Sie sind auf Seite 1von 1

As civilizaes no so mortais

O pensamento comum a respeito dos Brbaros que precipitaram o Imprio Romano do


Ocidente na runa de que eram povos jovens, recm-sados das florestas ou estepes,
com costumes grosseiros e incivilizados que destruram uma grande civilizao.

Mas este pensamento de um maniquesmo simplista. A civilizao Romana no foi


assassinada pelos Brbaros, segundo Jacques Le Goff, a civilizao se suicidou.
Com isso podemos entender que as invases brbaras e a verdadeira confuso que
reinou no ocidente do imprio a partir do sculo V se deveram em grande parte
decadncia das instituies romanas. O Imprio em sua parte ocidental sempre foi mais
pobre e culturalmente atrasado que a sua parte oriental. A nica grande cidade que se
destacava no lado ocidental era Roma. E Roma era antes o destino de impostos e
produtos de outros lugares do que propriamente um polo fabricante do que quer que
seja. A diviso do imprio em ocidente e oriente fez com que o fluxo de pessoas e de
metais preciosos no viesse mais inteiramente ao ocidente. Alm disso, a dificuldade de
se encontrar mo de obra, as invases asiticas que empurraram os povos germnicos
para dentro do imprio e vrias incidncias de peste s pioraram o caos.

No entanto, a civilizao Romana como tal no desapareceu. O Brbaros no


substituram os Romanos, antes fizeram com eles uma fuso. Os Brbaros influenciaram
e foram influenciados pela cultura e instituies romanas. Os Reinos Brbaros dos
sculos VI, VII e VIII nada mais so do que a sedimentao dos novos povos, unidos
aos antigos romanos e a povos que no ocidente no haviam sido totalmente
romanizados, mas mantinham fortemente suas tradies.

A civilizao moderna ainda tem uma carga de instituies (a comear pela prpria
Igreja Catlica) que vem diretamente dos romanos. O direito, a literatura, o modo de
governo, o comrcio... tudo isso de alguma forma tem influncia do antigo Imprio.

Nas transies civilizacionais nem tudo de bom da civilizao mais antiga permanece,
nem tudo se perde e nem tudo assumido e ressignificado. As vezes a sntese entre o
novo e o velho faz com que o nvel de complexidade e bem estar da sociedade diminua,
e pode-se dizer que a sociedade regride. Mas no podemos falar em morte de uma
civilizao. A no ser que depois de muitos milnios nada reste de importante na nova
sntese, que possa ser atribudo unicamente civilizao primitiva. Mas ainda assim a
civilizao extinta contribuiu para que se chegasse ao estado atual.