You are on page 1of 2

VI SEMANA DE LUTA ANTIMANICOMIAL FACULDADE DE FILOSOFIA, CIÊNCIAS E LETRAS DE ALEGRE – FAFIA ALEGRE - 18 a 20/06/13

ROTEIRO PARA PALESTRANTES

18/06/13 (terça-feira)

TRAJETÓRIA DO TRATAMENTO EM SAÚDE MENTAL ATÉ A ATUALIDADE

Adriana M. S. Ferreira – história do tratamento da loucura no decorrer do tempo até o contexto da reforma psiquiátrica Rosane Maria Souza dos Santos – o contexto da assistência à saúde mental no CAPS abordar o panorama da luta antimanicomial em nossa região.

19/06/13 (quarta-feira)

MESA REDONDA: “Internação compulsória: tratamento ou exclusão? Diversos pontos de vista”.

Os palestrantes, compondo suas falas a partir de diferentes locais e campos de saber, devem construí-la abordando como é o trabalho desenvolvido na assistência à saúde mental e qual o posicionamento acerca da internação compulsória. é tratamento, é exclusão? É viável, inviável?

Adriana Moreira dos Santos Ferreira (Psicóloga) – mediadora da Mesa Redonda: fazer uma pequena introdução do tema a ser abordado na Mesa, convidar os palestrantes a compor a mesa e coordenar os trabalhos da noite. Inêz (Psicóloga): abordar o posicionamento do CRP acerca da internação compulsória e o que realmente se dá nos contextos de atendimento e assistência aos indivíduos em sofrimento psíquico. Como a internação tem ocorrido? A internação compulsória tem sido uma realidade? Se sim, sob que modelo ela tem ocorrido e que tipo de iniciativas tem sido privilegiadas com os pacientes?

Ainda podemos encontrar manicômios judiciários em nosso país? Como é feito o tratamento em tal contexto? Dentro do contexto da reforma psiquiátrica brasileira. . a internação. que dispõe sobre dispõe sobre a proteção e os direitos das pessoas portadoras de transtornos mentais e redireciona o modelo assistencial em saúde mental. Quais são as áreas/contexto de atuação? 4.Luciana Fonte Boa Janotte Lucio (Assistente Social): como a assistência social se posiciona acerca da internação compulsória? Como é o trabalho do assistente social no contexto da saúde mental? Como o assistente social se posiciona frente às modalidades de internação e como é seu trabalho mais diretamente com o paciente e seus familiares? João Carlos Peixoto Barbosa (Psiquiatra): como a psiquiatria se posiciona em relação às modalidades de internação? Como isso tem ocorrido? A determinação legal tem sido respeitada em contextos de internação? Como é seu trabalho junto aos pacientes/internos? Aurélio Palumbo Rodrigues (Ex-interno): apresente seu ponto de vista de ex-interno de uma instituição de assistência à saúde mental. O que é arte-terapia? 2. realizar alguma atividade prática com os cursistas. no contexto da reforma psiquiátrica brasileira. constitui-se em tratamento ou exclusão? 20/06/13 (quinta-feira) MINICURSO – ARTE-TERAPIA Verônica Ramos da Silva: abordar os seguintes temas: 1. Quais profissionais podem trabalhar na área? 3. Como você se posiciona acerca da internação? É mesmo o melhor caminho? A internação compulsória funciona? É eficaz no tratamento dos transtornos? Florinete Pinto Ridolphi (Advogada): construir a sua fala mencionando o dispositivo legal lei nº 10. entre outras considerações que julgar necessário. Como pode ser desenvolvido um trabalho de arte-terapia na assistência à saúde mental? 5. Se der tempo ou se achar viável.216/2001. quais as modalidades de internação previstas em lei e como elas são estipuladas na forma da lei. qual papel do Estado. Quais são os direitos dos indivíduos portadores de sofrimento psíquico. Enfocar o modo como se dá a determinação de uma internação compulsória por parte da justiça.