Sie sind auf Seite 1von 10
PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO TP718 – GESTÃO DE PROJETOS Prof. Dr. Ricardo

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO

TP718 GESTÃO DE PROJETOS

Prof. Dr. Ricardo Mendes Jr. Dalvana M. Tiburcio 13 de abril de 2010

Curitiba - 2010

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO RUSSO, Rosária de Fátima Segger Macri; SBRAGIA, Roberto.

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO

RUSSO, Rosária de Fátima Segger Macri;

SBRAGIA, Roberto.

Tendência empreendedora do gerente: uma análise de sua relevância para o sucesso de projetos inovadores.

Gestão & Produção. v. 14, n. 3, p. 581-593. São Carlos,

2007.

Disponível em

http://www.scielo.br/pdf/gp/v14n3/a12v14n3.pdf.

Acesso em 10 de abril de 2010.

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO JUSTIFICATIVA Contraste do perfil esperado para o Gerente

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO

JUSTIFICATIVA

Contraste do perfil esperado para o Gerente de Projetos:

Faça apenas o trabalho que tenha sido definido como

escopo do projeto (PMI, 2004).

Tenha ousadia em termos de encontrar a melhor solução

para os problemas do empreendimento (RABECHINI JR, 2005).

OBJETIVO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Considerando a importância do empreendedorismo para a

OBJETIVO

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO

Considerando a importância do empreendedorismo para a

adaptação da organização as necessidades de inovações,

a intenciona-se avaliar se as características de um

empreendedor corporativo agregam valor ao gerente de

projetos, refletindo em projetos mais bem sucedidos, sob

diferentes aspectos.

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO INTRODUÇÃO A literatura se refere a empreendedores nas

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO

INTRODUÇÃO

A literatura se refere a empreendedores nas corporações como sendo empreendedores corporativos ou intraempreendedores.

Características empreendedoras:

Necessidade de realização;

Necessidade de autonomia;

Tendência criativa;

Propensão a riscos; e

Impulso e determinação.

Caird (1991)

Avaliação de sucesso:

Eficiência do projeto;

Impacto no cliente;

Impacto direto no negócio;

Preparação para o futuro; e

Impacto na equipe.

Shenhar et al. (1997)

Inserido por Russo e Sbragia no estudo.

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO METODOLOGIA Análise bibliográfica: Dimensão mais realçada:

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO

METODOLOGIA

Análise bibliográfica:

Dimensão mais realçada:

Competência técnica e

administrativa.

Características mais mencionadas:

Liderança;

Comunicação;

Gerenciamento de conflito; e

Negociação.

Empreendedorismo (Kerzner, 2001)

Tratamento do projeto como negócio e visão externa a organização.

(Dinsmore, 1992; Cihen e Graham, 2002)

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO METODOLOGIA Alvo: Gerentes de projetos no cadastro do

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO

METODOLOGIA

Alvo: Gerentes de projetos no cadastro do PMI, capítulo São Paulo.

Questionário respondido por 313 gerentes de projetos.

Foram selecionados 164 para o estudo.

EMPRESAS:

Empresas privadas (92%)

Capital nacional (62%)

Grande porte (70%)

Área de serviços (76%)

GERENTE DE PROJETO:

Sexo masculino (78%)

Pós-graduação (72%)

Mais de 32 anos de idade (68%)

Mais de 15 anos de experiência (54%)

54 afirmações - Tendência Empreendedora Geral (TEG) - Unidade de Formação Empresarial e Industrial da Durham University Business School. Variáveis de estudo: NTEger e NSprj

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO METODOLOGIA Dois grupos de projetos: projetos menos bem

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO

METODOLOGIA

Dois grupos de projetos: projetos menos bem sucedidos (48 casos) e projetos

mais bem sucedidos (116 casos), pela técnica não hierárquica de

conglomerado K-médias (MALHOTRA, 2001).

hierárquica de conglomerado K-médias (MALHOTRA, 2001). Figura 2. Nível de sucesso dos projetos (NSprj) segundo os
hierárquica de conglomerado K-médias (MALHOTRA, 2001). Figura 2. Nível de sucesso dos projetos (NSprj) segundo os

Figura 2. Nível de sucesso dos projetos

(NSprj) segundo os níveis de tendência empreendedora dos gerentes (NTEger).

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO CONCLUSÕES  Há indicações de que a hipótese

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO

CONCLUSÕES

DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO CONCLUSÕES  Há indicações de que a hipótese é válida.

Há indicações de que a hipótese é válida. Justificativas:

Outras competências do gerente de projetos são importantes e utilizadas.

Existem inúmeros fatores críticos de sucesso que não dependem da atuação específica do gerente de projetos.

Dimensões analisadas: Necessidade de realização; Necessidade de autonomia; Tendência criativa; Propensão a riscos; e Impulso e determinação.

Visão apenas dos gerentes de projetos que responderam ao estudo.

Amostra não válida para generalização dos resultados.

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO VISÃO CRÍTICA  Faz uma extensa revisão bibliográfica.

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO

VISÃO CRÍTICA

Faz uma extensa revisão bibliográfica.

Cita que Lumpkin e Dess (1996) também caracterizam as características do empreendedor em dimensões, mas sob visão organizacional, mas não o usa.

Não cita critério de descarte dos questionários não utilizados.

Os resultados não são conclusivos, em absoluto.