Sie sind auf Seite 1von 1

O que ocorre no segundo regime, em oposio ao regime

significante, anteriormente definido? Em primeiro lugar, um signo ou um

grupo de signos se destaca da rede circular irradiante, comea a trabalhar

por sua conta, a correr em linha reta, como se adentrasse em uma estreita via

aberta. O sistema significante j traava uma linha de fuga ou de

desterritorializao que excedia o ndice prprio de seus signos

desterritorializados; mas a essa linha, justamente, ele atribuiu um valor

negativo, fazendo nela fugir o emissrio. Dir-se-ia, agora, que essa linha

recebe um signo positivo, que est efetivamente ocupada e seguida por todo

um povo que nela encontra sua razo de ser ou seu destino. E certamente,

ainda aqui, no fazemos histria: no dizemos que um povo inventa esse

regime de signos, mas somente que efetua em um dado momento o agenciamento que
assegura a dominncia relativa desse regime em condies

histricas (e esse regime, essa dominncia, esse agenciamento podem ser

assegurados em outras condies, por exemplo patolgicas ou literrias, ou

amorosas, ou completamente cotidianas etc). No dizemos que um povo seja

possudo por tal tipo de delrio, mas que o mapa de um delrio,

considerando-se suas coordenadas, pode coincidir com o de um povo,

considerando-se as dele. Como o fara paranico e o hebreu passional? Com

o povo judeu, um grupo de signos se destaca da rede imperial egpcia da qual

fazia parte, comea a seguir uma linha de fuga no deserto, opondo a

subjetividade mais autoritria significncia desptica, o delrio mais

passional e o menos interpretativo ao delrio paranico interpretante, em

suma opondo "o processo ou a reivindicao" lineares rede circular

irradiante. Sua reivindicao, seu processo essa ser a palavra de Moiss

a seu povo, e os processos se sucedem em uma linha de Paixo12. Kafka

extrair da sua prpria concepo da querelncia ou do processo, e a

sucesso dos segmentos lineares: o processo-pai, o processo-hotel, o

processo-barco, o processo-tribunal...