Sie sind auf Seite 1von 5

A curva de experiência ABC, também conhecida como Análise de Pareto, ou Regra 80/20, é um estudo que foi desenvolvido por Joseph Moses Juran, um importante consultor da área da qualidade que identificou que 80% dos problemas são geralmente causados por 20% dos fatores. O nome “Pareto” vem de uma homenagem ao economista italiano Vilfredo Pareto, que em seu estudo observou que 80% da riqueza da Itália estava na mão de 20% da população. E boa parte do entendimento da Curva ABC se deve à análise desenvolvida por Pareto.

Sempre que uma empresa gere um número muito grande de arigos em armazém, é impraticável que atribua a cada um dos artigos a mesma prioridade na sua gestão.

De facto, a gestão de stocks seleciona e gere de forma diferente os materiais que se encontam em armazém e sgundo determinados critérios:

critério de destino (classificam-se os stcks segundo os locais aos quais se destinam, por

exemplo, com destino à produção, ao ponto de venda, ao consumo interno, entre outros); critério de valor (classificam-se os stocks segundo o valor dos artigos que surgem nas saídas para a produção ou para a venda).

A classificação ABC consite em diferenciar os stocks consoante o volume das suas saídas anuais de stock.

A Curva ABC recebeu este nome em decorrência da metodologia utilizada:

de Classe A: de maior importância, valor ou quantidade, correspondendo a 20% do total;

de Classe B: com importância, quantidade ou valor intermediário, correspondendo a 30% do

total; de Classe C: de menor importância, valor ou quantidade, correspondendo a 50% do total.

Aqui é importante ressaltar que os parâmetros descritos acima não podem ser encarados como uma regra matemática. Estes valores podem variar de organização para organização nas percentagens descritas.

Utilização da Curva ABC

O uso mais comum da curva ABC dá-se na gestão de stocks, a fim de realizar um maior controle dos produtos em stock e, também, procurando a redução de custos sem comprometer o nível de atendimento ao cliente. Por isso, a Curva ABC auxilia na classificação dos bens em stock de acordo com sua importância relativa.

Outra utilização bastante comum desta ferramenta é na procura de causas e efeitos dentro da gestão da qualidade, onde se procura encontrar as principais causas que geram o maior número de efeitos. A curva ABC pode ser usada em outras áreas da empresa: para identificar os melhores clientes, os fornecedores mais importantes, os problemas mais comuns à sua empresa, entre muitos outros.

Exemplo de utilização

Partindo do estudo dos inventários para usarmos como exemplo, o primeiro passo dentro da análise é identificar os critérios que serão utilizados. Vamos analisar, por exemplo, dois critérios geralmente usados, a rotação de stock de um bem e a sua rentabilidade.

As empresas devem procurar ter uma rotação de stocks melhor dos produtos que possuem maior margem de lucro, utilizando os seus esforços para melhorar os canais de compra destas mercadorias e sua logística interna na empresa. Agora, para os bens de menor rotação de stocks e menor margem, a empresa pode diminuir os seus esforços de compra e logística, podendo até mesmo eliminar os produtos de pior classificação.

Para fazer a análise ABC é necessário fazer uma tabela com a participação de cada bem na receita total da empresa, assim criando os critérios de avaliação. Por exemplo, que bens representam 80% da receita, 15% e 5%. Geralmente, o resultado é semelhante ao mostrado no gráfico abaixo. Na maioria dos casos, uma parte menor da causa corresponde a uma parte maior dos efeitos.

Outra utilização bastante comum desta ferramenta é na procura de causas e efeitos dentro da gestão

Neste caso, normalmente, os primeiros 20% dos bens da lista serão responsáveis por aproximadamente 80% da margem de lucro da empresa. Para uma empresa com uma lista de 100 artigos diferentes, isto significa que devemos prestar mais atenção para os 20 artigos que vão ser responsáveis por 80% do lucro.

Os próximos 40% dos artigos, vão, geralmente, representar 15% do lucro. Estes podem ter uma atenção geral da empresa mais reduzida, se comparados aos anteriores. Porém, exigem uma boa análise por parte dos analistas.

Os últimos 40%, onde existe pouca rotação de stocks e pouca margem, são responsáveis por apenas 5% do lucro e podem ser geridos com um nível mais baixo de atenção.

A classificação ABC assenta na construção de um quadro com as seguintes informações:

designação dos artigos;

percentagem do número de artigos a classificar;

percentagem acumulada do número de artigos;

valor anual relativo à venda ou à produção;

percentagem do valor anual relativo e acumulado;

Classe ABC.

EXEMPLO:

A empresa Tintas, Lda. Possui em armazém 10 artigos dos quais se conhecem os seguintes valores das saídas para a produção:

Artigos

001

002

003

004

005

006

007

008

009

010

Valor

                   

(euros)

50.000

250.000

10.000

2.250

2.550

5.000

3.500

12.500

15.000

220.000

1.º Ordenar por ordem decrescente os valores das saídas para a produção:

 
  • 1 50.000,00 €

 
  • 2 250.000,00 €

 
  • 3 10.000,00 €

 
  • 4 2.250,00 €

 
  • 5 2.550,00 €

 
  • 6 5.000,00 €

 
  • 7 3.500,00 €

 
  • 8 12.500,00 €

 
  • 9 15.000,00 €

10

220.000,00 €

2.º Contruir o quadro de classificação:

(1) (2) (3) (4) (5) (6) % % acumulada Valor anual % % acumulada Artigos Classe
(1)
(2)
(3)
(4)
(5)
(6)
%
% acumulada
Valor anual
%
% acumulada
Artigos
Classe
nº artigos
nº artigos
(€)
valor anual
valor anual
Total

(1) São 10 artigos, cada artigo representa 100/10 = 10% (2) Acumula os valores da coluna (1) (3) Valores obtidos através de documentos comerciais (4) Quociente entre o valor anual de cada artigo e o valor total em percentagem (5) Acumulação sucessiva dos valores da coluna (4) (6) Última coluna a ser preenchida, após o cálculo da percentagem do valor acumulado e o recurso aos critérios ABC. Classe A: valor acumulado entre o e 80. Classe B: Valor acumulado entre 80 e 95. Classe C: Valor acumulado entre 95 e 100.

Exercício:

A empresa Beatrix, Lda. Possui 10 artigos em armazém:

 

Consumo Anual

Produtos

(Kg)

A

2000

B

5600

C

2450

D

10000

E

3500

F

4500

G

6000

H

200

I

450

J

100

  • 1. Tomando como base os critérios ABC classifique os

produtos definidos segundo as classes ABC.

  • 2. Desenhe a curva ABC.

  • 3. Interprete os resultados conseguidos e refira as suas consequências na gestão económica da Beatriz, Lda.

Análise do exemplo:

Análise do exemplo: