Sie sind auf Seite 1von 11
CURSO DE CONTABILIDADE E ADMINISTRAÇÃO C ONTABILIDADE G ERAL CADERNO DE APOIO 1 INTRODUÇÃO 2015/2016

CURSO DE CONTABILIDADE E ADMINISTRAÇÃO

CONTABILIDADE GERAL

CADERNO DE APOIO

1

INTRODUÇÃO

2015/2016

PATRIMÓNIO

De uma forma muito simples podemos considerar como património o conjunto de bens direitos e obrigações de uma entidade. Consideremos o seguinte exemplo do património da empresa X:

Numerário

5.000

Depósitos Bancários

20.000

Mercadorias

80.000

Dívidas a Fornecedores

78.000

Viaturas

60.000

Empréstimos a reembolsar

200.000

Edifício

150.000

Dívidas a recuperar

120.000

Poderemos numa 1ª abordagem organizar a informação do seguinte modo:

Elementos de caráter positivo

Elementos de caráter negativo

Numerário Mercadorias Viaturas Edifício Dívidas a recuperar Depósitos Bancários TOTAL

5.000

Dívidas a Fornecedores

78.000

80.000

Empréstimos a reembolsar

200.000

60.000

278.000

150.000

 

120.000

20.000

435.000

Se considerarmos que, de uma forma simplificada, os elementos patrimoniais de caráter positivo (representando bens e direitos) constituem o Ativo, os elementos patrimoniais de caráter negativo (correspondentes a obrigações) constituem o Passivo e como Capital Próprio os valores abstratos que traduzem a diferença entre o ativo e o passivo, poderemos organizar a informação do seguinte modo:

BALANÇO* DA EMPRESA X em xx/xx/xx

ATIVO Numerário Mercadorias Viaturas Dívidas a recuperar Edifício Depósitos Bancários Total do Ativo CAPITAL PRÓPRIO PASSIVO Dívidas a Fornecedores Empréstimos a reembolsar Total do Passivo Total do Cap. Próprio e do Passivo

PRÓPRIO PASSIVO Dívidas a Fornecedores Empréstimos a reembolsar Total do Passivo Total do Cap. Próprio e
PRÓPRIO PASSIVO Dívidas a Fornecedores Empréstimos a reembolsar Total do Passivo Total do Cap. Próprio e
PRÓPRIO PASSIVO Dívidas a Fornecedores Empréstimos a reembolsar Total do Passivo Total do Cap. Próprio e
PRÓPRIO PASSIVO Dívidas a Fornecedores Empréstimos a reembolsar Total do Passivo Total do Cap. Próprio e
PRÓPRIO PASSIVO Dívidas a Fornecedores Empréstimos a reembolsar Total do Passivo Total do Cap. Próprio e
PRÓPRIO PASSIVO Dívidas a Fornecedores Empréstimos a reembolsar Total do Passivo Total do Cap. Próprio e
PRÓPRIO PASSIVO Dívidas a Fornecedores Empréstimos a reembolsar Total do Passivo Total do Cap. Próprio e
PRÓPRIO PASSIVO Dívidas a Fornecedores Empréstimos a reembolsar Total do Passivo Total do Cap. Próprio e
PRÓPRIO PASSIVO Dívidas a Fornecedores Empréstimos a reembolsar Total do Passivo Total do Cap. Próprio e
PRÓPRIO PASSIVO Dívidas a Fornecedores Empréstimos a reembolsar Total do Passivo Total do Cap. Próprio e
PRÓPRIO PASSIVO Dívidas a Fornecedores Empréstimos a reembolsar Total do Passivo Total do Cap. Próprio e

5.000

80.000

60.000

120.000

150.000

20.000

435.000

157.000

78.000

200.000

278.000

435.000

* Balanço – Expressão da relação existente entre Ativo, Passivo e a Situação Líquida num

determinado momento.

Valor do Património = 435.000-278.000 = 157.000

O património de uma empresa está em constante mutação, cabendo à contabilidade quantificar

e registar os múltiplos acontecimentos que nele ocorrem, utilizando na relevação patrimonial

(descrição ou colocação em evidência) as contas.

CONTA

Classe de valores patrimoniais e ideais com denominação própria (título) e valor ou expressão

numérica.

O título deve ser escolhido de forma a reflectir o aspecto qualitativo da conta, isto é

das caraterísticas em comum que podemos encontrar nos elementos que a integram,

sendo fixo e imutável.

O valor ou extensão relaciona-se com o aspeto quantitativo da conta, correspondendo

ao seu valor, sendo por razões óbvias variável.

REPRESENTAÇÃO GRÁFICA:

Deve

Título da Conta

Haver

Débito

Crédito

ou

ou

Deve

Haver

DEBITAR UMA CONTA – significa efectuar um lançamento do lado do débito. CREDITAR UMA CONTA – significa efectuar um lançamento do lado do crédito. SALDO DE UMA CONTA – corresponde à diferença entre o débito e o crédito ou seja à sua extensão. Três situações podem ocorrer:

D>C Sd – Saldo devedor

D<C Sc – Saldo credor

D=C S nulo a conta está saldada

EXERCÍCIO: Determine o saldo das seguintes contas

Caixa

3.500

200

Ativos Fixos Tangíveis

30.000

30.000

Dep. à Ordem

5.700

3.800

Fornecedores

3.000

7.000

Financiamentos Obtidos

7.000

18.500

Outros Dev. e Cred.

9.000

9.000

Resolução:

Caixa

3.500

200

Sd=3.300

Ativos Fixos Tangíveis

30.000

30.000

Sd=30.000

Dep. à Ordem

5.700

3.800

Sd=1.900

Fornecedores

3.000

7.000

Sc=4.000

Financiamentos Obtidos

7.000

18.500

Sc=11.500

Outros Dev. e Cred.

9.000

9.000

S=0

MÉTODO DE REGISTO CONTABILÍSTICO

O método adoptado é o designado método das partidas dobradas (Século XIII), que consiste em fazer-se uma inscrição numa conta e a mesma inscrição ser repetida noutra ou noutras contas com aquela interligada pelo mesmo facto patrimonial. Todo o débito de uma conta origina um crédito noutra ou noutras contas e vice-versa por forma a que o valor de cada débito(s) corresponde um crédito(s) de igual valor.

REGRAS DE DEBITAR E CREDITAR

CONTAS DO ATIVO - debitam-se pela sua extensão inicial (saldo inicial) e pelos seus aumentos e creditam-se pelas suas diminuições:

Ativo

Saldo inicial

Aumentos

Diminuições

CONTAS DO PASSIVO – creditam-se pela sua extensão inicial (saldo inicial) e pelos seus aumentos e debitam-se pelas suas diminuições:

Passivo

Diminuições

Saldo inicial

Aumentos

CONTAS DO CAPITAL PRÓPRIO – creditam-se ou debitam-se pela sua extensão inicial, se o saldo inicial for positivo ou negativo respectivamente e creditam-se pelos seus aumentos e debitam-se pelas suas diminuições:

Capital próprio

Saldo inicial negativo

Saldo inicial positivo

Diminuições

Aumentos

EXERCÍCIO

Registe as seguintes operações, obedecendo ao método das partidas dobradas e recorrendo às seguintes contas: Caixa, depósitos à ordem, clientes, fornecedores de investimentos, equipamento básico e financiamentos obtidos. Demonstre as repercussões que estas operações terão no balanço.

1)

Depósito em numerário no banco A de € 1.000,00.

Dep. à Ordem

1.000

1.000

Caixa

1.000

1.000

Balanço

Ativo Dep. à Ordem

1.000

Caixa

1.000

2)

Capital Próprio Passivo

Compra de uma máquina de € 20.000,00 com o pagamento imediato de 50% através de um cheque.

Equip. Básico

20.000

20.000

Balanço

Dep. à Ordem

10.000

10.000

Forn. Investimentos

10.000

10.000

Ativo

Equip. Básico

20.000

Dep. à Ordem

10.000

Capital Próprio Passivo Forn. Investimentos

10.000

3)

Pagamento ao fornecedor dos restantes 50% através de um cheque.

Forn. Investimentos

10.000

10.000

Dep. à Ordem

10.000

10.000

Balanço

Ativo Dep. à Ordem

10.000

Capital Próprio Passivo Forn. Investimentos

10.000

4)

Recebimento de um cliente de € 3.000,00 por transferência bancária.

 
 

Dep. à Ordem

 

Clientes

3.000

   

3.000

 

Balanço

 

Ativo Dep. à Ordem

 

3.000

 

Clientes

3.000

Capital Próprio Passivo

 

5)

Empréstimo concedido pelo banco A de € 50.000

 

Dep. à Ordem

50.000

50.000

Financiamentos Obtidos

50.000

50.000

Balanço

Ativo Depósitos à Ordem

50.000

Capital Próprio Passivo Financiamentos Obtidos

50.000

Nos exemplos dados o valor do património não sofreu qualquer alteração mas como é óbvio existem inúmeras operações com repercussões no seu valor, que envolvem o registo em contas de gastos e perdas e de rendimentos e ganhos.

Classe de Gastos – onde se procede ao registo dos componentes negativos do resultado do exercício. As contas desta classe são geralmente registadas a débito apresentando um saldo devedor.

Gastos e Perdas

X

X

Classe de Rendimentos – onde se procede ao registo dos componentes positivos do resultado do exercício. As contas desta classe são geralmente registadas a crédito apresentando um saldo credor.

Rendimentos e Ganhos

X

X

EXERCÍCIO Registe as seguintes operações, obedecendo ao método das partidas dobradas e recorrendo às seguintes contas: Caixa, depósitos à ordem, clientes, eletricidade, juros e vendas. Demonstre

as repercussões que estas operações terão no balanço, justificando as alterações no capital

próprio.

1)

Pagamento da fatura da eletricidade de € 70 em numerário.

Caixa

70

70

Eletricidade

70

70

Note-se que a eletricidade é um gasto que a empresa tem que suportar para o exercício da sua atividade com consequências negativa nos resultados obtidos.

Balanço

Ativo

Caixa

70

Capital Próprio

Resultado Líquido do Período.

70

2)

Passivo

Pagamento de juros do empréstimo bancário de € 500.

Dep. à Ordem

Juros

 

500

500

Balanço

Ativo

Dep. à Ordem

 

500

Capital Próprio

 

Resultado Líquido do Período.

500

Passivo

3) Venda a prazo de € 10.000 de mercadorias

Clientes

Vendas

10.000

 

10.000

 

Balanço

Ativo

Clientes

10.000

Capital Próprio Resultado Líquido do Período.

10.000

Passivo

Nota: Obviamente o impacto global de uma venda nos resultados, será afetado não só pelo valor da venda, mas também pelo custo da mercadoria vendida.