Sie sind auf Seite 1von 2

1

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO


FACULDADE DE LETRAS
LINGUÍSTICA III
PROFESSORA: Adriana Leitão Martins

AULA 21: TEORIA DA LIGAÇÃO I

1. Definição
• A teoria da ligação é o módulo da gramática que estalece as condições que definem
os domínios de ligação das expressões nominais.

2. Problemas
• Ex 1 : João i pensa que ele i/j é inteligente.
• Ex 2 : *Ele i pensa que João i é inteligente.

3. Tipos de sintagmas nominais


• expressões referenciais: nomes que já possuem referência própria (ex: João, Maria);
• pronomes: expressões sem referência própria que devem estar indexadas a um
antecedente (ex: ele, him, o – pronome);
• anáforas: expressões sem referência própria, reflexivas, que devem estar indexadas
a um antecedente (ex: se, himself, uns aos outros).

4. Expressões referenciais
• Uma expressão referencial, como João ou Maria, tem referência independente. Um
NP como esse seleciona um referente do universo do discurso e não pode estar
ligado a um antecedente.
• Ex 3 : *Maria i disse ao professor que Maria i estava doente.

5. Pronomes
• Os pronomes, por outro lado, não selecionam inerentemente um referente do
universo do discurso.
• Ex 4 : *John i loves him i . • Ex 5 : *João i o i ama.
• Nos exemplos 4 e 5, him e o referem-se a uma entidade que é caracterizada pelos
traços nominais [+singular] e [+masculino]. Os traços de gênero e número
2
restringem as entidades selecionadas por um pronome. Além disso, nós não podemos
livremente escolher qualquer entidade que é masculina como referente para him.
John, por exemplo, não pode ser o antecedente de him.
• Ex 6 : Como está João? // Ele está bem.
• A gramática não precisa dar conta do fato de que ele provavelmente tem como
referente João. Esta interpretação deriva do uso da sentença para propósitos
comunicativos. Por outro lado, o fato de que him e John (ex 4 ) e o e João (ex 5 ) não
podem ser correferentes é parte da gramática.
• Ex 7 : João i disse que ele i é inteligente.
• O que faz as sentenças 4 e 5 agramaticais e a sentença 7 gramatical? O antecedente
do pronome não pode estar dentro da mesma categoria de regência.

6. Anáforas
• As anáforas são expressões sem referência própria, que é dada por um antecedente.
• Ex 8 : Maria i se i ama. • Ex 11 : João i disse [que ele i/j sei/j
• Ex 9 : Maryi loves herself i . cortou].
• Ex 10 : *João i disse [que Maria sei • Ex 12 : [O amigo do João] i confia em
cortou]. [si próprio] i
• Independentemente do conteúdo, a referência do reflexivo é determinada: o reflexivo
deve referir-se ao antecedente dentro da sua categoria de regência.

 OBS 1 : Qual a semelhança e divergência entre pronomes e anáforas?

 OBS 2 : Evidência da existência de “categoria vazia”:


• Ex 13 : Theyi love [each other] i .
• Ex 14 : Eles i amam [uns aos outros] i . / Eu i me i amo.
• Ex 15 : pro i amam [uns aos outros] i . / pro i mei amo.

 OBS 3 : Por que a frase “João i disse que ama ele i ” é agramatical apesar do pronome estar
“distante” do seu antecedente “João”? Repare:
• Ex 16 : *João i disse [que pro i ama ele i ].
*
• Ex 17 : João i disse [que pro i se i ama]. / João i disse [que pro i ama a [si próprio] i ].