Sie sind auf Seite 1von 2

As Fronteiras da Alegria

Provérbios 15:15

A alegria é marca distinta da vida cristã autêntica. É impossível alguém ser


um cristão e não gozar de uma profunda e verdadeira alegria. Fazer parte
do reino de Deus e não se realmente alegre, é negar o significado essencial
do que representa este reino. Não há nada que contradiga mais
radicalmente a fé cristã, do que uma vida descontente.

A murmuração desfigura a legitimidade da experiência salvadora, e a


reclamação crítica faz transparecer um espírito amargurado. Billy Sunday
costumava dizer que se você não tem alegria na vida cristã, existe
vazamento em algum lugar no seu cristianismo. A mensagem do evangelho
destituída de uma expressão jubilosa, proveniente de um coração satisfeito,
é um contra-senso insustentável.

Fé cristão sem regozijo é como carvão sem fogo, denuncia as mãos de


quem lhe manuseia. Ninguém pode dar crédito ao cristianismo cuja
reputação ofusca a exultação do espírito. O cristianismo deve ser um
"alegria" da cabeça aos pés. Alegrai-vos sempre no Senhor; outra vez digo:
Alegrai-vos. Filipenses 4:4 . Prazer e alegria, não apenas, não são
sinônimos, como também podem ser profundamente diferentes, como céu e
inferno. O Senhor Jesus apresentou três motivos, porque a nossa alegria,
como cristãos, deve ser uma alegria completa.

Primeiro:

Tenho-vos dito estas coisas para que o meu gozo esteja em vós, e o vosso
gozo seja completo. João 15:11. A alegria plena provem da relação de
Jesus Cristo e sua palavra. Certamente, nenhuma resolução que já ocorreu
na sociedade pode ser comparada com a que foi produzida pelas palavras
de Jesus Cristo.

Firmar os nossos passos nas palavras de Jesus é estabelecer-se nos limites


da certeza e descansar no perímetro absoluto do amor. Todas as bençãos
que Deus tem para o homem encontram-se em Jesus Cristo e são dadas por
meio dele, através de sua palavra.

Assim com Cristo é a raiz pela qual o santo cresce, ele é o caminho pelo
qual o santo anda. A maior felicidade dos salvos é gozar da intimidade
pessoal do Senhor, por meio das suas doces palavras.
Segundo:

Até agora nada tendes pedido em meu nome; pedi e recebereis, para que a
vossa alegria seja completa. João 16:24.

Se a nossa alegria mais profunda deriva da intimidade da pessoa de Jesus


Cristo, nossa alegria mais abrangente decorre de sua autoridade em nossas
vidas, por meio de orações respondidas.

Nada está fora do alcance da oração, a não ser aquilo que está fora da
vontade de Deus. Pedir em nome de Jesus Cristo é, deixar de lado a nossa
vontade, e curvarmo-nos com alegria à perfeita vontade de Deus.

A oração genuína espera respostas, por isso, Isaac Newton dizia: Todas as
minhas descobertas têm sido feitas em respostas à oração. Não há prova
mais adequada para confirmar a nossa alegria do que a resposta favorável,
segundo a vontade de Deus.

Terceiro:

Mas, agora, vou para junto de ti e isto falo no mundo para que eles tenham
o meu gozo completo em si mesmos. João 17:13.

Os contratos humanos estão sempre requerendo um fiador. É doloroso o


destino daqueles que não têm alguém que garanta os seus
empreendimentos.

Mas, a nossa maior felicidade se encontra no avalista de nossas vidas.


Quem abona a nossa existência aqui neste mundo é o próprio Senhor do
universo. A nossa eterna segurança tem como penhor o gozo completo de
Jesus Cristo, satisfeito pela sua soberana graça.

A essência da doutrina da graça é que Deus é por nós. Assim, somos


aceitos plenamente pela graça de Deus em Cristo, tornado-nos totalmente
satisfeitos, realizados e completos nEle.