Sie sind auf Seite 1von 14

NORMA

BRASILEIRA

ABNT NBR

14629

Segunda edição

31.05.2010

Válida a partir de

30.06.2010

Versão corrigida

26.10.2011

Equipamento de proteção individual contra

Personalala ppprororotett ctive equipmpp eeent against fallss from a heig
Personalala ppprororotett ctive equipmpp
eeent against fallss from a heig

queda queda de de aalltttuuurra altura — Absorvedor Absorvedor de de energia e

Personal protective equipment against falls from a height Energy absorber

ICS

13.340

ISBN 978-85-07-

02087-5

− Energy absorber ICS 13.340 ISBN 978-85-07- 02087-5 Número de referência ABNT NBR 14629:2010 10 páginas

Número de referência ABNT NBR 14629:2010 10 páginas

© ABNT 2010

ABNT NBR 14629:2010

ABNT NBR 14629:2010 © ABNT 2010 Todos os direitos reservados. A menos que especificado de outro

© ABNT 2010 Todos os direitos reservados. A menos que especificado de outro modo, nenhuma parte desta publicação pode ser reproduzida ou utilizada por qualquer meio, eletrônico ou mecânico, incluindo fotocópia e microfilme, sem permissão por escrito da ABNT.

ABNT Av.Treze de Maio, 13 - 28º andar 20031-901 - Rio de Janeiro - RJ Tel.: + 55 21 3974-2300 Fax: + 55 21 3974-2346 abnt@abnt.org.br www.abnt.org.br

ii

© ABNT 2010 - Todos os direitos reservados

ABNT NBR 14629:2010

Sumário

Página

Prefácio

iv

1

Escopo 1

2

Referências normativas

1

3

Termos e definições

1

4

Requisitos

2

4.1

Projeto e ergonomia

2

4.2

Materiais e construção 3

4.3

Pré-carga estática

3

4.4

Comportamento dinâmico

3

4.5

Resistência

ia estática estática e informaçõess e ensaio
ia
estática estática
e
informaçõess
e
ensaio

Marcação e informações

Métodos de ensaio

Ensaio de pré-cargrgrgaa pré-carga estática esee tátitit ca

Aparelhagem em

Procedimento ento

Ensaio de compmpmportamento comportamento dimico dinâmico

Aparelhagem em

Procedimento entototo

Ensaio de resistência resistência estática estática

Aparelhagem emmm

Procedimento entooo

Marcação

Manual de innstststrururuççõç instruções es

Embalagem m

3

4.6

3

5

3

5.1

3

5.1.1

3

5.1.2

4

5.2

4

5.2.1

4

5.2.2

5

5.3

6

5.3.1

6

5.3.2

6

6

7

7

8

8

9

Bibliografia

10

Figuras Figura 1 – Massa de ensaio

5

Figura 2 – Exemplo de absorvedor de energia como componente

5

Figura 3 –

Exemplo de absorvedor de energia incorporado a um talabarte

6

Figura 4 –

Ensaio de comportamento dinâmico

7

Figura 5 –

Pictograma para indicação de leitura do manual de instruções

8

Figura 6 – Pictograma indicativo da zona livre de queda

8

© ABNT 2010 - Todos os direitos reservados

iii

ABNT NBR 14629:2010

Prefácio

A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) é o Foro Nacional de Normalização. As Normas

Brasileiras, cujo conteúdo é de responsabilidade dos Comitês Brasileiros (ABNT/CB), dos Organismos de Normalização Setorial (ABNT/ONS) e das Comissões de Estudo Especiais (ABNT/CEE), são elaboradas por Comissões de Estudo (CE), formadas por representantes dos setores envolvidos, delas fazendo parte: produtores, consumidores e neutros (universidades, laboratórios e outros).

Os Documentos Técnicos ABNT são elaborados conforme as regras das Diretivas ABNT, Parte 2.

A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) chama atenção para a possibilidade de que

alguns dos elementos deste documento podem ser objeto de direito de patente. A ABNT não deve ser

considerada responsável pela identificação de quaisquer direitos de patentes.

omissão deee Estststudududo ded Travava-Q-Q-Queuu da (CE-32.0000004.01). O se l conformrmr eee EdEE italalal nº
omissão deee Estststudududo ded
Travava-Q-Q-Queuu da (CE-32.0000004.01). O se
l
conformrmr
eee
EdEE
italalal
01
de 23.12.2009 a 2222.02.2010,
.2010,,, cocoom ooo núúúmero de
º Projeto ABNT NBR 14629.
a
Braraasisisileira em inglês é o seguinte:
s the requuuiremememenenents, testst methooods, marking, IInstrucucuctitition M

A

(ABNT/CB-32), pela Comissão de Estudo de Trava-Queda (CE-32.004.01). O seu 1º Projeto circulou

ABNT NBR 14629 foi foi elaborada elaborada no nno Comitê CoCoComitê Brasileiro Braasileiro de dedede Equipamentos Equipamentos de de Proteção Individual

em Consulta Nacional conforme Edital nº 01, de 23.12.2009 a 22.02.2010, com o número de

Projeto ABNT NBR 14629. 629. O OO seu seseseuu ºº Prorr Projeto jetoto circulou circulou em em Consulta Consulta NaNacicc Nacional onala co conforme Edital nº 04,

de 12.04.2010 a 11.05.2010, com o número de 2º Projeto ABNT NBR 14629.

Esta Norma é baseada nna na ENNN EN 35555 355:2002. :2002.

Esta segunda edição cancela cacacancccela e e substitui substitui a a edição ediiçãoo anterior anterior (ABNT (AABNT NBR NBR 146 14629:2000), a qual foi tecnicamente

Esta versão corrigida da a ABNT AAABBNB T NBR NBBR 14629:2010 14629:2010 incorpora incorpooora a a Errata Errata 1 1 de de 26.10.2 26.10.2011.

O

Escopo desta Norma Brasileira em inglês é o seguinte:

Scope

This Standard specifies the requirements, test methods, marking, Instruction Manual and packaging

for energy absorber.

iv

© ABNT 2010 - Todos os direitos reservados

NORMA BRASILEIRA

ABNT NBR 14629:2010

Equipamento de proteção individual contra queda de altura — Absorvedor de energia

1 Escopo

Esta Norma especifica os requisitos, métodos de ensaios, marcação, manual de instruções e embalagem para absorvedor de energia.

2 Referências normativas

a a seguir segegeguiuiu r são são indisppenenensáveis indispensáveis à à tadas, aplicacac m-m-m-seses
a a
seguir segegeguiuiu r
são são
indisppenenensáveis indispensáveis
à à
tadas, aplicacac m-m-m-seses
somomente as edições citaadadad s. Para ref
es mais rrececcenenentes do eferido ddod cumento (incluindodo emend
Equuiu papapamemm nttto dded
proteção individual coontra queda dedd
Equipapapameento de proteção indiiividdual contrrra queda de altura
7575750000-1, Maateriais metálicos – CaC libração dde máquinas de
k chhah iini
for lllifting
urpop ses – Safety – Part 2: Medium tol
niçõõõesss

relacionados elacionados

aplicação aplicaçã

documento.

Para referências datadas, aplicam-se somente as edições citadas. Para referências não datadas,

Os documentos

deste

aplicam-se as edições mais recentes do referido documento (incluindo emendas).

ABNT NBR 15834, Equipamento de proteção individual contra queda de altura

segurança

– Talabarte de

ABNT NBR 15837, Equipamento de proteção individual contra queda de altura – Conectores

ABNT NBR NM-ISO 7500-1, Materiais metálicos – Calibração de máquinas de ensaio estático uniaxial

– Parte 1: Máquinas de de ensaio ensaio de de tração/cocompresssãooo tração/compressão Calibração Calibração do do sistema sistema de medição da força

EN 818-2, Short link chain for lifting purposes – Safety – Part 2: Medium tolerance chain for chain

slings – Grade 8

3

Termos e definições

Para os efeitos deste documeeentntnto,o,o, documento, aaaplplplicam-sse aplicam-se os os segegeguintes seguintes termoos termos e e definininições definições.

3.1

absorvedor de energia rgia

componente ou elemento de um sistema antiquedas desenhado para dissipar a energia cinética desenvolvida durante uma queda de uma determinada altura

3.2

força de frenagem máxima força (força de pico) medida no ponto ou linha de ancoragem durante o período de frenagem no ensaio de desempenho dinâmico

3.3

comprimento do absorvedor de energia, incluindo o talabarte comprimento total, L1, compreendido entre os dois pontos opostos do absorvedor de energia que suportam a carga, incluindo o talabarte, medido em condições de extensão a partir da zona de contato das duas extremidades, porém sem carga

NOTA

O comprimento do absorvedor é medido em metros.

© ABNT 2010 - Todos os direitos reservados

1

ABNT NBR 14629:2010

3.4

cinturão de segurança tipo para-quedista componente de um sistema de proteção contra queda, constituído por um dispositivo preso ao corpo, destinado a deter as quedas

NOTA O cinturão de segurança tipo pára-quedista pode consistir em fitas, ajustadores, fivelas e outros elementos, dispostos e acomodados de forma adequada e ergonômica sobre o corpo de uma pessoa para sustentá-la durante uma queda e depois de sua detenção.

3.5

talabarte de segurança componente ou elemento de conexão de um sistema antiquedas

NOTA O talabarte de segurança pode ser constituído de uma corda de fibras sintéticas, um cabo metálico,

uma fita ou uma corrente.

e. m linha flflexíxíxívevvel ão dooo cininntututurãoo deee egurança quando ocorrrrer uma queddda m liiinhhha
e.
m
linha flflexíxíxívevvel
ão dooo cininntututurãoo deee
egurança quando ocorrrrer uma queddda
m
liiinhhha rrír giida
co ddee travament
que permite mmovimentação retrátil d
da

3.6

trava-queda guiado em linha flexível

equipamento automático co de de travamento trtrravavavamamamennnto que que se se desloca deslooca numa numa llinha linha de de anccoc ancoragem rage flexível, destinado

a

travar a movimentação do cinturão de segurança quando ocorrer uma queda

3.7

trava-queda guiado em linha rígida

equipamento automático cco ddee de travamamamentototo travamento que queue se se desloca dededesssloca numa numa linha linha de de ancoragem anco fixa e rígida,

destinado a travar a movimentação ovimimmentação do do cinturão cintuo de de segurança segegegurança quando quando ocorrer ocorrer um uma queda

3.8

trava-queda retrátil

equipamento automático de travamento que permite movimentação retrátil de um cabo ou fita,

destinado a travar a movimentação ovimimimeentttação do do cinturão cintuo de de segurança segurança quando quando ocorrer ocorrer um uma queda

3.9

deslocamento de queda

distância vertical H percorrida rcorrida pepepelalaa pela massa mmmassa de de ensaiooo ensaio entre entre a a posiçção posição ininicicicial inicial (in (início de queda livre)

e

e

a posição final (equilíbrio brio depois depois dda da quququedededa)a)a), queda), sem sem contar contar o o alolongamentototo alongamento dddo do cintur cinturão tipo para-quedista

de seu elemento de engate engate

4

Requisitos

4.1 Projeto e ergonomia

O absorvedor de energia deve ser projetado e fabricado de forma tal que:

2

nas condições de utilização previsíveis para as quais se destina, o usuário possa desenvolver normalmente a atividade que lhe expõe a riscos, dispondo de uma proteção adequada de um nível tão elevado quanto possível;

nas condições normais de utilização não gere fatores de incômodo, desde que o equipamento adquirido seja adequado ao tipo de trabalho previsto;

o usuário possa colocar-se o mais facilmente possível na posição adequada e manter-se nela durante o tempo de utilização previsto, tendo em conta os fatores ambientais, movimentos

© ABNT 2010 - Todos os direitos reservados

a realizar e posturas a adotar;

ABNT NBR 14629:2010

— seja o mais leve possível, sem prejuízo da solidez de sua construção nem de sua eficácia;

— depois da detenção, assegure uma posição correta do usuário na qual pode, dadas as circunstâncias, esperar ajuda.

4.2 Materiais e construção

Se um absorvedor de energia for integrado a um talabarte (o absorvedor de energia não pode ser

retirado sem ferramenta específica ou sem danificar o talabarte), este talabarte deve ser conforme

a ABNT NBR 15834.

Os conectores para os absorvedores de energia devem ser conforme a ABNT NBR 15837.

o do pppolololipipiproroopipileeeno como matérria-prima. táttit caaa mm 5.5.5.1,11 o absorvedor de enerrgr ia deve
o
do pppolololipipiproroopipileeeno como matérria-prima.
táttit caaa
mm
5.5.5.1,11 o absorvedor de enerrgr ia deve resistiiir, durante 3 mi
a.
nttoo dinâmmico
dededescrrir to em 5.2, comom massa rígida de 100 kg, a força
kN
e aa distância de parada H deve seer H < (2 L1 + 1,75 m), s
de
eeeneeergggiaiaa, incluindo o talabarte.
estáticcac
em 5.3, o aabsbsbsorororvevevedododor de energia, quando totototalalalmente e
a
força de 15 kN,NN aplplp icicadadada ememem seus termrmrmininaiaiaiss,s sem se rasg

Considerando a ABNT NT NBR NBR 15834,4,4, 15834,

o

ooo o cocc comprimento mprimento mááxixx máximo mo indicado indicado pelo pelo f fabricante, sendo esse

ensaiado, supre ensaios saios paraaa para cccomomomprp comprimentos imenentos inferiores, inferiiores, no no mesmo mesmmmo equipamento. equipame

Não é aceitável o uso do polipropileno como matéria-prima.

4.3

Pré-carga estática

No ensaio descrito em 5.1, o absorvedor de energia deve resistir, durante 3 min, a uma força de 2 kN

(0, + 0,2), aplicada em emmm seus seus terminais, terminais, sem sem se ssee rasgar raasgar ou ou romper. romper. Deformação Deformaçã permanente máxima

de 50 mm é permitida.

4.4

Comportamento dinâmico

Ao efetuar o ensaio descrito em 5.2, com massa rígida de 100 kg, a força de frenagem (Fmax)

não pode exceder 6 kN e a distância de parada H deve ser H < (2 L1 + 1,75 m), sendo L1 o comprimento

total do absorvedor de energia, incluindo o talabarte.

4.5

Resistência estática

No ensaio descrito em 5.3, o absorvedor de energia, quando totalmente estendido, deve resistir,

durante 3 min, a uma força de 15 kN, aplicada em seus terminais, sem se rasgar ou romper.

4.6 Marcação e informações

A marcação do absorvedor de energia deve ser de acordo com a Seção 6.

Junto com o absorvedor de energia, devem estar disponíveis as informações estipuladas na Seção 7.

5 Métodos de ensaio

5.1 Ensaio de pré-carga estática

5.1.1

Aparelhagem

© ABNT 2010 - Todos os direitos reservados

3

ABNT NBR 14629:2010

5.1.1.1 Máquina de ensaio

A máquina de ensaio deve estar de acordo com a ABNT NBR NM-ISO 7500-1.

5.1.1.2 Velocidade de aplicação da força

5.1.1.2.1 Materiais metálicos

A

velocidade de separação dos cabeçotes da máquina de ensaio deve situar-se entre 50 mm/min

e

150 mm/min, e deve estar em conformidade com a ABNT NBR NM-ISO 7500-1.

5.1.1.2.2 Materiais têxteis

Para os componentes com comprimento compreendido entre 1,0 m e 2,0 m, a velocidade de separação

dos cabeçotes da máquina de ensaio deve situar-se entre 50 mm/min e 150 mm/min.

uina de ensaio deve situar---sesese entntrerere 50 mm/min e 150 mm/ eçotes da mámámáquququinina,,,
uina de ensaio deve situar---sesese entntrerere 50 mm/min e 150 mm/
eçotes da mámámáquququinina,,, pproporcrcioioionalmente menor do que 50 m
abssorrrveveeddor,r, seeme
carga, e colocá-lo na máqquina de ensaioii
or paaarte ativa do absorvevedo a seçãão ddo absorvedor que fisicam

Os componentes com comprimentotoo comprimento iinfnfnferererioi inferior r a a 11,00 1,0 m m devem devem ser ser ensaiados ensaiados c com uma velocidade

de separação dos cabeçotes da máquina, proporcionalmente menor do que 50 mm/min.

5.1.2 Procedimento

Medir a parte ativa do absorvedor, sem carga, e colocá-lo na máquina de ensaio e submetê-lo a força

de ensaio de pré-carga a estttátátátiici estática a especificadada especificada entre entre suaas suas duass duas exxtremidades.s. extremidades. Ma Manter a força durante

3 min. Retirar o absorvedor edododor dda da quina máquina de de ene ensaio saio eee e reefe refazer azer a a medição, medição, observar observar se é produzida uma

extensão permanente.

Se o absorvedor estiver r integrado integrado a a um um talabarte, talabarte, as as duaaas duas extremiddades extremidades do do conjun conjunto devem ser usadas no ensaio.

NOTA 1

frenagem.

Entende-se por parte ativa do absorvedor a seção do absorvedor que fisicamente reduz a força de

5.2

5.2.1

Ensaio de comportamento portaaamememento dinâmico dinâmico

Aparelhagem

5.2.1.1

A

no ponto de ancoragem não provoque uma flecha superior a 1,0 mm.

O ponto rígido de ancoragem deve ser um aro de (20 ± 1) mm de diâmetro interno e (15 ± 1) mm de

diâmetro de seção transversal, ou um cilindro do mesmo diâmetro de seção transversal.

Estrutura rígida da de de ancorararagegegemmm ancoragem

estrutura rígida de ancoragem ncoragem deve deve ser ser conononststruída construída de de formamama forma qque que a a aplicação aplicação de de uma força de 20 kN

A

altura do ponto rígido de ancoragem deve ser tal que a massa rígida não golpeie o solo durante

o

ensaio.

5.2.1.2 Massas rígidas de aço

A massa rígida de aço de (100 ± 1) kg, conforme o caso, deve ser conectada de maneira rígida a um

aro de levantamento para obter uma conexão segura.

A massa de 100 kg deve ter um diâmetro nominal de 200 mm. O aro de levantamento deve estar

situado no centro de uma de suas extremidades, permitindo-se uma posição deslocada a um mínimo de 25 mm da borda (ver Figura 1) por causa das restrições na distância horizontal impostas por determinados equipamentos e procedimentos de ensaio.

4

© ABNT 2010 - Todos os direitos reservados

ABNT NBR 14629:2010

Dimensões em milímetros

Figura 1 – Massa de ensaio Figura 1 – Massa dde ene ssaio to torrr,,
Figura 1 – Massa de ensaio
Figura 1 – Massa dde ene ssaio
to
torrr,, unnnirirr em uma extreme
idade doo absb orvedor de energia a
ão sejajj
dddeee 2,2,2,0 m (- 0, + 0,25), deveene do este ser mediiiddo eeent

5.2.1.3

Dispositivo dee de dddesesesacopopllamento desacoplamento rápido rápido

O dispositivo de desacoplamento aacopopoplamenttto rápido rápidddo deve deve seeer ser compatível compatível com com os os aros aros de de l levantamento da massa

descritos em 5.2.1.2 e e devee deve e permitir permitir um um desacoplaaamento desacoplamento da da massa massa sem sem veloci velocidade inicial.

5.2.2

Procedimento

5.2.2.1

Utilizando um conector, unir em uma extremidade do absorvedor de energia a massa de 100 kg e na

Absorvedor r dee de eenenergia energia como como componente componente em em separado separado

outra extremidade uma ma cococ corrente rrrr enenente conforme conforme EN EN 818-22 818-2 (vever (ver Figura Figura 4) 4) de de forma forma qqq que o comprimento total

do sistema de conexão seja de 2,0 m (- 0, + 0,25), devendo este ser medido entre os pontos de contato

dos conectores das extremidadadadededesss extremidades lilivresss livres ddda da corrrrennnte corrente dde de ensaio ensaio e e do do absorvrvrvedo absorvedor de energia.

Fixar a extremidade livre ivre da da correente corrente aoaoao ao ppponononto ponto de de ancoragem ancoragem estrutururu estrutural alalal rígido, rígido, in incluindo o equipamento

para medição de força, a, e e elevar elevar a a masssssa massa ataatééé até umumumaaa uma ala altura tura de de 444 4 mmm m (a(a(a (a partir partir do do repo repouso) em uma distância

horizontal máxima de e 300 300 mm mm da da ancoragem ancoragem eestrutural. estrutural. A A mmassa massa deve deve ser ser retida retida por meio do dispositivo de desacoplamento rápido.

Deixar cair a massa e medir a força máxima durante a retenção da queda. Depois da queda e com a massa em repouso, medir o deslocamento H do ponto de acoplamento da massa no absorvedor de energia (ver Figura 4).

da massa no absorvedor de energia (ver Figura 4). Figura 2 – Exemplo de absorvedor de

Figura 2 – Exemplo de absorvedor de energia como componente

© ABNT 2010 - Todos os direitos reservados

5

ABNT NBR 14629:2010

5.2.2.2 Absorvedor de energia incorporado ao talabarte

Unir a massa de 100 kg com um conector na extremidade livre do conjunto absorvedor de energia/ talabarte, e em seguida unir a outra extremidade ao ponto de ancoragem estrutural rígido ao qual está fixado o equipamento de medição de força.

Fixar a extremidade livre do conjunto absorvedor de energia/talabarte ao ponto de ancoragem estrutural rígido, incluindo o equipamento para medição de força, e elevar a massa até a altura máxima permitida (a partir do repouso) em uma distância horizontal máxima de 300 mm da ancoragem estrutural.

A massa deve ser retida por meio do dispositivo de desacoplamento rápido.

Deixar cair a massa e medir a força máxima durante a retenção da queda. Depois da queda e com

massa em repouso, medir o deslocamento H do ponto de acoplamento da massa no absorvedor de energia (ver Figura

a

stênênênciciciaaa estática
stênênênciciciaaa estática

Figura 3 – EExeempmm Exemplo lo de de absorvede absorvedor or de de energig energia a incorporado incorporado a a um um talabarte

5.3

Ensaio de resistência estática

5.3.1 Aparelhagem

A

aparelhagem deve estar star de de acordo acoroo dododo cccomomom com o o desesescrito descrito em em 5.1.1. 5.1.1.

5.3.2 Procedimento

Instalar o absorvedor de energia ensaiado em 5.1 na máquina de ensaios e submetê-lo a uma força de tração até que sua parte ativa se estenda completamente. Elevar a força até o valor especificado para o ensaio estático e mantê-la durante 3 min, observando assim se o absorvedor de energia, depois de estendido, não apresenta ruptura. Se o absorvedor estiver integrado a um talabarte, as duas extremidades do conjunto devem ser usadas no ensaio.

NOTA

6

Este ensaio pode ser realizado seqüencialmente ao ensaio descrito em 5.1.

© ABNT 2010 - Todos os direitos reservados

ABNT NBR 14629:2010

(máx.) 3 3 4 4 2 2
(máx.)
3 3
4 4
2 2

300mm

1 H H (Desloloolocamemmm nto de q (Deslocamento de queda)
1
H H
(Desloloolocamemmm nto de q
(Deslocamento de queda)

Legenda

1

2

3

4

célula de carga ou dinamômetro inamôôômememetro

corrente de elos de diâmetro diâmetro 6 6 mm mmmmmm nnnooo no mínimo mínimo ou ou talabbab talabarte rte

absorvedor de energia gia novo novo e e intacto intacto

massa de ensaio de 100 100 kg kg

Figura 4 – Ensaio de comportamento dinâmico

6

Marcação

A marcação do absorvedor de energia deve estar escrita em português, de forma legível e indelével, por método apropriado que não afete a integridade dos materiais utilizados. Além disso, a marcação deve incluir as seguintes informações:

a) um meio de identificação, por exemplo, o nome do fabricante ou do fornecedor ou a marca comercial;

b) número de lote da produção do fabricante ou o número de série, ou qualquer outro meio de rastreabilidade e data de fabricação;

c) identificação do modelo ou do tipo;

© ABNT 2010 - Todos os direitos reservados

7

ABNT NBR 14629:2010

d) sobre o absorvedor de energia, um pictograma indicando que o usuário deve ler as informações fornecidas pelo fabricante (ver Figura 5);

e) número desta Norma;

f) informação de que o comprimento máximo do absorvedor de energia (sem extensão), com o talabarte e conectores, não pode exceder 2,0 m;

g) comprimento do absorvedor, após distensão total máxima, para absorvedores de energia vendidos como componentes, para possibilitar o cálculo da zona livre de queda, quando este for montado a um sistema de retenção de queda;

h) nos absorvedores de energia incorporados a talabartes de segurança, a informação sobre a zona livre de queda. Deve-se usar o pictograma mostrado na Figura 6. Informar dentro do pictograma a

distância da zona livre de queda, que compreende o ponto de ancoragem e o solo ou ponto mais

, omo zona lilivrrre dedede queu da, oo somatório das segguintes variá
,
omo zona lilivrrre dedede queu da, oo somatório das segguintes variá

provável de impacto. to.

NOTA

talabarte mais seus conectores, ectores, mais mamamaisiss a aaa extensão extttensão do do absorvedor absssorvedor de dee energia, energia, mais mmmais a a distância dis entre a fixação

Entende-se como zona livre de queda, o somatório das seguintes variáveis: comprimento do

do cinturão ao pé do usuário ário (aproximadamente (apapaproror xixiximamamaddad mente 1,5 1,5 m), m), mais mais a a distância distância mínínínimaa mínima de de imobilização im do usuário

acima do solo (aproximadamente damenentetete 1 111 m). m).

“LLEIA O MANUNUNUAL” “LEIA O MANUAL” Pictotogrgrgraama a para indicação de leitura do manual de
“LLEIA O MANUNUNUAL”
“LEIA O MANUAL”
Pictotogrgrgraama
a para indicação de leitura do manual de innn

Figura 5 – Pictograma para indicação de leitura do manual de instruções

Figura 6 – Pictograma indicativo da zona livre de queda

7 Manual de instruções

As informações fornecidas pelo fabricante devem ser escritas em português. Devem ser incluídas orientações ou informações sobre o seguinte:

a)

8

que o comprimento total de um subsistema composto por um talabarte de segurança integrado com absorvedor de energia, seus terminais e conectores não pode exceder 2 m (por exemplo, conector, mais talabarte de segurança, mais absorvedor de energia, mais conector);

© ABNT 2010 - Todos os direitos reservados

ABNT NBR 14629:2010

b) recomendações sobre como determinar as características exigidas para um ponto de ancoragem confiável;

c) como conectá-lo a um ponto de ancoragem confiável, a um trava-queda e a outros componentes do sistema antiquedas;

d) como assegurar a compatibilidade de qualquer dos componentes a serem utilizados junto com o absorvedor de energia;

e) os materiais com que foi fabricado o absorvedor de energia;

f) informações sobre a zona livre de queda ou comprimento total do absorvedor de energia após distensão, conforme 6 h) e 6 i);

g) as limitações dos materiais do absorvedor ou os riscos que poderiam afetar a sua utilização, por

s materiais do absorororvevevedododor ou os riscos que poderiam afet ratura, efeito deee popopontntntoso ou
s
materiais do absorororvevevedododor ou os riscos que poderiam afet
ratura, efeito deee popopontntntoso
ou arestas agaguduu as, agentes quími
radiação UVUVUV, eee ouoo trasa
condiçõçç eees cliimáttit cas;
ante aaa utttilililizizzaçããoã
do ababsorvedor é necessário prpreese tarrr aten
ar ssobbb supervisão direta de taaais pessoas;;
o
modddelooo ououou tipo do absorveddod r de energia;
Norma;

exemplo, temperatura, efeito de pontos ou arestas agudas, agentes químicos, cortes e abrasões,

degradação por radiação UV, e outras condições climáticas;

h) que antes e durante a utilização do absorvedor é necessário prestar atenção de como pode ser

efetuado qualquer er reeesgggatatate resgate deee de fooro forma ma segura segura e e eficciente;;; eficiente;

i) que o absorvedor orrr devvve deve ser ser utilizado utilizado somentee somente por por pessssoaoaoass pessoas habilitadaasss habilitadas e/ e/ou treinadas ou que o

usuário deve ficar sob supervisão direta de tais pessoas;

j) como limpar o absorvedor, bsooorvedor, incluindn incluindo o sua sua higig higienização, ennnização, semm sem efeitos efeitos advers adversos;

k) a provável duração ãoo do do absorvedor absorvedor (obsolescência))), (obsolescência), ou ou a a maneira maneira pela pela qual qual pode ser determinada;

l) como proteger o abababsorvrr absorvedor edor durante durante o o transporte; transporte;

m) o significado de qualqqquerr qualquer marcação marcação indicada indicada no no absb absorvedor; orvedorr;

n) a identificação do modelo ou tipo do absorvedor de energia;

o) o número desta Norma;

p) a informação de e que que o o absorvedor absorvedor de de energia energia nãoo não popopodedede pode sofrer sofrer qualquer qualquer tipo de alteração e/ou reparo;

q) a informação de que o equipamento deve ser descartado após a retenção de uma queda ou a observação de qualquer abertura, dano ou deformação da parte ativa do absorvedor.

Recomenda-se utilização de ilustrações para facilitar o entendimento do usuário quanto ao uso correto do componente.

8

Embalagem

Os absorvedores de energia devem ser fornecidos em embalagens individuais, embora não necessariamente fechados hermeticamente, com material que proporcione uma determinada resistência à penetração da umidade.

© ABNT 2010 - Todos os direitos reservados

9

ABNT NBR 14629:2010

[1]

[2]

[3]

[4]

Bibliografia

ABNT NBR 15836, Equipamento de proteção individual contra queda de altura — Cinturão de segurança tipo para-quedista

ABNT NBR 14626, Equipamento de proteção individual contra queda de altura — Trava-queda deslizante guiado em linha flexível

ABNT NBR 14627, Equipamento de proteção individual contra queda de altura — Trava-queda guiado em linha rígida

ABNT NBR 14628, Equipamento de proteção individual contra queda de altura — Trava-queda

retrátil

8, Equipamento de prootteçãçãçãoo ininndidiviiduuuala contra queda de a
8, Equipamento de prootteçãçãçãoo ininndidiviiduuuala contra queda de a

10

© ABNT 2010 - Todos os direitos reservados