Sie sind auf Seite 1von 1
64 ISSN 1677-7042 1 Nº 240, quinta-feira, 11 de dezembro de 2014
64 ISSN 1677-7042
1 Nº 240, quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO, GÁS NATURAL E BIOCOMBUSTÍVEIS

RESOLUÇÃO Nº 65, DE 10 DE DEZEMBRO DE 2014

O DIRETOR-GERAL SUBSTITUTO da AGÊNCIA NA-

CIONAL DO PETRÓLEO, GÁS NATURAL E BIOCOMBUSTÍ- VEIS - ANP, no uso das atribuições que lhe foram conferidas pela Portaria ANP nº 300, de 14 de agosto de 2014, e pelos incisos VII e

XVI

do art. 8° da Lei n.º 9.478, de 6 de agosto de 1997, de acordo

com

a Resolução de Diretoria nº 1246, de 3 de dezembro de 2014, e

tendo em vista o disposto no artigo 7° da Lei n.° 12.276, de 30 de junho de 2010, no inciso X do artigo 2° da Lei n.° 12.351, de 22 de dezembro de 2010, no inciso IV do art. 3º, no art. 4º e no art. 5º do Decreto n.º 2.705, de 3 de agosto de 1998, no item 10.2 e no Anexo

A do Regulamento Técnico de Medição, aprovado pela Resolução

Conjunta ANP/Inmetro n° 1, de 10 e junho de 2013, Considerando que:

A ANP possui a atribuição legal de acompanhar e fiscalizar

as atividades da indústria do petróleo e gás natural;

O Regulamento Técnico de Medição, aprovado pela Reso-

lução Conjunta ANP/Inmetro n° 1/2013, estabelece como atribuição

da ANP a regulamentação da utilização dos resultados da medição de

petróleo e gás natural, a padronização do conteúdo, da frequência e

da

forma como serão enviados os dados e informações dos sistemas

de

medição de produção e movimentação de petróleo, gás natural e

água; resolve:

Art. 1º Aprovar o Regulamento Técnico de Envio de Dados

de Produção e Movimentação de Petróleo, Gás Natural e Água, anexo

à presente Resolução, o qual estabelece os prazos e procedimentos

que deverão ser observados no envio dos dados e informações dos

sistemas de medição de produção e movimentação de petróleo, gás natural e água, e dá outras providências. Art. 2° Fica concedido o prazo de 6 (seis) meses para o

início do envio dos dados e informações dos sistemas de medição de

água a partir da divulgação do modelo de arquivo para o envio pela

A N P. Parágrafo único. A ANP poderá prorrogar por até 6 (seis)

meses o prazo para o início do envio dos dados e informações dos sistemas de medição de água mediante fundamentação técnica do agente regulado. Art. 3º O não cumprimento das disposições contidas na pre- sente Resolução sujeitará o infrator às penalidades previstas na le- gislação, em especial na Lei nº 9.847, de 26 de outubro de 1999. Art. 4º Os casos omissos, bem como as disposições com- plementares que se fizerem necessárias, serão resolvidos pela ANP.

Art. 5º Esta Resolução entra em vigor 90 dias após a sua publicação no Diário Oficial da União.

WALDYR MARTINS BARROSO

ANEXO

REGULAMENTO TÉCNICO DE ENVIO DE DADOS DE PRODUÇÃO E MOVIMENTAÇÃO DE PETRÓLEO, GÁS NATU-

RAL

E ÁGUA A QUE SE REFERE À RESOLUÇÃO ANP Nº. 65

,DE

10 DE DEZEMBRO DE 2014. 1.OBJETIVO E CAMPO DE APLICAÇÃO

1.1.Objetivo

1.1.1.Este Regulamento tem por objetivo regulamentar o dis-

posto

no item 10.2.1 do Regulamento Técnico de Medição, aprovado

pela

Resolução Conjunta ANP/Inmetro nº 1/2013, estabelecendo os

prazos e procedimentos que deverão ser observados no envio dos

dados e informações dos sistemas de medição de produção e mo- vimentação de petróleo, gás natural e água. 1.2.Campo de Aplicação 1.2.1.Este Regulamento se aplica aos dados e informações

dos sistemas de medição de produção e movimentação de petróleo,

gás natural e água que venham a ser utilizadas para:

1.2.1.1.Medição fiscal da produção de petróleo e gás natural

na fase de produção do campo ou em Testes de Longa Duração

(TLD); 1.2.1.2.Medição para apropriação dos volumes produzidos a poços e campo produtor; 1.2.1.3.Medição para controle operacional do gás natural queimado/ventilado e injetado; 1.2.1.4.Medição fiscal da produção de petróleo e gás natural em testes de formação quando solicitados pela ANP; 1.2.1.5.Outros medidores operacionais não classificados nos

subitens 1.2.1.1, 1.2.1.2, 1.2.1.3 e 1.2.1.4, quando solicitados pela

A N P. 1.2.2.Este Regulamento se aplica aos volumes de gás natural

e água estimados com autorização da ANP.

2.DEFINIÇÕES

Para efeito deste Regulamento são consideradas as seguintes definições, além daquelas constantes da Lei n.º 9.478/1997, modi- ficada pelas Leis n.º 11.097/2005 e n.º 11.909/2009, da Lei n.°

12.351/2010, do Decreto n.° 2.705/1998, do Decreto n.º 7.382/2010,

do Contrato para Exploração, Desenvolvimento e Produção de Pe-

tróleo e Gás Natural e da Resolução Conjunta ANP/Inmetro n°

1/2013: 2.1.Sistema de Fiscalização da Produção - SFP - Sistema que receberá os dados e informações dos sistemas de medição de pro- dução e movimentação de petróleo, gás natural e água. 2.2.Arquivo XML - Arquivos XML (Extensible Markup Language) consistem em arquivos no formato de texto com conteúdo estruturado. 3.CADASTRO DOS PONTOS DE MEDIÇÃO 3.1.O agente regulado deve realizar o cadastro dos pontos de medição fiscais, de apropriação e operacionais de petróleo, gás na-

tural e água no SFP da ANP.

3.1.1.A ANP disponibilizará no endereço eletrônico www.anp.gov.br o manual do cadastro dos pontos de medição. 3.1.2.Qualquer alteração no padrão de cadastro dos pontos de medição do SFP será comunicada ao agente regulado e disponi- bilizada no endereço eletrônico da ANP, com antecedência mínima de

90 dias de sua efetiva implementação. 3.1.3.Qualquer alteração dos sistemas de medição aplicados aos pontos de medição fiscais, de apropriação ou operacionais de petróleo, gás natural e água deve ser atualizada no cadastro dos pontos de medição do SFP em até 1 (um) dia útil após a realização da alteração. 3.1.3.1.Em casos de indisponibilidade do SFP maior do que 2 horas, por motivo de falha dos servidores e infraestrutura da ANP que suportam o sistema, as alterações no cadastro deverão ser rea- lizadas 1 (um) dia útil após a comunicação de retorno do sistema. 4.PADRÃO DO ENVIO DOS DADOS E INFORMAÇÕES 4.1.A ANP disponibilizará no endereço eletrônico

www.anp.gov.br o padrão do envio dos dados e informações dos

sistemas de medição de produção e movimentação de petróleo, gás

natural e água. 4.1.1.Será disponibilizado o padrão dos arquivos XML, a serem enviados por meio de WebService, bem como os manuais dos

mesmos. 4.1.2.Qualquer alteração no padrão dos arquivos XML será comunicada ao agente regulado e disponibilizada no endereço ele- trônico da ANP, com antecedência mínima de 120 dias de sua im-

plementação. 5.DADOS E INFORMAÇÕES DE PRODUÇÃO E MOVI- MENTAÇÃO DE PETRÓLEO, GÁS NATURAL E ÁGUA 5.1.O agente regulado deve enviar os dados e informações dos sistemas de medição fiscal de petróleo e gás natural, de apro- priação contínua de petróleo e gás natural, operacional de petróleo, gás natural queimado/ventilado, gás natural injetado e água, bem como os potenciais de produção dos testes de poços e os resultados das análises físico-químicas de petróleo e gás natural. 5.2.O agente regulado deve enviar os dados e informações dos sistemas de medição de produção e movimentação de petróleo, gás natural e água para a ANP por meio de WebService, em arquivos no formato XML. 5.2.1.O envio dos dados e informações dos sistemas de me- dição de produção e movimentação de petróleo, gás natural e água deve atender aos requisitos mínimos de segurança da informação exigidos pela ANP. 5.2.2.O fluxo dos dados e informações dos sistemas de me- dição de produção e movimentação de petróleo, gás natural e água, desde o dado bruto até a geração do arquivo no formato XML, deve ser submetido à aprovação prévia da ANP. 5.2.2.1.Qualquer alteração no fluxo dos dados e informações dos sistemas de medição de produção e movimentação de petróleo, gás natural e água, deve ser submetida à aprovação prévia da ANP com antecedência mínima de 90 dias. 5.3.Os campos marginais de petróleo e gás natural operados por empresas de pequeno e de médio porte, de acordo com a le- gislação aplicável, poderão prescindir do envio dos dados e infor- mações dos sistemas de medição de produção e movimentação de petróleo, gás natural e água, desde que previamente autorizados pela

A N P. 5.3.1.A solicitação de autorização descrita no item 5.3 deve

conter justificativa e demonstração da inviabilidade econômica de implementação do envio nos termos do item 5.2 deste Regulamen-

to. 5.3.2.Os dados e informações dos sistemas de medição de petróleo, gás natural e água contidos nos arquivos XML são con- siderados complementares aos relatórios de medição estabelecidos nos itens 10.1.4 e 10.1.5 do Regulamento Técnico de Medição, apro- vado pela Resolução Conjunta ANP/Inmetro nº 1/2013. 6.PRAZOS PARA O ENVIO DOS DADOS E INFORMA-

ÇÕES 6.1.Sistemas de Medição Fiscal de Petróleo e Gás Natural 6.1.1.O agente regulado deve enviar dados e informações dos sistemas de medição fiscal de petróleo e gás natural em até 1 (um) dia útil após o fechamento do relatório de medição, de acordo como item 10.1.2 do Regulamento Técnico de Medição, aprovado pela Reso- lução Conjunta ANP/Inmetro n° 1/2013. 6.2.Sistemas de Medição de Apropriação Contínua de Pe- tróleo e Gás Natural 6.2.1.O agente regulado deve enviar dados e informações dos sistemas de medição de apropriação contínua de petróleo e gás na- tural em até 1 (um) dia útil após o fechamento do relatório de medição, de acordo como item 10.1.2 do Regulamento Técnico de Medição, aprovado pela Resolução Conjunta ANP/Inmetro n°

1/2013. 6.3.Potenciais de Produção de Petróleo, Gás Natural e Água dos Poços 6.3.1.O agente regulado deve enviar dados e informações dos potenciais de produção dos poços em até 5 (cinco) dias úteis após o fechamento do relatório de teste de poço, de acordo como item 10.1.5 do Regulamento Técnico de Medição, aprovado pela Resolução Con- junta ANP/Inmetro n° 1/2013. 6.4.Sistemas de Medição Operacional de Petróleo, Gás Na- tural Queimado/Ventilado, Gás Natural Injetado e Água 6.4.1.O agente regulado deve enviar dados e informações dos sistemas de medição operacional de petróleo, gás natural queima- do/ventilado, gás natural injetado e água em até 1 (um) dia útil após

o fechamento do relatório de medição, de acordo como os itens 7.5.3

e 10.1.2 do Regulamento Técnico de Medição, aprovado pela Re- solução Conjunta ANP/Inmetro n° 1/2013. 6.5.Resultados das Análises Físico-Químicas de Petróleo e Gás Natural

6.5.1.O agente regulado deve enviar dados e informações do resultado das análises físico-químicas de petróleo e gás natural em até 1 (um) dia útil após a implementação do resultado das análises físico- químicas de petróleo e gás natural para as medições subsequentes, de acordo como os itens 8.1 e 8.2 do Regulamento Técnico de Medição, aprovado pela Resolução Conjunta ANP/Inmetro n° 1/2013, e item 4.4 do Regulamento Técnico de Implementação de Resultados de Análises Físico-Químicas para as Medições Subsequentes de Petróleo

e Gás Natural, aprovado pela Resolução ANP n° 52/2013.

7.FISCALIZAÇÃO

7.1.A ANP poderá, a qualquer tempo, fiscalizar o envio dos dados e informações dos sistemas de medição de produção e mo- vimentação de petróleo, gás natural e água. Todos os documentos objeto deste Regulamento devem ser preservados para fins de au- ditoria pelo período mínimo de dez anos, devendo ser garantida a sua veracidade. 7.2.Os documentos indicados neste Regulamento devem ser disponibilizados para a ANP sempre que solicitados. 7.3.Os instrumentos, equipamentos e pessoal de apoio, ne- cessários para a realização das fiscalizações devem ser providos pelo agente regulado, sem ônus para a ANP. 7.4.A ANP poderá solicitar, a qualquer tempo, outras in- formações e documentos necessários à fiscalização.

RESOLUÇÃO Nº 66, DE 10 DE DEZEMBRO DE 2014

DIRETOR-GERAL SUBSTITUTO da AGÊNCIA NA-

CIONAL DO PETRÓLEO, GÁS NATURAL E BIOCOMBUSTÍ- VEIS - ANP, no uso das atribuições que lhe foram conferidas pela Portaria ANP nº 300, de 14 de agosto de 2014, tendo em vista as disposições da Lei nº 9.478, de 6 de agosto de 1997, e da Resolução de Diretoria nº 1247 de 3 de dezembro de 2014, torna público que:

Art. 1º O art. 6º da Portaria ANP nº 143, de 25 de setembro de 1998, passa a vigorar com a seguinte redação:

"Art. 6º Nos casos de terras cuja titularidade seja duvidosa ou indefinida, ou quando o seu proprietário não for localizado, o concessionário efetuará o pagamento mensal mediante depósito em uma conta de poupança específica para cada propriedade, transferindo

o saldo existente ao proprietário após o mesmo ter sido legalmente

definido ou localizado.

§ 1º Findo o contrato de concessão e permanecendo dúvida

ou indefinição quanto à titularidade das terras, ou ainda não tendo

sido localizado o seu proprietário, o saldo existente na conta de

poupança referente às propriedades da concessão será transferido para

a Conta Única do Governo Federal, onde permanecerá à disposição

do interessado pelo prazo prescricional previsto em lei.

§ 2º O concessionário poderá optar, desde que aprovado pela

ANP, pela realização dos depósitos em uma conta de poupança única para todas as terras cuja titularidade seja duvidosa ou indefinida, ou quando o seu proprietário não for localizado.

§ 3º A aprovação de que trata o §2º desse artigo será con-

cedida desde que o concessionário comprove a utilização de um sistema informatizado, auditável a qualquer momento pela ANP, que possibilite o controle individualizado dos saldos referentes aos de- pósitos mensais para cada proprietário de terra indefinido ou não localizado.

§ 4º Determinado legalmente o titular das terras, ou lo-

calizado o seu proprietário, o concessionário efetuará o repasse ao proprietário da terra do saldo existente na conta de poupança referente àquela propriedade e apresentará à ANP os comprovantes desses repasses juntamente com a memória de cálculo detalhando os valores

repassados. § 5º O concessionário que optar pela realização dos de- pósitos em uma conta de poupança única para todas as terras cuja titularidade seja duvidosa ou indefinida, ou quando o seu proprietário não for localizado, deverá enviar à ANP semestralmente extrato ban- cário atualizado demonstrando os depósitos mensais realizados na referida conta de poupança única." (NR) Art. 2º. Esta Resolução entra em vigor na data de sua pu-

blicação.

O

WALDYR MARTINS BARROSO

RESOLUÇÃO Nº 67, DE 10 DE DEZEMBRO DE 2014

O DIRETOR-GERAL SUBSTITUTO da AGÊNCIA NA-

CIONAL DO PETRÓLEO, GÁS NATURAL E BIOCOMBUSTÍ- VEIS - ANP, no uso das atribuições que lhe foram conferidas pela Portaria ANP nº 300, de 14 de agosto de 2014, e com base na Resolução de Diretoria 1287, de 10 de dezembro de 2014, torna público o seguinte ato:

Art. 1º Ficam estabelecidos, conforme apresentado na tabela em anexo, os preços mínimos dos petróleos produzidos no mês de novembro de 2014, para os campos das áreas concedidas pela ANP para o exercício de atividades de exploração e produção de petróleo e gás natural, a serem adotados para fins de cálculo das participações governamentais de que trata a Seção VI, do Capítulo V, da Lei n.º 9478, de 06 de agosto de 1997, na hipótese prevista no § 11 do art. 7º do Decreto n.º 2.705, de 03 de agosto de 1998, preços mínimos estes calculados conforme a Portaria n.º 206, de 29 de agosto de

2000.

Art. 2º Os preços de que trata o artigo anterior não incluem

a Contribuição ao Programa de Integração Social do Trabalhador -

PIS, a Contribuição ao Programa de Formação do Servidor Público - PASEP, a Contribuição Social para o Financiamento da Seguridade Social - COFINS e o Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e sobre as Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação - ICMS. Art. 3º Esta Resolução entra em vigor na data de sua pu-

blicação.

Art. 4º Revogam-se as disposições em contrário.

WALDYR MARTINS BARROSO

Este

pelo código 00012014121100064

documento pode ser verificado no endereço eletrônico http://www.in.gov.br/autenticidade.html,

Documento assinado digitalmente conforme MP n o - 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil.