Sie sind auf Seite 1von 22
Escola Secundária Seomara da Costa Primo Eu sou a Rita Mendes E eu a Soraia

Escola Secundária Seomara da Costa Primo

Escola Secundária Seomara da Costa Primo Eu sou a Rita Mendes E eu a Soraia Leitão
Eu sou a Rita Mendes E eu a Soraia Leitão Olá, eu sou o Tiago
Eu sou a Rita
Mendes
E eu a Soraia
Leitão
Olá, eu sou o
Tiago Batista

http://doutrolado.blogs.sapo.pt

Rua Elias Garcia nº 329 2700-323 Amadora Telefone: 214985990 www.malhatlantica.pt/esseomaracostaprimo

214985990 www.malhatlantica.pt/esseomaracostaprimo Ao nosso Professor, Alfredo Garcia, um muito Obrigado!

Ao nosso Professor, Alfredo Garcia, um muito Obrigado!

Mais que um professor, Um companheiro de aventuras!

DoutroLado

DoutroLado Índice Apresentação

Índice

Apresentação ……………………………………………………………………………………… 2 ……………………………………………………………………………………… 2

Introdução ……………………………………………………………………………………….…. 3 ……………………………………………………………………………………….…. 3

Seminário “Envelhecimento Activo” …………………………………………………… 5 “Envelhecimento Activo” …………………………………………………… 5

Objectivos …………………………………………………………………………………………… 6 …………………………………………………………………………………………… 6

Decreto Lei …………………………………………………………………………………………. 7 Lei …………………………………………………………………………………………. 7

Serviços de Apoio aos Idosos ……………………………………………………………… 9 de Apoio aos Idosos ……………………………………………………………… 9

Instituições ……………………………………………………………………………………… 10 10

Inquéritos ……………………………………… …………………………………………………. 16 ……………………………………… …………………………………………………. 16

Conclusão ………………………….……………………………………………………………… 18 ………………………….……………………………………………………………… 18

Galeria ………………………………………………………………………………….…………… 19 ………………………………………………………………………………….…………… 19

Contactos Úteis ……………19

….………………………………………………………………

21

DoutroLado

DoutroLado Apresentação Olá, Somos alunos do 12º ‐ 3ª, da Escola Secundária Seomara da Costa Primo,

Apresentação

Olá,

Somos alunos do 12º 3ª, da Escola Secundária Seomara da Costa Primo, da Amadora, e, aceitámos participar no desafio lançado pela Universidade de Aveiro, d’ as Cidades Criativas, no âmbito da disciplina de Área de Projecto, sob a coordenação do Professor Alfredo Garcia.

O nosso projecto será acerca d' o Envelhecimento e escolhemolo porquê?

Para nós, todas as pessoas que fazem parte da comunidade são importantes independentemente da idade, mas os nossos grandes adultos, são sem dúvida a razão pela qual nós cá nos encontramos.

Cuidaram dos nossos pais e os que puderam ainda cuidaram de nós, por isso agora é a nossa vez de invertermos os papéis e fazer com que vivam o melhor possível.

Com este trabalho vamos tentar perceber o que é feito na nossa Cidade para que a qualidade de vida dos nossos idosos seja melhorada e vamos levantar a voz às entidades competentes quando nos depararmos com situações menos boas.

Queremos chegar ao fim do ano com a certeza que marcámos a diferença.

Achamos que podemos fazer um trabalho interessante convivendo e participando de alguma forma na vida desta população, muitas vezes, esquecida. Pretendemos mostrar que ter mais de 65 não é de forma nenhuma estar morto, ser inútil.

DoutroLado

DoutroLado Introdução Ao longo destes 9 meses muito se passou. Investigámos o que é feito no

Introdução

Ao longo destes 9 meses muito se passou. Investigámos o que é feito no nosso concelho para a população sénior e observámos que um lote diversificado de actividades para ocupar e ajudar a vida dos mais velhos mas que, também, existe gente isolada do mundo, gente trancada em casa porque simplesmente vive num prédio sem acessos.

A Amadora é a quarta cidade com mais população e vimos que muita desta população viveu ainda no tempo da “Porcalhota”. muitos idosos que residem aqui. Uns porque gostam, outros porque foram ficando, outros porque foram mesmo deixados por cá.

Fomos visitar algumas instituições, participámos em algumas actividades, tentámos perceber como é o dia a dia desta gente vivida. Estivemos em contacto com as problemáticas de muitos destes velhos.

Mas, antes de mais, vamos contextualizar nos no tempo e no espaço. A demografia mundial tem sofrido alterações e a população está cada vez mais envelhecida.

No entanto, este é um problema que afecta não Portugal, mas também todo o mundo desenvolvido, em particular, a Europa.

O envelhecimento é maior nas regiões do interior mas, o número de pessoas idosas

em todo o mundo está a aumentar!

A nível mundial, a população idosa está a crescer cerca de 2% ao ano, ou seja, mais

rapidamente do que a população total.

Embora o fenómeno do envelhecimento demográfico tenha uma escala mundial, existem diferenças entre os países em desenvolvimento. Nos países desenvolvidos o envelhecimento demográfico está a crescer rapidamente. Nestes países a população idosa representava, em 2005, cerca de 1/5 da população total e em 2050 representará 1/3. Esta é também uma realidade que caracteriza a Europa.

O fenómeno de envelhecimento demográfico tem sido acompanhado pelo aumento

sustentado da população muito idosa, ou seja, a população com 80 anos e mais, o que reforça ainda mais este fenómeno.

Estima se que nos próximos 15 anos, o número de pessoas muito idosas aumente 50%.

DoutroLado

DoutroLado Causas do envelhecimento O progresso de vida nas condições sanitárias, principalmente, no campo

Causas do envelhecimento

O progresso de vida nas condições sanitárias, principalmente, no campo da medicina veio aumentar a esperança de vida. Por outro lado, a redução da natalidade veio reforçar o envelhecimento da população.

Consequências do envelhecimento

Diminuição da população jovem;

Redução da população activa;

Redução dos recursos humanos;

Menor volumes de descontos para a segurança social;

Aumento dos encargos para a protecção social.

Medidas para atenuar as consequências do envelhecimento da população

Elevar a idade da reforma de modo que a população idosa continue a trabalhar e a contribuir para a segurança social;

Dar incentivos para que a natalidade aumente;

Promover a integração dos imigrantes;

Investir na educação e nas novas tecnologias de forma a dotar os jovens de capacidades que respondam aos novos desafios que se colocam ao país.

DoutroLado

DoutroLado Seminário “Envelhecimento Activo” Fomos no dia 30 de Outubro de 2007, assistir, no auditório

Seminário “Envelhecimento Activo”

Fomos no dia 30 de Outubro de 2007, assistir, no auditório da Câmara Municipal da Amadora, conjuntamente com o nosso coordenador de Projecto Prof. Alfredo Garcia, ao Seminário “ENVELHECIMENTO ACTIVO”, onde foram participantes uma série de entidades oficiais e não oficiais (Gab. de Acção Social, DECO, PSP, Inst. Segurança Social, Loja do Avô, Santa Casa da Misericórdia, CUTLA entre outros), que trabalham na nossa Cidade para apoiar, proteger, encaminhar e tratar a nossa população Sénior.

Esta visão da cidade motivou nos, ainda mais, para um trabalho que duraria todo o ano lectivo, deunos ideias, retirámos conhecimentos e obtivemos alguns contactos necessários.

Foi para nós, como estudantes, uma grande experiencia, pois podemos tomar contacto com as organizações que trabalham nesta área tão sensível e perceber o que cada uma tem para oferecer ao Idoso.

Para o nosso trabalho e porque estávamos praticamente no arranque foi o melhor que nos podia ter acontecido pois, se por um lado tomamos consciência de quais as áreas de intervenção de cada entidade e com quem poderemos entrar em contacto para o desenvolvimento do nosso trabalho, por outro podemos dar a conhecer o projecto em que estamos envolvidos.

DoutroLado

DoutroLado Objectivos Investigar o que é feito pela população sénior; Alertar os idosos e mostrar ‐

Objectivos

Investigar o que é feito pela população sénior; o que é feito pela população sénior;

Alertar os idosos e mostrar ‐ lhes o que há no concelho; os idosos e mostrar lhes o que há no concelho;

Analisar o presente desta população e ver o que o futuro nos reserva; o presente desta população e ver o que o futuro nos reserva;

Entrar em contacto com os idosos da Amadora; em contacto com os idosos da Amadora;

Mostrar que estes “velhos” não se deixam vencer pela idade. que estes “velhos” não se deixam vencer pela idade.

“Temos idade, temos saber e sabemos viver”

“O envelhecimento existe quando a pessoa tem preguiça de se sentir jovem.”

DoutroLado

DoutroLado Direitos dos Idosos Resolução 46/91 – Aprovada na Assembleia Geral das Nações Unidas 16/12/1991

Direitos dos Idosos

Resolução 46/91 – Aprovada na Assembleia Geral das Nações Unidas 16/12/1991

INDEPENDÊNCIA

1. Ter acesso à alimentação, à água, à habitação, ao vestuário, à saúde, a apoio familiar e comunitário.

2. Ter oportunidade de trabalhar ou ter acesso a outras formas de geração de rendimentos.

3. Poder determinar em que momento se deve afastar do mercado de trabalho.

4. Ter acesso à educação permanente e a programas de qualificação e requalificação profissional.

5. Poder viver em ambientes seguros adaptáveis à sua preferência pessoal, que sejam passíveis de mudanças.

6. Poder viver em sua casa pelo tempo que for viável.

PARTICIPAÇÃO

7. Permanecer integrado na sociedade, participar activamente na formulação e implementação de políticas que afectam directamente o seu bem estar e transmitir aos mais jovens conhecimentos e habilidades.

8. Aproveitar as oportunidades para prestar serviços à comunidade, trabalhando como voluntário, de acordo com seus interesses e capacidades.

9. Poder formar movimentos ou associações de idosos.

ASSISTÊNCIA

10. Beneficiar da assistência e protecção da família e da comunidade, de acordo com os seus valores culturais.

11. Ter acesso à assistência médica para manter ou adquirir o bem estar físico, mental e emocional, prevenindo a incidência de doenças.

12. Ter acesso a meios apropriados de atenção institucional que lhe proporcionem protecção, reabilitação, estimulação mental e desenvolvimento social, num ambiente humano e seguro.

13. Ter acesso a serviços sociais e jurídicos que lhe assegurem melhores níveis de autonomia, protecção e assistência

14. Desfrutar os direitos e liberdades fundamentais, quando residente em instituições que lhe proporcionem os cuidados necessários, respeitandoo na sua dignidade, crença e intimidade. Deve desfrutar ainda do direito de tomar

DoutroLado

DoutroLado decisões quanto à assistência prestada pela instituição e à qualidade da sua vida. AUTO ‐

decisões quanto à assistência prestada pela instituição e à qualidade da sua vida.

AUTO REALIZAÇÃO 15. Aproveitar as oportunidades para o total desenvolvimento das suas potencialidades.

16. Ter acesso aos recursos educacionais, culturais, espirituais e de lazer da sociedade.

DIGNIDADE

17. Poder viver com dignidade e segurança, sem ser objecto de exploração e

maustratos físicos e/ou mentais.

18. Ser tratado com justiça, independentemente da idade, sexo, raça, etnia, deficiências, condições económicas ou outros factores.

DoutroLado

DoutroLado Serviços de Apoio aos Idosos Lar Alojamento colectivo, de utilização temporária ou permanente

Serviços de Apoio aos Idosos

DoutroLado Serviços de Apoio aos Idosos Lar Alojamento colectivo, de utilização temporária ou permanente

Lar

Alojamento colectivo, de utilização temporária ou permanente para idosos em maior risco de perda de autonomia ou sem outro sitio para onde ir.

Apoio Domiciliário Domiciliário

Assegura a prestação de cuidados individualizados e personalizados no domicílio a idosos que por motivos de doença, deficiência ou outros impedimentos não possam satisfazer as suas necessidades básicas ou desempenhar actividades da vida diária. O apoio domiciliário tem como objectivo principal, contribuir para melhorar a qualidade de vida dos indivíduos, familiares, e comunidade. Retardar ou evitar a institucionalização, mantendo os utentes o máximo tempo possível no seu ambiente.

os utentes o máximo tempo possível no seu ambiente. Centro de Dia O principal objectivo desta

Centro de Dia

O principal objectivo desta instituição é a satisfação das necessidades de apoio, conforto, compreensão, protecção e segurança dos idosos e dos seus familiares, com vista a prevenir situações de risco e isolamento. Oferece, também, um conjunto de serviços como:

alimentação, cuidados de higiene e tratamentos de roupas.

cuidados de higiene e tratamentos de roupas. Centro de Convívio Proporciona serviços de apoio ao

Centro de Convívio

Proporciona serviços de apoio ao desenvolvimento de actividades sócio recreativas e culturais organizadas e dinamizadas pelos idosos de uma comunidade. O Centro de Convívio tende para o bemestar dos utentes, promovendo a saúde e o seu bem estar físico e psicológico.

DoutroLado

DoutroLado Instituições Gabinete de Acção Social No dia 21 de Janeiro, pelas fomos ao Centro de

Instituições

DoutroLado Instituições Gabinete de Acção Social No dia 21 de Janeiro, pelas fomos ao Centro de

Gabinete de Acção Social

No dia 21 de Janeiro, pelas fomos ao Centro de Juventude para uma reunião com a Dr. Ana Moreno, responsável pelo Gabinete de Acção Social (GAS). O objectivo era tomarem conhecimento do trabalho realizado pelo gabinete, no que diz respeito a “população maior” na área da Amadora.

A Dra. Ana, foi extremamente simpática e teve o cuidado de nos explicar cuidadosamente os projectos que desenvolvem dando mais ênfase aos que abaixo descrevemos pois são os que mais tem impacto junto da população a que se destinam.

Programas como: “Recriar a Vida”, “Animo Centro”, “Cartão 65+” “Amadora Multiserviços Basta um Toque”, todos eles pensados para satisfazer as necessidades dos idosos e oferecer lhes melhores condições de vida.

Recriar a Vida – è dos Projectos mais antigos

o

Ocupar os tempos livres da população maior, com passeios excursões, visitas;

o

Promover a comunicação interpessoal, combatendo o isolamento e a solidão;

o

Promovera inter ajuda;

o

Promover novas aprendizagens.

AnimoCentro

o

Dinamizar os Centros de Dia;

o

Promover actividades Sociorecriativas para a população idosa que frequenta os equipamentos;

o

Promover o convívio e a partilha entre os vários Centros de Dia.

Cartão Amadora 65 +

o

Promover a melhoria e a qualidade de vida dos idosos;

o

Proporcionar aos idosos o acesso a alguns bens e serviços;

DoutroLado

DoutroLado o Implicar o tecido do empresarial em projectos de âmbito social; Basta Um Toque… “800

o Implicar o tecido do empresarial em projectos de âmbito social;

Basta Um Toque… “800 207 632”

o

Proporcionar aos destinatários do projecto a realização de pequenas reparações/adaptações na sua habitação;

o

Promover a melhoria e a qualidade de vida dos beneficiários;

o

Facilitar a inserção socioprofissional de públicos desfavorecidos em serviços de proximidade;

o

Apoiar a permanência de pessoas no domicílio assegurando as necessidades relacionadas com a sua mobilidade, segurança e conforto;

o

Constituir uma resposta complementar de apoio às Instituições prestadoras de serviços de apoio.

A

aderência a estes serviços é bastante positiva tanto pelos homens como pelas

mulheres.

positiva tanto pelos homens como pelas mulheres. Santa Casa da Misericórdia da Amadora Esta

Santa Casa da Misericórdia da Amadora

Esta instituição tem à disposição 2 lares e o apoio ao domiciliário.

O Lar Santo António foi fundado em 1998 com o objectivo de ir ao encontro dos

idosos do concelho da Amadora, proporcionando lhes uma vivência acolhedora e coerente com os seus objectivos e zelando pelo seu bem estar físico e psicológico.

Está situado no Complexo Quinta das Torres do qual fazem parte, igualmente a Escola Luís Madureira e os Serviços Administrativos.

O Lar e Centro de Dia Sagrada Família foram fundados em 1995 com o objectivo de ir ao encontro dos idosos do concelho da Amadora, proporcionando lhes uma vivência acolhedora e coerente com os seus objectivos e zelando pelo seu bem estar físico e psicológico.

O Serviço de Apoio Domiciliário (SAD) é uma resposta social de prestação de cuidados individualizados e personalizados no domicílio, a indivíduos e famílias que,

DoutroLado

DoutroLado por motivo de doença, deficiência ou outro impedimento, não podem assegurar temporária ou

por motivo de doença, deficiência ou outro impedimento, não podem assegurar temporária ou permanentemente a satisfação das suas necessidades básicas e/ou actividades diárias.

O SAD da Santa Casa da Misericórdia da Amadora teve início em 1988 e foi um dos primeiros Serviços que a Instituição prestou à Comunidade e continua a prestar dado que a população da Amadora está cada vez mais envelhecida, dependente e isolada.

está cada vez mais envelhecida, dependente e isolada. Centro Universitário Tempo Livres da Amadora Fundado a

Centro Universitário Tempo Livres da Amadora

Fundado a 30 de Setembro de 2002, o Centro Universitário Tempos Livres da Amadora

é uma instituição sem fins lucrativos dirigida à população sénior. Tem por finalidade promover

a cultura, o desporto, o recreio e a vertente social.

Actualmente, localizado na antiga escola Delfim Guimarães, inauguradas no terceiro aniversário, representam o esforço de todos os associados.

Presentemente, o CUTLA tem perto de 900 associados e tem diversos grupos de lazer – de música, desporto, artes, etc.

Embora dirigida a uma população mais velha, integra, também, jovens conseguindo assim um intercâmbio de conhecimentos.

Este ano lectivo, o CUTLA encontra se em grande expansão. Os alunos estão envolvidos nas várias vertentes a que a Universidade se dedica. Os grupos de Cantares, Cavaquinhos, Coral, Dançares, Teatro, Violas e a Tuna são constantemente solicitados para actuações em auditórios, lares, centros de dia, hospitais, escolas e até na televisão!

A adesão a aulas como Ginástica, Mexete Mais e Yoga levaram a instituição a fazer um acordo com a junta de freguesia da Venteira para ocuparem o gimnodesportivo que fica mesmo ao lado da Universidade.

Mensalmente, a visita a museus tem a adesão, em média, de 50 alunos, pois «o autocarro não leva mais», segundo a Presidente Adelaide Espírito Santo.

Todas as ocasiões são boas para festejar. Mesmo com as poucas ajudas, este mundo é posto a girar com a ajuda dos associados que se mobilizam para manter o CUTLA de pé!

Alfabetização

Uma das coisas mais gratificantes que se pode fazer na vida, é ensinar alguém a ler.

DoutroLado

DoutroLado Maria Eugénia, passou anos a ensinar crianças e, agora, passados os setenta anos, voltou à

Maria Eugénia, passou anos a ensinar crianças e, agora, passados os setenta anos, voltou à sua antiga actividade. Ensinando agora, em vez de crianças, idosos com vontade de aprender.

“O aprender não tem idade, mas o ensinar também não.”

A sua aluna mais velha tem oitenta e dois anos e está muito bem. É uma história tocante de alguém que foi só um dia à escola, pois era preciso dinheiro em casa. Casou mais tarde, mas sempre teve vergonha de não saber ler. “Presa” pela família viveu analfabeta até descobrir o CUTLA.

Dia 8 de Abril, tivemos a possibilidade de nos dirigirmos ao CUTLA e assistir a uma aula de pintura que decorria.

Odete Martins, professora de pintura a óleo, 71 anos, reformada

Nasceu no Lumiar e veio para a Amadora aos 23 anos. Andou numa escola de artes e é o seu gosto pela pintura que faz com que esteja no CUTLA, desde de que este “nasceu”, sem ganhar nada, para além do carinho e amizade dos seus alunos.

As suas aulas têm a duração de 3 horas e são os seus cerca de 30 alunos que pagam os materiais que utilizam.

“Os alunos vêm muitas vezes procura de conversar, fazer amigos. Acabamos por ser uma família. Vêm procurar aquilo que não têm em casa, vivem na solidão e aqui sentemse realmente amados.”

Os quadros pintados pelos alunos são, muitas vezes, levados a exposições.

Dia 13 de Abril uma exposição de quadros em miniatura na Junta de Freguesia da Mina. Todos os anos há esta exposição, onde algumas obras da instituição são expostos.

Maria Jorge, aluna, 53 anos, reformada (foi professora do 1º ciclo)

Nasceu no Porto, viveu em Angola, viaja todos os anos. É uma mulher do mundo, “de sítio nenhum”, como ela própria diz.

No CUTLA, assiste a aulas de pintura de óleo esta a pensar aderir também às aulas de inglês e de mobilidade.

DoutroLado

DoutroLado Descobriu esta universidade por uma amiga e foi, então, pesquisar na internet a sua localização.

Descobriu esta universidade por uma amiga e foi, então, pesquisar na internet a sua localização.

Foi através do projecto MINERVA (implementação das tecnologias no ensino básico) e do CES (equivalência à licenciatura na área das TIC) que aprendeu muito daquilo que sabe acerca de computadores e internet.

Adapta se com grande facilidade à evolução tecnológica, é uma senhora muito activa, “sem medo da vida”.

O seu gosto pela pintura leva a a gastar cerca de 150 euros em telas, tintas, pincéis, todo o material usado nos seus quadros.

Há lojas que fazem descontos aos estudantes do CUTLA. Exemplo disso é a Quadrimóvel , que faz um desconto de cerca de 10%.

Acabada a aula de ginástica, tivémos uma pequena conversa com a senhora Maria Emília. Foi mesmo pequena, visto que às terçasfeiras a reunião de direcção.

É o testemunho verídico de alguém que tem como lema de vida “Aprender até morrer”.

que tem como lema de vida “Aprender até morrer”. Casa de Repouso “Cilinha” Sexta ‐ feira,

Casa de Repouso “Cilinha”

Sexta feira, dia 11 de Abril pelas 11horas dirigimonos a uma casa de repouso na Amadora “A Cilinha”.

Decidimos ir ver em que situação se encontram os idosos que residem, interagir com eles e, também, falar com um membro responsável pela casa de repouso e tirar algumas dúvidas.

Quando chegámos fomos muito bem recebidos, e estivemos a falar com a animadora, Dra. Magda, que nos mostrou um pouco de tudo aquilo que existia no lar. Tomámos conhecimento dos vários tipos de situações existentes na casa de repouso, pois não se encontram somente idosos naquela instituição mas também pessoas com idade inferior a 65 anos mas, que se encontravam por motivo de doença, apesar de a maior percentagem ser de pessoas com mais de 65 anos e que estão na casa de repouso devido não só devido a doenças mas também por não terem muito apoio das famílias, que não têm tempo, possibilidades ou vontade de tratar deles.

DoutroLado

DoutroLado As famílias na maior parte dos casos nem se dirigem a instituição para visitar os

As famílias na maior parte dos casos nem se dirigem a instituição para visitar os idosos. A Dr.ª Magda que também trabalha em outros lares dissenos que as mulheres são quem mais adere tanto aos lares como às casas de repouso, os homens recusam mais devido a questões machistas e de orgulho.

Qualquer lar tem de ter uma animadora que exerce, com os idosos, diferentes actividades das quais destacamos: a pintura, os trabalhos manuais, as festas, os passeios, os trabalhos de escrita, a ginástica, entre outras. Pelo que pudemos constatar, os idosos, na generalidade, gostam de viver neste lar e dos seus funcionários, mas por vezes é complicado falar com eles. Isto deve se ao facto de eles sentirem que perderam uma vida fora e que não a podem recuperar. Os funcionários gostam do trabalho que fazem, disseram nos que é bastante gratificante e compensador mas por vezes tem que ter alguma frieza e distanciamento pois há casos muito complicados e que mexem com a sensibilidade com a sua própria sensibilidade, pois muitos idosos encontram se em estado vegetativo e alguns com doenças como a Alzheimer, deficiências motoras, entre outras. Tudo isto faz pensar na própria família e, principalmente, como seres humanos, agora jovens, como poderão vir a ficar daqui a uns anos. Mexe com os sentimentos de qualquer um.

Os funcionários desta instituição têm constantemente formação pois, têm de ter a instrução necessária para poderem exercer certas funções devido ao cuidado especial que alguns idosos necessitam.

D o utroLa do

D o utroL a do Inqu é ritos No iníci o do 2º per í odo

Inqu é ritos

No iníci o do 2º per í odo “abal á mos” até a o Parque C entral da A madora in quirir algu m as pessoa s com vista a percebe r as necessi dades/dific uldades do s mais velh os.

Eis os re sultados:

Antes d e mais, pod emos afir m ar que o sexo masc u lino está m ais dispon í vel a resp onder a est e tipo de i n quéritos.

Cerca de 68% das p essoas inq u iridos são homens, se ndo apena s 32% mul h eres. Na n ossa opini ã o, isso dev e se ao fac t o de muito s inquérit o s serem fr a udulentos . Com med o de assal t o ou de u so impróp rio dos da dos, muit a s pessoas se recusar am a cola b orar conn osco. As m u lheres fora m quem m ais se nego u a ajudar n os.

O meio de transpo r te mais ut ilizado, pel o s entrevist a dos, para se desloca r em a instit uições méd i cas é o CA RRO, com c erca de 35 % . Em contr a partida, o menos usa d o é o COM BOIO sendo que alguns dos inquirid o s não desfr utam dos se rviços de sa úde.

Felizmen t e, através dos inquérit o s realizado s, vemos qu e os idosos ainda têm muito apoi o da parte da família (84 % ).

Te m co n hecim ento das ac tivida des ex istent es no c
Te m co n hecim ento das ac tivida des
ex istent es no c oncel ho?
100%
80%
51%
4
9%
60%
40%
20%
0%
Sim
Não

Dos 49 % dos inq uiridos qu e conhec e m as acti vidades d e senvolvid a s no con c elho, 74% p articipa n e las.

DoutroLado

DoutroLado Das actividades disponíveis, os grupos corais são os mais frequentados. Observámos, no parque, que

Das actividades disponíveis, os grupos corais são os mais frequentados.

Observámos, no parque, que no nosso concelho os "velhos" ainda mexem!

Muita actividade física, muitos passeios, muita suecada

É bom ver que ainda idosos felizes, pessoas que ainda não perderam a vontade de viver, pessoas que não se deixam vencer pelas dificuldades da vida!

DoutroLado

DoutroLado Conclusão Através deste trabalho apercebemo ‐ nos da realidade porque passam os idosos. Um mundo

Conclusão

Através deste trabalho apercebemo nos da realidade porque passam os idosos. Um mundo muitas vezes esquecido, no entanto, um mundo que ainda mexe.

esquecido, no entanto, um mundo que ainda mexe. Na saúde ‐ Fracas condições (apenas um hospital

Na saúde

Fracas condições (apenas um hospital e poucos centros de saúde, tendo em conta a numerosa população)

Na família família

apoio entre marido e mulher (o resto da família esta mais ausente)

São poucas as famílias que querem os pais doentes em casa pois não podem cuidar deles nem têm tempo para o fazer

Recorrem a lares para que os idosos vivam melhor, indo visitá los posteriormente

Infelizmente existem casos onde os idosos são tratados como “coisas”, deixados ao abandono e maltratados pelos próprios filhos.

Condições Financeiras

Condições Financeiras

Reforma é baixa

Gastam muito dinheiro com a saúde e com transportes

Ficam com pouco para outros bens essenciais (como a comida, etc.)

Lazer

Lazer

Verificámos que bastantes formas de ocupar os tempos livres.

ateliês, cursos tecnológicos, exposições, excursões, etc.

Num mundo cada vez mais envelhecido, sabe se o que nos espera. Certo é que, não podemos para, “SER VELHO NÃO É SER INÚTIL”.

E o resultado está a vista na nossa GALERIA!

DoutroLado

DoutroLado Galeria No ini c i o do a no a a l eg ri a

Galeria

DoutroLado Galeria No ini c i o do a no a a l eg ri a
DoutroLado Galeria No ini c i o do a no a a l eg ri a

No ini c i o do a no a a l egri a já er a evi de nte

No Seminário na C.M.A
No Seminário na C.M.A
Saídas do CUTLA
Saídas do CUTLA
Numa aula de pintura Quadro de uma aluna
Numa aula de pintura
Quadro de uma aluna

DoutroLado

DoutroLado CUTLA em movimento No atelier de Informática Ida à “Cilinha” Mais que um professor, um
CUTLA em movimento
CUTLA em movimento
No atelier de Informática
No atelier de Informática
Ida à “Cilinha”
Ida à “Cilinha”
Mais que um professor, um companheiro de aventuras,
Mais que um professor, um companheiro de aventuras,

ALFREDO GARCIA

DoutroLado

DoutroLado Contactos Úteis Segurança Social Rua Alfredo Keill nº13 2700 ‐ 036 Amadora Tel: 214989000

Contactos Úteis

Segurança Social

Rua Alfredo Keill nº13

2700 036 Amadora

Tel: 214989000

Bombeiros Voluntários da Amadora

Rua Elias Garcia 131 2700808 Amadora

Tel: 214932002

Polícia de Segurança Pública

Av. Movimento das Forças Armadas nº14 2700 597 Amadora

Centro Universitário Tempos Livres da Amadora

Rua Casal de São José

2700 169 Amadora

Tel: 214985025

“Cilinha” Casa de Repouso

Av. Pedro Álvares Cabral 11

2700 646 Amadora

Tel: 214942925

Câmara Municipal da Amadora

Av. Movimento das Forças Armadas

2700 595 Amadora

Gabinete de Acção Social

Travessa de Santa Teresinha

265118 Amadora

Tel: 214930494