Sie sind auf Seite 1von 5
Fundaç ă o Centro de Ci ę ncias e Educaç ă o Superior a Distância

Fundaçăo Centro de Cięncias e Educaçăo Superior a Distância do Estado do Rio de Janeiro Centro de Educaçăo Superior a Distância do Estado do Rio de Janeiro

AP 1 – MF-2016/2 Gabarito

1) (1,4 pts) Os custos de transporte de uma empresa em 2013 foram de R$ 60.000,00 . Em 2014,

tais custos aumentaram 7,5 % . Em 2015, registrou-se um aumento de 10 % em relação a 2014.

Em 2016, dentro do plano de metas de redução de despesas, a empresa fixou que os custos anuais com transporte não poderiam exceder a R$ 75.207,00 . Determine o aumento porcentual

máximo nos custos com transporte, em 2016, na comparação com 2015, para que a empresa atinja essa meta.

Solução:

Como em 2014 os custos de transporte da empresa aumentaram 7,5 % em relação aos custos de

2013

e em 2015 esses custos aumentaram 10 % em relação aos custos de 2014 e sabendo-se que em

2013

os custos totalizaram

60.000,00 , então os custos de transporte dessa empresa em 2015 serão dados

por 1,075 1,10 60.000,00 = 70.950,00 . Como a empresa pretende gastar em 2016 com transporte a quantia de 75.207,00 , então para 2016 o aumento máximo dessa despesa será dado por 75.207,00 - 70.950,00 = 4.257,00 que corresponde a um porcentual de aumento sobre os custos de 2015

dado por

  4.257,00  

70.950,00

100

%

=

6 %

Resposta: 6 %

2) (2,0 pts.) A aplicação de um capital sob o regime de capitalização simples, durante dez meses, apresentou, no final deste prazo, um montante igual a R$ 1.200,00. A aplicação de outro capital de valor igual ao dobro do valor do capital anterior, sob o regime de capitalização simples, durante quinze meses, apresentou, no final deste prazo, um montante igual a R$ 2.600,00. Considerando que as duas aplicações foram feitas com a mesma taxa de juro, determine o valor dos dois capitais.

Solução:

Seja C o capital aplicado na primeira operação e i a taxa unitária das operações. Esse capital

aplicado a essa taxa durante dez meses no regime de juro simples, gerou um montante de 1.200,00 ,

logo

1.200,00

=

C

(

1

+

i

10

)

C

=

1 200 00

.

,

(

1

+

10

i)

.

Por outro lado, sabe-se que um capital igual ao dobro do primeiro, isto é, 2C , aplicado no regime

de juro simples durante quinze meses, utilizando a mesma taxa i , gerou um montante de

2.600,00 , portanto, 2.600,00 = 2C (1+15 i)

Comparando as duas equações obtidas, temos que

2

.

600 00

,

1 300 00

.

,

=

(

)

1

+

15

13 1

i)

( +

C =

(

1

2

(

1

+

15

=

i

)

1

+

,

i

C

1 300 00

.

,

+

15

i

)

1 200 00

.

(

10

.

10

i

)=

( +

12 1

15

i

)

50i = 1 i = 0,02 ao mês ou 2 % ao mês . Portanto, o primeiro capital será dado por

C

=

1 200 00

.

,

(

1

+

10

0 02

,

)

C

=

1 000 00

.

,

e o segundo por 2 1.000,00 = 2.000,00

Resposta: R$ 1.000,00 e R$ 2.000,00

3) Um (2,0 pts.) Um investidor aplicou três quartos de seu capital a uma taxa de juro composto de

15,0 % ao ano , capitalizada bimestralmente e o restante a uma taxa de juro composto de

10,0 % ao ano , capitalizada trimestralmente. Sabendo-se que o prazo da operação foi de quatro

anos e que o montante obtido na aplicação da primeira parcela do capital do investidor foi

R$ 9.854,18 maior que o montante obtido na aplicação da segunda parcela, determine o valor do

capital do investidor.

Solução:

Seja C o capital do investidor.

3

4

C

=

0,75C

foi aplicado no regime de juro composto durante 4

capitalizada

bimestralmente, logo essa taxa é nominal, pois seu período que é anual é diferente do período de

capitalização que é bimestral, portanto, considerando as unidades de tempo dessas taxas, a taxa

efetiva bimestral é proporcional à taxa dada, isto é, como 1ano = 6 bimestres , então a taxa efetiva

anos, ou seja, 4 6 = 24 bimestres , a uma taxa de juro composto de 15,0 % ao ano

bimestral i da operação será dada por

dada por

M

1

=

0 75

,

C

( +

1

0 025

,

)

24

i =

M

15 0

,

6

1 =

= 2 5 %

,

1,356544C

. Logo o montante

.

M

1 dessa operação será

O restante , isto é,

1

C

=

0,25C

4

foi aplicado no regime de juro composto durante 4 anos, ou seja,

4 4 = 16 trimestres , a uma taxa de juro composto de 10,0 % ao ano capitalizada trimestralmente,

logo essa taxa é nominal, pois seu período que é anual é diferente do período de capitalização que é

trimestral, portanto, considerando as unidades de tempo dessas taxas, a taxa efetiva trimestral é

proporcional à taxa dada, isto é, como 1ano = 4 trimestres , então a taxa efetiva trimestral i da

operação

será dada por

i =

10 0

,

4

= 2 5 %

,

. Logo o montante

M

2 dessa operação será dada por

M

2 =

0 25

,

C (

1

Sabe-se que

M

1

+

=

0 025

,

)

16

M

M

2

+

9

.

854 18

,

2

=

0,371126C

.

M

1

M

2

= 9 854 18 1 356544

.

,

,

C

0 371126

,

C

= 9 854 18

.

,

0 985418

,

C =

9 854 18

.

,

C =

9

.

854 18

,

0 985418

,

C

10 000 00

.

,

Resposta: R$ 10.000,00

4) (1,2 pts.) Um investidor aplicou o capital de R$10.000,00 durante o ano de 2015 e obteve um

rendimento de R$1.288,34 . Considerando que no período da operação a taxa de inflação foi

de 10,67 % , determine a taxa de juro aparente e a taxa de juro real da operação.

Solução:

Como o investidor 10.000,00 e obteve na operação um rendimento de 1.288,34 , então a taxa

unitária de juro da operação será dada por

1.288,34

10.000,00

=

0,128834

no período da operação ou

12,8834 % essa é portanto a taxa de juro aparente da operação.

Sabemos

que

1

+

r

=

1

+ i

1

+

(

1

+

i

)

a

=

(

1

taxa

+

)(

r .

1

+

aparente

)

, onde

r

i

do

investimento

é a taxa unitária real e

satisfaz

a

relação

é taxa unitária de inflação,

consideradas no mesmo período.

Nesse caso, como no período da aplicação taxa de inflação foi de 10,67 % e a taxa aparente

de12,8834 % , então a taxa real unitária

r da operação será dada por

1

+

r

=

1

+

0,128834

1

+

0,1067

foi

1+ r =

1,128834

1,1067

1

r =

0 02

,

no período da operação ou 2 %

Resposta: 12,88 % e 2 %

5) (1,8 pts) Uma duplicata de valor nominal igual a R$ 21.200,00 é descontada em um banco dois

meses antes de seu vencimento, apresentando um valor atual igual a R$ 20.140,00 . Na operação

foi utilizado o critério do desconto comercial simples. Determine o valor do desconto caso na

operação tivesse utilizado o critério do desconto racional composto, e a mesma taxa de desconto

da primeira operação.

Solução:

Temos que:

N = 21 200 00

(

valor nominal da duplicata

)

.

,

A

n

c

= 20 140 00

.

,

= 2

meses (

(

valor atual comercial simples da duplicata

)

prazo de antecipação

)

Sabe-se que no desconto comercial simples, o valor atual

A

c

pode ser obtido através da relação

A

c

=

N

(

1

i

n)

, onde

N

é o valor nominal do título, n é prazo de antecipação e i

é a taxa

unitária da operação. Portanto, nesse caso

20 140 00

.

,

=

21 200 00

.

,

(

1

i

2

)

2

i =

1

20

.

140 00

,

21

.

200 00

,

2i = 0,05 i = 0,025 ao mês ou i = 2,5 % ao mês . Essa é, portanto, a taxa da operação.

Por outro lado, sabe-se que no desconto racional composto pode ser obtido através da equação

N

=

A

r

(

1

+

i

)

n N

A

r

=

(

1 + i

)

n

onde, N é o valor nominal do titulo, n é prazo de antecipação e

i é a taxa unitária da operação. Portanto, nesse caso

A

r

=

21 200 00

.

,

(

1

+

0 025

,

)

2

A

r

20 178 46

.

,

.

O desconto racional composto correspondente será dado por 21.200,00 20.178,46 = 1.021,54 .

Resposta: R$ 1.021,54

6) (1,6 pts.) Alessandro tem duas dívidas a pagar, uma de R$15.704,94 com um mês de prazo para

pagamento e outra de R$ 24.689,68 para pagar em cinco meses. Ele quer substituir essas dívidas

por uma única, com vencimento em três meses. Sabendo-se que foi adotado na operação o

critério do desconto racional composto à taxa de 30 % ao ano , capitalizada mensalmente,

determine o valor desse único título.

Solução:

A taxa de juro composto da operação é de 30 % ao ano , capitalizada mensalmente. Portanto esta

taxa é nominal, pois seu período que é anual é diferente do período de capitalização que é mensal

logo, considerando a relação entre as unidades dessa taxa, a taxa efetiva mensal da operação é

proporcional a taxa dada, ou seja, como 1ano =12 meses, então a taxa efetiva mensal i será dada

por

i =

20 0

,

12

= 2 5 %

,

.

dívida original

0

proposta

de pagamento

24.689,68 15.704,94 1 2 3 4 5 (meses) x
24.689,68
15.704,94
1
2
3
4
5
(meses)
x

No diagrama acima, as setas para cima representam o conjunto de capitais da dívida original e a seta

para baixo o conjunto de capitais formado pela proposta de pagamento.

Para que não haja prejuízo para nenhuma das partes é necessário que esses conjuntos sejam

equivalentes.

Sabemos que dois ou mais capitais diferidos, isto é, com vencimentos em datas diferentes, são

equivalentes, em certa data de referência (“data focal”), quando a soma dos seus valores nessa data

for igual.

Sabe-se que no regime de juro composto, a escolha da data focal não altera a equivalência. Pode-se

assim escolher a data mais conveniente para os cálculos do problema. Nesse caso vamos optar pela

data “três” como data focal. O critério a ser utilizado na equivalência é o do desconto racional.

Sabemos que, no desconto racional composto, a relação entre o valor atual

A

r

e o valor nominal N

é dada por

N

=

A

(

1

+

i

)

n

A

=

N

(

1 + i

) n

, onde n é o prazo de antecipação e i a taxa unitária da

operação Portanto, nesse caso temos a seguinte equação de equivalência:

x

=

15 704 94

.

,

(

1

+

0 025

,

)

2 24 689 68

+

.

,

(

1

+

0 025

,

)

2

=

x

16 500 00

.

,

+

23 500 00

.

,

=

x

Resposta: R$ 40.000,00

40 000 00

.

,