You are on page 1of 181
CONTRATAÇÕES DE TI Prof.: Herbert Parente - herbertparente@gmail.com WWW.DOMINANDOTI.COM.BR Prof.: Herbert Parente

CONTRATAÇÕES DE

TI

Prof.: Herbert Parente - herbertparente@gmail.com

WWW.DOMINANDOTI.COM.BR

Prof.: Herbert Parente

Apresentação

vBacharel em Ciência da Computação pela Universidade de Fortaleza. vExperiência desde 1999 com projetos de softwares.

vTrabalho com projetos do Governo desde 2007 e servidor público desde abril de 2010 com formação em Gestão de TI, Licitações e Contratos.

vAprovado e nomeado no MPOG (ATI), TST (4º lugar) e TRT-MA (9º lugar). vChefe de Divisão de Sistemas do IPHAN. vSupervisor Seção de Normatização e Processos de TI do TST vCoordenador Técnico do Processo Judicial Eletrônico (PJe-JT). vSupervisor Seção de Serviços e Sistemas Nacionais do CSJT vFundador do site para concursos Ciclo de Estudo (www.ciclodeestudo.com.br) vExperiência desde 2008 com Scrum, FDD ou Kanban. Certified Scrum Master, Certified Scrum Product Owner pela Scrum Alliance e Kanban pela LKU. vFundador do site Governo Ágil (www.governoagil.com) vInstrutor e Palestrantes em diversos congressos sobre Metodologia Ágil e Contratações

Prof.: Herbert Parente

2

Contato

§Twiter: @herbertparente §FB: www.facebook.com/herbert.parente §e-mail: herbertparente@gmail.com §Whatsapp: (61) 8179-5700 §www.ciclodeestudo.com.br §www.governoagil.com.br

Prof.: Herbert Parente

3

Conteúdo Programático

1)IN 04/2014 SLTI/MPOG

 

I.

Diferença com Resolução 182/2013 CNJ

II.

Diferença com Resolução 102/2013 CNPM

2)

IN 02/2008 SLTI/MPOG

3)

Legislação aplicável à contratação de bens e serviços de TI:

 

I.

Lei 8.666/1993

II.

Lei 10.520/2002.

4)

Fontes Auxiliares.

I.

Guia de Boas Práticas do MPOG

II.

Guia de Boas Práticas do TCU

III.

Notas Técnicas do TCU.

IV.

Acórdão do TCU

V.

Fluxos do NCTI/SLTI/MPOG

Prof.: Herbert Parente

Estatísticas

Prof.: Herbert Parente

Agenda do Curso

IN 04/2014 IN 04/2014 IN 04/2014 e Fontes Auxiliares IN 04/2014 e Comparativos com outros poderes Lei 8.666/93 e Lei 10.520/02 Guias, Fluxos NCTI/SLTI e IN 02/2008

ü3 simulados üResolução comentada de 100 questões do CESPE üResolução de questões discursivas

Prof.: Herbert Parente

Não Escopo do Curso

vEstudo completo da Lei 8.666/93

vIN 02/2008, no que não houver relação com contratos de TI

vPlanejamento Estratégio

vElaboração de PDTI

Prof.: Herbert Parente

O Que é a IN04?

vRegulamento infralegal (ato normativo) que disciplina as contratações de TI no âmbito do Poder Executivo Federal.

vConsolida, em regulamentação, um conjunto de boas práticas

vTI alinhada à estratégia do órgão vPlanejamento vGestão por resultado v...

Prof.: Herbert Parente

Histórico e Vigência

§IN04/2008 de 2008 a 2010 §IN04/2010 de jan/2011 a 2014 §IN04/2014 de jan/2015 até hoje

§Art. 41. Esta Instrução Normativa entrará em vigor em 2 de janeiro de 2015, quando restará revogada a Instrução Normativa SLTI/MP nº 4, de 12 de novembro de 2010, e suas alterações.

E renovações ou contratos de 2014 que estão sendo executados em 2015?

Prof.: Herbert Parente

9

Vigência

§Art. 40. As normas dispostas nesta IN deverão ser aplicadas nas prorrogações contratuais, ainda que de contratos assinados antes do início da vigência desta IN.

§Parágrafo único. Nos casos em que os ajustes não forem considerados viáveis, o órgão ou entidade deverá justificar esse fato, prorrogar uma única vez pelo período máximo de 12 (doze) meses e imediatamente iniciar novo processo de

contratação.

Prof.: Herbert Parente

Exceção!!!
Exceção!!!

10

A quem se aplica

vUso obrigatório para órgãos e entidades integrantes do SISP*

vVinculante para Administração pública federal direta, autárquica e fundacional

vFacultativo para as empresas públicas e as sociedades de economia mista

Poder Judiciário Resolução 182/2013 CNJ
Poder Judiciário
Resolução 182/2013 CNJ

*O que é SISP?

Prof.: Herbert Parente

Ministério Público Resolução 102/2013 CNMP
Ministério Público
Resolução 102/2013 CNMP

(ESAF – STN 2013)

O acrônimo SISP corresponde a:

  • a) Sistema Integrado de Administração dos Recursos

de Tecnologia da Informação.

  • b) Sistema Integrado de Gestão de Tecnologia da

Informação.

  • c) Sistema de Administração dos Recursos de

Tecnologia da Informação.

  • d) Sistema Integrado de Serviços de Tecnologia da

Informação da Administração Pública.

  • e) Sistema de Administração e Gestão de Tecnologia

da Informação do Setor Público.

Prof.: Herbert Parente

12

(ESAF – STN 2013)

O acrônimo SISP corresponde a:

  • a) Sistema Integrado de Administração dos Recursos

de Tecnologia da Informação.

  • b) Sistema Integrado de Gestão de Tecnologia da

Informação.

-> c) Sistema de Administração dos Recursos de Tecnologia da Informação.

  • d) Sistema Integrado de Serviços de Tecnologia da

Informação da Administração Pública.

  • e) Sistema de Administração e Gestão de Tecnologia

da Informação do Setor Público.

Prof.: Herbert Parente

13

Não se aplica

Não se aplica I - às contratações estimativa de preços seja inferior a 80.000 II -

I - às contratações estimativa de preços seja inferior a 80.000

II - às contratações dos Serviços Estratégicos de TI que a contratada seja:

....

em

§a) a PJ de direito público interno criados para esse fim específico;

§b) SERPRO em dispensa de licitação. §c) Dataprev

III - às contratações de TI que possam comprometer a segurança nacional

Prof.: Herbert Parente

14

Serviços Estratégicos

Conjunto de atividades de prestação de serviços, relacionadas aos sistemas estruturantes e finalísticos dos órgãos e entidades, que integram uma Solução de TI e cuja execução envolve informações críticas quanto à confiabilidade, segurança e confidencialidade, e cuja descontinuidade na prestação dos serviços pode impactar as atividades dos órgãos ou entidades;

Prof.: Herbert Parente

15

Não se aplica

Não se aplica … O art. 4º desta IN deverá ser SEMPRE observado, mesmo nos casos
Não se aplica … O art. 4º desta IN deverá ser SEMPRE observado, mesmo nos casos

O art. 4º desta IN deverá ser SEMPRE observado, mesmo nos casos enquadrados nos parágrafos anteriores deste artigo.

§ 3º Os órgãos e entidades integrantes do SISP deverão observar, no que couber, os dispositivos introduzidos por esta IN, sendo-lhes permitida harmonização para melhor adequação à sua estrutura funcional, conforme disposto no art. 115 da Lei nº 8.666, de

1993.

Prof.: Herbert Parente

16

Art. 4º da IN04/2014

As contratações de que trata esta IN deverão ser precedidas de PLANEJAMENTO, elaborado em harmonia com o Plano Diretor de Tecnologia da Informação - PDTI.

§ 1º O PDTI deverá estar alinhado à EGTI e ao plano estratégico institucional e aprovado pelo Comitê de Tecnologia da Informação do órgão ou entidade.

§ 2º Inexistindo o PDTI (FAÇA),o órgão ou entidade deverá proceder à sua elaboração, observando, no que couber, o Guia de Elaboração de PDTI do SISP, acessível no Portal do SISP.

Prof.: Herbert Parente

17

PDTI

Instrumento de diagnóstico, planejamento e gestão dos recursos e processos de Tecnologia da Informação que visa atender às necessidades tecnológicas e de informação de um órgão ou entidade para um determinado período.

§Alinhado ao Planejamento Estratégico institucional §Direciona os recursos aplicado à TI com o objetivo (valor) do órgão ou entidade §Vincula os serviços de TI às metas de negócio

Prof.: Herbert Parente

18

PEI e PDTI (exemplo)

PEI e PDTI ( exemplo ) Prof.: Herbert Parente 19 Fonte: PDTI/TST

Prof.: Herbert Parente

  • 19 Fonte: PDTI/TST

PEI e PDTI (exemplo)

PEI e PDTI ( exemplo ) … Prof.: Herbert Parente 20 Fonte: PDTI/TST

Prof.: Herbert Parente

  • 20 Fonte: PDTI/TST

Art. 4º da IN04/2014

§ 3º Inexistindo o plano estratégico institucional, sua ausência deverá ser registrada no PDTI e deverá ser utilizado um documento equivalente, como o Plano Plurianual - PPA.

§ 4º O Comitê de Tecnologia da Informação declarará quais são os Serviços Estratégicos de TI e quais são as soluções de TI que possam comprometer a segurança nacional para fins de atendimento ao disposto no § 1º do art. 1º desta IN.

Prof.: Herbert Parente

21

Comitê de TI

Grupo formado por titulares das áreas finalísticas e da área de tecnologia da informação para assegurar que seus membros estejam envolvidos nas questões e decisões relevantes de TI, sendo permitida a delegação de competências, e instituído pela autoridade máxima do órgão ou entidade

Prof.: Herbert Parente

22

Comitê de TI

§ 5º O disposto no parágrafo anterior deverá ser formalizado por meio de Portaria expedida pela autoridade máxima do órgão ou entidade.

Caiu em prova
Caiu em prova

§ 6º Não sendo o Comitê de Tecnologia da Informação de caráter deliberativo, as aprovações deverão ser feitas pela autoridade máxima do órgão ou entidade.

§ 7º Inexistindo o Comitê de Tecnologia da Informação, o órgão ou entidade deverá instituí-lo e dar-lhe pleno funcionamento, observando, no que couber, o Guia de Comitê de Tecnologia da Informação do SISP

Prof.: Herbert Parente

23

Uma breve estória real

Uma breve estória real Prof.: Herbert Parente 24

Prof.: Herbert Parente

24

Chegou o produto

Planejamento é primordial para qualquer compra
Planejamento é
primordial para
qualquer compra

Prof.: Herbert Parente

25

MCTI

MCTI Prof.: Herbert Parente 26

Prof.: Herbert Parente

26

Estrutura IN04/2014

SUBSEÇÕES

Introdução (art. 1º) SEÇÕES Equipe de Planejamento Contratação (art. 11) Capítulo I Disposições Gerais Planejamento da
Introdução (art. 1º)
SEÇÕES
Equipe de
Planejamento
Contratação
(art. 11)
Capítulo I
Disposições Gerais
Planejamento
da Contratação
ETP
(art. 2º ao 7º)
(art. 12)
Capítulo II
Processo de Contratação
Seleção de
Fornecedores
(art. 26 ao 30)
Análise de
Riscos
(art. 8º ao 37º)
(art. 13)
Gestão de
Contratos
Capítulo III
Disposições Finais
TR ou PB
(art. 14 ao 25)
(art. 38º ao 41º)

Prof.: Herbert Parente

Estrutura IN04/2014

SUBSEÇÕES Introdução (art. 1º) Início do Contrato SEÇÕES (art. 32) Capítulo I Disposições Gerais Planejamento da
SUBSEÇÕES
Introdução (art. 1º)
Início do
Contrato
SEÇÕES
(art. 32)
Capítulo I
Disposições Gerais
Planejamento
da Contratação
Encaminha-
mento Formal de
(art. 2º ao 7º)
Demandas
(art. 33)
Capítulo II
Processo de Contratação
Seleção de
Fornecedores
(art. 26 ao 30)
Monitoramen-
to da Execução
(art. 8º ao 37º)
(art. 34)
Gestão de
Contratos
Capítulo III
Disposições Finais
Transição e
Encerramento
(art. 35 a 37)
(art. 38º ao 41º)

Prof.: Herbert Parente

Conceitos

§Solução de TI: conjunto de bens e/ou serviços de Tecnologia da Informação e automação que se integram para o alcance dos resultados pretendidos com a contratação;

§Prova de Conceito: amostra a ser fornecida pelo licitante classificado provisoriamente em primeiro lugar para realização dos testes necessários à verificação do atendimento às especificações técnicas definidas no TR ou PB;

Prof.: Herbert Parente

29

Conceitos

§Critérios de Aceitação: parâmetros objetivos e mensuráveis utilizados para verificar se um bem ou serviço recebido está em conformidade com os requisitos especificados;

§Requisitos: conjunto de especificações necessárias para definir a Solução de TI a ser contratada;

§Gestão: conjunto de atividades superiores de planejamento, coordenação, supervisão e controle.

Prof.: Herbert Parente

30

Áreas (3)

§Área Requisitante da Solução: unidade que demanda a contratação de TI;

§Área de Tecnologia da Informação: unidade setorial ou seccional do SISP, bem como área correlata, responsável por gerir a TI;

§Área Administrativa: unidades setoriais e

seccionais do Sistema de Serviços Gerais – SISG – com competência para planejar, coordenar, supervisionar e executar as atividades relacionadas ao processo de contratação;

Prof.: Herbert Parente

31

(ESAF – MF 2013)

Na Instrução Normativa n. 04 de 12 de novembro de 2010 – art. 20 , Área de Tecnologia da Informação é a:

  • a) Unidade setorial e seccional do SISP, menos unidades correlatas,

responsável por gerir a Tecnologia da Informação do órgão ou entidade.

  • b) Unidade setorial e correlata do SISP, menos unidades seccionais,

responsável por gerir a Tecnologia da Informação do órgão ou entidade.

  • c) Unidade central e correlata do SISP, menos unidades setoriais,

responsável por gerir a Tecnologia da Informação do órgão ou entidade.

  • d) Unidade setorial ou correlata, bem como unidade central do SISP,

responsável por gerir a Tecnologia da Informação do órgão ou entidade.

  • e) Unidade setorial ou seccional do SISP, bem como área correlata,

responsável por gerir a Tecnologia da Informação do órgão ou entidade.

Prof.: Herbert Parente

32

(ESAF – MF 2013)

Na Instrução Normativa n. 04 de 12 de novembro de 2010 – art. 20 , Área de Tecnologia da Informação é a:

  • a) Unidade setorial e seccional do SISP, menos unidades correlatas,

responsável por gerir a Tecnologia da Informação do órgão ou entidade.

  • b) Unidade setorial e correlata do SISP, menos unidades seccionais,

responsável por gerir a Tecnologia da Informação do órgão ou entidade.

  • c) Unidade central e correlata do SISP, menos unidades setoriais,

responsável por gerir a Tecnologia da Informação do órgão ou entidade.

  • d) Unidade setorial ou correlata, bem como unidade central do SISP,

responsável por gerir a Tecnologia da Informação do órgão ou entidade.

-> e) Unidade setorial ou seccional do SISP, bem como área correlata, responsável por gerir a Tecnologia da Informação do órgão ou entidade.

Prof.: Herbert Parente

33

Atores (7)

Integrante Técnico Integrante Adminstrativo Integrante Requisitante

Atores (7) Integrante Técnico Integrante Adminstrativo Integrante Requisitante Equipe de Planejamento da Contratação §   Gestor

Equipe de Planejamento da Contratação

§Gestor do Contrato

§Fiscal Técnico §Fiscal Administrativo §Fiscal Requisitante

São individuais ou acumulativos?
São individuais
ou
acumulativos?

Prof.: Herbert Parente

34

Preposto

§Representante da contratada,

§responsável por acompanhar a execução do contrato

§atuar como interlocutor principal junto à contratante,

§receber, diligenciar, encaminhar e responder as principais questões técnicas, legais e administrativas referentes ao andamento contratual;

Prof.: Herbert Parente

35

(FUNCAB/MJ/2015)

A Instrução Normativa 4, de 12 de novembro de 2010, do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão considera que a equipe de planejamento da contratação é composta por três tipos de integrantes:

§a) técnico, administrativo e requisitante.

§

b) gerencial, específico e técnico.

§

c) administrativo, final e controlador.

§

d) específico, gerencial e requisitante.

§

e) controlador, final e verificador.

Prof.: Herbert Parente

36

(FUNCAB/MJ/2015)

A Instrução Normativa 4, de 12 de novembro de 2010, do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão considera que a equipe de planejamento da contratação é composta por três tipos de integrantes:

-> a) técnico, administrativo e requisitante.

§

b) gerencial, específico e técnico.

§

c) administrativo, final e controlador.

§

d) específico, gerencial e requisitante.

§

e) controlador, final e verificador.

Prof.: Herbert Parente

37

Documentos (13) Art. 2º incisos

§XII - DOD §XIII - ETP §XV - Análise de Risco

Documentos (13) Art. 2º incisos §   XII - DOD §   XIII - ETP §

§XX - Modelo de Execução §XXI - Modelo de Gestão §XVIII - Lista de Verificação

Documentos (13) Art. 2º incisos §   XII - DOD §   XIII - ETP §

Planejamento da Contratação

Documentos individuais

Novo
Novo

Itens do TR

Planejamento da Contratação

Prof.: Herbert Parente

38

Documentos (13)

Documentos (13) … §   XVI - Plano de Inserção §   XVII - Plano de

§XVI - Plano de Inserção §XVII - Plano de Fiscalização

Documentos (13) … §   XVI - Plano de Inserção §   XVII - Plano de

Início do contrato

Documentos (13) … §   XVI - Plano de Inserção §   XVII - Plano de

§XIX -

OS ou OF

§XXII - Termo de Recebimento Provisório §XXIII - Termo de Recebimento Definitivo

Monitoramento da execução

Documentos (13) … §   XVI - Plano de Inserção §   XVII - Plano de

§XIV - Plano de Capacidade §XXVIII - PDTI

Documentos de gestão

Prof.: Herbert Parente

39

Plano de Capacidade (Art. 2º XIV)

Documento a ser elaborado, pela entidade prestadora dos Serviços Estratégicos de Tecnologia da Informação, que servirá de insumo para a confecção do Planejamento da Contratação, contendo dados que permitam:

§o detalhamento e rateio dos custos da prestação de serviços entre os órgãos e entidades beneficiárias,

§a previsão do crescimento vegetativo do consumo dos recursos e insumos durante a vigência do contrato e

§a

reserva

previstos;

técnica para absorver possíveis crescimentos não

Prof.: Herbert Parente

40

Vedações

Vedações Art. 5º Não poderão ser objeto de contratação : I - mais de uma Solução

Art. 5º Não poderão ser objeto de contratação:

I - mais de uma Solução de Tecnologia da Informação em um único contrato; e

II - gestão de processos de Tecnologia da Informação, incluindo gestão de segurança da informação.

Parágrafo único. O apoio técnico aos processos de planejamento e avaliação da qualidade das Soluções de Tecnologia da Informação poderá ser objeto de contratação, desde que sob supervisão exclusiva de

servidores do órgão ou entidade.

Prof.: Herbert Parente

41

Vedações

Quem EXECUTA não fiscaliza nem mede

§Art. 6º Nos casos em que a avaliação, mensuração ou apoio à fiscalização da Solução de Tecnologia da Informação seja objeto de contratação, a contratada que provê a Solução de Tecnologia da Informação não poderá ser a mesma que a avalia, mensura ou apoia à

fiscalização.

Prof.: Herbert Parente

42

Art. 7º É vedado:

Art. 7º É vedado : §   I - estabelecer vínculo de subordinação (Súmula 331/TST) ;

§I - estabelecer vínculo de subordinação (Súmula 331/TST); §II - prever em edital a remuneração dos funcionários; §III - indicar pessoas para compor o quadro funcional;

§IV - demandar a execução de serviços ou tarefas que escapem ao escopo do objeto da contratação, mesmo que haja assentimento do preposto ou da própria contratada;

§V - reembolsar despesas com transporte, hospedagem e outros custos operacionais, que devem ser de exclusiva responsabilidade da contratada;

Prof.: Herbert Parente

43

Art. 7º É vedado:

§VI - prever em edital exigências que constituam intervenção indevida da Administração na gestão interna dos fornecedores;

Art. 7º É vedado : … §   VI - prever em edital exigências que constituam

§VII - prever em edital exigência que os fornecedores apresentem, em seus quadros, funcionários capacitados ou certificados para o fornecimento da Solução, antes da contratação*;

Art. 7º É vedado : … §   VI - prever em edital exigências que constituam

*A ideia é não criar ônus ao licitante antes da contratação (Acórdão 1526/2002)

Prof.: Herbert Parente

44

Homem-hora pode? SIM

Art. 7º É vedado:

§VIII - adotar a métrica homem-hora ou equivalente para aferição de esforço, salvo mediante justificativa e sempre vinculada à entrega de produtos de acordo com prazos e qualidade previamente definidos;

§IX - contratar por postos de trabalho alocados, salvo os casos justificados mediante a comprovação obrigatória de resultados compatíveis com o posto previamente definido;

Prof.: Herbert Parente

45

Técnica e preço pode? SIM

Art. 7º É vedado:

§X - nas licitações do tipo técnica e preço:

§a) incluir critérios de pontuação técnica que não estejam diretamente relacionados com os requisitos da Solução de Tecnologia da Informação a ser contratada ou que frustrem o caráter competitivo do certame; e

§b) fixar os fatores de ponderação das propostas técnica e de preço sem justificativa, salvo quando o fator de ponderação for 50% (cinquenta por cento) para técnica e 50% (cinquenta por cento) para preço.

Prof.: Herbert Parente

46

(FCC/TRF-2/2012)

A Instrução Normativa no 04, de 12 de novembro de 2010, determina, em seu Artigo 6o ,

que nos casos em que (

)

da Solução de Tecnologia da Informação sejam objetos de

... contratação, a contratada que provê a Solução de Tecnologia da Informação não poderá

ser a mesma que (

...

)

As lacunas I e II podem ser correta e respectivamente preenchidas com os termos entre parênteses presentes em:

  • a) (manutenção e desenvolvimento) e (a empresa responsável pelas cópias de

segurança).

  • b) (análise e manutenção) e (efetua a auditoria do código desenvolvido).

  • c) (manutenção e segurança) e (a responsável pelo desenvolvimento da Solução).

  • d) (avaliação, mensuração ou fiscalização) e (avalia, mensura ou fiscaliza).

  • e) (segurança, backup e manutenção) e (a responsável pelo desenvolvimento da

Solução).

Prof.: Herbert Parente

47

(FCC/TRF-2/2012)

A Instrução Normativa no 04, de 12 de novembro de 2010, determina, em seu Artigo 6o ,

que nos casos em que (

...

)

da Solução de Tecnologia da Informação sejam objetos de

contratação, a contratada que provê a Solução de Tecnologia da Informação não poderá

ser a mesma que (

...

)

As lacunas I e II podem ser correta e respectivamente preenchidas com os termos entre parênteses presentes em:

  • a) (manutenção e desenvolvimento) e (a empresa responsável pelas cópias de

segurança).

  • b) (análise e manutenção) e (efetua a auditoria do código desenvolvido).

  • c) (manutenção e segurança) e (a responsável pelo desenvolvimento da Solução).

-> d) (avaliação, mensuração ou fiscalização) e (avalia, mensura ou fiscaliza).

  • e) (segurança, backup e manutenção) e (a responsável pelo desenvolvimento da

Solução).

Prof.: Herbert Parente

48

(FCC/TJ-PE/2012)

Considere os seguintes objetos:

I. Apenas uma Solução de Tecnologia da Informação em um único contrato.

II. Gestão de processos de tecnologia da informação. III. Gestão de segurança da informação. IV. Suporte técnico aos processos de planejamento.

V. Avaliação da qualidade das Soluções de Tecnologia da Informação.

Poderá ser objeto de contratação, segundo a Instrução Normativa No 4/2010, APENAS o que consta em:

Prof.: Herbert Parente

49

(FCC/TJ-PE/2012)

Considere os seguintes objetos:

-> I. Apenas uma Solução de Tecnologia da Informação em um único contrato.

II. Gestão de processos de tecnologia da informação. III. Gestão de segurança da informação.

-> IV. Suporte técnico aos processos de planejamento.

-> V. Avaliação da qualidade das Soluções de Tecnologia da Informação.

Poderá ser objeto de contratação, segundo a Instrução Normativa No 4/2010, APENAS o que consta em:

Prof.: Herbert Parente

50

(FGV/Fiocruz/2010)

Com relação à legislação em vigor para contratação de serviços e produtos de TI pela administração pública federal direta, autárquica e fundacional, analise as afirmativas a seguir.

I. Não poderá ser objeto de contratação, todo o conjunto dos serviços de TI de um órgão ou uma entidade em um único contrato.

II. Não poderão ser objeto de contratação, mais de uma solução de TI em um único contrato.

III. Não poderá ser objeto de contratação, gestão de processos de TI, incluindo gestão de segurança da informação.

IV. Não poderão ser objeto de contratação, soluções de TI disponíveis no mercado há menos de dois anos.

As corretas são:

Prof.: Herbert Parente

51

(FGV/Fiocruz/2010)

Com relação à legislação em vigor para contratação de serviços e produtos de TI pela administração pública federal direta, autárquica e fundacional, analise as afirmativas a seguir.

-> I. Não poderá ser objeto de contratação, todo o conjunto dos serviços de TI de um órgão ou uma entidade em um único contrato.

-> II. Não poderão ser objeto de contratação, mais de uma solução de TI em um único contrato.

-> II. Não poderá ser objeto de contratação, gestão de processos de TI, incluindo gestão de segurança da informação.

IV. Não poderão ser objeto de contratação, soluções de TI disponíveis no mercado há menos de dois anos.

As corretas são:

Prof.: Herbert Parente

52

(FGV/Fiocruz/2012 - adaptada)

Com relação à contratação de bens e serviços de TI, segundo à IN04/2014 MPOG/STI, analise as afirmativas a seguir.

I. É vedado estabelecer vínculo de subordinação com funcionários dos fornecedores.

II. É vedado prever em edital a remuneração dos funcionários dos fornecedores.

III. É vedado indicar pessoas para compor o quadro funcional dos fornecedores.

IV. É vedado reembolsar despesas com transporte e hospedagem de fornecedores.

Assinale as corretas:

Prof.: Herbert Parente

53

(FGV/Fiocruz/2012 - adaptada)

Com relação à contratação de bens e serviços de TI, segundo à IN04/2014 MPOG/STI, analise as afirmativas a seguir.

I. É vedado estabelecer vínculo de subordinação com funcionários dos fornecedores.

II. É vedado prever em edital a remuneração dos funcionários dos fornecedores.

III. É vedado indicar pessoas para compor o quadro funcional dos fornecedores.

IV. É vedado reembolsar despesas com transporte e hospedagem de fornecedores.

TODAS

Prof.: Herbert Parente

54

Capítulo II – Processo de Contratação

SEÇÃO I - Planejamento da Contratação

FASES
FASES

Prof.: Herbert Parente

55

(FCC/TJ-PE/2012)

As contratações de Soluções de Tecnologia da Informação, segundo a Instrução Normativa No 4/2010 deverão seguir três fases denominadas:

  • a) Planejamento da solução de TI, Processo de licitação e

Contratação e execução.

  • b) Planejamento da solução de TI, Seleção do fornecedor e

Contratação e execução.

  • c) Planejamento da solução de TI, Processo de licitação e

Gerenciamento do contrato.

  • d) Planejamento da contratação, Seleção do fornecedor e

Gerenciamento do contrato.

  • e) Planejamento da contratação, Processo de licitação e

Gerenciamento do contrato.

Prof.: Herbert Parente

56

(FCC/TJ-PE/2012)

As contratações de Soluções de Tecnologia da Informação, segundo a Instrução Normativa No 4/2010 deverão seguir três fases denominadas:

  • a) Planejamento da solução de TI, Processo de licitação e

Contratação e execução.

  • b) Planejamento da solução de TI, Seleção do fornecedor e

Contratação e execução.

  • c) Planejamento da solução de TI, Processo de licitação e

Gerenciamento do contrato.

-> d) Planejamento da contratação, Seleção do fornecedor e Gerenciamento do contrato.

  • e) Planejamento da contratação, Processo de licitação e

Gerenciamento do contrato.

Prof.: Herbert Parente

57

Planejamento da Contratação

Composto por 4 etapas:

1.Instituição da Equipe de Planejamento

§Pessoas §Valida e se inicia com o DOD

2.Estudo Técnico Preliminar (ETP) 3.Análise de Riscos

4.Termo de Referência (TR) ou Projeto Básico (PB)

Prof.: Herbert Parente

58

ARTEFATOS
ARTEFATOS

PCTI

PCTI Prof.: Herbert Parente 59

Prof.: Herbert Parente

59

Instituição Equipe Planejamento

Art. 11. A fase de Planejamento da Contratação terá início com o recebimento pela Área de Tecnologia da Informação do Documento de Oficialização da Demanda –

DOD

Caiu em prova
Caiu em prova

Composto pelo INTEGRANTES* Requisitante, Técnico e Administrativo

*Nesta fase temos INTEGRANTES e não fiscais

Prof.: Herbert Parente

60

Instituição Equipe Planejamento

Instituição Equipe Planejamento Prof.: Herbert Parente 61

Prof.: Herbert Parente

61

DOD (art. 2º XII)

Artefato de entrada para o ETP
Artefato de
entrada para o ETP

Documento com detalhamento da necessidade da Área Requisitante, no mínimo:

§necessidade da contratação, objetivos estratégicos e as necessidades corporativas, bem como o seu alinhamento ao PDTI;

§explicitação da motivação e demonstrativo de resultados

§indicação da fonte dos recursos para a contratação;

§indicação do Integrante Requisitante

Caiu em prova
Caiu em prova

Prof.: Herbert Parente

62

DOD

Descrever a necessidade do gestor, (o porquê da contratação) e não a solução técnica.

“ Necessito de tablet, impressora portátil e sistema para dispositos móveis para agilizar o trabalho dos fiscais do órgão nas fiscalizações em campo.”

DOD … Descrever a necessidade do gestor , (o porquê da contratação) e não a solução

Prof.: Herbert Parente

63

DOD

Descrever a necessidade e não a solução.

“Necessito de uma solução que agilize o trabalho dos fiscais do órgão nas fiscalizações em campo, uma vez que o uso de formulário de papel é susceptível a erros de preenchimento por falta de validação com a legislação vigente, leva dias (entre a fiscalização e o retorno do fiscal) a ser analisada e uma sobrecarga de peso aos servidores.”

DOD … Descrever a necessidade e não a solução . “Necessito de uma solução que agilize

Prof.: Herbert Parente

64

(FCC/TRT-SP/2012)

A Instrução Normativa no 04, de 12 de novembro de 2010, descreve que a Equipe de Planejamento da Contratação é composta por

  • a) gerente de projetos, desenvolvedor e gestor de contrato.

  • b) gestor de contrato, fiscal de contrato e fiscal administrativo.

  • c) integrante técnico, integrante administrativo e integrante

requisitante.

  • d) gerente de TI, gerente de projetos e gestor de contrato.

  • e) fiscal de contrato, gerente de projetos e desenvolvedor.

Prof.: Herbert Parente

65

(FCC/TRT-SP/2012)

A Instrução Normativa no 04, de 12 de novembro de 2010, descreve que a Equipe de Planejamento da Contratação é composta por

  • a) gerente de projetos, desenvolvedor e gestor de contrato.

  • b) gestor de contrato, fiscal de contrato e fiscal administrativo.

-> c) integrante técnico, integrante administrativo e integrante requisitante.

  • d) gerente de TI, gerente de projetos e gestor de contrato.

  • e) fiscal de contrato, gerente de projetos e desenvolvedor.

Prof.: Herbert Parente

66

ETP – Estudo Técnico Preliminar

ETP – Estudo Técnico Preliminar XIII - Documento que demonstra a viabilidade técnica e econômica da

XIII - Documento que demonstra a viabilidade técnica e econômica da contratação;

Antigamente na IN04/2010 tinha §Plano de Sustentação*

parte foi para o ETP e §parte para o Encerramento da Contratação

§

§Estratégia Geral de Contratação §Análise de Viabilidade

Na IN04/2014, todos* foram para o ETP ou TR

Prof.: Herbert Parente

67

Mapeamento Guia TCU x IN04/2010

do Guia do TCU Fonte: Guia de Contratações do TCU
do Guia do TCU
Fonte: Guia de Contratações do TCU

Prof.: Herbert Parente

68

ETP

ETP Elaboração , Aprovação e Assinatura : Técnico e Requisitante apenas ①   Definição e especificação

Elaboração, Aprovação e Assinatura:

Técnico e Requisitante apenas

Definição e especificação de necessidade de negócio

Avaliação das diferentes soluções

Análise e comparação entre os custos totais de propriedade das soluções

Escolha da solução e justificativa

Avaliação das necessidades de adequação do ambiente

Avaliação e definição dos recursos materiais e humanos à implantação e à manutenção

Mecanismos para continuidade do fornecimento

Declaração da viabilidade da contratação

Prof.: Herbert Parente

69

ETP

1.Definição e especificação das necessidades de negócio e tecnológicas a partir do DOD;

  • a) demandas dos potenciais gestores e usuários da solução

  • b) soluções disponíveis no mercado;

  • c) projetos similares realizados por outros órgãos.

Prof.: Herbert Parente

Aqui pode “nascer” uma indicação para ARP
Aqui pode “nascer”
uma indicação para
ARP

70

ETP

2.Avaliação das soluções considerando:

Similar de outro órgão ou entidade
Similar de
outro órgão
ou entidade
Portal Software Público
Portal
Software
Público
Software Livre e alternativas de mertcado
Software Livre
e alternativas
de mertcado

Soluções existentes

 

e-PING

Modelos e padrões

e

e-MAG

ICP Brasil

e

e-ARQ Brasil

…e o Orçamento Estimado

Prof.: Herbert Parente

71

ETP

3.Análise custos totais de propriedade (CTP);

§valores de aquisição dos ativos, insumos, garantia e manutenção

4.Escolha da solução e sua justificativa;

§descrição sucinta da solução indicando os bens e serviços que a compõem;

§relação às necessidades de negócio e aos macro requisitos tecnológicos; e

§identificação dos benefícios a serem alcançados em termos de eficácia, eficiência, efetividade e economicidade.

Prof.: Herbert Parente

72

ETP

5.avaliação das necessidades de adequação do ambiente do órgão

§Infra, logística, mobiliário, espaço, etc

6.recursos materiais e humanos necessários à implantação;

7.mecanismos para continuidade; 8.declaração da viabilidade;

Prof.: Herbert Parente

73

ETP sob na hierarquia se

Avaliado e assinado pela autoridade competente, quando:

§Orçamento estimado for maior que R$1.300.000,00

Caiu em prova
Caiu em prova

§Os responsáveis pelo ETP declararem inviável a contratação

Nos dois casos acima, a autoridade irá decidir se continua ou não com a contratação.

Prof.: Herbert Parente

74

ETP Prof.: Herbert Parente 75
ETP
Prof.: Herbert Parente
75

(FCC/2013/TRT-BA)

De acordo com a Instrução Normativa para Contratação de Soluções de Tecnologia da Informação (MPOG/SLTI IN 04/2010), a tarefa “Análise de Viabilidade da Contratação”, da fase de Planejamento da Contratação, compreende a “identificação das diferentes soluções que atendam aos requisitos”. Para tanto, deve-se manter a observância às políticas, premissas e especificações técnicas definidas por:

a)Padrões de Interoperabilidade de Governo Eletrônico (PIGE) e Control Objectives for Information and related Technology (CobiT).

  • b) Modelo de Acessibilidade em Governo Eletrônico (MAGE) e Project

Management Body of Knowledge (PMBoK).

  • c) Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira (ICPB) e Normas NBR ISO/IEC:

27001:2006, 27002:2005, 27005 e 15999.

  • d) Padrões de Interoperabilidade de Governo Eletrônico (e-PING) e Modelo de

Acessibilidade em Governo Eletrônico (e- MAG).

  • e) Modelo de Requisitos para Sistemas Informatizados de Gestão Arquivística de

Documentos (SIGAD) e Normas NBR ISO/IEC: 27001:2006, 27002:2005, 27005 e

15999.

Prof.: Herbert Parente

76

(FCC/2013/TRT-BA)

De acordo com a Instrução Normativa para Contratação de Soluções de Tecnologia da Informação (MPOG/SLTI IN 04/2010), a tarefa “Análise de Viabilidade da Contratação”, da fase de Planejamento da Contratação, compreende a “identificação das diferentes soluções que atendam aos requisitos”. Para tanto, deve-se manter a observância às políticas, premissas e especificações técnicas definidas por:

a)Padrões de Interoperabilidade de Governo Eletrônico (PIGE) e Control Objectives for Information and related Technology (CobiT).

  • b) Modelo de Acessibilidade em Governo Eletrônico (MAGE) e Project

Management Body of Knowledge (PMBoK).

  • c) Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira (ICPB) e Normas NBR ISO/IEC:

27001:2006, 27002:2005, 27005 e 15999.

-> d) Padrões de Interoperabilidade de Governo Eletrônico (e-PING) e Modelo de Acessibilidade em Governo Eletrônico (e- MAG).

  • e) Modelo de Requisitos para Sistemas Informatizados de Gestão Arquivística de

Documentos (SIGAD) e Normas NBR ISO/IEC: 27001:2006, 27002:2005, 27005 e

15999.

Prof.: Herbert Parente

77

(FCC/MPE-CE/2013)

De acordo com a IN 04/2010,

  • a) as contratações de Aquisições de TI deverão seguir quatro fases: I.

Planejamento da Contratação; II. Planejamento da Licitação; III. Seleção da Aquisição; e IV. Gerenciamento do Contrato.

  • b) a execução da fase de Planejamento da Contratação não é obrigatória no caso

de ter havido dispensa de licitação ou licitação dispensada.

  • c) em consequência da padronização existente no mercado de TI, é aceita

unicamente a utilização da modalidade Pregão Público para as contratações.

  • d) a fase de Seleção do Processo de Licitação terá início com o recebimento pela

Área Financeira do Documento de Oficialização da Demanda, a cargo da Área Requisitante do Contrato. Esta fase não necessita ser conhecida pela Área de TI.

  • e) a fase de Gerenciamento do Contrato visa acompanhar e garantir a adequada

prestação dos serviços e o fornecimento dos bens que compõem a Solução de TI durante todo o período de execução do contrato.

Prof.: Herbert Parente

78

(FCC/MPE-CE/2013)

De acordo com a IN 04/2010,

  • a) as contratações de Aquisições de TI deverão seguir quatro fases: I.

Planejamento da Contratação; II. Planejamento da Licitação; III. Seleção da Aquisição; e IV. Gerenciamento do Contrato.

  • b) a execução da fase de Planejamento da Contratação não é obrigatória no caso

de ter havido dispensa de licitação ou licitação dispensada.

  • c) em consequência da padronização existente no mercado de TI, é aceita

unicamente a utilização da modalidade Pregão Público para as contratações.

  • d) a fase de Seleção do Processo de Licitação terá início com o recebimento pela

Área Financeira do Documento de Oficialização da Demanda, a cargo da Área Requisitante do Contrato. Esta fase não necessita ser conhecida pela Área de TI.

-> e) a fase de Gerenciamento do Contrato visa acompanhar e garantir a adequada prestação dos serviços e o fornecimento dos bens que compõem a Solução de TI durante todo o período de execução do contrato.

Prof.: Herbert Parente

79

(ESAF/MF/2013 – adaptada)

Na Instrução Normativa n. 04 de 2014, o Estudo Técnico Preliminar será aprovado e assinado exclusivamente pelo(a):

  • a) Equipe de Planejamento da Contratação.

  • b) Integrante Requisitante.

  • c) Integrante Técnico.

  • d) Integrante Administrativo.

  • e) Integrante Técnico e Requisitante.

Prof.: Herbert Parente

80

(ESAF/MF/2013 – adaptada)

Na Instrução Normativa n. 04 de 2014, o Estudo Técnico Preliminar será aprovado e assinado exclusivamente pelo(a):

  • a) Equipe de Planejamento da Contratação.

  • b) Integrante Requisitante.

  • c) Integrante Técnico.

  • d) Integrante Administrativo.

-> e) Integrante Técnico e Requisitante.

Prof.: Herbert Parente

81

(FGV/Fiocruz/2010 - adaptada)

Com relação ao ETP é correto afirmar que a Instrução Normativa número

 

04/2014:

a)

proíbe a aquisição de softwares proprietários por instituições públicas

federais.

b)

define como softwares livres somente aqueles lançados sob a Licença

Pública Geral GNU (GPL).

c)

estabelece a preferência por soluções de software livre ou software

público, contanto que atendam aos requisitos estabelecidos pelo requisitante do serviço.

d)

orienta os órgãos públicos a considerar somente o custo monetário das

soluções de Tecnologia da Informação no momento de sua escolha.

e)

deve ser aplicada a todas as empresas sediadas no Brasil, sejam elas

públicas ou privadas.

Prof.: Herbert Parente

82

(FGV/Fiocruz/2010 - adaptada)

Com relação ao ETP é correto afirmar que a Instrução Normativa número

 

04/2014:

a)

proíbe a aquisição de softwares proprietários por instituições públicas

federais.

b)

define como softwares livres somente aqueles lançados sob a Licença

Pública Geral GNU (GPL).

-> c) estabelece a preferência por soluções de software livre ou software público, contanto que atendam aos requisitos estabelecidos pelo requisitante do serviço.

d)

orienta os órgãos públicos a considerar somente o custo monetário das

soluções de Tecnologia da Informação no momento de sua escolha.

e)

deve ser aplicada a todas as empresas sediadas no Brasil, sejam elas

públicas ou privadas.

Prof.: Herbert Parente

83

Análise de Riscos

Elaboração, aprovação e assinatura:

Todos os 3 da Equipe

Documento que contém a descrição, a análise e o tratamento dos riscos e ameaças que possam vir a comprometer o sucesso em todas as fases da contratação:

1.Riscos do insucesso do contrato e da gestão; 2.Riscos da solução não dar resultados;

Prof.: Herbert Parente

84

Análise de Riscos

3.Mensuração e probabilidade de cada risco;

§Pode ser uma matriz de riscos

4.Ações previstas para mitigar os riscos; 5.Ações de contigência; 6.Responsáveis pelas ações;

Caiu em prova
Caiu em prova

A análise de riscos permeia todas as etapas da fase de Planejamento da Contratação e será consolidada no documento final Análise de Riscos.

Prof.: Herbert Parente

85

ETP e Análise de Risco

ETP e a Análise de Riscos podem ser um um único documento

Art.9º § 2º Exceto no caso em que o órgão ou entidade seja partícipe da licitação, quando são dispensáveis as etapas III (AR) e IV(TR) do caput deste artigo, é obrigatória a execução de todas as etapas da fase de Planejamento da Contratação, independentemente do tipo de contratação, inclusive nos casos de

ETP e Análise de Risco •   ETP e a Análise de Riscos podem ser um

I - inexigibilidade; II - dispensa de licitação ou licitação dispensada; III - criação e adesão à Ata de Registro de Preços; e IV - contratações com uso de verbas de organismos internacionais

Prof.: Herbert Parente

86

(CETRO/ANVISA/2013)

Quanto à Análise de Riscos (IN MPOG/SLTI 04/2010), analise as afirmações abaixo.

I. Será elaborada pelo Integrante Técnico da Solução de Tecnologia da Informação a ser contratada.

II. Permeia todas as etapas da fase de Planejamento da Contratação e será consolidada no documento.

III. Será aprovada e assinada pela Equipe de Planejamento da Contratação.

É correto o que se afirma em :

Prof.: Herbert Parente

87

(CETRO/ANVISA/2013)

Quanto à Análise de Riscos (IN MPOG/SLTI 04/2010), analise as afirmações abaixo.

I. Será elaborada pelo Integrante Técnico da Solução de Tecnologia da Informação a ser contratada.

-> II. Permeia todas as etapas da fase de Planejamento da Contratação e será consolidada no documento.

-> III. Será aprovada e assinada pela Equipe de Planejamento da Contratação.

É correto o que se afirma em :

Prof.: Herbert Parente

88

(FCC/TRE-SP/2012)

Em relação à terceirização de serviços de TI, é INCORRETO afirmar que dentre os riscos associados a esse procedimento, pode-se enquadrar

  • a) a irreversibilidade da decisão de terceirização, possíveis quebras de

contrato pelo fornecedor ou a incapacidade de entregar o produto.

  • b) a negligência de um fornecedor, quando ele deliberadamente tem um

desempenho abaixo do esperado e reivindica pagamento integral.

  • c) o uso indevido de uma aplicação desenvolvida estrategicamente para

um cliente e posteriormente oferecendo essa aplicação a outros clientes.

  • d) a renegociação de preços oportunista (ou "holdup"), quando o

fornecedor, ao possuir contrato de longo prazo com o cliente, cobra

abusivamente aprimoramentos não previstos.

  • e) a concentração no desenvolvimento, a execução de atividades

básicas do negócio, a delegação do desenvolvimento em TI (design, produção e a aquisição) e responsabilidade operacional aos

fornecedores.

Prof.: Herbert Parente

89

(FCC/TRE-SP/2012)

Em relação à terceirização de serviços de TI, é INCORRETO afirmar que dentre os riscos associados a esse procedimento, pode-se enquadrar

  • a) a irreversibilidade da decisão de terceirização, possíveis quebras de

contrato pelo fornecedor ou a incapacidade de entregar o produto.

  • b) a negligência de um fornecedor, quando ele deliberadamente tem um

desempenho abaixo do esperado e reivindica pagamento integral.

  • c) o uso indevido de uma aplicação desenvolvida estrategicamente para

um cliente e posteriormente oferecendo essa aplicação a outros clientes.

  • d) a renegociação de preços oportunista (ou "holdup"), quando o

fornecedor, ao possuir contrato de longo prazo com o cliente, cobra

abusivamente aprimoramentos não previstos.

-> e) a concentração no desenvolvimento, a execução de atividades básicas do negócio, a delegação do desenvolvimento em TI (design, produção e a aquisição) e responsabilidade operacional aos fornecedores.

Prof.: Herbert Parente

90

(FVG/Fiocruz/2012)

A Instrução Normativa de 04 de 2008 define estratégias necessárias ao contratar bens e serviços de TI. Algumas estratégias estão listadas a seguir, à exceção de uma. Assinale-a.

  • a) Avaliar os riscos da contratação.

  • b) Realizar um planejamento completo da contratação.

  • c) Analisar a viabilidade da contratação.

  • d) Selecionar a opção de nível de serviço imediatamente

superior ao requerido.

  • e) Definir ao menos uma pessoa responsável por gerir o

contrato.

Prof.: Herbert Parente

91

(FVG/Fiocruz/2012)

A Instrução Normativa de 04 de 2008 define estratégias necessárias ao contratar bens e serviços de TI. Algumas estratégias estão listadas a seguir, à exceção de uma. Assinale-a.

  • a) Avaliar os riscos da contratação.

  • b) Realizar um planejamento completo da contratação.

  • c) Analisar a viabilidade da contratação.

-> d) Selecionar a opção de nível de serviço imediatamente superior ao requerido.

  • e) Definir ao menos uma pessoa responsável por gerir o

contrato.

Prof.: Herbert Parente

92

Termo de Referência (TR)

ou Projeto Básico (art. 14 ao 25)

§Entrada: ETP e Análise de Risco

§Elaboração: Toda a Equipe de Planejamento

§É o insumo principal para elaboração do Edital e minuta do contrato.

§O TR, geralmente, é o primeiro anexo do edital que vai a público (comprasnet por exemplo).

§Consolida, e finaliza, todas as informação da fase de planejamento.

Prof.: Herbert Parente

93

O que deve conter o TR

Objeto Justificativa e descrição Especificação dos requisitos Responsabilidades

§Contratante §Contratada §Órgão gerenciador da ARP

Modelo de Gestão

Estimativa de preço Adequação orçamentária e cronograma financeiro

Regime de execução do contrato

Critérios de seleção

Modelo de Execução

No mínimo

Prof.: Herbert Parente

94

1) Objeto do contrato

§Descrição clara e sucinta do serviço ou produto a ser licitado.

§Vedadas especificações desnecessárias que frustem a competitividade.

§Acórdão TCU 1526/2002: exigências desarrazoadas no

edital de licitação/termo de referência, com potencial prejuízo à competitividade do certame.

Prof.: Herbert Parente

95

Objeto do contrato

Objeto

  • Necessidade (problema)

Objeto

  • Objetivo

Objeto é o que será contratado para resolver o problema.

Prof.: Herbert Parente

96

Objeto (exemplos)

§Serviço de desenvolvimento de software na linguagem Java para 1000 PF por ano.

Objeto ( exemplos ) §   Serviço de desenvolvimento de software na linguagem Java para 1000

§Contratar empresa especializada em Java, PHP, Delphi, Android e iOS para manutenção e desenvolvimento dos softwares do órgão nos próximos 12 meses.

Objeto ( exemplos ) §   Serviço de desenvolvimento de software na linguagem Java para 1000

§Empresa de serviço de desenvolvimento de software, na linguagem Java, sediada em Brasília certificada CMMI V, com 5 anos de fundação e que detenha outros contratos, com órgão da Administração Pública Federal, de 5000 pontos de função ou mais.

Objeto ( exemplos ) §   Serviço de desenvolvimento de software na linguagem Java para 1000

Prof.: Herbert Parente

97

Objeto (exemplos)

§Serviços de tecnologia da informação para desenvolvimento e implantação de uma solução informatizada e integrada (com treinamento de um grupo de usuários), denominada Sistema Integrado de Conhecimento e Gestão (SICG), que apoie o conhecimento, a análise e a gestão de patrimônio material no IPHAN, automatizando a metodologia de inventários do patrimônio cultural material criada pelo Departamento de Patrimônio Material.

Objeto ( exemplos ) §   Serviços de tecnologia da informação para desenvolvimento e implantação de

Prof.: Herbert Parente

98

Oriunda do ETP
Oriunda do ETP

2) Justificativa

Art. 16. A justificativa para contratação deverá conter, pelo menos:

§

I

-

relação

entre

o

PDTI e

os objetivos estratégicos, conforme

disposto no art. 11, inciso I desta IN; e

§II

-

a

descrição da Solução de Tecnologia da Informação,

contendo de forma detalhada, motivada e justificada, inclusive quanto à forma de cálculo, o quantitativo de bens e serviços necessários para a sua composição, juntamente com demonstrativo de resultados a serem alcançados em termos de economicidade e de melhor aproveitamento dos recursos humanos, materiais e financeiros disponíveis, conforme inciso IV do art. 12 (escolha e justificativa da solução do ETP).

Prof.: Herbert Parente

99

3) Especificação dos requisitos

Competência do Integrante Requisitante

§mas com apoio do Técnico

§Definir os requisitos de:

§Negócio: nada de tecnologia, só requisitos funcionais §Capacitação §Legais

§Manutenção: preventiva, corretiva, evolutiva e adaptativa §Temporais (ex: sistema da urna eletrônica) §Segurança: juntamente com o Integrante Técnico

§Sociais, ambientais e culturais

Prof.: Herbert Parente

100

3) Especificação dos requisitos

Competência do Integrante Técnico §Definir os requisitos de:

§Arquitetura

§Projeto (processo de desenvolvimento, de gestão, de documentação, etc)

§Implantação: processo de instalação e disponibilização

§Garantia e manutenção: forma como será conduzida a manutenção e a comunicação entre as partes envolvidas

§Capacitação: técnica

Prof.: Herbert Parente

101

3) Especificação dos requisitos

Outras competências do Integrante Técnico

definir requisitos de:

3) Especificação dos requisitos … Outras competências do Integrante Técnico … definir requisitos de: §  

§Experiência da equipe: tempo e forma de comprovação de acordo com o perfil

§Formação da equipe: curso acadêmico, certificados, etc

Não era proibido?

§Metodologia de trabalho §Segurança da informação §Outros

Prof.: Herbert Parente

102

4) Responsabilidade

Da Contratante (órgão ou entidade):

§Nomear fiscais e gestor §Encaminhar formalmente demanda, preferencial- mente, por OS ou OF §Receber o objeto §Aplicar sanções (avisar “dono” da ARP §Liquidar empenho e pagar

§Comunicar tudo

§Definir produtividade de atendimento

§Diligências e POC (só para 1º colocado)

§Propriedade intelectual para órgão ou entidade

Prof.: Herbert Parente

103

4) Responsabilidades

Da Contratada (empresa):

§Indicar Preposto §Reparar danos §Manter as condições de habilitação

§Atender às solictações da contratante (POC, produtividade, etc)

Prof.: Herbert Parente

104

4) Responsabilidades

Do gerenciador da ARP:

§Registro dos fornecedores §Autorizar, ou não, os não participantes da Ata §Forma de Comunicação entre os interessados §Forma de Controle

§Fila de fornecimento (participantes ou não)

§Todas as outras responsabilidades de um contratante

Prof.: Herbert Parente

105

5) Modelo de Execução (art. 2º XX)

Modelo que contém a definição dos procedimentos necessários e suficientes ao adequado fornecimento da Solução de Tecnologia da Informação, por meio da definição dos principais procedimentos de execução contratual;

Prof.: Herbert Parente

106

5) Modelo de Execução

§Rotinas de execução de processo de fornecimento com:

§Prazos, horários §Documentação mínima §Papéis

§Estimativa de volume §Forma de comunicação §Elaboração do modelos

5) Modelo de Execução … §   Rotinas de execução de processo de fornecimento com: §

§Termo de compromisso (por empresa) §Termo de ciência (por pessoa)

107

Prof.: Herbert Parente

Anexos do TR

6) Modelo de Gestão (art. 2º XXI)

Modelo que contém a definição dos mecanismos necessários à gestão e à fiscalização da Solução de Tecnologia da Informação, objetivando minimizar os riscos de falha no fornecimento da Solução, por meio da definição de controles adequados para os principais elementos que a compõe, levando-se em consideração ferramentas, computacionais ou não, processos e recursos materiais e humanos disponíveis;

Prof.: Herbert Parente

108

6) Modelo de Gestão

a partir do Modelo de Execução §Critérios de aceitação

...condições

para gestão

§Procedimento de teste e inspeção (ferramenta, metodologia, comunicação e Lista de Verificação, roteiro de teste, etc)

§Valores e forma de glosa

§Sanções (Lei 8.666/93 art. 86 a 88 e art. 7 Lei

10520/02)

§Forma de Emissão de nota e pagamento

Prof.: Herbert Parente

109

Sanções administrativas

Guia de Contratações do TCU (item 4, página 162)

As sanções previstas no art. 87 da Lei 8.666/1993 113 são genéricas, de maneira que sozinhas não permitem uma atuação eficaz e eficiente dos atores envolvidos na gestão do contrato. Entretanto, o inciso II do artigo citado indica que multas específicas têm que ser elaboradas para cada contrato, de forma que sejam atreladas ao objeto em questão.

Lei 8.666/93 Art. 87 (

...

)

aplicar ao contratado as seguintes sanções:

II - multa, na forma prevista no instrumento convocatório ou no contrato;

TCU - Acórdão nº 2.326/2008 – Plenário

9.6.3. faça constar, com clareza e precisão, cláusulas envolvendo direitos, obrigações e responsabilidades das partes, notadamente cláusulas relativas a inexecução e rescisão do contrato, bem como das sanções em caso de inadimplemento, conforme estabelecem os arts. 54, §1º e 55 da Lei nº 8.666/93;

Prof.: Herbert Parente

110

Sanções administrativas…
Sanções administrativas…

Prof.: Herbert Parente

111

Fonte: Pregão 12/2011 IPHAN

Sanções administrativas

Quem aplica glosas e sanções é a Área Administrativa do órgão.

O Gestor do Contrato só indica.

GLOSA

Sanções administrativas … Quem aplica glosas e sanções é a Área Administrativa do órgão . O

MULTA

Prof.: Herbert Parente

112

Unificar modelos nas responsabilidades

Art. 21. A critério da Equipe de Planejamento da Contratação, as obrigações definidas nos arts. 19 (modelo de execução) e 20 (modelo de gestão) desta IN poderão ser consolidados nas obrigações estabelecidas no art. 18 (responsabildades).

Prof.: Herbert Parente

113

7) Estimativa de preço

Art. 22. A estimativa de preço da contratação deverá ser realizada pelos

Integrantes Administrativo e Técnico para elaboração do orçamento detalhado, composta por

preços unitários e fundamentada em pesquisa no mercado, a exemplo de contratações similares, valores oficiais de referência, pesquisa junto a fornecedores ou tarifas públicas.

Prof.: Herbert Parente

114

7) Estimativa de preço

Qual o preço atual do produto ou serviço?

§Cotar com fornecedores §Cotar os editais vigentes (comprasnet) §Cotações atuais (TCU) §Mínimo 3 propostas (TCU)

Prof.: Herbert Parente

115

7) Estimativa de preçojurisprudência TCU

TCU - Acórdão nº 3.026/2010 – Plenário

...

jurisprudência do TCU é no sentido de que antes da fase externa da licitação há

que se fazer pesquisa de preço para que se obtenha, no mínimo, três orçamentos de fornecedores distintos (Acórdão nº 4.013/2008-TCU-Plenário, Acórdão nº 1.547/2007- TCU-Plenário). No caso de não ser possível obter as cotações exigidas dever ser

apresentada justificativa adequada”.

TCU - Acórdão nº 265/2010 – Plenário

9.1.12. realize uma detalhada estimativa de preços com base em pesquisa fundamentada em informações de diversas fontes propriamente avaliadas, como, por exemplo, cotações específicas com fornecedores, contratos anteriores do próprio órgão,

contratos de outros órgãos e, em especial, os valores registrados no Sistema de Preços Praticados do SIASG e nas atas de registro de preços da Administração Pública

Federal, de forma a possibilitar a estimativa mais real possível, (

...

);

Prof.: Herbert Parente

116

8) Adequação orçamentária e cronograma

Integrante Técnico e Requisitante

I - a estimativa do impacto econômico-financeiro no orçamento do órgão ou entidade, com indicação das fontes de recurso; e

II - cronograma de execução física e financeira, contendo o detalhamento das etapas ou fases da Solução a ser contratada, com os principais serviços ou bens que a compõe, e a previsão de desembolso para cada uma delas

Prof.: Herbert Parente

117

8) Adequação orçamentária e cronograma

8) Adequação orçamentária e cronograma Prof.: Herbert Parente 118 Fonte: Pregão 12/2011 IPHAN

Prof.: Herbert Parente

118

Fonte: Pregão 12/2011 IPHAN

8) Adequação orçamentária e cronograma

8) Adequação orçamentária e cronograma Prof.: Herbert Parente 119 Fonte: Pregão 12/2011 IPHAN

Prof.: Herbert Parente

119

Fonte: Pregão 12/2011 IPHAN

9) Regime de execução

Lei 8.666/93 Art. 6º VIII

VIII - Execução indireta - a que o órgão ou entidade contrata com terceiros sob qualquer dos seguintes regimes: (Redação dada pela Lei nº 8.883, de 1994)

a)empreitada por preço global - quando se contrata a execução da obra ou do serviço por preço certo e total;

b)empreitada por preço unitário - quando se contrata a execução da obra ou do serviço por preço certo de unidades determinadas;

  • d) tarefa - quando se ajusta mão-de-obra para pequenos trabalhos por preço certo, com

ou sem fornecimento de materiais;

  • e) empreitada integral - quando se contrata um empreendimento em sua integralidade,

compreendendo todas as etapas das obras, serviços e instalações necessárias, sob inteira responsabilidade da contratada até a sua entrega ao contratante em condições de entrada em operação, atendidos os requisitos técnicos e legais para sua utilização

em condições de segurança estrutural e operacional e com as características adequadas às finalidades para que foi contratada;

Prof.: Herbert Parente

120

10) Critérios de Seleção

Somente Integrante Técnico. E deve observar:

a)os critérios correntes no mercado;

b) a possibilidade de considerar mais de um atestado relativo ao mesmo quesito de capacidade técnica, quando necessário para a comprovação da aptidão;

c) a vedação da indicação de entidade certificadora, exceto nos casos previamente dispostos em normas do governo federal;

Prof.: Herbert Parente

121

10) Critérios de Seleção

Somente Integrante Técnico. E deve observar:

  • d) a vedação de pontuação com base em atestados

relativos à duração de trabalhos realizados pelo licitante;

  • e) a vedação de pontuação progressiva de mais de um

atestado para o mesmo quesito de capacidade técnica; e

  • f) a justificativa dos critérios de pontuação em termos do

benefício que trazem para a contratante.

Caiu em prova
Caiu em prova

Prof.: Herbert Parente

122

No TR, a Equipe definir ainda...

IN04 Art. 14 § 2º

I - parcelamento ou não da solução a ser contratada, em tantos itens quanto se comprovarem técnica e economicamente viáveis, justificando-se a decisão;

II - permitir, ou não, consórcio e subcontratação da solução (

),

... observado o disposto nos arts. 33 e 72 da Lei nº 8.666, de 1993, respectivamente, justificando-se a decisão.

Guia de Contratações do TCU (item 6.1.9, página 101)

Em suma, deve-se planejar a solução como um todo, mas deve-se dividi-la em tantos objetos quanto possível para fins de contratação, de modo a ampliar a competitividade nas contratações, desde que

seja técnica e economicamente

viável....(ler

na íntegra)

Prof.: Herbert Parente

123

Lotes

Art. 14 § 3º A Equipe de Planejamento da Contratação avaliará, ainda, a necessidade de licitações e contratações separadas para os itens.

§Cada lote pode ter um valor distinto

§Cada lote é como se fosse "uma licitação separada”

§Pode, às vezes deve, haver dependências entre os lotes

Exemplos: FSW, APF e Teste

Prof.: Herbert Parente

124

Lotes, Itens e Parcelas de pgto

Qual a diferença entre LOTE, ITEM e PARCELA de PAGAMENTO?

Prof.: Herbert Parente

125

Ainda no TR

§Se for preço global, cada lote ou item separado com identificação do preço individual

§Consulta Pública opcional (Requisitante OU

Técnico define, não é a Equipe).

§Assinado pela Equipe, mas §Aprovado pela autoridade competente

Prof.: Herbert Parente

126

Fluxo PCTI - TRPB

Prof.: Herbert Parente
Prof.: Herbert Parente

127

(FCC/TCE-GO/2009)

O documento elaborado preferencialmente por técnicos com qualificação profissional no tipo de serviço solicitado, que define as especificações do serviço e deve preceder a contratação da prestação de serviços, denomina-se

  • a) acordo de nível de serviço ou ordem de serviço.

  • b) projeto básico ou ordem de serviço.

  • c) projeto básico ou termo de referência.

  • d) acordo de nível de serviço ou termo de referência.

  • e) projeto básico ou acordo de nível de serviço.

Prof.: Herbert Parente

128

(FCC/TCE-GO/2009)

O documento elaborado preferencialmente por técnicos com qualificação profissional no tipo de serviço solicitado, que define as especificações do serviço e deve preceder a contratação da prestação de serviços, denomina-se

  • a) acordo de nível de serviço ou ordem de serviço.

  • b) projeto básico ou ordem de serviço.

-> c) projeto básico ou termo de referência.

  • d) acordo de nível de serviço ou termo de referência.

  • e) projeto básico ou acordo de nível de serviço.

Prof.: Herbert Parente

129

(CESPE/2009/ANTAQ)

A contratação de serviços de TI, conforme a Instrução Normativa n.º 4/2008 do MPOG/SLTI, deve desenvolver- se em três fases, devendo-se, durante a primeira dessas fases, realizar análise de riscos, visando identificar os riscos de contratação e os de segurança da informação do contratante.

Prof.: Herbert Parente

130

(CESPE/2009/ANTAQ)

ERRADO

A contratação de serviços de TI, conforme a Instrução Normativa n.º 4/2008 do MPOG/SLTI, deve desenvolver-se em três fases, devendo-se, durante a primeira dessas fases, realizar análise de riscos Termo de Referência, visando identificar os riscos de contratação e os de segurança da informação do contratante.

Art. 17. Na especificação dos requisitos da contratação, compete:

II - ao Integrante Técnico especificar, quando aplicáveis, os seguintes requisitos tecnológicos:

i) de segurança da informação;

Prof.: Herbert Parente

131

Capítulo II – Processo de Contratação

SEÇÃO II – Seleção do Fornecedor

Capítulo II – Processo de Contratação SEÇÃO II – Seleção do Fornecedor Prof.: Herbert Parente 132

Prof.: Herbert Parente

132

Seleção de Fornecedores (art. 26 a 30)

do TR da TI
do TR da TI

§Inicia com para Área de Licitações.

Caiu em prova
Caiu em prova
Só eles???
Só eles???

§Art. 28. Caberá a Área de Licitações conduzir as etapas da fase de Seleção do Fornecedor.

Caiu em prova
Caiu em prova

§Obrigatório Pegrão (menor preço) se for bem comum e na forma eletrônica, preferencialmente.

Prof.: Herbert Parente

133

Modalidades de licitação

Lei 8.666/93 art. 22º

§Convite (até 80 mil ou 150 mil)

§Tomada de preço (até 650 mil ou 1.500.00)

§Concorrência (acima de 650 mil ou 1.500.00)

§Concurso §Leilão §Pregão (Lei 10.520/02)

Prof.: Herbert Parente

134

Tipos de licitação

Lei 8.666/93 art. 45º § 1o §Menor preço §Melhor técnica §Técnica e preço §Maior lance ou oferta

Prof.: Herbert Parente

135

O que é bem ou serviço comum?

Lei 10.520/02

Art. 1º Para aquisição de bens e serviços comuns, poderá ser adotada a licitação na modalidade de pregão, que será regida por esta Lei.

Parágrafo único. Consideram-se bens e serviços comuns, para os fins e efeitos deste artigo, aqueles cujos padrões de desempenho e qualidade possam ser objetivamente definidos pelo edital, por meio de

especificações usuais no mercado.

Decreto 7174/10

Art. 9º § 2o Será considerado comum o bem ou serviço cuja especificação estabelecer padrão objetivo de desempenho e qualidade e for capaz de ser atendida por vários fornecedores, ainda que existam outras soluções disponíveis no mercado.

Prof.: Herbert Parente

136

E não comum

Decreto 7174/10

Caiu em prova
Caiu em prova

Art. 9º Para a contratação de bens e serviços de informática e automação, deverão ser adotados os tipos de licitação “menor preço” ou “técnica e preço”, conforme disciplinado Ressalvadas as hipóteses de dispensa ou inexigibilidade previstas na legislação.

§ 3o Nas aquisições de bens e serviços que não sejam comuns em que o valor global estimado for igual ou inferior ao da modalidade convite, não será obrigatória a utilização da licitação do tipo “técnica e preço”.

Prof.: Herbert Parente

137

E não comum

§ 4o A licitação do tipo técnica e preço será utilizada exclusivamente para bens e serviços de informática e automação de natureza predominantemente

intelectual, justificadamente, (

...

)

requerem

individualização ou inovação tecnológica, e possam apresentar diferentes metodologias, tecnologias e níveis de qualidade e desempenho, sendo necessário avaliar as vantagens e desvantagens de cada solução.

§ 5o Quando da adoção do critério de julgamento técnica e preço, será vedada a utilização da modalidade convite, independentemente do valor.

Prof.: Herbert Parente

138

Técnica e preço

Art. 14 (do TR) § 1º Nas licitações do tipo técnica e preço, deve-se:

§I - incluir, para cada atributo técnico da planilha de pontuação, sua contribuição percentual com relação ao total da avaliação técnica; e

§II - proceder a avaliação do impacto de pontuação atribuída em relação ao total de pontos, observando se os critérios de maior peso são de fato os mais relevantes e se a ponderação atende ao princípio da razoabilidade.

Prof.: Herbert Parente

139

Seleção do fornecedor

Caiu em prova
Caiu em prova

Área de TI (Integrante técnico) também participa:

§Análise das sugestões ao TR feita pela área de licitação e jurídica

§Apoia, pregoeiro ou comissão de licitação, nos questionamentos e impugnações dos licitantes

§Apoia, pregoeiro ou comissão de licitação, na análise e julgamento das propostas e recursos

Prof.: Herbert Parente

140

Seleção do fornecedor

Quem se pronuncia aos licitantes é a área competente (pregoeiro ou comissão de licitação).

Integrante técnico apoia (parecer) quando solicitado.

Percebam que a Equipe de Planejamento ainda existe e atua
Percebam que a
Equipe de
Planejamento
ainda existe e atua
Seleção do fornecedor … Quem se pronuncia aos licitantes é a área competente ( pregoeiro ou

APOIAR

FAZER

Prof.: Herbert Parente

141

(FUNRIO/MPOG/2013)

De acordo com o Guia Prático para Contratação de Soluções de Tecnologia da Informação V 1.1 – SLTI e a Instrução Normativa para Contratação de Soluções de Tecnologia da Informação - SLTI/MP IN 04/2010, é correto afirmar que o Integrante Técnico do Modelo de Contratação de Soluções de TI participa

  • a) somente da fase de Planejamento da Contratação de Soluções de TI.

  • b) somente da fase de Seleção do Fornecedor de Soluções de TI.

    • c) das fases de Seleção do Fornecedor de Soluções de TI e de

Gerenciamento do Contrato de Soluções de TI.

  • d) das fases de Planejamento da Contratação de Soluções de TI e de

Seleção do Fornecedor de Soluções de TI.

  • e) de todas as fases do Modelo de Contratação de Soluções de TI.

Prof.: Herbert Parente

142

(FUNRIO/MPOG/2013)

De acordo com o Guia Prático para Contratação de Soluções de Tecnologia da Informação V 1.1 – SLTI e a Instrução Normativa para Contratação de Soluções de Tecnologia da Informação - SLTI/MP IN 04/2010, é correto afirmar que o Integrante Técnico do Modelo de Contratação de Soluções de TI participa

  • a) somente da fase de Planejamento da Contratação de Soluções de TI.

  • b) somente da fase de Seleção do Fornecedor de Soluções de TI.

c) das fases de Seleção do Fornecedor de Soluções de TI e de Gerenciamento do Contrato de Soluções de TI.

-> d) das fases de Planejamento da Contratação de Soluções de TI e de Seleção do Fornecedor de Soluções de TI.

e) de todas as fases do Modelo de Contratação de Soluções de TI.

Prof.: Herbert Parente

143

Seleção do fornecedor

Caiu em prova
Caiu em prova

Se encerra com:

§Assinatura do contrato e §Nomeação

§Gestor

§Fiscais Técnico §Fiscal Administrativo §Fiscal Requisitantes

Seleção do fornecedor … Caiu em prova Se encerra com: §   Assinatura do contrato e

Devem ser as mesmas pessoas da Equipe de Planejamento ou não?

Prof.: Herbert Parente

144

Equipe Planejamento x Fiscais

§IN 04/2010

ATENÇÃO
ATENÇÃO

Os Fiscais Técnico, Requisitante e Administrativo do Contrato serão, preferencialmente, os Integrantes da Equipe de Planejamento da Contratação;

§Guia TCU v1.0 / 2012

Sugere-se estabelecer segregação de funções nos processos de trabalho de contratação e de gestão dos contratos. Por exemplo, definir que, como regra, quem planeja uma contratação de solução de TI não deve participar da gestão do contrato correspondente.

Assim, evita-se a criação de brechas no contrato, na etapa de planejamento da contratação, que possam ser exploradas na gestão do contrato pelo mesmo agente, com o objetivo de, por exemplo, causar danos ao erário. Entretanto, é necessário, avaliar o risco do fiscal do contrato não conseguir efetuar a fiscalização adequadamente se não tiver participado do planejamento da contratação, de modo a não conhecer o objeto em profundidade.

Prof.: Herbert Parente

145

Equipe Planejamento x Fiscais

§IN 04/2014 ART. 30º § 2º

Os Fiscais Técnico, Requisitante e Administrativo do Contrato PODERÃO ser os Integrantes da Equipe de Planejamento da Contratação;

Prof.: Herbert Parente

146

Seleção do Fornecedor

§Art 30º § 3º A Equipe de Planejamento da Contratação será automaticamente destituída quando da assinatura do contrato.

Prof.: Herbert Parente

147

Seleção do Fornecedor

Seleção do Fornecedor Prof.: Herbert Parente 148

Prof.: Herbert Parente

148

Capítulo II – Processo de Contratação

SEÇÃO III – Gestão do Contrato

Capítulo II – Processo de Contratação SEÇÃO III – Gestão do Contrato Prof.: Herbert Parente 149

Prof.: Herbert Parente

149

Gestão do Contrato - estrutura

§Da IN04/2014 (subseções)

Início do Contrato Encaminhamento Formal de Demandas Monitoramento da Execução Transição e Encerramento Contratual

Guia MPOG institui um processo para cada subseção e quebra o item 4 em dois processos.

Prof.: Herbert Parente

150

Atores da Gestão do Contrato

§Gestor do contrato §Fiscal Técnico §Fiscal Requisitante §Fiscal Administrativo §Preposto

Atores da Gestão do Contrato §   Gestor do contrato §   Fiscal Técnico §  

Servidores ou empregados públicos

Lei 8.666/93 Art. 67. A execução do contrato deverá ser acompanhada e fiscalizada por um representante da Administração especialmente designado, permitida a contratação de terceiros para assisti-lo e subsidiá-lo de informações pertinentes a essa atribuição.

Prof.: Herbert Parente

151

Visão Geral

Visão Geral Plano de Inserção e Fiscalização Prof.: Herbert Parente 152
Visão Geral Plano de Inserção e Fiscalização Prof.: Herbert Parente 152

Plano de Inserção e Fiscalização

Visão Geral Plano de Inserção e Fiscalização Prof.: Herbert Parente 152
Visão Geral Plano de Inserção e Fiscalização Prof.: Herbert Parente 152
Visão Geral Plano de Inserção e Fiscalização Prof.: Herbert Parente 152

Prof.: Herbert Parente

152

Gestão do Contrato (art. 31 ao 37)

Objetivo: acompanhar e garantir a adequada prestação dos serviços e o fornecimento dos bens Período: todo a execução do contrato (desde o

Gestão do Contrato (art. 31 ao 37) Objetivo : acompanhar e garantir a adequada prestação dos

início do contrato até o Termo de Encerramento)

Tem esse documento na IN?
Tem esse
documento
na IN?

Guia Contratações do TCU

“ ...atores

responsáveis por sua gestão trabalham para que os

resultados pretendidos com a contratação sejam alcançados e a necessidade que gerou a contratação seja atendida."

Prof.: Herbert Parente

153

Início do contrato (GCTI-P1 – Guia MPOG)

§O Início do Contrato (o processo GCTI-P1) começa com a confecção do Plano de Inserção e do Plano de Fiscalização, elaborados pelo Gestor do Contrato, com apoio dos Fiscais Técnico, Administrativo e Requisitante.

§A critério do Gestor do Contrato e dos Fiscais do Contrato, estes dois planos poderão compor um único documento.

Atenção
Atenção

[IN04/2014 art. 32º parágrafo único]

Prof.: Herbert Parente

154

Termo de Encerramento

Guia Contratação MPOG v2.0 8.5GCTI-P5: Encerramento do Contrato

§O processo de Encerramento do Contrato é formalizado pela assinatura do artefato Termo de Encerramento do Contrato. Para isso, o Gestor do Contrato deve preparar e apresentar tal termo ao Preposto ou ao Representante Legal da Contratada, observando o adequado tratamento dos aspectos legais da contratação.

§Este termo deve ser ASSINADO pelos representantes legais da Contratante e da Contratada

§Os requisitos para o encerramento formal do contrato devem estar definidos no próprio Contrato e incluídos no Modelo de Gestão do contrato.

Prof.: Herbert Parente

155

Termo de Encerramento

O Termo de Encerramento é obrigatório e tem fundamentação legal? SIM

Lei 8.666/93

§Art. 79. A rescisão do contrato poderá ser:

I - determinada por ato unilateral e escrito da Administração no casos (

...

);

II - amigável, por acordo entre as partes, reduzida a termo no processo da licitação, desde que haja conveniência para a Administração;

III - judicial, nos termos da legislação;