Sie sind auf Seite 1von 3

A Golden Dawn

1880- O clérigo inglês A.F.A Woodford passeava em


Londres, quando entrou numa loja de livros e encontrou
um manuscrito cifrado, que dentro continha uma carta em
alemão - a carta pedia para quem conseguisse decifrar o
manuscrito, entrasse em contato com a "Sapiens
Donabitur Astris" (SDA). A SDA era uma sociedade
secreta alemã e a pessoa a quem deveria procurar para
maiores informações era uma tal de Anna Sprengel. O
Reverendo Woodford, maçon e rosacruz, falou de sua
descoberta a dosi amigos, Dr. Woodmann e Dr. Winn
Westcott, profundos conhecedores da ciência dos
mistérios. Eles já tinham ouvido falar da SDA, sociedade
secreta alemã composta de alquimistas e que graças a
esses conhecimentos salvou a vida de Goethe, quando os
médicos já haviam desistido do caso. A veracidade do fato
está nas páginas do livro "Goethe, o alquimista",
publicado pela Universidade de Oxford. Westcott e
Woodmann decifraram o manuscrito e escreveram a Anna
Sprengel. Na continuação de seu trabalho, tiveram a ajuda
de outro maçom: Samuel Lindell Mathers. Mathers
redigiu um conjunto ritualístico, chamado de Rituais
Mathers, que seria a compilação de diversos manuscritos
e documentos originais. Todo esse trabalho foi submetido
à SDA, que autorizou a fundação da sociedade oculta
exterior, isto é, aberta, que se chamou "Order of the
Golden Dawn in the Outer" - Ordem da Aurora Dourada
no Exterior. Em 1º de março de 1888, a autorização foi
dada a Woodmann, Mathers e Westcott. Mathers
acrescenta em seu nome o título de Conde de Mac Gregor
e passa a ser conhecido por Mac Gregor Mathers.
Segundo "Os Livros Malditos" de Jacques Bergier, o
primeiro dirigente da ordem foi o Dr. Woodmann e após
sua morte a Ordem passou para as mãos de Westcott.
Como ele era "coroner" da polícia inglesa(médico legista
e e juíz de instrução), seus superiores acharam que não
ficava bem um "coroner" se ocupar de tais atividades,
pois poderia tentar utilizar cadáveres que são postos à sua
disposição para realizar operações de "magia". Mathers
então, ficou com a função de Grande Mestre. A Golden
Dawn começou a atrair homens de renome na Inglaterra,
entre eles Yeats, que mais tarde ganharia o nobel de
literatura. Os melhores espíritos da época faziam parte da
Golden Dawn. A Ordem tem dois níveis: o 1º dividido em
nove graus, onde se ensina, e o 2º, onde apenas se
pesquisa. Desde o 2º grau do 1º nível, o candidato era
preparado para eliminar todos os seus males mentais e
todas as suas fraquezas. Até que em 29 de outubro de
1896, Mathers publicou um manifesto dizendo existir um
3º nível na Ordem - constituído por seres sobre-humanos.
Se era fato ou não, este manifesto exteriorizava a loucura
de Mathers, que passou a ser perseguido (por quem?) por
ter revelado o que não devia. Por outro lado, estas
declarações de Mathers atrairam a atenção de um dos
homens mais polêmicos no quadro da magia mundial:
Aleister Crowley. Crowley apareceu um dia qualquer de
1900 na loja de Londres trazendo um uma máscara e um
traje do rito escocês(balandrau maçom), dizendo ter sido
mandado por Mathers para dirigir a Loja. A aparição de
Crowley provocou um rompimento entre Waite, que era o
Imperador da Loja, e a demissão dele e de seus amigos,
que acabaram por abrir outra LOja com o mesmo nome:
Golden Dawn. Com a chegada de Crowley, a Golden
Dawn "implodiu", e até mesmo Mathers retirou um
conjunto de rituais, que pelo que se sabe, era capaz de
produzir certos fenômenos. A Golden Dawn, sem dúvida,
foi a mais poderosa sociedade secreta iniciática que se
tem conhecimento. Além da notável cultura e grau
intelectual dos adeptos, tinha a credibilidade das pessoas
que participavam e insistiam na plenitude, senso e beleza
adquiridos através da Ordem.
A Golden Dawn foi anida bastante explorada pela
imprensa européia envolvida em sucessivos escândalos,
inclusive um suposto duelo de magia entre Crowley e
Mathers. Do material publicado pela Ordem, o mais
polêmico de todos foi a tradução do livro "A Magia
Sagrada de Abramerlin", com o original encontrado em
Paris, datando de 1458. Ao que consta, foi escrito por
Abrahan Merlin, que teria vivido entre 1362 e 1462, tendo
acesso a todos os conhecimentos secretos de magia, que
teria adquirido de seu pai, conhecido por Simão, o Mago.

Sociedades Secretas:
Golden Dawn

Informações sobre a Ordem Golden Dawn (também presente no Brasil - um dos braços do Satanismo)
através da passagem de Aleister Crowley por ela

A Golden Dawn foi, em muitos aspectos, principal (e talvez o único) ramo do Rosacrucianismo nos
últimos 15 anos do séc. XIX. Foi fundada por quatro membros da S.R.I.A. (Societas Rosicruciana in
Anglia) - S. L. Mac Gregor Mathers, W. W. Westcott, Woodman e Woodford, segundo manuscritos vindos
da Alemanha, fornecidos por uma tal Ana Sprengel. Desenvolveu-se em seu seio estudos aprofundados de
Tarot e de Qabalah, assim como de magia.
A espinha dorsal da Golden Dawn era formada pelos ensinamentos mágicos herdados da Idade Média,
Eliphas Levi, Francis Barret e John Dee, entre outros, além da mente brilhante de Mac Gregor Mathers
que montou e organizou todos os rituais e graus da Ordem, chefiando-a inicialmente com os outros três, e
mais tarde sozinho, até a dissolução da Ordem em 1900.
Mesmo após sua saída da Golden Dawn, Crowley continuou divulgar os conhecimentos que lá aprendera,
seja na Astrum Argentum, ou na O.T.O. (Ordo Templi Orientis), ou mesmo nos volumes do Equinox.
Ao entrar na Golden Dawn, Crowley foi apadrinhado e instruído por Alan Bennet (Frater Iehi Aour).
Assumiu o nome de Frater Perdurabo (Perdurável) e tornou-se amigo íntimo de Mac Gregor Mathers, a
tal ponto que trocou seu nome pelo de Aleister Mac Gregor, querendo com isso indicar um possível laço
familiar. Junto com Mathers combateu a W. Yeats, que pretendia (e mais tarde conseguiu) dividir o
comando da Golden Dawn e assumir o Templo de Ísis Urânia, o principal de Londres.
A habilidade de Crowley para a magia e o ocultismo eram tais que em 1 ano, ele já dominara todos os
chamados Graus Externos da Golden Dawn, causando inveja de outros membros, que recusavam-se a lhe
aceitar nos Graus Internos da Ordem. O artifício de mudar o nome para Aleister Mac Gregor foi também
um meio de franquear-lhe as portas para esses graus.
Aqui podemos adicionar o progresso feito por ele na Golden Dawn:
- Adeptus Minor 5º=6º Janeiro de 1900;
- Adeptus Major 6º=5º Abril de 1904;
- Adeptus Exemptus 7º=4º 1909;
- Magister Templi 8º=3º Dezembro de 1910;
- Magus 9º=2º Outubro de 1915.
Golden Dawn era uma sociedade secreta dedicada ao ensino da magia entre um grupo de pessoas
selecionadas. Supunha-se que esta sociedade era depositária de segredos que se atribuíam a Hermes
Trismegisto. Segundo parece, nas suas remotas origens era uma irmandade de rosacrucianos, que mais
tarde derivou completamente para as práticas mais diversas. Cerca de 1850, com a morte de alguns dos
seus membros mais notáveis, a sociedade pareceu eclipsar-se, mas cobrou novo alento na década dos 80.
Na sua primeira etapa, a Golden Dawn contou entre os seus sócios ocultistas tão famosos como Éliphas
lévi, Ragon, Kenneth R. H. Mackenzie e Fred Hockley. E dos membros dessa segunda época há
conhecidas e importantes como o poeta W. B. Yeats, o escritor de temas sobrenaturais, Algernon
Blackwood, o literato do mundo do horror e do inexplicável, Arthur Machen, Bram Stocker (o criador
literário de Drácula), a atriz Florence Farr, o ocultista Dion Fortune, Austin Osman Spare, Allan Bennett,
Samuel Liddell MacGregor Mathers, William Wynn Westcoot e Sax Rohmer.
Em 1884, a sociedade entrou na posse de um misterioso manuscrito que foi decifrado por S.L.MacGregor
Mathers que sucedeu a W.W.Westcott, uma autoridade da Cabal, como cabeça visível da Golden Dawn.
Mathers traduziu e publicou em inglês As Chaves de Salomão e O Livro da Magia Sacra de Abra-Melin o
Mago.
Foi nesta ordem que Aleister Crowley se iniciou na Alta Magia, começando a subir o fantástico, mas
também penoso, caminho que o havia de conduzir ao ponto máximo do sobrenatural. Foi aceite como
membro em 18 de Novembro de 1898, começando pelo grau zero, como Neophyte.
Tal como sucedia entre os maçons e rosacrucianos, na Golden Dawn havia várias graus de membros e os
chefes eram secretos, embora existisse uma cabeça visível da Ordem. A graduação dos membros era a
seguinte:
* Primeira ordem:
- Neophyte - grau zero;
- Zelator - 1.º grau;
- Theorius - 2.º grau;
- Practius - 3.º grau;
- Philosophus - 4.ºgrau.
* Segunda ordem:
- Minor - 5.º grau;
- Adeptus Major - 6.º grau;
- Adeptus Exemptus - 7.º grau.
Em dezembro do mesmo ano do seu ingresso, Crowley alcançou o grau de Zelator; depois obteve o de
Theoricus e dois meses mais tarde o de Practius.
Em Maio de 1899 era já Philosophus, o que dá uma leve ideia da sua capacidade para assimilar
conhecimentos mágicos, pelos quais sentia uma verdadeira obsessão, sobretudo sob o ponto de vista
prático. Não havia ritual nem invocação que se não atrevesse a realizar, por muito perigoso e obsceno que
o mesmo fosse, especialmente quando escalou os graus da Segunda ordem.

Links externos:
- Website oficial da Golden Dawn no Brasil
- Website oficial da OTO Internacional