Sie sind auf Seite 1von 2

Comunho

4.06

O MEU CORPO

1. Como o Senhor nos amou, jamais algum pode amar,


Plo caminho da justia nos ensina a caminhar
Quando estamos reunidos e partilhamos Seu po
Ele nos d o Seu amor e a Sua paz

o Meu Corpo: tomai e comei.


o Meu Sangue: tomai e bebei:
Porque Eu sou a vida, porque eu sou o amor.
Senhor faz-nos viver no Teu amor.

2. Como o Senhor nos amou, jamais algum pode amar,


Em tudo o que nos legou manifesta o Seu amor.
Quem comer a Minha carne e beber o Meu sangue,
Permanecer em mim e Eu nele.

3. Sempre que este po tomais e deste clice bebeis,


At que o senhor volte sua morte anunciais:
Quem tomar indignadamente este santo alimento,
Ser ru do Corpo e Sangue do Senhor.

4. Como o Senhor nos amou, jamais algum pode amar,


Reuniu os homens todos na justia e na verdade.
Quem no mundo quer amar um membro do seu corpo
Nada o pode separar do seu amor.

5. Se beberdes deste clice e comerdes deste po,


O senhor vos h-de dar o dom da ressurreio.
Do altar vamos partir ao encontro dos irmos,
Levando a graa de Deus em nossas mos.

6. O Senhor nos vem salvar e nos vem tornar irmos, Epifania


Como os homens mais humildes trabalhou com suas mos.
o filho do carpinteiro, todo o dia a trabalhar,
Ele vive em cada dia para amar.

7. Como o Senhor nos amou, jamais algum pode amar,


Percorreu o seu pas para a todo o povo falar.
Revelou-lhe a salvao e falou-lhe de Seu Pai,
Proclamou a liberdade e o amor.

____________________________________________________________________________
Coro da Parquia de So Pedro do Prior Velho www.paroquia-sppv.pt
Comunho

8. Como o Senhor nos amou, jamais algum pode amar, Mistrio Pascal
No dia da grande ceia os ps aos seus foi lavar,
Sabeis o que vos fiz, eu que sou Mestre e Senhor,
Eu vos dei o meu exemplo de amor.

9. Foi to grande o Seu amor, que se fez a nossa luz,


Foi to srio o Seu amor, que morreu sobre uma cruz.
Foi to forte o Seu amor, que da morte triunfou,
Do Seu tmulo o Senhor ressuscitou.

10. Glria ao Pai que nos criou, gloria ao Filho redentor. Concluso
Glria ao Esprito da vida que nos d o Seu amor.
Unidos por este po que o Senhor transformou,
Dmos graas ao Senhor que nos salvou.

11. Como o Senhor nos amou, jamais algum pode amar, Natal
Quis nascer to pobrezinho no prespio de Belm.
Os pastores e os reis magos Lhe trouxeram seus presentes,
Pois sabiam que era o precursor da paz.

porque eu quero ser como Tu s.


porque eu quero viver para Ti,
Que Senhor, Te peo que o po que nos ds,
seja s para viver, s para Te servir. M. Bebaisieux / Msica: Espiritual Negro

____________________________________________________________________________
Coro da Parquia de So Pedro do Prior Velho www.paroquia-sppv.pt