Sie sind auf Seite 1von 42

07/04/2015

EXAME DO ESTADO MENTAL – SEGUNDO HENRIQUES (2012) Prof. Renee Volpato Viaro
EXAME DO ESTADO MENTAL – SEGUNDO HENRIQUES (2012) Prof. Renee Volpato Viaro

EXAME DO ESTADO MENTAL SEGUNDO HENRIQUES (2012)

Prof. Renee Volpato Viaro

SEMIOLOGIA PSICOPATOLÓGICA  Semiologia: ciência dos signos  Signo: “sinal” ou estímulo provido de
SEMIOLOGIA PSICOPATOLÓGICA
 Semiologia: ciência dos signos
 Signo: “sinal” ou estímulo provido de significação

07/04/2015

SEMIOLOGIA PSICOPATOLÓGICA

SEMIOLOGIA PSICOPATOLÓGICA  Em psicopatologia o signos são os sinais e sintomas dos transtornos mentais. 
SEMIOLOGIA PSICOPATOLÓGICA  Em psicopatologia o signos são os sinais e sintomas dos transtornos mentais. 

Em psicopatologia o signos são os sinais e sintomas dos transtornos mentais.

Por ex.: uma fala acelerada na qual as ideias não se concatenam é um sinal/sintoma de exaltação do humor designado arbitrariamente de “mania”.

Síndromes: agrupamentos relativamente estáveis e constantes de determinados sinais e sintomas

Entidades nosológicas, doenças ou transtornos: fenômenos mórbidos nos quais se pode identificar fatores causais, curso, estados terminais típicos, mecanismos psicológicos e psicopatológicos, antecedentes e respostas à tratamentos

SEMIOLOGIA PSICOPATOLÓGICA

Semiotécnica: refere-se aos procedimentos de observação e coleta dos sinais e sintomas, assim como de sua interpretação;

Nos casos dos transtornos mentais, a semiotécnica concentra-se na entrevista direta com o paciente, com seus familiares e com as demais pessoas que com ele convivem.

07/04/2015

EXAME DO ESTADO MENTAL (EEM)

O Exame Psíquico ou Exame do Estado Mental consiste na avaliação das seguintes funções (e de suas alterações):

Consciência

Atenção

Orientação

Tempo e Espaço

Sensopercepção

Memória

Afetividade

Vontade e psicomotricidade

Pensamento

Linguagem

Não existem funções psíquicas isoladas e alterações psicopatológicas desta ou daquela função; é sempre um processo total, no qual as funções estão integradas.

EXAME DO ESTADO MENTAL: consciência

EXAME DO ESTADO MENTAL: consciência  Conceito:  Cs da realidade: dimensão neurobiológica  É o
EXAME DO ESTADO MENTAL: consciência  Conceito:  Cs da realidade: dimensão neurobiológica  É o

Conceito:

Cs da realidade: dimensão neurobiológica

É o estado de clareza psíquica, expresso pela lucidez e vigilância. “É a vida psíquica em um dado momento” (K. Jaspers).

Ex: delirium: alteração da consciência da realidade, expressa pela desorientação alopsíquica (temporo-

espacial).

07/04/2015

EXAME DO ESTADO MENTAL: consciência

Cs do eu: dimensão psicológica. “Identidade” Quem sou eu?

 

Ex.: transtornos dissociativos histéricos: alteração da consciência do eu, expressa pela desorientação

autopsíquica.

Cs moral: dimensão social. Conduta ética.

 

Ex.: transtorno de personalidade antissocial (psicopatia):

alteração da consciência moral, expressa pela conduta transgressiva crônica.

EXAME DO ESTADO MENTAL: consciência

Graus de clareza da consciência (espectro):

Vigilância extrema em situação de perigo

Vigilância atenta dia-a-dia

Devaneio ou Vigilância relaxada “desligado”

Sonolência

Sono superficial

Sono profundo

A patologia está no uso de um grau de consciência quando se deveria usar outro.

A cs perde a capacidade de mudar de um nível a outro

07/04/2015

EXAME DO ESTADO MENTAL: consciência

ALTERAÇÕES QUANTITATIVAS: rebaixamento da consciência da realidade (lucidez/vigilância) causas orgânicas.

Turvação ou obnubilação grau leve

Redução global do nível de consciência.

Sintomas: sonolência, turvação sensorial (diminuição do grau de clareza sensório), déficit de compreensão e concentração, pensamento confuso e perplexidade.

Sopor, torpor ou coma superficial grau moderado

Sono mórbido; bloqueio parcial da ação espontânea; paciente pode reagir a estímulos sonoros intensos e dolorosos

Coma ou coma profundo grau profundo

Ausência de qualquer indício de consciência e bloqueio total da ação espontânea e da sensibilidade

EXAME DO ESTADO MENTAL: consciência

EXAME DO ESTADO MENTAL: consciência  Principal síndrome associada ao rebaixamento do nível da consciência:
EXAME DO ESTADO MENTAL: consciência  Principal síndrome associada ao rebaixamento do nível da consciência:

Principal síndrome associada ao rebaixamento do nível da

consciência: Delirium

Abarca o conjunto das “síndromes confusionais agudas”.

Alteração básica: rebaixamento do nível de consciência (o paciente apresenta-se sonolento, confuso e com déficit cognitivo global).

Alterações secundárias: ilusões e alucinações visuais e/ou táteis; ideias deliróides (muitas vezes, persecutórias); ansiedade intensa; labilidade afetiva (podem ocorrer

estados de perplexidade, irritação, terror ou pavor);

agitação (ou lentificação) psicomotora; insônia; desorientação alopsíquica.

07/04/2015

EXAME DO ESTADO MENTAL: consciência

EXAME DO ESTADO MENTAL: consciência  Diferenciar DELIRIUM de DELÍRIO:  Delirium: síndrome orgânica expressa
EXAME DO ESTADO MENTAL: consciência  Diferenciar DELIRIUM de DELÍRIO:  Delirium: síndrome orgânica expressa

Diferenciar DELIRIUM de DELÍRIO:

Delirium: síndrome orgânica expressa pela alteração do nível de consciência.

Delírio: sintoma expresso pela alteração do juízo de realidade

(pensamento).

Alterações qualitativas:

Estreitamento: é a redução da extensão da consciência ficando dirigida a um número reduzido de estímulos, estando nebulosos os demais.

Estados crepusculares: estreitamento transitório da consciência, com a conservação de uma conduta mais ou menos coordenada. Déficit da compreensão do mundo exterior.

Estados dissociativos:

EXAME DO ESTADO MENTAL: consciência

EXAME DO ESTADO MENTAL: consciência  Estados dissociativos:  Amnésias histéricas : ocorre perda seletiva da
EXAME DO ESTADO MENTAL: consciência  Estados dissociativos:  Amnésias histéricas : ocorre perda seletiva da

Estados dissociativos:

Amnésias histéricas: ocorre perda seletiva da memória relacionada a

eventos traumáticos específicos.

Psicoses histéricas: quadros pseudo-esquizofrênicos com alucinações e ideias deliróides.

Transe: semelhantes a estados hipnóticos.

Despersonalização: Sentimento de perda ou de transformação do eu, no qual há uma vivência profunda de estranhamento e infamiliaridade consigo mesmo, associada à profunda perplexidade.

Desrealização: É a perda da relação de familiaridade com o mundo comum. O cotidiano, o familiar, torna-se estranho, incomum.

Dissociação completa: surgem personalidades múltiplas, geralmente de caráter psicodinamicamente complementar; assim, se a personalidade principal é recatada e séria, a secundária (que pode ser mais de uma) provavelmente terá como características o atrevimento e a fanfarronice.

07/04/2015

EXAME DO ESTADO MENTAL: consciência

EXAME DO ESTADO MENTAL: consciência  Semiotécnica da consciência:  Observar pela fácies e atitude do
EXAME DO ESTADO MENTAL: consciência  Semiotécnica da consciência:  Observar pela fácies e atitude do

Semiotécnica da consciência:

Observar pela fácies e atitude do paciente se é possível notar que ele está desperto ou sonolento.

Observar se o paciente está perplexo, com dificuldade em

apreender os estímulos ambientais.

Lembrar que é pela orientação (principalmente temporo- espacial ou alopsíquica) que muitas vezes se pode avaliar o nível de consciência.

Geralmente, a desorientação que ocorre devido a causas orgânicas (confusional/torporosa) ocorre primeiramente quanto ao tempo; com o rebaixamento progressivo do nível de consciência é que o indivíduo desorienta-se quanto ao espaço e, só por último, quanto a si mesmo.

EXAME DO ESTADO MENTAL: atenção

Atenção (prosexia)

Conceito:

É a capacidade de concentração do psiquismo frente a determinado estímulo.

Qualidades da atenção:

Tenacidade: é a capacidade de manter a atenção voltada de modo permanente para um determinado estímulo.

Vigilância: atenção difusa; é a capacidade de desviar a atenção para um novo estímulo.

Formas da atenção:

Involuntária, espontânea ou automática.

Voluntaria ou ativa.

07/04/2015

EXAME DO ESTADO MENTAL: atenção

Alterações quantitativas:

Hipoprosexia: é o enfraquecimento global e acentuado da atenção.

 

Episódios depressivos, intoxicação por depressores do SNC e estados dissociativos.

Aprosexia: é a ausência, a falta completa da atenção.

 

Quadros estuporosos, quadros demenciais e estados comatosos.

Alterações qualitativas: disprosexias

Hipervigilância: é o aumento da vigilância, geralmente acompanhado de hipotenacidade.

 

Episódios maníacos, quadros paranoides e intoxicação por psicoestimulantes.

Hipertenacidade: é o aumento da tenacidade, geralmente acompanhado de hipovigilância.

 

Paranoia e quadros obsessivos.

EXAME DO ESTADO MENTAL: atenção

Semiotécnica da atenção:

Pedir ao paciente que olhe os objetos que estão no recinto onde se realiza a entrevista e que, logo em seguida, repita de cabeça o que viu.

Prova de repetição de dígitos: pede-se ao paciente que repita uma série de dígitos que pronunciamos em voz alta, de forma pausada, evitando-se tudo o que possa distrair o sujeito: 2-7/ 4-9/ 5-8-2/ 6-9-4/ 6-4-3-9/ 7-2-8-6/ 4-2-7- 3-1/ 7-5-8-3-6/ 6-1-9-4-7-3/ 3-9-2-4-8-7/ 5-9-1-7-4-2- 8/ 4-1-7-9-3-8-6

O adulto sem alterações da atenção repete de seis a sete dígitos.

07/04/2015

EXAME DO ESTADO MENTAL: orientação

Conceito

É a capacidade de orientar-se quanto a si mesmo e ao ambiente.

Tipos:

Autopsíquica: em relação a si mesmo

Alopsíquica: em relação ao tempo e ao espaço (temporal e espacial)

Grau de complexidade da orientação segundo a ordem crescente de aquisição:

Autopsíquica espacial temporal

A perda da capacidade de orientação costuma se dar na ordem inversa à aquisição:

Temporal espacial autopsíquica

EXAME DO ESTADO MENTAL: orientação

Psicopatologia

Desorientação:

Torporosa ou confusa: desorientação por turvação da consciência; incapacidade de apreensão do real de forma clara e precisa.

Demencial: além da perda da memória de fixação, ocorrem déficits de reconhecimento (agnosias) e perda global da capacidade cognitiva; típica dos quadros demenciais (Parkinson, Alzheimer

Delirante: num fenômeno conhecido por “dupla orientação”, o indivíduo que vivencia ideias delirantes muito intensas crê com convicção que habita o lugar de seus delírios, ao mesmo tempo em que reconhece corretamente onde está.

07/04/2015

EXAME DO ESTADO MENTAL: orientação

Semiotécnica da orientação (Mini-EEM)

ORIENTAÇÃO NO TEMPO

Em que ano nós estamos? Em que estação do ano nós estamos?

Em que mês nós estamos? Em que dia da semana nós estamos?

Em que dia do mês nós estamos?

ORIENTAÇÃO NO ESPAÇO

Em que Estado nós estamos? Em que cidade nós estamos? Em que bairro nós estamos? O que é este prédio em que estamos? Em que andar nós estamos?

EXAME DO ESTADO MENTAL: sensopercepção

Sensopercepção (estesia)

Conceito:

É o processo pelo qual os estímulos sensoriais são recebidos pelos órgãos dos sentidos e reconhecidos (percebidos) pela consciência.

Dividida em:

Sensação: fenômeno psíquico elementar que resulta da ação do estímulo sobre os órgãos dos sentidos (receptores).

Percepção: é a tomada de conhecimento do estímulo. A transformação do estímulo em fenômenos psíquicos, em imagem sensorial.

07/04/2015

EXAME DO ESTADO MENTAL: sensopercepção

Tipos de receptores:

Exteroceptivos:

 

Sensoriais: visuais, auditivos, táteis, gustativos e olfativos

Térmicos

Dolorosos

Interoceptivo ou cenestésicos: órgãos internos (vísceras)

Proprioceptivos ou cinestésicos: equilíbrio, segmentos e movimentos do corpo

Tipos de imagens:

Sensorial ou perceptiva: apreensão cognitiva de um objeto externo e real, isto é, localizado fora da consciência. É nítida, delimitada e estável.

Representativa ou mnêmica: reprodução mnêmica da imagem de um objeto. É imprecisa, influenciável e instável.

EXAME DO ESTADO MENTAL: sensopercepção

Alterações quantitativas:

Hiperestesia: é o aumento do número e/ou da intensidade das sensações.

 

Enxaqueca, intoxicação por alucinógenos, psicoestimulantes, estados dissociativos.

Hipoestesia: é a diminuição do numero e/ou intensidade das sensações.

 

Episódios depressivos, intoxicação por depressores do SNC.

Anestesia: é a ausência de sensações.

 

Quadros catatônicos, estados dissociativos e comatosos.

Analgesia: perda da sensibilidade à dor, com a preservação de outras formas de sensibilidade

 

Histeria (analgesia por conversão) e estados estuporosos.

07/04/2015

EXAME DO ESTADO MENTAL: sensopercepção

Alterações qualitativas:

Ilusão: é a percepção deformada de um objeto real e presente. Na ilusão há sempre um objeto externo real, gerador do processo de sensopercepção, mas tal percepção é

 

deformada, adulterada por fatores diversos. Ocorrem em 3

condições:

1. Nos estados de diminuição do nível de consciência quando, por turvação da consciência, a percepção torna-se imprecisa e os estímulos são percebidos de maneira deformada.

2. Nos estados de fadiga grave (alteração da atenção).

3. Em determinados estados afetivos, por sua intensidade acentuada, o afeto deforma o processo de sensopercepção, gerando as ilusões catatímicas.

Ataques de pânico e hipocondria.

EXAME DO ESTADO MENTAL: sensopercepção

Alucinação: é a percepção de um objeto que não se encontra presente; aceita pelo juízo de realidade da pessoa.

 

A representação adquire as qualidades necessárias para ser aceita pelo juízo de realidade como percepção. O objeto é projetado no mundo externo (extrojeção) e possuem corporeidade (tridimensionais)

Características:

(1) nitidez sensorial;

(2) projeção para o exterior;

(3) intensidade;

(4) impressão de realidade;

(5) valor emocional

Pode ser elementar (contém os elementos mais rudimentares de apenas um tipo de sensação: ruídos) ou complexa (contém os elementos mais tipos de sensação ou combinações complexas: frases)

07/04/2015

EXAME DO ESTADO MENTAL: sensopercepção

Classificadas em:

Visual:

 

Elementar: imagens simples (cores, bolas, pontos brilhantes etc.)

Complexas: cenas complexas

Auditivas (mais comuns):

 

Elementares: ruídos, zumbidos, estalidos etc.

Complexas: palavras, frases, músicas etc.

Táteis:

 
 

Sensação de espetadas, choques, insetos ou pequenos animais correndo sobre a pele

Olfativas e Gustativas (mais raras):

 

Sentir o cheiro e o gosto de coisas podres, de cadáveres, fezes, veneno etc.

EXAME DO ESTADO MENTAL: sensopercepção

Cenestésicas:

 

Cenestesia: sensação que o indivíduo tem da situação de sua existência,

isto é, a consciência de suas funções orgânicas e de sua corporeidade. Designa as impressões sensoriais internas do organismo (por oposição às externas).

Alucinação cenestésica: sensações anormais do esquema corporal: cérebro encolhendo, fígado apodrecendo, cobra dentro do abdômen, etc.

Cinestésicas, cinéticas ou motoras:

 

Cinestesia: é a consciência através da qual percebemos a movimentação espacial de nosso corpo, nossos movimentos musculares.

Alucinações cinestésicas: são sensações alternadas de movimentos corporais: corpo afundando, pernas encolhendo, braço levantando, etc.

Sinestésicas:

 

Sinestesia: cruzamento de sensações; combinação de sensações diferentes numa só impressão.

Alucinações sinestésicas: alucinações de várias modalidades sensoriais (auditivas, visuais, táteis etc.) ao mesmo tempo

07/04/2015

EXAME DO ESTADO MENTAL: sensopercepção

EXAME DO ESTADO MENTAL: sensopercepção  Etiologia das alucinações: suas possíveis causas ainda são controversas.
EXAME DO ESTADO MENTAL: sensopercepção  Etiologia das alucinações: suas possíveis causas ainda são controversas.

Etiologia das alucinações: suas possíveis causas ainda são controversas.

Teorias psicodinâmicas: Na base das alucinações estariam as tendências afetivas e os desejos, sobretudo aqueles ligados aos conflitos inconscientes. O indivíduo projetaria no espaço externo os

seus próprios desejos, temores e conflitos recalcados.

Teoria neurobioquímica: diversas drogas podem produzir alucinações em indivíduos normais. As substâncias que produzem alucinações frequentemente estão relacionadas aos neurotransmissores serotonina, dopamina e acetilcolina. Em consequência disso, postula-se que a alucinação em doentes mentais esteja relacionada com a hiperativação de circuitos serotoninérgicos e/ou dopaminérgicos.

Alucinações: são mais comum na esquizofrenia e em outros transtornos psicóticos

EXAME DO ESTADO MENTAL: sensopercepção

Alucinose: a imagem é percebida no espaço objetivo

externo, mas, ao contrário das alucinações verdadeiras,

é criticada pelo indivíduo, que reconhece o fenômeno como patológico.

O indivíduo mantém sua consciência crítica

Pseudoalucinação: distinguem-se das alucinações verdadeiras pela ausência de corporeidade e localização no espaço subjetivo interno, o que as torna mais semelhantes às imagens representativas do que às

perceptivas.

A crença na realidade do fenômeno é a mesma observada nas alucinações verdadeiras (sem consciência crítica).

07/04/2015

EXAME DO ESTADO MENTAL: memória (mnésia)

Conceito:

É a capacidade de registrar, conservar, evocar e reconhecer estímulos e fatos já ocorridos.

Relaciona-se com o nível de consciência, com a atenção e com o interesse afetivo.

EXAME DO ESTADO MENTAL: memória (mnésia)

 

Tipos:

Memória imediata ou de curtíssimo prazo: capacidade imediata de

retenção de informações. Também chamada de efêmera.

Decorar um número de telefone para fazer uma única chamada.

Memória recente ou de curto prazo: capacidade de retenção das informações por um período curto de tempo, desde alguns minutos até 1 h.

Uma discussão ocorrida em aula que já foi esquecida ao se chegar em casa.

Memória remota ou de longo prazo: capacidade de evocação das informações e acontecimentos ocorridos no passado, geralmente meses ou anos após o evento

Declarativa: refere-se a fatos e eventos (em tal dia, aconteceu tal coisa)

Procedural: refere-se a procedimentos (dirigir, escrever, andar de bicicleta, etc.)

07/04/2015

EXAME DO ESTADO MENTAL: memória (mnésia)

Lei de Ribot: O indivíduo que sofre uma lesão cerebral tende a perder os conteúdos da memória (esquecimento) na ordem e no sentido inverso que os

adquiriu:

1º elementos recentemente adquiridos 2º elementos mais antigos 1º elementos mais complexos 2º elementos mais simples 1º elementos mais estranhos 2º elementos mais familiares

EXAME DO ESTADO MENTAL: memória (mnésia)

EXAME DO ESTADO MENTAL: memória (mnésia)  Psicopatologia  Alterações quantitativas:  Hipermnésia : é o
EXAME DO ESTADO MENTAL: memória (mnésia)  Psicopatologia  Alterações quantitativas:  Hipermnésia : é o

Psicopatologia

Alterações quantitativas:

Hipermnésia: é o aumento doentio da memória. Está relacionada à aceleração geral do psiquismo, na qual as representações afluem rapidamente à consciência.

Quadros maníacos, estados afetivos intensos, etc.

Amnésias: é a perda da memória, seja a perda da

capacidade de fixar novos elementos ou da capacidade de manter e evocar conteúdos mnêmicos antigos

07/04/2015

EXAME DO ESTADO MENTAL: memória (mnésia)

Quanto à causa:

Amnésia Psicogênica é a perda seletiva da memória; o indivíduo esquece conteúdos que têm valor psicológico específico (valor simbólico, afetivo).

Amnésia Orgânica é a perda não-seletiva da memória, que segue a Lei de Ribot.

EXAME DO ESTADO MENTAL: memória (mnésia)

Quanto ao conteúdo:

Amnésia anterógrada perda da capacidade de fixação de elementos mnêmicos a partir do momento do trauma cerebral; influencia apenas o registro de impressões novas, não afetando as anteriormente gravadas.

 

Lesões cerebrais agudas ou crônicas.

Amnésia retrógrada perda da capacidade de evocar elementos mnêmicos anteriores ao trauma (ou doença); influencia apenas a evocação de impressões antigas, não afetando a fixação de novas impressões.

 

Quadros dissociativos histéricos.

Amnésia retroanterógrada déficit de fixação e evocação de fatos ocorridos tanto antes quanto depois do trauma ou da doença;

 

Típica dos quadros demenciais (Parkinson, Alzheimer etc.).

07/04/2015

EXAME DO ESTADO MENTAL: memória (mnésia)

EXAME DO ESTADO MENTAL: memória (mnésia)  Alterações qualitativas ( paramnésias ):  Consistem na deformação
EXAME DO ESTADO MENTAL: memória (mnésia)  Alterações qualitativas ( paramnésias ):  Consistem na deformação

Alterações qualitativas (paramnésias):

Consistem na deformação do processo de evocação de conteúdos mnêmicos previamente fixados; o indivíduo tem uma lembrança deformada que não corresponde à sensopercepção original.

EXAME DO ESTADO MENTAL: memória (mnésia)

Ilusões mnêmicas: há a distorção de um núcleo verdadeiro

da memória

Esquizofrenia, paranóia, histeria grave e transtornos da personalidade.

Alucinação mnêmica: são falsas lembranças criadas pelo indivíduo, que as crê reais

Esquizofrenia e outros transtornos psicóticos

Fabulação ou Confabulação: são falsas lembranças criadas pelo indivíduo visando a suprir uma lacuna em sua memória

07/04/2015

EXAME DO ESTADO MENTAL: memória (mnésia)

EXAME DO ESTADO MENTAL: memória (mnésia)  Déjà-vú : sensação falsa de já ter visto algo
EXAME DO ESTADO MENTAL: memória (mnésia)  Déjà-vú : sensação falsa de já ter visto algo

Déjà-vú: sensação falsa de já ter visto algo com o qual ainda não se está familiarizado. Jamais-vú: sensação falsa de desconhecer algo com o qual já se está devidamente familiarizado.

Dependem do contexto e da frequência com que acontecem para serem considerados patológicos. Normais especialmente em situação de cansaço.

EXAME DO ESTADO MENTAL: afetividade (timia)

Conceito:

Termo genérico usado para designar os elementos da vida afetiva

Emoção e Paixão: estados afetivos súbitos, de grande intensidade, que se acompanham de alterações corporais; as emoções têm uma duração mais curta do que as paixões.

Sentimento: quando comparado às emoções e às paixões, é um estado afetivo mais estável e menos intenso, sem alterações corporais, resultante de maior processamento cognitivo.

Humor: constitui o estado basal e fundamental, que se caracteriza por ser difuso, isto é, não relacionado a um objeto específico, e por ser, em geral, persistente e não-reativo; oscila entre os pólos da alegria, tristeza, irritabilidade e ansiedade.

Eutimia: condição afetiva normal.

07/04/2015

EXAME DO ESTADO MENTAL: afetividade (timia)

Alterações do humor:

Humor Alegre (euforia ou alegria patológica): humor morbidamente exagerado no qual predomina um estado de alegria intensa (sensações de satisfação

plena e potência), desproporcional às circunstâncias;

como consequência, há uma aceleração de todas as funções psíquicas.

Quadros maníacos e hipomaníacos.

Humor Triste (distimia ou tristeza patológica): humor morbidamente rebaixado no qual predomina um estado de tristeza profunda e imotivada, que se acompanha de lentificação e inibição de todos os processos psíquicos.

Quadros depressivos.

EXAME DO ESTADO MENTAL: afetividade (timia)

Humor Irritado (disforia ou irritabilidade patológica):

representa uma predisposição excessiva ao desgosto e à ira.

Os enfermos manifestam impaciência, irritabilidade, hiper- reação desagradável, hostil e, eventualmente, agressiva a determinados estímulos ambientais (mesmo leves) e intolerância a ruídos.

Quadros maníacos, depressivos e ansiosos.

Humor Ansioso (angústia ou ansiedade): estado de humor

desconfortável, uma apreensão negativa em relação ao futuro, uma inquietação interna desagradável, não associado a objetos ou situações específicos (como nas fobias) e sem

justificativa real

Inclui manifestações somáticas (taquicardia, tensão muscular, sudorese, etc.) e psíquicas (apreensão, inquietação, desconforto, etc.).

Transtornos de ansiedade

07/04/2015

EXAME DO ESTADO MENTAL: afetividade (timia)

Puerilismo ou puerilidade: o humor se caracteriza por seu aspecto tolo, infantil, simplório, “regredido”. O indivíduo ri ou chora por motivos banais, sua vida

 

afetiva é superficial, ausente de afetos consistentes e

duradouros.

Esquizofrenias, quadros demenciais e retardo mental.

EXAME DO ESTADO MENTAL: afetividade (timia)

EXAME DO ESTADO MENTAL: afetividade (timia)  Alterações das emoções e sentimentos:  Apatia ( afeto
EXAME DO ESTADO MENTAL: afetividade (timia)  Alterações das emoções e sentimentos:  Apatia ( afeto

Alterações das emoções e sentimentos:

Apatia (afeto embotado ou indiferença afetiva): trata- se da vivência subjetiva de uma indiferença afetiva; o paciente torna-se hiporreativo, é um “tanto-fez- quanto-tanto-faz” para tudo na vida.

Quadros depressivos.

Geralmente acompanhada de anedonia.

Anedonia: perda da capacidade de sentir satisfação e prazer pelas coisas que antes traziam felicidade.

Quadros depressivos.

07/04/2015

EXAME DO ESTADO MENTAL: afetividade (timia)

EXAME DO ESTADO MENTAL: afetividade (timia)  Labilidade afetiva ou instabilidade afetiva : dificuldade no controle
EXAME DO ESTADO MENTAL: afetividade (timia)  Labilidade afetiva ou instabilidade afetiva : dificuldade no controle

Labilidade afetiva ou instabilidade afetiva: dificuldade no

controle dos afetos; ocorrem mudanças freqüentes e bruscas, que são imotivadas e inesperadas; os afetos atingem grande intensidade, mas são de curta duração, oscilando entre os diversos pólos

Ex.: o humor do paciente passa direto da alegria para a tristeza, logo após retorna para a alegria e, a seguir, passa para a irritabilidade.

Paratimia: incongruência entre o afeto expresso e a situação vivenciada/verbalizada. O sujeito tem uma resposta oposta ao que a situação exige.

Ex., o paciente conta, rindo, que foi torturado na noite anterior. Reflete uma desarmonia profunda entre a afetividade e o pensamento

Esquizofrenia e retardo mental.

EXAME DO ESTADO MENTAL: afetividade (timia)

Fobia: consiste no temor patológico, que escapa à razão e

resiste a qualquer espécie de objeção; as reações do

indivíduo fóbico são desproporcionais e incompatíveis com as possibilidades de perigo real oferecidas pelos objetos ou situações desencadeantes, que podem ser as mais variadas possíveis.

Tem objeto específico

Pânico: máximo de ansiedade que alguém pode experimentar. No pânico a ansiedade atinge um grau em que o indivíduo tem medo de morrer ou de perder o

controle e enlouquecer.

As crises têm início súbito, duram alguns minutos e tendem a repetir-se com periodicidade variável

Geralmente, não se identifica um fator desencadeante

07/04/2015

EXAME DO ESTADO MENTAL: vontade e psicomotricidade

Conceito: motivação para ação voluntária; intimamente relacionada à esfera afetiva

-bulia = vontade

Alterações:

Hipobulia/Abulia: diminuição/abolição da ação voluntária; geralmente associam-se à apatia (indiferença afetiva), à fadigabilidade e à dificuldade de tomar decisões

Quadros depressivos graves

EXAME DO ESTADO MENTAL: vontade e psicomotricidade

Negativismo: é a recusa à interação, ao diálogo e à cooperação com outrem; o indivíduo se opõe a toda tentativa de relacionamento interpessoal

Negativismo Ativo: o indivíduo faz o oposto ao que lhe é solicitado.

Negativismo Passivo: o indivíduo recusa-se a fazer o que lhe é solicitado

Obediência Automática: é o oposto do negativismo; revela perda de autonomia e da atividade voluntária.

07/04/2015

EXAME DO ESTADO MENTAL: vontade e psicomotricidade

EXAME DO ESTADO MENTAL: vontade e psicomotricidade  Fenômenos em eco:  Ecopraxia : repetição automática
EXAME DO ESTADO MENTAL: vontade e psicomotricidade  Fenômenos em eco:  Ecopraxia : repetição automática

Fenômenos em eco:

Ecopraxia: repetição automática e involuntária pelo indivíduo dos últimos atos de seu interlocutor

Ecolalia: das suas últimas palavras ou sílabas

Ecomimia: dos últimos gestos

Ecografia: da escrita

Esquizofrenia catatônica e quadros psicorgânicos.

EXAME DO ESTADO MENTAL: vontade e psicomotricidade

EXAME DO ESTADO MENTAL: vontade e psicomotricidade  Compulsão : ato indesejável (egodistônico) e repetitivo, que
EXAME DO ESTADO MENTAL: vontade e psicomotricidade  Compulsão : ato indesejável (egodistônico) e repetitivo, que

Compulsão: ato indesejável (egodistônico) e repetitivo, que o sujeito realiza para além do seu controle voluntário.

A realização do ato traz alívio e também desconforto subjetivo, gerando um ciclo vicioso.

Diversos tipos: compulsões sexuais, alimentares, agressivas, drogas, etc.

TOC, transtornos alimentares, etc.

07/04/2015

EXAME DO ESTADO MENTAL: vontade e psicomotricidade

Psicomotricidade: diz respeito à execução da ação voluntária

Alterações:

Agitação psicomotora ou hiperatividade: aceleração e exaltação de toda atividade motora do indivíduo (ligada ao taquipsiquismo)

Associa-se à hostilidade e heteroagressividade

Mania, episódios esquizofrênicos agudos, deficientes mentais, síndromes demenciais

Lentificação psicomotora ou hipoatividade:

desaceleração/inibição de toda atividade motora do indivíduo (ligada ao bradipsiquismo)

Quadros depressivos.

EXAME DO ESTADO MENTAL: vontade e psicomotricidade

Estupor: é o estado de imobilidade. Implica a perda de toda

 

atividade espontânea (comunicação verbal, não-verbal,

mímica, olhar, gesticulação e marcha); o indivíduo restringe-se ao leito.

Pode ser de natureza esquizofrênica (estupor catatônico), depressiva (estupor depressivo), neurológica (estupor orgânico) ou histérica (estupor dissociativo);

 

Catatonia: forma de esquizofrenia que se caracteriza pela alternância de períodos de passividade e de excitação repentina.

Dissociação: forma de estreitamento da consciência do eu nas quais ocorre a desintegração da identidade de si mais ou menos acentuada (que inclui amnésias histéricas, transe, despersonalização, desrealização e até personalidades múltiplas).

07/04/2015

EXAME DO ESTADO MENTAL: vontade e psicomotricidade

EXAME DO ESTADO MENTAL: vontade e psicomotricidade  Catalepsia : acentuado exagero do tônus postural (rigidez
EXAME DO ESTADO MENTAL: vontade e psicomotricidade  Catalepsia : acentuado exagero do tônus postural (rigidez

Catalepsia: acentuado exagero do tônus postural (rigidez muscular) com redução acentuada da atividade global do organismo. Flexibilidade cérea: o paciente torna-se modelável por outra pessoa, como se ele fosse “de cera”.

A catalepsia e a flexibilidade cerácea são sintomas frequentes na esquizofrenia catatônica.

EXAME DO ESTADO MENTAL: vontade e psicomotricidade

EXAME DO ESTADO MENTAL: vontade e psicomotricidade  Estereotipias motoras : é a repetição constante de
EXAME DO ESTADO MENTAL: vontade e psicomotricidade  Estereotipias motoras : é a repetição constante de

Estereotipias motoras: é a repetição constante de certos movimentos. Pode ser:

Tiques: atos motores, coordenados, repetitivos e intermitentes. Maneirismo: tipo de estereotipia motora caracterizada por movimentos bizarros, mais amplos e complexos que o tique.

Conversão: há o surgimento abrupto de sintomas físicos (paralisias, anestesias, parestesia, cegueira etc.) de

origem psicogênica; trata-se do sintoma principal da histeria.

07/04/2015

EXAME DO ESTADO MENTAL: vontade e psicomotricidade

Hipopragmatismo e apragmatismo (do grego pragma = ação): é a dificuldade ou a incapacidade de realizar ações voluntárias e psicomotoras

minimamente complexas (cuidado pessoal, tarefas

domésticas etc.)

Incapacidade para iniciar ou manter atividades dirigidas a um determinado objetivo.

Associa-se à hipobulia, à apatia e à desorganização psíquica geral

Psicoses crônicas

EXAME DO ESTADO MENTAL: pensamento

EXAME DO ESTADO MENTAL: pensamento  Conceito:  É a capacidade de elaborar, associar e criticar
EXAME DO ESTADO MENTAL: pensamento  Conceito:  É a capacidade de elaborar, associar e criticar

Conceito:

É a capacidade de elaborar, associar e criticar ideias. Traduz a aptidão de elaborar conceitos, articulá-los em juízos e construir raciocínios de modo a solucionar problemas

Constituído de:

Ideia: é toda experiência psíquica que implique em conhecimento. Representa a unidade estrutural do pensamento

Conceitos: são relações entre ideias, construindo significados; expressam-se por palavras.

Juízos: são as relações entre conceitos; expressam-se por

frases ou proposições

Raciocínio: consiste no encadeamento lógico dos juízos

07/04/2015

EXAME DO ESTADO MENTAL: pensamento Raciocínio Juízo Conceito Ideia
EXAME DO ESTADO MENTAL: pensamento
Raciocínio
Juízo
Conceito
Ideia

EXAME DO ESTADO MENTAL: pensamento

Alterações

Quanto ao modo de produção, o pensamento pode ser:

Lógico: baseado na realidade e nos estímulos externos. Segue a lógica formal e a razão.

Mágico, derreísta ou autista: baseado na imaginação e em estímulos internos. Volta-se para os próprios desejos em detrimento da realidade. Não segue a logica formal nem a razão, isto é, não respeita os indicativos da realidade nem os princípios da racionalidade da cultura na qual o indivíduo se insere.

Ex.: “se eu tocar nas roupas de uma prostituta ficarei contaminado”; “se eu repetir a palavra „santo‟ 50 vezes impedirei que meu pai morra”; “se

 

eu somar os múltiplos de 3 indefinidamente impedirei que minha avó

adoeça” TOC

Constitui a base da magia e das superstições.

Também acontece em esquizofrenias e na histeria.

07/04/2015

EXAME DO ESTADO MENTAL: pensamento

Juízo crítico ou juízo de realidade: é a capacidade de distinguir entre um estímulo interno e outro externo, de avaliar quando um pensamento é lógico ou mágico, entre o que é real e o que é fantasia/desejo.

Toda pessoa possui pensamentos lógicos e mágicos, ambos fazem parte da dinâmica normal. O estado patológico não se refere à presença de pensamentos mágicos, mas à falha do juízo de realidade em discernir os pensamentos mágicos dos lógicos.

EXAME DO ESTADO MENTAL: pensamento

Quanto ao curso:

Aceleração do pensamento ou taquipsiquismo: trata-se do fluir

acelerado do pensamento, uma ideia sucedendo a outra rapidamente

Fala muito rápido (taquilalia)

Quadros maníacos, intoxicação por psicoestimulantes (cocaína, anfetamina, cafeína), etc.

Inibição do pensamento ou bradipsiquismo: representa a diminuição na velocidade associativa no pensamento. Fluir lento e esforçoso do pensamento; há uma latência entre as perguntas formuladas e as respostas emitidas;

Fala de vagar (bradilalia)

Depressões graves, em intoxicações por substancias sedativas como o álcool, etc.

07/04/2015

EXAME DO ESTADO MENTAL: pensamento

Fuga de ideias: variação rápida e incessante de tema, com preservação da coerência do relato e da lógica associativa as associações entre ideias, muitas vezes, se dão por assonância (rimas) ou aliteração (repetição de consoantes);

O pensamento é facilmente desviado por estímulos externos;

O indivíduo torna-se incapaz de concluir um raciocínio e as ideias-alvo se

 

atropelam umas às outras;

Associa-se à aceleração do pensamento

Quadros maníacos

Prolixidade: minuciosidade excessiva do pensamento, não havendo diferenciação entre o essencial (ideia-alvo) e o secundário. Caracteriza-se pela incapacidade de síntese e pelas longas digressões.

Circunstancialidade: ideia-alvo é atingida

Tangencialidade: ideia-alvo não é atingida

Lesões cerebrais, epilepsia, TOC, etc.

EXAME DO ESTADO MENTAL: pensamento

Pensamento vago: caracteriza-se pelo afrouxamento dos

enlaces associativos entre ideias, sem que ocorra o

empobrecimento do pensamento

Esquizofrenia ou demência (início)

Bloqueio ou interceptação: é a interrupção brusca do fluxo do pensamento sem nenhum motivo aparente. O indivíduo pode alegar que seu pensamento foi roubado.

Esquizofrenia

07/04/2015

EXAME DO ESTADO MENTAL: pensamento

Confusão ou incoerência: incoerência do pensamento (mostra-se confuso, contraditório e ilógico), causada por turvação da consciência, lançando o indivíduo num estado de perplexidade e impotência

Delirium

Desagregação: perda dos enlaces associativos entre ideias que culmina numa incoerência radical do pensamento; este não segue minimamente a lógica; o discurso é incoerente, fragmentado e, muitas vezes, ininteligível, nada comunicando ao interlocutor

Esquizofrenia

EXAME DO ESTADO MENTAL: pensamento

Quanto ao conteúdo:

Ideias fóbicas: representam medos irracionais.

Fobias especificas, fobia social e agorafobia.

Ideias hipocondríacas: é a ideia persistente de estar acometido de doença grave ou o medo de ter doença grave baseado na interpretação errônea de sinais ou sintomas físicos.

Hipocondria, esquizofrenia e episódios depressivos.

07/04/2015

EXAME DO ESTADO MENTAL: pensamento

Pensamento obsessivo, obsessão ou ideias fixas: ideias repetitivas, não desejadas, não compreendidas e que não podem ser rechaçadas pela pessoa. Trata-se da perseveração monotemática de um pensamento que se impõe à consciência do sujeito contra a sua vontade (egodistônico) e do qual ele não consegue se livrar.

Exs: pensar de forma repetida na morte de uma pessoa querida, pensar que contraiu alguma doença ou que pode contraí-la a qualquer momento etc.;

Causam mal-estar e ansiedade.

É comum associar-se a atos compulsivos.

TOC, episódios depressivos, quadros esquizofrênicos, etc.

EXAME DO ESTADO MENTAL: pensamento

Pensamento demencial: trata-se do empobrecimento parcial

(não-linear) do pensamento que ocorre no início das

síndromes demenciais; com o desenvolvimento da doença, pode evoluir para o concretismo.

Pensamento concreto ou concretismo: antítese do pensamento abstrato; expressa intuições e conceitos concretos, numa referência imediata ao sensorialmente percebido (pensamento analógico, “primitivo”)

Ex.: interpretar literalmente metáforas; Deficiências intelectuais graves, quadros avançados de demência e esquizofrenia crônica.

07/04/2015

EXAME DO ESTADO MENTAL: pensamento

EXAME DO ESTADO MENTAL: pensamento  Pensamento derreísta ou autista : antítese do pensamento realista; manifesta-se
EXAME DO ESTADO MENTAL: pensamento  Pensamento derreísta ou autista : antítese do pensamento realista; manifesta-se

Pensamento derreísta ou autista: antítese do pensamento realista; manifesta-se sob a forma de devaneio; volta-se para os próprios desejos em detrimento da realidade; o pensar não obedece às leis da lógica e, nos casos mais acentuados, tudo transcorre como se o indivíduo estivesse submerso num verdadeiro estado onírico

Constitui a base para o desenvolvimento do delírio nas esquizofrenias; pode ocorrer também na histeria.

EXAME DO ESTADO MENTAL: pensamento

Delírio ou ideia delirante: ideia ou conjunto de ideias falsas aceitas

pelo juízo de realidade do indivíduo.

Do latim delirare: de = fora; liros = sulcos; “lavrar fora do sulco”; “sair do eixo”

Características:

Convicção: o paciente apresenta uma certeza praticamente absoluta no conteúdo de seu juízo (convicção inabalável).

Irredutibilidade: é praticamente impossível sua modificação pela experiência objetiva, mesmo pela prova de realidade mais cabal (não- suscetível à influência).

Tendência à difusão: caso confrontado com a realidade, o indivíduo saí pela tangente por meio de uma justificativa/explicação para ser delírio

Falta de consciência do transtorno (o indivíduo não reconhece que se trata

 

de um produto doentio)

É uma produção associal, idiossincrática em relação ao grupo cultural do paciente (não confundir com crenças culturalmente sancionadas).

07/04/2015

EXAME DO ESTADO MENTAL: pensamento

EXAME DO ESTADO MENTAL: pensamento

EXAME DO ESTADO MENTAL: pensamento  Alguns autores afirmam que as religiões são uma espécie de
EXAME DO ESTADO MENTAL: pensamento  Alguns autores afirmam que as religiões são uma espécie de
 Alguns autores afirmam que as religiões são uma espécie de delírio socialmente instituído que,

Alguns autores afirmam que as religiões são uma espécie de delírio socialmente instituído que, embora socialmente aceito, continua tendo uma estrutura delirante. Freud, por exemplo, afirma que as religiões são um delírio de massa, pois nelas acontece um remodelamento delirante da realidade empreendido por um considerável número de pessoas, isto é, um remodelamento da realidade feito com base nos desejos inconscientes de um grupo de indivíduos: “As religiões da humanidade devem ser classificadas entre os delírios de massa desse tipo. É desnecessário dizer que todo aquele que partilha um delírio jamais o reconhece como tal.” (FREUD, 1930).

EXAME DO ESTADO MENTAL: pensamento

EXAME DO ESTADO MENTAL: pensamento  Classificações:  Segundo a origem:  Delírios primários: ideias
EXAME DO ESTADO MENTAL: pensamento  Classificações:  Segundo a origem:  Delírios primários: ideias

Classificações:

Segundo a origem:

Delírios primários: ideias delirantes verdadeiras Decorre de uma:

Percepção delirante: associação fortuita entre uma percepção e um juízo que se impõe como revelação ao sujeito

Representação delirante: recordações (conteúdos mnêmicos verdadeiros) ganham significados fantasiosos Cognição delirante: o indivíduo intui o delírio repentinamente pois capta de forma imediata (revelação) um novo sentido nas coisas, prescindindo de dados perceptivos e representativos.

07/04/2015

EXAME DO ESTADO MENTAL: pensamento

EXAME DO ESTADO MENTAL: pensamento

EXAME DO ESTADO MENTAL: pensamento  Delírios secundários: ideias deliróides  Diferentemente do delírio, esta
EXAME DO ESTADO MENTAL: pensamento  Delírios secundários: ideias deliróides  Diferentemente do delírio, esta

Delírios secundários: ideias deliróides Diferentemente do delírio, esta é psicologicamente compreensível, isto é, origina-se a partir de outras manifestações psicopatológicas primárias, como alterações do humor, da sensopercepção, da consciência, da memória etc. Ex.: ideias de culpa na depressão, ideias de grandeza na mania, etc.

EXAME DO ESTADO MENTAL: pensamento

EXAME DO ESTADO MENTAL: pensamento  Segundo a estrutura:  Simples: são monotemáticos (conteúdo persecutório ou
EXAME DO ESTADO MENTAL: pensamento  Segundo a estrutura:  Simples: são monotemáticos (conteúdo persecutório ou

Segundo a estrutura:

Simples: são monotemáticos (conteúdo persecutório ou místico-religioso ou erótico etc.) Complexos: são multitemáticos

Sistematizados: há uma maior coerência interna entre as ideias, uma maior organização e consistência. Encontra-se uma rede de argumentações lógicas e compreensíveis. O delirante com ideias de perseguição é capaz de dizer quem

o persegue, como e por quê.

Não sistematizados: são fragmentários, caóticos, desarticulados e sem concatenação.

07/04/2015

EXAME DO ESTADO MENTAL: pensamento

EXAME DO ESTADO MENTAL: pensamento  Bizarros: conteúdo impossível; ex.: ter sido abduzido por óvnis. 
EXAME DO ESTADO MENTAL: pensamento  Bizarros: conteúdo impossível; ex.: ter sido abduzido por óvnis. 

Bizarros: conteúdo impossível; ex.: ter sido abduzido por óvnis.

Não bizarros: conteúdo possível, porém improvável; ex.:

ter sido envenenado pelo vizinho.

Segundo o curso:

Agudos: surgem abruptamente e tendem a desaparecer em pouco tempo; associam-se a transtornos da consciência.

Crônicos: surgem paulatinamente e tendem a persistir por mais tempo.

EXAME DO ESTADO MENTAL: pensamento

Temáticas mais comuns:

De perseguição ou persecutório (de reivindicação ou querelante, de influência etc.);

De grandeza ou megalomania (de auto-referência, de invenção ou descoberta, genealógico, de redenção ou salvacionista, místico-religioso etc.);

Sexuais (de ciúmes, erótico, etc.);

Autodepreciativos ou de ruína (de culpa ou auto-

 

acusação, somático ou hipocondríaco, de negação ou

niilista etc.);

07/04/2015

EXAME DO ESTADO MENTAL: pensamento

Na paranoia ou transtorno delirante, geralmente o delírio

simples, não-bizarro, sistematizado e auto-referente (de grandeza).

é

Na esquizofrenia, manifesta-se usualmente como

complexo, bizarro, não sistematizado, podendo ser

primário (intuitivo) ou secundário (à atividade alucinatória)

Em ambas as enfermidades, os delírios tendem a ser crônicos.

Nas psicoses afetivas, geralmente o delírio é secundário

e

humor congruente; assim, nas depressões tende a

predominar delírios de ruína e na mania, delírios de grandeza.

*Não confundir: Delírio e Delirium

EXAME DO ESTADO MENTAL: linguagem

EXAME DO ESTADO MENTAL: linguagem  Conceito:  É o conjunto de sinais convencionais utilizados para
EXAME DO ESTADO MENTAL: linguagem  Conceito:  É o conjunto de sinais convencionais utilizados para

Conceito:

É o conjunto de sinais convencionais utilizados para se expressar, sendo fundamental na elaboração e expressão do pensamento

Tipos:

Oral

Escrita

Mimica

07/04/2015

EXAME DO ESTADO MENTAL: linguagem

Psicopatologia (oral)

Dislogias: sem alterações orgânicas demonstráveis (proveniente de transtorno psicopatológico) Demais: com alterações orgânicas (lesão neuronal)

EXAME DO ESTADO MENTAL: linguagem

Alteraçõs decorrentes de causas orgânicas:

Afasia: é a perda da linguagem por incapacidade de compreender e/ou utilizar os símbolos verbais.

Afasia motora: compreende, mas não fala.

Afasia sensorial: não compreende, mas fala.

Afasia total: não compreende e não fala.

07/04/2015

EXAME DO ESTADO MENTAL: linguagem

Disartria: é a incapacidade de articular corretamente as palavras, devido ao déficit motor do aparelho fonador.

Intoxicação aguda por depressores do SNC (ingestão de álcool)

Dislalia: omissão, substituição ou deformação de fonemas.

Cebolinha, da Turma da Mônica.

Retardo mental

EXAME DO ESTADO MENTAL: linguagem

Disfonia: é uma alteração da fala produzida pela alteração da sonoridade das palavras (resulta numa espécie de rouquidão)

Afonia: forma mais acentuada de disfonia, na qual o indivíduo não consegue emitir nenhum som ou palavra

Ocorre por disfunção do aparelho fonador ou por defeito da respiração durante a fala

Disfemia: emissão hesitante e intermitente de um fonema.

Gagueira

Pode ser orgânica ou psicogênica.

07/04/2015

EXAME DO ESTADO MENTAL: linguagem

Dislogias: alterações associadas a transtornos mentais

Taquilalia ou taquifasia: é o aumento da velocidade na expressão das palavras; associa-se à aceleração do pensamento

Episódios maníacos, hipomaníacos e estados de ansiedade aguda.

Bradilalia ou bradifasia: é a diminuição da velocidade na expressão das palavras; associa-se à inibição do pensamento

Estados depressivos.

Alogia: é a pobreza no discurso.

Esquizofrenia.

EXAME DO ESTADO MENTAL: linguagem

Mutismo: ausência de fala; implica necessariamente a impossibilidade psíquica, mas não física de expressão verbal.

Estados estuporosos, quadros esquizofrênicos

Estereotipias verbais: repetições verbais automáticas.

Ecolalia: repetição automática, involuntária, da última ou últimas palavras da frase. Verbigeração: repetição incessante e monótona de palavras, sem sentido comunitativo (similar a uma reza)

07/04/2015

EXAME DO ESTADO MENTAL: linguagem

Pararresposta: resposta sistematicamente inadequada à pergunta. O indivíduo responde às perguntas que lhe são dirigidas de modo

completamente disparatado com relação ao

conteúdo que lhe foi perguntado.

Não é birra nem má vontade.

Esquizofrenia.

EXAME DO ESTADO MENTAL: linguagem

EXAME DO ESTADO MENTAL: linguagem  A linguagem na esquizofrenia:  Neologismo : criação de novos
EXAME DO ESTADO MENTAL: linguagem  A linguagem na esquizofrenia:  Neologismo : criação de novos

A linguagem na esquizofrenia:

Neologismo: criação de novos vocábulos com significado particular ou alteração radical do significado de palavras já existentes.

Quando cria novas palavras: neologismo ativo

Quando altera o significado de palavras já existentes:

neologismo passivo

Esquizofrenia

07/04/2015

EXAME DO ESTADO MENTAL: linguagem

Jargonofasia ou esquizofasia: produção de palavras sem lógica, pela justaposição arbitrária e incompleta de elementos verbais. Em sua forma extrema, a linguagem se apresenta como uma salada de palavras, em que o paciente emprega neologismos e palavras conhecidas transfiguradas, tornando seu discurso completamente incompreensível.

Esquizofrenia.

Glossolalia: é como se o paciente falasse outra língua; ele produz sons guturais e ininteligíveis, mantendo a entonação de uma fala.

Esquizofrenia

Referência

Referência

Referência  HENRIQUES, R. P. Psicopatologia Crítica: guia didático para estudantes e profissionais. São
Referência  HENRIQUES, R. P. Psicopatologia Crítica: guia didático para estudantes e profissionais. São
 HENRIQUES, R. P. Psicopatologia Crítica: guia didático para estudantes e profissionais. São Cristóvão: Editora

HENRIQUES, R. P. Psicopatologia Crítica: guia didático para estudantes e profissionais. São Cristóvão: Editora UFS, 2012.