Sie sind auf Seite 1von 40
1 711 131 01:03-01 Edição 3 pb Motores de 11,12 e 16 litros Descrição de
1 711 131 01:03-01 Edição 3 pb Motores de 11,12 e 16 litros Descrição de

1 711 131

01:03-01

Edição 3 pb

Motores de 11,12 e 16 litros

Descrição de funcionamento

106 351
106 351
116 756
116 756

© Scania CV AB 1999, Sweden

Índice

Índice

Generalidades

Gases de combustão e escape

3

Bloco de cilindros

8

 

Camisas de cilindro

9

Ventilação do cárter

10

Mecanismo da válvula

12

Mecanismo da árvore de manivelas (cambota)

14

Distribuição

19

Acionamento do ventilador (ventoinha)

23

Sistema de lubrificação

25

Turbocompressor

32

Transmissão por correia

37

Gases de combustão e escape

Generalidades

Esta descrição de funcionamento aplica-se ao novo motor DC11 de 11 litros, ou seja, o motor de 11 litros com 4 válvulas/cilindros.

Gases de combustão e escape

Quando o diesel faz combustão, são formados os gases de escape do diesel.

Os constituintes dos gases de escape que são regulados pela lei são:

• Óxido de nitrogênio, que é venenoso e contribui para o nevoeiro fotoquímico e para o ozônio ao nível do solo e também para a eutrofização e acidificação.

• Hidrocarbonetos, que fornecem aos gases de escape o seu cheiro característico e contribuem para o nevoeiro fotoquímico e o ozônio ao nível do solo.

• Partículas, que são consideradas nocivas para a saúde.

• Monóxido de carbono, que é um gás venenoso. O conteúdo do monóxido de carbono é bem pequeno em gases de escape de diesel, porque há um grande excesso de ar em um motor a diesel.

Gases de combustão e escape

Óxido de nitrogênio, NO x

A atmosfera contém:

80% de nitrogênio e 20% de oxigênio.

Quando o ar é sujeito a temperaturas altas, o nitrogênio e o oxigênio no ar reagem e óxidos de nitrogênio são formados. A fim de reduzir a descarga dos óxidos de nitrogênio, é possível:

• Abaixar a temperatura de combustão.

• Reduzir a quantidade de oxigênio durante a combustão.

A temperatura de combustão pode ser abaixada

 

por:

Refrigeração do ar de admissão.

Injeção de água.

Recirculação de gases de escape.

Tempo de injeção atrasado.

A

quantidade de oxigênio na câmara de

combustão pode ser reduzida por:

• Recirculação de gases de escape.

• Rotação de ar reduzida na câmara de combustão.

Uma pressão alta de injeção produz gotas de combustível menores, o que fornece uma concentração de oxigênio maior em volta de cada gota, o que por sua vez leva à produção elevada de óxidos de nitrogênio.

A maioria dos métodos para reduzir os óxidos

de nitrogênio também reduz a eficiência do motor, que leva ao consumo elevado de combustível, que por sua vez leva à produção elevada de dióxido de carbono.

N + O 2 NO + NO 2 115 244
N
+
O
2 NO + NO
2
115 244

N = nitrogênio O 2 = oxigênio

NO+NO 2 = NOx = óxidos de nitrogênio

Gases de combustão e escape

115 242

Hidrocarboretos, HC

Os hidrocarboretos são detritos de combustível e são o resultado de uma combustão incompleta. Os hidrocarboretos também têm substâncias que fornecem aos gases de escape de diesel o seu cheiro característico. A descarga de hidrocarboretos pode ser reduzida por:

• Temperatura elevada na câmara de combustão.

• Rotação de ar elevada na câmara de combustão.

• Maior quantidade de orifícios no bico injetor.

• Volume reduzido da câmara de pressão no bico injetor.

• Pressão de injeção elevada.

• Pós-tratamento catalítico.

de injeção elevada. • Pós-tratamento catalítico. 5 4 3 2 1 1 Agulha do bico injetor

5

4

de injeção elevada. • Pós-tratamento catalítico. 5 4 3 2 1 1 Agulha do bico injetor

3

2

1

1 Agulha do bico injetor

2 Orifício do bico injetor

3 Volume da câmara de pressão

4 Assento da agulha

5 Combustível

Gases de combustão e escape

115 242

Partículas

As partículas contêm fuligem e hidrocarboretos do combustível, óleo de lubrificação, ácido sulfúrico e da cinza. As partículas causam fumaça (fumo) e são formadas no caso de combustão incompleta, do óleo na câmara de combustão e do enxofre no combustível. A descarga de partículas pode ser reduzida por:

• Mais ar na câmara de combustão.

• Rotação de ar elevada na câmara de combustão.

• Pressão de injeção mais alta, orifícios menores no bico injetor, o que significa temperaturas mais altas na câmara de combustão.

• Volume reduzido da câmara de pressão no bico injetor.

• Quantidade menor de óleo na câmara de combustão.

5

• Teor de enxofre inferior no combustível.

• Com um filtro de partículas.

 

4

• Com um filtro de partículas.   4 1 3 2 1 Agulha do bico injetor
• Com um filtro de partículas.   4 1 3 2 1 Agulha do bico injetor

1

3

2

1 Agulha do bico injetor

2 Orifício do bico injetor

3 Volume da câmara de pressão

4 Assento da agulha

5 Combustível

Gases de combustão e escape

Conclusão

As medidas que podem ser tomadas para reduzir a produção de um constituinte nos gases de escape podem levar simultaneamente a um aumento em um outro constituinte.

A tendência hoje é:

• Atrasar o sincronismo da injeção a fim de abaixar a temperatura de combustão, o que reduz a produção de óxidos de nitrogênio.

A desvantagem é que a eficiência do motor é

reduzida, o que leva ao consumo elevado de combustível.

• Reduzir a quantidade de oxigênio na combustão, o que reduz a produção de óxidos de nitrogênio.

• Aumentar pressão de injeção, o que reduz a produção de partículas.

A relação entre os óxidos de nitrogênio,

NO x e hidrocarboretos, HC

E (g/kWh)

NO x HC HC NOx A B 115 241
NO
x HC
HC
NOx
A
B
115 241

A = Sincronismo da injeção cedo

B = Sincronismo da injeção tarde

A relação entre os óxidos de nitrogênio,

NO x e o consumo de combustível

NOx (g/Kwh)

1 A B 2 Fuel 115 243
1
A
B
2
Fuel
115 243

comsumption

1 = Sincronismo da injeção cedo

2 = Sincronismo da injeção tarde

A = Motor com um turbocompressor

B = Motor com um turbocompressor e um radiador de ar de admissão

Bloco de cilindros

Bloco de cilindros

Funcionamento

O bloco de cilindros é fundido em um pedaço e os cabeçotes (cabeças) do cilindro são separados para cada cilindro. Os pistões funcionam em camisas de cilindro úmidas.

Motores de 11 e 12 litros

01_1403
01_1403

Motor de 16 litros

115 262
115 262

Camisa de cilindro

Camisas de cilindro

Funcionamento

As camisas do cilindro são substituíveis. Uma junta de aço com vedações vulcanizadas de borracha veda o espaço entre a camisa e o cabeçote (cabeça) do cilindro. Uma junta separada para cada cilindro.

A camisa de cilindro está posicionada um pouco

acima do nível do bloco de cilindros e empurra a junta em direção ao cabeçote (cabeça) do

cilindro a fim de fornecer uma vedação.

As vedações vulcanizadas de borracha vedam os canais do líquido e do óleo de lubrificação.

A temperatura na e em volta da câmara de

combustão é extremamente alta. As camisas têm uma fixação baixa que possibilita a refrigeração até o cabeçote (cabeça) do cilindro. Isso reduz a temperatura dos anéis de pistão, o que aumenta a vida útil dos anéis de pistão e da camisa do cilindro. A fixação baixa da camisa reduz o risco da camisa descer à medida que a temperatura inferior reduz a tensão no material.

100 161
100 161
01 1410
01 1410

Ventilação do cárter

Ventilação do cárter

Motores de 11 e 12 litros

O cárter é ventilado através da tampa dianteira

das válvulas, que encaminha os gases do cárter para baixo para um sistema de canais na tampa

dianteira.

Os gases do cárter contêm óleo. O óleo de lubrificação é depositado contra as paredes dos canais, escorre para o fundo da carcaça (alojamento) dianteira e volta para o cárter através de um orifício na placa da tampa dianteira.

É importante que haja uma passagem livre pela

ventilação do cárter e que a entrada e a saída estejam livres de modo que o gás e o óleo possam fluir livremente pela ventilação do cárter. De outra forma, há um risco de o cárter perder o óleo de lubrificação através do turbocompressor.

O cárter tem um pequeno vácuo. O vácuo é

criado conectando-se a saída no cárter ao lado de sucção do turbocompressor.

Para regular o vácuo no cárter, há um diafragma que fecha a saída do cárter ao turbocompressor

se o turbocompressor criar um vácuo excessivo

no seu lado de sucção. Isso pode acontecer com uma atuação grande do acelerador.

Apesar do separador de água, é normal para uma determinada quantidade de óleo entrar no sistema de entrada do motor junto com os gases do cárter. O óleo nos gases do cárter pode ser conservado como um filme fino de óleo no sistema de ar de admissão.

5 4 3 1 2 108 912
5 4
3
1
2
108 912

1 Entrada da tampa dianteira das válvulas

2 Abertura de saída para óleo de lubrificação depositado

3 Orifício que é fechado por um diafragma no caso de um vácuo excessivo no lado de sucção do turbocompressor.

4 Diafragma

5 Saída para o lado de sucção do turbocompressor

Ventilação do cárter

Motor de 16 litros

O cárter tem um pequeno vácuo. O vácuo é criado conectando-se a saída na ventilação do cárter ao lado de sucção do turbocompressor.

Os gases do cárter são ventilados através da câmara da árvore de comando (veio de excêntricos).

Os gases do cárter provenientes da câmara da árvore de comando (veio de excêntricos) passam pela carcaça (alojamento) de válvula. A carcaça (alojamento) de válvula regula o vácuo; o diafragma fecha-se no caso de um vácuo excessivo.

Os gases do cárter fluem para a carcaça (alojamento) do filtro; os gases do cárter contêm óleo. Na carcaça (alojamento) do filtro, os gases do cárter passam primeiro por um pré-filtro, onde a maioria do óleo é separada. Os gases do cárter passam em seguida por um filtro de papel, onde partículas finas de óleo são separadas. O óleo é drenado através de uma tubulação (tubagem) de drenagem ao cárter de óleo. No fim da tubulação (tubagem) de drenagem há um

recipiente que atua como um bloqueio de líquido e previne que os gases do cárter passem pela tubulação (tubagem) de drenagem. No topo da tubulação (tubagem) de drenagem, há uma válvula de bóia que previne que o óleo suba até a carcaça (alojamento) do filtro no caso de um vácuo alto, como por exemplo, no caso de um filtro de ar bloqueado.

Os gases filtrados do cárter voltam pelo tubo de ar do turbocompressor para o motor.

Apesar do separador de água, é normal para uma determinada quantidade de óleo entrar no sistema de entrada do motor junto com os gases do cárter. O óleo nos gases do cárter pode ser conservado como um filme fino de óleo no sistema de ar de admissão.

3 2 4 1 5 115 843
3
2
4
1
5
115 843

1 Entrada da câmara de árvore de comando (veio de excêntricos)

2 Drenagem de óleo de lubrificação depositado

3 Saída para o lado de sucção do turbocompressor

4 Diafragma

5 Orifício de drenagem

Mecanismo da válvula

Mecanismo da válvula

Função

A

função do mecanismo da válvula é controlar

as

válvulas de modo que elas abrem e fechem no

tempo correto em relação à árvore de manivelas

(cambota) e à posição do pistão.

A árvore de comando (veio de excêntricos) é

acionada por uma engrenagem na transmissão de modo que ela gira com a metade da velocidade da árvore de manivelas (cambota).

Há dois modelos de árvore de comando (veio de excêntricos) para motores de 11 e 12 litros. Em motores com uma bomba injetora, a árvore de comando (veio de excêntricos) tem dois excêntricos por cilindro e em motores com uma unidade de injeção, a árvore (veio) tem três excêntricos por cilindro, visto que a árvore (veio) também aciona a unidade de injeção.

O motor de 16 litros tem árvore de comando

(veio de excêntricos) dupla, uma para cada fileira de cilindros. As árvores de comando (veios de excêntricos) têm três excêntricos por cilindro. O motor de 16 litros está apenas disponível com unidades de injeção.

As hastes do tucho da válvula encostam com uma extremidade nos tuchos, enquanto que as outras afetam os balancins. Em uma extremidade, os balancins têm um parafuso de ajuste com a extremidade inferior de forma redonda repousando na haste do tucho de modo que o tucho da válvula sempre segue a árvore de comando (veio de excêntricos).

sempre segue a árvore de comando ( veio de excêntricos ). 1 2 © Scania CV

Mecanismo da válvula

01 1408

Os anéis do assento de válvula são firmemente pressionados no cabeçote (cabeça) do cilindro com um ajuste muito apertado. Os assentos de válvula têm uma vida útil longa porque eles são fabricados com um material durável. Os anéis do assento de válvula podem ser substituídos, se necessário.

Com quatro válvulas por cilindro, a área da válvula é maior, o que facilita o enchimento do cilindro com ar. Também é necessário menos energia para retirar os gases de escape.

Há menos serviço de troca de gás e isso melhora a eficiência do motor, que por sua vez significa menor consumo de combustível.

100 160
100 160
sua vez significa menor consumo de combustível. 100 160 0 1 0 1 f 1 6

Pistões

Mecanismo da árvore de manivelas (cambota)

Pistões

Há dois tipos diferentes de pistão. Pistões de alumínio fundidos como um pedaço simples e os assim chamados pistões bipartidos. Os pistões bipartidos são divididos e têm uma liga de alumínio e uma coroa de aço.

Uma das vantagens dos pistões bipartidos é que eles toleram cargas mais altas que os pistões convencionais. Isso possibilita a extração de mais potência de motores com pistões bipartidos.

100162
100162

Motor com pistões bipartidos

Pistões

Uma depressão no topo do pistão forma a câmara de combustão. Foi desenvolvida como um copo com uma área elevada no meio.

O modelo da câmara de combustão afeta a

rotação do ar na câmara de combustão.

A fim do pistão se mover com facilidade, deve

haver um espaço entre o pistão e a parede do cilindro. O pistão tem, portanto, dois anéis de compressão que vedam o espaço entre o pistão e a parede do cilindro e dissipa o calor do pistão.

O anel de óleo previne que o óleo de

lubrificação do cárter penetre na câmara de combustão e seje conseqüentemente queimado.

Dentro do anel há um expansor que ajuda a empurrar o anel contra a parede do cilindro. O expansor consiste em uma mola espiral.

O modelo dos pistões e dos anéis do pistão é

importante para a confiabilidade do motor, da

lubrificação, do consumo de óleo e de combustível.

çã o, do consumo de ó leo e de combust í vel. 01_1268 0 1 1
çã o, do consumo de ó leo e de combust í vel. 01_1268 0 1 1
01_1268
01_1268

Bielas

Bielas

A parte superior da biela é cuneiforme. Isso

aumenta a superfície do mancal para ambos o pistão e a biela.

A parte inferior da biela é dividida indiretamente

de modo que o pistão e a biela possam ser

puxados pelo cilindro.

A fim da capa da biela não ser deslocada em

relação à biela, as superfícies de contato são fabricadas ou com canaletas e abas ou com superfícies de fratura que não foram usinadas.

115 202
115 202

Biela com superfície de contato não usinada

115 202 Biela com superf í cie de contato n ã o usinada 116 762 Biela
115 202 Biela com superf í cie de contato n ã o usinada 116 762 Biela
116 762
116 762

Biela com superfície de contato chanfrada

Árvore de manivelas (cambota)

Árvore de manivelas (cambota)

Cada curso de compressão "interrompe" a árvore de manivelas (cambota), enquanto que cada curso de combustão tenta aumentar a velocidade rotacional da árvore (cambota).

Os pistões e as bielas mudam de direção duas vezes a cada revolução.

Os impulsos de força das bielas provocam vibrações de torsão na árvore de manivelas (cambota). Essas vibrações são mais potentes a uma determinada rotação do motor.

As vibrações de torsão são expressas da seguinte maneira:

Imagine que a traseira da árvore de manivelas (cambota) e o volante girem com uma velocidade uniforme por toda a revolução. Em relação ao volante, a dianteira da árvore de manivelas (cambota) aumentará e diminuirá a velocidade de rotação várias vezes durante cada revolução.

O material é importante para a vida útil da árvore de manivelas (cambota). Altas demandas também são colocadas no modelo e no tratamento da superfície. A qualidade da superfície das pontas de eixo é importante para prevenir falhas (avarias) de tensão.

Árvore de manivelas (cambota)

As superfícies do munhão na árvore de manivelas (cambota) são endurecidas tão profundamente que elas podem ser esmerilhadas novamente várias vezes.

As capas dos mancais principais e dos mancais da biela consistem em três camadas. A camada exterior é de aço, a do meio de bronze de chumbo e a camada mais perto da árvore de manivelas (cambota) é de chumbo e índio ou de chumbo, estanho e cobre. A camada interior normalmente se desgastará durante o uso do motor.

Antes do munhão da árvore de manivelas (cambota) no local de eixos, há espaçadores próximo ao mancal principal traseiro. Esses espaçadores estão disponíveis em tamanhos diferentes de modo que a folga axial da árvore de manivelas (cambota) possa ser mantida depois do esmerilhamento.

100 151
100 151
) possa ser mantida depois do esmerilhamento. 100 151 1 8 © Scania CV AB 1999,

Distribuição

Distribuição

Funcionamento

A transmissão de engrenagem está situada na

traseira do motor. Componentes importantes como a bomba injetora, as unidades de injeção e

o mecanismo da válvula exigem um controle

preciso. Eles estão conectados na extremidade traseira da árvore de manivelas (cambota), perto

do volante onde a rotação da árvore (cambota) é mais suave.

Motores de 11 e 12 litros com bomba injetora

A engrenagem da árvore de manivelas

(cambota) aciona duas engrenagens intermediárias e a engrenagem da bomba de óleo. Uma das engrenagens intermediárias aciona a árvore de comando (veio de excêntricos). Por sua vez, a engrenagem da

árvore de comando (veio de excêntricos) aciona

a bomba injetora e a bomba hidráulica. A outra

engrenagem intermediária aciona o compressor de ar comprimido.

A árvore de comando (veio de excêntricos) e a

bomba injetora giram com a metade da velocidade da árvore de manivelas (cambota).

5

6 7 4 3 2 1 100 159
6
7
4
3
2
1
100 159

1 Engrenagem da bomba de óleo

2 Engrenagem do ar comprimido

3 Engrenagem da árvore de manivelas (cambota)

4 Engrenagem intermediária

5 Engrenagem da bomba injetora

6 Engrenagem da árvore de comando (veio de excêntricos)

7 Engrenagem da bomba hidráulica

Distribuição

Para facilitar a montagem, as engrenagens são marcadas, ou num dente ou numa abertura entre dentes. A engrenagem de injeção tem um furo oval para ajustar o sincronismo da injeção (conhecido como ângulo α).

01 1407
01 1407

Distribuição

Motores de 11 e 12 litros com unidades de injeção

A engrenagem da árvore de manivelas (cambota) aciona duas engrenagens intermediárias e a engrenagem da bomba de óleo. Uma engrenagem intermediária aciona a árvore de comando (veio de excêntricos), o compressor de ar comprimido e a bomba hidráulica. A outra engrenagem intermediária aciona a tomada de força e, em ônibus (autocarros), ela também aciona uma bomba hidráulica, que por sua vez aciona o motor do ventilador (ventoinha).

Para facilitar a montagem, as engrenagens são marcadas, ou num dente ou numa abertura entre dentes.

s ã o marcadas, ou num dente ou numa abertura entre dentes. Motor com unidades de

Motor com unidades de injeção:

1 Engrenagem da bomba de óleo

2 Engrenagem da árvore de manivelas (cambota)

3 Engrenagem intermediária

4 Engrenagem da bomba hidráulica

5 Engrenagem do compressor (ar comprimido)

6 Engrenagem da árvore de comando (veio de excêntricos)

7 Tomada de força

113 528
113 528

Distribuição

Motor de 16 litros

A engrenagem da árvore de manivelas (cambota) aciona as árvores de comando (veios de excêntricos) e a bomba de óleo através de uma engrenagem intermediária. Uma engrenagem da árvore de comando (veio de excêntricos) aciona então o compressor.

Uma árvore de comando (veio de excêntricos) tem uma engrenagem na extremidade dianteira que aciona a bomba hidráulica e a bomba de alimentação.

As árvores de comando (veios de excêntricos) giram com a metade da velocidade da árvore de manivelas (cambota).

Para facilitar a montagem, as engrenagens são marcadas, ou num dente ou numa abertura entre dentes.

7 5 4 3 8 10 9 2 6 1 113 529
7 5
4
3
8
10
9
2
6
1
113 529

1 Engrenagem da árvore de manivelas (cambota)

2 Engrenagem intermediária (tomada de força)

3 Engrenagem intermediária

4 Engrenagem da árvore de comando (veio de excêntricos)

5 Engrenagem do compressor

6 Engrenagem da bomba de óleo

7 Engrenagem dianteira da árvore de comando (veio de excêntricos)

8 Engrenagem da bomba hidráulica

9 Engrenagem da bomba de alimentação

10 Engrenagem da tomada de força

112 294
112 294

Operação do ventilador (ventoinha)

Ventilador (Ventoinha)

Motores de 11 e 12 litros

Há dois modelos diferentes de acionamento de correia. Há um novo modelo, introduzido a partir de setembro de 1997. Esses modelos não são trocáveis.

Modelo antigo

O ventilador (ventoinha) é acionado pela árvore

de manivelas (cambota) e através de um acoplamento com um elemento de borracha.

Para reduzir vibrações na frente do motor, há amortecedores de vibrações e um acoplamento de ventilador (ventoinha) sincronizado de tal maneira que ele atua como um amortecedor de vibrações.

Modelo novo

O ventilador (ventoinha) é acionado pela árvore

de manivelas (cambota). Há um amortecedor de vibrações para reduzir vibrações na frente do motor.

100 166
100 166

Modelo antigo

vibra çõ es na frente do motor. 100 166 Modelo antigo Modelo novo 0 1 1

Modelo novo

Sistema de lubrificação

Sistema de lubrificação

Generalidades

Em adição ao cárter de óleo, o sistema de lubrificação contém os seguintes itens.

1 Um filtro de óleo

2 Uma bomba de óleo

3 Uma válvula de segurança (localizada na bomba de óleo)

4 Um radiador de óleo

5 Um filtro de óleo

6 Uma válvula reguladora de pressão (localizada na carcaça (alojamento) do filtro

4 , 8 9 7 2 , 3 1 5 , 6 116 456
4
,
8
9
7
2 , 3
1
5 , 6
116 456

Motores de 11 e 12 litros

de óleo nos motores de 11 e 12 litros, e na carcaça (alojamento) dianteira da distribuição no motor de 16 litros).

7 Um filtro de óleo

8 Uma válvula de refrigeração do pistão (localizada na carcaça (alojamento) do radiador de óleo nos motores de 11 e 12 litros, e na carcaça (alojamento) dianteira da distribuição no motor de 16 litros)

9 Um sensor da pressão de óleo (localizado na carcaça (alojamento) do filtro de óleo nos motores de 11 e 12 litros, e na carcaça (alojamento) dianteira da distribuição no motor de 16 litros)

8 9 6 116 639
8
9
6
116 639

2, 3

4 5 7 1 116 457
4
5
7
1
116 457

Motor de 16 litros

Sistema de lubrificação

Circulação de óleo

A bomba de óleo aspira óleo de lubrificação do

cárter de óleo através do filtro de óleo.

O óleo de lubrificação passa por uma válvula de

segurança depois da bomba de óleo. Se a pressão de óleo ultrapassar 9,5 bar, a válvula de

segurança se abre e encaminha o óleo de lubrificação de volta para o cárter de óleo. Uma pressão de óleo excessivamente alta coloca a bomba de óleo e outros componentes no sistema de lubrificação em esforços excessivos.

O óleo de lubrificação passa então pelo radiador

de óleo. Um pouco do óleo de lubrificação é passado pelo filtro de óleo. Após a limpeza, o

óleo volta para o cárter de óleo.

O resto do óleo de lubrificação passa por uma

válvula reguladora de pressão, que regula a pressão no sistema de óleo. O excesso de óleo é drenado de volta para o cárter de óleo.

O óleo de lubrificação passa adiante para o filtro

de óleo para a limpeza.

01_1415
01_1415

Circulação de óleo no motor de 12 litros

116 199
116 199

Circulação de óleo até o filtro de óleo no motor de 16 litros

Sistema de lubrificação

100 152

O óleo de lubrificação passa pelos canais no

bloco de cilindros para atingir os apoios da árvore de comando (veio de excêntricos) e o

munhão principal da árvore de manivelas (cambota).

Os canais na árvore de manivelas (cambota) encaminham o óleo para os mancais da biela.

O óleo de lubrificação para os balancins é

encaminhado por um canal direto a partir do canal principal.

O canal está sob constante pressão. O óleo é

encaminhado para os eixos do tucho através de

canaletas no apoio da árvore de comando (veio de excêntricos). Os eixos do tucho têm canais com furos para lubrificar os tuchos.

O óleo de lubrificação do motor esfria os

pistões. Bicos injetores individuais, um para cada cilindro, injetam óleo até sob a coroa do pistão.

A válvula para refrigeração do pistão se abre

entre 1,7-2,2 bar. Nos motores de 11 e 12 litros,

a válvula se encontra na carcaça (alojamento) do radiador de óleo, e no motor de 16 litros ela se encontra na carcaça (alojamento) dianteira da distribuição.

A revoluções baixas (marcha lenta (ralenti)), a

refrigeração do pistão não é executada.

2 3 1 4 A circulação de óleo do filtro de óleo no motor de
2
3
1
4
A circulação de óleo do filtro de óleo no motor de
16 litros
116 200

1 Para os cabeçotes (cabeças) de cilindro

2 Para o mecanismo da válvula

3 Para o turbocompressor

4 Injetor de refrigeração do pistão

turbocompressor 4 Injetor de refrigera çã o do pist ã o 768 0 1 2 0
768
768

Sistema de lubrificação

116 458

116 459

Diagrama da circulação de óleo no sistema de lubrificação

Motores de 11 e 12 litros

B 3 4 8 7 2 6 5 1 A = Para mancal e turbocompressor
B
3
4
8
7
2
6
5
1
A = Para mancal e turbocompressor

A

B = Para bicos injetores de refrigeração do pistão

Motor de 16 litros

3 4 5 6 7 8 9 2 1 B A = Para mancal e
3
4
5
6
7
8
9
2
1
B
A = Para mancal e turbocompressor

A

B = Para bicos injetores de refrigeração do pistão

1 Cárter de óleo

2 Bomba de óleo

3 Válvula de segurança

4 Radiador de óleo

5 Filtro de óleo

6 Válvula reguladora de pressão

7 Filtro de óleo e válvula de passagem

8 Válvula de refrigeração do pistão

1 Cárter de óleo

2 Bomba de óleo

3 Válvula de segurança

4 Radiador de óleo

5 Filtro de óleo

6 Carcaça (alojamento) dianteira

da distribuição

7 Válvula reguladora de pressão

8 Filtro de óleo e válvula de passagem

9 Válvula de refrigeração do pistão

Sistema de lubrificação

Bomba de óleo

A bomba de óleo é acionada pela engrenagem

da árvore de manivelas (cambota) e produz a pressão necessária para o óleo de lubrificação

atingir todos os pontos de lubrificação.

A pressão de óleo deve ser suficientemente alta

para que a quantidade necessária de óleo para lubrificação e refrigeração de cada ponto de lubrificação atinja todos os pontos desejados.

Radiador de óleo

Todo o óleo que circula passa pelo radiador e é resfriado pelo líquido do sistema de arrefecimento.

Nos motores de 11 e 12 litros, há uma válvula de abertura para refrigeração do pistão na carcaça (alojamento) do radiador de óleo.

100 156
100 156

Bomba de óleo para motores de 11 e 12 litros

01_1416
01_1416

Radiador de óleo para motores de 11 e 12 litros

Radiador de óleo para motor de 16 litros 116 197
Radiador de óleo para motor de 16 litros
116 197

Sistema de lubrificação

Filtro de óleo centrífugo

O filtro de óleo centrífugo tem um rotor que gira

como conseqüencia do esforço de reação causado pelo óleo de lubrificação injetado por

dois bicos injetores no fundo do rotor.

Partículas de sujeira (sujidade) são emitidas em direção à parede do rotor e são depositadas lá como uma camada permanente.

O filtro centrífugo deve ser desmontado e limpo

a intervalos dados no programa de manutenção da Scania.

Na carcaça (alojamento) do filtro de óleo para os motores de 11 e 12 litros há uma válvula reguladora de pressão que regula a pressão no sistema de óleo. O excesso de óleo de lubrificação é drenado de volta para o cárter de óleo.

çã o é drenado de volta para o c á rter de ó leo. Filtro de

Filtro de óleo centrífugo para motores de 11 e 12 litros

115 751
115 751

Filtro de óleo centrífugo para motor de 16 litros

Sistema de lubrificação

Filtro de óleo

O óleo de lubrificação passa adiante para o filtro

de óleo para a limpeza. O filtro de óleo é um

filtro de papel.

Se o filtro for bloqueado, uma válvula de alívio

se abre. O motor receberá sempre óleo de

lubrificação, mas se o filtro for bloqueado, esse óleo não será limpo.

A válvula de alívio está situada no recipiente do

filtro de óleo ou na carcaça (alojamento) da

distribuição, dependendo do tipo de motor.

O filtro para o motor de 16 litros tem um orifício

de drenagem e é drenado quando o elemento do filtro é retirado.

O filtro de óleo deve ser substituído a intervalos

dados no programa de manutenção da Scania.

a intervalos dados no programa de manuten çã o da Scania. Filtro de ó leo para

Filtro de óleo para motores de 11 e 12 litros

116 196
116 196

Filtro de óleo para motor de 16 litros

Turbocompressor

Turbocompressor

Funcionamento

A função do turbocompressor é aumentar a quantidade de ar nos cilindros do motor. Mais ar significa que o motor pode queimar mais combustível e com isso, produzir uma potência maior que um motor equivalente sem o turbocompressor.

O turbocompressor consiste em uma turbina e um compressor. A turbina é acionada pelos gases de escape do motor. O compressor comprime o ar de entrada no motor.

03_0750
03_0750

Turbocompressor

O rotor do compressor e o rotor da turbina estão posicionados no mesmo eixo. Entre o compressor e a turbina se encontra a carcaça (alojamento) do mancal.

Uma potência elevada do motor produz mais gases de escape. Mais gases de escape fornece ao rotor da turbina e com isso, ao compressor, uma velocidade rotacional mais alta. Desta maneira, a quantidade de ar é adaptada para cumprir as necessidades do motor sem qualquer sistema especial de regulação.

Os rotores do compressor e da turbina giram bem rapidamente. Na potência total, eles giram a aproximadamente 100.000 rpm. Ao mesmo tempo, a temperatura do rotor da turbina está acima de 600 ºC. Isto exige muito dos componentes rotativos, do balanço, da refrigeração e da lubrificação. Se o rotor da turbina ou do compressor estiver danificado, o turbocompressor deve ser substituído.

O eixo é montado em dois mancais radiais e em um mancal axial que giram livremente na carcaça (alojamento) do mancal. As vedações da carcaça (alojamento) do mancal entre a turbina e o compressor consistem em anéis de vedação.

100 154
100 154

Turbocompressor

Um filtro de ar bloqueado significa que o vácuo no tubo de entrada se tornará muito alto. Há então um risco do vapor de óleo ser sugado para fora da carcaça (alojamento) do mancal.

Se o anel de vedação no lado da turbina estiver desgastado, os gases de escape se tornarão azuis quando o motor estiver funcionando em marcha lenta (ralenti).

Partículas estranhas como grãos de areia ou limadoras de metal na turbina ou no compressor danificarão as palhetas. Isso resulta em desequilíbrio e desgaste do mancal. A potência do motor diminuirá e usar o motor de forma contínua, poderá causar danos por superaquecimento (sobreaquecimento) devido à redução no fornecimento de ar. Não se observa esse tipo de superaquecimento (sobreaquecimento) no indicador de temperatura do líquido de arrefecimento.

Vazamentos (fugas) pequenos no tubo entre o filtro de ar e o turbocompressor também podem causar depósitos de sujeira (sujidade) no rotor do compressor. A pressão de admissão é reduzida e isso leva a um aumento na temperatura dos gases de escape e um encurtamento da vida útil do motor.

Vazamentos (fugas) no tubo de escape entre o cabeçote (cabeça) do cilindro e o turbocompressor também resultarão em uma baixa pressão de admissão.

Para cumprir os requisitos da fumaça (fumo) e do consumo de combustível em revoluções baixas, alguns motores têm uma turbina menor que produz uma pressão de admissão mais alta.

Turbocompressor

101750

Alguns tipos de motor estão instalados com uma válvula de comporta de sobrealimentação. A função dessa válvula é reduzir a pressão de modo que a velocidade máxima da turbina não seja ultrapassada.

Quando a pressão se tornar muito alta na carcaça (alojamento) do compressor, a válvula de comporta de sobrealimentação se abrirá. Os gases de escape são encaminhados para um tubo de passagem depois da turbina e a velocidade do turbocompressor diminui.

da turbina e a velocidade do turbocompressor diminui. Turbocompressor sem uma v á lvula de comporta

Turbocompressor sem uma válvula de comporta de sobrealimentação

101749
101749

Turbocompressor com uma válvula de comporta de sobrealimentação

2 3 6 5 9 1 4 7 8 101 893
2
3
6
5
9
1
4
7
8
101 893

1 Ar para dentro

2 Ar para o motor

3 Gases de escape do motor

4 Gases de escape para fora

5 Regulador de pressão

6 Tubo de passagem

7 Compressor

8 Turbina

9 Válvula de comporta de sobrealimentação

© Scania CV AB 1999, Sweden

Transmissão por correia

Transmissão por correia

A transmissão por correia aciona a bomba de

líquido de arrefecimento, o compressor do AC e o alternador.

A correia é do tipo Poly-V; uma correia plana

com ranhuras na forma de V no interior.

Esse tipo de correia permite o uso de rolos intermediários no exterior para aumentar o ângulo de fechamento nas polias.

Um tensor automático é usado para assegurar a tensão correta da correia.

Motores de 11 e 12 litros

Para reduzir o comprimento da expansão da correia entre a bomba de líquido de arrefecimento e o compressor do AC ou alternador, foi introduzido um rolo intermediário adicional.

O rolo intermediário adicional previne que a

correia salte do lugar ou se desgaste prematuramente.

Transmissão por correia

Motor de 11 e 12 litros com AC e um rolo intermediário

1 Tensor de correia automático

2 Bomba de líquido de arrefecimento

3 Compressor do AC

4 Rolo intermediário

5 Alternador

6 Árvore de manivelas (cambota)

2 3 4 5 1 6 105 188
2
3
4
5
1
6
105 188

Motor de 11 e 12 litros com AC e dois rolos intermediários

1 Tensor de correia automático

2 Bomba de líquido de arrefecimento

3 Rolo intermediário

4 Compressor do AC

5 Alternador

6 Árvore de manivelas (cambota)

2 3 4 1 3 5 6 105 190
2
3
4
1
3
5
6
105 190

Transmissão por correia

105 191

Motor de 11 e 12 litros sem AC e rolo intermediário

1 Tensor de correia automático

2 Bomba de líquido de arrefecimento

3 Alternador

4 Árvore de manivelas (cambota)

2 3 1 4 105 189
2
3
1
4
105 189

Motor de 11 e 12 litros sem AC e com um rolo intermediário

1 Tensor de correia automático

2 Bomba de líquido de arrefecimento

3 Rolo intermediário

4 Alternador

5 Árvore de manivelas (cambota)

2 3 1 4 5
2
3
1
4
5

Transmissão por correia

Motor de 16 litros

Motor de 16 litros sem AC

1 Rolo intermediário

2 Árvore de manivelas (cambota), polia interna

3 Árvore de manivelas (cambota), polia externa

4 Tensor de correia automático

5 Bomba de líquido de arrefecimento

6 Rolo intermediário

7 Alternador

Motor de 16 litros com AC

1 Polia

2 Árvore de manivelas (cambota), polia interna

3 Árvore de manivelas (cambota), polia externa

4 Tensor de correia automático

5 Bomba de líquido de arrefecimento

6 Rolo intermediário

7 Alternador

8 Compressor do AC

7 5 4 114 960
7
5
4
114 960

6

1

2

3

7 6 5 4 114 961
7
6
5
4
114 961

8

6

1

2

3