Sie sind auf Seite 1von 42

Região Nordeste

Marcelo Duncan, 2009


✗ Redução da renda agropecuária
✗ Redução do emprego setor primário
✗ Esvasiamento populacional
✗ Aumento da pobreza e das desigualdades
✗ Degradação ambiental
✗ Condições de governabilidade
✗ Esvasiamento político, decadência social e econômica
✗ Falta de “sentido” no rural
✔ Federalismo e descentralização
✔ Consenso de Washington
✔ Globalização econômica e mercados
✔ Avanços científicos e tecnológicos
✔ Comunicação e informação
✔ Estados, governos e políticas públicas
✔ Multifuncionalidade e trabalho
✔ Movimentos sociais e participação
✔ Nova ruralidade
 Descentralizar o desenvolvimento
 Reduzir a pobreza e as desigualdades
 Desenvolvimento sustentável
 Fortalecer a Democracia e a Cidadania
 Fortalecer a Federação
 Fortalecer a sociedade civil
 Transparência e controle social
 Projeto de País
✗ Fortalecimento da Agricultura Familiar;
✗ Realização da Reforma agrária;
✗ Promoção da inclusão social e combate à pobreza
rural;
✗ Promoção do desenvolvimento sustentável dos
territórios rurais;
✗ Descentralização do desenvolvimento e inclusão
social.
2003
Criação da Secretaria de Desenvolvimento
Territorial e a orientação estratégica do
PPA
Apoiar a organização e o fortalecimento
institucional dos atores sociais locais na
gestão participativa do desenvolvimento
sustentável dos territórios rurais e promover
a implementação e integração de políticas
públicas.
● Territórios construídos socialmente em
suas múltiplas dimensões
● Apoio à organização e fortalecimento dos
atores sociais
● Promoção de princípios e práticas da
Gestão Social
● Promoção da implementação e integração
de políticas públicas
CONCEITO DE TERRITÓRIO

CONSTRUÍDO

IDENTIDADE

GENTE

DIÁLOGO COM OUTRAS TERRITORIALIDADES


É um espaço físico, geograficamente definido, geralmente
contínuo, compreendendo cidades e campos, caracterizado
por critérios multidimensionais, tais como o ambiente, a
economia, a sociedade, a cultura, a política e as instituições,
e uma população, com grupos sociais relativamente
distintos, que se relacionam interna e externamente por
meio de processos específicos, onde se pode distinguir um
ou mais elementos que indicam identidade e coesão social,
cultural e territorial.
DESENVOLVIMENTO TERRITORIAL
X
TERRITORIALIZAÇÃO

PROTAGONISMO
X
SUPORTE
Ruralidade brasileira

Desigualdades regionais x diversidade


MODELO DE DESENVOLVIMENTO
SUATENTÁVEL
✔ Espaço de planejamento e desenvolvimento
✔ Identidade territorial
✔ Coesão social e territorial
✔ Proposta política centrada nas pessoas
✔ Diversidade de atores sociais
✔ Ordenamento e desenvolvimento: planejamento
ascendente
✔ Multidimensionalidade e multisetorialidade
● Critérios universais: densidade e população nas
microregiões geográficas
● Critérios regionais/estaduais: capital social e
prioridades parceiros federais e estados.
● Priorização: atendimento à demanda social.
● Escolha por acordo atores sociais dos estados
● Aprovação CEDRS: estado e sociedade
➆ Total de prováveis territórios rurais: 450
➆ Total de municípios: cerca de 4.500
➆ Total de população: cerca de 45 milhões
➆ Metas:
➔ 2004 = 80;
➔ 2005 =120;
➔ 2006 =160;
➔ 2007 = 200
➆ Tempo total de implementação: 32 anos
 Abordagem territorial do desenvolvimento
sustentável
 Gestão e controle social
 Dinamização e reativação da economia territorial
 Articulação de políticas com demandas sociais
•Abordagem territorial
•Espaço socialmente construído, diversificado, único com potenciais e limites
•Processo que articula as diversas dimensões – sociais, culturais, políticas, econômicas e ambientais –
que conformam os territórios;
•Valorizar participação da diversidade de atores sociais
•Considerar gênero, etnia, geração e raça;
•Adotar metodologias participativas e mecanismos de planejamento ascendente para descentralização
de políticas públicas, estimulando a autogestão dos territórios;
•Construção de alianças buscando o protagonismo;
•Sintonia e sinergia com governos, sociedade civil e movimentos sociais, principalmente da agricultura
familiar;
•Articulação entre as demandas sociais e as ofertas das políticas públicas, promovendo
espaços colegiados participativos, para discussão, negociação, concertação, partilha do
poder decisório e gestão social
•Priorizar a redução das desigualdades econômicas e sociais
•Fortalecimento da participação dos diversos atores nas instâncias colegiadas consultivas e
deliberativas dos territórios, qualificando os mecanismos de representação e participação
direta;
•Incentivar o desenvolvimento sustentável considerando a importância da dinamização da
base econômica territorial, com ênfase na agricultura familiar.
 Gestão Social dos territórios: institucionalidades territoriais,
organizações civis, participação e controle social, empoderamento.
 Fortalecimento das Redes Sociais de Cooperação: capacidades
humanas e institucionais, acordos e parcerias, organizações
associativas.
 Dinamização das Economias Territoriais: renda e emprego,
investimentos públicos e privados, arranjos econômicos e
produtivos, diversificação e inovação, avanços tecnológicos.
 Articulação institucional e política: programas e projetos
articulados com as demandas e geridos através de esquemas
institucionais do território
2005:
99 Territórios rurais
Situação vigente

QUADRO RESUMO – BRASIL (TERRITÓRIOS)


Região Nº de Territórios Nº de Municípios
Norte 15 128
Nordeste 41 648
Centro-Oeste 9 125
Sudeste 18 304
Sul 15 364
TOTAL 98 1.569
Situação Vigente
COBERTURA (MUNICÍPIOS E DEMANDAS SOCIAIS)
QUADRO RESUMO – BRASIL

Agricultores Famílias Famílias Demanda População Total Área (Km2) Municípios


Familiares Assentadas Acampadas Social
Territórios 1.511.474 271.877 94.863 1.878.214 33.447.869 2.482.874 1.569

Brasil 4.139.369 537.618 219.688 4.896.675 169.802.570 8.502.119 5.561

Participação 36,50% 50,57% 43,18% 38,36% 19,70% 29,20% 28,21%


Síntese das Ações
Territoriais no Nordeste
TERRITÓRIOS
SDT Região NE (%)

Territórios 41 xx

Municípios 648 36,16

Área (Km2) 525.177 33,78

População 14.056.433 29,41

Demanda Social 950.297 40,70


Territórios
Rurais no
Nordeste
Nº de
Projetos Contratos Valor (R$)

Infra-estrutura 208 31.624.225,10

Planos 36 3.120.600,84
Territoriais

Capacitação 22 3.1398.796,84

Total 266 37.884.622,78


106 Oficinas Estaduais e
Territorias

4.240 agentes capacitados


 Acordo de Empréstimo celebrado entre o Governo Brasileiro –
MDA – SDT e o Fundo Internacional para o Desenvolvimento
Agrícola – FIDA;
 Iniciou suas atividades de campo, efetivamente, no ano de 2003,
embora esteja em condições de atuar desde o final do ano de 2000.
 É um Projeto de ações complementares de fortalecimento à
Reforma Agrária e Agricultura Familiar, que busca fortalecer
processos locais participativos e solidários de construção social e
desenvolvimento humano sustentável das famílias agricultoras.
 Projeto está consolidando a sua atuação, difundindo
referenciais capazes de orientar políticas públicas voltadas para
a convivência com o Semi-Árido do Nordeste.
 O Projeto adquiriu plena capacidade operacional, tendo
utilizado R$ 12.814.000,00 (doze milhões, oitocentos e quatorze
mil reais) sendo 100 % (cem por cento) dos recursos alocados
no Orçamento Geral da União de 2004, no montante de R$
9.000.000,00, além de R$ 3.814.000,00 relativos ao saldo
remanescente de 2003.
 Com esses recursos foi possível executar toda a
programação do exercício de 2004, com destaque para as
seguintes ações:
•6.000 famílias beneficiadas com Assistência Técnica Permanente;
•66 Unidades Demonstrativas de Produção Agropecuária Implantadas;
•80 viagens de intercâmbio de agricultores/as familiares realizadas;
•43 projetos produtivos e sociais implantados;
•24 barragens subterrâneas construídas;
•50 km de adutoras instalados beneficiando cerca de 600 famílias;
•14 barragens sucessivas em construção;
•361 professores capacitados em educação do campo e convivência com o
semi-árido;
•7.500 alunos beneficiados com educação do campo e convivência com o
semi-árido;
•1.050 agricultores (as) familiares adultos(as) alfabetizados(as);
•85 filhos(as) de agricultores(as) familiares formado(as) em técnicas
agropecuárias;
•Documentação de mais de 11.000 mulheres do campo;
•Realização de cinco diagnósticos territoriais sobre as relações sociais
de gênero;
•Instalação de 170 Arcas das Letras (mini-bibliotecas) nos assentamentos
e comunidades de agricultura familiar;
•Capacitação de cerca de 50 mobilizadores (as) sociais para o exercício
do controle social das políticas públicas;
•Instalação de um comitê regional e seis territoriais (espaços inter-
institucionais para gestão e controle social das políticas públicas).