Sie sind auf Seite 1von 1

Fichamento Husserl

Faz parte, certamente, da especificidade da intuio de essncia que em sua base esteja uma
parcela importante de intuio individual isto , que um algo individual aparea, seja visvel,
embora no naturalmente uma apreenso dele, nem posio alguma dele como efetividade;
certo, por conseguinte, que nenhuma intuio de essncia possvel sem a livre possibilidade
de voltar o olhar para um algo individual "correspondente" e de formar uma conscincia
exemplar - assim como tambm, inversamente, intuio individual alguma possvel sem a
livre possibilidade de efetuar uma ideao e de nela direcionar o olhar para as essncias
correspondentes, que se exemplificam no visvel individual; isso, porm, em nada altera que
ambas as espcies de intuio sejam diferentes por princpio, e o que se anuncia em
proposies do tipo que acabamos de proferir so somente suas relaes de essncia. As
diferenas eidticas entre as intuies correspondem relaes de essncia entre "existncia"
(aqui manifestamente no sentido do individualmente existente) e "essncia", entre fato e
eidos. Indo no encalo de tais nexos, apreendemos com evidncia as essncias conceituais
inerentes a esses termos, e que a partir de ento lhes esto firmemente ordenadas, e com isso
permanecem puramente afastados todos os pensamentos, em parte msticos, que se prendem
principalmente aos conceitos "eidos" (idia), "essncia"5 5 Cf. meu artigo em Logos, I, p. 315.
Pagina 25