Sie sind auf Seite 1von 18

Definições de Velocidade

“Capacidade de executar ações motoras em curtos intervalos”

“A velocidade motora resulta da capacidade psíquica, cognitiva, coordenativa e do


condicionamento, sujeitas às influências genéticas, do aprendizado, do
desenvolvimento sensorial e neuronal, bem como de tendões, músculos e capacidade
de mobilização energética.” (Weineck, 1999: 379)

“Qualidade física, particular do músculo e das coordenações neuromusculares que


permite a execução de uma sucessão rápida de gestos que, em seu encadeamento,
constituem uma só e mesma ação, de uma intensidade máxima e de uma duração
breve ou muito breve”.
Definições de Velocidade

“Velocidade é a capacidade de realizar um movimento no menor espaço de


tempo” Barbanti (1979) ;

“Entende-se por velocidade uma gama variada, incomum e complexa de capacidades, as


quais se apresentam em vários tipos de esporte, de diferentes maneiras” Weineck
(1999);

“Uma importante capacidade biomotora requerida nos desportos é a velocidade


ou a capacidade de se transportar ou se mover rapidamente” Bompa (2002);

“As capacidades de velocidade do atleta são um conjunto de propriedades


funcionais que permitem a execução de ações motoras em um tempo
mínimo” Platonov&Bulatova (2003);
Velocidade Motora

 Velocidade de Movimentos
Acíclicos:
Não apresentam repetições de fases:
partes do corpo /corpo todo
* Lançamentos;
* Saltar;
* Drible;
* Soco;
* Chute;

 Velocidade de Movimentos
Cíclicos:
Apresentam repetições de fases:
velocidade de
movimentos/velocidade de
progressão
* Nadar;
* Remar;
* Andar de bicicleta;
Velocidade nos Esportes
 Velocidade Geral:

* Capacidade de desempenhar qualquer tipo de movimento na maior velocidade


possível;

* Fase de preparação geral do ciclo de treinamento;

* Sem especificidade do desporto praticado.

 Velocidade Específica:

* Fase de preparação específica do ciclo de treinamento;

* Específica para cada desporto;

* Métodos específicos de treinamento.


Tipos de velocidade:

São divididas em formas “puras”e “complexas”.

Formas de Velocidade Pura: dependentes do SNC e de fatores genéticos:


 Velocidade de reação – Reação ao um estímulo num menor espaço de tempo;

 Velocidade de ação – Capacidade de realizar movimentos únicos, acíclicos, contra


pequenas resistências;

 Velocidade de freqüência – Capacidade de realizar repetidos movimentos rápidos,


cíclicos, frente a pequenas resistências.
Tipos de velocidade:

Formas de velocidade Complexas: dependentes das reservas energéticas


 Velocidade de força - Capacidade de resistir a uma força;

 Resistência de força rápida - Manutenção da velocidade de contração de


movimentos acíclicos sob resistência crescente;

 Resistência de velocidade máxima – Manutenção da velocidade em movimentos


cíclicos e de máxima velocidade de contração.
Fatores que influenciam o desenvolvimento da velocidade

 Hereditariedade;

 Tempo de reação (tempo de latência);

 Capacidade de superar a resistência externa;

 Técnica;

 Concentração e força de vontade;

 Elasticidade muscular;

 Força muscular.

Bompa, 2002
Fatores que influenciam o desenvolvimento da velocidade

 Tipo de musculatura;

 Força muscular;

 Tipo de obtenção de energia;

 Capacidade coordenativa;

 Elasticidade, capacidade de alongar e relaxar a musculatura;

 Condição de aquecimento;

 Fadiga;

 Idade e sexo.
Fatores que influenciam o desenvolvimento da velocidade

1- Velocidade de condução Nervosa


-Treinado;
-Não Treinados.

2- Elasticidade e Capacidade de Alongamento Muscular


-Redução da amplitude de movimento e prejuízo da integração coordenativa;
-Músculos agonistas e antagonistas.

-3- Estado de Aquecimento da Musculatura


-Reduz a atrito interno;
-Aumenta a capacidade de alongamento e elasticidade do músculo;
-Aumento da velocidade do impulso nervoso;
-Reações químicas mais rápidas.
Fatores que influenciam o desenvolvimento da velocidade

4- Fadiga

-Diminuição dos estoques energéticos;


-Acidificação da musculatura (dor muscular).

Diminuição do número e da freqüência dos impulsos nervosos que partem do cérebro


para as fibras musculares

Redução da velocidade
Fatores que influenciam o desenvolvimento da velocidade

5- Influências Antropométricas:

- Depende da Altura e tamanho das pernas (amplitude das passadas)

6- Sexo e idade

Menor em mulheres do que em homens (10-15%).

7- Influência psíquica

-Capacidade de coordenação;
-Fatores motivacionais.
Velocidade máxima: parcialmente determinada pela genética

Bases biológicas para a velocidade desenvolvem-se muito cedo

Desempenho não atingido oportunamente não será posteriormente atingido

Instrução precoce deste fator de desempenho físico


Na infância ocorre o maior índice de aumento da velocidade

1- Formação e diferenciação dos programas motores complexos (Córtex cerebral)

2- Desenvolvimento dos fatores físicos de desempenho

3- Impulso infantil para movimentar-se e curiosidade natural que desencadeia


movimentos de todos os tipos
Formas de Manifestação de Acordo com
Idade Condições Morfológicas/Alterações
a Velocidade
Amadurecimento anatômico e Aumento nítido da capacidade para
6 a 8 anos
funcionamento definitivo do córtex cerebral movimentos de maior freqüência.
Idade adequada para o aprendizado
Predominância dos processos excitatórios motos; novos movimentos são
9/10 a 12/13
sobre os inibitórios rapidamente esquecidos, são instáveis
com relação aos estímulos exteriores.

Compensação da capacidade de excitação Condições adequadas para o


observada na fase anterior (equilíbrio entre desenvolvimento da velocidade; os
contração e relaxamento) programas elementares de
movimentação podem ser influenciados.
De 12 a 14 (meninas)
De 13 a 15 (meninos)
Intenso crescimento vertical (as proporções
entre forca e alavanca não se desenvolvem Piora dos requisitos complexos do
proporcionalmente) desempenho de corrida em sprint.

A estagnação do desenvolvimento em
sprint não pode ser evitada se os
requisitos da velocidade (forca de sprint
A partir de 15 anos “Estabilidade nervosa”
e resistência de velocidade) não
estiverem suficientemente
desenvolvidos.

Aspetos da velocidade específicos da idade durante o desenvolvimento ontogenético (segundo Lechmann 1993)
Treinamento de Velocidade para Crianças
O treinamento de velocidade deve ocorrer o mais precoce possível,
pois há um o risco de crianças e jovens perderem velocidade por
começarem a treinar tardiamente (WEINECK, 2000).

A freqüência e a velocidade dos movimentos têm o seu mais alto


incremento durante a faixa etária de 6 a 10 anos. Entretanto,
velocidade e força rápida devem ser treinadas quase que
exclusivamente por meio de formas de jogos e brincadeiras.

Na fase pré-púbere, deve-se preconizar os aspectos coordenativos.

Na fase seguinte ater-se à massa muscular e na performance corpórea.


Treinamento de Velocidade para Crianças

Os principais métodos utilizados para crianças e adolescentes são os métodos


de repetição e intervalos curtos. Deve-se observar a escolha de cargas e
distâncias que garantam uma obtenção de energia alática (WEINECK,
1991).

As crianças e os adolescentes devem iniciar um trabalho sempre partindo dos


exercícios mais simples aos mais complexos exercícios de reação, até
atingirem os mais diferentes exercícios de reação e de formas técnico-táticas
do desporto.