina, e ouvia as exclamações dos seus amigos,
o menino ficou conhecido como herói em toda a escola e nunca mais foi gozado.
Capítulo 36
Danilo, garoto de 13 anos cursava a 7º ano do ensino fundamental na EMEF “profª
Paula Tejando do Rego grande. Danilo tinha um problema, ele era pequeno para sua
idade e por causa disso os garotos da sala dele tiravam sarro da cara dele e ele não
conseguia conquistar a garota que ele amava desde a 5º série.
Julya garota de 13 anos cursava a mesma sala que o Danilo, loira, dos olhos azuis
cabelos cacheados, invejada por todas as meninas da escola, namorava um garoto do 8º
ano o cara mais popular da escola. Danilo era louco por ela, dava tudo (tudo mesmo)
para ficar com ela.
Um dia ele esbarrou com ela no corredor e derrubou os livros que ela carregava,
ela o pediu desculpas mais ele ficou sem palavras mal conseguia pedir desculpas, já que
era a primeira vez que ela o dirigia a palavra em 3 anos.Quando se deu conta que tinha
que dizer algo ela já tinha ido embora e o deixara falar sozinho no corredor.
Danilo arrasado com ele mesmo pelo episódio no corredor, na hora do intervalo
subiu no alto da torre da escola e se jogou de lá de cima, Danilo morreu na hora. Porém
morreu sem saber que Julya estava com outro mais o amava principalmente pelo seu
tamanho.
Julya arrasada pela morte de Danilo dois dias depois subiu na mesma torre e se
jogou de lá de cima e também se matou.
Hoje após cinco anos do ocorrido o espírito dos dois assolam a torre da escola
Paula Tejando do Rego Grande.
Capítulo 37
Em meados de Maio, às vinte e duas horas, estava ele, Danilo, O Pequeno
Polegar, sentado em sua pequena cadeira de balanço em sua varanda, em frente ao
portão de casa. Já pensava em ir deitar-se, afinal, seu dia foi muito agitado, com muitos
afazeres em seu humilde trabalho. Vivia só, tendo um pequeno televisor de catorze
polegadas como entretenimento e um minigame que funcionava a pilha.
No instante em que deu o primeiro passo para entrar em casa para dormir,
brilhou atrás de Danilo uma luz forte, de cor amarela. De repente, ao receber aquela
iluminação, O Pequeno Polegar desmaiou, e permaneceu assim até o dia seguinte.
Quando acordou, não sabia o que estava acontecendo. Só se deu conta da gravidade do
problema quando chegou até a cozinha e viu seu chinelo tão grande como uma prancha
de surf. E logo notou que tudo à sua volta estava grande, imenso: percebeu que tinha se
encolhido, a poucos centímetros de altura, desconfiando de que aquela luz suspeita da
noite anterior lhe teria causado isso tudo.
Desesperado, Danilo saiu correndo para fora de casa, mas, esquecendo que seu
jardim era todo esburacado, acabou tropeçando e caindo na mais funda das poças
d’água. Como não sabia nadar, o ser reduzido começou a se debater na água barrenta,
resultado da chuva da tarde do dia antecedente. Com urgência, O Pequeno Polegar
agarrou-se numa raiz de grama e começou a tentar subir para a superfície. Esticou
pernas, braços, tronco, o corpo inteiro, até conseguir se salvar...temporariamente.
Quando havia saído daquele lugar, deu-se de frente com o Pintcher Zero da vizinha,
gritando com desespero:
- O Pintcher da vizinha vai me comer!
Começou a correr do cachorrinho, que era quase do seu tamanho, mas o
suficiente para comê-lo. Disparou em direção da porta e correu pela casa. No momento
em que ia ser pego pulou e se agarrou na beira da privada. Porém o animal que o
perseguia pulou para pegá-lo, mas acabou caindo dentro do vaso sanitário. Danilo não
teve outra saída, a não ser pular com toda força e dar descarga. Após apertar a válvula, o
Pintcher desceu privada a baixo, desaparecendo por completo.
O dia passou e a noite chegou. O Pequeno Polegar adormeceu exatamente às
vinte e duas horas, novamente com aquela luz misteriosa na varanda de casa. No dia
seguinte acordou com seu tamanho normal, sem saber o motivo de tudo aquilo ter
acontecido. Sua única solução foi voltar à vida normal, trabalhando como limpador de
mangueiras por dentro, e esquecer desse mistério.
Capitulo 38
Era uma vez um garotinho muito pequeno, chamado de Danilo, o pequeno polegar. Ele
era muito corajoso e adorava aventuras. Ele sempre foi apaixonado por uma moça da
cidade grande mas como ele vivia na floresta encantada, sabia que não poderia ter seu
amor, alem do mais ela era uma menina grande pra caramba.
Um dia ele tomou a decisão de se embrenhar na floresta em busca novas aventuras, e
saiu sem avisar ninguém.
Andou, andou, andou, mas nunca se cansou. Ele sempre tinha aquela chama no coração
de chegar a cidade e propor em casamento aquela donzela tão linda e grande. Porem
quando estava quase chegando ouviu gritos ao longe, ele os reconheceu, era da menina
grande pra caramba! E agora? Pensou ele. O que eu farei?
Mas não demorou muito ate chegar a conclusão de que queria salvá-la.
Ele foi e viu, ou pensou, que era um assaltante da terra das pessoas grandes pra caramba
e acabou por dar um chute na canela do moço, que nem viu de onde veio. O assaltante
caiu, e ele aproveitou para chutá-lo outra vez, só que dessa vez nas partes intimas.
Hehehehe, pensou ele. Consegui.
Mas um segundo se passou e ele percebeu que estava caído, aquela que tanto amava
havia o chutado para bem longe, e fora socorrer aquele moço cheio de dores, que estava
chão.
Ele se levantou, tentou entender, mas não conseguiu.
Então ele viu ao longe, uma linda menina grande pra caramba. Apaixonou-se.
Embrenhou-se na mata de novo, e foi na busca de seu grande amor.
Capítulo 39
Em mais um barulhento dia de aula,pequeno polegar tentava mostrar que já havia
chegado na sala de aula.Mas como era muito pequeno, até mesmo microscópico,não foi
avistado pelos alunos.
A sala estava uma zona.Como sempre, o nóia estava cantando a Bianca, Rocero dando
uma de Fred Mercury Prateado,a Bruna tentando falar.
O pequeno polegar acabou se descuidando de sua garrafinha de vidro supostamente
cheia de água.Então Guto, o menino sem cérebro, cujo a cabeça era feita de
vácuo,aproveitou-se do descuido para mexer na garrafinha do pequeno polegar,pois por
ser de vidro e ser tampada com uma rolha,pensou que dentro dela havia um sasci.
Quando abriu, não encontrou nenhum sasci.Então resolver beber o que havia dentro do
recipiente.
Na verdade, era pinga.Então Guto ficou ainda mais retardado do que já era.Se antes ele
já era insuportável, agora ficou mais ainda.Parecia o taz mania em seu furacão.Em
questão de minutos,destruiu a escola.
E agora?pequeno polegar não sabia o que fazer.seu segredo sobre o a maneira de trazer
pinga escondida pra escola fora descoberto,e a escola estava em ruínas por causa de seu
descuido.E agora?Vai ter que conversar com JAMÉRSON,o poderoso chefão.Quando
chegou frente à frente com JAMÉRSON,tremia mais que uma vara verde.
Em decisão da suprema ordem,recebeu como punição por trazer pinga pra escola,ficar 2
anos sem receber salário.E o pior:nos finais de semana,seria responsável por levar
Guto,o menino sem cérebro para brincar, tendo de suportá-lo sem reclamar para seus
pais!!!
Capitulo 40
Na sua casa, Danilo, mais conhecido como pequeno polegar, pela sua incrível baixa
estatura, de apenas 25 centímetros, era a pessoa mais famosa do mundo. Fazia de tudo
que uma pessoa normal fazia, mesmo com a s ua pequena estatura.
Ele era conhecido por cantar a todas as mulheres de sua cidade. Mas ninguém ligava pra
ele, por causa da estatura.
Num belo dia ele sumiu. Ninguém notou, no inicio, mas depois começaram a procurá-lo
por todos os cantos e lugares. Ao final de alguns dias descobriram o que tinha
acontecido. Ele tinha sido comido por uma formiga.

Related Interests