Sie sind auf Seite 1von 8

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS

Rodrigo Mansur Duarte

Belo Horizonte, 2014

Rodrigo Mansur Duarte

Física Experimental III: Relatório do Trabalho Prático VIII

Relatório referente à aula de sábado, dia 12/04/2014, sobre a Máxima transferência de potência na disciplina de Física Experimental III, no curso de Engenharia Elétrica, na Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais Professor: Euzimar Marcelo Leite

Belo Horizonte, 2014

RESUMO

Esse teorema trata fundamentalmente da transferência de energia entre a fonte (baterias, geradores) e a carga do circuito (resistores). Para entendê-lo melhor, temos que considerar o fato de que as baterias e fontes comumente usadas não são ideais, isto é, sempre existe uma limitação na corrente I que elas podem fornecer. Tais fontes reais podem ser representadas pela associação em série de uma fonte ideal (gerador de força eletromotriz) com uma resistência (responsável pela dissipação de energia no interior do gerador).

SUMÁRIO

1.

INTRODUÇÃO

1

2.

DESENVOLVIMENTO

2

2.1

OBJETIVO GERAL

2

2.2

PROCEDIMENTO EXPERIMENTAL

2

2.3

RESULTADOS

2

2.4

GRÁFICOS

3

3.

CONCLUSÃO

4

1

INTRODUÇÃO

Nessa prática, estudaremos a potência dissipada numa resistência de carga, em função da resistência interna da fonte que a alimenta. Veremos o Teorema da Máxima Transferência de Potência, que diz que a potência transferida para a carga é máxima quando sua resistência e a resistência interna da fonte são iguais. Nos experimentos, vamos buscar comprovar o teorema. De acordo com outro teorema ‘’ A máxima transferência de potência para a ocorre quando R=Ri’’. Com cargas de baixa resistência, a fonte é forçada a gerar muita energia elétrica, sendo que boa parte dessa energia é dissipada na própria fonte. Isso tem dois efeitos ruins: sobre aquecimento da fonte, o que pode danificá-la, e um consumo elevado de energia (se a fonte for, por exemplo, uma pilha, ela se descarrega mais rapidamente do que se estivesse alimentando uma carga de maior resistência). Agora a máxima transferência de potência não significa eficiência máxima. De fato, apenas metade da potência gerada é dissipada na carga, o que resulta em 50% de eficiência. Pela equação vemos que a eficiência: n=Pc/Pc+Pi+R/R+Ri.

2. DESENVOLVIMENTO

2.1 Objetivo Geral

2

Verificar a condição para a máxima transferência de potência elétrica P de uma fonte de força eletromotriz para um circuito elétrico ou eletrônico. Construir o gráfico de P x I para uma fonte eletrônica de resistência interna igual a 10Ω.Determinar a corrente elétrica I que circula no circuito elétrico de carga a tensão elétrica V sobre o resistor de carga de resistência R e o rendimento n da fonte eletrônica. Construir o gráfico P x R. Determinar o valor da resistência elétrica R do resistor de carga para o qual a transferência de potência elétrica P e máxima.

2.2 Procedimento

Foi colocado uma fonte de tensão em série com um resistor, o qual fará papel da resistência interna da fonte e com um potenciômetro.

2.3 Resultados.

série com um resistor, o qual fará papel da resistência interna da fonte e com um
série com um resistor, o qual fará papel da resistência interna da fonte e com um

3

2.4 - Gráficos:

Gráfico da Potência X Corrente

3 2.4 - Gráficos: Gráfico da Potência X Corrente Gráfico da Potência X Resistência

Gráfico da Potência X Resistência

3 2.4 - Gráficos: Gráfico da Potência X Corrente Gráfico da Potência X Resistência

4

CONCLUSÃO

Vimos que a transferência de energia entre a fonte e a carga ocorre, porém devido as baterias e a fontes não serem ideais por que sempre existe uma limitação de corrente. A razão disso é que a carga que se move no interior do material de qualquer fonte real encontra-se uma resistência, quando essa resistência segue a lei de Ohm ela deve ser constante independente da corrente I. No experimento vimos que a medida que a resistência aumentava a corrente diminuía nisso a tensão de 5V se mantendo continua. O ideal seria que a resistência da carga seja muito maior do que a resistência interna do gerador, por que nessa situação a eficiência será próxima de um e a potência dissipada como calor no gerador será pequena. Assim na situação usamos um gerador com a resistência interna muito menor que a resistência de carga.