You are on page 1of 10

História das Artes Visuais e Contemporâneas

O que é a Arte?

- A arte é considerada uma actividade humana.

- É um campo do conhecimento humano relacionado à criação e crítica de obras que
evocam a vivência e interpretação sensorial, emocional e intelectual da vida em todos os seus
aspectos. A verdadeira essência da arte é a do artista poder transformar a realidade de acordo
com seus ideais e pensamentos.

- Permite-nos compreender aquilo que somos e como somos, como evoluímos, ajuda-
nos a entender o passado e o presente e a compreender o que se passa no mundo de hoje.

Movimentos Artísticos

Impressionismo:

- Surge na segunda metade do sec. XIX como oposição ao Romantismo e
academismo com todos os seus cânones, e ao intelectualismo social do Realismo,
embora tenham as suas raízes estéticas neste movimento;

- O impressionismo foi a “enérgica negação da ideia e regresso ao sentimento
imediato”, ou seja, à sensação do momento;

-Pinturas ligadas à vida citadina moderna e às sensações dos seus autores.
Pintavam maioritariamente paisagens, figura humana e lazeres citadinos de uma forma
mais leve e optimista (ao contrário do renascimento).

- Como influência para este movimento foi a descoberta da fotografia que
produziram na pintura novos enquadramentos e novas perspectivas.

- A pintura impressionista procurou a captação do instante luminoso, fugaz e
fugido, em constante mutação e, por isso, é fluida e aérea.

- Características da pintura impressionista:

¤ Procura dos efeitos da luz através da justaposição , na tela, de
pinceladas pequenas em forma de vírgula;
¤ Utilização de cores puras, fortes e vibrantes retiradas directamente dos
tubos de tinta sendo aplicadas e misturadas na tela de modo a obter a
fusão das cores nos olhos do espectador em vez de as misturarem na
paleta.

O impressionismo dividiu-se então e duas áreas: o Neo-impressionismo e o Pós-impressionismo. utilizando cor de uma forma sistematizada . .pontos .Busca de novos caminhos para a pintura. simetria e contraste. Seurat Pós-impressionismo .Artistas: Van Gogh. formas e linhas dando ritmo. Claude Monet. . Trabalhou com cores fortes. Pissarro. .Edouard Manet é considerado o mentor dos impressionistas pois foi ele o responsável pela transição do Realismo para o Impressionismo. As cores tornam-se mais vivas e atraentes. sendo que desenvolve aqui a técnica do pontilhismo (pequenas manchas de cor pura . foi criado por Seurat e consistiu na evolução do Impressionismo no sentido do rigor.A obra deixou de ser uma impressão fugaz e passou a ser rigorosa na construção de cores. Renoir. .Artistas: Edouard Manet. Degas Neo-impressionismo . . nos olhos do observador).que se deveriam misturar. e os negros. e pastéis. . branco. ousadas. dos seus sentimentos tornando a pintura muito mais expressiva e pessoal. pouco trabalhado.Artistas: Pissarro. Paul Gouguin . . e com contrastes cromáticos criados entre os tons claros.Designado também por divisionismo.A técnica passa à utilização de pontos.Aqui a técnica não adquire uma relevância tão grande como na vertente anterior uma vez que o importante era introduzir nas suas pinturas a sua própria técnica através da sua expressão. Paul Cézanne. ¤ O quadro impressionista tem um aspecto inacabado. a uma certa distância.

. Não existe contorno.Entre os anos 70 e 90. .A perspectiva é rejeitada e os artistas sujeitam-se à bidimensionalidade da tela.Pintura marcada pela cor e o individualismo expressivo.As cores não têm um paralelismo directo com o real mas há também uma espiritualidade com a cor e o seu uso. apenas a representação da sua forma. nos sonhos e nas fantasias (sem necessidade de experiência técnica mas sim experiência própria.É uma herança pós-impressionista.”. pessoal).Artistas: Henri Matisse . da representação da Natureza. . .“A criação pictórica torna-se autónoma da realidade objectiva. E assim. . baseada em estados emocionais e anímicos. pelo empastamento das tintas.Presta-se mais à evocação do que à descrição.Arte bastante subjectiva.Tem influências do romantismo e das experiências rafaelistas . . nas angústias. .Artistas: Maurice Denis. foi o movimento expressivo mais significativo em toda a Europa.O tema neste movimento não é importante para os fauvistas e não tem qualquer conotação social.Simbolismo: . . . e sublimando assim a realidade visível.As imagens são estáticas e misteriosas.Pretendeu transmitir ao espectador emoções profundas através da exaltação das cores. Édouard Vuillard Fauvismo: . política ou outra – transmissão de sensações de alegria ou tristeza.Uma acentuada visão do mundo. promovem dupla “leitura” evocativa de sugestões e sonhos.Reagiu contra a sociedade industrializada contra a arte vigente (o Naturalismo e o Impressionismo) valorizando o mundo subjectivo e a interioridade. A expressão é dada pela violência das linhas e das cores. . . . pela pincelada directa e emotiva. a pintura separou-se. . ou seja.Técnica bastante texturada com cores brilhantes. Cézzane .

a sua necessidade de fascinar. .Características Gerais: Dimensão lírica da cor como necessidade interior.Não é considerado uma mera negação das formas do mundo. . .Características Gerais: Linguagem figurativa e a realidade era colocada como fonte de conhecimento de inspiração. . ¤ Surge no sec. a sua emoção. Intuito de criticar.Subversão dos princípios harmónicos da arte. .Temas complexos.Existe uma grande incoerência entre o significado utilizado nas imagens simplificadas (deformada/brutalizando modelos arcaicos ou infantis) e o conteúdo expresso que são temas ligados à actualidade (denúncia da civilização moderna e da sociedade burguesa – crítica).Artistas: Muller. a sua energia psíquica. revelando o lado trágico da vida. Die Brucke (A Ponte – contemporâneo do movimento fauve) que tem como objectivo combater a arte do passado. É contra a arte académica.Expressionismo . nostalgia da pureza da Natureza ou emoção livre da superfície abstracta (Kandinsky). . . uma maneira de acentuar as suas próprias emoções com a preocupação fundamental de registar as sensações visuais.É uma arte subjectiva de difícil compreensão. com a tendência emotiva e abstracta da superfície. Reconquista da pureza da Natureza. XX com o movimento. transforma os temas sociais modernos. . 1911 que transforma o subjectivismo anárquico de Die Brucke: dimensão lírica da cor. contestar ou destruir algo.Queriam construir uma arte pessoal fundada na meditação. diferente dos Fauve que tinham uma preocupação meramente estética e de renovação plástica. . dramatismo e até angústia. . modernos com uma representação infantil e tosca.Tentaram uma relação mais pura e directa com a natureza. . Eram deformadas e aguçadas. que nascesse da “necessidade interior” de cada um. Dinamismo da forma. As figuras expressavam sentimentos humanos com vigor. grupo de artistas.Movimento que representa para os artistas. a sua magia interna. contra o impressionismo e as consequências da era industrial. Ernst Ludwig Kirchner ¤ Movimento Der Blaue Reiter (O Cavaleiro Azul).

no instinto e no inconsciente. Paul Klee. Sobressai o aspecto “decorativo” e/ou sugestivo da obra.Como raiz. Do capitalismo 2.Este movimento dividiu-se me duas grandes tendências: ¤ Abstraccionismo Lírico (representado por Kandinsky): .Pintura caracterizada pela simplicidade das formas geométricas .Artistas: Kandinsky. relação entre as formas e o espaço que as circunda . Provocadas pela urbanização desenfreada 5.Nascido em 1910 e impulsionado por alguns pintores ligados ao Cubismo e ao Futurismo. construindo uma arte imaginativa ligada à emoção e à necessidade interior. o Cubismo e o Futurismo. vibração das cores.A pintura possui sentido filosófico.Necessidade de animação do espaço pela forma (Cubismo) e movimentação plástica (Futurismo). . . .Ritmo abstracto e dinamismo da cor ¤ Abstraccionismo Geométrico .Inspirou-se na intuição. . .Autor: Malevitch. . “define-se pela supremacia absoluta da sensibilidade pura”. . Macke  A poética expressionista reflecte a CRISE DE VALORES 1. e as cores.Tendência para o não figurativo.Formas orgânicas.Realização plástica pura. Desvalorização da economia agrícola (em prol da indústria) 4. Abstraccionismo . Necessidade de consumo provocada pela sensação de desenraizamento em relação à história e às próprias origens (o sentimento de perda de tradição) 6. . análise intelectual e científica. Da incrível aceleração das tecnologias e dos processos produtivos 3.Como representantes:  Suprematismo: .Racionalização. as formas. Reflecte-se no plano da linguagem com a recuperação das linguagens “primitivas”. procura de meios expressivos de onde sobressaem as linhas. . .

volumes. por Sandro Sprocatti – Segunda fase deste movimento desenvolvida mais tarde e designada por Cubismo Analítico. as cores são monocromáticas trabalhado em tonalidades de cor base.”.Arte pura.Necessidade de entender pictoricamente o mundo das coisas de forma complete. antinaturalista . Uso de formas geométricas simples como o quadrado. branco e cinzento limitadas por linhas a preto . etc. objectiva. não ilusória e não representativa. .”. a arquitectura. planos. harmonia. .Contestou o Expressionismo e o Expressionismo Abstraccionista por veicularem os aspectos sensoriais e emotivos da vida. copos. Os temas mais comuns foram as naturezas-mortas com objectos do quotidiano.Pretendeu atingir uma visão impessoal e objectiva através de um estética nova (neo) e universal . . definidas por grandes planos de cor. criando um objecto artístico autónomo. ocres.“O olhar não é imóvel.Utilizou a redução das formas a planos geométricos em composições abstractas . protuberância. fazendo com que o objecto aparecesse na tela como que quebrado ou explodido.Procurou a perfeição e a verdade supremas. assimétricas mas organizadas .“Tudo na natureza pode ser reduzido a cones.Equilíbrio. serenidade. esferas e cilindros. instrumentos musicais… . as pinturas eram constituídas por paisagens e casarios. ultrapassando o mundo físico e emotivo de modo a atingir o mundo mental . tais como garrafas.“Fazia de um cilindro uma garrafa”. o triângulo e .Movimento artístico que englobou as artes plásticas.Formas estáticas. o design e a literatura . .Objectivo de eliminar o trágico da vida . Theo van Doesburg Cubismo . definida pela visão simultânea e multifacetada dos vários aspectos do motivo observado.Artistas: Malevitch  Neoplasticismo: . movimenta-se constantemente. clara. desenvolvendo-se aqui uma das três grandes fases do Cubismo – Fase Cezanniana – que tenta representar o real através de sólidos geométricos. terras e cinzentos esverdeados.Artistas: Piet Mondrian. quadradas e rectangulares com cores primárias.Cores primárias e cores secundárias os pretos e os brancos constituam a paleta deste movimento . por Cézanne. por Juan Gris – Terceira fase do cubismo intitulada Cubismo Sintético que consegue na obra um efeito pictórico através de materiais colados. e reconstitui distâncias. superfícies.

a fotografia. assemblage. . . a imprensa…) . pelo desejo de modificar radicalmente a abordagem mental do produto artístico e tudo o que faz parte integrante desse produto (o quadro. para outros anuncia a irracionalidade da sua inspiração. a música e o cinema. e capaz apenas de negar e nunca afirmar. são eles o Orfismo e a Secção do Ouro.O valor artístico e estético é determinado pelo pensamento principal do artista no ato de execução da obra e pelas diferentes reacções que a obra pode provocar no espectador. Intervenções provocatórias na comunidade artística. inútil e decorativo.Advém do termo “Dada”.o rectângulo. Os temas continuaram a ser as naturezas mortas com objectos do quotidiano. a literatura. é incapaz de propor algo de construtivo. ou seja.O espírito criador dadaísta tende a destruir todas as convenções. também as sobreposições e transparências de planos foram muito utilizadas nesta fase. . . da redução de planos e das linhas puras extraia tudo o que era acessório. Esta fase do cubismo deu origem a dois movimentos.Manifestações especialmente ligadas com este movimento (Redacção de manifestos.) . o mercado. Recorria a provocação como estratégia.Movimento que abriu caminho para o Surrealismo através de um dos seus autores. . que para muitos não significa nada. A simplificação das formas.Foi um fenómeno rico susceptível de várias interpretações. A cor volta aqui a tomar importância depois de ter sido desvalorizada na fase analítica. . . envolveu as artes plásticas.Nasceu em Zurique. através do contacto directo entre o papel sensível e os objectos). com uma perspectiva propagandista e não só poética. fotomontagem.Objectivo de paralisar a obra de arte com a adopção de técnicas combinatórias: colagem. o observador.Reinvenção da relação entre os objectos e as palavras adequadas para as definir.Fenómeno que se distingue pela autonomia criativa de cada uma das figuras envolvidas nessa “aventura”. no Cabaret Voltaire em 1916. puramente estético) e os rayographs (as fotografias são realizadas sem utilização d câmara. pela sensibilização do papel fotográfico coma luz. o teatro. consite na deslocação de um objecto da sua função e do seu local próprios para um outro contexto. os intermediários dos museus. Dadaísmo . e adopção de técnicas inventadas: ready-made (Duchamp. .

deseja abrir novos caminhos.Artistas: Marcel Duchamp e Francis Picabia.A escrita surrealista. . . Delvaux.Ao contrário do Dadaísmo. . . Paul Deunaux (mulheres jovens em estado de hipnose deambulam em espaços estranhos e intemporais. recorrendo a associações inesperadas. sem os seus olhares se encontrarem ou pousem seja no que for) e René Magritte (joga com o humor. jornais. .Chega-se a definir surrealismo como “um automatismo psíquico puro” liberto de qualquer interferência racional. Exalta a liberdade da imaginação – conceito que foi fundamentalmente alterado por FREUD (Psicanálise.A sua difusão estética era através de: revistas. frottage. tende a associar mais imagens incongruentes do que objectos e a canalizar para o inconsciente. sucede-se por uma lógica que lhes é própria e não de consciência. estética ou moral. . um movimento de ideias. XIX. . escrita “automática”. por fim. ao absurdo. Miró.Mark Ernst. Magritte. tudo expresso de acordo com os processos estranhos e uma pintura nítida). daí a importância atribuída ao sonho e à actividade psíquica inconsciente. Respeitando a poética da alienação que continua a ser a base de apoio de ambos os “movimentos”. interesse pelo inconsciente). Picabia. . . surge como reacção à cultura e à civilização ocidentais. . conduz-nos com as suas colagens ao ponto de convergência entre o dadaísmo e o surrealismo.Surge do Dadaísmo por Mark Ernst em 1919. Baseou-se nas correntes do pensamento romântico do final do sec. manifestos. Salvador Dali. assemlage. Surrealismo .Artistas: Ernst. .Na produção de filmes as imagens não obedecem a qualquer lógica racional e prevêem mesmo saltos temporais e incongruentes com paragens bruscas. como num pesadelo nocturno. objectos prestes a fundir-se ou a metamorfosear-se).Embora a casualidade marque a sua obra. .A sua técnica plástica é idêntica ao Dadaísmo: colagem.Diferentes obras como as de Salvador Dali (amontoam-se.

musica… . é anti-academicista. . .As obras: desenho industrial.O seu objectivo é de socializar a arte. às quais se dá o nome de Happenings. na Arte Ocidental. nasce e desaparece no acto do fazer. que necessita da participação do público. surge como movimento estético e político. coloca a arte como instrumento de intervenção social. . .“Nada de vapores ideológicos.Artistas: Malevich e Rodchenko Fluxus . o artista tinha um papel diferente do habitual. organizar e não decorar.”. .Era contra o objecto artístico tradicional. Brik . dizia que arte era diferente de um elemento especial da criação humana separada do quotidiano. tendo um carácter único e original e não necessitam da participação do público. . irrepetíveis. cénica. na Bahaus e no suprematismo. colocou (pela vivez) a arte como instrumento de intervenção social. era anti-arte.Forte influência na Arquitectura. mas objectos concretos.Negava a artes “pura”.Os seus artistas construíam acções quase sem improviso. .Proposições inovadoras influenciaram a arte moderna. cartaz publicitário e a arquitectura.Muito comparado ao Dadaísmo e ao Pop-Art. por isso.Construtivismo Russo . . Outra forma artística deste movimento é as Performances. Foi fortemente inspirado na industrialização pela máquina e pela urbanização.Iniciado na Rússia. diferente do individualismo (colectivismo). desenvolvem- se de uma única vez e. .Caracterizado por uma mescla de artes: visuais.