You are on page 1of 18

Tecnologias das Construções II

Prof. Bruno Fernandes Silva


FACULDADE ANHANGUERA DE RONDONÓPOLIS - FAR
ENGENHARIA CIVIL - 2016
Apresentação da Disciplina

TECNOLOGIA DAS CONSTRUÇÕES II

Ementa:

 Instalação Elétrica e Lógica


 Instalações Hidráulica
 Instalação Sanitária
A Engenharia de Tráfego
 Controle no contexto
Tecnológico profissionaldepara
em Materiais o Engenheiro
Construção CivilCivil
Campo promissor, desde a promulgação do Código de Trânsito Brasileiro – CTB, em setembro de 1997
Aula 01
Iluminação de Ambientes
Luminotécnico
Norma Técnica
ABNT NBR ISO/CIE 8995-1

A Engenharia de Tráfego no contexto profissional para o Engenheiro Civil


Campo promissor, desde a promulgação do Código de Trânsito Brasileiro – CTB, em setembro de 1997
Luminotécnica – Norma Técnica

ABNT NBR ISSO/CIE 8995-1

-Idêntica em conteúdo técnico e estrutura da redação à ISSO/CIE 8996-1:2002 e Cor 1:2005 que foi
elaborada conjuntamente pelo CIE-TC 321 e ISSO/TC 159, Technical Commitee Ergonomics,
Subcommitee SC5, Ergonomics of the Phisical Environment conforme ISO/IEC Guide 1.2005.

-Cancela e substitui a ABNT NBR 5413:1992 e a ABNT NBR 5382:1985.


-Apresenta adicionalmente quatro anexos informativos, elaborados com o intuito de informar detalhes
referente aos requisitos da norma.
Aula 02
Resolução do Cálculo
RESOLUÇÃO DO CÁLCULO

1º - PASSO :-Encontrar nas tabelas da ABNT NBR ISSO/CIE 8995-1 a iluminância necessária para o

ambiente. – para isso precisaremos calcular o “peso” que considera a idade, o tipo de atividade e a
refletância do fundo de tarefa. Determinado o peso teremos condição de conhecer a Iluminância adequada
para o ambiente, verificando a tabela correta da norma;
2º – PASSO : Determinar o tipo de lâmpada e luminária que pretendemos usar – Essas tabelas fornecem o

iluminamento em lumens que a luminária fornecerá;


A Engenharia de Tráfego no contexto profissional para o Engenheiro Civil
3º – PASSO: Calcular o índice K do ambiente;
Campo promissor, desde a promulgação do Código de Trânsito Brasileiro – CTB, em setembro de 1997
4 º– PASSO: Verificar a refletância do teto, paredes e piso;

5º - PASSO: Usando tabela do fabricante da luminária encontrar o fator de utilização FU;

6º - PASSO: Usando tabela encontrar fator de depreciação ou manutenção FM;


7º - PASSO : Encontrar o Fluxo luminoso das lâmpadas na luminária. Tabela fornecida pelo fabricante;

8º – PASSO :Cálculo de N – número de luminárias;

9º – PASSO :Distribuição das luminárias no local.


PRIMEIRO PASSO PARA A RESOLUÇÃO DO EXERCÍCIO

+1 + 0 + 0 = 1
Sequencia do primeiro passo.
ESCOLHA DO VALOR DA ILUMINÂNCIA.

A Engenharia de Tráfego no contexto profissional para o Engenheiro Civil


Campo promissor, desde a promulgação do Código de Trânsito Brasileiro – CTB, em setembro de 1997
Sequencia do primeiro passo.
ESCOLHA DO VALOR DA ILUMINÂNCIA.

Em casos que se apresente Iluminância estabelecida pelo Quadro de Planejamento dos Ambientes da
NBR ISSO/CIE 8995-1:2013 se aplica Iluminância indicada.

Valor tabelado como referência para


SALA DE AULA = (500 Lux)
FÓRMULAS

Onde:
K= CxL = K = Índice do Recinto
(C+L) x A C = Comprimento/L=largura
A = Altura de Montagem

N - Quantidade de luminárias
n – número de lâmpadas
E - Iluminância Média
N= _ E x S ___ = S – Área do local
n x ϕ x FU x FM ϕ - Fluxo Luminoso luminária
FU - Fator de Utilização
FM - Fator de Manutenção.
SEGUNDO – PASSO :
ESCOLHA do tipo de lâmpada e luminária que pretendemos usar. Esses dados são encontrados nos
catálogos técnicos dos fabricantes de luminárias e lâmpadas.

DADOS PARA O EXERCÍCIO


ESCOLHA do tipo de lâmpada e luminária que pretendemos usar.
As luminárias serão de sobrepor, do tipo TBS 050/C1 para duas lâmpadas fluorescentes tubulares tipo
Esses dados são encontrados nos catálogos técnicos dos fabricantes de
TLDRS de 32W .
luminárias e lâmpadas.
O fluxo luminoso emitido por uma lâmpada desse modelo TLD de 32W é igual a 3200 lumens.
TERCEIRO – PASSO :

Onde:
K= CxL = K = Índice do Recinto
(C+L) x A C = Comprimento/L=largura
A = Altura de Montagem

K= CxL = 9 x 10 = 1.72
(C + L) x A ( 9 + 10) x (3,5 – 0,75)
QUARTO – PASSO :
Determinar a refletância do teto, paredes e piso.

Determinar a refletância do teto, paredes e piso.


QUINTO – PASSO :
Encontrar o Fator de utilização –
Essa tabela é fornecida pelo fabricante da luminária.
TABELA DE FATOR DE UTILIZAÇÃO – TBS 050/CI – 2X TLD 32W

FU = 0,61
Valor mais próximo do calculado
SEXTO – PASSO :
Determinar o fator de manutenção .

TABELA DOS FATORES DE MANUTENÇÃO

A Engenharia de Tráfego no contexto profissional para o Engenheiro Civil


Campo promissor, desde a promulgação do Código de Trânsito Brasileiro – CTB, em setembro de 1997

FM = 0,91
SÉTIMO E OITAVO – PASSOS:

Encontrar o Fluxo luminoso da lâmpada usada na luminária – fornecido pelo fabricante.


Calcular o número de luminárias necessárias.
N - Quantidade de luminárias
n – número de lâmpadas
E - Iluminância Média
N= _ E x S ___ =
S – Área do local
n x ϕ x FU x FM ϕ - Fluxo Luminoso luminária
FU - Fator de Utilização
FM - Fator de Manutenção.
Cálculo com 500 (lux) para o ambiente:

N= 500 x 90 = 12,66 > ou 16 luminárias para distribuição homogênea no ambiente.


2 x 3200 x 0,61 x 0,91

Cálculo com 750 (lux) para o ambiente:

N= 750 x 90 = 18,99
2 x 3200 x 0,61 x 0,91
NONO – PASSO :
Distribuição das luminárias no local.
Teremos 4 colunas por 4 linhas que resulta em 16 luminárias com 2 lâmpadas
fluorescentes tubulares tipo TLDRS de 32W.
C

Y/2 Y/2 Iluminância de cada luminária por m²:


X L = 9,0 m
X/2
C = 10,0 m
N = 16 Luminárias
Y 9 x 10 = 90m²
90 / 16 = 5,62 m² (por Luminária)
A Engenharia de Tráfego no contexto profissional para o Engenheiro Civil
Campo promissor, desde a promulgação do Código de Trânsito Brasileiro – CTB, em setembro de 1997
Distribuição das luminárias:
L Y/2 = 1,12 m
Y = 2,25 m
X = 2,50 m
X/2 = 1,25 m
X = 2,50 m