You are on page 1of 2

DETECÇÃO DE ADULTERAÇÃO DE LEITE DE CABRA EM PÓ COM LEITE BOVINO EM PÓ POR FLURESCÊNCIA

“FRONT-FACE” E POR FLUORESCÊNCIA RESOLVIDA PELO TEMPO

Mariana P. Brandao, Mariana Gouvea Neto, Virgílio de Carvalho dos Anjos e Maria José V. Bell.

Alunos: Ana J. Soares e Renan Pilotti

INTRODUÇÃO vida (lifetime). Foi realizada uma deconvolução do perfil de decaimento da
intensidade com o tempo utilizando um software F900 disponibilizado pela
O leite é uma importante fonte de nutrientes e o leite em pó é muito Edinburgh. O melhor modelo que se encaixou ao decaimento foi o modelo
utilizado, pois tem uma vida útil prolongada, é de fácil armazenamento e com três exponenciais (i=3). Os valores de βn1, βn2, βn3 e τ1, τ2, τ3 foram
transporte e não necessita de refrigeração devido ao baixo teor de determinados pelo software.
umidade. Apesar do leite de vaca ser produzido em larga escala e a Processamento de dados: Foi realizada uma regressão por mínimos
baixos preços, é comum a ocorrência de alergias, principalmente em quadrados parciais (PLS) no espectro de emissão normalizado para
crianças. O leite de cabra é similar ao de vaca na sua composição, porém estudar as combinações de variáveis e comparar os padrões espectrais
a falta de betacaroteno e aglutinina faz com que este tenha menor teor de para amostras de leite de cabra em pó, leite de vaca em pó e mistura de
gordura e diferentes tipos de caseínas, sendo assim mais fácil de digeri- ambos em diferentes proporções. A diferença nos valores de decaimento
lo. Devido às características menos alergênicas, o leite de cabra vem τ1, τ2 e τ3 entre diferentes adulterações foram analisadas por ANOVA
sendo considerado uma excelente matéria-prima para alimentos através de dois métodos. Pelos ajustes de decaimento experimental foi
industrializados para crianças, idosos e pessoas com necessidades calculado o tempo de vida da intensidade média (<τI>), através da
médicas particulares. Portanto, é de grande importância investigar a equação < τI> = ∑βni τi²/∑βni τi.
autenticidade do leite em pó de cabra e a possível contaminação ou
fraude com leite em pó de vaca. DISCUSSÃO
Alguns métodos já foram estudados visando à investigação de
1
contaminações ou fraudes tais como espectroscopia Raman vibracional e A Figura 1 mostra os resultados obtidos para o percentual de
2
ELISA (ensaio de imunoabsorção enzimática) . Também há estudos de adulteração calculado pelo modelo PLS (ajustado) versus o valor real
propriedades importantes do leite por outros métodos tais como medido (observado). A Figura 2 representa a diferença dos valores do
3 4 5 6
espectroscopias no UV-Vis , no IV ou FTIV , no IV próximo e médio , modelo ajustado e dos valores observados para as porcentagens de leite
7-10 11
fluorescência , espectroscopia Raman combinada com IV e de vaca. Observa-se que os resíduos não apresentam um padrão e que
12
Microscopia Raman confocal . algumas amostras apresentaram valores de resíduo elevado, o que pode
ser atribuído em parte pela distribuição não homogênea na superfície das
REVISÃO DA LITERATURA amostras.

O leite contém muitos fluoróforos, incluindo resíduos de triptofano,
vitamina A, flavinas e produtos avançados da reação de Maillard, sendo
possível utilizar técnicas espectroscópicas baseadas na fluorescência
para identificar possíveis contaminações e fraudes no leite. O leite em pó
possui três tempos de vida (τ) em 315/468 nm (emissão/excitação). Os
leites de vaca em pó apresentam um aumento no terceiro tempo de vida
em 315/468 nm quando comparado com o leite de cabra.
Espectroscopia “front-face” pode investigar propriedades
fluorescentes de amostras túrbidas ou opacas enquanto a fluorescência
resolvida pelo tempo oferece certas vantagens para a caracterização de
produtos alimentícios quando comparada com espectroscopia “steady-
state”, pois essa técnica mede a dependência de tempo (tempos de vida)
da fluorescência ao invés da intensidade de emissão. Os tempos de vida
são determinados pelo decaimento da intensidade da fluorescência e não
dependem da excitação, duração da exposição à luz ou o método de
medida. Mais importante ainda, o foto branqueamento não altera o tempo
de vida da fluorescência, e é independente da intensidade de
fluorescência e largamente independente das concentrações de
fluoróforo.

OBJETIVOS

Investigar os métodos de fluorescência estacionária e de
fluorescência resolvida pelo tempo como uma alternativa para rápida
quantificação de “screening” de fraudes em leite de cabra em pó com leite
de vaca em pó.

METODOLOGIA

Preparação da amostra: Foram adquiridos lotes de leite de cabra em
pó e de leite de vaca em pó do mesmo fabricante em supermercados
locais. Adulterações do leite de cabra em pó foram realizadas preparando
amostras com quantidades fixas de leite de vaca em pó. O percentual de
leite bovino em pó nas amostras foi de 0%, 1%, 3%, 5%, 8% 10%, 15%,
20%, 25%, 30%, 50% e 100%. As amostras foram pressionadas com uma
prensa hidráulica com o auxílio de um suporte (Edinburgh Insturments)
com o objetivo de criar um disco. As medidas foram realizadas após a
preparação das amostras.
Espectroscopia de fluorescência “front-face”: A fonte de excitação foi
realizada a 315 nm com uma lâmpada ultrarrápida Edinburgh nf900
preenchida com gás hidrogênio. A detecção dos fótons emitidos foi
realizada com um espectrômetro FL920 com um fotomultiplicador sensível
ao azul.
Espectroscopia de fluorescência resolvida pelo tempo: A intensidade As medidas de excitação/emissão em 315/468 nm da fluorescência
de fluorescência em função do tempo é dada pela equação: resolvida pelo tempo resultaram em três tempos de vida de fluorescência
I(t) = ∑βni exp[-t/ τi], onde βi é um fator pré-exponencial e τi é o tempo de para cada percentual de adulteração da amostra. Os valores de tempo de

tempos de vida (ANOVA) e pode-se classificar o percentual de adulteração em grupos: 100% leite de vaca.. D. Journal of Zhejiang University Science B. D. D. S. Yong. V. 2016. 478-481.. Levieux. G. Mendes. Anjos.. 53(3).vida são apresentados na Tabela 1. o que aumenta para as amostras de leite de vaca em pó e leite de cabra em pó.. R. 13. 6. M. A. J. 1697-1704. Journal of Agricultural and Food Chemistry. Jiahui. & Kivatinitz. Varriale. com um coeficiente de determinação (R²) de 0. & Yang. Porto. Hansen. A. G. 2005. J. V.. F. Feng. 2005. 6071-6079. da temperatura e da oxidação . As interações . G. 2015. 3559-3567. A. L.. & de la Guardia.. R... Kulmyrzaev. Journal of Agricultural and Food Chemistry. da umidade. H. 10... Journal of Agricultural and Food Chemistry.. 2015. & Bell. & Dufour. Journal of Food Engineering.. Guan. I. A Figura 3 apresenta a função de decaimento podem causar mudanças conformacionais na vitamina A. 502-507. X. Song. A. entre 20%-30% de leite de vaca.. S.. como a oxidação e o armazenamento no leite de cabra em pó. M. Echeverría.. F. & Han. & Mikkelsen. D. B. T. 593(1). Xue. 2016. Kulmyrzaev. Baum. 2009. P.. C. Oliviero. A dificuldade em atingir uma boa homogeneização da mistura das amostras. D. J. 1996. Para diminuir os resíduos e os desvios. Majoli.. Furtado. P.95 (Figura leite de vaca em pó... 11. C. Ye. H.. 9159-9164. 30-38. M. 47.. & Sun. Analytica Chimica Acta. 7.. aumenta linearmente com o valor de leite de vaca adicionado ao leite de O tempo de vida da intensidade média (<τI>) resume a informação da cabra em pó (contaminação).. Estudos futuros ainda são necessários para 4). Pinto. 883-887. Forcato. Brito... menos que 10% de leite de vaca e 100% leite de cabra quando utilizado o Este estudo demonstrou com sucesso que o tempo de vida de terceiro tempo de vida. & Shuijuan. Liu. E. REFERÊNCIAS 1. é necessário compreender os efeitos dos produtos da reação 13 de Maillard. 53(3). 692-698. R. e a presença de mais um grupo fluoróforo para excitação/emissão em 315/468 nm são algumas das possíveis razões para o desvio dos valores em alguns grupos. H. 423-428.. 2001. Paiva. A.. A.834.. Essas interações intensidade com o tempo. Estes resultados indicam a fluorescência função de decaimento da fluorescência. C. Moros. O. O. S. et al. & Jimenez-Perez. Food Control. 63(41). Journal of Raman Spectroscopy. Pode-se contaminado com leite de vaca em pó. et al. W. G.. entre 10%-20% de leite de vaca... 57(3). D’Errico.. A. L. J. S. & Dufour.. 502-507. Wu. M. 88(2). Garrigues. Y.. L. Journal of Agricultural and Food Chemistry. Os resultados mostram que o afirmar que o maior tempo de vida (τ3) apresenta comportamento linear tempo de vida da intensidade média na excitação/emissão de 315/468 nm em relação ao percentual de adulteração. e pó diferem significativamente. M. W. 5. J. M. 2008. Di. pois representa a soma de resolvida pelo tempo como uma técnica promissora para aplicação como contribuições fracionárias do tempo de vida. Foi realizado um tratamento estatístico dos desta forma aumentar seu tempo de vida. Rocha. 2005. correlacionar os tempos de vida com a concentração dos constituintes e para entender os efeitos de outros processos. Romero. A. P. Sato... A. S. K. apresentando bons resultados. A. 4. 57(5). E. Morales. 6(11). 84(1). Pecora.. 99. S. Journal of Dairy Science.. E.. 2011. 2005. Sørensen. A. D Journal of Dairy Science. As o tempo de vida de sua fluorescência. Levieux. 1101-1106. 8. D.. O percentual do intervalo de confiança é alto e o fluorescência pode identificar fraudes em leite de cabra em pó modelo apresenta um coeficiente de determinação (R²) de 0. Carmine.. F. He. Pennacchio. 3. Y. mais de 30% de leite de CONCLUSÃO vaca. Estudos futuros são necessários emissões de fluorescência do leite de vaca em pó e do leite de cabra em para compreender a exata mudança conformacional da vitamina A. 2. Nørgaard. 12. S. 9. Os tempos de vida foram da vitamina A com lipídios e proteínas podem ser diferentes no leite de determinados através da deconvolução da função de decaimento da cabra em pó quando comparado ao leite de vaca em pó. D. M. Junqueira. 124-131. 22(6). 98. W.. Journal of Dairy Science. Food Chemistry. Oliveira. A regressão linear apresenta avaliação em tempo real do leite em pó de cabra e fraudes por adição de um ótimo ajuste.