Sie sind auf Seite 1von 16
Instituto Tributário de Ensino à Distância E-SOCIAL Apresentação de informações são intitulados, pelos gestores

Instituto Tributário de Ensino à Distância

E-SOCIAL

Apresentação

de informações são intitulados, pelos gestores do eSocial, “Eventos”. Um bom exemplo que caracteriza o termo “Evento” é a admissão de trabalhador, que será informada por meio de um arquivo contendo várias informações relacionadas aos dados cadastrais e contratuais do trabalhador (nome, endereço, sexo, data de nascimento, cargo, salário, horário, local de trabalho, etc.). Portanto, este conjunto de informações, que será enviado em um único arquivo (s-2200 Admissão de Trabalhador), é tratado pelos gestores do eSocial como “EVENTO DE ADMISSÃO”.

O eSocial é um projeto do governo federal

cujo objetivo é unificar, integrar e padronizar o envio de informações pelo empregador em

relação aos seus empregados. Também conhecido como EFD-Social ou Sped Folha, teve sua implantação a partir de janeiro de 2014 e envolve desde o empregado doméstico até as grandes empresas.

Todas as obrigações trabalhistas, previdenciárias e fiscais sobre qualquer forma de trabalho contratada no Brasil
Todas as obrigações trabalhistas,
previdenciárias e fiscais sobre qualquer
forma de trabalho contratada no Brasil farão
parte do eSocial, que eliminará uma série de
informativos enviados atualmente pelas
empresas a vários entes do governo, como a
GFIP (Guia de Recolhimento do Fundo de
Garantia por Tempo de Serviço e
Informações à Previdência Social), o
CAGED (Cadastro Geral de Empregados e
Desempregados), a RAIS (Relação Anual de
Informações Sociais), a GPS (Guia da
Previdência Social) e a DIRF (Declaração do
Imposto de Renda Retido na Fonte).
2.
QUEM DEVE SE ADAPTAR AO
ESOCIAL
O eSocial é a escrituração digital da folha de
pagamento e das obrigações trabalhistas,
previdenciárias, tributárias e fiscais relativas
a todo e qualquer vínculo trabalhista. O
projeto tem por objeto as informações
relativas à contratação e utilização de mão de
obra onerosa, com ou sem vínculo
O projeto abrange, além da escrituração da
empregatício. Assim, todos os empregadores,
sejam eles pessoas jurídicas ou físicas,
devem adaptar-se à novidade. O contador
Ricardo Kerkhoff, consultor na área de
Tecnologia da Informação, adverte que todo
o empregador tem as mesmas obrigações

folha de pagamento, eventos como a contratação de funcionários, alterações posteriores de cargos, horários, rescisões de contrato, ações trabalhistas e dissídios, entre outros, que são enviados ao governo para um único repositório digital. O eSocial é uma ação conjunta da Caixa Econômica Federal, do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), do Ministério da Previdência (MPS), do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) e da Secretaria

perante o sistema. “Contudo, as pessoas físicas, os MEIs (microempreendedores individuais) e os pequenos produtores rurais, em função de suas demandas, não necessitam de sistemas próprios para atenderem às obrigações do projeto. Eles podem realizá-las junto ao portal do eSocial na internet”,

da

Receita Federal do Brasil (RFB).

lembra.

1.

COMPOSIÇÃO DO ESOCIAL

O novo sistema será aplicável a qualquer porte de empresa, do Microempreendedor Individual (MEI) às grandes corporações

O

eSocial é composto de 45 arquivos e mais

incluindo os pequenos e médios negócios.

de 1.600 informações. Cada arquivo contém diversas informações e estes agrupamentos

Isso valerá também para os empregadores domésticos.

1

informações e estes agrupamentos Isso valerá também para os empregadores domésticos. www.intra-ead.com.br 1
Instituto Tributário de Ensino à Distância 3. UNIFICAÇÃO INFORMAÇÕES DAS 4. IDENTIFICADORES A partir da

Instituto Tributário de Ensino à Distância

3.

UNIFICAÇÃO

INFORMAÇÕES

DAS

4. IDENTIFICADORES

A partir da data de entrada em vigor do

eSocial os empregadores serão identificados apenas pelo CNPJ, se pessoa jurídica e

apenas pelo CPF, se pessoa física. No lugar

da matrícula CEI para as pessoas físicas, foi

criado o CAEPF Cadastro de Atividades da Pessoa Física, que será um número sequencial, acoplado ao número do CPF. A pessoa física deverá providenciar registro no CAEPF, obedecendo a normas previstas em

O eSocial unifica as informações hoje prestadas em separado aos órgãos envolvidos: Ministério do Trabalho e Emprego, Receita Federal, Previdência Social, Caixa Econômica Federal e Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). A prestação uma única vez das informações tende a diminuir o número de divergências entre os dados repassados às instâncias e garantir agilidade no andamento dos processos. Antes mesmo da regulamentação do sistema, os empregadores podem reunir e adequar as informações da empresa e de seus colaboradores. É preciso ficar atento ao acúmulo de obrigações empresariais, como, por exemplo, a indicação se o empregado contratado utilizou recursos do FGTS e o tempo pelo qual o empregado ficará afastado de suas atividades em caso de acidentes ou doença. Com a implementação integral do eSocial, espera-se não apenas reduzir a burocracia e fazer o melhor controle dos dados dos trabalhadores, mas também promover o cruzamento de dados pelo governo de maneira mais fácil e segura, já que serão registrados e processados por meio digital. Assim, menos tempo será perdido e os erros e vícios por parte dos empregadores que agem de má-fé serão reduzidos. Sem falar na maior simplificação ao se escriturar a folha de pagamento, cumprindo os registros de administração com muito mais agilidade. Isso tudo vai garantir melhores condições de trabalho e empregados muito mais satisfeitos. O melhor a se fazer é estudar os principais pontos do eSocial desde já e adaptar sua empresa o quanto antes ao novo sistema a fim de evitar multas dos órgãos do governo envolvidos na implantação da nova ferramenta.

ato normativo próprio a ser publicado oportunamente. No lugar da matrícula CEI para as obras
ato normativo próprio a ser publicado
oportunamente.
No lugar da matrícula CEI para as obras de
construção civil, foi criado o CNO –
Cadastro Nacional de Obras, que será sempre
acoplado a um CNPJ ou CPF. As matrículas
CEI existentes na data de implantação do
eSocial relativas a obras, comporão o
cadastro inicial do CNO.
Os trabalhadores, por sua vez, terão como
identificadores obrigatórios, o CPF e o NIS
(NIT, PIS ou PASEP). O par “CPF x NIS”
deverá estar consistente com o CNIS –
Cadastro Nacional de Informações Sociais e
será validado no ato da transmissão. Sua
inconsistência gerará recusa no recebimento
da informação.

Os empregadores deverão dar atenção especial às informações cadastrais de seus trabalhadores, certificando-se de sua consistência com o CNIS e, se necessário, proceder a regularização das inconsistências antes da data de entrada em vigor do eSocial.

5. O QUE MUDA COM O ESOCIAL

1. Extinção das obrigações acessórias GFIP, RAIS, CAGED, DIRF, MANAD, Ficha de Registro, Folha de Pagamento, Formulário de Seguro Desemprego, CAT Eletrônica (a definir data). Mas as Declarações continuam para períodos anteriores ao eSocial;

2

Eletrônica (a definir data). Mas as Declarações continuam para períodos anteriores ao eSocial; 2 www.intra-ead.com.br
Instituto Tributário de Ensino à Distância 2. Extinção da GPS, a ser substituída pelo DARF

Instituto Tributário de Ensino à Distância

2. Extinção da GPS, a ser substituída pelo DARF (deixando de ser por estabelecimento e
2. Extinção da GPS, a ser substituída
pelo DARF (deixando de ser por
estabelecimento e passando a ser
centralizado na MATRIZ, como já
ocorre com as empresas enquadradas
na “Desoneração da Folha”);
3. Extinção do PIS/PASEP, que passa a
ser substituído pelo CPF: somente
após a Qualificação Cadastral
(batimento CPF X NIS X NOME X
DATA DE NASCIMENTO) das
informações do CNIS (Cadastro
Nacional de Informações Sociais) da
Previdência Social e das informações
do FGTS;
Extinção da Carteira de Trabalho em
papel, que passa a ser um Cartão
Eletrônico (RIC – Registro de
Identificação Civil), com a qual o
trabalhador poderá acessar todas as
suas informações via internet (a
definir data).
Algumas mudanças já estão
ocorrendo mesmo antes do eSocial,
como a informação do CAGED
quando da contratação de empregado
“em percepção” do Seguro-
Desemprego (vigência a partir de
01/10/2014) e a unificação das
Certidões Negativas de Débitos
administradas pela Receita Federal a
partir de 03/11/2014.
Trabalho, com o eSocial, todos os fatos
importantes da vida laboral do trabalhador
ficarão registrados e estarão disponíveis
quando necessário, não precisando mais a
busca dessas informações em arquivos das
empresas. Ricardo Kerkhoff conta que “há
rumores de que o Programa de Integração
Social (PIS) será extinto e gradativamente
substituído pelo CPF, porém nada oficial
ainda”.
7.
MUDANÇAS
NA
ROTINA
DAS
EMPRESAS
4.
5.
6.
MUDANÇAS
NA
VIDA
DO
O sistema se aplica a todos os empregadores,
independente do porte empresarial. As
organizações e os contadores ganham,
principalmente, com os ajustes nos processos
internos, com a redução das obrigações
acessórias - a partir da substituição de
aproximadamente 40 eventos periódicos e
não periódicos - e com o armazenamento de
mais de 2 mil informações pelo governo. Os
especialistas afirmam que não será mais
possível manter a prática de aguardar até o
final do mês, no fechamento da folha de
pagamento, para trocar as informações entre
os diversos setores da organização. “Com o
eSocial deixará de ser necessário, por
exemplo, o envio de Rais, Cageds, Dirf,
CAT e outras informações, que estarão
unificadas neste canal único”, explica o
auditor-fiscal do Ministério do Trabalho em
Caxias do Sul, Vanius João de Araújo Corte.

TRABALHADOR

Um dos objetivos do eSocial é garantir que os direitos trabalhistas e previdenciários dos empregados sejam por eles usufruídos, define o auditor-fiscal do Ministério do Trabalho em Caxias do Sul, Vanius João de Araújo Corte. Os trabalhadores devem gozar de maior agilidade no processo de aposentadoria e passar a ter seus direitos previdenciários e trabalhistas mais respeitados. Segundo o auditor-fiscal do

3

8. FISCALIZAÇÃO E AUTUAÇÕES

A fiscalização e as autuações envolvendo o eSocial merecem atenção redobrada. “É fundamental conduzir o empresário para o entendimento de que, legalmente, todo e qualquer projeto do Sped tem caráter declaratório e, portanto, de confissão”, alerta o contador Ricardo Kerkhoff. Para ele, somente isso acaba por abreviar pelo menos duas etapas dos processos de fiscalização tais

Para ele, somente isso acaba por abreviar pelo menos duas etapas dos processos de fiscalização tais
Instituto Tributário de Ensino à Distância como conhecemos hoje: intimação para comprovação e prazo para

Instituto Tributário de Ensino à Distância

como conhecemos hoje: intimação para comprovação e prazo para se adequar. Esses dois processos serão extintos, uma vez que os órgãos responsáveis já irão dispor das informações fornecidas pelo eSocial. Tudo indica que, ao apresentar os dados, o próprio sistema fará o cruzamento e, caso haja divergência e intimação, as acusará. Posteriormente, em caso de abertura de processo administrativo ou judicial, os trâmites continuam sendo os mesmos.

do projeto, prevista para o registro e complementação das informações relativas

às movimentações de folha, será possível a

comunicação desses dados. Após, não mais, conforme prevê a legislação em vigor, que

não é efetivamente respeitada”, diz Kerkhoff.

O uso de banco de horas continua sendo

permitido, sendo que é preciso especial atenção aos acordos coletivos e de sindicatos, pois não são todas as categorias funcionais que têm possibilidade de utilização da ferramenta.

9. FÉRIAS E BANCO DE HORAS 10. MEDICINA DO TRABALHO A exigência de mais transparência
9. FÉRIAS E BANCO DE HORAS
10. MEDICINA DO TRABALHO
A exigência de mais transparência no que diz
respeito às férias do trabalhador pode
assustar, mas, novamente, o eSocial não traz
alterações na legislação, apenas cobra sua
aplicação na íntegra.
O direito do trabalhador de gozar de um
período de 30 dias de férias anuais não será
modificado.
As empresas devem respeitar a
obrigatoriedade de enviar a comunicação
prévia do aviso de férias 30 dias antes da
data de concessão.
Será impossível negociar o pagamento de
mais de 10 dias do período.
No que tange às resoluções de Segurança e
Medicina do Trabalho, a mudança será a
implementação de procedimentos e controles
que permitam maior fiscalização sobre as
empresas de que a legislação vigente seja
atendida. Empresas e instituições que
contemplam empregados deverão elaborar e
implantar o Programa de Controle Médico de
Saúde Ocupacional (Pcmso) com objetivo de
promover e preservar a saúde da equipe.
O auditor-fiscal do Ministério do Trabalho
O parcelamento dos dias de descanso será
permitido apenas em casos excepcionais,
como já previa o artigo 134 da Consolidação
da Legislação Trabalhista (CLT).
Com isso, a divisão dos 30 dias em dois ou
mais períodos durante o ano

indiscriminadamente, prática corriqueira entre empregadores e empregados, está com

os dias contados.

Conforme o contador Ricardo Kerkhoff, o impacto nas férias dos trabalhadores é mais

cultural do que legal. “No meu entendimento, preciso concordar que se trata de uma espécie de ‘mau-legado’ em termos

em Caxias do Sul, Vanius João de Araújo Corte, enfatiza que as organizações permanecem obrigadas a submeter os empregados aos exames previstos no Pcmso e a emitir os atestados de saúde ocupacional (ASO), a manter o Programa de Prevenção de Riscos Ambientais e a fornecer os equipamentos de proteção individual. “A única diferença é que elas terão que prestar essas informações no eSocial, não mais bastando o controle interno”, destaca. O contador Sérgio Cardeal, especializado em

empregadores domésticos, adverte que, pelo menos por enquanto, a categoria não tem de cumprir obrigações médicas, o que pode vir a mudar no futuro.

de

procedimentos”, admite Kerkhoff.

As

empresas devem ficar atentas ao informar

O contador Ricardo Kerkhoff informa que o

as

férias já concedidas ao empregado dentro

atestado de saúde ocupacional deverá ser

do programa do eSocial. “Na fase cadastral

realizado nos seguintes casos:

4

deverá ser do programa do eSocial. “Na fase cadastral realizado nos seguintes casos: www.intra-ead.com.br 4
Instituto Tributário de Ensino à Distância  Admissional: Deverá ser realizada antes que o trabalhador

Instituto Tributário de Ensino à Distância

Admissional: Deverá ser realizada antes que o trabalhador assuma suas atividades;

Periódico: De acordo com os intervalos previsto pela NR 7;

Retorno ao Trabalho:

Obrigatoriamente no primeiro dia da volta ao trabalho de trabalhador ausente por período igual ou superior a 30 dias por motivo de doença ou acidente, de natureza ocupacional ou não, ou parto; Mudança de Função:

simplificando, assim, a emissão, e uniformizando as obrigações acessórias trabalhistas e tributárias dos empregadores aos diversos órgãos envolvidos no sistema;

2. Garantia dos direitos trabalhistas na forma explicitada na legislação juslaboralista;

3. Pleno controle por parte da fiscalização (trabalhista e RFB) de todas as obrigações e débitos trabalhistas, previdenciários e fiscais.

 Obrigatoriamente realizada antes da data da mudança de função, posto de trabalho ou de
Obrigatoriamente realizada antes da
data da mudança de função, posto de
trabalho ou de setor que implique a
exposição de agentes nocivos
diferente daquele a que estava
exposto antes da mudança;
12. INFORMAÇÕES GERAIS
As informações que serão lançadas no
eSocial são classificadas em três tipos:
TIPO
DE
EXEMPLOS
Demissional: Obrigatoriamente desde
que o último exame médico
ocupacional tenha sido realizado há
mais de 135 dias para as empresas de
grau de risco 1 e 2 ou 90 dias para as
empresas de grau de risco 3 e 4.
INFORMAÇÃO
Admissão, alteração
contratual,
rescisão
Eventos Trabalhistas
contratual,
advertências, etc.
Em todos os tipos de exame
ocupacional, será obrigatório o
registro no eSocial, através do evento
atestado de saúde ocupacional S-
2280, com o detalhamento do médico
responsável, número do registro
(CRM), exames realizados etc.
Folha de Pagamento
Pagamento de
salários,
gratificações,
comissões, horas
extras, DSR, etc.
Outras
informações
Produção
Rural,
tributárias,
atestados
médicos
trabalhistas
e
ocupacionais, etc.
previdenciárias.
11. FINALIDADE

O eSocial foi criado com o objetivo de atingir diversas finalidades, dentre as quais podem-se destacar:

13. OBRIGAÇÕES QUE TENDEM A SER EXTINTAS COM O ESOCIAL

1. Abranger em um único aplicativo toda a escrituração da folha de pagamento, com todos os seus eventos, tais como admissão, folha de pagamento mensal, 13º salário, férias, afastamentos, CAT, etc., inclusive o registro de empregados,

A legislação ainda não traz claramente quais as obrigações acessórias serão substituídas pelo e-Social, mas, conforme estudos, e com base no leiaute já aprovado, pode-se afirmar que tendem a ser extintas futuramente as seguintes obrigações acessórias:

5

pode-se afirmar que tendem a ser extintas futuramente as seguintes obrigações acessórias: 5 www.intra-ead.com.br
Instituto Tributário de Ensino à Distância  Livro de Registro de Empregado;  Folha de

Instituto Tributário de Ensino à Distância

Livro de Registro de Empregado;

Folha de Pagamento;

Sistema Empresa de Recolhimento do FGTS e Informações à Previdência Social (SEFIP);

Cadastro

e

Geral

de

Empregados

Desempregados (CAGED);

Relação

Anual

de

Informações

14. PRAZOS

O envio de cada evento deve seguir as regras de transmissão abaixo, ressaltando que será feita on line, no momento do envio/recepção do evento:

Eventos Iniciais

Sociais (RAIS);

do

As informações relativas à identificação do empregador, de seus estabelecimentos e obras de construção civil deverão ser enviadas previamente à transmissão de outras informações. As informações relativas às tabelas do empregador, que representam um conjunto de regras específicas necessárias para validação dos eventos do eSocial, como as rubricas da folha de pagamento, informações de processos administrativos e judiciais, lotações, relação de cargos, carreiras, patentes e funções, jornada de trabalho, horário contratual, ambientes de trabalho e outras necessárias para verificação da integridade dos eventos periódicos e não periódicos deverão ser enviadas previamente à transmissão de qualquer evento que requeira essas informações. As informações relativas aos vínculos trabalhistas e funcionais mantidos no momento do início da obrigatoriedade da utilização do eSocial deverão ser transmitidas antes do envio de qualquer evento periódico ou não periódico e até o final do 1° (primeiro) mês de sua obrigatoriedade. As informações de atualização de identificação do empregador, dos estabelecimentos e das obras de construção civil de que trata a alínea "a" do item 2.1.1.1. do Manual do eSocial deverão ser enviadas até o dia 7 (sete) do mês subsequente ao de ocorrência da alteração, ou previamente à transmissão de qualquer evento que requeira essas informações para validação, o que ocorrer primeiro.

Declaração

Imposto

Retido

na

Fonte (DIRF);

 Comunicação Trabalho (CAT); de Acidente de  Perfil Profissiográfico Previdenciário (PPP);  Manual
Comunicação
Trabalho (CAT);
de
Acidente
de
Perfil Profissiográfico Previdenciário
(PPP);
Manual
Normativo
de
Arquivos
Digitais (MANAD).

Não se pode afirmar que todas as obrigações acessórias elencadas acima serão extintas, mas, com fulcro no art. 2º, § 1º do Decreto nº 8.373, de 11 de dezembro de 2014, a extinção se dará com base na regulamentação de cada órgão, conforme competência legal para exigência dessas obrigações. Até o momento não há previsão de prazo para a substituição das obrigações elencadas anteriormente. O Comitê Diretivo do eSocial, por meio de resolução, irá definir um prazo máximo para a substituição das declarações e formulários que exigem as mesmas informações do eSocial. Cada órgão dará publicidade da substituição de suas obrigações por meio de ato normativo específico da autoridade competente, a ser expedido de acordo com a oportunidade e conveniência administrativa, respeitando o prazo definido pelo Comitê Diretivo. (Artigo 4º, do Decreto nº

8.373/2014).

Até a implantação na íntegra do sistema, é provável que sejam publicadas mais normas que esclarecerão com maior acuidade o assunto abordado.

6

provável que sejam publicadas mais normas que esclarecerão com maior acuidade o assunto abordado. 6 www.intra-ead.com.br
Instituto Tributário de Ensino à Distância  Eventos Não Periódicos com duração de até 30

Instituto Tributário de Ensino à Distância

Eventos Não Periódicos

com duração de até 30 (trinta) dias devem ser enviadas até o dia 7 (sete) do mês subsequente. As informações do afastamento temporário ocasionado por acidente de qualquer natureza, agravo de saúde ou doença não relacionados ao trabalho com duração de 3 (três) a 30 (trinta) dias devem ser enviadas até o dia 7 (sete) do mês subsequente. As informações do afastamento temporário ocasionado por acidente de trabalho, acidente de qualquer natureza, agravo de saúde ou doença com duração superior a 30 (trinta) dias devem ser enviadas até o 31° dia da sua ocorrência. As informações dos afastamentos temporários ocasionados pelo mesmo acidente ou doença que ocorrerem dentro do prazo de 60 (sessenta) dias e tiverem em sua totalidade duração superior a 30 (trinta) dias, independente da duração individual de cada afastamento, deverão ser enviados em conjunto até o 31° dia do afastamento. As informações dos afastamentos temporários e desligamentos do servidor titular de cargo efetivo de todos os poderes, órgãos e entidades do respectivo ente federativo, suas autarquias e fundações, amparado por Regime Próprio de Previdência Social, do magistrado, do membro do Tribunal de Contas, do membro do Ministério Público e do militar, devem ser enviadas antes do evento que contém a remuneração devida no mês a que se refere o afastamento, ou até o dia 20 (vinte) do mês subsequente ao que ocorrerem quando não for devida remuneração na competência.

Eventos Periódicos

As informações das folhas de pagamento contendo as remunerações devidas aos empregados, trabalhadores avulsos e contribuintes individuais, bem como os correspondentes totais, base de cálculo e valores devidos de contribuições

As informações do registro preliminar de admissão do trabalhador devem ser enviadas

até o final do dia imediatamente anterior ao do início da prestação do serviço.

O empregador pode optar por enviar todas as

informações de admissão do trabalhador até

o final do dia imediatamente anterior ao do

início da prestação do serviço ficando, nesse caso, dispensado do envio das informações do registro preliminar do trabalhador.

das informações do registro preliminar do trabalhador. As informações da admissão do trabalhador e de ingresso

As informações da admissão do trabalhador e de ingresso e reingresso do servidor público de todos os poderes, órgãos e entidades do respectivo ente federativo vinculados ao Regime Geral de Previdência Social, suas autarquias e fundações, devem ser enviadas antes da transmissão de qualquer outro evento relativo a esse trabalhador ou até o dia 7 (sete) do mês subsequente ao da sua ocorrência. As informações de ingresso e reingresso do servidor titular de cargo efetivo de todos os poderes, órgãos e entidades do respectivo ente federativo, suas autarquias e fundações, amparado por Regime Próprio de Previdência Social, do magistrado, do membro do Tribunal de Contas, do membro do Ministério Público e do militar, devem ser enviadas antes da transmissão de qualquer outro evento relativo a esses segurados ou até o dia 7 (sete) do mês subsequente ao da sua ocorrência. As informações da comunicação de acidente de trabalho devem ser enviadas até o 1° (primeiro) dia útil seguinte ao da ocorrência

e, em caso de morte, de imediato.

As informações de desligamento devem ser

enviadas até o 1° (primeiro) dia útil seguinte

à data do desligamento, no caso de aviso

prévio trabalhado ou do término de contrato por prazo determinado. As informações do afastamento temporário ocasionado por acidente do trabalho, agravo de saúde ou doença decorrentes do trabalho

7

ocasionado por acidente do trabalho, agravo de saúde ou doença decorrentes do trabalho 7 www.intra-ead.com.br
Instituto Tributário de Ensino à Distância previdenciárias, contribuições sociais de que trata a Lei Complementar

Instituto Tributário de Ensino à Distância

previdenciárias, contribuições sociais de que trata a Lei Complementar n° 110/2001, contribuições sindicais, FGTS e imposto sobre a renda devem ser enviadas até o dia 7 (sete) do mês subsequente ao que se refiram. As informações de folha de pagamento contendo os pagamentos realizados a todos os trabalhadores, deduções e os valores devidos do imposto de renda retido na fonte devem ser transmitidas até o dia 7 (sete) do mês subsequente ao do pagamento. As informações relacionadas à comercialização da produção rural pelo segurado especial e pelo produtor rural pessoa física, com as correspondentes deduções, bases de cálculo e os valores devidos e retidos, devem ser transmitidas até o dia 7 (sete) do mês subsequente ao que se refiram. As informações das remunerações e benefícios devidos e dos pagamentos realizados ao servidor titular de cargo efetivo de todos os poderes, órgãos e entidades do respectivo ente federativo, suas autarquias e fundações, amparado por regime próprio de previdência social, do magistrado, do membro do Tribunal de Contas, do membro do Ministério Público e do militar, bem como as bases de cálculo e valores devidos pelos segurados, beneficiários e pelo ente federativo das contribuições previdenciárias, devem ser enviadas até o dia 7 (sete) do mês subsequente ao que ocorrerem.

necessário informar o CPF e data de nascimento do trabalhador. O trio de informações “CPF x NIS x Data de nascimento” deve estar consistente no Cadastro Nacional de Informações Sociais CNIS. É essencial que os empregadores coletem e atualizem as informações cadastrais de seus trabalhadores, certificando-se de que as mesmas estejam de acordo com o Cadastro Nacional de Informações Sociais (CNIS). Caso contrário, o sistema gerará inconsistência, o que impedirá a informação de ser transmitida. Foi disponibilizado em novembro/2013 a qualificação cadastral do empregado, onde poderão ser consultadas tais informações com a finalidade de conferência e correção, se necessário, antes do início da transmissão dos eventos iniciais do eSocial. Salientamos, no entanto, que desde fevereiro/2014, a qualificação cadastral está temporariamente indisponível, acreditamos em razão de ajustes técnicos.

 Identificação do Empregador Inicialmente, esclarecemos que os empregadores serão identificados no canal do
 Identificação do Empregador
Inicialmente, esclarecemos que os
empregadores serão identificados no canal
do eSocial pelos seguintes cadastros:
Pessoa Jurídica
Cadastro Nacional
das Pessoas Jurídicas
(CNPJ)
15. CADASTROS
IDENTIFICAÇÃO
Cadastro
de
DO TRABALHADOR
Pessoa Física
equiparada a Jurídica
Atividades da Pessoa
Física (CAEPF)
Empregador
Doméstico
Cadastro de Pessoas
Físicas (CPF) ou
Cadastro de
Atividades da Pessoa
Física (CAEPF)
Obras de Construção
Civil
Cadastro Nacional
de Obras (CNO)

Com os sistemas atuais, o trabalhador é identificado pelo número do PIS/PASEP, quando empregado, e pelo número do PIS/PASEP ou NIT, quando contribuinte individual, estas informações compõe o NIS Número de Identificação Social. Com o eSocial, esta identificação será mais completa, porque, além do PIS ou NIT, será

8

Social. Com o eSocial, esta identificação será mais completa, porque, além do PIS ou NIT, será
Instituto Tributário de Ensino à Distância O Cadastro de Atividades da Pessoa Física (CAEPF) será

Instituto Tributário de Ensino à Distância

O Cadastro de Atividades da Pessoa Física

(CAEPF) será um número sequencial, acoplado ao número do CPF, que substituirá

o CEI. A pessoa física equiparada à jurídica deverá providenciar registro no CAEPF, que ainda não foi regulamentado.

O empregador doméstico hoje tem seu

cadastramento inicial pelo CPF, mas futuramente poderá deixar de existir esta opção e vigorar também o CAEPF - sendo necessário, portanto, aguardar novas disposições a respeito do tema.

(caso tenha declarado), ou, caso não tenha feito a DIRPF, número do título de eleitor.

Todas as informações acima se referem ao empregador. Não há informações legais sinalizando a possibilidade ou impossibilidade de utilização do eSocial através de código de acesso para outros empregadores, além do empregador doméstico.

No lugar da matrícula CEI para as obras de 17. CERTIFICAÇÃO DIGITAL construção civil será
No lugar da matrícula CEI para as obras de
17. CERTIFICAÇÃO DIGITAL
construção civil será utilizado o Cadastro
Nacional de Obras (CNO), que será sempre
Quanto à certificação digital, esta será
acoplado a um número de inscrição no CNPJ
ou no CPF. As matrículas CEI existentes na
data de implantação do eSocial relativas a
obras comporão o cadastro inicial do CNO.
amplamente utilizada, podendo inclusive ser
manejada pelo empregador doméstico, desde
que seja um certificado digital e-CPF.
O certificado digital a ser utilizado será no
padrão ICP-Brasil, pertencente a série “A”,
16. UTILIZAÇÃO DE CÓDIGO DE
ACESSO
do tipo A1 ou A3, onde ambos tem a mesma
O eSocial, em sua origem, foi implantado
com código de acesso, uma vez que irá
atender também a empregadores domésticos,
funcionalidade, sendo que o A1 é instalado
diretamente no computador e o A3 é
utilizado através de alguma mídia, que pode
ser cartão eletrônico com ajuda de uma
leitora de cartões ou token.
que, inclusive, são pioneiros neste sistema.
Assim, para facilitar o acesso, foi
possibilitada, através do sistema, a geração
O certificado será exigido em dois momentos
distintos, na transmissão (e-CPF ou e-CNPJ)
e na assinatura de documentos.
de um código de acesso ao empregador
doméstico.
Este código de acesso permite ao usuário a
18. TRANSMISSÃO
DAS
INFORMAÇÕES
utilização de diversos serviços disponíveis
no Portal e-Social, tais como geração de

recibo de pagamento, controle de jornada, etc. Para a obtenção do código de acesso, o empregador doméstico deverá informar a

numeração dos seguintes documentos:

Número do CPF;

Data de Nascimento;

Números dos recibos de entrega da declaração do IRPF (com 10 dígitos, sem DV) dos últimos dois exercícios

Eventos Trabalhistas: os arquivos relativos a eventos trabalhistas deverão ser gerados e transmitidos na medida em que ocorrerem, observando os prazos previstos na legislação em vigor para cada informação. Assim, ao se admitir um empregado, o arquivo com a respectiva informação deverá ser transmitido antes que o empregado inicie suas atividades profissionais. Para cada evento trabalhista deve ser gerado um arquivo único, no leiaute especificado para o evento ocorrido. Há um leiaute

9

deve ser gerado um arquivo único, no leiaute especificado para o evento ocorrido. Há um leiaute
Instituto Tributário de Ensino à Distância diferente para cada um dos tipos de eventos trabalhistas.

Instituto Tributário de Ensino à Distância

diferente para cada um dos tipos de eventos trabalhistas. Folha de Pagamento e Outras Informações
diferente para cada um dos tipos de eventos
trabalhistas.
Folha de Pagamento e Outras
Informações Previdenciárias, Trabalhistas
e Fiscais: será composta de diversos
arquivos, cujo número vai variar de acordo
com o conteúdo a ser transmitido. O início
da transmissão deverá ser feito com o
arquivo de Abertura e sua finalização com o
arquivo de encerramento. Durante a
transmissão, se um arquivo com a mesma
informação for enviado mais de uma vez, o
arquivo mais recente será o arquivo válido e
o enviado anteriormente será desprezado. Por
exemplo, se a remuneração de um
empregado for enviado mais de uma vez
antes do encerramento da folha, será
considerada válida, a última informação,
considerando os campos que compõem a
chave primária que identificam o arquivo.
De forma simplificada, pode-se descrever a
transmissão do eSocial por meio da seguinte
sequência:
Quanto à aplicação de penalidades, não
obstante ainda não haja legislação específica
acerca do tema, em que pese o poder
discricionário no qual são investidas as
autoridades fiscalizadoras, a tendência é de
que sejam as mesmas multas pelo
descumprimento de outras obrigações que
exigem preenchimento, armazenamento de
informações e entrega de arquivos
eletrônicos.
Se considerarmos, por analogia, o teor
do artigo 225, inciso
3.048/99 (Regulamento
IV, do Decreto
da Previdência
Social), a empresa se verá obrigada à entrega
das informações de seus documentos
eletrônicos e, especialmente, do eSocial, na
forma do Ato Declaratório SUFIS n°
05/2013.
1º Passo: O empregador gera um arquivo
eletrônico em formato XML contendo as
informações previstas nos leiautes
Passo: O empregador assina digitalmente
Atualmente, na forma do artigo 283, inciso
II, alínea "b", do Regulamento da
Previdência Social, a multa pela não entrega
ao INSS e à Secretaria da Receita Federal os
documentos que contenham as informações
cadastrais, financeiras e contábeis de
interesse dos mesmos, na forma por eles
estabelecida, ou os esclarecimentos
necessários à fiscalização, é variável
conforme a gravidade da infração, partindo
de um valor mínimo de R$ 16.170,98, e
podendo chegar ao patamar de R$
o
arquivo, garantindo a autenticidade do
161.710,08.
mesmo;
Passo: O arquivo assinado digitalmente
pelo empregador é transmitido pela Internet

para o ambiente nacional do eSocial;

4º Passo: O sistema do eSocial verifica a

integridade formal e emite o protocolo de

recebimento enviando-o ao empregador.

No que tange às obrigações trabalhistas a serem informadas no eSocial, a inclinação é a de que possam ser aplicadas as mesmas multas definidas na CLT e na legislação trabalhista de modo geral, desde que compatíveis com a matéria.

20. TABELAS

19. PENALIDADES

O que se tem até o presente momento sobre o eSocial é a definição de seu leiaute e a

exigência a partir da competência janeiro de

2014.

10

Buscando melhor otimização dos arquivos, bem como das informações armazenadas no ambiente nacional do eSocial ao longo do tempo, as informações de natureza permanente serão armazenadas em tabelas no ambiente nacional do eSocial. São

de natureza permanente serão armazenadas em tabelas no ambiente nacional do eSocial. São www.intra-ead.com.br
Instituto Tributário de Ensino à Distância consideradas informações de natureza permanente aquelas que podem ser

Instituto Tributário de Ensino à Distância

consideradas informações de natureza permanente aquelas que podem ser utilizadas

em mais de um arquivo de eSocial, ou em

mais de uma competência. Serão armazenadas em tabelas, as seguintes informações:

Informações do Empregador;

Arquivos de Tabelas;

Tabela

de

rubricas

da

folha

de

pagamento;

Tabela de Lotações e Departamentos;

Tabela de Cargos;

Tabela de Funções;

Tabela de Horários;

Tabela de Estabelecimentos e Obras de Construção Civil;

Tabela de Processos;

a) Rubricas da folha de pagamento;

b) Lotações e Departamentos;

c) Cargos;

d) Funções;

e) Horários de trabalhadores;

 Tabela de Operadores Portuários; f) Estabelecimentos e obras de construção civil; Processos administrativos e
Tabela de Operadores Portuários;
f)
Estabelecimentos e obras de
construção civil;
Processos administrativos e judiciais;
Operadores Portuários, cadastrados
pelo OGMO – Órgão Gestor de Mão
de Obra.
Cadastramento inicial de vínculos;
g)
b)
Eventos trabalhistas;
h)
Cadastramento Inicial;
Admissão;
21.
DESCRIÇÃO SIMPLIFICADA
DO MODELO OPERACIONAL
Alteração Cadastral;
Alteração Contratual;
CAT;
O empregador gera um arquivo eletrônico
contendo as informações previstas nos
leiautes, assina-o digitalmente,
transformando-o em um documento
eletrônico nos termos da legislação brasileira
vigente de maneira a garantir a integridade
dos dados e a autoria do emissor. Este
arquivo eletrônico é transmitido pela Internet
para o ambiente nacional do eSocial, que,
após verificar a integridade formal, emitirá o
protocolo de recebimento e o enviará ao
empregador.
ASO;
Aviso de Férias;
Afastamento Temporário;
Alteração
de
Afastamento
Temporário;
Retorno de Afastamento Temporário;
Estabilidade Início;
Estabilidade Término;
Condição Diferenciada de Trabalho –
Início;
Condição Diferenciada de Trabalho –
Término;

22. SEQUENCIAMENTO LÓGICO

DOS

DA

TRANSMISSÃO

ARQUIVOS

A transmissão dos arquivos do eSocial

deverá ser feita seguindo uma sequência lógica, obedecendo etapas, conforme descrito a seguir:

a) Eventos Iniciais:

Aviso Prévio;

 

Cancelamento de Aviso Prévio;

 

Atividades Desempenhadas;

 

Comunicação

de

Acidente

de

Trabalho;

 

c)

Folha

de

Pagamento

e

Outras

Informações:

 

Abertura da Folha de Pagamento;

 

11

e Outras Informações:    Abertura da Folha de Pagamento;   www.intra-ead.com.br 11
Instituto Tributário de Ensino à Distância  Remuneração dos trabalhadores (um arquivo para cada trabalhador);

Instituto Tributário de Ensino à Distância

Remuneração dos trabalhadores (um arquivo para cada trabalhador);

Serviços Tomados;

Serviços Prestados;

Serviços tomados de cooperativa;

Serviços prestados por cooperativa;

Aquisição de produção rural;

Comercialização da produção rural;

Recursos

recebidos

ou

repassados

por/para

associação

desportiva

de

futebol;

 Encerramento. O sequenciamento deve ser obedecido, pois as informações constantes dos primeiros arquivos são
Encerramento.
O sequenciamento deve ser obedecido, pois
as informações constantes dos primeiros
arquivos são necessárias para processamento
das informações posteriores. Para melhor
entendimento, são citados alguns exemplos a
seguir:
1.
Ao se enviar as informações de
remuneração dos trabalhadores (folha
de pagamento), as rubricas da folha
devem constar da tabela de rubricas;
2.
Ao se transmitir um arquivo de aviso
de férias de um determinado
empregado, este deve constar do RET
como empregado ativo. Para constar
no RET, há necessidade de
transmissão de arquivo de admissão
ou de Cadastro Inicial de Vínculo.
3.
Ao se enviar a remuneração de
determinado funcionário na folha de
pagamento, este funcionário deve
constar do RET.

12

de determinado funcionário na folha de pagamento, este funcionário deve constar do RET. www.intra-ead.com.br 12
Instituto Tributário de Ensino à Distância E-SOCIAL c) Avaliação 1) O Sistema de Escrituração Digital

Instituto Tributário de Ensino à Distância

E-SOCIAL

c)

Avaliação

1) O Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas (e- Social) é um projeto do governo federal que vai unificar o envio de informações pelo empregador em relação aos seus empregados. O principal objetivo do e-Social é:

Empresas tributadas pelo Lucro Presumido, Entidades Imunes e Isentas e optantes pelo Regime Especial Unificado de Arrecadação de Tributos e Contribuições devidos pelas Microempresas e Empresas de Pequeno Porte - Simples Nacional, Micro Empreendedor Individual (MEI), contribuinte individual equiparado à empresa e outros equiparados a empresa ou a empregadora: Iniciou em 30/12/2014; Órgãos da administração direta da União, Estados, Distrito Federal e Municípios, bem como suas autarquias e fundações: Iniciou em

d) a) Viabilizar a garantia de direitos previdenciários e trabalhistas. b) Simplificar o cumprimento de
d)
a) Viabilizar a garantia de direitos
previdenciários e trabalhistas.
b) Simplificar o cumprimento de
obrigações
31/01/2015.
c) Aprimorar a qualidade de
informações das relações de trabalho,
previdenciárias e fiscais.
4)
O
envio
das
informações
do
e-
Social, far-se-á através de:
d) Todas as alternativas anteriores
a) Web service ou pelo portal web
2) A adesão, bem como a adaptação
ao novo sistema implantado pelo
governo federal (e-Social) devera se
dar por parte de, exceto:
b) PGD Sefip
c) PDG Rais
d) PDG Dirf
5)
Em
relação
ao prazo para
a) Os empregadores, inclusive o
doméstico
b) A empresa e a eles equiparados em
legislação específica.
validação e envio dos eventos de
admissão, demissão e afastamento,
marque a alternativa correta:
c) O segurado especial inclusive em
relação a trabalhadores que lhe
a)
prestem
serviço.

D. O micro empreendedor individual

3) A respeito da obrigatoriedade do início do uso do e-Social por, Assinale a alternativa correta:

a) Produtor rural pessoa física e segurado especial: Iniciou em

30/05/2014;

b) Empresas tributadas pelo Lucro Real:

Iniciou em 30/06/2011;

Admissão: O evento deve ser transmitido até o final do dia imediatamente anterior à admissão do empregado, sendo habilitada a recepção para o evento até 30 dias antes da data de admissão que está sendo informada. O evento pode ser cancelado até o próprio dia da admissão, caso esta não venha a ocorrer efetivamente.

b) Afastamentos Temporários: O evento contendo as informações de afastamento temporário deve ser informado até 10 dias da ocorrência do afastamento do empregado. A

13

temporário deve ser informado até 10 dias da ocorrência do afastamento do empregado. A 13 www.intra-ead.com.br
Instituto Tributário de Ensino à Distância informação deste evento não se confunde com o envio

Instituto Tributário de Ensino à Distância

informação deste evento não se confunde com o envio da Comunicação de Acidente de Trabalho (CAT) para os casos de

admitido, mas não possui cadastro no PIS será de:

ocorrência de acidente de trabalho. c) Desligamento: O evento informando o desligamento de um empregado
ocorrência de acidente de trabalho.
c)
Desligamento: O evento informando
o
desligamento de um empregado
deve ser enviado até 10 dias após a
ocorrência nos casos de aviso prévio
indenizado e até 1 dia após a
ocorrência para o caso de aviso
prévio gozado.
d)
Todas as alternativas anteriores.
6) O prazo para a empresa informar
um acidente de trabalho, à
Previdência Social será até:
c)
a) Até o 5º (primeiro) dia útil seguinte
ao
da ocorrência
b) Até o 1º (primeiro) dia útil seguinte
ao
da ocorrência
a) Não será possível a admissão do
trabalhador que não tiver o número
de NIS (seja PIS, PASEP ou NIT). A
CAIXA disponibilizará ferramenta
para a inscrição online do trabalhador
no cadastro PIS.
b) Não será possível a admissão do
trabalhador que não tiver o número
de NIS (seja PIS, PASEP ou NIT). A
CAIXA NÃO disponibilizará
ferramenta para a inscrição online do
trabalhador no cadastro
Será possível a admissão do
trabalhador que não tiver o número
de NIS (seja PIS, PASEP ou NIT). A
CAIXA disponibilizará ferramenta
para a inscrição online do trabalhador
no cadastro
Nenhuma das anteriores.
d)
c) Até o 3º (primeiro) dia útil seguinte
ao
da ocorrência
9)
A
informação
a
respeito
da
d) Nenhuma das anteriores.
jornada
de
trabalho
para
empregados isentos
da
marcação
7) As obrigações relativas a período
anterior deverão estar à disposição
da fiscalização pelo período
previsto na legislação de:
de
ponto
dar-se-á
da
seguinte
maneira:
a)
a)
Por dez anos para a Receita Federal e
por trinta anos para ao Ministério do
Trabalho e Emprego
b)
b) Por cinco anos para a Receita Federal
e por vinte anos para ao Ministério do
Trabalho e Emprego
As informações relativas à jornada
contratual devem ser enviadas,
independentemente do controle de
jornada.
As informações relativas à jornada
contratual devem ser enviadas,
apenas se houver b controle de
jornada.

c) Por cinco anos para a Receita Federal e por trinta anos para ao Ministério

do Trabalho e Emprego

d) Por três anos para a Receita Federal e

por trinta anos para ao Ministério do Trabalho e Emprego

c) As informações relativas à jornada contratual não devem ser enviadas

d) As informações relativas à jornada contratual não devem ser enviadas, apenas nos casos da obrigatoriedade de marcação do ponto.

8) O procedimento a ser utilizado nos casos em que o empregado é

14

nos casos em que o empregado é www.intra-ead.com.br 14 10) A respeito do controle de acesso

10) A respeito do controle de acesso no governo para garantia do sigilo

Instituto Tributário de Ensino à Distância fiscal, assinale a alternativa correta: pessoa física ou

Instituto Tributário de Ensino à Distância

fiscal,

assinale

a

alternativa

correta:

pessoa física ou jurídica às informações, a não ser aos órgãos e entidades que participam do projeto e possuem competência legal para exigir e acessar as informações.

O controle será feito por meio de certificado digital para as empresas com mais de cinco empregados e por meio de código de acesso para as demais. Nenhum empregador poderá acessar informação de outro e não será dado acesso a nenhuma outra pessoa física ou jurídica às informações, a não ser aos órgãos e entidades que participam do projeto e possuem competência legal para exigir e acessar as informações. O controle será feito por meio de certificado digital para as empresas com mais de dez empregados e por meio de código de acesso para as demais. Nenhum empregador poderá acessar informação de outro e não será dado acesso a nenhuma outra pessoa física ou jurídica às informações, a não ser aos órgãos e entidades que participam do projeto e possuem competência legal para exigir e acessar as informações. O controle será feito por meio de certificado digital para as empresas com mais de dois empregados e por meio de código de acesso para as demais. Nenhum empregador poderá acessar informação de outro e não será dado acesso a nenhuma outra pessoa física ou jurídica às informações, a não ser aos órgãos e entidades que participam do projeto e possuem competência legal para exigir e acessar as informações.

d) O controle será feito por meio de certificado digital para as empresas com mais de quinze empregados e por meio de código de acesso para as demais. Nenhum empregador poderá acessar informação de outro e não será dado acesso a nenhuma outra

a)

b) c)
b)
c)

15

poderá acessar informação de outro e não será dado acesso a nenhuma outra a) b) c)
Instituto Tributário de Ensino à Distância Referências 1- FANTONI, Odair Rocha; eSocial Fácil , Implantação

Instituto Tributário de Ensino à Distância

Referências

1- FANTONI, Odair Rocha; eSocial

Fácil, Implantação Consciente, São Paulo: LTr,2014.

2- GURGEL, Tânia; eSocial, você e sua

São

empresa

Paulo: Leader,2013.

estão

preparados?

3- Portal eSocial, acessado em 05 de

em:

Abril

de

2015,

http://www.esocial.gov.br/

preparados? 3- Portal eSocial, acessado em 05 de em: Abril de 2015, http://www.esocial.gov.br/ www.intra-ead.com.br 16

16

preparados? 3- Portal eSocial, acessado em 05 de em: Abril de 2015, http://www.esocial.gov.br/ www.intra-ead.com.br 16