You are on page 1of 8

o ssie r

D AP
SIA D g ra d
v a l ia ção doica
o de Atração Públ
i st e m a Inte a Adminis
S
e m p e n ho d
D es

Lei 10/2004, de 22/3;


D. Regulamentar 19-A/2004, de 14/5;
Portaria 509-A/2004, de 14/5;
D. Regulamentar 6/2006, de 20/6
(aplicação à Administração Local)

Edição
da Direcção Nacional
Sindicato Nacional do STAL
Departamento
dos Trabalhadores de Informação
da Administração Local Sindical
Março 2009
Sede: Rua D. Luís I n.º 20-F - 1249-126 Lisboa - Tel.: 210958400 - Fax: 210958469
stal.nacional@stal.pt - www.stal.pt
2 15
Dossier SIADAP Dossier SIADAP
Sistema Integrado de Avaliação do Sistema Integrado de Avaliação do
Desempenho da Administração Pública Desempenho da Administração Pública

NOTIFICAÇÃO DA AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO


Índice
REQUERIMENTO TIPO
Pág.3 Pág.8

Introdução Modalidades de Avaliação


Pág.4 Ex-mo Senhor
Ordinária
Destinatários do SIADAP Presidente da ___________________________________________________________________
Extraordinária (Câmara Municipal, Serviços Municipalizados, Juntas de Freguesia)
Todos os trabalhadores Suprimento da Avaliação
Trabalhadores em regime de Cedência de Interesse è
Ponderação Curricular
Público (requisição)
è
Cedência de Interesse Público
Componentes para a avaliação __________________________________________________________ (nome) integrado na
Casos Especiais
Objectivos individuais Pág.9 categoria de __________________________________, vem expor e requerer a V. Ex.a o seguinte:
Competências comportamentais Fases da Avaliação
Sendo a avaliação do desempenho absolutamente essencial para a mudança de posicionamento
Atitude pessoal Fixação dos objectivos
remuneratório, nos termos legalmente fixados, sucede que não lhe foi atribuída nos anos de
Sistema de classificação Auto-avaliação
_____________________________________ (Indicar os anos em causa, entre 2004 e 2007)
Diferenciação de mérito e excelência Avaliação prévia

Pág.5
Harmonização das avaliações Porém, decorre do disposto no art. 113.º, nºs 7 e 8, que, no caso de os trabalhadores não terem sido
Periodicidade da avaliação Entrevista de avaliação avaliados, por não aplicabilidade ou não aplicação efectiva da legislação em matéria de avaliação do
Ordinária Homologação desempenho, as entidades empregadoras são obrigadas a notificarem os trabalhadores, no sentido de
Extraordinária Reclamação que lhes foi atribuído um ponto por cada um dos anos não avaliados.
Recurso
Efeitos da avaliação do desempenho Consequentemente, assiste aos trabalhadores o direito de reclamarem, nos cinco dias úteis após a
Divulgação dos resultados
Mudança e/ou alteração do posicionamento
remuneratório Pág.10 referida notificação, requerendo que a avaliação seja efectuada, através de ponderação curricular, por
Obrigatória
è Outras implicações do SIADAP avaliador para o efeito designado pelo dirigente máximo do serviço, como determina o n.º 9, do citado
Condicionada
è Na transição para a nova categoria preceito.
e tabela remuneratória
Ciclo anual de gestão Nestes termos, vem requerer a V. Ex.a que, em cumprimento do legalmente determinado, proceda à
è
Em 2004 e 2005
Pág.6 notificação para o efeito prevista, a fim de que, consequentemente, o Requerente possa exercer o seu
è
Antes da transição para a tabela única
Definição dos objectivos individuais direito de reclamação, nos termos legalmente consignados.
è
Para 2009
Direito à Formação Instauração de processo de averiguações
Espera Deferimento
Intervenientes no processo de Avaliação Despedimento por inadaptação ao posto de trabalho
Avaliadores Deve exigir-se ______________________________, ____ /____ /________
Quem são?
è Pág.11
Competências
è Lutar por um sistema de avaliação justo,
Conselho de Coordenação da Avaliação (CCA) motivador e transparente
Composição Pág.12 e 13

Dirigentes Máximos do Serviço


Perguntas frequentes O(A) REQUERENTE
Pág.7 Pág.14 e 15

Cronograma Requerimentos tipo ________________________________________________________


14 3
Dossier SIADAP Dossier SIADAP
Sistema Integrado de Avaliação do Sistema Integrado de Avaliação do
Desempenho da Administração Pública Desempenho da Administração Pública

RECLAMAÇÃO DA AVALIAÇÃO Lei 10/2004, de 22/3; D. Regulamentar 19-A/2004, de 14/5; Portaria 509-A/2004, de 14/5; D. Regulamentar 6/2006, de 20/6
Aplica-se à Administração Local desde 2006, através do Decreto Regulamentar n.º 6/2006, de 20 de Junho.
REQUERIMENTO TIPO

Ex-mo Senhor
Instrumento ameaçador
Presidente da ___________________________________________________________________
(Câmara Municipal, Serviços Municipalizados, Juntas de Freguesia)
que provoca grande
__________________________________________________________(nome) funcionário de
_________________________________________ (Autarquia), tendo sido notificado da atribuição de
1 ponto, relativamente à avaliação do desempenho do(s) ano(s) de _________________
instabilidade
______________, vem, ao abrigo do disposto no art. 113.º, n.º 9, da Lei 12-A/2008, de 27/2, reclamar
nos termos e com os fundamentos seguintes: e fragilidade
1) Não se conforma com a pontuação atribuída, pelo que requer que seja efectuada a ponderação
curricular, prevista no citado preceito, através de avaliador para esse efeito designado; O SIADAP, impropriamente chamado
sistema de avaliação, é extremamente
penalizador e repressivo, pois o seu objectivo é
2) Por outro lado, salienta que nos anos de 2004 e 2005, foi efectivamente avaliado, ao abrigo do dificultar/congelar a progressão/valorização dos
regime então vigente, tendo-lhe sido atribuída a classificação de Muito Bom no(s) ano(s) de trabalhadores, criar desigualdades salariais e
______________________________ (Adaptar à situação que efectivamente se verifique) profissionais, violar direitos e liberdades consignados na
Lei e promover políticas persecutórias e de despedimento
3) Assim, é essa avaliação de Muito Bom que deve ser efectivamente considerada, para todos os dos trabalhadores da Administração Pública.
efeitos legais, tendo em conta que era então a classificação máxima possível, pelo que se deve
traduzir na atribuição dos pontos correspondentes a essa menção máxima e não apenas 1, Trata-se de uma arma obscena e imoral do governo limitam a evolução/valorização profissional e salarial
indicado na notificação sob reclamação. PS/Sócrates para atingir os trabalhadores em direitos dos trabalhadores, promovem a insatisfação, a
fundamentais como o da valorização profissional e desmotivação e potenciam os poderes discricionários
Nestes termos, reitera o acima requerido, no sentido da imediata nomeação de um avaliador, para salarial, o exercício do direito à greve e de das chefias.
participação sindical.
efeitos de ponderação curricular, dos anos não efectivamente avaliados e que a menção de Muito Bom,
já atribuída no(s) referido(s) ano(s), seja devidamente relevada e se traduza na justa e adequada Articulado com a Lei dos Vínculos, Carreiras e Pelas profundas implicações que este
pontuação que legalmente lhe corresponde. Remunerações, a regulamentação do Regime de
Contrato em Funções Públicas, a Lei da Mobilidade e
sistema tem na vida profissional dos
Espera Deferimento o Estatuto Disciplinar, este diploma é mais um trabalhadores e a sua articulação
instrumento para precarizar as relações de trabalho na com um conjunto de áreas, o STAL
______________________________, ____ /____ /________ Administração Pública e facilitar os despedimentos, entendeu publicar este dossier que,
nomeadamente o despedimento por inadaptação ao
sem pretender tratar de forma
posto de trabalho.
exaustiva todas as vertentes do
Constitui um sistema injusto que desvirtua o princípio SIADAP, aborda os principais
O(A) REQUERENTE de igualdade de tratamento e a valorização dos aspectos que importa ter em conta
trabalhadores, através da imposição de quotas
________________________________________________________ máximas de acesso às avaliações mais elevadas
na actuação dos trabalhadores nos
(Excelente – até 5% e Muito Bom – até 20%), que processos de avaliação.
4 13
Dossier SIADAP Dossier SIADAP
Sistema Integrado de Avaliação do Sistema Integrado de Avaliação do
Desempenho da Administração Pública Desempenho da Administração Pública

Destinatários Componentes para E se estiver a amamentar ou aleitar? A Por que devo ter em conta os objectivos?
art.º 2.º da Lei 10/2004, de 22 de Março licença para assistência a família ou a filhos Porque todo o processo de avaliação tem por
a avaliação menores vai prejudicar a minha avaliação? finalidade determinar qual o desempenho do
art.º 8.º da Lei 10/2004, de 22 de Março trabalhador perante os objectivos previamente
Ÿ
Todos os trabalhadores art.º 2.º do Dec-Reg 19-A/2004, de 14 de Maio A maternidade e a paternidade constituem acordados ou impostos.
valores sociais eminentes tendo direito por esse
Com contrato de trabalho por tempo
§
motivo e para esses efeitos a protecção da Para a concretização dos objectivos são tidos em
1
indeterminado (RCTFP) ; Objectivos individuais – têm em vista os objectivos do
Ÿ sociedade e do Estado, pelo que não podem estes conta os contributos pessoais, a atitude ou
Com contrato de trabalho a termo;
§ serviço (mínimo de 3 e máximo de 5 objectivos); trabalhadores (as) ser prejudicados (as) na sua empenho pessoal e, embora com diversos pesos
A avaliação desta componente resulta da média avaliação. e medidas, é perante o cumprimento ou não dos
Dirigentes intermédios.
§
1 ponderada dos seguintes níveis: Nível 5 – superou objectivos que se determina se o trabalhador
Abrange todos os trabalhadores que detinham até 31 claramente o objectivo; Nível 3 – cumpriu o objectivo; possui as competências exigíveis para o
de Dezembro de 2008 vínculo de nomeação e Nível 1 – não cumpriu o objectivo.
transitaram a 1 de Janeiro de 2009 para o Regime de
cumprimento dos objectivos.
Contrato de Trabalho em Funções Públicas - RCTFP,
Como posso fazer para contestar a nota?
Competências comportamentais – avalia as
Ÿ Uma classificação negativa do trabalhador na
Lei 59/2008, de 11 de Setembro Que principais cuidados devo ter? Que avaliação tem como consequência a frequência
características pessoais que diferenciam os níveis de
Trabalhadores em regime de Cedência de Interesse
Ÿ desempenho numa função (mínimo de 4 e máximo de prazos tenho para contestar? de acções de formação profissional.
Público (requisição) 6 objectivos). O SIADAP prevê duas formas de reacção do
Previsto no artigo 58.º da Lei 12-A/2008, de 27 de Março
As competências comportamentais e respectivas trabalhador à classificação que lhe foi atribuída:
ponderações são fixadas com os objectivos na
Os trabalhadores que desempenhem funções em entrevista de avaliação, que decorre até ao final de 1) a reclamação: feita por escrito, no prazo de Se não for avaliado, o que devo fazer? Em
regime de cedência de interesse público (anterior Fevereiro de cada ano. A ponderação de cada cinco dias úteis após o conhecimento da que situações se deve pedir a ponderação
regime de requisição), mantêm o direito na competência não pode ser inferior a 10%. homologação da avaliação, para o Dirigente
autarquia à carreira e à respectiva evolução, pelo Máximo do Serviço (DMS), que decide sobre a
curricular?
que, em analogia com o processo de avaliação Ÿ
Atitude pessoal - avalia o empenho pessoal, mesma no prazo máximo de quinze dias após Se o trabalhador não for avaliado deve requerer a
aplicado aos trabalhadores das autarquias, podem nomeadamente o esforço, interesse e motivação na parecer do Conselho de Coordenação da ponderação curricular, por suprimento da
requerer ao Presidente da Câmara a ponderação actividade desempenhada. Avaliação; avaliação, em qualquer altura do ano.
curricular, por suprimento da avaliação. Atribuída da seguinte forma: Excelente (5); Muito 2) o recurso hierárquico: apenas para A ponderação do currículo profissional pode ser
Bom (4); Bom (3); Necessita de Desenvolvimento
(2); Insuficiente (1). trabalhadores de serviços municipalizados, a requerida para efeitos de apresentação a
interpor no prazo de cinco dias úteis após o processo de concurso e mudança de nível
Sistema de classificação conhecimento da decisão sobre a reclamação, remuneratório. É requerida ao júri do concurso
art.º 7.º do Dec-Reg 19-A/2004, de 14 de Maio através de requerimento dirigido ao Presidente ou ao Dirigente Máximo do Serviço (DMS).
Diferenciação de mérito da Câmara Municipal.

A classificação final de cada grupo profissional é e excelência O trabalhador deve ter atenção aos prazos e
art.º 15.º, da Lei 10/2004, de 22 de Março fundamentar o seu pedido anexando documentos O que tem importância para a avaliação
determinada pela média ponderada da avaliação de art.ºs 9.º do Dec-Reg 19-A/2004, de 14 de Maio que o sustentem.
cada uma das componentes, de acordo com as de desempenho? E para a ponderação
ponderações/percentagens definidas no seguinte É ainda possível o recurso ao Tribunal curricular?
quadro: Administrativo, sempre que o trabalhador não
Faz-se por fixação de percentagens (quotas) máximas concorde com a decisão sobre a reclamação. Para além dos objectivos acordados ou
Grupo Objectivos Competências Atitude Pessoal para as classificações de: impostos, para a avaliação do desempenho são
Profissional (%) (%) (%)
Muito Bom – 20%
§ consideradas também a atitude pessoal e as
Auxiliar 20 60 20
competências do trabalhador (a).
Operário 40 50 10 O avaliador tem que fundamentar a atribuição da Onde devo reclamar? Junto do Conselho
Téc. Profissional classificação, justificando a superação dos objectivos Para a ponderação curricular são consideradas:
e Administrativos
50 40 10 estabelecidos. de Coordenação da Avaliação (CCA) ou do
as habilitações literárias, a formação, a
Téc. Superior
60 30 10 Excelente – 5%
§
Dirigente Máximo do Serviço (DMS)? experiência profissional, o conteúdo funcional
e Técnico
da carreira ou categoria em que o trabalhador(a)
O avaliador: O trabalhador deve sempre reclamar para o está inserido (a).
A maior valorização das competências, para os - tem que fundamentar a atribuição da classificação, Dirigente Máximo do Serviço (DMS), que faz
auxiliares e operários, comparativamente com os justificando a superação dos objectivos estabelecidos; depender a sua decisão de parecer do Conselho
restantes grupos profissionais, suscita-nos sérias - tem que identificar os contributos relevantes para o
reservas. serviço.
de Coordenação da Avaliação (CCA).
12 5
Dossier SIADAP Dossier SIADAP
Sistema Integrado de Avaliação do Sistema Integrado de Avaliação do
Desempenho da Administração Pública Desempenho da Administração Pública

Se o meu avaliador me apresentar uma Não há lugar para o cumprimento das


Perguntas frequentes folha com a minha classificação escrita a percentagens (quotas) máximas fixadas para a Ciclo anual de gestão
atribuição de Muito Bom e Excelente quando estas art.º 5.º da Lei 10/2004, de 22 de Março
lápis o que faço? forem atribuídas por:
Devo assinar uma folha de objectivos em Um documento onde conste uma classificação - ponderação curricular, por suprimento O SIADAP integra-se no ciclo anual de gestão dos
branco ou com data anterior àquela em escrita a lápis é susceptível de ser alterado em da avaliação; serviços, que deve estar concluído até 15 de
que me são apresentados? qualquer altura, pelo que o trabalhador deve - reclamação ou recurso. Outubro do ano anterior àquele a que se reporta o
sempre exigir que a mesma seja passada a caneta plano de actividades e nele constar os objectivos
Não. A definição dos objectivos, como acto e só a assinar posteriormente. As quotas são estabelecidas pelo Conselho de estratégicos dos serviços ou unidades orgânicas.
administrativo que é, deve ser praticado por Coordenação da Avaliação (CCA) na fase da
escrito, desde que outra forma não seja prevista Desta forma, o trabalhador garante a sua defesa Obedece às seguintes fases:
em caso de reclamação da avaliação. harmonização das avaliações, que decorre numa
na lei, devendo enunciar com precisão o calendarização específica, enquanto que estas Estabelecimento
§ do plano de actividades para
respectivo objecto. O acto é considerado nulo avaliações podem ser atribuídas em qualquer o ano seguinte;
quando o seu objecto é ininteligível e careça de momento.
forma legal cabendo recurso nos termos da lei. Devo exigir que os objectivos me sejam Estabelecimento
§ dos objectivos de cada
dados individualmente em entrevista? É unidade orgânica, a prosseguir no ano
Com base nestes princípios, o trabalhador não
deve assinar uma folha de objectivos em branco possível atribuírem-me os objectivos e a Periodicidade da avaliação seguinte;
art.º 14.º da Lei 10/2004, de 22 de Março
e/ou com data anterior àquela em que lhe são avaliação ao mesmo tempo? art.º 20.º do Dec-Reg 19-A/2004, de 14 de Maio Estabelecimento dos objectivos individuais e
§
apresentados, devendo sempre recorrer desse de responsabilidade partilhada a atingir por
acto. Sim. Nos termos do artigo 26º do Decreto-
Regulamentar n.º 19-A/2004 de 14 de Maio é na cada trabalhador e ou equipa no ano seguinte;
Ÿ
Ordinária - é anual, sendo que todo o processo de
entrevista de avaliação entre avaliador e avaliado Elaboração do relatório de actividades;
§
avaliação é referente ao ano civil anterior ao da
que, para além de dar conhecimento da avaliação
Posso ser prejudicado/a se não comunicar do ano anterior, o avaliador estabelece os avaliação e terá que decorrer entre os meses de Avaliação dos desempenhos.
§
por escrito que não concordo com um ou objectivos individuais a prosseguir pelos Janeiro e Março. No âmbito dos Planos de Actividades e Orçamentos
mais objectivos? avaliados nesse ano. Ÿ
Extraordinária - tem que ser requerida pelo das autarquias, deve ser garantida a participação do
trabalhador/avaliado durante o mês de Junho. STAL na elaboração dos planos anuais de formação.
Os objectivos devem ser acordados entre
avaliador e avaliado no início do período da Se estiver de licença de maternidade, ou
avaliação, em entrevista de avaliação. se requerer a licença de paternidade vou
Se o trabalhador não concordar com um ou mais ser prejudicada/o na minha avaliação de Efeitos da avaliação do desempenho
objectivos e, uma vez que em caso de desempenho? art.º 7.º da Lei 10/2004, de 22 de Março
discordância prevalece a vontade do avaliador, art.º 8.º do Dec-Reg 19-A/2004, de 14 de Maio
deve sempre fundamentar por escrito a sua O contacto funcional com o avaliador por um Lei 12-A/2008, de 27 de Fevereiro
discordância, garantindo desta forma o seu período de mínimo de seis meses no ano civil Lei 59/2008, de 11 de Março
direito de defesa no caso de reclamar ou recorrer anterior é um requisito obrigatório para a
da avaliação atribuída. avaliação do trabalhador(a).
Ÿ
Mudança e/ou alteração do posicionamento ¢
Obrigatória quando o trabalhador
O trabalhador(a) que não preencher esse
remuneratório acumule 10 pontos
requisito deve: (art.ºs 47.º e 48.º da Lei 12-A/2008, de 27 de Fevereiro)
Posso pedir uma cópia dos objectivos? 1) requerer a avaliação extraordinária durante o
mês de Junho, se até lá tiver tido contacto Condicionada
¢ à disponibilidade Escala /
Sim, deve pedir. Dos poucos direitos que a Lei orçamental Pontos
funcional mínimo de seis meses com o avaliador; valores
10/2004, de 22 de Março, define para os Excelente 4,5 a 5 3
trabalhadores, é a garantia de que em tempo útil, 2) requerer a ponderação curricular, por 2 menções máximas consecutivas
suprimento da avaliação, em qualquer altura do Excelente Muito Bom 4 a 4,4 2
devem ser divulgados aos interessados os Quota máxima até 5% dos trabalhadores
ano ou em caso de não preencher esse requisito. 3 menções consecutivas Bom 3 a 3,9 1
objectivos que lhe são impostos. Muito Bom Necessita
Quota máxima até 20% dos trabalhadores
Em caso algum o trabalhador pode ser Desenvolvimento
2 a 2,9 0
Mais ainda, o trabalhador deve ter sempre Bom 5 menções consecutivas
presente os objectivos que tem que cumprir, pois prejudicado por não lhe ter sido atribuída a Sem quotas Insuficiente 1 a 1,9 1 ponto negativo
é com base neles que será avaliado. avaliação quando o requisito mínimo exigido não
foi cumprido.
6 11
Dossier SIADAP Dossier SIADAP
Sistema Integrado de Avaliação do Sistema Integrado de Avaliação do
Desempenho da Administração Pública Desempenho da Administração Pública

máximo de 3, que deverão ser frequentadas pelos envolvimento, motivador e participativo, em


Definição dos objectivos trabalhadores que sejam avaliados com “Necessita Lutar por um sistema contraponto à lógica cega e penalizadora que
individuais de Desenvolvimento” ou “Insuficiente”. de avaliação justo, actualmente a lei prevê;
art.º 8.º da Lei 10/2004, de 22 de Março As acções de formação identificadas deverão fazer Transformando os mecanismos de avaliação dos
§
art.º 2.º do Dec-Reg 19-A/2004, de 14 de Maio parte integrante do plano de formação anual, para motivador e transparente objectivos dos serviços num sistema que, ao invés
Este texto é parte integrante do Caderno Reivindicativo dos
além do número anual de horas de formação que a Trabalhadores da Administração Local, aprovado na I Conferência de penalizar os trabalhadores produza os seus
autarquia está obrigada a dar por lei. Sindical do STAL realizada a 31 de Outubro de 2008. efeitos sobre quem efectivamente tem
§
Definidos pelo Avaliador responsabilidades de gestão e decisão,
§
A definição deve ser clara e dirigida aos O STAL, empenhado na defesa de um Sistema de nomeadamente os cargos políticos e dirigentes
principais resultados a obter pelo trabalhador
no âmbito do plano de actividades do Intervenientes no processo Avaliação de Desempenho justo, motivador e
transparente, desde sempre tem contestado e exigido Do mesmo modo exige:
respectivo serviço. de avaliação a revisão da Lei 10/2004, de 22 de Março, visando a 1.-Que seja garantida a participação activa dos
§
Devem ser acordados (contratualizados) entre art.º 9.º da Lei 10/2004, de 22 de Março sua efectiva adaptação à realidade das Autarquias trabalhadores aquando da elaboração, discussão
avaliador e o trabalhador/avaliado no início do art.º 11.º do Dec-Reg 19-A/2004, de 14 de Maio Locais, nomeadamente: e contratualização dos objectivos anuais a
período de avaliação, prevalecendo em caso de cumprir;
discordância, a posição do avaliador. Eliminando o sistema de quotas;
§
Intervêm neste processo os Avaliadores, o Conselho Simplificando o sistema, de forma a possibilitar
§
2.-Que seja atribuída a todos os trabalhadores
O trabalhador/avaliado deve ler sempre os de Coordenação da Avaliação (CCA) e o Dirigente classificação de serviço dos anos com relevância
objectivos antes de os assinar, pedir todos os uma aplicação racional, equilibrada e exequível às
Máximo do Serviço (DMS). Juntas de Freguesia com quadros de pessoal de para a mudança de posição remuneratória (a
esclarecimentos que achar necessários e solicitar partir de 2004) até ao final de 2008;
uma cópia após a sua assinatura. menor dimensão, salvaguardando a igualdade de
Avaliadores
Ÿ
tratamento dos seus trabalhadores; 3.-Que seja notificado individualmente cada
Sempre que não concorde com um ou mais trabalhador sobre a classificação de serviço
objectivos, o trabalhador/avaliado deverá Quem são?
¢ Que os ciclos anuais de avaliação se processem de
§
forma transparente, garantindo o cumprimento atribuída;
fundamentar os seus motivos por escrito ao O superior hierárquico imediato.
¤
avaliador, sob pena de vir a ser prejudicado aquando dos prazos; 4.-A garantia do direito de participação dos
da avaliação por não cumprimento total ou parcial O trabalhador
¤ que detenha a trabalhadores e do direito ao exercício do
dos objectivos acordados. responsabilidade de coordenação sobre o Transformando o mecanismo de definição de
§
objectivos dos trabalhadores num processo de contraditódo.
trabalhador.
O trabalhador não deve assinar a folha de
objectivos com a data diferente daquela em que Em ambos os casos tem que reunir um
¤
estes lhe são entregues, sob pena de ser prejudicado mínimo de 6 meses de contacto funcional
aquando da avaliação por não cumprimento total ou com o trabalhador.
parcial de um ou mais objectivos.
Que competências têm?
¢
Definição dos objectivos garantindo a
¤
Direito à formação participação dos trabalhadores na sua
definição, de acordo com os objectivos
art.º 16.º da Lei 10/2004, de 22 de Março
art.º 30.º do Dec-Reg 19-A/2004, de 14 de Maio
do serviço e/ou da unidade orgânica.
Avalia as expectativas e necessidades
¤
de formação dos trabalhadores
O levantamento de necessidades de formação no avaliados.
âmbito do SIADAP deve contemplar acções de
formação que promovam a valorização e o
desenvolvimento profissional dos trabalhadores, e Conselho de Coordenação da Avaliação (CCA)
Ÿ
pode ser efectuado: Estabelece as directrizes sobre o sistema de
§
§
Pelo trabalhador na ficha de auto-avaliação avaliação;
Valida os Muito Bom e Excelentes (na fase de
§
§
Pelo avaliador na ficha de avaliação prévia, “Harmonização das Avaliações”);
indicando as acções de formação que sejam
suporte a esse desenvolvimento. Emite parecer sobre reclamações dos
§
avaliados (não vinculativo);
O Avaliador deve identificar na ficha de avaliação as
áreas a desenvolver e as acções de formação, num Procede à avaliação do desempenho nos
§
casos de ausência de superior hierárquico.
10 7
Dossier SIADAP Dossier SIADAP
Sistema Integrado de Avaliação do Sistema Integrado de Avaliação do
Desempenho da Administração Pública Desempenho da Administração Pública

Ÿ
Despedimento por inadaptação Ÿ
Composição do CCA Ÿ
Dirigentes Máximos do Serviço
Outras implicações ao posto de trabalho
do SIADAP RCTFP- Regime de Contrato de Trabalho em Funções
Públicas
Nos municípios com direcções municipais é criado um CCA por direcção e
outro para os restantes serviços
São os presidentes dos órgãos
(art.ºs 268.º a 279.º do Anexo I à Lei 59/2008, de 11 de
executivos (presidentes de câmara,
Na transição para a nova categoria e tabela
Ÿ Setembro) →
Presidente da Câmara Municipal etc.) ou nas freguesias a Junta de
remuneratória Freguesia e compete-lhes,

Vereadores a tempo inteiro
Uma má avaliação pode originar despedimento nomeadamente:
O STAL defende empenhadamente que: Municípios →
Dirigentes máximos de cada unidade
por inadaptação ao posto de trabalho. §
Garantir a adequação às
orgânica
Em 2004 e 2005
¢
Aplicável aos trabalhadores que não realidades específicas dos
Como em 2004 e 2005 o SIADAP não era transitaram como nomeados e pode verificar-se →
Dirigente responsável pelo pessoal serviços;
aplicado à Administração Local, o STAL por: →
Presidente do Conselho de §
Coordenar e controlar o
entende que devem ser efectuadas as Administração
necessárias equivalências, nomeadamente redução continuada de produtividade ou
§ processo de avaliação anual;
quanto à nota máxima, pelo que ao "Muito de qualidade, →
Dirigente da Câmara Municipal
Serviços municipalizados
responsável pelos Recursos Humanos
§
Homologar as avaliações;
Bom" deve corresponder o "Excelente", avarias repetidas nos meios afectos ao
§ §
Decidir as reclamações após
traduzindo-se esta equivalência também →
Dirigentes máximos das unidades
posto de trabalho, orgânicas dos SM parecer do CCA;
na atribuição dos respectivos pontos.
riscos para a segurança e saúde do
§ →
Presidente da Junta §
Assegurar a elaboração do
Antes da transição para a tabela única
¢ próprio, dos restantes trabalhadores ou de relatório anual.

Secretário
Aos trabalhadores a quem entre 2004 e terceiros, Freguesias
2007, tenham sido atribuídas 2 menções →
Tesoureiro
máximas ou 3 imediatamente inferiores, não terem sido cumpridos os objectivos
§
previamente fixados e formalmente aceites →
Chefes de secção (quando os haja)
deverá ser reconhecido o direito de
por escrito. (Quando se trate de carreiras ou →
Presidente do órgão Executivo
mudança de escalão antes da transição; categorias de grau 3 de complexidade funcional,
como é o caso das carreiras de Técnico Superior.)
Áreas metropolitanas e →
Dirigentes intermédios de 1.º grau
Para 2009
¢ comunidades intermunicipais

Todos os dirigentes dependentes do
Aos trabalhadores que entre 2004 e 2008 órgão
tenham reunido um total de 5 menções de
“Bom”, deverá ser assegurada verba para Deve exigir-se
que a sua mudança de posicionamento
remuneratório seja efectuada em 2009. Cronograma
Os trabalhadores a quem não foram aplicadas estas Que todos os procedimentos e circuitos internos de
regras na transição devem exigir a reformulação do acesso à informação sejam assegurados de forma a: Ciclo anual de Avaliação:
Janeiro Fevereiro Março
processo e o seu reposicionamento. serem divulgados internamente aos
§ Janeiro a Dezembro
trabalhadores todos os procedimentos e regras Fixação dos objectivos todo mês
Instauração de processo de averiguações
Ÿ do sistema de avaliação, assim como a sua
Alterações ao Estatuto Disciplinar periodicidade. Auto-avaliação a partir de dia 5
(art.º 69.º da Lei 58/2008, de 9 de Setembro)
ser garantido o direito a todos os trabalhadores
§ Avaliação prévia entre dia 5 e dia 20
A um trabalhador que obtenha 2 avaliações do conhecimento e participação na elaboração
negativas consecutivas, e se , após a primeira dos objectivos para os quais vão ser avaliados, Harmonização das avaliações de dia 21 a dia 31
tiver sido dada formação adequada, dão azo a um discutindo-os e ajustando-os às funções que
processo de averiguações, do qual pode resultar normalmente desempenham. Entrevista de avaliação todo mês
um processo disciplinar, por violação culposa de
deveres funcionais, designadamente do dever de ser garantido que o sistema de avaliação se
§ Homologação até dia 15
zelo. baseia numa relação de negociação e
comunicação entre avaliadores e avaliados. 5 dias úteis após conhecimento da homologação
Reclamação
DMS - Decisão nos 15 dias úteis seguintes
É uma subversão da finalidade e objectivos da
avaliação do desempenho e potencia a utilização ser garantido o acesso à formação de acordo
§ Recurso (para os trabalhadores 5 dias úteis após conhecimento da decisão sobre a reclamação
do SIADAP como forma de pressão sobre o com as suas necessidades e com a exigência das de serviços municipalizados) DMS- Decisão nos 10 dias úteis seguintes
trabalhador, podendo levá-lo a aceitar ou tolerar funções que desempenha. até dia 30
Divulgação dos resultados (conclusão do processo)
eventuais comportamentos abusivos, o que deve
ser liminarmente recusado e combatido.
8 9
Dossier SIADAP Dossier SIADAP
Sistema Integrado de Avaliação do Sistema Integrado de Avaliação do
Desempenho da Administração Pública Desempenho da Administração Pública

Modalidades de Avaliação Fases da avaliação


art.º10.º da Lei 10/2004, de 22 de Março art.º 13.º da Lei 10/2004, de 22 de Março
art.º 15º a 19.º do Dec-Reg 19-A/2004, de 14 de Maio art.º 22.º do Dec-Reg 19-A/2004, de 14 de Maio

Para todos os trabalhadores que contem no ano *Ponderação Curricular Fixação Fevereiro de cada ano
aspectos relevantes: dos objectivos → na entrevista do trabalhador com o avaliador
civil anterior mais de 6 meses de serviço
Avaliação ordinária (para o ano em curso) → com um mínimo de 3 e máximo de 5 objectivos
efectivo prestado em contacto funcional com o 1 - As avaliações de “Muito
respectivo avaliador. A partir de 5 de Janeiro e até à entrevista
Bom” e “Excelente” O trabalhador/avaliado deverá:
atribuídas através da Auto-avaliação
Se o contacto funcional de 6 meses do → preencher a ficha própria que lhe foi fornecida
trabalhador com o avaliador se der no ano em ponderação curricular não → apresentá-la ao avaliador quando for à entrevista
entram nas quotas
que é feita a avaliação. Entre 5 e 20 de Janeiro
estabelecidas para as
Avaliação prévia O avaliador preenche as fichas de avaliação do desempenho para as apresentar na reunião de
O trabalhador deve requerê-la por escrito ao mesmas (20% e 5%, harmonização de avaliações
Dirigente Máximo do Serviço (DMS), durante o respectivamente)
mês de Junho. Entre 21 e 31 de Janeiro
Avaliação 2 - A ponderação curricular Harmonização Reunião do Conselho de Coordenação da Avaliação (CCA)
extraordinária A auto-avaliação é efectuada nos primeiros 5 baseia-se na análise das avaliações → Valida as propostas de avaliação final tendo em vista a atribuição de quotas para o “Muito
dias úteis de Julho. quantificada de: Bom” (máximo de 20%) e “Excelente” ( máximo de 5%)
O trabalhador tem direito à reclamação, por Durante o mês de Fevereiro
§
Habilitações literárias;
escrito, nos 5 dias úteis após ter tomado → Entre o trabalhador/avaliado e o avaliador
conhecimento da homologação pelo Dirigente §
Formação relevante para → Análise da auto-avaliação do trabalhador
Entrevista → O trabalhador toma conhecimento da avaliação feita pelo avaliador
Máximo do Serviço (DMS) as funções; de avaliação → São acordados (contratualizados) os objectivos individuais a serem cumpridos pelo
§
Conteúdo funcional e trabalhador nesse ano*
Quando os trabalhadores não foram sujeitos a → São fixadas as competências comportamentais e as respectivas ponderações
avaliação. outros cargos exercidos;
* em caso de não concordância o trabalhador deverá sempre fazê-lo por escrito
É requerida pelo trabalhador em qualquer altura §
Experiência profissional;
Até 15 de Março
do ano. Homologação Pelo Dirigente Máximo do Serviço (DMS)
§
Assiduidade;
Efectua-se através da adequada ponderação do → Homologação da avaliação atribuída
§
Todo o tipo de → Alteração da avaliação através de despacho fundamentado
currículo profissional (Ponderação Curricular*)
para: informações internas que Nos 5 dias úteis após conhecimento da homologação e deve ser feita por escrito pelo trabalhador ao
→ Efeitos de concurso de promoção, revelem comportamentos e Dirigente Máximo do Serviço (DMS)
Suprimento desempenhos profissionais.
da avaliação sendo requerida ao júri do concurso; A decisão do DMS sobre a reclamação deve ser tomada nos 15 dias úteis seguintes e depende do
→ Efeitos de progressão, sendo requerida No processo de transição de Reclamação parecer prévio do Conselho de Coordenação da Avaliação (CCA)
ao Dirigente Máximo do Serviço carreiras os trabalhadores que O CCA pode solicitar ao trabalhador e aos avaliadores os elementos que sejam necessários para
não foram sujeitos a avaliação e apreciação da reclamação.
(DMS).
lhes foi atribuído 1 ponto por Se o trabalhador não concordar com a decisão sobre a reclamação poderá recorrer ao Tribunal
Trabalhadores em regime de Cedência de Administrativo, se para esse efeito houver fundamentação legal.
cada ano não avaliado, poderão
Interesse Público
requerer a ponderação Nos 5 dias úteis após conhecimento da decisão sobre reclamação
→ Requerida ao Presidente da Câmara, por
curricular no prazo de 5 dias O trabalhador que não concorde com a decisão da reclamação deve recorrer para a Câmara
manterem o direito à carreira e úteis após a comunicação da Recurso Municipal.*
respectiva evolução na autarquia. atribuição do ponto atrás (para os trabalhadores O DMS tem que tomar a sua decisão no prazo de 10 dias úteis contados a partir da data de
referido. de serviços interposição do recurso.
municipalizados) O trabalhador não pode fundamentar o seu pedido na comparação com outras avaliações dadas.
Aos trabalhadores que exerçam cargo ou
funções de reconhecido interesse público, bem Tendo sido avaliados pelo *Apenas possível para os trabalhadores de serviços municipalizados, dado estes serviços não deterem
como actividade sindical, a classificação obtida anterior sistema em 2004 e 2005 e personalidade jurídica.
. especiais
Casos no último ano imediatamente anterior ao lhes foi atribuída igualmente a
exercício dessas funções ou actividades reporta- mesma pontuação, deverão até 30 de Abril o processo tem que estar encerrado e proceder-se:
Divulgação
se, igualmente, aos anos seguintes e tem efeitos reclamar, exigindo que se →
À divulgação dos resultados*, por grupo profissional
dos resultados
na promoção e progressão. considerem as avaliações então *as listas não podem ter referência nominativa
atribuidas.