Sie sind auf Seite 1von 8
DPC 2014 ECA Cristiane Dupret DIREITO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE Delegado 2014 Professora Cristiane Dupret
DPC 2014
ECA
Cristiane Dupret
DIREITO
DA
CRIANÇA
E
DO
ADOLESCENTE
Delegado 2014
Professora Cristiane Dupret
www.cristianedupret.com.br
www.direitopenalbrasileiro.com.br
www.direitocriancaeadolescente.com.br
ÂMBITO DOS EDITAIS
Cobrança em Direito Constitucional, Direito
Civil e Direito Penal.
Bancas: CESPE, FUNCAB, FGV …
DIREITO
DA
CRIANÇA
E
DO
ADOLESCENTE:
As
medidas
de
proteção
à
criança
e
ao
adolescente
são
aplicáveis
sempre
que
os
direitos
reconhecidos
nesta
Lei
forem
ameaçados ou violados:
I - por ação ou omissão da sociedade ou do
Estado;
por falta, omissão ou abuso dos
responsável;
II
-
pais ou

III - em razão de sua conduta.

Delegado Maranhão 2012

Juliana

deu

a

luz

a

uma

menina

na

Maternidade São Judas Tadeu. Juliana e o pai

DPC 2014 ECA Cristiane Dupret DIREITO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE Delegado 2014 Professora Cristiane Dupret

www.cers.com.br

1
1
DPC 2014 ECA Cristiane Dupret da criança, por não terem condições financeiras para a criar a

DPC 2014 ECA Cristiane Dupret

da criança,

 

por

não terem

condições financeiras para a criar a filha e por serem viciados em tóxicos, a abandonaram na

porta da

casa

dos

avós

maternos,

não

a procurando mais e jamais exercendo o poder

familiar. Considerando o fato narrado, assinale a afirmativa correta.

A) Os casos de perda e de suspensão do poder familiar serão decretados judicialmente, em procedimento contraditório, apenas nos casos de descumprimento dos deveres e obrigações de sustento, guarda e educação dos filhos menores.

MEDIDAS DE PROTEÇÃO

Art. 101. Verificada qualquer das hipóteses previstas no art. 98, a autoridade competente poderá determinar, dentre outras, as seguintes medidas:

I - encaminhamento aos pais ou responsável, mediante termo de responsabilidade;

• II - orientação, apoio e acompanhamento temporários; • III - matrícula e freqüência obrigatórias em
II
-
orientação,
apoio
e
acompanhamento
temporários;
III - matrícula e freqüência obrigatórias em
estabelecimento oficial de ensino fundamental;
(B)
A falta ou a carência de recursos materiais
IV
-
inclusão
em
programa comunitário
ou
não constituem motivo suficiente para a perda
oficial de auxílio
adolescente;
à família,
à
criança
e
ao
ou a suspensão do poder familiar.
(C)
As medidas de proteção à criança e ao
V
-
requisição
de
tratamento
médico,
adolescente somente serão aplicáveis quando
os seus direitos forem ameaçados ou violados
psicológico ou psiquiátrico, em
regime
hospitalar ou ambulatorial;
por falta, omissão ou abuso dos pais.
VI
-
inclusão
em
programa
oficial ou
(D)
A criança ou o adolescente tem direito a ser
criado
e
educado no
seio
de
sua
família,
comunitário de auxílio, orientação e tratamento
a alcoólatras e toxicômanos;
assegurada
a
convivência
familiar
VII - acolhimento institucional;
e comunitária,
mesmo
em
ambiente
com
a
presença
de pessoas
dependentes
de
substâncias entorpecentes.
VIII - inclusão em programa de acolhimento
familiar;
(E)
A criança ou o adolescente tem direito a ser
IX - colocação em família substituta.
criado e educado no seio de sua família e,
excepcionalmente, em família extensa.
DPC 2014 ECA Cristiane Dupret da criança, por não terem condições financeiras para a criar a
DPC 2014 ECA Cristiane Dupret da criança, por não terem condições financeiras para a criar a

www.cers.com.br

2
2
DPC 2014 ECA Cristiane Dupret • • • • da distinção entre família MEDIDAS PROTETIVAS EM

DPC 2014 ECA Cristiane Dupret

DPC 2014 ECA Cristiane Dupret • • • • da distinção entre família MEDIDAS PROTETIVAS EM
DPC 2014 ECA Cristiane Dupret • • • • da distinção entre família MEDIDAS PROTETIVAS EM
• da distinção entre família
da
distinção
entre
família
DPC 2014 ECA Cristiane Dupret • • • • da distinção entre família MEDIDAS PROTETIVAS EM
DPC 2014 ECA Cristiane Dupret • • • • da distinção entre família MEDIDAS PROTETIVAS EM

MEDIDAS PROTETIVAS EM ESPÉCIE

Importância

substituta (medida protetiva) e família natural,

extensa ou ampliada.

Recentes alterações.

DPC 2014 ECA Cristiane Dupret • • • • da distinção entre família MEDIDAS PROTETIVAS EM

www.cers.com.br

3
3
DPC 2014 ECA Cristiane Dupret - Adoção póstuma - Cadastro prévio de adoção - Estágio de

DPC 2014 ECA Cristiane Dupret

- Adoção póstuma - Cadastro prévio de adoção - Estágio de convivência - Adoção internacional -
-
Adoção póstuma
-
Cadastro prévio de adoção
-
Estágio de convivência
-
Adoção internacional
-
Efeitos da adoção
-
-
-
I - armas, munições e explosivos;
-
II - bebidas alcoólicas;
-

Direito à ciência da origem biológica

DPC 2014 ECA Cristiane Dupret - Adoção póstuma - Cadastro prévio de adoção - Estágio de

OUTRAS DISPOSIÇÕES IMPORTANTES:

É proibida a venda à criança ou ao adolescente de:

III - produtos cujos componentes possam causar dependência física ou psíquica ainda que por utilização indevida;

DPC 2014 ECA Cristiane Dupret - Adoção póstuma - Cadastro prévio de adoção - Estágio de

www.cers.com.br

4
4
- IV - fogos de estampido e de artifício, exceto aqueles que pelo seu reduzido potencial
  • - IV - fogos de estampido e de artifício, exceto aqueles que pelo seu reduzido potencial sejam incapazes de provocar qualquer dano físico em caso de utilização indevida;

  • - V - revistas e publicações a que alude o art. 78;

DPC 2014 ECA Cristiane Dupret

O Superior Tribunal de Justiça editou a Súmula 74, que dispõe: “Para efeitos penais, o reconhecimento da menoridade do réu requer prova por documento hábil”.

- VI - bilhetes lotéricos e equivalentes. - É proibida a hospedagem de criança ou adolescente
-
VI - bilhetes lotéricos e equivalentes.
-
É
proibida
a
hospedagem
de
criança
ou
adolescente
em
hotel,
motel,
pensão
ou
estabelecimento
congênere,
salvo
se
autorizado
ou
acompanhado
pelos
pais
ou
responsável.
PA/2013
De acordo com doutrina majoritária no mundo,
o conceito analítico de crime o define como um
fato típico, antijurídico e culpável, sendo que,
ao analisarmos um fato supostamente
criminoso, devemos investigar seus requisitos
nessa sequência. Por causa disso, é correto
afirmar que:
RN – 2009
De acordo com o Estatuto da Criança e do
Adolescente (ECA), assinale a opção correta.
a) O instituto da prescrição não é compatível
d - um fato praticado por menor de 18 anos não
é crime porque lhe falta tipicidade, já que
os atos atribuídos a adolescentes não podem
ser alcançados pelo Código Penal.
com
a
natureza
nãopenal
das
medidas
socioeducativas.

Teoria da atividade

Dispõe o artigo 104, parágrafo único, do ECA

que:

“Para os efeitos desta lei, deve ser

considerada a idade do adolescente à data do

fato.”

b) Considere que um indivíduo tenha divulgado e publicado, pela Internet, fotografias pornográficas envolvendo crianças e que essa ação tenha ocorrido em cidade brasileira, mas o acesso ao material tenha-se dado além das fronteiras nacionais. Nesse caso, a justiça

- IV - fogos de estampido e de artifício, exceto aqueles que pelo seu reduzido potencial

www.cers.com.br

5
5
DPC 2014 ECA Cristiane Dupret • • • • • • competente para o processo e

DPC 2014 ECA Cristiane Dupret

competente para o processo e o julgamento do feito será a estadual, pois o delito não se consumou no exterior.

c)

Em

se

tratando

de

menor

inimputável,

inexiste

pretensão

punitiva

estatal

propriamente, mas apenas pretensão educativa, que é dever não só do Estado, mas

da família, da comunidade e da sociedade em

geral,

conforme

legislação de regência e na CF.

d) A internação provisória do menor não pode extrapolar o prazo de 60 dias estabelecido pelo ECA.

e) O magistrado, no momento da reavaliação da medida socioeducativa imposta, está vinculado a pareceres e relatórios técnicos, e

não pode, com base na livre apreciação de

outros elementos de convicção, controvérsia.

DPC 2014 ECA Cristiane Dupret • • • • • • competente para o processo e

TO 2008

Considere que uma autoridade policial de determinado município, ao transitar em via pública, observou a presença de menores perambulando pela rua, tendo, de pronto, determinado aos seus agentes a apreensão de dois deles para fins de averiguação. Nessa situação, a atitude da autoridade policial está correta por se tratar de adolescentes em situação de risco.

João Alberto, nascido em 02 de fevereiro de 1994, juntamente com seu irmão José Silva, nascido em 15 de janeiro do ano de 1996, aproveitando-se da ausência de seus pais e demais parentes, abordaram, no dia 27 de setembro do ano em curso, no interior da residência destes, sua sobrinha Vera, nascida no dia 13 de maio do ano de 1997, usando de violência e grave ameaça, obrigando-a a praticar com eles atos libidinosos e conjunção carnal.

disposto expressamente na • Em razão do estranho barulho e da gritaria da jovem, vizinhos chamaram
disposto
expressamente na
Em razão do estranho barulho e da gritaria da
jovem, vizinhos chamaram os policiais
militares, que lograram deter João e José em
flagrante. A vítima ficou gravemente ferida, o
que despertou a revolta dos familiares e
populares, que tentaram agredir João e José.
Estes, por sua vez, ameaçaram os vizinhos
que testemunharam o fato, dizendo que seriam
dirimir
a
“apagados”. Em seguida, ambos foram
conduzidos pelos policiais à Unidade Policial e
apresentados ao Delegado, que deverá:
A) autuar João e José pelo delito de Estupro –
art. 217-A, do CP –, e apresentá-los
imediatamente ao Juízo da Infância e da
Juventude, que poderá determinar a internação
provisória por até quarenta e cinco dias.
B) lavrar,
contra
João
e
José,
o
auto
de
apreensão de adolescente por ato infracional
semelhante ao delito de Estupro, previsto no
art.
217-A,
do CP e apresentá-los,
no prazo
máximo de 24 horas, ao juiz da Infância e da
Juventude, o qual tomará as medidas legais.

C) lavrar, contra João e José, o auto de prisão de adolescente por ato infracional semelhante ao delito de Estupro, previsto no art. 217-A, do CP, e apresentá-los imediatamente ao Ministério Público em exercício na Vara da Infância e da Juventude, o qual tomará as medidas legais.

RJ-2012

D) lavrar o auto de prisão em flagrante contra João e, em relação a José, lavrar o termo de

DPC 2014 ECA Cristiane Dupret • • • • • • competente para o processo e

www.cers.com.br

6
6
DPC 2014 ECA Cristiane Dupret • • • • • • • • entrega aos pais,

DPC 2014 ECA Cristiane Dupret

entrega aos pais, com a recomendação de apresentá-lo ao juiz da Infância e da Juventude no dia seguinte ao fato.

judiciária deve

decretar

sua

revelia

e

encaminhar os autos à defensoria pública para apresentação de resposta escrita.

E) lavrar o auto de prisão em flagrante em relação a João e apreender o adolescente José, lavrando o auto de apreensão de adolescente por ato infracional análogo ao delito de Estupro, previsto no art. 217-A, do CP e, em seguida, apresentá-lo imediatamente ao representante do Ministério Público em exercício na Vara da Infância e da Juventude, para as medidas legais.

d) O regime de semiliberdade possibilita ao

adolescente

a

realização

de atividades

externas,

mediante

expressa

autorização

judicial.

e) Durante o período de internação, é vedado à

policial suspender

pais

do

DPC 2014 ECA Cristiane Dupret • • • • • • • • entrega aos pais,

Na última hipótese, com alteração promovida pela Lei 12.594/12, passa a dispor o parágrafo 1º do artigo 122 que:

O prazo de internação na hipótese do inciso III deste artigo não poderá ser superior a 3 (três) meses, devendo ser decretada judicialmente após o devido processo legal.

A internação deverá ser cumprida em entidade exclusiva para adolescentes, em local distinto daquele destinado ao abrigo, obedecida rigorosa separação por critérios de idade, compleição física e gravidade da infração.

• autoridade judiciária ou temporariamente a visita adolescente. dos TO – 2008 O procedimento de apuração
autoridade judiciária ou
temporariamente a visita
adolescente.
dos
TO – 2008
O procedimento de apuração de ato infracional
só é aplicável em se tratando de conduta
praticada por adolescente (pessoa entre 12 e
18 anos de idade). Se o ato praticado for
imputável a criança (pessoa de até 12 anos de
idade), o caso deve ser apreciado pelo
conselho tutelar na respectiva localidade.
PB – 2009
Assinale a opção correta com referência ao
Estatuto da Criança e do Adolescente.
a)
Em
caso de flagrante
da prática
de
ato
infracional, o adolescente não é prontamente
liberado pela autoridade policial,
apesar
do
comparecimento dos pais, quando, pela
gravidade do ato infracional e por sua
repercussão social, o adolescente deve
permanecer sob internação para manutenção
da ordem pública.

b) A internação pode ser cumprida em estabelecimento prisional comum, desde que o adolescente permaneça separado dos demais presos, se não existir na comarca entidade com as características definidas em lei para tal finalidade.

c) Se o adolescente, devidamente notificado, não comparecer, injustificadamente, à

Durante

o

período

de

internação,

inclusive

provisória,

serão

obrigatórias atividades

pedagógicas.

 

audiência de apresentação,

a autoridade

DPC 2014 ECA Cristiane Dupret • • • • • • • • entrega aos pais,

www.cers.com.br

7
7
DPC 2014 ECA Cristiane Dupret • São direitos do adolescente privado de pessoalmente com o diretamente

DPC 2014 ECA Cristiane Dupret

São direitos do adolescente

 

privado

de

pessoalmente

com

o

diretamente

a

qualquer

reservadamente

com

seu

recebendo comprovante daqueles porventura depositados em poder da entidade;

XVI - receber, quando de sua desinternação, os documentos pessoais indispensáveis à vida em sociedade.

Em nenhum caso haverá incomunicabilidade.

A autoridade judiciária poderá suspender temporariamente a visita, inclusive de pais ou responsável, se existirem motivos sérios e fundados de sua prejudicialidade aos interesses do adolescente.

liberdade, entre outros, os seguintes:

I

-

II

-

peticionar

autoridade;

III

-

avistar-se

defensor;

VI

-

entrevistar-se

representante do Ministério Público;

-

-

permanecer internado na mesma próxima ao acesso aos objetos necessários à habitar alojamento em condições
permanecer
internado
na
mesma
próxima
ao
acesso aos objetos necessários à
habitar
alojamento
em
condições

ter acesso aos meios de comunicação

IV - ser informado de sua situação processual, sempre que solicitada;

V - ser tratado com respeito e dignidade;

localidade ou naquela mais

domicílio de seus pais ou responsável;

VII - receber visitas, ao menos, semanalmente;

VIII - corresponder-se com seus familiares e amigos;

IX

ter

higiene e asseio pessoal;

X

-

adequadas de higiene e salubridade;

XI - receber escolarização e profissionalização;

XII - realizar atividades culturais, esportivas e de lazer:

XIII

social;

XIV - receber assistência religiosa, segundo a sua crença, e desde que assim o deseje;

XV - manter a posse de seus objetos pessoais

e dispor

de local seguro para guardá-los,

DPC 2014 ECA Cristiane Dupret • São direitos do adolescente privado de pessoalmente com o diretamente

www.cers.com.br

8
8