Sie sind auf Seite 1von 1

TORTURA PELA TORTURA

1 Na mesma pena incorre quem submete pessoa presa ou sujeita a medida de segurana a
sofrimento fsico ou mental, por intermdio da prtica de ato no previsto em lei ou no resultante
de medida legal.

Contextualizao Ftica: A vtima est legalmente presa ou submetida medida de


segurana, mas sujeitada a um sofrimento fsico ou mental no previsto na lei.

Lembre-se:
a. Mesmo o pior dos criminosos ostenta a dignidade, em todas as dimenses (fsica ou
mentais), pois reza a CF que ningum ser submetido a tortura nem a tratamento
desumano ou degradante.
b. O preso conserva todos os direitos no atingidos pela perda de liberdade, impondo-se
se as autoridades o respeito sua integridade fsica ou mental (vide, inclusive, Art. 40 da
LEP);
c. Ao administrador somente cabe fazer aquilo que a lei lhe autoriza.
I. Bem jurdico
Tutela-se a integridade corporal ou sade mental da pessoa presa ou submetida a
medida de segurana.
II. Sujeitos
a) Ativo crime prprio: pessoa que seja responsvel pelo crcere do preso ou
medida de segurana.
b) Passivo: o indivduo preso ou submetido medida de segurana.

III. Tipo Objetivo

a) Verbo nuclear Submeter: reduzir obedincia, sujeitar.

b) meio de execuo: qualquer ato executrio no previsto em lei ou no resultante de


medida legal.

c) elemento normativo do tipo (resultado previsto na norma): sofrimento fsico ou mental.

Obs. 1: No se confunde com o crime de abuso de autoridade.

submeter pessoa sob sua guarda ou custdia a vexame ou a constrangimento no


autorizado por lei.

Ex.: expor uma pessoa algemada e somente com roupas ntimas enquanto deixa-la dias
sem alimentao caracteriza tortura.

Diferena: No se trata de simples vexame ou constrangimento, mas sim verdadeira dor


fsica ou mental.

IV. Elemento Subjetivo


o dolo (vontade livre de praticar os elementos objetivos descritos no tipo penal, sem
qualquer finalidade especfica).

V. Consumao x Tentativa
Crime material: com a submisso da vtima a sofrimento fsico ou mental.

A tentativa ocorrer quando, apesar de praticado o ato no previsto em lei ou no


resultante de medida legal, no gere sofrimento a vitima.